Giulia Sbaraini Fontes

Doutoranda pelo PPGCP (Programa de Pós-Graduação em Ciência Política) da UFPR (Universidade Federal do Paraná). Mestre em Ciência Política pela UFPR (2018). Membro do PONTE (Grupo de Pesquisa Comunicação, Política e Tecnologia), vinculado ao PPGCP. Foi membro do corpo editorial da Revista Eletrônica de Ciência Política. Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela UFPR (2015). Repórter de política paranaense no jornal Gazeta do Povo. Realiza pesquisas na área de Jornalismo Político.

Informações coletadas do Lattes em 25/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em andamento em Ciência Política

2018 - Atual

Universidade Federal do Paraná
Título: As instituições jornalísticas como atores políticos: uma análise comparada entre editoriais e cobertura noticiosa,
Francisco Paulo Jamil Almeida Marques. Palavras-chave: enquadramento; instituições jornalísticas; Comunicação política; atores políticos; análise comparada.

Mestrado em Ciência Política

2016 - 2018

Universidade Federal do Paraná
Título: Linha editorial e atores políticos na produção noticiosa: uma análise de enquadramento da cobertura de Folha e Estadão sobre o uso de crack em São Paulo entre 1991 e 2016,Ano de Obtenção: 2018
Rafael Cardoso Sampaio.Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: enquadramento; Jornalismo; atores políticos; crack.

Graduação em Comunicação Social

2012 - 2015

Universidade Federal do Paraná
Título: A Operação Lava Jato: uma análise do enquadramento noticioso das revistas Carta Capital e Veja
Orientador: Carla Candida Rizzotto

Ensino Médio (2º grau)

2009 - 2011

Colégio Nossa Senhora Medianeira

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2017 - 2017

Extensão universitária em Introdução à programação em R para Ciências Sociais. (Carga horária: 24h). , Universidade Estadual de Maringá, UEM, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Bandeira representando o idioma Francês

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

MARQUES, F. P. J. ; MIOLA, E. ; FONTES, G. S. . Workshop e-Transparência. 2017. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

Workshop e-Transparência. 2017. (Outra).

XI Politicom. 2012. (Oficina).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Gabriel Abreu Costa

SANTOS, A. C.; MANDAJI, C. F. S.; MIOLA, E.;FONTES, G. S.. Comunicação pública no canal do YouTube do presidente Jair Messias Bolsonaro. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação Organizacional) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Aluno: Jackeline Saori Teixeira

MARQUES, F. P. J. A.;FONTES, G. S.; PICUSSA, R.. Transparência no portal da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná quanto à arquitetura da informação e usabilidade. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal do Paraná.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Luiz Augusto de Souza Carneiro de Campos

SAMPAIO, R.; CERVI, E.;CAMPOS, Luiz Augusto. Linha editorial e atores políticos na produção noticiosa: uma análise de enquadramento da cobertura de Folha e Estadão sobre o uso de crack em São Paulo entre 1991 e 2016. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) - Universidade Federal do Paraná.

Fernanda Carraro Dal-Vitt

RIZZOTTO, C.;DAL-VITT, F. C.; MESSAGI JR., M.. A Operação Lava Jato: Uma análise do enquadramento noticioso das revistas Carta Capital e Veja. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação Social) - Universidade Federal do Paraná.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Carla Cândida Rizzotto

A operação Lava Jato: Uma análise do enquadramento noticioso das revistas Carta Capital e Veja; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Comunicação Social) - Universidade Federal do Paraná; Orientador: Carla Candida Rizzotto;

Rafael Cardoso Sampaio

O CRACK E AS POLÍTICAS PÚBLICAS PARA DROGAS NAS PÁGINAS DA IMPRENSA PAULISTANA: ANÁLISE DE ENQUADRAMENTO DA COBERTURA DE FOLHA E ESTADÃO ENTRE 1991 E 2016; 2016; Dissertação (Mestrado em Ciência Política) - Universidade Federal do Paraná, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Rafael Cardoso Sampaio;

FRANCISCO PAULO JAMIL ALMEIDA MARQUES

As instituições jornalísticas como atores políticos: uma análise comparada entre editoriais e cobertura noticiosa; Início: 2018; Tese (Doutorado em Ciência Política) - Universidade Federal do Paraná; (Orientador);

Kelly Cristina de Souza Prudencio

A cobertura jornalística do ciberativismo brasileiro; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Comunicação Social) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Kelly Cristina de Souza Prudencio;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • SANTOS, DEIVISON HENRIQUE DE FREITAS ; MARQUES, FRANCISCO PAULO JAMIL ; FONTES, GIULIA SBARAINI . POLITICAL JOURNALISM BETWEEN NEWS AND OPINION: a comparative study of the 2018 Brazilian presidential elections. BRAZILIAN JOURNALISM RESEARCH (ONLINE) , v. 16, p. 122-151, 2020.

  • FERRACIOLI, PAULO ; SBARAINI FONTES, GIULIA . Novas eleições, novas estratégias? O HGPE dos candidatos à prefeitura de Curitiba em 2012 e 2016. Ação Midiática - Estudos em Comunicação, Sociedade e Cultura , v. 2, p. 175-201, 2019.

  • CARVALHO, F. C. ; KNIESS, A. B. ; FONTES, G. S. . Representação feminina na propaganda eleitoral partidária no Brasil: as candidatas a Deputada Federal pelo Paraná na TV. Estudos em Comunicação , v. 1, p. 231-246, 2018.

  • SAMPAIO, R. C. ; MITOZO, I. ; MASSUCHIN, M. ; FONTES, G. S. ; PENTEADO, C. L. C. . Ciberpolítica, ciberativismo e cibercultura: uma análise dos papers apresentados no grupo de trabalho da Anpocs. BIB. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais , v. 85, p. 126-147, 2018.

  • SBARAINI FONTES, GIULIA ; FERRACIOLI, PAULO . Police Case or Public Health Issue? Printed Journalism Frames on Crack Use in São Paulo. BRAZILIAN JOURNALISM RESEARCH (ONLINE) , v. 13, p. 162, 2017.

  • CARVALHO, F. C. ; NICHOLS, B. W. ; FONTES, G. S. ; PINSAG, Y. . Debate on-line em campanhas locais: os comentários no Facebook sobre a eleição municipal de Curitiba em 2016. TEORIA & PESQUISA (ON LINE) , v. 26, p. 168, 2017.

  • FONTES, G. S. ; SAMPAIO, R. C. ; FERRACIOLI, P. . Molduras de uma tragédia anunciada: enquadramentos do desastre de Mariana. INTERCOM (SÃO PAULO. ONLINE) , v. 40, p. 55-72, 2017.

  • RIZZOTTO, C. C. ; FERRACIOLI, P. ; FONTES, G. S. . As molduras possíveis para o Petrolão: uma análise de enquadramento de Carta Capital e Veja. Verso e Reverso (Unisinos. Online) , v. 30, p. 11, 2016.

  • FONTES, G. S. ; FERRACIOLI, P. ; SAMPAIO, R. C. . Petrolão na mídia: o enquadramento de 18 meses da operação Lava Jato nas revistas impressas. Agenda Política , v. 4, p. 238-266, 2016.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2018 - Atual

    TRANSPARÊNCIA DIGITAL NO CASO DO ESTADO BRASILEIRO: TEORIA, METODOLOGIA E APLICAÇÕES PRÁTICAS, Descrição: A partir de descobertas já realizadas em projetos anteriores desenvolvidos sob responsabilidade do proponente, o objetivo da investigação aqui delineada é elaborar um reconhecimento acerca (a) das principais vertentes teóricas e (b) das iniciativas e aplicações práticas que caracterizam o fenômeno da comunicação online enquanto ferramenta e ambiente voltado ao aperfeiçoamento da transparência política. Uma vez que o estado da arte na área de Democracia Digital encontra-se em uma fase mais madura de estudos, se comparado ao que havia em meados dos anos 2000 (indo além do mero inventário de iniciativas e deslocando o foco para os efeitos dos media digitais sobre o processo de produção política e sobre o comportamento de agentes e instituições), é fundamental avançar na compreensão de agendas e princípios que ainda não foram devidamente explorados no caso brasileiro. Tal postura permite adotar uma abordagem teórico-metodológica que, ao investir em um panorama comparativo, pode se mostrar apta a mensurar, por exemplo, a influência de marcos regulatórios e da cultura política sobre projetos de e-Transparência. Uma vez que os estudos de caso aqui propostos (um conjunto de órgãos do Executivo, Legislativo e Judiciário, com atuação em âmbito municipal, estadual e federal) compreendem distintos poderes da República (com finalidades, estruturas e disposições distintas em desenvolver mecanismos de transparência digital), apresentam-se as seguintes hipóteses: H1) Existem padrões substancialmente díspares de adoção dos media digitais por parte de instituições do Estado no que se refere à e-Transparência; H2) A divulgação de tais informações se mostra desigual tanto por interesses políticos dos gestores, quanto por conta de elementos organizacionais-burocráticos típicos de cada instância; H3) No âmbito de cada órgão da administração, existe uma disputa entre agentes do campo político/representantes eleitos e técnicos/funcionários de carreira acerca do quanto deve ser revelado ao público (observando-se os limites legais, naturalmente); H4) O tamanho da população e o grau de desenvolvimento sócio-econômico estão associados ao gradiente de sofisticação dos recursos de e-Transparência em cada caso examinado; H5) A legislação se revela um elemento fundamental a constranger órgãos e agentes da administração pública a adotarem mecanismos de e-Transparência. Por meio de pesquisa documental (normas publicadas por diferentes instâncias que integram a estrutura burocrática do Estado), bibliográfica (literatura atualizada sobre o estágio conceitual e experimental) e legislativa (arcabouço jurídico em vigor e propostas em tramitação no âmbito do Poder Legislativo), bem como da coleta de dados oriundos de diferentes experiências de e-Transparência (compreensão sobre desenho, concepção e abrangência das ferramentas); da agregação de variáveis em bancos de dados do IPEA e do IBGE (informações sociopolíticas/demográficas/econômicas sobre cada localidade abrangida pela iniciativa de e-Transparência, a fim de cotejar as variáveis); da realização de entrevistas com parlamentares e autoridades gestoras, pretende-se coletar os dados necessário para análise por meio de técnicas quantitativas e qualitativas. Com isso, será possível compreender os meios e modos de utilização dos recursos de comunicação política online, bem como colaborar (enquanto mecanismo de transferência de resultados) na melhoria das práticas democráticas por meio do fortalecimento do controle social da administração pública.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (4) . , Integrantes: Giulia Sbaraini Fontes - Coordenador / Paulo Ferracioli - Integrante / Andressa Butture Kniess - Integrante / Edna Miola - Integrante / Camila Mont'Alverne - Integrante / Francisco Paulo Jamil Almeida Marques - Integrante / Wilson da Silva Gomes - Integrante / Isabele Batista Mitozo - Integrante / Paula Karini Amorim - Integrante / Pedro Henrique Moura Leite - Integrante / Ester Athanasio - Integrante / Mariane Nava - Integrante / André Schlindwein - Integrante / Fellipe Herman - Integrante / Victor Hausen - Integrante / Jackeline Saori Teixeira - Integrante / Michele Goulart Massuchin - Integrante / Maria Paula Almada - Integrante / Deivison Santos - Integrante / Pablo Silva Pimentel - Integrante / Ana Paula Lunardi - Integrante / Naiza Comel - Integrante / Samuel Pizarro Pereira - Integrante., Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2016 - Atual

    O JORNALISMO COMO ESPELHO DO JORNALISMO: Que imagem política a Imprensa Brasileira constrói de si?, Descrição: Partindo-se do pressuposto de que o Jornalismo reivindica assumir a função de ?representante? do leitor, alimentando uma imagem positiva de si, interessa a esta pesquisa 1) compreender em que termos se dá a representação exercida pelo Jornalismo em nome do cidadão; 2) investigar a origem histórico-conceitual da legitimidade de profissionais e empresas do Jornalismo brasileiro; 3) examinar que imagem as empresas jornalísticas do país elaboram sobre si mesmas; 4) analisar como tal imagem é percebida e questionada pela audiência nos espaços dos próprios jornais. Do ponto de vista empírico, serão examinados materiais publicados nos jornais ?O Estado de S. Paulo? e ?Folha de S. Paulo?, dois dos principais quality papers brasileiros, atentando-se, especificamente, para conteúdos ligados à cobertura Política. Metodologicamente, recorre-se aos seguintes procedimentos: revisão de literatura aprofundada; análise documental (Mídia-Kit; cartas de princípios das empresas jornalísticas, manuais de redação); acompanhamento sistemático das publicações (editoriais, colunas, cartas do leitor, dentre outros conteúdos); entrevistas com editores in loco; Análise do Discurso em sua vertente francesa.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (3) / Mestrado profissional: (4) . , Integrantes: Giulia Sbaraini Fontes - Integrante / Paulo Ferracioli - Integrante / Francisco Paulo Jamil Marques - Coordenador / Edna Miola - Integrante / Isabele Mitozo - Integrante / Camila Mont'Alverne - Integrante / Ester Athanasio - Integrante / Mariane Nava - Integrante / Victor Hausen - Integrante / Deivison Santos - Integrante / Pablo Silva Pimentel - Integrante / Naiza Comel - Integrante / Samuel Pizarro Pereira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.

  • 2013 - 2014

    A cobertura jornalística do ciberativismo brasileiro, Descrição: Trabalho de iniciação científica com análise de matérias jornalísticas a partir da teoria do enquadramento noticioso.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Giulia Sbaraini Fontes - Integrante / Kelly C. S. Prudencio - Coordenador / Bruno Murakami - Integrante / Dayane Saleh - Integrante.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2019

Aprovação no concurso 001/2019 para professor substituto no curso de Comunicação Organizacional - 4 lugar, Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

2019

Bolsa de Jornalismo Regional, Transparência Internacional Brasil e Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo.

2016

Melhor rendimento acadêmico, UFPR.

2011

Prêmio de Excelência Santo Inácio de Loyola, Colégio Nossa Senhora Medianeira.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2016 - 2018

Universidade Federal do Paraná

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Mestranda, Regime: Dedicação exclusiva.

2014 - 2015

Universidade Federal do Paraná

Vínculo: Voluntária, Enquadramento Funcional: Iniciação científica, Carga horária: 20

2013 - 2014

Universidade Federal do Paraná

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação científica

2009 - 2010

Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação científica

2018 - Atual

Editora Gazeta do Povo Ltda

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Repórter, Carga horária: 30