Filipe de Quintal Vicinança

Possui ensino-medio-segundo-grau pelo Anglo Campinas Unidade Castelo(2011). Tem experiência na área de Ciência e Tecnologia de Alimentos.

Informações coletadas do Lattes em 25/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em andamento em Engenharia de Alimentos

2012 - Atual

Universidade Estadual de Campinas

Ensino Médio (2º grau)

2009 - 2011

Anglo Campinas Unidade Castelo

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Bandeira representando o idioma Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Ciência e Tecnologia de Alimentos.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Glaúcia Maria Pastore

Avaliação do Potencial Bioquímico e Antioxidante do ingá (Ingá edulis) e maçã-de-elefante (Dillenia indica); 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Engenharia de Alimentos) - Universidade Estadual de Campinas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Glaucia Maria Pastore;

Helena Maria Andre Bolini

PERFIL SENSORIAL DINÂMICO E ESTUDO COM CONSUMIDORES CHOCOLATE AO LEITE PRODUZIDOS EM DIFERENTES PAÍSES; 2015; Iniciação Científica; (Graduando em Alimentos e Nutrição) - Universidade Estadual de Campinas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Helena Maria Andre Bolini;

Maristela da Silva do Nascimento

ÓLEOS ESSENCIAIS E SEU USO COMO SANITIZANTES ALTERNATIVOS NA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS; 2018; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Engenharia de Alimentos) - Universidade Estadual de Campinas; Orientador: Maristela da Silva do Nascimento;

Maristela da Silva do Nascimento

Programa de Apoio Didático (PAD) TA 724 FEA-Unicamp; 2016; Orientação de outra natureza; (Engenharia de Alimentos) - Universidade Estadual de Campinas, Pró-reitoria de Graduação da Unicamp; Orientador: Maristela da Silva do Nascimento;

Maristela da Silva do Nascimento

Estágio supervisionado par conclusão de curso de engenharia de alimentos; 2016; Orientação de outra natureza; (Engenharia de Alimentos) - Universidade Estadual de Campinas; Orientador: Maristela da Silva do Nascimento;

Iramaia Angélica Neri-Numa

Avaliação do potencial bioquímico e antioxidante do ingá edulus (Inga eduliis) e maçã de elefante (Dillenia indica); 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências de Alimentos) - Faculdade de Engenharia de Alimentos da UNICAMP, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Iramaia Angélica Neri-Numa;

Maysa do Vale Oliveira

Avaliação do potencial bioquímico e antioxidante do ingá edulus (Inga eduliis) e maçã de elefante (Dillenia indica); ; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Engenharia de Alimentos) - Universidade Estadual de Campinas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Maysa do Vale Oliveira;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2013 - 2014

    Projeto de Iniciação Científica: Análise do Potencial Bioquímico de Ingá edulis e Dillenia indica, Descrição: O presente Projeto de Iniciação Científica foi conduzido pelo Laboratório de Bioaromas e Compostos Bioativos, vinculado à Faculdade de Engenharia de Alimentos da UNICAMP. O principal objetivo deste trabalho foi caracterizar bioquimicamente as enzimas peroxidase (POD), polifonoloxidase (PFO), assim como o teor de compostos fenólicos das frutas maçã de elefante (Dillenia indica) e ingá cipó (Inga edulis), por serem utilizadas popularmente contra inflamações, diarréia e diabetes. O fato de serem frutas exóticas, e pouco conhecidas pela população, suporta a possibilidade de descobrir novas substâncias, que possam ser aplicadas nas indústrias de alimentos, farmacêutica e/ou cosmética, além incentivar o consumo dessas frutas até então, desconhecidas. Este é o primeiro estudo que relata as atividades da enzima peroxidase (POD) e polifenoloxidase (POX), bem como o teor de compostos fenólicos da maçã de elefante e ingá-cipó. Por meio dos resultados obtidos, conlcui-se que ambas frutas apresentam teores significativos de POD e POX, sendo na maçã de elefante mais elevado. Em relação a avaliação do conteúdo dos compostos fenólicos, não foram observadas diferenças significativas. No entanto, estudos adicionais serão necessários para as etapas de isolamentos dos compostos de interesse, caracterização das estrutura dos compostos fenólicos e finalmente, o estudo do mecanismo de ação destas moléculas. Os resultados deste estudo apresentam uma aplicação viável para a sequência dos estudos, visando a descoberta de novas moléculas de interesse comercial, principalmente para a indústria de alimentos e manutenção da saúde. . , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Filipe de Quintal Vicinança - Integrante / Glaucia Maria Pastore - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2013 - 2014

Universidade Estadual de Campinas

Vínculo: , Enquadramento Funcional: