Isaac Palma Brandão

Doutorando em Sociologia pela Unicamp, mestre em Antropologia pela Universidade Federal Fluminense, graduado em Sociologia pela mesma universidade (laureado pela excelência acadêmica) e técnico em gestão pública pela ETEC CEPAM. Atuou em pesquisas sobre julgamento de policiais militares na Justiça Militar Estadual como bolsista de iniciação cientifica CNPQ e FAPERJ. Realizou pesquisa de mestrado sobre o caso Rafael Braga, enfatizando a centralidade da dimensão racial na situação carcerária e criminal no Brasil; pesquisa financiada pela CAPES. Tem experiência na área de Antropologia e Sociologia, com ênfase em Antropologia do Direito e das Relações Étnico-raciais atuando principalmente nos seguintes temas: polícia militar, segurança pública, violência, violência policial, justiça militar, justiça criminal, relações raciais e documentos.

Informações coletadas do Lattes em 30/05/2022

Acadêmico

Formação acadêmica

Doutorado em andamento em Sociologia

2021 - Atual

Universidade Estadual de Campinas
Orientador: Matheus Gato de Jesus
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Mestrado em Antropologia

2017 - 2019

Universidade Federal Fluminense
Título: Desarquivar: uma etnografia contra o repositório racial,Ano de Obtenção: 2019
Antônio Carlos Rafael Barbosa.Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Justiça Criminal; arquivos raciais; burocracia; racismo; Rafael Braga Vieira.

Graduação em Sociologia

2013 - 2016

Universidade Federal Fluminense
Título: Policiais no banco dos réus: administração de conflitos na Justiça Militar Estadual
Orientador: Daniel Veloso Hirata
Bolsista do(a): Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós Graduação e Inovação - UFF, PROPPI/UFF, Brasil.

Curso técnico/profissionalizante em Gestão Pública

2011 - 2012

ETEC CEPAM

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Bandeira representando o idioma Francês

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia do Direito.

Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia.

Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia.

Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Relações raciais.

Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Etnografia do Estado.

Organização de eventos

BRANDÃO, I. P. . XII Jornada de Alunos do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal Fluminense,. 2018. (Congresso).

BRANDÃO, I. P. . XI Jornada de Alunos PPGA/UFF. 2017. (Congresso).

BRANDÃO, I. P. . V Seminário Internacional do INCT-InEAC. 2017. (Congresso).

Participação em eventos

VI Seminário Fluminense de Sociologia. Para onde foi 2013? A construção da violência policial e as outras narrativas pelos movimentos sociais em rede. 2017. (Congresso).

XII Reunião de Antropologia do Mercosul. 2017. (Congresso).

XII Reunião de Antropologia do Mercosul. Violências e Burocracias: a 'violência policial' na justiça criminal. 2017. (Congresso).

XI Jornada de Alunos do PPGA/UFF. 2017. (Congresso).

XI Jornada de Alunos do PPGA/UFF. As (in)visibilidades da ?Violência policial?: percepções, construções e moralidades na judicialização de conflitos envolvendo policiais militares. 2017. (Congresso).

XI Jornada de Alunos do PPGA/UFF.Mesa 2: Internet e favela: conhecimento para quem?. 2017. (Outra).

Comissão julgadora das bancas

Flávia Medeiros Santos

EILBAUM, L.MEDEIROS, Flavia; ALVES, M. A judicialização como ativismo: casos, causas e violência policial na atuação de advogados defensores de direitos humanos.. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Antropologia) - Universidade Federal Fluminense.

Mirian Alves de Souza

EILBAUM, Lucía; MEDEIROS, Flavia.;SOUZA, Mirian Alves. A judicialização como ativismo: casos, causas e violência policial na atuação de advogados defensores de direitos humanos. 2018.

Flavia Mateus Rios

RIOS, Flavia; BARBOSA, A. C. R.; ROCHA, L.. Desarquivar: uma etnografia contra o repositório racial. 2019. Dissertação (Mestrado em Antropologia) - Universidade Federal Fluminense.

Foi orientado por

Sabrina Souza da Silva

Como defender policiais? práticas judiciais e produção de identidades profissionais entre advogados no Estado do Rio de Janeiro; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Sociologia) - Universidade Federal Fluminense, Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação; Orientador: Sabrina Souza da Silva;

Produções bibliográficas

  • BRANDÃO, I. P. . Rafael Braga é um simbolo? Etnografando imagens do sofrimento negro. AGENDA SOCIAL (UENF) , v. XIV, p. 104-122, 2020.

  • BRANDÃO, I. P. . Resenha 'As cores da masculinidade' Mara Viveros Vigoya. Revista Epistemologias do Sul , v. 3, p. 200-209, 2020.

  • BRANDÃO, I. P. . Que o Policial diante da injustiça encontre guarita': Disputas, discursos e espaços na construção de sensibilidades jurídicas na Justiça Militar Estadual. REVISTA PRIMEIROS ESTUDOS , v. 8, p. 76-88, 2017.

  • BRANDÃO, I. P. . Desarquivar: a presença do racismo no caso Rafael Braga. 1. ed. São Paulo: Editora Recriar, 2019. 224p .

  • BRANDÃO, I. P. . Distance is (not) necessary: the affective implications of research on human rights, public security and criminal justice. In: 18th IUAES World Congress:, 2018, Florianópolis. CONFERENCE PROCEEDINGS ANAIS 18TH IUAES WORLD CONGRESS, 2018.

  • BRANDÃO, I. P. ; GRABOIS, P. F. . Uma microssociologia do desvio evangélico: os descentramentos de narrativas desviantes. In: 2 Simpósio ABHR Sudeste, 2015, São Paulo. Caderno de Programação e Resumos do 2 Simpósio Sudeste da ABHR, 2015.

  • BRANDÃO, I. P. . A JUSTIÇA NA SEGURANÇA PÚBLICA E A SEGURANÇA PÚBLICA NA JUSTIÇA: A JUSTIÇA MILITAR NA CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO DE SENSIBILIDADES PARA A SEGURANÇA PÚBLICA. In: IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL VIOLÊNCIA E CONFLITOS SOCIAIS: TERRITORIALIDADES E NEGOCIAÇÕES, 2014, Fortaleza. PROGRAMAS E RESUMOS IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL VIOLÊNCIA E CONFLITOS SOCIAIS: TERRITORIALIDADES E NEGOCIAÇÕES, 2014.

  • BRANDÃO, I. P. . Arquivos raciais: uma análise da presença/ausência da raça em registros estatais. 2019. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • BRANDÃO, I. P. . Distance is (not) necessary: the affective implications of research on human rights, public security and criminal justice. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • BRANDÃO, I. P. . A persistência da ausência: penetração e rejeição da racialização nos estudo sobre segurança pública e justiça criminal. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • BRANDÃO, I. P. . Violências e Burocracias: a 'violência policial' na justiça criminal. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • BRANDÃO, I. P. . As (in)visibilidades da ?Violência policial?: percepções, construções e moralidades na judicialização de conflitos envolvendo policiais militares. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • BRANDÃO, I. P. ; SCHNEIDER, N. . Para onde foi 2013? A construção da violência policial e as outras narrativas pelos movimentos sociais em rede. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • BRANDÃO, I. P. . Polícia e Justiça: (des)encontros e singularidades na Justiça Militar Estadual em São Paulo e Rio de Janeiro. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • BRANDÃO, I. P. . Violência urbana e violação de direitos humanos. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • BRANDÃO, I. P. . Para que(m) serve a justiça militar estadual? Usos institucionais e pessoais da justiça. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • BRANDÃO, I. P. . Quando os subalternos somos nós: pesquisa e etnografia com justiça e segurança pública nas ciências sociais. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • BRANDÃO, I. P. . Homicídio ou auto de resistência ? Uma etnografia dos processos de construção de 'verdades' sobre (casos de) 'vítimas' fatais de ações policiais. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • BRANDÃO, I. P. . É Justiça e é Militar: O conflito e a confluência de duas éticas nos agentes judiciários na construção de Sensibilidades Jurídicas na Justiça Militar. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Outras produções

BRANDÃO, I. P. . PonteCast | Caso Rafael Braga expõe racismo e precariedade da Justiça. 2020. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

BRANDÃO, I. P. ; CARVALHO A. P. R. . Violência policial, racismo e justiça: uma trajetória de pesquisa. 2020. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

Prêmios

2017

Laurea Acadêmica, Universidade Federal Fluminense.

Histórico profissional

Experiência profissional

2017 - 2019

Universidade Federal Fluminense

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estudante, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

  • 02/2018 - 07/2018

    Estágios , Programa de Pós-graduação em Antropologia.,Estágio realizado, Introdução à Antropologia, estágio docente realizado sob a supervisão do Prof. Julio Cesar Tavares.

  • 03/2017 - 07/2017

    Estágios , Programa de Pós-graduação em Antropologia.,Estágio realizado, Teoria Antropológica Clássica, estágio docente supervisionado pela Profa. Lucía Eilbaum.

2021 - Atual

Universidade Estadual de Campinas

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estudante, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.