GIANE SILVESTRE

Pesquisadora de Pós-Doutorado no Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo - NEV/USP. Doutora (2016) e Mestre (2011) em Sociologia pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar. Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP, Marília (2008). Realizou estágio doutoral no exterior no Center for the Study of Law & Society/University of California, Berkeley (2015). É integrante o Grupo de Estudos sobre Violência e Administração de Conflitos da UFSCar - GEVAC e associada ao Fórum Brasileiro de Segurança Pública - FBSP. Pesquisadora colaboradora do Instituto de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos - INCT/InEAC e do Observatório de Segurança Pública da UNESP - Marília. Foi bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - FAPESP nas modalidades iniciação científica, mestrado, doutorado e estágio de pesquisa no exterior. Atualmente é bolsista de Pós-Doutorado da FAPESP. Tem experiência na área de Ciências Sociais, com ênfase em Sociologia da violência e segurança, atuando principalmente nos seguintes temas: sistema de justiça criminal, sistema prisional, sociologia urbana, punição, controle do crime, interiorização penitenciária e segurança pública. Mãe de uma filha, esteve em licença maternidade em 2018.

Informações coletadas do Lattes em 25/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Sociologia

2012 - 2016

Universidade Federal de São Carlos
Título: "Enxugando iceberg": como as instituições exercem o controle do crime em São Paulo
Orientador: em Center for the Study of Law & Society/University of California, Berkeley ( Jonathan Simon)
com Dra. Jacqueline Sinhoretto. Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil. Palavras-chave: Controle do Crime; Administração estatal de conflitos; Organizações criminais; justiça criminal.

Mestrado em Sociologia

2009 - 2011

Universidade Federal de São Carlos
Título: Dias de visita: uma sociologia da punição e das prisões em Itirapina,Ano de Obtenção: 2011
Dra. Jacqueline Sinhoretto.Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.

Graduação em Licenciatura Plena em Ciências Sociais

2008 - 2008

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.

Graduação em Ciências Sociais

2004 - 2007

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Título: Prisões, sociedade e punição: as penitenciárias e suas relações com o município de Itirapina
Orientador: Dr. Luis Antônio Francisco de Souza
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Pós-doutorado

2017

Pós-Doutorado. , Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo, NEV/USP, Brasil. , Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2018 - 2018

MaxQDA Workshop. (Carga horária: 20h). , University of California, Berkeley, UC BERKELEY, Estados Unidos.

2014 - 2014

Extensão universitária em Introdução ao SPSS. (Carga horária: 16h). , Centro de Estudos das Negociações Internacionais Ltda, CAENI, Brasil.

2014 - 2014

Análise de dados qualitativos com software. (Carga horária: 30h). , Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.

2013 - 2013

El debate poscolonial latinoamericano. (Carga horária: 20h). , Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.

2012 - 2012

Desviación, Delito y Control Social. (Carga horária: 20h). , Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.

2010 - 2010

Formação de Tutores Virtuais. (Carga horária: 80h). , Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.

2006 - 2006

Políticas Públicas en España y Latinoamérica.. (Carga horária: 100h). , Universidad Complutense de Madrid, UCM, Espanha.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Espanhol

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Francês

Compreende Pouco, Lê Pouco.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Sociologia Urbana.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Sociologia da Violência.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Sociologia da Punição.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Sociologia Jurídica.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

SINHORETTO, J. ; SILVESTRE, GIANE ; SCHLITTLER, M. C. ; Macedo, H.L.S. . Seminário Violência e Administração de Conflitos. 2019. (Congresso).

SILVESTRE, G. ; SINHORETTO, J. ; ONOFRE, E. M. C. ; Melo, F.L.A. . Formação de Educadores e gestores educacionais para as unidades prisionais paulistas: desvelando caminhos, construindo saberes. 2013. (Outro).

ONOFRE, E. M. C. ; SILVESTRE, GIANE ; MELO, FELIPE ATHAYDE LINS DE . 2º Encontro do projeto. 2013. (Outro).

SILVESTRE, G. . I Seminário do Programa de Pós-graduação em Sociologia. 2010. (Outro).

SILVESTRE, G. . I - Semana de debates sobre movimentos sociais, realizada no período de 28 de março a 01 de abril de 2005, carga horária: 37h. 2005. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

13 Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.Violência e Cidadania: a legitimidade do matar e morrer nas políticas públicas de segurança. 2019. (Encontro).

Curso - Criminologia: Debates Contemporâneos.Controle do crime e seletividade penal. 2019. (Outra).

Curso de Introdução à Metodologia da Pesquisa em Ciência Criminais ? Modulo II.Entrevistas semiestruturada como técnica de pesquisa. 2019. (Outra).

I Seminário de Ciências Criminais da UNEMAT: segurança pública, justiça criminal e encarceramento.Policiamento ostensivo e (re)produção das desigualdades. 2019. (Seminário).

Law and Society Association Annual Meeting.Policing and Legitimacy in the Military Police in the State of São Paulo/Brazil. 2019. (Encontro).

42 Encontro Anual da ANPOCS.A construção da auto-legitimidade no judiciário paulistano: entre a técnica e o contato com o público. 2018. (Encontro).

11 Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.Audiências de Custódia: limites e possibilidades. 2017. (Encontro).

18 Congresso Brasileiro de Sociologia. Segurança pública e controle do crime no estado de São Paulo: a participação do Ministério Público na legitimação de uma estratégia militarizada. 2017. (Congresso).

1 Ciclo de Palestras em Criminologias Contemporâneas.Novas e velhas formas de controle estatal do crime em SP. 2017. (Outra).

41 Encontro Anual da ANPOCS.Enxugando iceberg: o controle estatal do crime em São Paulo sob a ótica de seus operadores. 2017. (Encontro).

II Congresso Internacional de Prevenção dos Problemas Relacionados ao Uso de Drogas ? PREVINE 2017,. A política repressiva de controle das drogas e suas consequências. 2017. (Congresso).

International Meeting on Law and Society. Policing through violence: An analysis of killings by police officers in the State of São Paulo, Brazil. 2017. (Congresso).

Mesa de Estudos e Debates "As Audiências de Custódia estão funcionando?".As Audiências de Custódia no Brasil. 2017. (Outra).

V Seminário Internacional do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia ? Instituto de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos (INCT-InEAC).Estratégias de controle do crime e administração de conflitos. 2017. (Seminário).

10 Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.Dinâmicas da criminalidade organizada em regiões de fronteira. 2016. (Seminário).

Agenda Acadêmica UFF.Segurança Pública, criminalidade e cidadania no período democrático: o caso paulista. 2016. (Seminário).

39 Encontro Anual da ANPOCS. Encarcerados do Brasil: seletividade penal na gestão da riqueza e da violência. 2015. (Congresso).

55 Congresso Internacional de Americanistas. Controle do crime e encarceramento no estado de São Paulo: quem são os presos e quais crimes são ?controlados??. 2015. (Congresso).

Seminário Juventude, Segurança Pública e Direitos Humanos.Juventude e Violência no Município de São Paulo. 2015. (Seminário).

38 Encontro Anual da ANPOCS. Polícias e Ministério Público: tensões no campo da investigação e do controle do crime em São Paulo. 2014. (Congresso).

Colóquio Internacional Justiça, Política e Sociedade.Transpondo fronteiras entre a justiça do crime e dos pobres e das instituições e da política.Justiça criminal e controle do crime em São Paulo: um campo de tensões. 2014. (Encontro).

VIII Congresso Português de Sociologia, 40 anos de democracia(s): progressos, contradições e prospetivas. Controle do crime no estado de São Paulo/Brasil: polícia militar e sistema de justiça criminal. 2014. (Congresso).

XVIII ISA World Congress of Sociology. Crime control in São Paulo/Brazil: military police and criminal justice system. 2014. (Congresso).

2 Encontro: "formação de educadores e gestores educacionais para as unidades prisionais paulistas: desvelando caminhos, construindo saberes". 2013. (Outra).

37 Encontro Anual da ANPOCS. Notas sobre as estratégias estatais de controle do crime em São Paulo. 2013. (Congresso).

Formação de educadores e gestores educacionais para as unidades prisionais paulistas: desvelando caminhos, construindo saberes.Dinâmicas sociais do encarceramento massivo. 2013. (Seminário).

III Seminário Internacional do INCT-InEAC.O controle social estatal em face da nova organização do mundo do crime em São Paulo. 2013. (Seminário).

IV Seminário Internacional do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFSCar.Repressão e judicialização: estratégias estatais de controle do crime em face às novas dinâmicas criminais. 2013. (Seminário).

Oficina de Criminologia ?A Bastilha Brasileira: porque o hiperencarceramento veio para os trópicos?. 2013. (Oficina).

VI Semana de Ciências Sociais - América Latina."Dias de visita": uma sociologia da punição e das prisões. 2013. (Seminário).

Workshop Delito y Sociedad.Efectos del encarcelamiento y de la expansión del sistema penitenciario en el estado de San Pablo, Brasil.. 2013. (Outra).

XVI Congresso Brasileiro de Sociologia. Entre a defesa e o encarceramento: notas sobre a Defensoria Pública Paulista. 2013. (Congresso).

28ª Reunião Brasileira de Antropologia. Deliberando moralidades: como a segurança é pensada e discutida no conseg. 2012. (Congresso).

2nd ISA Forum of Sociology. Social dinamics about the mass incarceration in São Paulo. 2012. (Congresso).

36 Encontro Anual da ANPOCS. Dinâmicas sociais do encarceramento em massa em são paulo. 2012. (Congresso).

III Seminário do Programa de Pós-graduação em Sociologia da UFSCar.?Encarceramento versus defesa:a atuação da defensoria pública na área criminal?. 2012. (Seminário).

35 Encontro Anual da ANPOCS. Da ressocialização à punição: o percurso das políticas penitenciárias em São Paulo a partir do estudo de caso de Itirapina. 2011. (Congresso).

27ª Reunião Brasileira de Antropologia. O ?dia de vista? pelas mulheres de presos: algumas considerações etnográficas. 2010. (Congresso).

34 Encontro Anual da ANPOCS. 2010. (Encontro).

37 Encontro Nacional de Estudos Rurais e Urbanos.O sistema prisional e as novas dinâmicas do cotidiano urbano. 2010. (Encontro).

Fazendo Gênero 9 - Diásporas, diversidades, deslocamentos."Dias de visita": deslocamentos e trajetórias de mulheres com familiares encarcerados.. 2010. (Seminário).

II Seminário Interinstitucional de pesquisas em Sociologia.Sociabilidades tecidas em torno da prisão: notas etnográficas dos dias de visita. 2010. (Seminário).

II Seminário Nacional Sociologia e Política: Tendências e Desafios Contemporâneos.Prisões e sociedade: novas dinâmicas sociais tecidas nos dias de visita. 2010. (Seminário).

I Seminário de Análise em Práticas Discursivas: Foucault na Ciência da Informação. 2010. (Seminário).

IX Semana da Mulher - mulheres e relações sociais de gênero: olhares sobre a violência."Presas do lado de fora": trajetórias de mulheres com familiares encarcerados. 2010. (Seminário).

33 Encontro Anual da ANPOCS. 2009. (Encontro).

Simpósio Internacional Vigilância, Segurança e Controle Social na América Latina.As políticas penitenciárias e o cotidiano prisional dos municípios paulistas: extrapolando os muros das prisões (1990-2007). 2009. (Simpósio).

XIV Congresso Brasileiro de Sociologia. Os Efeitos Invisíveis das Prisões: As políticas Penitenciárias e os Municípios Paulistas. 2009. (Congresso).

I Colóquio Nacional Michel Foucault: Educação, Filosofia, História - Transversais.Disciplina e Biopolítica: Efeitos do encarceramento em massa em São Paulo e a atualidade do pensamento de Michel Foucault. 2008. (Outra).

I Seminário Relações Internacionais e Direitos Humanos: 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos - Concepção e Legado. 2008. (Seminário).

V Seminário Direitos Humanos no século XXI & VII Semana da mulher "educação, direitos humanos e segurança pública". 2008. (Seminário).

XIX Encontro Regional de História - ANPUH São Paulo.O impacto socioeconômico das unidades prisionais no interior paulista: o caso de Itirapina. 2008. (Encontro).

3 Encontro de Segurança e Cidadania.Prisões Sociedade e Punição: Um Estudo comparativo entre as penitenciárias de itirapina e suas relações com o município. 2007. (Encontro).

3 Seminário Acadêmico Internacional PROCOAS - Trabalho Associado, Economia Solidária e Mudança Social na américa Latina. 2007. (Seminário).

5 Seminário Internacional Gramsci - Cultura e política no mundo do trabalho: os 70 anos da morte de Gramsci. 2007. (Seminário).

I workshop de Tendências do Vetibular de Inverno.As novas tendências de História. 2007. (Seminário).

XIII Congresso Brasileiro de Sociologia. A invisibilidade das prisões: O impacto social da política penitenciária em Itirapina, SP. 2007. (Congresso).

XIX Congresso de Iniciação Científica da Unesp. Os caminhos da política penitenciária do Estado de São Paulo: O caso de Itirapina.. 2007. (Congresso).

14° Simpósio Internacional de Iniciação Científica.Unidades Prisionais em Dois Tempos: O Impacto Social da Política Penitenciária na Cidade de Itirapina, SP (1978-1998). 2006. (Simpósio).

Compreensão de Leitura e Redação de Resumos em Língua Inglesa. 2006. (Oficina).

V Jornada do núcleo de ensino de Marília: escola d(e) Gramsci. 2006. (Outra).

V Seminário do Trabalho: Trabalho e educação no século XXI. 2006. (Seminário).

XVIII Congresso de Iniciação Científica. Unidades Prisionais em Dois Tempos: O Impacto Social da Política Penitenciária na Cidade de Itirapina, SP (1978-1998). 2006. (Congresso).

IV Jornada do núcleo de ensino de Marília - Releitura de Marx para a educação atual. 2005. (Outra).

IV Semana da Mulher. 2005. (Seminário).

Semana de debates sobre movimentos sociais. 2005. (Seminário).

Seminário: 20 anos transitando para o quê?. 2005. (Seminário).

XXVIII Jornada de Filosofia e Teoria das Ciências Humanas: teoria crítica, política e educação. 2005. (Outra).

As rosas e os cadernos: o pensamento dialógico de Antonio Gramsci. 2004. (Seminário).

IV Seminário do Trabalho: perspectivas do trabalho no século XXI. 2004. (Seminário).

IX Jornada de Ciências Sociais: Jornada de estudos. 2004. (Outra).

Mini curso: Método e técnica de pesquisa na área do trabalho: uma perspectiva dialética. 2004. (Outra).

Seminário 1964 - 40 anos depois. 2004. (Seminário).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Jade Santoro Cavalli

SILVESTRE, GIANE; RIBEIRO, L. M. L.;SINHORETTO, J.; MANCUSO, M. I.. O Estalar do Martelo: uma análise das sentenças de crimes patrimoniais na cidade de São Carlos. 2020. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos.

Aluno: Natália Cristina Costa Martino

SILVESTRE, GIANE; Pinto, A.M.A.; SENA, L. L.; RIBEIRO, L. M. L.. "Se você não tiver família fica esquecida aqui dentro": uma análise dos cruzamentos entre as redes familiares e as redes prisionais de mulheres encarceradas. 2019. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Aluno: Gustavo Ferreira de Queiroz

SILVESTRE, GIANE; Salla, F; DELUCHEY, J. Y.; ALVAREZ, M. C.. Família e honra: recrutamento e mobilidade social na Polícia Militar do Pará. 2019. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade de São Paulo.

Aluno: Joaquim Miranda Maloa

SILVESTRE, GIANE; SINHORETTO, JACQUELINE; SILVERIO, V. R.; SANTOS, N. M. T. C.; SANCHEZ, F. J. B.. A emergência da criminalidade violenta na sociedade moçambicana pós-colonial. 2019. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos.

Aluno: Joaquim Miranda Maloa

SILVESTRE, GIANE; SILVERIO, V. R.;SINHORETTO, J.. A emergência da criminalidade urbana violenta em Moçambique. 2018. Exame de qualificação (Doutorando em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos.

Aluno: Jade Santoro Cavalli

SILVESTRE, GIANESINHORETTO, J.; RIBEIRO, L. M. L.. O Estalar do Martelo: uma análise das sentenças de crimes patrimoniais.. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos.

Aluno: Natália Martino

SILVESTRE, GIANE; RIBEIRO, L. M. L.; SENA, L. L.. Jogos de poder e fluxos de continuidade: análise das redes de relacionamento de mulheres presas. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Sociologia) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Aluno: Alessandra Moraes Sá

BRANCO, J. V.;SILVESTRE, G.. O princípio do acesso à justiça e os obstáculos existentes para este acesso. 2011. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Especialização em Direito Processual Civil) - Universidade Cidade de São Paulo.

Aluno: Fabio Junio da Silva Santos

BRANCO, J. V.;SILVESTRE, G.. Valorização ou folclorização do afrodescendente: aplicação da lei 11645/08 no CEU EMEF Antônio Carlos Rocha. 2011. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Especialização em Educação Inclusiva) - Universidade Cidade de São Paulo.

Aluno: Alexandre Nobrega Magno, Edgar Fabricio Rosa Junior e outros

SILVESTRE, GIANE; NIN, J.; MELEIRO, A.. Da grade pra cá (Documentário). 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Imagem e Som) - Universidade Federal de São Carlos.

Aluno: Felipe Ramos Gracia

CUNHA, P. R. R.; TEIXEIRA, P. E.;SILVESTRE, GIANE. O encarceramento em massa: uma política de Estado. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Aluno: Jade Santoro Cavalli

SILVESTRE, GIANE; SINHORETTO, JACQUELINE. O reconhecimento do criminoso por parte da Polícia Militar do Estado de São Paulo. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de São Carlos.

Aluno: HENRIQUE MACEDO

SILVESTRE, G.SINHORETTO, J.. Conhecendo as missões da ROTA: ?Foi por você?. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de São Carlos.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Mirian Cláudia Lourenção Simonetti

SIMONETTI, M. C. L.. PRISÕES SOCIEDADE E PUNIÇÃO. AS PENITENCIÁRIAS E SUAS RELAÇÕES COM O MUNICÍPIO DE ITIRAPINA. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Célia Aparecida Ferreira Tolentino

TOLENTINO, Célia Aparecida Ferreira; SIMONETTI, Mirian Cláudia Lourenção; SOUZA, Luís Antonio Francisco de. Prisões, sociedade e punição. As penitenciárias e suas relações com o Município de Itirapina. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciencias Sociais) - Faculdade de Filosofia e Ciências da UNESP - Câmpus de Marília.

Rodrigo Ghiringhelli de Azevedo

SINHORETTO, Jacqueline; ADORNO, Sérgio;AZEVEDO, Rodrigo Ghiringhelli de; BONELLI, M. G.; FELTRAN, G. S.. "Enxugando Iceberg": como as instituições estatais exercem o controle do crime em São Paulo. 2016. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos.

Rodrigo Ghiringhelli de Azevedo

SINHORETTO, Jacqueline; BONELLI, M. G.;AZEVEDO, Rodrigo Ghiringhelli de. O Controle Social Estatal em Face da Nova Organização do "Mundo do Crime". 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos.

Luis Antonio Francisco de Souza

SOUZA, Luís Antônio F.; TOLENTINO, C. A. F.; SIMONETTI, M. C. L.. Prisões, sociedade e punição. As peniteniárias e suas relações com o município de Itirapina, SP. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Marcos Cesar Alvarez

ALVAREZ, M. C.; Sinhoretto, J.; Rizek, C.S.. Dias de visita: relações sociais e econômicas tecidas do lado de fora das penitenciárias em Itirapina, SP.. 2011. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos.

Marcos Cesar Alvarez

ALVAREZ, M. C.; Sinhoretto, J.; Feltran, G.S.. Dias de visita: relações sociais e econômicas tecidas do lado de fora das penitenciárias em Itirapina, SP.. 2010. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos.

Sergio França Adorno de Abreu

ADORNO, S.; SINHORETTO, J.; BONELLI, M. G.; FELTRAN, G.; AZEVEDO, R. G.. Enxugando Iceberg: Como as instituições estatais exercem o controle do crime em São Paulo. 2016. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos.

Cibele Saliba Rizek

SINHORETTO, J.; Alvarez, M.;RIZEK, C. S.. Dias de visita. 2011. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos.

Jacqueline Sinhoretto

SINHORETTO, J.; RIZEK, C.; ALVAREZ, M. C.. Dias de Visita: uma sociologia da punição e das prisões em Itirapina. 2011. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos.

Jacqueline Sinhoretto

SINHORETTO, J.; BONELLI, M. G.; FELTRAN, G.; ADORNO, S.;AZEVEDO, R. G.. "Enxugando Iceberg": como as instituições estatais exercem o controle do crime em São Paulo. 2016. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos.

Jacqueline Sinhoretto

SINHORETTO, J.AZEVEDO, R. G.; BONELLI, M. G.. O controle social estatal em face da nova organização do "mundo do crime". 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos.

Maria da Glória Bonelli

SINHORETTO, J.; ADORNO, S.;BONELLI, M. G.; AZEVEDO, R. G.; FELTRAN, G. S.. Enxugando Iceberg: Como as instituições estatais exercem o controle do crime em São Paulo. 2016. Tese (Doutorado em Doutorado em Sociologia - PPGS) - Universidade Federal de São Carlos.

Maria da Glória Bonelli

BONELLI, M. G.; SINHORETTO, J.; AZEVEDO, R. G.. O controle social estatal em face da nova organização do "mundo do crime".. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Sociologia - PPGS) - Universidade Federal de São Carlos.

Gabriel de Santis Feltran

SINHORETTO, J.; BONELLI, M. G.;FELTRAN, G. S.; AZEVEDO, R. G.; ADORNO, S.. "Enxugando Iceberg": como as instituições estatais exercem o controle do crime em São Paulo. 2016. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Luis Antonio Francisco de Souza

Prisões, sociedade e punição; As penitenciárias e suas relações com o município de Itirapina; 2007; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo; Orientador: Luis Antonio Francisco de Souza;

Luis Antonio Francisco de Souza

Prisões, sociedade e punição; As penitenciárias e suas relações com o município de Itirapina, SP; 2007; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo; Orientador: Luis Antonio Francisco de Souza;

Sergio França Adorno de Abreu

Início: 2018; Universidade de São Paulo - FFLCH/ Pós-Graduação Sociologia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo;

Jacqueline Sinhoretto

Dias de visita: uma sociologia da punição e das prisões em Itirapina-SP; 2011; Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo; Orientador: Jacqueline Sinhoretto;

Jacqueline Sinhoretto

"Enxugando Iceberg": como as instituições estatais exercem o controle do crime em São Paulo; 2012; Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo; Orientador: Jacqueline Sinhoretto;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • GISI, BRUNA ; JESUS, MARIA GORETE MARQUES DE ; SILVESTRE, GIANE . O contato com o público importa?. PLURAL (USP) , v. 26, p. 247-270, 2019.

  • SILVESTRE, GIANE ; MELO, FELIPE ATHAYDE LINS DE . Encarceramento em massa e a tragédia prisional brasileira. BOLETIM DO IBCCRIM , v. 293, p. 8, 2017.

  • SILVESTRE, GIANE . La porosidad de la prisión: efectos de la expansión del sistema penitenciario en el estado de San Pablo, Brasil. Delito y Sociedad , v. 1, p. 61, 2016.

  • SINHORETTO, J. ; SCHLITTLER, M. C. ; SILVESTRE, G. . Juventude e violência policial no Município de São Paulo. Revista Brasileira de Segurança Pública , v. 10, p. 10-35, 2016.

  • SILVESTRE, GIANE . Local consequences of the prison policies in state of São Paulo, Brazil: a case study of the town of Itirapina. Crime, Law and Social Change (Print) , v. 63, p. 1-17, 2015.

  • SILVESTRE, GIANE . Polícias e Ministério Público: tensões no campo da investigação e do controle do crime em São Paulo. Confluências - Revista interdisciplinar de Sociologia e Direito , v. 16, p. 86, 2014.

  • SILVESTRE, G. . Sobre uma sociologia da justiça e do conflito. Contemporânea - Revista de Sociologia da UFSCar , v. 3, p. 241, 2013.

  • SINHORETTO, JACQUELINE ; SILVESTRE, GIANE ; MELO, FELIPE ATHAYDE LINS DE . O encarceramento em massa em São Paulo. Tempo Social (USP. Impresso) , v. 25, p. 83-106, 2013.

  • Salla, F ; Dias, C.C. N. ; SILVESTRE, GIANE . Políticas penitenciárias e as facções criminosas: uma análise do regime disciplinar diferenciado (RDD) e outras medidas administrativas de controle da população carcerária. Estudos de Sociologia , v. 17, p. 333, 2012.

  • SILVESTRE, G. . O Rastro da Industria Penal: A interiorização penitenciária e o novo paradigma dos municípios paulistas. Revista LEVS (Marília) , v. 1, p. 94-99, 2008.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

SILVESTRE, GIANE . Assessoria técnica para construção de base de dados para o monitoramento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para 54 municípios do Oeste do Paraná. 2017.

SILVESTRE, GIANE . Seminário Juventude, Segurança Pública e Direitos Humanos da Prefeitura de São Paulo. 2015.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Revista de Estudos Empíricos em Direito. 2020.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social. 2020.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Revista de Estudos Empíricos em Direito. 2019.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Caderno CRH: Revista quadrimestral de Ciências Sociais. 2019.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Revista Brasileira de Segurança Pública. 2019.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Contemporânea: Revista de Sociologia da UFSCar. 2019.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Revista Brasileira de Ciências Sociais (RBCS). 2019.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social. 2019.

SILVESTRE, GIANE . Assessoria técnica para FAPESP: parecer sobre projeto de pesquisa regular. 2019.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Lua Nova: Revista de Cultura e Política. 2019.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social. 2019.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Contemporânea: Revista de Sociologia da UFSCar. 2019.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Revista Confluências (UFF). 2017.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Contemporânea: Revista de Sociologia da UFSCar. 2017.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico para o 21 Concurso de Monografias do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCrim). 2017.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Revista de Estudos Criminais. 2017.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Revista Civitas. 2016.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Revista Estudios Sociológicos (COLMEX). 2016.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para a Revista Brasileira de Segurança Pública. 2016.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Contemporânea: Revista de Sociologia da UFSCar. 2016.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Pensata: Revista dos Alunos do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (UNIFESP). 2016.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Vivência: Revista de Antropologia (UFRN). 2015.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Revista Crime, Law and Social Change. 2014.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Revista de Sociologia e Política (UFPR). 2013.

SILVESTRE, GIANE . Parecer técnico de avaliação de artigo para Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social. 2013.

SILVESTRE, GIANE . Polícia Civil perde 16% do efetivo de São Carlos em 9 anos. 2020. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Violência - ?Se amasse, não te mataria?. 2020. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Por que, ao contrário do que diz Moro, a prisão provisória é um problema no Brasil. 2020. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Estado de Direitos - A crise nas polícias. 2020. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Faces da violência doméstica. 2019. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Globonews Painel. 2019.

SILVESTRE, GIANE . Assassinato de Marielle Franco é um ponto fora da curva. 2019. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Uma mulher é vítima de feminicídio a cada 60 horas no Estado de SP. 2019. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Pacote Anticrime. 2019. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Cresce o número de mulheres que pedem proteção contra os companheiros. 2019. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . 'Quando uma criança morre, morre a esperança de todo mundo'. 2019. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Operação em Paraisópolis não seguiu nenhum protocolo, dizem especialistas em segurança. 2019. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE ; ARRUDA, M. A. N. . ?Mulheres são seres de transformação social?. 2019. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Monitor da Violência: assassinatos caem em 2019, mas letalidade policial aumenta; n de presos provisórios volta a crescer. 2019. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Especialistas debatem crise no sistema prisional em Goiás. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Falta de controle das armas é principal problema na segurança pública. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Relatório divulgado pela Human Rights Watch alerta para a violência no Brasil. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Duas em cada três mulheres presas em SP respondem por tráfico de drogas. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Sistema prisional brasileiro precisa ser repensado, diz socióloga. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Governo anuncia criação do Ministério da Segurança Pública. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Construir prisões não é resposta adequada para questão penitenciária no Brasil, diz especialista. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Série - Prisão Provisória da Rádio Justiça. Capítulo 2 - As diferenças entre o preso provisório e o julgado. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Análise sobre a situação da segurança pública do Rio de Janeiro - Podcast Estadão Notícias. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE ; GODOY, R ; ABAKI, Haisem . 'Estadão Discute' aborda o confronto entre traficantes e forças de segurança no Rio. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . O que explica a violência no Rio de Janeiro?. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Um em cada quatro detidos relatam violência policial no ato da prisão em SC. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . A VIOLÊNCIA NO BRASIL TEM CARA, COR E ENDEREÇO. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Pesquisadora da USP fala sobre assassinato de adolescentes no Brasil. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Violência no Rio de Janeiro. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . ALÉM DO EFEITO MORAL. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, G. . A cada dia, 30 crianças e adolescentes são assassinados no Brasil. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Série - Prisão Provisória da Rádio Justiça. Capítulo 3 - Como as audiências de conciliação podem desafogar os presídios. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . 1 em cada 4 mortos por policiais em SP tem entre 13 e 17 anos. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Suspeito padrão, vítima padrão: jovens são principais atingidos por violência policial em SP. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Mortes por ação policial representam 21% do total de homicídios em 2014. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Um a cada quatro mortos pela PM em SP tem entre 13 e 17 anos. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Letalidade policial aumenta 206,9% na cidade de São Paulo. 2014. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SILVESTRE, GIANE . Dias de visita retrata relação entre mulheres de presos e moradores de cidade do interior paulista. 2013. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

AZEVEDO, R. G. ; LIMA, R. S. ; SINHORETTO, J. ; SILVESTRE, GIANE . Audiência de Custódia, Prisão Provisória e Medidas Cautelares: Obstáculos Institucionais e Ideológicos à Efetivação da Liberdade como Regra - Sumário Executivo. 2018. (Relatório de pesquisa).

LIMA, R. S. ; SILVESTRE, GIANE . Esporte, violência e cidadania - Background Paper. 2017. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Relatório Nacional de Desenvolvimento Humano do Brasil).

SINHORETTO, JACQUELINE ; SILVESTRE, GIANE ; SCHLITTLER, M. C. C. . Desigualdade racial e segurança pública em São Paulo: letalidade policial e prisões em flagrante. 2014. (Relatório de pesquisa).

LIMA, R. S. ; BUENO, S. ; SILVESTRE, GIANE ; SCHLITTLER, M. C. C. ; PEKNY, A. C. ; FIGUEIREDO, L. . Impactos das escalas de serviço no desenvolvimento do trabalho da Policia Civil. 2014. (Relatório de pesquisa).

SINHORETTO, JACQUELINE ; SILVESTRE, GIANE ; BATITUCCI, E. ; MOTA, F. R. ; RAMOS, P. C. ; MORAIS, D. S. ; SOUZA, L. G. ; SCHLITTLER, M. C. C. . A filtragem racial na seleção policial de suspeitos: Segurança pública e relações raciais no Brasil. 2013. (Relatório de pesquisa).

SILVESTRE, GIANE . A Defensoria Pública de São Paulo em matéria criminal: observações sobre o atendimento ao preso provisório. 2013. (Relatório de pesquisa).

SILVESTRE, G. . Relatório Final de pesquisa de Iniciação Científica. 2008. (Relatório de pesquisa).

SILVESTRE, G. . Relatório Parcial de pesquisa de Iniciação Científica. 2008. (Relatório de pesquisa).

SILVESTRE, G. . Relatório Parcial de pesquisa de Iniciação Científica. 2007. (Relatório de pesquisa).

SILVESTRE, G. . Relatório Final de pesquisa de Iniciação Científica. 2007. (Relatório de pesquisa).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2017 - 2017

    Livelihoods in the illicit drugs trade in Brazil: experiences from São Paulo and Rio de Janeiro, Descrição: This research is a case study outlines the factors that drive people to engage with the drugs trade in Rio de Janeiro and São Paulo, two of Brazil?s biggest and most unequal cities. It examines the impact of prohibitionary drug control policies on poverty and exclusion, and explores alternative progressive approaches to drug policy. The case study is part of an international research organized by Health Poverty Action (HPA) in London. IBCCrim conducted the Brazilian case study.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / Juliana Oliveira Carlos - Coordenador / Maria Eduarda Cintra - Integrante / Tamara Crantschaninov - Integrante / Beatriz Brandao - Integrante / Sulamita Assuncao - Integrante / William Alves - Integrante / Danielle Vallim - Integrante / Denis Silva - Integrante.

  • 2017 - Atual

    Estratégias de controle do crime e administração de conflitos, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Jacqueline Sinhoretto em 12/06/2018., Descrição: Este subprojeto enfoca a administração institucional de conflitos a partir do estudo de diferentes estratégias contemporâneas de controle do crime. Procura interpretar, no mesmo quadro de compreensão, formas diferentes de administrar os conflitos relacionados à emergência de novos modos de organização do crime no Sudeste, em especial em São Paulo, mas não apenas, e os controles desenvolvidos e acionados por agentes estatais. Os estudos prévios realizados sobre a temática, incluindo o subprojeto "A nova organização do mundo do crime e as instituições estatais de controle social e prevenção" desenvolvido no âmbito do InEAC (2012-2015), apontaram para a definição de ao menos quatro estratégias de controle do crime, que orientam as pesquisas empíricas do presente grupo. Em torno destas estratégias são mobilizados recursos, saberes, práticas e redes profissionais que articulam e tencionam grupos de agentes estatais nas corporações policiais, da justiça e nos programas de prevenção. Para o período atual, pretende-se refinar o conhecimento de como são constituídas e operadas as estratégias, buscando reconhecer os grupos de agentes que as mobilizam, as disputas e composições entre atores, a construção e mobilização de saberes específicos que orientam a ação no campo do controle do crime. Entre quatro as estratégias previamente reconhecidas, delineia-se o chamado combate militarizado, protagonizado por agentes da Polícia Militar. Nesta estratégia de controle do crime, os acusados são associados a ?inimigos? a serem combatidos, produzindo altas taxas de letalidade na ação policial, vitimando um perfil definido, constituídos por jovens do sexo masculino e predominantemente de cor negra. Ao lado desta estratégia, identificam-se os contornos contemporâneos das formas clássicas de controle do crime por meio da utilização do aparato penal, que tem produzido taxas muito elevados de encarceramento, também concentradas sobre jovens que cometem crimes patrimoniais e tráfico de drogas que envolvem pequenos valores. A administração penal dos conflitos do crime produz também larga impunidade para os crimes contra a vida e para a violência policial. Estas estratégias sofrem uma aparente concorrência de novas formas de administração de conflitos, introduzidas no Brasil a partir da importação de saberes e de mudanças legislativas que instituíram procedimentos alternativos de administração de conflitos no interior do sistema de justiça e programas de prevenção de delitos no campo da segurança. Até o momento, a pesquisa avançou no sentido da proposição da hipótese de que as justiças alternativas e os programas de prevenção inserem-se num quadro de seletividade de conflitos a serem tratados por formas mais duras de intervenção (como letalidade e prisão) e formas mais doces de justiça, destinadas a tipos de conflitos e tipos de acusados considerados menos ofensivos ou perigosos. Nestas estratégias, outros saberes profissionais disputam espaço com os saberes policiais e judiciais, em busca de tratamento e profilaxia de possíveis desvios, especialmente destinados a adolescentes, usuários de drogas e moradores de rua. Buscam instituir formas de administração de conflitos que sejam alternativas ao modelo penal. Contudo, a hipótese construída a partir da experiência prévia de pesquisa indica que possíveis colonizações do tratamento penal dos conflitos ocorrem nestas formas de administração de conflitos. É do interesse desta pesquisa reconhecer as formas concretas de funcionamento de programas de justiça e policiamento alternativos e sua capacidade de disputar a hegemonia do tratamento criminal dos conflitos e a definição dos desviantes como inimigos a serem neutralizados.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (4) / Doutorado: (9) . , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / Jacqueline Sinhoretto - Coordenador / Juliana Tonche - Integrante / Henrique de Linica dos Santos Macedo - Integrante / David Esmael Marques Silva - Integrante / Liana de Paula - Integrante / Jade Cavalli - Integrante., Financiador(es): Instituto de Estudos Comparados em Administração Institucional Conflitos - Auxílio financeiro.

  • 2017 - Atual

    INCT - Instituto de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos - INCT-InEAC, Descrição: O presente projeto aprovado na Chamada N 16/2014 INCT/MCT/CNPq/CAPES/FAPs do Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia/CNPq, é resultado de articulação de uma rede nacional e internacional de instituições de ensino, pesquisa e extensão, reunidos há 06 anos no Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia/Instituto de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos (INCT/In-EAC), aprovado, em abril de 2009, na Chamada N 15/2008 MCT/CNPq/FNDCT/CAPES/FAPEMIG/FAPERJ/FAPESP/ Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia. Esse programa é aqui consolidado e ampliado no sentido de promover ainda mais o trabalho de interlocução, inédito no Brasil, entre as ciências sociais e as ciências socicais aplicadas, especialmente entre a Antropologia e o Direito. A rede reunida nesse projeto integra instituições ? grupos de pesquisa e programa de pós-graduação- de sete estados brasileiros (RJ, MG, SP, PE, BA, RS, DF) e cinco países (Canadá, Argentina, França, Estados Unidos, Portugal). Este novo INCT tem como escopo da atuação a análise dos processos de administração institucional de conflitos e as formas não institucionais, especialmente, os processos de demanda de direitos e por reconecimento por parte de diversos atores. Essas duas vias de pesquisa articulam-se com as ações propostas na área da transferência de conhecimento. No primeiro caso, trata-se de ações fortemente ancoradas nas tecnologias de formação, capacitação e interlocução como operadores dos sistemas de Segurança Pública, de Justiça e de outras burocracias estatais, gerando espaços de desconstrução e construção de matrizes e práticas institucionais e corporativas arraigadas nas formas de fazer do Estado no Brasil. No segundo caso, as ações serão inovadoras no sentido da construção de tecnologias sociais que promovam não a aplicação unilateral do conhecimento, mas a construção conjunta de formas de intervenção na esfera e no espaço públicos que considerem diferentes pontos de vista e reivindicações das pessoas envolvidas nos conflitos tratados pelas agências públicas. No campo da atuação internacional do Instituto, as estratégias são tendentes à internacionalização de nossos pesquisadores e não só da produção por eles elaborada, como a publicação em revistas estrangeiras e participação em eventos acadêmicos internacionais. O foco da internacionalização do presente projeto é vencer os obstáculos impostos pela exclusão de nossa área do Programa Ciência Sem Fronteiras, para promover o intercâmbio institucional e fluido entre pesquisadores, estudantes e professores dos países envolvidos, como vistas à troca de experiências de pesquisa, de ambientes acadêmicos mas, principalmente, para criar oportunidades para realização de pesquisas de campo em outros países, com a finalidade de produzir resultados que possam ser contrastados àqueles aqui obtidos. Assim, destaca-se que esse projeto se funda em uma perspectiva comparada e multidisciplinar de análise, pioneira no Brasil em relação à interlocução entre o Direito e as Ciências Sociais, no entendimento da Segurança Pública como um campo de disputas e consensos que vai além da criminalidade e da intervenção repressiva.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / Jacqueline Sinhoretto - Integrante / Eduardo Batitucci - Integrante / Fabio Reis Mota - Integrante / Rodrigo Ghiringhelli de Azevedo - Integrante / Fernanda Duarte Lopes Lucas da Silva - Integrante / Frederico Policarpo de Mendonça Filho - Integrante / Glaucia Maria Pontes Mouzinho - Integrante / Haydée G. C. Caruso - Integrante / Laura Graziela Gomes - Integrante / Maria Stella Amorim - Integrante / Luís Roberto Cardoso de Oliveira - Integrante / Kátia Sento Sé Mello - Integrante / Herbert Toledo Martins - Integrante / Ana Paula Mendes de Miranda - Integrante / Carlos Abraão Moura Valpassos - Integrante / Daniel Schroeter Simião - Integrante / Edilson Márcio Almeida da Silva - Integrante / Roberto KANT DE LIMA - Coordenador / Lenin dos Santos Pires - Integrante / Lucía Eilbaum - Integrante / Marco Antonio da Silva Mello - Integrante / Nalayne Mendonça Pinto - Integrante / Neiva Vieira da Cunha - Integrante / Paulo Gabriel Hilu da Rocha Pinto - Integrante / Pedro Heitor Barros Geraldo - Integrante / Ronaldo Joaquim da Silveira Lobão - Integrante / Simoni Lahud Guedes - Integrante / Sofía Tiscornia - Integrante / Soraya Silveira Simões - Integrante / Vivian Gilbert Ferreira Paes - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Auxílio financeiro / Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro / Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Bolsa / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.

  • 2017 - Atual

    Policiamento, relações de autoridade e legitimidade pela polícia civil e militar do estado de São Paulo, Descrição: Esta proposta de pesquisa pretende investigar as relações de autoridade em duas instituições policiais do estado de São Paulo - militar e civil - e seu impacto na autolegitimação dos policiais no atual período democrático, bem como no modo como a prestação dos serviços policiais são executados. Pretende-se investigar como as políticas públicas de segurança, formuladas no nível governamental (incluindo a cúpula das instituições policiais) afetam o cotidiano dos policiais e a sua autolegitimidade. A pesquisa focará ainda as diferenças e semelhanças na organização das duas instituições policiais, observando aspectos como a estrutura hierárquica, seleção e capacitação de agentes, códigos disciplinares, formas de controle das instituições, critérios de eficiência e os tipos de autoridade existentes entre os membros das instituições. A pesquisa fará uso de métodos qualitativos e quantitativos, buscando ainda, sempre que possível, abordagens comparativas entre as instituições policiais do estado de São Paulo, bem como com outros estados do Brasil e/ou de outros países.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Giane Silvestre - Coordenador., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.

  • 2016 - 2017

    Audiência de Custódia, Prisão Provisória e Medidas Cautelares: Obstáculos Institucionais e Ideológicos à Efetivação da Liberdade como Regra, Descrição: A pesquisa se propõe a investigar os elementos estruturais e ideológicos que fomentam o uso abusivo da prisão provisória no Brasil, mais especificamente em seis estados da Federação: Tocantins, Alagoas, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Distrito Federal. Para tanto, buscará identificar quais as modificações implementadas em cada um dos seis estados pesquisados, no âmbito do Poder Judiciário, para a implementação das audiências de custódia e das medidas cautelares no processo penal. Também será analisada a percepção dos operadores jurídicos envolvidos com a implementação das audiências sobre suas potencialidades, assim como sobre as dificuldades para a sua implementação.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / SINHORETTO, JACQUELINE - Integrante / Renato Sergio de Lima - Integrante / Maria Carolina de Camargo Schlittler - Integrante / Rodrigo Ghiringhelli de Azevedo - Coordenador / Christiane Russomano Freire - Integrante / Guilherme Augusto Dornelles de Souza - Integrante / Carolina Costa Ferreira - Integrante / Ana Cláudia Cifali - Integrante / Tamires Garcia - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Justiça - Auxílio financeiro.

  • 2016 - 2016

    Segurança Pública e encarceramento no Brasil: articulações e tensões entre práticas e políticas, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Jacqueline Sinhoretto em 25/04/2016., Descrição: A pesquisa tem como objetivo central investigar as articulações, tensões e correlações entre o sistema de segurança pública e assuntos penitenciários no Brasil, por meio da análise de dados secundários da segurança pública e do sistema penitenciário dos 27 estados do Brasil. Um segundo objetivo é realizar uma pesquisa em profundidade em 3 estados (São Paulo, Minas Gerais e Pernambuco), sobre este mesmo tema, a partir de dados primários. Desta forma, pretende-se conhecer: a interconexão entre as ações da segurança pública e do sistema penitenciário; quais as principais agendas das políticas de Segurança Pública e de Assuntos Penitenciários e a articulação e complementaridade existentes; como os estados tem gerenciado a questão do fluxo entre os dois sistemas de Segurança Pública e de Assuntos Penitenciários, visto que o encarceramento pelas organizações policiais constitui uma das ?portas de entrada? para os sistemas penitenciários, muitas vezes se assemelhando a uma única política pública; conhecer a experiência internacional acerca da interação e articulação dos sistemas de segurança pública e penitenciário.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (2) . , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / Jacqueline Sinhoretto - Coordenador / Dias, Camila Caldeira Nunes - Integrante / Juliana Tonche - Integrante / Eduardo Batitucci - Integrante / Leticia Godinho de Souza - Integrante / Maria Carolina de Camargo Schlittler - Integrante / Leonardo de Carvalho Silva - Integrante / Liana de Paula - Integrante / José Luis Ratton - Integrante., Financiador(es): Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça - Cooperação.

  • 2016 - Atual

    Violência e Cidadania: a legitimidade do matar e do morrer nas políticas de segurança pública no Brasil, Descrição: Este projeto tem por objetivo aprofundar o conhecimento acerca da dinâmica de tratamento pelas instituições do sistema de segurança pública e justiça criminal, em especial o Ministério Público, dos casos de mortes violentas intencionais, com ênfase naquelas provocadas e sofridas pelos agentes policiais do país, com o propósito de contribuir para o desenho de soluções efetivas de prevenção da violência, promoção da cidadania e cumprimento do disposto nos artigos 5 e 6 da Constituição Federal. Para tanto, buscar-se-á investigar o modus de processamento e a lógica de tomada de decisão do Ministério Público na determinação ou do arquivamento ou da denúncia de inquéritos criminais relativos às mortes decorrentes de intervenção policial e à morte de policiais processados e finalizados no ano de 2016, em cinco capitais (Porto Alegre; Belo Horizonte; Rio de Janeiro; Salvador; e São Paulo) e, com base nos resultados alcançados, propor mecanismos de fortalecimento de ações de transparência, controle e responsabilização de profissionais de segurança pública no país, assim como a garantia de direitos individuais - como o direito à vida e ao exercício da cidadania.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / David Esmael Marques Silva - Integrante / Renato Sergio de Lima - Coordenador / Samira Bueno - Integrante / Bruno Paes Manso - Integrante / Sergio Adorno - Integrante / Mariana Possas - Integrante / Luis Felipe Zili - Integrante / Doriam Borges - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2014 - 2014

    Impactos das escalas de serviço no desenvolvimento do trabalho da polícia civil, Descrição: A presente pesquisa teve como objetivo investigar a relação e/ou do impacto de escalas de trabalho na qualidade e nos tempos das investigações de homicídios, ocorrências de tráfico de drogas e de roubos em Minas Gerais, São Paulo e Distrito Federal. Para tanto, foram utilizados distintos métodos de coletada de dados, predominantemente qualitativos, tais como entrevistas semiestruturadas, observação direta, análise de documentação oficial e legislação. A partir disso, são descritas as características, critérios e condicionalidades para fixação e cumprimento de jornadas, turnos e escalas de serviços dos profissionais de algumas carreiras que compõem a Polícia Civil e que estão envolvidos em atividades de investigação criminal em unidades territoriais e/ou especializadas. Como conclusão, considerando a centralidade observada para os gestores policiais (delegados) de nível gerencial/intermediário na articulação das escalas de trabalho e das tarefas de investigação criminal, a pesquisa recomenda o fortalecimento e o controle do papel de supervisão da atividade das diferentes carreiras policiais enquanto estratégia de modernização da gestão dos recursos humanos disponíveis e de busca de maior efetividade do trabalho de investigação.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / Maria Carolina de Camargo Schlittler - Integrante / Renato Sergio de Lima - Coordenador / Samira Bueno - Integrante / Ana Carolina Pekny - Integrante / Lais Figueiredo - Integrante., Financiador(es): Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça - Cooperação.

  • 2013 - 2014

    Desigualdade racial e segurança pública em São Paulo: letalidade policial e prisões em flagrante, Descrição: Pesquisa pelo Grupo de Estudos sobre Violência e Administração de Conflitos da Universidade Federal de São Carlos (GEVAC/UFSCar), coordenado pela Profa. Dra. Jacqueline Sinhoretto, no âmbito do programa de pesquisa Segurança pública e relações raciais . O objetivo foi investigar a existência de mecanismos de produção da desigualdade racial na atividade policial em São Paulo. Diante da inexistência de dados disponíveis sobre a atividade policial de abordagem, foram utilizados outros indicadores de monitoramento do tratamento policial nos diferentes grupos da população paulista. Para tanto, foram coletados e analisados dados quantitativos sobre a letalidade e prisões em flagrante. Os dados sobre a letalidade policial publicados não permitem a análise pela variável cor/raça dos indivíduos mortos pela ação da polícia. Em busca de reconstruir essas informações a equipe de pesquisa firmou uma parceria com a Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo para a produção de uma base de dados sobre a letalidade policial com informações sobre o perfil das vítimas e dos policiais envolvidos, incluindo a variável cor/raça das vítimas. Em relação às prisões em flagrante, os dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo também não possibilitam a observação da variável cor/raça. Porém, a Coordenadoria de Análise e Planejamento forneceu uma consulta específica à base de registro de ocorrência, o que permitiu conhecer a distribuição das prisões em flagrante efetuadas segundo a cor/raça dos presos. A pesquisa descobriu que em São Paulo, nos anos de 2010 e 2011, entre as vítimas de mortes cometidas por policiais, 58% são negras, ao passo que na população residente do estado o percentual de negros é de 34%. Para cada grupo de 100 mil habitantes negros, foi morto 1,4, ao passo que, para cada grupo de 100 mil habitantes brancos, foi morto 0,5. Além da produção da desigualdade racial na letalidade policial, a pesquisa constatou ainda que a vigilância policial é operada de modo racializado. Em São Paulo, a taxa de flagrantes de negros é mais que o dobro da verificada para brancos. Os dados expressam que a vigilância policial privilegia as pessoas negras e as reconhece como suspeitos criminais, flagrando em maior intensidade as suas condutas ilegais, ao passo que os brancos gozam de menor vigilância da polícia para suas atividades criminais.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / Henrique de Linica dos Santos Macedo - Integrante / SINHORETTO, JACQUELINE - Coordenador / Maria Carolina de Camargo Schlittler - Integrante / David Esmael Marques Silva - Integrante / Letícia de Souza Canonico - Integrante / Yasmin Lucita Miranda - Integrante / Giulianna Bueno Denari - Integrante / Kathleen Angulo - Integrante / Leonardo de Carvalho Silva - Integrante.

  • 2013 - 2013

    A filtragem racial na seleção policial de suspeitos: segurança pública e relações raciais no Brasil, Descrição: Projeto de pesquisa contemplado no edital Pensando a Segurança Púlica - 2a edição. Visa investigar a existência de mecanismos de filtragem racial na abordagem policiais e as respostas institucionais construídas em torno da temática nas polícias militares de 4 estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal).. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / Jacqueline Sinhoretto - Coordenador / Paulo Cesar Ramos - Integrante / Valter Roberto Silvério - Integrante / Eduardo Batitucci - Integrante / Fabio Reis Mota - Integrante / Maria Carolina de Camargo Schlittler - Integrante., Financiador(es): Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça - Cooperação.

  • 2013 - Atual

    Construindo a democracia no dia-a-dia: direitos humanos, violência e confiança institucional (CEPID-FAPESP), Descrição: O programa de pesquisa ?Construindo a democracia no dia-a-dia: direitos humanos, violência e confiança institucional? busca compreender a forma como as leis, as regras e os procedimentos são implementados ao longo do tempo e como essa dinâmica define a legitimidade das instituições chave para a democracia. A proposta é analisar como a legitimidade das instituições é construída ou prejudicada no cotidiano, explorando os contatos entre cidadãos e servidores públicos e as implicações desse processo para os direitos humanos e a violência. Para tanto, busca-se identificar os fatores associados ao reconhecimento e respeito às leis e às autoridades, considerando a importância da forma como a autoridade é rotineiramente exercida e percebida pela população e por seus agentes. As questões de pesquisa são investigadas empiricamente a partir de três perspectivas complementares: (i) a perspectiva da população; (ii) a perspectiva dos servidores públicos; (iii) a perspectiva de pré-adolescentes. As questões tratadas na presente pesquisa demandam uma perspectiva de longo prazo e contribuições de diferentes áreas do conhecimento. Trata-se de um projeto inovador que combina métodos quantitativos e qualitativos e adota a abordagem longitudinal. Além das atividades de pesquisa, o programa CEPID envolve também o desenvolvimento de projetos de educação, disseminação e transferência de conhecimento.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / Ariadne Natal - Integrante / Bruna Gisi - Integrante / Maria Gorete Marques de Jesus - Integrante / Marcos Cesar Alvarez - Integrante / Debora Piccirillo - Integrante / Sergio Adorno - Coordenador / Renan Theodoro de Oliveira - Integrante / Viviane Cubas - Integrante / Renato Alves - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Servidores públicos, auto-legitimidade e confiança: Judiciário, Descrição: Esta pesquisa investiga a legitimidade do judiciário a partir das percepções dos juízes e dos contatos estabelecidos entre os magistrados e a população. Seguindo as discussões centrais do CEPID/FAPESP, compreende-se que a percepção dos juízes sobre sua legitimidade é fundamental para a legitimidade da instituição. Assim, parte-se de uma abordagem qualitativa, com o objetivo de compreender como os juízes percebem e constroem a sua autoridade e legitimidade, considerando a importância do contato estabelecido com a população nessa construção. A primeira etapa da pesquisa envolveu a realização de entrevistas qualitativas com juízes que atuam em diferentes áreas do direito. Com o objetivo de acessar as noções de autoridade judicial construídas pelos juízes, as entrevistas consideraram as opiniões sobre as relações internas ao judiciário e sobre o contato estabelecido com a população. A segunda etapa da pesquisa consiste na realização de observação das interações estabelecidas entre os atores que participam de audiências de custódia. A observação das audiências permite aprofundar a análise sobre a construção da autoridade dos juízes, a partir de suas visões, bem como das interações com os demais atores que participam da situação da audiência.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / Maria Gorete Marques de Jesus - Coordenador / GISI, BRUNA - Integrante / Fernanda Novaes Cruz - Integrante / Efrain García Sanchez - Integrante.

  • 2012 - 2017

    A nova organização do mundo do crime e as instituições estatais de controle social e prevenção, Descrição: O objeto de investigação é a forma como as instituições e os agentes estatais, especialmente aqueles ligados à prevenção, ao controle e à administração judicial do crime, estão sendo afetados pela emergência do que nomeamos como nova organização do mundo do crime, à qual corresponde o fortalecimento de uma nova moralidade, novas formas de administração de conflitos e de relacionamento com agentes estatais. Pergunta-se como os agentes estatais se vêem afetados por esta novidade; qual o impacto disto sobre o seu trabalho, sobre os modos de exercer a prevenção, o controle e a administração do crime; quais representações eles elaboram sobre as mudanças nos contextos em que atuam; como eles percebem o contexto em que desenvolvem suas atividades profissionais. Para atingir este objetivo estão propostas 8 estratégias de pesquisa articuladas, que permitirão abordar, em contextos etnográficos diversos, diferentes situações e agentes ocupando posições variadas no campo da prevenção e do controle do crime, em espaços geográficos diversos, que compreendem a cidade de São Paulo e cidades médias da região central deste estado. Além disto, como contraponto e elemento de comparação, o estudo também incluirá cidades médias do Triângulo Mineiro, onde se supõe que a influência do PCC seja mais rarefeita embora não ausente... , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (5) . , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / Jacqueline Sinhoretto - Coordenador / Juliana Tonche - Integrante / Maria Carolina Schlittler - Integrante / Marcio Bonesso - Integrante / Natalia Maximo e Melo - Integrante / Felipe Athayde Lins de Melo - Integrante / David Esmael Silva - Integrante / Henrique de Linica dos Santos Macedo - Integrante.

  • 2012 - 2016

    O controle social estatal em face da nova organização do "mundo do crime", Descrição: Este projeto toma por objeto de investigação a forma como as instituições e os agentes estatais paulistas, especialmente aqueles ligados à prevenção, ao controle e à administração judicial do crime, estão sendo afetados pela emergência do que nomeamos como sendo a "nova organização do mundo do crime". Entendemos isto como o fortalecimento de uma nova moralidade, novas formas de administração de conflitos e de relacionamento com agentes estatais. Pergunta-se como os agentes estatais se veem afetados por esta "novidade", sobretudo com a emergência do Primeiro Comando da Capital, o PCC; qual o impacto disto sobre o seu trabalho, sobre os modos de exercer a prevenção, o controle e a administração do crime; quais representações eles elaboram sobre as mudanças nos contextos em que atuam e como eles percebem o contexto em que desenvolvem suas atividades profissionais. Para tanto, será realizado um amplo levantamento da literatura existente, assim como serão realizadas entrevistas com atores do sistema de justiça criminal, pesquisa em legislação e documentos oficiais.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . , Integrantes: Giane Silvestre - Coordenador.

  • 2012 - 2015

    Controle social estatal em face da organização do mundo do crime no interior paulista, Descrição: Trata-se de estudo de caso sobre a investigação policial de um homicídio ocorrido em 2007 em Pirassununga - SP. O inquérito policial sobre o homicídio é vinculado a uma escuta policial, com mais de 24 horas de gravação, de conversas entre os supostos membros de uma organização criminal, o Primeiro Comando da Capital (PCC), que atua dentro dos estabelecimentos penais paulistas. A gravação relata o debate entre os membros desta organização, evocado por um morador de Pirassununga após seu irmão ter sido assassinado. O rapaz desejava vingar a morte do irmão, todavia, entendia que antes de empreender a ação deveria pedir autorização ao PCC. Os integrantes da organização, detidos em unidades prisionais, passaram a averiguar as circunstâncias em que ocorreu o assassinato a partir do relato de todos os envolvidos: os 4 acusados do assassinato, os parentes da vítima, incluindo o homem que havia acionado o debate. O desfecho foi a permissão para a execução de 1 dos 4 homens como vingança da morte violenta. Todo o debate foi gravado pela polícia e serviu de evidência para a instauração do inquérito policial. O foco da pesquisa é conhecer como se dá a administração estatal de conflito desta natureza, em que há vinculação clara com organização criminosa e uma grande complexidade tanto na autoria intelectual quanto material do homicídio. O interesse da pesquisa está em conhecer e analisar o modo como polícias, Ministério Público e Judiciário administram um conflito dessa natureza, que põe em confronto lógicas e procedimentos de julgamento que não são apenas diferentes, mas concorrentes. Como as instituições estatais administram e lidam com as consequências da emergência das novas formas de organização do crime? Como agentes estatais localizados em posições hierárquicas menores nas instituições estatais (como os policiais de Pirassununga) encontram instrumentos para administrar um conflito que supõe a participação de um número muito grande de indivíduos, supostamente protegidos.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (2) . , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / Jacqueline Sinhoretto - Coordenador / Maria Carolina Schlittler - Integrante / David Esmael Marques Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2012 - 2013

    A Defensoria Pública de São Paulo em matéria criminal: observações sobre o atendimento ao preso provisório, Descrição: Acompanhamento da organização do trabalho da Defensoria Pública de São Paulo nas Varas Criminais, nos estabelecimentos destinados a presos provisórios e delegacias. Pesquisa comparada com países da América Latina.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Giane Silvestre - Coordenador / Guilherme Madi - Integrante.

  • 2012 - 2013

    Effetive Criminal Defence in Latin America, Descrição: 1. The overarching goal of the project is to contribute to effective implementation of the right of suspects and defendants, especially those who are indigent, to real and effective defence throughout Latin America. The overarching purpose is to advance observance of, and respect for, the rule of law and human rights. 2. More specifically, the aims of the project are to: a) Define the content and scope of the right to effective criminal defence, and the corresponding state obligations to ensure the ?practical and effective? implementation of this right for suspects and defendants in general, and for those who are indigent in b) explore access to effective defence in criminal proceedings across a number of Latin American jurisdictions in Argentina, Peru, Brazil, and Mexico. Finances permitting it can be extended to include Chile, Colombia, Guatemala, Costa Rica, Ecuador, Guatemala, and Bolivia; c) provide empirical information on the extent to which the key procedural rights for an effective criminal defence are provided for in practice (which is currently lacking in each of the participant countries); d) develop recommendations for each of the selected countries to improve the standard of criminal defence and to use the research to advocate for domestic reform; e) document, promote and share best practices identified in the study; f) use the research to support advocacy and litigation to enforce and broaden the scope of rights domestically and within the Inter-American System of Human Rights; and g) build regional standards for effective criminal defence in Latin America;. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / Rafael Custódio - Integrante / Maíra Zapater - Integrante / Miguel La Rota - Integrante / Alvaro Herrero - Integrante / Sebastián Rodrigo Narvaja - Integrante / Ana Aguilar - Integrante / Nataly Ponce - Integrante / Marco A Canteo - Integrante / Ed Lloyd Cape - Integrante / Zaza Namoradze - Coordenador., Financiador(es): Open Society Foudantions - Outra.

  • 2011 - 2012

    Prisões em flagrante na cidade de São Paulo, Descrição: A pesquisa Prisões em flagrante na cidade de São Paulo, concebida e realizada pelo Instituto Sou da Paz, teve como objetivo traçar o perfil das pessoas que foram presas em flagrante na cidade, com foco em suas características sociodemográficas e sociojurídicas (tipo de crime e circunstâncias da prisão). O universo de análise contemplou os flagrantes de crimes dolosos ocorridos na capital (com exceção dos crimes contra a vida ou previstos na Lei Maria da Penha), que se converteram em inquéritos policiais e foram denunciados pelo Ministério Público, entre abril e junho de 2011 ? portanto, antes da vigência da Lei n. 12.403/11. Dessa forma, a pesquisa abrangeu as ocorrências que efetivamente entraram no sistema de justiça criminal.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Giane Silvestre - Integrante / Helena Romanach - Coordenador / Juliana Oliveira Carlos - Integrante / Clarissa Peres - Integrante / Natália Acquisti - Integrante / Rebecca Groterhorst - Integrante / Fernanda de Deus Diniz - Integrante / Viviane Cantarelli - Integrante., Financiador(es): Open Society Foudantions - Outra.

  • 2009 - 2011

    Dias de visita: relações sociais e econômicas tecidas do lado de fora das penitenciárias em Itirapina-SP, Descrição: O Presente projeto propõe o aprofundamento de uma pesquisa realizada nos anos de 2007 e 2008, como Iniciação Científica, na qual foram estudadas as transformações na dinâmica social e econômica do município de Itirapina, no interior de São Paulo, impulsionadas pela implantação de duas unidades prisionais. As unidades foram instaladas em diferentes períodos, a primeira em 1978 e a segunda em 1998, no processo de interiorização do sistema penitenciário ocorrido no Estado de São Paulo. Assim, a cidade convive com dois projetos e dois modelos de prisões e a presença dessas unidades tem provocado fortes mudanças nas relações sociais, econômicas e políticas da cidade. Durante a pesquisa de Iniciação Científica se buscou compreender a visão que moradores, comerciantes locais e agentes penitenciários têm da prisão, dos prisioneiros e da presença de seus familiares nos dias de visita. A proposta de continuidade visa ao refinamento da compreensão deste mesmo processo, cotejando a visão de outros atores envolvidos, os familiares dos presos que se instalam na cidade aos finais de semana para a realização das visitas. Para tanto, será realizado um trabalho de campo no município de Itirapina para o contato com os familiares dos presos e a coleta dos dados por meio de entrevistas e observação participante. Após a realização do trabalho de campo, as informações obtidas serão analisadas comparativamente com os dados e análises já levantados pela pesquisa anterior, permitindo assim, um contraponto entre os discursos existentes no mesmo processo.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Giane Silvestre - Coordenador / Jacqueline Sinhoretto - Integrante., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa., Número de produções C, T & A: 27

  • 2007 - 2008

    Unidades Prisionais em dois tempos: O impacto social da política penitenciária na cidade de Itirapina, SP (1978-1998), Descrição: Este trabalho propõe a realização de um estudo sobre a cidade de Itirapina, localizada no interior do estado de São Paulo, nos diferentes momentos de implantação de suas duas penitenciárias. A primeira ocorreu durante a ditadura militar, em 1978 e a segunda ocorreu já dentro do processo de expansão penitenciária ocorrida a partir da década de 1990, na região centro-oeste do Estado de São Paulo, no ano de 1998. Nesse sentido, a cidade torna-se singular dentro da política penitenciária paulista. O estudo tem como objetivo analisar os impactos social e econômico no município; bem como analisar as conseqüências da presença das unidades no município, sobretudo na visão que os comerciantes locais têm da prisão, dos prisioneiros e da presença de seus familiares nos dias de visita.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Giane Silvestre - Coordenador / Luis Antônio Francisco de Souza - Integrante., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.

  • 2005 - Atual

    Observatório de Segurança Pública, Descrição: Pesquisa, desenvolvimento e implantação de sítio na Internet para acompanhamento das boas práticas em Segurança Pública no Estado de São Paulo. O presente projeto procura dar continuidade às pesquisas que tiveram lugar no âmbito do projeto de Observatório de Segurança Pública (OSP). Pretende-se, a partir de um amplo levantamento de dados disponíveis nas mais variadas fontes de pesquisa, avaliar as políticas de segurança pública, no Estado de São Paulo, em termos de avanços, permanências e retrocessos. O objetivo principal é mapear as boas práticas em segurança pública no Estado de São Paulo. As pesquisas realizadas no período de 2005 a 2007estão sendo gradualmente disponibilizadas no site sobre Boas Práticas em Segurança Pública, voltado para o acompanhamento das principais questões, iniciativas, debates e projetos de segurança pública

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, Departamento de Sociologia. , Av. Prof. Almeida Prado, 520, Butantã, 05508900 - São Paulo, SP - Brasil, Telefone: (11) 30914951, URL da Homepage:

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2017 - Atual

    Universidade de São Paulo

    Vínculo: Pós-Doutorado, Enquadramento Funcional: Pesquisadora

  • 2017 - Atual

    Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisadora de Pós-Doutorado

  • 2017 - Atual

    Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pós-Doutorado, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2013 - 2016

    Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de doutorado, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2010 - 2011

    Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de mestrado, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2007 - 2008

    Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de iniciação científica, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2009 - Atual

    Universidade Federal Fluminense

    Vínculo: Colaboradora, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 0

    Atividades

    • 01/2009

      Pesquisa e desenvolvimento , Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, Núcleo de Ensino Pesquisa Extensão em Administração Institucional Conflitos.,Linhas de pesquisa

  • 2013 - Atual

    Forum Brasileiro de Segurança Publica

    Vínculo: Associativo, Enquadramento Funcional: Associada Plena

  • 2019 - 2019

    Forum Brasileiro de Segurança Publica

    Vínculo: livre, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 0

    Outras informações:
    Participação na terceira edição do Selo FBSP de Práticas Inovadoras no Enfrentamento à Violência contra as Mulheres. Pesquisa aplicada com o objetivo de identificar e selecionar práticas inovadoras desenvolvidas por instituições policiais e do sistema de justiça no enfrentamento à violência contra a mulher e produzir uma Casoteca de Proteção à Mulher, expondo estudos de casos de boas práticas e experiências bem-sucedidas.

  • 2017 - 2017

    Forum Brasileiro de Segurança Publica

    Vínculo: livre, Enquadramento Funcional: Pesquisadora

    Outras informações:
    Participação na primeira edição do Selo FBSP de Práticas Inovadoras no Enfrentamento à Violência contra as Mulheres. Pesquisa aplicada com o objetivo de identificar e selecionar práticas inovadoras desenvolvidas por instituições policiais brasileiras no enfrentamento à violência contra a mulher e produzir uma Casoteca de Proteção à Mulher, expondo estudos de casos de boas práticas e experiências bem-sucedidas.

  • 2016 - 2017

    Forum Brasileiro de Segurança Publica

    Vínculo: livre, Enquadramento Funcional: Pesquisadora

    Outras informações:
    Membro da equipe da pesquisa: Audiência de Custódia, Prisão Provisória e Medidas Cautelares: Obstáculos Institucionais e Ideológicos à Efetivação da Liberdade como Regra. Financiada pelo Conselho Nacional de Justiça - CNJ

  • 2014 - 2014

    Forum Brasileiro de Segurança Publica

    Vínculo: livre, Enquadramento Funcional: Pesquisadora

    Outras informações:
    Pesquisadora e coordenadora de campo da pesquisa "Impactos das escalas de serviço no desenvolvimento do trabalho da polícia civil" teve como objetivo investigar a relação e/ou do impacto de escalas de trabalho na qualidade e nos tempos das investigações de homicídios, ocorrências de tráfico de drogas e de roubos em Minas Gerais, São Paulo e Distrito Federal.

  • 2017 - 2019

    Instituto Brasileiro de Ciências Criminais

    Vínculo: Livre, Enquadramento Funcional: Coordenadora Adjunta do Núcleo de Pesquisas

  • 2012 - 2016

    Universidade Federal de São Carlos

    Vínculo: Aluna de pós-graduação, Enquadramento Funcional: Aluna de doutorado, Regime: Dedicação exclusiva.

    Outras informações:
    Bolsista FAPESP de doutorado

  • 2011 - 2011

    Universidade Federal de São Carlos

    Vínculo: livre, Enquadramento Funcional: Tutora - UAB/UFSCar, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Tutora virtual no curso de especialização em Educação para as Relações Etnicorraciais na modalidade a distância, oferecido pela Universidade Aberta do Brasil/Universidade Federal de São Carlos - UAB/UFSCar.

  • 2009 - 2011

    Universidade Federal de São Carlos

    Vínculo: Aluna de Pós-graduação, Enquadramento Funcional: Aluna de mestrado, Regime: Dedicação exclusiva.

    Outras informações:
    Bolsista FAPESP - Mestrado

    Atividades

    • 01/2012

      Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Educação e Ciências Humanas, Departamento de Sociologia.,Linhas de pesquisa

    • 05/2009

      Extensão universitária , Centro de Educação e Ciências Humanas, Departamento de Sociologia.,Atividade de extensão realizada, Participação no Grupo de Estudos em Violência e Administração de Conflitos - GEVAC.

    • 01/2009

      Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Educação e Ciências Humanas, Departamento de Sociologia.,Linhas de pesquisa

    • 08/2011 - 11/2011

      Ensino, Educação para as Relações Etnicorraciais, Nível: Pós-Graduação,Disciplinas ministradas, Diferenças, sociedade e a escola, Introdução à educação a distância

    • 06/2009 - 12/2010

      Extensão universitária , Centro de Educação e Ciências Humanas, Departamento de Sociologia.,Atividade de extensão realizada, Participação no Grupo de Estudos Sociologia das Profissões.

    • 01/2009

      Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Educação e Ciências Humanas, Departamento de Sociologia.,Linhas de pesquisa

    • 08/2009 - 12/2009

      Estágios , Centro de Educação e Ciências Humanas, Departamento de Sociologia.,Estágio realizado, Estágio de capacitação docente na disciplina Sociologia da Violência e da Insegurança.

  • 2015 - 2015

    Center for the Study of Law & Society/University of California, Berkeley

    Vínculo: Visiting Scholar, Enquadramento Funcional: Pesquisadora

    Outras informações:
    Bolsista FAPESP na modalidade estágio de pesquisa no exterior (BEPE)

  • 2012 - 2013

    Instituto de Defesa do Direito de Defesa

    Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Consultora

  • 2011 - 2012

    Instituto de Defesa do Direito de Defesa

    Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Assistente de Projetos, Carga horária: 40

  • 2011 - 2011

    Instituto Sou da Paz

    Vínculo: livre, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Participação na pesquisa "Prisões em flagrante na cidade de São Paulo", que teve como objetivo traçar o perfil das pessoas que foram presas em flagrante na cidade, com foco em suas características sociodemográficas e sociojurídicas (tipo de crime e circunstâncias da prisão).

  • 2011 - 2011

    Universidade Cidade de São Paulo

    Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Professora tutora, Carga horária: 12

    Atividades

    • 04/2011 - 11/2011

      Ensino, Ciências Sociais, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Supervisão de Estágio Curricular

  • 2004 - 2008

    Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

    Vínculo: Aluna de Graduação, Enquadramento Funcional: Aluna de Graduação, Regime: Dedicação exclusiva.

    Atividades

    • 11/2010

      Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília, .,Linhas de pesquisa

    • 11/2010

      Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília, .,Linhas de pesquisa

    • 08/2008 - 12/2008

      Estágios , Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília, .,Estágio realizado, Estágio Supervisionado - Práticas de Ensino em Ciências Sociais II (História).

    • 08/2008 - 12/2008

      Estágios , Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília, .,Estágio realizado, Estágio Supervisionado - Práticas de Ensino em Ciências Sociais III (geografia).

    • 03/2008 - 06/2008

      Estágios , Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília, .,Estágio realizado, Estágio Supervisionado - Práticas de Ensino em Ciências Sociais I (sociologia).

    • 03/2007 - 11/2007

      Extensão universitária , Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília, .,Atividade de extensão realizada, Grupo de Estudos em Segurança Pública.

    • 01/2005 - 03/2007

      Extensão universitária , Cursinho Alternativo da Unesp de Marília, .,Atividade de extensão realizada, Professora bolsista de História do Brasil.

    • 03/2006 - 11/2006

      Extensão universitária , Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília, .,Atividade de extensão realizada, Grupo de Estudos em Segurança Pública.

    • 05/2005 - 05/2006

      Extensão universitária , Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília, .,Atividade de extensão realizada, Leitura e Cidadania: duas páginas de um mesmo livro. Atividades conjuntas de leitura com crianças entre 6 e 12 anos..

    • 06/2004 - 12/2005

      Extensão universitária , Cursinho Alternativo da Unesp de Marília, .,Atividade de extensão realizada, Monitora voluntária das aulas de História do Brasil.