Daniela Matos de Oliveira

Enfermeira graduada pela Universidade Federal Fluminense-UFF/ Campus Rio das Ostras (2015). Pesquisadora do Grupo de Pesquisa: Laboratório de Estudos sobre Mulheres e Enfermagem (LEME).

Informações coletadas do Lattes em 15/06/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Especialização interrompida em 2016 em Residência em Enfermagem Obstétrica

2015 - Interrompido

Universidade Federal Fluminense
Bolsista do(a): Ministério da Educação, MEC, Brasil. Ano de interrupção: 2016

Graduação em Enfermagem

2011 - 2015

Universidade Federal Fluminense
Título: VIOLÊNCIA INSTITUCIONAL À PARTURIENTE NOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE: A VIVÊNCIA DAS MULHERES
Orientador: Jane Baptista Quitete

Ensino Médio (2º grau)

2004 - 2006

Colégio São Lucas

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2017 - 2018

Curso Sala de Vacinação. (Carga horária: 80h). , Sociedade Brasileira de Imunização/Ministério da Saúde, SBIM/MS, Brasil.

2016 - 2016

Manejo e Promoção do Aleitamento Materno. (Carga horária: 20h). , Hospital da Mulher Mariska Ribeiro, HMMR, Brasil.

2014 - 2014

Extensão universitária em Visita Técnica ao Hosp. Maternidade Carmela Dutra.. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.

2014 - 2014

Extensão universitária em VisitaTécnica:Casa de Parto David Capistrano Filho. (Carga horária: 10h). , Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.

2013 - 2013

Resíduos nos Serviços de Saúde. (Carga horária: 6h). , Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.

2013 - 2013

Cálculo e Diluição de Medicamentos em Enfermagem. (Carga horária: 6h). , Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.

2012 - 2012

Curso de Administração e Diluição de Farmacos. (Carga horária: 10h). , Conselho Regional de Enfermagem, COREN, Brasil.

2012 - 2012

II Curso de Extensão:Teste do Olhinho. (Carga horária: 20h). , Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.

2012 - 2012

Oficina Falando sobre Câncer. (Carga horária: 30h). , Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.

2009 - 2009

Avaliação e Condutados Pacientes com Tuberculose. (Carga horária: 4h). , Hospital Municipal de Rio das Ostras, HMRO, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências da Saúde / Área: Enfermagem / Subárea: 1. Grande área: Ciências da Saúde / Área: Enfermagem..

    Grande área: Ciências da Saúde / Área: Enfermagem / Subárea: ..

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

OLIVEIRA, D. M. . II Semana de Enfermagem do REN. 2016. (Outro).

OLIVEIRA, D. M. ; SILVA, D. N. C. ; QUITETE, J. B. ; ARAUJO, D. B. . Exposição de Espaço Parir Itinerante. 2016. (Exposição).

OLIVEIRA, D. M. ; SILVA, D. N. C. ; QUITETE, J. B. ; MELO, J. A. ; CASTRO, R. C. . Espaço para Parir. 2014. (Exposição).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

II Semana de Enfermagem do REN- Apresentação da tese na linha de pesquisa saúde da criança e do adolescente.. 2015. (Outra).

II Semana de Enfermagem do REN-Mesa redonda: reforma psiquiátrica e rede de saúde mental vin.. 2015. (Outra).

II Semana de Enfermagem do REN-Palestra Pé-Diabético.. 2015. (Outra).

II Semana de Enfermagem-Fórum Pré Conferência municipal de Saúde:Pauta de proposições para Saúde da Mulher no Município d Rio das ostras(LEME). 2015. (Outra).

6° Encontro de Enfermagem Obstétrica e Neonatal do Estado do Rio de Janeiro.. 2014. (Oficina).

6° Encontro de Enfermagem Obstétrica e Neonatal do Estado do Rio de Janeiro.:Oficina de Assistência de Enfermagem nas Urgências e Emergências Obstétricas.. 2014. (Encontro).

6° Encontro de Enfermagem Obstétrica e Neonatal do Estado do Rio do de Janeiro:Oficina de Assistência de Enfermagem no parto e nascimento centro de parto normal(casa de parto). 2014. (Encontro).

Ecos da 9th International Research Conference- Normal é Natural: da pesquisa à ação?. 2014. (Congresso).

I Semana de Enfermagem do Departamento de Enfermagem_REN/PURO/UFF."Espaço Para Parir!". 2014. (Encontro).

I Semana de Enfermagem do Departamento de Enfermagem UFF/PURO-O protagonismo das mulheque pariram em casa,no município Rio das Ostrasres. 2014. (Outra).

I Semana de Enfermagem do Departamento de Enfermagem UFF/PURO-O Renascimento do parto. 2014. (Outra).

Seminário Anual de Saúde Mental da Cidade do Rio de Janeiro. - A Politica de Saúde mental na Cidade do Rio de janeiro.. 2012. (Seminário).

XVII Agenda Acadêmicado pólo de Universitário de Rio das Ostras _ Refletindo sobre questões de Concurso na Área de Enfermagem. 2012. (Oficina).

Participou do Dia de Prevenção e controle da Hipertensão Arterial. 2009. (Encontro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Jane Baptista Quitete

QUITETE, J. B.; LIMA, M. L.; SOUZA, R. M.. Violência institucional à parturiente nos serviços públicos de saúde: a vivência das mulheres. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Graduação em Enfermagem) - Universidade Federal Fluminense (PURO).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Jane Baptista Quitete

Violência institucional à parturiente nos serviços públicos de saúde: a vivência das mulheres; 2016; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Graduação em Enfermagem) - Universidade Federal Fluminense (PURO); Orientador: Jane Baptista Quitete;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • SILVA, D. N. C. ; QUITETE, J. B. ; OLIVEIRA, D. M. ; MELO, J. A. ; Maia S G ; Silva T P N . PERFIL DE ATENÇÃO AO PARTO EM UM HOSPITAL PÚBLICO: CONTRIBUIÇÕES DA ENFERMAGEM. Revista de Enfermagem UFPE On Line , v. 10, p. 407-412, 2016.

  • QUITETE, J. B. ; OLIVEIRA, D. M. ; SILVA, D. N. C. ; MOUTA, R. J. O. ; CASTRO, R. C. ; VIERA A B A . PERFIL REPRODUTIVO DAS MULHERES ASSISTIDAS NO EVENTO OUTUBRO ROSA ? DIA D. Revista de Enfermagem UFPE On Line , v. 9, p. 237-242, 2015.

  • OLIVEIRA, D. M. ; QUITETE, J. B. ; PEREIRA, C. F. N. ; SOUZA, R. M. . REPERCUSSÕES DA VIOLÊNCIA INSTITUCIONAL OBSTÉTRICA NA VIDA DE MULHERES QUE PARIRAM EM UMA MATERNIDADE PÚBLICA. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • OLIVEIRA, D. M. ; CASTRO, R. C. . UM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE CIRURGIA GINECOLÓGICA: A ENFERMAGEM NO CUIDADO INTEGRAL À SAÚDE DA MULHER. 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • OLIVEIRA, D. M. ; CASTRO, R. C. ; ARAUJO, D. B. . INCIDÊNCIA DE ABORTAMENTO EM UM HOSPITAL MUNICIPAL DA BAIXADA LITERÂNEA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - ANO DE 2014. 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • OLIVEIRA, D. M. . Agenda Acadêmica A monitoria como processo de ensino-aprendizagem.. 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • OLIVEIRA, D. M. ; CASTRO, R. C. . A Monitoria como Processo de Ensino-Aprendizagem.. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • OLIVEIRA, D. M. ; CASTRO, R. C. . A MONITORIA COMO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO CUIDADO DE ENFERMAGEM À SAÚDE DA MULHER ? RELATO DE EXPERIÊNCIA. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • OLIVEIRA, D. M. ; SILVA, D. N. C. ; COSTA, F. Q. ; QUITETE, J. B. ; VARGENS, O. M. C. . Relato de Experiência Acadêmico de Enfermagem:Vivência do Acolhimento Humanizado a Mulher na Casa de Parto. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • OLIVEIRA, D. M. ; SILVA, D. N. C. ; QUITETE, J. B. ; COSTA, F. Q. ; VARGENS, O. M. C. . Visita Técnica a Um Hospital Maternidade e Casa de Parto Públicas do Rio de Janeiro:Relato de Experiência Acadêmico.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • COSTA, F. Q. ; OLIVEIRA, D. M. ; SILVA, D. N. C. ; QUITETE, J. B. ; VARGENS, O. M. C. . Vivência Acadêmica em Grupo de Pesquisa:Formação de Enfermagem para Além da Atenção à Saúde da Mulher.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • SILVA, D. N. C. ; OLIVEIRA, D. M. ; COSTA, F. Q. ; QUITETE, J. B. ; VARGENS, O. M. C. . Relato de Experiência Acadêmico:Uso de Tecnologias de Enfermagem Durante o Parto Normal.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • SILVA, D. N. C. ; OLIVEIRA, D. M. ; QUITETE, J. B. ; CASTRO, R. C. . Perfil Reprodutivo das Mulheres Assistidas no Evento Outubro Rosa-Dia D.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • OLIVEIRA, D. M. ; QUITETE, J. B. . Instrumentalizando as mulheres para vencer a violência obstétrica: informação como estratégia de cidadania.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • OLIVEIRA, D. M. ; QUITETE, J. B. ; SILVA, D. N. C. ; MELO, J. A. ; OLIVE, C. E. . PERFIL DAS VIAS DE NASCIMENTO DOS PARTOS OCORRIDOS NO HOSPITAL MUNICIPAL DE RIO DAS OSTRAS NOS ANOS DE 2009 A 2013.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • QUITETE, J. B. ; OLIVEIRA, D. M. ; SILVA, D. N. C. ; MELO, J. A. ; OLIVE, C. E. . PARIR EM RIO DAS OSTRAS: rotina de atendimento de uma maternidade pública de Rio das Ostras/RJ/BRASIL.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • QUITETE, J. B. ; VARGENS, O. M. C. ; SILVA, D. N. C. ; OLIVEIRA, D. M. ; COSTA, F. Q. . Procurando Alguém que Atenda ao meu Desejo de Vivênciar a gestação e o parto Natural: o encontro entre usuários e enfermeiras obstétricas.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • OLIVEIRA, D. M. ; QUITETE, J. B. ; SILVA, D. N. C. ; MELO, J. A. ; OLIVE, C. E. . PERFIL DAS VIAS DE NASCIMENTO DOS PARTOS OCORRIDOS NO HOSPITAL MUNICIPAL DE RIO DAS OSTRAS NOS ANOS DE 2009 A 2013.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • OLIVEIRA, D. M. ; QUITETE, J. B. . INSTRUMENTALIZANDO AS MULHERES PARA VENCER A VIOLÊNCIA INSTITUCIONAL/OBSTÉTRICA: INFORMAÇÃO COMO ESTRATÉGIA DE CIDADANIA.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

QUITETE, J. B. ; OLIVEIRA, D. M. ; JUCA, T. M. R. . Laboratório de estudos sobre Mulheres e Enfermagem. 2015; Tema: Site de divulgação e comunicação entre os pesquisadores do Laboratório de Estudos sobre Mulheres e Enfermagem/LEME.(Site).. (Site).

OLIVEIRA, D. M. . Voçê sabe o que é Violência Obstétrica?. 2015. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Folder Explicativo).

OLIVEIRA, D. M. ; QUITETE, J. B. . Espaço Parir Itinerante. 2015 (Exposição).

OLIVEIRA, D. M. ; QUITETE, J. B. ; SILVA, D. N. C. ; MELO, J. A. . Espaço Parir?!. 2014 (Exposição).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2015 - Atual

    Parir e Nascer em Rio das Ostras/Rj., Descrição: Objetivos: realizar um diagnóstico situacional da atenção ao parto e nascimento no município de Rio das Ostras/RJ. Objetivos específicos: analisar a distribuição das vias de nascimento; identificar as intervenções obstétricas realizadas durante o atendimento ao parto e nascimento; traçar o perfil das parturientes e dos recém nascidos e, auxiliar na proposição de intervenções que possam qualificar a atenção ao parto e nascimento na maternidade do Hospital Municipal Naelma Monteiro. Metodologia: pesquisa descritiva, de natureza quantitativa, delineamento transversal, de base populacional (ecológica), tendo como unidade de análise o coletivo e não o indivíduo. Utilizará a técnica documental retrospectiva. Serão utilizados 02 (dois) instrumentos de coleta de dados, do tipo checklist, a serem preenchidos pelas pesquisadoras. O recorte temporal desta pesquisa será o período de 2004 a 2014. As variáveis da primeira etapa do estudo serão: idade da parturiente, idade gestacional, via de nascimento, local do nascimento, gemelaridade, episiotomia, peso e estatura do recém nascido, APGAR. As variáveis da segunda etapa da pesquisa serão: dilatação cervical no momento da admissão, dinâmica uterina, idade gestacional, tipo de dieta prescrita na admissão, prescrição ocitocina na admissão, prescrição de acesso venoso na admissão, preenchimento partograma (ausente/completo/incompleto), posição do parto, realização epsiotomia, realização anestesia locorregional, intercorrências no pós-parto imediato, presença de acompanhante. Serão critérios de exclusão da segunda etapa da pesquisa: as parturientes admitidas com idade gestacional inferior a 37 semanas e portadoras de patologias associadas a gestação. Este projeto de pesquisa será submetido ao Comitê de Ética do Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP). A análise dos dados será realizada utilizando o Programa R.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (6) . , Integrantes: Daniela Matos de Oliveira Romão - Integrante / Jane Baptista Quitete - Coordenador / Dielly Natannara Chagas da Silva - Integrante / Jéssika Andrade de Melo - Integrante / Suellen Gonçalves Maia - Integrante / Thainá Pinheiro das Neves e Silva - Integrante / Riva Schumacker Brust - Integrante / Virgínia Maria de Azevedo Oliveira Knupp - Integrante.

  • 2014 - 2016

    VIOLÊNCIA INSTITUCIONAL À PARTURIENTE NOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE: A VIVÊNCIA DAS MULHERES, Descrição: A violência institucional se apresenta em estabelecimentos prestadores de serviços públicos, como maternidades, de diversas formas como maus tratos sofridos pelas usuárias, discriminação de ordem de gênero, raça e questão social. Portanto esta violência pode se apresentar no momento do parto como uma violação dos direitos das mulheres quando, por exemplo, impede as mesmas de livre escolha de tipo de parto, de posição de ter seu bebê, de privação de acompanhante entre outros (AGUIAR; D?OLIVER, 2010). A violência institucional obstétrica é uma designação usada para caracterizar no estudo a violência sofrida por mulheres no trabalho de parto, parto e pós-parto dentro de instituições públicas de saúde, no caso hospitais. De acordo com a Fundação Perceu Abramo em pesquisa intitulado ?Mulheres brasileiras e Gênero nos espaços públicos e privados? um quarto das mulheres sofre violência no parto. Partindo do exposto esta pesquisa tem como objetivo Identificar as repercussões da violência institucional obstétrica na vida de mulheres que pariram em uma maternidade pública do município de Rio das Ostras, dar voz as mulheres que foram submetidas à violência institucional obstétrica e Produzir material didático/informativo/educativo sobre violência institucional obstétrica. O caminho metodológico utilizado para a realização deste estudo foi, empregada pesquisa de natureza qualitativa e estudo descritivo e exploratório. As participantes do estudo foram mulheres que pariram em uma maternidade pública do município de Rio das Ostras/RJ, maiores de 18 anos, que desejassem participar do estudo, ter tido pelo menos um parto na maternidade pública do município de Rio das Ostras e frequentar ou ter frequentado grupo de mulheres denominado Troca-troca. Foram excluídas desta pesquisa as participantes que apresentaram complicações obstétricas durante a gestação, trabalho de parto e/ou o parto, bem como as mulheres que tiveram partos prematuros, natimorto e/ou neomorto. O período da coleta de dados ocorreu de agosto a outubro de 2015, após apreciação e aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa (CEP) do Hospital Universitário Antônio Pedro, com parecer consubstanciado de número 1.109.636. A técnica de coleta foi entrevista semi-estruturada gravada e filmada, com a pergunta norteadora: ?Fale-me como foi seu trabalho de parto e o seu parto e quais as repercussões deste na sua vida??. A análise dos dados resultou em duas categorias Categoria 01: Desrespeito na assistência à saúde da mulher parturiente; Categoria 02: Repercussão da violência institucional obstétrica na vida das mulheres. Os resultados apresentaram as repercussões das violências institucionais obstétricas que foram dificuldade na relação mãe e bebê, estresse pós-traumático, quebra de vínculo do binômio, mãe e filho. Resultando ainda na produção de documentário ?Eu Parto da Dor?.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Daniela Matos de Oliveira Romão - Integrante / Jane Baptista Quitete - Coordenador.

  • 2012 - 2015

    A IDENTIDADE PROFISSIONAL DE ENFERMEIRAS OBSTÉTRICAS NO CONTEXTO DA HUMANIZAÇÃO DO PARTO E NASCIMENTO: uma construção social na perspectiva do interacionismo simbólico., Descrição: Projeto de pesquisa que emerge da vivência profissional da pesquisadora como Enfermeira Obstétrica ao longo de 20 anos atuando na assistência, na gerência e na docência, e decorrente disto, da constatação de que há uma polissemia de termos sendo veiculados na mídia (eletrônica, televisiva e impressa) e até mesmo nos locus de cuidado Enfermeira Obstétrica, obstetriz e parteira. Esses termos são reproduzidos pelas usuárias, pelos profissionais de saúde e pela população, de um modo geral como sinônimo, o que é um equívoco, pois são termos totalmente diferentes entre si. Enfermeira Obstétrica é uma profissão recente no Brasil que surge a partir de 1972 nas Escolas de Enfermagem e passa a ser regulamentada pelo Conselho Federal de Enfermagem em 1986. Na atualidade, o único curso previsto para formação específica de profissionais não-médicos na atenção ao parto consiste no Curso de Especialização em Enfermagem Obstétrica, nível de pós-graduação lato sensu. A Confederação Internacional das Parteiras (ICM) e o Conselho Internacional de Enfermeiras (ICN) apresentam a definição de enfermeira obstétrica (nurse midwife): pessoa que é legalmente licenciada ou registrada para exercer todas as atribuições de enfermeira em seu país e que obtém uma qualificação em obstetrícia após a formação de enfermagem. A lei do exercício profissional que regulamenta a Enfermagem Obstétrica reconhece legalmente sua atuação e, discrimina as atividades privativas desta profissão. Neste contexto, a partir da década de 1990, a Enfermeira Obstétrica passa a ser inserida, de forma mais resolutiva, no contexto das políticas públicas brasileira, com nítido apoio do Governo Federal. Com base nestas considerações definiu-se como objeto de pesquisa: a imagem profissional de Enfermeiras Obstétricas, segundo a ótica de usuárias atendidas por estas profissionais. Considerando o referencial teórico do Interacionismo Simbólico, aplicado ao objeto de pesquisa, os objetivos propostos por este estudo são: identificar o significado de Enfermeira Obstétrica para as usuárias; descrever a maneira como a dimensão atribuída ao significado de Enfermeira Obstétrica se manifesta nas formas de ação da usuária; e desenvolver um modelo teórico representativo da construção da imagem profissional da Enfermeira Obstétrica no mundo do cuidado. Trata-se de uma pesquisa descritiva com abordagem qualitativa, onde os sujeitos da pesquisa serão usuárias atendidas por Enfermeiras Obstétricas em diversos cenários de cuidado, tais como: domicílio, Unidades Básicas de Saúde (Posto de Saúde, Centro Municipal de Saúde, Posto de Saúde da Família), Maternidades, Casas de Parto/Centros de Parto Normal de diversas regiões do Estado do Rio de Janeiro - durante o pré-natal, trabalho de parto, parto e pós-parto imediato. A coleta de dados iniciou em setembro de 2012 e terminará somente após a proposição de um modelo teórico que responda ao objeto do estudo. Em se tratando do Método da Grounded Theory, não haverá um número pré-determinado de entrevistas a serem realizadas. A coleta de dados será encerrada somente quando ocorrer saturação teórica. A técnica para a obtenção dos dados será a entrevista semi-estruturada, iniciada com uma questão comum: Fale-me um pouco como foi seu acompanhamento pré-natal . (para usuárias atendidas por Enfermeiras Obstétricas durante o pré-natal), ou Fale-me um pouco como foi seu acompanhamento de trabalho de parto e parto . (para usuárias atendidas por Enfermeiras Obstétricas durante o trabalho de parto e parto), ou serão aplicadas as duas perguntas no caso da entrevistada ter sido assistida nos dois momentos. Estas serão gravadas em equipamento digital media player, ouvidas e transcritas pela pesquisadora. A análise dos depoimentos utilizará a Grounded Theory como referencial metodológico, e iniciará logo após a transcrição dos depoimentos com a técnica de codificação aberta... , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) . , Integrantes: Daniela Matos de Oliveira Romão - Integrante / Jane Baptista Quitete - Coordenador / Octavio Muniz da Costa Vargens - Integrante / Dielly Natannara Chagas da Silva - Integrante / Fernanda Quitete da Costa - Integrante / Jéssika Andrade de Melo - Integrante.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2015 - Atual

    Universidade Federal Fluminense

    Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Pesquisadora do projeto de pesquisa financiado pelo CNPQ,intitulado: " Parir e Nascer em Rio das Ostras/Rj."

  • 2015 - 2015

    Universidade Federal Fluminense

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitoria em Saúde da Mulher, Carga horária: 12

  • 2014 - 2014

    Universidade do Estado do Rio de Janeiro

    Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Projeto de Pesquisa, Carga horária: 20

  • 2017 - Atual

    Secretaria Municipal de Saúde de Piraí

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Enfermeiro de Família e Atenção Domiciliar, Carga horária: 40