Julimara Andrade Alexandrino

Possui ensino-medio-segundo-grau pela Escola Estadual Santo Antônio(2010). Atualmente é da Universidade Federal do Paraná.

Informações coletadas do Lattes em 25/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em andamento em Gestão e Empreendedorismo

2013 - Atual

Universidade Federal do Paraná

Ensino Médio (2º grau)

2008 - 2010

Escola Estadual Santo Antônio

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.

Bandeira representando o idioma Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Marcia Regina Ferreira

Educação e Vida Sustentável; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Gestão e Empreendedorismo) - Universidade Federal do Paraná; Orientador: Marcia Regina Ferreira;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de desenvolvimento

  • 2013 - Atual

    Educação e Vida Sustentável, Descrição: Este projeto docente desenvolvido por meio de atividades no Setor litoral, tem como objetivo estudar o ambiente de colonialidade para compreender as epistemologias como um campo referencial, mais amplo, de luta social e politica na criação de espaços de aprendizagem social a fim de fomentar a construção de conhecimentos relacionais e seus saberes locais. Para tanto, busca-se desenvolver estudos teóricos sobre os educadores da contemporaneidade visando a aplicabilidade de suas abordagens nos processos de ensino e aprendizagem na pesquisa e na extensão. A partir de uma perspectiva assumida do sul como pluralidade de saberes, reconhecimento do outro como legitimo, valorização da historia oral, numa relação de horizontalidade em suas relações de poder, rompe-se com o pensamento europeu e depois estadunidense, para um pensamento nosso, a partir de nossa realidade e de nossas raízes (cultura). Assim a epistemologia do sul apresenta-se como uma diversidade epistemológica onde os saberes locais são reconhecidos e valorizados. A vida sustentável só é possível com uma educação comprometida com o processo de descolonialidade. Compreende-se por descolonialidade a tensão dialética entre a colonialidade e as resistências a sua imposição. E Colonialidade é entendida como elemento que sustenta a imposição racial/étnica enquanto padrão de poder e que opera nos planos materiais e subjetivos da existência social cotidiana. Assim, a colonialidade é um fenômeno decorrente do colonialismo.Desta forma, para contrapor ao processo de colonialismo e colonialidade, precisamos conhecer essas comunidades tradicionais por meio de metodologias participativas que deem visibilidade e voz a comunidades caiçaras no litoral do Paraná. . , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Julimara Andrade Alexandrino - Integrante / Márcia Regina Ferreira - Coordenador.

  • 2013 - Atual

    Educação e Vida Sustentável, Descrição: Este projeto docente desenvolvido por meio de atividades no Setor litoral, tem como objetivo estudar o ambiente de colonialidade para compreender as epistemologias como um campo referencial, mais amplo, de luta social e politica na criação de espaços de aprendizagem social a fim de fomentar a construção de conhecimentos relacionais e seus saberes locais. Para tanto, busca-se desenvolver estudos teóricos sobre os educadores da contemporaneidade visando a aplicabilidade de suas abordagens nos processos de ensino e aprendizagem na pesquisa e na extensão. A partir de uma perspectiva assumida do sul como pluralidade de saberes, reconhecimento do outro como legitimo, valorização da historia oral, numa relação de horizontalidade em suas relações de poder, rompe-se com o pensamento europeu e depois estadunidense, para um pensamento nosso, a partir de nossa realidade e de nossas raízes (cultura). Assim a epistemologia do sul apresenta-se como uma diversidade epistemológica onde os saberes locais são reconhecidos e valorizados. A vida sustentável só é possível com uma educação comprometida com o processo de descolonialidade. Compreende-se por descolonialidade a tensão dialética entre a colonialidade e as resistências a sua imposição. E Colonialidade é entendida como elemento que sustenta a imposição racial/étnica enquanto padrão de poder e que opera nos planos materiais e subjetivos da existência social cotidiana. Assim, a colonialidade é um fenômeno decorrente do colonialismo.Desta forma, para contrapor ao processo de colonialismo e colonialidade, precisamos conhecer essas comunidades tradicionais por meio de metodologias participativas que deem visibilidade e voz a comunidades caiçaras no litoral do Paraná. . , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Julimara Andrade Alexandrino - Integrante / Márcia Regina Ferreira - Coordenador.

  • 2013 - Atual

    Educação e Vida Sustentável, Descrição: Este projeto docente desenvolvido por meio de atividades no Setor litoral, tem como objetivo estudar o ambiente de colonialidade para compreender as epistemologias como um campo referencial, mais amplo, de luta social e politica na criação de espaços de aprendizagem social a fim de fomentar a construção de conhecimentos relacionais e seus saberes locais. Para tanto, busca-se desenvolver estudos teóricos sobre os educadores da contemporaneidade visando a aplicabilidade de suas abordagens nos processos de ensino e aprendizagem na pesquisa e na extensão. A partir de uma perspectiva assumida do sul como pluralidade de saberes, reconhecimento do outro como legitimo, valorização da historia oral, numa relação de horizontalidade em suas relações de poder, rompe-se com o pensamento europeu e depois estadunidense, para um pensamento nosso, a partir de nossa realidade e de nossas raízes (cultura). Assim a epistemologia do sul apresenta-se como uma diversidade epistemológica onde os saberes locais são reconhecidos e valorizados. A vida sustentável só é possível com uma educação comprometida com o processo de descolonialidade. Compreende-se por descolonialidade a tensão dialética entre a colonialidade e as resistências a sua imposição. E Colonialidade é entendida como elemento que sustenta a imposição racial/étnica enquanto padrão de poder e que opera nos planos materiais e subjetivos da existência social cotidiana. Assim, a colonialidade é um fenômeno decorrente do colonialismo.Desta forma, para contrapor ao processo de colonialismo e colonialidade, precisamos conhecer essas comunidades tradicionais por meio de metodologias participativas que deem visibilidade e voz a comunidades caiçaras no litoral do Paraná. . , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Julimara Andrade Alexandrino - Integrante / Márcia Regina Ferreira - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2013 - Atual

Universidade Federal do Paraná

Vínculo: , Enquadramento Funcional: