João pedro Moro Flores

Engenheiro Agrônomo formado pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM (2018), tendo participado do Programa Jovens Talentos para a Ciência CAPES (2013-2014), bolsista de Iniciação Científica CNPq (2014-2016) e FAPERGS (2017), atuando junto ao Laboratório de Pedologia e Classificação de Solos, pertencente ao Departamento de Solos da UFSM. Estagiário da empresa Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária de Mato Grosso - Fundação MT, no Programa de Monitoramento e Adubação - PMA (2017). Mestre em Ciência do Solo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (2020), com defesa da dissertação intitulada "Formas e balanço de potássio no solo em sistemas integrados de produção agropecuária de terras baixas e terras altas no sul do Brasil". Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Ciência do Solo.

Informações coletadas do Lattes em 24/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em Programa ade Pós-Graduação em Ciência do Solo UFRGS

2018 - 2020

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Título: Formas e balanço de potássio no solo em sistemas integrados de produção agropecuária de terras baixas e terras altas no sul do Brasil,Ano de Obtenção: 2020
Tales Tiecher.Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.

Graduação em Agronomia

2013 - 2018

Universidade Federal de Santa Maria
Orientador: Ricardo Simão Diniz Dalmolin
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Ensino Médio (2º grau)

2002 - 2012

Colégio Franciscano Sant Anna

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2015 -

Inglês. (Carga horária: 250h). , Instituto de Idiomas Yázigi, YÁZIGI, Brasil.

2017 - 2017

Poda de plantas frutíferas. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.

2015 - 2015

Mudanças climáticas: solos e agricultura. (Carga horária: 30h). , Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.

2010 - 2013

Inglês. (Carga horária: 576h). , Centro Cultural Anglo Americano, CCAA, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Ciência do Solo/Especialidade: Gênese, Morfologia e Classificação dos Solos.

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitotecnia/Especialidade: Manejo e Tratos Culturais.

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: ..

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

XI Congresso Brasileiro de Arroz Irrigado. FORMAS DE POTÁSSIO NO SOLO EM UM SISTEMA INTEGRADO DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA EM TERRAS BAIXAS. 2019. (Congresso).

XXII Congreso Latinoamericano de la Ciencia del Suelo. Efeito das doses e épocas de aplicação de nitrogênio no arroz irrigado no Brasil: uma meta-análise. 2019. (Congresso).

21st WORLD CONGRESS OF SOIL SCIENCE. SOIL APPARENT ELECTRICAL CONDUCTIVITY CORRELATED WITH CROP YIELD. 2018. (Congresso).

XII Reunião Sul Brasileira de Ciência do Solo. CONDUTIVIDADE ELÉTRICA APARENTE DO SOLO CORRELACIONADA COM A PRODUTIVIDADE DE CULTURAS. 2018. (Congresso).

32ª Jornada Acadêmica Integrada.PREDIÇÃO DA ESPESSURA DO HORIZONTE SUPERFICIAL DO SOLO EM ÁREA DE REFLORESTAMENTO. 2017. (Outra).

8 Simpósio Nutripura. 2017. (Simpósio).

I Noite do SimulArroz Região Central. 2017. (Outra).

I Workshop Fisiologia do Estresse em Plantas e o Uso de Bioestimulantes. 2017. (Outra).

X Congresso Brasileiro de Arroz Irrigado. 2017. (Congresso).

XXXVI Congresso Brasileiro de Ciência do Solo. ESTRATIFICAÇÃO AMOSTRAL PARA PREDIÇÃO DE ARGILA POR ESPECTROSCOPIA DE REFLECTÂNCIA DIFUSA. 2017. (Congresso).

II Competição Sul Brasileira de Identificação de Solos.Competidor. 2016. (Outra).

XI Reunião Sul-Brasileira de Ciência do Solo. Modelos Digitais de Elevação para o Mapeamento Digital de Solos em Escala Detalhada na Região das Missões - RS. 2016. (Congresso).

XXXI Jornada Acadêmica Integrada. Mapeamento Digital de Solos em Escala Detalhada em Nível de Propriedade Rural. 2016. (Congresso).

24 ENCORTE. 2015. (Outra).

III Congresso Sul-Americano de Agricultura de Precisão e Maquinas Precisas. 2015. (Congresso).

V Simpósio de Atualização em Grande Culturas: SOJA. 2015. (Simpósio).

XXX Jornada Acadêmica Integrada. MAPEAMENTO DIGITAL DE SOLOS: É POSSÍVEL ESTIMAR O CARBONO ORGÂNICO DO SOLO?. 2015. (Exposição).

Mosaico do Agronegócio. 2014. (Congresso).

X Reunião Sul Brasileira de Ciência do Solo. 2014. (Outra).

XXV Semana Acadêmica do Curso de Agronomia. 2014. (Outra).

XXX Congresso Nacional de Milho e Sogo. Efeito de mecanismos descompactadores de solo no desenvolvimento de milho em áreas de várzea. 2014. (Congresso).

VIII Congresso Brasileiro de Arroz Irrigado. 2013. (Congresso).

Fórum Permanente do Agronegócio. 2012. (Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Leandro Souza da Silva

TIECHER, Tales; MARTINS, A. P.;BORTOLUZZI, Edson CampanholaSilva, Leandro Souza da. Formas e balanço de potássio no solo em diferentes sistemas integrados de produção agropecuária de terras baixas e terras altas no Sul do Brasil. 2020. Dissertação (Mestrado em Ciência do Solo) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Edson Campanhola Bortoluzzi

Silva, Leandro SouzaTIECHER, T.; MARTINS, A. P.;Edson C. Bortoluzzi. Formas e balanço de potássio no solo em sistemas integrados de produção agropecuária de terras baixas e terras altas no sul do Brasil. 2020. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

AMANDA POSSELT MARTINS

TIECHER, T.MARTINS, A. P.; BORTOLUZZI, E. C.;SILVA, L. S.. Formas e balanço de potássio no solo afetados pro diferentes sistemas integrados de produção agropecuária em terras baixas e terras altas no Sul do Brasil. 2020. Dissertação (Mestrado em Programa ade Pós-Graduação em Ciência do Solo UFRGS) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Jean Michel Moura Bueno

MOURA-BUENO, J. M.; DALMOLIN, R. S. D.; CANCIAN, L. C.. CONDUTIVIDADE ELÉTRICA APARENTE DO SOLO CORRELACIONADA COM A PRODUTIVIDADE DE CULTURAS. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal de Santa Maria.

Luciano Campos Cancian

DALMOLIN, R. S. D.; MOURA-BUENO, J. M.;CANCIAN, L. C.. Defesa de Estágio Supervisionado em Agronomia. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal de Santa Maria.

Luciano Campos Cancian

DALMOLIN, R. S. D.;CANCIAN, L. C.; MOURA-BUENO, J. M.. Condutividade Elétrica aparente do solo correlacionada com a produtividade de culturas. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal de Santa Maria.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Tales Tiecher

Formas e balanço de potássio no solo em sistemas integrados de produção agropecuária em terras baixas e altas no sul do Brasil; 2020; Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Tales Tiecher;

Ricardo Simão Diniz Dalmolin

Mapeamento Digital de Solos: predição de classes e atributos em microbacias hidrográficas intensamente cultivadas; Início: 2014; Iniciação científica (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal de Santa Maria; (Orientador);

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

FILIPPI, D. ; DENARDIN, L. G. O. ; ALVES, L. A. ; MARTINS, A. P. ; FLORES, J. P. M. ; TIECHER, T. . Exportação de nutrientes em grãos de soja cultivada no Brasil. 2019. (Site).

FLORES, C. A. ; ALBA, J. M. F. ; NATCHIGALL, S. D. ; CUNHA, H. N. ; BUENO, J. M. M. ; DEOBALD, G. A. ; PEDRON, F. A. ; FLORES, J. P. M. ; DALMOLIN, R. S. D. ; BERNICH, E. B. ; LANGE, M. C. ; NASCIMENTO, P. P. R. R. ; LOPES, R. S. . LEVANTAMENTO SEMIDETALHADO DE SOLOS, MUNICÍPIO DE SANTA MARIA, RIO GRANDE DO SUL. 2015. (Cartas, mapas ou similares/Mapa).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2019 - Atual

    COMPREENDENDO A DINÂMICA DE NUTRIENTES EM SISTEMAS INTEGRADOS DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA EM TERRAS BAIXAS PARA A SUSTENTABILIDADE DA LAVOURA ARROZEIRA, Descrição: O atual cenário da produção agrícola não é capaz de sustentar as crescentes demandas, onde necessita-se dobrar a produção global de alimentos até 2050. Nesse contexto, o arroz é uma das culturas agrícolas que merece especial atenção, por ser o alimento básico para cerca de 2,4 bilhões de pessoas. No mundo, o Brasil é o maior produtor fora do continente asiático, sendo o Rio Grande do Sul (RS) responsável por 60% dessa produção. No entanto, a produção de arroz irrigado brasileira tem se mostrado frágil do ponto de vista econômico e ambiental, com baixas margens de lucro ao produtor rural e alto uso de insumos. Embasado no monocultivo do arroz e no pousio hibernal, o sistema produtivo do arroz se mostra praticamente insustentável, com forte impacto negativo no solo e alta dependência do uso de fertilizantes para assegurar altas produtividades. Os sistemas integrados de produção agropecuária (SIPA), também conhecidos como integração lavourapecuária, surgem como alternativas viáveis para se intensificar a produção de arroz de forma sustentável. Além da diversificação da renda, esses sistemas proporcionam melhorias no solo e possibilitam produzir com maior ecoeficiência. A partir disso, o objetivo do presente projeto de pesquisa é investigar a dinâmica, no sistema solo-planta-animal-atmosfera, dos três principais macronutrientes de plantas (nitrogênio - N, fósforo - P e potássio - K) em diferentes arranjos de sistemas integrados de produção agropecuária, conduzidos em manejo conservacionista do solo (plantio direto) em terras baixas, visando uma maior sustentabilidade da produção de arroz brasileira, através de seis diferentes estudos. Os estudos serão conduzidos em dois experimentos que testam diferentes arranjos de SIPA no contexto da produção de arroz irrigado, do manejo conservacionista do solo (plantio direto) e das terras baixas, em diferentes locais do RS. O Experimento 1 vem sendo 2 conduzido desde abril de 2013 na Fazenda Corticeiras, localizada no município de Cristal/RS; e, o Experimento 2, vem sendo conduzido desde abril de 2018 na Estação Experimental Integrar-Agrinova, localizada no município de Capivari do Sul/RS. A hipótese de ambos porta sobre o impacto da pastagem introduzida nas rotações agrícolas e a diversidade espacial (intensidade) e temporal (duração) dessas rotações, com o adendo de, no Experimento 2, também haver o uso de diferentes níveis de tecnologia na pastagem (manejo da altura do pasto e adubação). Nos estudos propostos, será investigado(a), nos diferentes SIPA: 1) a resposta, em crescimento e rendimento de grãos, das culturas agrícolas; 2) a produção primária e animal; 3) a resposta a diferentes doses de N e a eficiência de uso de N pelo arroz irrigado; 4) a quantidade e a qualidade da matéria orgânica e dos microrganismos do solo, responsáveis pelo fornecimento de N; 5) a dinâmica temporal de P e K disponíveis no solo e absorvidos pelas plantas; e 6) a distribuição de raízes e de formas de K no perfil do solo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Pedro Moro Flores - Integrante / Amanda Posselt Martins - Coordenador / Adriano Vilmar Garcia - Integrante / Ibanor Anghinoni - Integrante / Luiz Gustavo de Oliveira Denardin - Integrante / Paulo Cesar Faccio Carvalho - Integrante / Tales Tiecher - Integrante / Vinicius Oliveira Batista dos Santos - Integrante / Carolina Bremm - Integrante / Danilo Menezes Sant'Anna - Integrante / Felipe de Campos Carmona - Integrante / Felipe Selau Carlos - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2015 - 2018

    SOLOS DO SUL DO BRASIL: PREDIÇÃO DE CLASSES E ATRIBUTOS UTILIZANDO MAPEAMENTO DIGITAL DE SOLOS, Descrição: O projeto busca alternativas para o mapeamento de solos, incluindo a pedometria. A aplicação de modelos matemáticos e estatísticos podem auxiliar na predição de atributos e classes de solos através do mapeamento digital de solos. Essas informações são importantes para o planejamento racional e sustentável da terra.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Pedro Moro Flores - Integrante / CASSIANE RODRIGUES ROSÁRIO - Integrante / JEAN MICHEL MOURA BUENO - Integrante / RICARDO SIMAO DINIZ DALMOLIN - Coordenador / Ismael Luis Spohr Backes - Integrante / Luciano Campos Cancian - Integrante / Nicolas Augusto Rosin - Integrante / Pedro Paulo Ramos Ribeiro do Nascimento - Integrante.

  • 2013 - 2018

    Mapeamento digital de solos: predição de classes e atributos em microbacias hidrográficas intensamente cultivadas, Descrição: A demanda sobre os recursos naturais tem sido muito intensa e o aumento da população tem provocado uma significativa alteração no uso da terra impactando negativamente o ambiente, em especial o solo e as águas superficiais. A mudança climática global e demais forças naturais e induzidas pelo homem, fornecem novos desafios para avaliar os efeitos sobre os solos. Atualmente, a acelerada mudança nos diferentes ecossistemas tem comprometido a sustentabilidade do recurso solo em escala local, regional, nacional e global. O solo é peça fundamental nos ecossistemas, não só na produção de alimentos mas também na regulação do clima na Terra. Ainda há uma carência muito grande de informações mais detalhadas dos solos em todos os níveis. Novos desafios são eminentes para garantir um ambiente sustentável, propiciando a segurança alimentar em um mundo em rápida mudança. Os levantamentos de solos, por apresentarem informações básicas sobre o solo e sua distribuição no ambiente são fundamentais para o manejo sustentável das terras, desde que apresentem escala compatível e informações detalhadas do ambiente. No Brasil, a totalidade de seu território está coberta por mapas de solos em escala muito pequena - 1:1.000.000 Projeto Radambrasil - insuficiente para qualquer tipo de planejamento, seja para a expansão agrícola ou monitoramento ambiental. Existe a necessidade de se detalhar as informações existentes nos relatórios e mapas de solos, de maneira rápida, eficiente e de baixo custo. Os levantamentos de solos devem se apropriar das novas tecnologias, permitindo agilidade trazendo informações mais detalhadas, não só de classes, mas também de propriedades do solo. A crescente demanda por informações sobre os solos e os avanços tecnológicos têm incentivado de maneira crescente o Mapeamento Digital de Solos (MDS), com aplicação das técnicas de Pedometria. Faz-se premente o desenvolvimento de estudos de modelagem do solo e suas características em locais/regiões modais, como forma de compreender sua relação com o ambiente. Como resultado, os modelos de correlação ambiental gerados poderão ser, depois de testados e validados, utilizados no MDS de áreas mais extensas, possibilitando, assim, o planejamento de uso racional dos recursos naturais. Diante do exposto, o objetivo geral desse trabalho é aAvaliar técnicas de MDSl quanto a sua adequação para determinar a distribuição espacial de classes e atributos de solos. O estudo será realizado em bacias hidrográficas intensamente cultivadas para testar as metodologias de MDS. Inicialmente os testes serão realizados em duas áreas, ambas localizadas na região do Planalto do Estado do Rio Grande do Sul. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Pedro Moro Flores - Coordenador / ÂNDREA MACHADO PEREIRA FRANCO - Integrante / ANDRÉ CARNIELETTO DOTTO - Integrante / CASSIANE RODRIGUES ROSÁRIO - Integrante / FABRICIO DE ARAUJO PEDRON - Integrante / JEAN MICHEL MOURA BUENO - Integrante / MARIO SERGIO WOLSKI - Integrante / PRISCILA VOGELEI RAMOS - Integrante / RICARDO SEBALHOS LOPES - Integrante / RICARDO SIMAO DINIZ DALMOLIN - Integrante / VICENTE GUILHERME HANDTE - Integrante.

  • 2013 - 2018

    Contribuição da fixação biológica e da adubação mineral de nitrogênio no desenvolvimento e produtividade da soja (Glycine max) em ambiente de várzea e modificações anatômicas em meio hipóxico, Descrição: A cultura de soja é uma opção ao arroz irrigado em áreas de várzea. No entanto, as condições favoráveis à inundação e a hipoxia neste ambiente dificultam o estabelecimento da cultura de soja. A principal fonte de nitrogênio da cultura de soja é fornecida por meio da simbiose estabelecida entre a bactéria Bradyrhizobium e a planta de Glycine max. Mas devido à necessidade de oxigênio na região radicular os nódulos desenvolvidos pela bactéria podem apresentar dificuldades na simbiose. Para a compreensão dos fatores que afetam a produtividade da soja em várzea, serão realizadas dois experimentos. O primeiro experimento será realizado a campo, no qual serão testadas aplicações de 40 kg de nitrogênio mineral ha-1, em forma de uréia, em diferentes estádios fenológicos (V6, R1 e R3), fator A, os quais serão testados em dois sistemas de implantação, sendo eles: semeadura com haste sulcadora e semeadura com disco ondulado. O segundo experimento será realizado em casa de vegetação. Esse será composto por quatro tempos (0, 2, 4 e 6 dias) de permanência do solo saturado. Sendo aplicados nos estádios fenológicos VC, V4 ou V8. As avaliações serão realizadas em R2, para a observação das transformações anatômicas da planta mediante o alagamento. As avaliações serão analisadas estatisticamente no intervalo de confiança P?0,05, seguindo especificidades de cada sub-projeto.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Pedro Moro Flores - Integrante / Enio Marchesan - Coordenador / Lucas Lopes Coelho - Integrante / Jonatas Maciel - Integrante / Ricardo de David - Integrante / Alana Cristina Dorneles Wandscheer - Integrante / Bruno Behenk Aramburu - Integrante / ANELISE LENCINA DA SILVA - Integrante / DÂMARIS SULZBACH SANTOS HANSEL - Integrante / GERSON MENEGHETTI SARZI SARTORI - Integrante / GUSTAVO MACK TELÓ - Integrante / ISAC AIRES DE CASTRO - Integrante.

  • 2012 - 2018

    DESENVOLVIMENTO DE NOVAS TECNOLOGIAS PARA CULTIVOS AGRÍCOLAS EM ÁREAS DE VÁRZEA, Descrição: O arroz (Oryza sativa L.) é o segundo cereal mais cultivado do mundo, com área aproximada de 158 milhões de hectares. É também a cultura com maior potencial de aumento de produção, estando o Brasil entre os dez maiores produtores, com cerca de 13 milhões de toneladas, ou seja, 82% da produção do MERCOSUL. Dentre os estados brasileiros, o Rio Grande do Sul ocupa uma posição de destaque, sendo responsável por 61% do total produzido no país, perfazendo mais de 1 milhão de hectares, com predomínio do sistema de cultivo com taipas em nível. Em virtude da importância econômica e alimentar da cultura do arroz para a população humana, faz-se necessário cada vez mais pesquisas buscando o desenvolvimento de formas de manejo sustentáveis e que proporcionem maior produtividade das áreas cultiváveis. Assim, pesquisas com enfoque na qualidade de grãos, manejo integrado de pragas, doenças e plantas daninhas, época de semeadura, cultivares, rotação de culturas, utilização de bioestimulantes, coberturas e ciclagem de nutrientes, apresentam papel fundamental para o setor agrícola. Além disso, o desenvolvimento de atividades objetivando a qualidade ambiental e o manejo de forma a minimizar os impactos da implantação da cultura do arroz irrigado é de extrema relevância na sociedade atual. Nesse sentido, pesquisas e atividades de extensão com enfoque no biomonitoramento da fauna de organismos não-alvo e resíduos de agrotóxicos em grãos já vem sendo realizados pelo grupo de pesquisa. Nos últimos anos, devido à alta pressão de plantas daninhas que incidem na cultura do arroz, principalmente o arroz vermelho, e ao baixo preço pago pelo produto levou os produtores em busca de diversificação no uso dessas áreas, visando aumentar a rentabilidade e a eficiência do sistema produtivo. Porém, devido às características dos solos de várzea, são poucas as culturas que se adaptam as situações de excesso hídrico que normalmente ocorrem nessas áreas. Neste sentido, a cultura da soja tem se mostrado uma boa opção na metade sul do estado, pois possui uma maior tolerância a períodos de excesso hídrico que outras culturas de verão. Atualmente, há um aumento considerável do cultivo de soja em áreas de várzeas em rotação com arroz irrigado no RS, em razão do aumento da renda do produtor, além de melhorar essas áreas, principalmente pelo aporte de N proveniente da fixação biológica. O aumento do interesse por nova área de cultivo está atrelado ao controle mais eficiente de plantas daninhas à cultura do arroz. Também se pode destacar a melhor utilização do solo e dos nutrientes, o aumento dos teores de matéria orgânica, o controle mais eficiente de insetos-pragas e doenças através da quebra no ciclo e a maior estabilidade econômica para o produtor. Neste contexto, o grupo de pesquisa desenvolve atividades que objetivam avaliar a implantação da cultura da soja em áreas de várzea e rotação com a cultura do arroz irrigado, buscando estudar métodos e os benefícios desta rotação de cultivos.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Pedro Moro Flores - Integrante / Robson Giacomeli - Integrante / Enio Marchesan - Coordenador / Marília Ferreira da Silva - Integrante / Maurício Limberger de Oliveira - Integrante / Lucas Lopes Coelho - Integrante / Felipe Tonetto - Integrante / Jonatas Maciel - Integrante / Ricardo de David - Integrante / Alana Cristina Dorneles Wandscheer - Integrante / Bruno Behenk Aramburu - Integrante / Guilerme Londero - Integrante / Camile Flores - Integrante / Gabriel Donato - Integrante / Guilerme Cassol - Integrante / Vinicius Severo Trivisiol - Integrante / ANELISE LENCINA DA SILVA - Integrante / DANIELA BARBIERI ULIANA - Integrante / DÂMARIS SULZBACH SANTOS HANSEL - Integrante / GABRIEL CHEROBINI DALMOLIN - Integrante / GERSON MENEGHETTI SARZI SARTORI - Integrante / GUSTAVO MACK TELÓ - Integrante / ISAC AIRES DE CASTRO - Integrante / JOAO PEDRO TESSELE - Integrante / LILLIAN MATIAS DE OLIVEIRA - Integrante / ROBSON JULIANO HERMES - Integrante.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2016

1 Lugar em equipe na II Competição Sul-Brasileira de Identificação de Solos, Sociedade Brasileira de Ciência do Solo - Núcleo Regional Sul.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2017 - 2018

Universidade Federal de Santa Maria

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica, Carga horária: 20

Outras informações:
Bolsista FAPERGS no Laboratório de Pedologia e Classificação de Solos

2014 - 2016

Universidade Federal de Santa Maria

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica, Carga horária: 20

Outras informações:
Bolsista CNPq no Laboratório de Pedologia e Classificação de Solos.

2013 - 2014

Universidade Federal de Santa Maria

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica, Carga horária: 20

Outras informações:
Bolsista CAPES no grupo de pesquisa em arroz irrigado e uso alternativo de várzeas GPAI

2017 - 2017

Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária de Mato Grosso, Fundação MT

Vínculo: Programa Novos Talentos, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
Acompanhamento, execução e avaliação de atividades relacionadas ao levantamento e mapeamento de áreas para geração de mapas, amostragem de solo, interpretação de análises de solo, recomendação de corretivos e adubação, aplicação de corretivos de solo, distribuição de fertilizantes, regulagem e calibração de equipamentos. Acompanhamento do uso de NDVI e condutividade elétrica para mapeamento de variabilidade espacial e planejamento e programação de insumos. Monitoramento de pragas, identificação e manejo de plantas daninhas, pragas e doenças. Posicionamento de cultivares de soja e híbridos de milho. Colheita de soja e milho e acompanhamento de culturas de segunda safra (milheto, crotalária, brachiária, capim sudão).

2018 - Atual

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Mestrado, Carga horária: 40

Outras informações:
Bolsista Capes no Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo