Rafael Gomes Barbosa da Silva

Mestre em Botânica pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UESF). Biólogo pela Universidade Veiga de Almeida (UVA). Possui experiência na área de Botânica, com ênfase em taxonomia de fanerógamas, atuando principalmente em florística do pantepui, além de taxonomia e sistemática de Chrysobalanaceae. Atualmente bolsista vinculado ao Instituto Tecnológico Vale em pareceria com Museu Paraense Emílio Goeldi, colaborando em projetos botânicos no âmbito da Amazônia.

Informações coletadas do Lattes em 01/02/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em Botânica

2016 - 2018

Universidade Estadual de Feira de Santana
Título: Taxonomia e micromorfologia de Parinari Aubl. (Chrysobalanaceae) na Floresta Atlântica,Ano de Obtenção: 2018
Francisco de Assis Ribeiro dos Santos.Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Anatomia vegetal; Conservação; Malpighiales; Nomenclatura botânica.Grande área: Ciências Biológicas

Graduação em Ciências Biológicas - Ênfase em Ecologia

2011 - 2015

Universidade Veiga de Almeida
Título: Flora e distribuição geográfica de plantas vasculares da Serra do Aracá, um tepui na Amazônia brasileira
Orientador: Rafaela Campostrini Forzza
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2018 - 2018

Advanced Security in the Field. , United Nations Department of Safety and Security, UNDSS, Brasil.

2018 - 2018

Basic Security In The Field II. , United Nations Department for Safety and Security, UNDSS, Brasil.

2017 - 2017

CONSTRUÇÃO DE CHAVES DE IDENTIFICAÇÃO INTERATIVAS UTILIZANDO XPER. (Carga horária: 7h). , Sociedade Botânica do Brasil - DF, SBB, Brasil.

2015 - 2015

Evolução dos órgãos reprodutivos nas Embriófitas. (Carga horária: 8h). , Universidade Santa Cecília, UNISANTA, Brasil.

2013 - 2013

Sistemática e taxonomia das Myrtaceae brasileira. (Carga horária: 5h). , Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.

2013 - 2013

ANÁLISE FILOGENÉTICA DE COMUNIDADES ECOLÓGICAS. (Carga horária: 15h). , Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.

2013 - 2013

Etnobotânica: Conceitos, Métodos e Aplicação. (Carga horária: 30h). , Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro, IP/JBRJ, Brasil.

2012 - 2012

Diversidade de Hepáticas no Brasil. (Carga horária: 64h). , Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro, IP/JBRJ, Brasil.

2012 - 2012

Alelopatia: Novas abordagens metodológicas e impor. (Carga horária: 6h). , XXXI Jornada de Fluminense de Botânica, XXXI JFB, Brasil.

2012 - 2012

Biotecnologia Vegetal. (Carga horária: 10h). , Universidade Veiga de Almeida, UVA/RJ, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Espanhol

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Biológicas / Área: Botânica / Subárea: Taxonomia Vegetal/Especialidade: Taxonomia de Fanerógamos.

    Grande área: Ciências Biológicas / Área: Botânica / Subárea: Fitogeografia.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

BARBOSA-SILVA,R.G . 68º Congresso Nacional de Botânica - 36ª Jornada Fluminense de Botânica. 2017. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

38º Encontro Regional de Botânicos MG, BA e ES.Diversidade Vegetal da Mata Atlântica: tecendo redes de conhecimento. 2018. (Simpósio).

XII Congresso Latinoamericano de Botânica. Climbing on knowledge of the giants and the future path of Parinari. 2018. (Congresso).

68º Congresso Nacional de Botânica - 36ª Jornada Fluminense de Botânica. 2017. (Congresso).

Fórum de Debates do PPGZoo: Conceitos de espécie e suas implicaçõesʼ. 2016. (Seminário).

Fórum de Debates do PPGZoo: Do DNA à forma: a Biologia Evolutiva do Desenvolvimento. 2016. (Seminário).

66º Congresso Nacional de Botânica. Flora e distribuição geográfica de plantas vasculares da Serra do Aracá, um tepui na amazônia brasileira. 2015. (Congresso).

Beyond the Amazon: conservation and biodiversity of dry biomes. 2015. (Simpósio).

XXIII Seminário Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - CNPq/JBRJ.Riqueza de espécies da flora vascular da Serra do Aracá, Amazônas, Brasil. 2015. (Seminário).

Fórum de Botânica.Riqueza de espécies da flora vascular da Serra do Aracá, Amazônas, Brasil. 2014. (Simpósio).

XXII Seminário Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - CNPq/JBRJ.Riqueza de espécies da flora vascular da Serra do Aracá, Amazônas, Brasil. 2014. (Seminário).

64ª Congresso Nacional de Botânica. Riqueza de espécies da flora da Serra do Aracá, Amazônia, Brasil. 2013. (Congresso).

XXISeminário Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - CNPq/JBRJ.Riqueza de espécies da flora da Serra do Aracá, Amazônia, Brasil. 2013. (Seminário).

XXXII Jornada Fluminense de Botânica. 2013. (Congresso).

XII Fórum de Biologia da UVA. 2012. (Congresso).

XX Seminário Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - CNPq/JBRJ.Riqueza de espécies da flora da Serra do Aracá, Amazônia, Brasil.. 2012. (Seminário).

XXXI Jornada Fluminense de Botânica. 2012. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Anderson Ferreira Pinto Machado

MACHADO, A. F. P.; TORRES, D. S. C.; SANTOS, F. A. R.. Revisão Taxonômica e micromorfologia de Parinari Aubl. (Chrysobalanaceae) na Floresta Atlântica. 2018. Dissertação (Mestrado em Botânica) - Universidade Estadual de Feira de Santana.

Francisco de Assis Ribeiro dos Santos

SANTOS, F. A. R.CARNEIRO TORRES, D. S.; MACHADO, A. F. P.. Revisão taxonômica e micromorfologia de Parinari Aubl. (Chrysobalanaceae) na Floresta Atlântica. 2018. Dissertação (Mestrado em Botânica) - Universidade Estadual de Feira de Santana.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Rafaela Campostrini Forzza

FLORA E DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DE PLANTAS VASCULARES DA SERRA DO ARACÁ, UM; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Veiga de Almeida, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Rafaela Campostrini Forzza;

Daniela Cristina Zappi

Flora da FLONA de Carajás - florestas; Início: 2019; Orientação de outra natureza; Instituto Tecnológico Vale; Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Francisco de Assis Ribeiro dos Santos

Taxonomia e micromorfologia de Parinari Aubl; (Chrysobalanaceae) na Floresta Atlântica; 2018; Dissertação (Mestrado em Botânica) - Universidade Estadual de Feira de Santana, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Francisco de Assis Ribeiro dos Santos;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • Barbosa-Silva, R.G. ; TROVO, M. ; MARTINELLI, G. ; FORZZA, R. C. . Up on the table mountains in Brazil: new Bromeliaceae and Eriocaulaceae (Poales) from the Pantepui in the Guayana Shield. Plant Ecology and Evolution , v. 151, p. 130-141, 2018.

  • BFG - The Brazil Flora Group ; BARBOSA-SILVA, R. G. . Brazilian Flora 2020: Innovation and collaboration to meet Target 1 of the Global Strategy for Plant Conservation (GSPC). Rodriguesia , v. 69, p. 1513-1527, 2018.

  • AMORIM, ANDRÉ MÁRCIO ; BARBOSA-SILVA, RAFAEL GOMES ; SOTHERS, CYNTHIA A. ; ASPRINO, RENATA CAMARGO . A tribute to the Orixás: A new Couepia Aubl. (Chrysobalanaceae) from Bahia, Brazil. JOURNAL OF THE TORREY BOTANICAL SOCIETY , v. 145, p. 271-277, 2018.

  • SANTANA, FERNANDA AFONSO ; CARNEIRO-TORRES, DANIELA SANTOS ; BARBOSA-SILVA, RAFAEL GOMES ; GIULIETTI, ANA MARIA ; DE OLIVEIRA, REYJANE PATRÍCIA . Flora da Bahia: Rapateaceae. SITIENTIBUS SERIE CIENCIAS BIOLOGICAS (SCB) , v. 17, p. 1-5, 2017.

  • GOMES BARBOSA-SILVA, RAFAEL ; LABIAK, PAULO HENRIQUE ; DOS SANTOS BRAGANÇA GIL, ANDRÉ ; GOLDENBERG, RENATO ; MICHELANGELI, FABIAN A. ; MARTINELLI, GUSTAVO ; NADRUZ COELHO, MARCUS A. ; ZAPPI, DANIELA C. ; FORZZA, RAFAELA CAMPOSTRINI . Over the hills and far away: New plant records for the Guayana Shield in Brazil. BRITTONIA , v. 68, p. 397-408, 2016.

  • GUIMARAES, E. F. ; QUEIROZ, G. A. ; Silva, R. G. B. ; NEGRAO, R. ; MESSINA, T. ; WIMMER, F. ; NOVAES, L. . Chrysobalanaceae. In: Gustavo Martinelli, Eline Martins, Marta Moraes, Rafael Loyola, Rodrigo Amaro. (Org.). Livro Vermelho da Flora Endêmica do Estado do Rio de Janeiro. 1ed.Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio, 2018, v. , p. 220-221.

  • BARBOSA-SILVA,R.G . Chrysobalanaceae da Floresta Atântica da Bahia. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • BARBOSA-SILVA, R. G. . Climbing on knowledge of the giants and the future path of Parinari. 2018. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • BARBOSA-SILVA, R. G. . O gênero Parinari Aubl. (Chrysobalanaceae) na Floresta Atlântica. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • BARBOSA-SILVA, R. G. ; AMORIM, A. M. ; ASPRINO, R. C. . CHRYSOBALANACEAE NO ESTADO DA BAHIA, BRASIL. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • BARBOSA-SILVA, R. G. ; ASPRINO, R. C. ; AMORIM, A. M. . UMA NOVA ESPÉCIE DE COUEPIA AUBL. (CHRYSOBALANACEAE) NA FLORESTA ATLÂNTICA, BAHIA, BRASIL. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • BARBOSA-SILVA,R.G ; FORZZA, R. C. . Flora e distribuição geográfica de plantas vasculares da Serra do Aracá, um tepui na amazônia brasileira. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • Barbosa-Silva, R.G. . Parinari in Flora do Brasil 2017 (Flora Online).

  • Barbosa-Silva, R.G. . Euphroniaceae in Flora do Brasil 2017 (Flora Online).

  • BARBOSA-SILVA,R.G ; FORZZA, R. C. . Spermatophytes of Serra do Aracá State Park. The Field Museum, 2016 (Guia de campo).

  • Monteiro, Raquel Fernandes ; FORZZA, RAFAELA CAMPOSTRINI ; DOS SANTOS BRAGANÇA GIL, ANDRÉ ; PRAIA, T. S. ; BARBOSA-SILVA,R.G . Rapateceae in Flora do Brasil 2020 2016 (Flora online).

  • BARBOSA-SILVA,R.G ; FORZZA, RAFAELA CAMPOSTRINI . Bonnetiaceae in Flora do Brasil 2016 (Flora online).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

BARBOSA-SILVA, R. G. . Parecer Científico para o Periódico. 2018.

BARBOSA-SILVA,R.G . Três novas bromélias. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

BARBOSA-SILVA,R.G . Universitários abraçam militância ambiental. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

BARBOSA-SILVA,R.G . Juventude cheia de energia. 2013; Tema: Educação. (Site).

BARBOSA-SILVA,R.G . Biodiversidade e Serviços de Ecossistemas. 2019. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

BARBOSA-SILVA,R.G . Georreferenciamento em pesquisas malacológicas: Introdução ao Programa Quantum GIS (QGIS 2.6). 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2019 - Atual

    Expandindo o conhecimento da vegetação de Carajás: comparação da canga de com outras áreas de campo rupestre para compensação ambiental e lista florística dos outros tipos de vegetação com ênfase na flona de carajás., Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Rafael Gomes Barbosa da Silva - Integrante / ZAPPI, DANIELA C. - Coordenador / Pedro Lage Viana - Integrante / Mauricio Takahashi Coutinho Watanabe - Integrante / Eimear Nic Lughadha - Integrante / Ana Maria Giulietti - Integrante / Juliana Lovo - Integrante / Caroline Oliveira Andrino - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2019 - Atual

    Capital Natural da floresta da FLONA Carajás, Descrição: O conhecimento das espécies florestais ocorrentes na Floresta Nacional de Carajás (FLONA de Carajás) e de suas interações pode abrir novas perspectivas para a população local. Existe algum conhecimento relativo à biomassa das espécies lenhosas na região, porém ainda não existe um levantamento preciso de todas as espécies de plantas que ocorrem nas florestas da região. as espécies do ambiente florestal ainda são pouco conhecidas. Pode haver entre elas espécies com potencial madeireiro, mas também é potencialmente um rico armazém de plantas de interesse comercial e social.. Entre as plantas consideradas como ameaçadas na Portaria 443 do MMA, temos 17 espécies em 10 famílias representadas nas florestas da FLONA de Carajás. Dentro do âmbito de sua flora, a FLONA de Carajás foi estudada apenas do ponto de vista das formações abertas, ou cangas, e a flora concluída em 2018 (Flora das cangas da Serra de Carajás, 4 volumes de monografias abordando 164 famílias e 1024 espécies de plantas terrestres), em parceria entre o Instituto Tecnológico Vale (ITV) e o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), Há estimativas de por volta de mil espécies florestais nas florestas circundantes, adicionalmente ao que ficou registrado para as cangas. A presente proposta visa continuar fortalecendo a relação entre o ITV e o MPEG para produzir conhecimento sobre a flora Amazônica, e tem como objetivo principal fornecer informações botânicas necessárias para avaliar o capital natural da FLONA Carajás.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Rafael Gomes Barbosa da Silva - Integrante / ZAPPI, DANIELA C. - Integrante / Pedro Lage Viana - Integrante / Mauricio Takahashi Coutinho Watanabe - Integrante / Vera Lucia Imperatriz Fonseca - Coordenador / Tereza Cristina Giannini - Integrante / Sâmia Nunes - Integrante.

  • 2016 - Atual

    Revisão taxonômica e micromorfologia de Parinari Aubl. (Chrysobalanaceae) na Floresta Atlântica, Descrição: Chrysobalanaceae é uma das maiores famílias de Malpighiales, possui distribuição pantropical mas a sua maior diversidade está nas florestas da região Neotropical. No Brasil, são registradas 276 espécies, destacando com maior número de espécies o domínio Amazônico, seguido pela Floresta Atlântica. Um dos gêneros que ocorrem no Brasil é Parinari que é representado por 15 espécies, cinco delas distribuídas na Floresta Atlântica, com a maior riqueza específica ocorrendo na hiléia sul baiana. O gênero possui pouca variação morfológica e um histórico taxonômico conturbado, onde somente cinco gêneros de Chrysobalanaceae nunca tiveram espécies ali combinadas. A maioria dos trabalhos utilizados para identificação das espécies de Parinari, usa sobretudo caracteres vegetativos, apresentam sobreposição de caracteres utilizados o que dificulta a identificação de espécies no gênero. Neste contexto, o presente projeto tem como foco realizar o tratamento taxonômico das espécies de Parinari na Floresta Atlântica e elucidar os limites morfológicos das espécies existentes. Para sua realização, serão realizadas expedições a campo, visitas a herbários, anatomia de folha e diafanização afim de encontrar mais caracteres da micromorfologia foliar do gênero.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Rafael Gomes Barbosa da Silva - Integrante / Rafaela Campostrini Forzza - Integrante / ANDRÉ MARCIO AMORIM - Coordenador.

  • 2015 - Atual

    PROTAX 2015 - EVIDÊNCIA TOTAL NO CLADO XÉRICO DE PITCAIRNIOIDEAE (BROMELIACEAE): UMA ANÁLISE FILOGENÉTICA PARA A CONGRUÊNCIA TAXONÔMICA., Descrição: Bromeliaceae constitui um grupo monofilético, com cerca de 3.300 espécies, distribuídas em 58 gêneros, tradicionalmente dividida em três subfamílias Pitcairnioideae, Tillandsioideae e Bromelioideae. Segundo hipóteses fundamentadas em dados do genoma plastidial, oito subfamílias são reconhecidas: Brocchinioideae, Bromelioideae, Hechtioideae Lindmanioideae, Navioideae, Pitcairnioideae, Puyoideae e Tillandsioideae. Sob este senso Pitcairnioideae é composta por aproximadamente 630 espécies, agrupadas em cinco gêneros: i.e. Deuterocohnia (incluindo Abromeitiella, 24 spp.), Dyckia (160 spp.), Encholirium (28 spp.), Fosterella (31 spp.) e Pitcairnia (391 spp.). Dentre as linhagens da subfamília uma merece destaque, formada por espécies que ocupam ambientes xéricos da América do Sul, apresentando grande diversificação nos domínios fitogeográficos Caatinga, Cerrado e Chaco. Esta linhagem, denominada de ?clado xérico de Pitcairnioideae?, é composta por Deuterocohnia, Dyckia e Encholirium. Os gêneros do clado possuem delimitação controversa considerando que muitas dos caracteres utilizados para a circunscrição são compartilhados ou pleisiomórficos. Análises filogenéticas realizadas com dados moleculares e morfológicos têm demonstrado recorrentemente a natureza parafilética dos gêneros Deuterocohnia e Encholirium. Apesar da falha de circunscrição taxonômica e do parafiletismo, existe atualmente uma incongruência entre a classificação genérica empregada e as hipóteses filogenéticas. Para que a coerência entre os resultados filogenéticos e a classificação seja estabelecida, objetiva-se neste trabalho realizar uma análise filogenéticas de evidência total (i.e. dados moleculares e morfológicos combinados) com a finalidade de estabelecer uma hipótese filogenética robusta, e assim propor uma nova classificação para os três gêneros pertencentes ao clado xérico de Pitcairnioideae.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Especialização: (1) Doutorado: (1) . , Integrantes: Rafael Gomes Barbosa da Silva - Integrante / Rafaela Campostrini Forzza - Coordenador / Fabian Michelangeli - Integrante / Mariana Neves Moura - Integrante / Fernanda dos Santos Silva - Integrante / Janaina Gomes-da-Silva - Integrante.

  • 2012 - 2016

    Riqueza de espécies da flora da Serra do Aracá, Amazônia, Brasil, Descrição: Na porção mais ao norte da América do Sul, destaca-se o Escudo das Guianas, composto por grandes formações rochosas originárias da era Proterozóica com as maiores elevações da Amazônia. Por ser uma região biogeográfica muito antiga, o Escudo das Guianas representa um centro de diversidade e endemismo muito importante da flora neotropical. Parte do Escudo das Guianas é formado pela província biogeográfica Pantepui, que se caracteriza pela descontinuidade de tepuis oriundos da formação Roraima.No Brasil, os principais estudos sobre montanhas concentram-se no bioma Mata Atlântica, junto à cadeia costeira da Serra do Mar, e no bioma Cerrado, na Cadeia do Espinhaço. Por outro lado, é sabido que o conhecimento da biodiversidade das regiões montanhosas da Amazônia brasileira ainda é incipiente. A Serra do Aracá, área de objeto do presente estudo pertence ao domínio Imeri, porções de relevo mais elevado do Amazonas, é uma das poucas áreas montanhosas dentro do Domínio Amazônico que possui uma lista preliminar de espécies publicada no início da década de 1990. Porém, esta lista representa ainda muito pouco da diversidade total da área. Pretende-se com o trabalho ampliar conhecimento botânico estudando a flora da Serra do Aracá.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Rafael Gomes Barbosa da Silva - Integrante / Rafaela Campostrini Forzza - Coordenador / MARTINELLI, GUSTAVO - Integrante / NADRUZ COELHO, MARCUS A. - Integrante.

  • 2011 - 2015

    Riqueza de espécies em regiões montanhosas da Amazônia brasileira: diversidade e conservação, Descrição: Descrição: A importância das montanhas se expressa, pela decisão dos 158 países que assinaram a Convenção da Diversidade Biológica, de considerar montanhas como um ponto focal e estratégico para a conservação da biodiversidade. Esta grande importância foi demonstrada nos conceitos de evolução e especiação e avançou com a teoria de biogeografia de ilhas, ampliando a visão sobre centros de endemismos, fragmentação de habitats e importância para a conservação. Montanhas são consideradas ecossistemas prioritários para pesquisas científicas por diversas instituições no mundo. Na América do Sul, o conhecimento sobre a diversidade de montanhas, se concentra nos estudos de trechos dos Andes (Páramos), principalmente na Bolívia, no Peru, e no Escudo das Guianas (Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa). No Brasil, os principais estudos concentram-se no bioma Mata Atlântica, junto à cadeia costeira da Serra do Mar, e no bioma Cerrado, na Cadeia do Espinhaço. Por outro lado, é sabido que o conhecimento da biodiversidade das regiões montanhosas da Amazônia brasileira ainda é incipiente. Assim, o Projeto aqui apresentado visa ampliar o conhecimento da flora destas áreas, gerando listas de espécies, considerando que o conhecimento das espécies é um elemento básico para programas de manejo e conservação, indicando táxons raros e endêmicos, além de novas o ocorrências em território brasileiro. Serão realizadas coletas nas áreas de alta diversidade biológica segundo as recomendações do Ministério do Meio Ambiente (Pico da Neblina, Serra do Aracá, Serra da Mocidade e Monte Caburaí). O material testemunho será incorporado ao herbário RB e principais herbários da Amazônia. Além disto, serão coletadas amostras para o Banco de DNA e para as coleções vivas do Jardim Botânico do Rio de Janeiro.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Rafael Gomes Barbosa da Silva - Integrante / Denise Pinheiro da Costa - Integrante / MARTINELLI, GUSTAVO - Integrante / NADRUZ COELHO, MARCUS A. - Coordenador / FORZZA, RAFAELA CAMPOSTRINI - Integrante.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2018

Torrey Botanical Society Symposium Award, The Torrey Botanical Society.

2017

Fauna & Flora International (FFI)/ Global Trees Campaign/ Conservation Leadership Programme - Grants, Fauna & Flora International.

2015

Destaque na Iniciação Científica do JBRJ, Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2019 - Atual

    Instituto Tecnológico Vale

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista DTI-B

    Outras informações:
    Apoio ao projeto da flora da floresta da FLONA Carajás

  • 2018 - 2018

    Food And Agricultural Organization Of The United Nations

    Vínculo: Consultor técnico, Enquadramento Funcional: Consultor técnico do herbário CEN e UB, Carga horária: 40

    Outras informações:
    Executar serviços técnicos de manejo de coleções botânicas dos espécimes vegetais coletados no Inventário Florestal Nacional (IFN) no bioma Cerrado, inclusão das informações no sistema IFN, além da inclusão dos espécimes na base de dados dos Herbários UB e CEN.

  • 2018 - 2018

    Harvard University

    Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Monitor de Curso de Campo, Carga horária: 40

    Outras informações:
    Minicourse in Tropical Plant Diversty, which took place in Lençóis, Bahia, at Chapada Diamantina National Park, from March 12 to 16, 2018, with 40 hours total workload. The course was given to a mixed group of 34 students and faculty from Harvard University, Uniersidade Federal da Bahia, and Universidade Estadual de Santa Cruz.

  • 2016 - 2018

    Universidade Estadual de Feira de Santana

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Mestrando, Carga horária: 40

    Atividades

    • 02/2017

      Conselhos, Comissões e Consultoria, Departamento de Ciências Biológicas - Botânica, .,Cargo ou função, Representante discente.

  • 2016 - 2016

    Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Apoio Técnico a Pesquisa do CNPq, Carga horária: 20

  • 2015 - 2016

    Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro

    Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Bolsista atuando na identificação das plantas vasculares das montanhas coletadas pelo Projeto Montanhas da Amazônia (JBRJ), Pico da Neblina (AM), Monte Caburai (RR) e Serra Grande (RR).

  • 2012 - 2015

    Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista PIBIC, Carga horária: 20

  • 2012 - 2014

    Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro

    Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Estágio na coleção ex-situ do Bromeliário do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, atuando em diferentes áreas, identificação de espécies, cultivo, banco de dados e de imagem.

  • 2011 - 2012

    Banco Bradesco S/A

    Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Jovem Aprendiz, Carga horária: 30, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2009 - 2010

    Centrais Elétricas - Sede

    Vínculo: Jovem Aprendiz, Enquadramento Funcional: Jovem Aprendiz, Carga horária: 20