Daniela Isabel Brayer Pereira

Possui graduação em Veterinária pela Universidade Federal de Pelotas (1992), mestrado em Veterinária pela Universidade Federal de Pelotas (1996) e doutorado em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008). É professor associado da Disciplina de Microbiologia no Departamento de Microbiologia e Parasitologia da Universidade Federal de Pelotas e orienta mestrado e doutorado no Programa de Pós-Graduação em Parasitologia/UFPel. Tem experiência na área de Medicina Veterinária Preventiva, com ênfase em Micologia Veterinária, atuando nas linhas de pesquisa: fungos e oomicetos patogênicos de importância médica e veterinária e utilização de fungos para o controle biológico de parasitos. Também atua em pesquisas com colostro e silagem de colostro bovino.

Informações coletadas do Lattes em 23/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Ciências Veterinárias

2005 - 2008

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Título: Suscetibilidade in vitro e in vivo de Pythium insidiosum: Estudo comparativo entre acetato de caspofungina e imunoterapia em coelhos
Laerte Ferreiro. Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil. Palavras-chave: Pitiose, Pythium insidiosum; caspofungina.Grande área: Ciências Agrárias

Mestrado em Veterinária

1994 - 1996

Universidade Federal de Pelotas
Título: Lechiguana:Aspectos patogênicos, estudo de portadores de Pasteurella granulomatis e novos casos da doença em bovinos,Ano de Obtenção: 1996
Orientador: Franklin Riet-Correa
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil. Palavras-chave: lechiguana, bovinos, Pasteurella granulomatis.Grande área: Ciências AgráriasGrande Área: Ciências Agrárias / Área: Medicina Veterinária / Subárea: Sanidade Animal. Setores de atividade: Educação Superior.

Aperfeiçoamento em Veterinária

1992 - 1994

Universidade Federal de Pelotas
Título: Estudo da possível participação da Dermatobia hominis na patogenia de uma doença dos bovinos conhecida como lechiguana. Ano de finalização: 1994
Orientador: Franklin Riet-Correa
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Graduação em Veterinária

1987 - 1992

Universidade Federal de Pelotas
Título: Estágio curricular na área de sanidade animal, reprodução e avaliação zootécnica de bovinos de leite na Associação Catarinense de Criadores de Bovinos
Orientador: Ildemar Brayer Pereira

Ensino Médio (2º grau)

1984 - 1986

Escola Estadual Dom João Braga

Ensino Fundamental (1º grau)

1977 - 1983

Grupo Escolar Manoel Vicente do Amaral

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2011 - 2011

I Curso Intern. Taxonomia Hongos Filam Oportunista. (Carga horária: 50h). , Universidad Austral de Chile, U.AUSTRAL, Chile.

2009 - 2009

Advanced Lab Training Course: mol. Med. Mycol. (Carga horária: 40h). , The University of Melbourne, UM, Austrália.

2008 - 2008

Biologia molecular para iniciantes. (Carga horária: 20h). , Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.

2007 - 2007

IV Curso de Diagnóstico Micológico LEMI-UNIFESP. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, Brasil.

2007 - 2007

IV Curso de Diagnóstico Micológico LEMI-UNIFESP. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, Brasil.

2005 - 2005

Sequenciamento de Dna Princípios e Aplicações. (Carga horária: 20h). , Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.

2004 - 2004

Padronização de Cursos de Treinamento Em Métodos d. (Carga horária: 28h). , Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, MAPA, Brasil.

2001 - 2001

Curso Sobre Atualização Em Imunologia. (Carga horária: 4h). , Congresso Brasileiro de Microbiologia, CONGRESSO BRASIL, Brasil.

2001 - 2001

Curso Sobre Micologia Médica. (Carga horária: 4h). , Congresso Brasileiro de Microbiologia, CONGRESSO BRASIL, Brasil.

1999 - 1999

Curso Sobre Métodos de Diagnósticos Microbiológico. , Congresso Brasileiro de Microbiologia, CONGRESSO BRASIL, Brasil.

1998 - 1998

Curso de Imunohistoquímica e Análises de Imagens. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.

1997 - 1997

Mini Curso de Biologia Molecular. (Carga horária: 9h). , Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.

1997 - 1997

Curso de Patologia das Micoses. (Carga horária: 15h). , Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.

1997 - 1997

Perspectivas Para o Diagnóstico Micológico nos Lab. (Carga horária: 4h). , Congresso Brasileiro de Microbiologia, CONGRESSO BRASIL, Brasil.

1997 - 1997

Curso Prático de Micologia Médica. (Carga horária: 4h). , Congresso Brasileiro de Microbiologia, CONGRESSO BRASIL, Brasil.

1996 - 1996

Curso de Imunohistoquímica. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.

1991 - 1991

Inseminação Artificial de Bovinos. (Carga horária: 40h). , Escola Agropecuária de Rosário do Sul, PECPLAN, Brasil.

1991 - 1991

Inseminação Artificial de Ovinos. (Carga horária: 40h). , Escola Agropecuária de Rosário do Sul, PECPLAN, Brasil.

1989 - 1991

Inglês Básico. , Centro de Estudos Especiais Em Língua Inglesa, CEELI, Brasil.

1988 - 1988

Vigilância Epidemiológica e Controle de Leptospiro. (Carga horária: 24h). , Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.

Espanhol

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Francês

Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Agrárias / Área: Medicina Veterinária / Subárea: Medicina Veterinária Preventiva/Especialidade: Micologia.

    Grande área: Ciências Agrárias / Área: Medicina Veterinária / Subárea: Medicina Veterinária Preventiva/Especialidade: Microbiologia.

    Grande área: Ciências Agrárias / Área: Medicina Veterinária / Subárea: Medicina Veterinária Preventiva/Especialidade: Doenças Infecciosas de Animais.

    Grande área: Ciências Agrárias / Área: Medicina Veterinária / Subárea: Medicina Veterinária Preventiva/Especialidade: Imunologia.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

PEREIRA, D. I. B. ; Nascente, P. ; de Faria, R.O. ; XAVIER, M. O. . III Encontro Gaúcho de Micologia. 2016. (Outro).

PEREIRA, D. I. B. . XVI Encontro de Pós-Graduação/UFPel. 2014. (Outro).

BOTTON, S. ; Costa ; PEREIRA, D. I. B. . Biologia Molecular para iniciantes - O ABC da Biologia Molecular. 2008. (Outro).

BOTTON, S. ; PEREIRA, D. I. B. . Worshop de Inicação Científica em Medicina Veterinária. 2007. (Outro).

PEREIRA, D. I. B. ; BAQUINI, G.M. . I Treinamento em métodos de diagnóstico e controle da brucelose e tuberculose animal e de noções em encefalopatias espongiformes transmissíveis. 2005. (Outro).

PEREIRA, D. I. B. ; Nascente, P. ; de Faria, R.O. ; XAVIER, M. O. . III Encontro Gaúcho de Micologia. 2016. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

VIII Congresso Brasileiro de Micologia. PERSPECTIVA DO EMPREGO DE ÓLEOS ESSENCIAIS COMO TERAPIA ALTERNATIVA E/OU ADICIONAL EM INFECÇÕES CAUSADAS POR FUNGOS E OOMICETOS PATÓGENOS DE IMPORTÂNCIA EM MEDICINA VETERINÁRIA. 2016. (Congresso).

VIII Congresso Brasileiro de Micologia. 2016. (Congresso).

VIII Congresso Latinoamericano de Micolgia. 2014. (Congresso).

I workshop de empreendedorismo e inovação na Pós-Graduação - UFPel. 2013. (Outra).

VII CONGRESSO BRASILEIRO DE MICOLOGIA. 2013. (Congresso).

VI Workshop em Nanociências. 2013. (Encontro).

18th Congress of the International Society for Human and Animal Mycology. Ovicidal activity of soil fungi on Toxocara canis eggs ; In vitro activities of albendazole, thiabendazole, ivermectin, levamisole and closantel against nematophagous fungi. 2012. (Congresso).

21 Congresso de Iniciação Científica. Avaliador de poster. 2012. (Congresso).

Curso Internacional de Micología. 2012. (Outra).

Seminário de Acompanhamento de Ciências Biológicas III. 2012. (Seminário).

XIV enpós.Avaliador de trabalhos. 2012. (Encontro).

VII Congresso latinoamericano de micologia. ANÁLISE FILOGENÉTICA DE ISOLADOS BRASILEIROS DE Pythium insidiosum PELO GENE DA COX II. 2011. (Congresso).

XIII enpós.Avaliador de trabalhos em sessão oral. 2011. (Encontro).

XX Congresso de Iniciação Científica/III mostra Científica. Avaliador de poster. 2011. (Congresso).

II Encontro Gaúcho de Micologia. 2010. (Encontro).

36 CONBRAVET. 2009. (Congresso).

Biologia Molecular para iniciantes: O ABC da Biologia Molecular. 2008. (Outra).

I Encontro Gaúcho de Micologia. 2008. (Encontro).

VI CLAM - Congresso Latinoamericano de Micologia. 2008. (Congresso).

5 Congresso Brasileiro de Micologia. 2007. (Congresso).

Otimização e Automação de PCR em tempo real. 2007. (Outra).

Seminário de Responsabilidade Técnica. 2003. (Seminário).

Congresso Brasileiro de Medicina Veterinária (CONBRAVET). 2002. (Congresso).

IV Encontro PUC-SUMEVE. 2002. (Encontro).

XII Ciclo de palestras de Medicina Veterinária. 2002. (Encontro).

Congresso Brasileiro de Microbiologia. 2001. (Congresso).

ENAPAVE. 2001. (Encontro).

Jornada Internacional de Veterinarios de Pequeos Animales. 2001. (Encontro).

Salão de Iniciação Científica. 2001. (Encontro).

RAPAVE. 2000. (Encontro).

Simpósio Brasileiro sobre Micoses Animais. 2000. (Simpósio).

XI Ciclo de palestras de Medicina Veterinária. 2000. (Seminário).

Congresso Brasileiro de MIcrobiologia. 1999. (Congresso).

Encontro de Pesquisadores em Mastite. 1999. (Encontro).

I Encontro de vetores. 1999. (Encontro).

RAPAVE. 1998. (Encontro).

Simpósio de bovinos de leite da Região Sul. 1998. (Simpósio).

Congresso Brasileiro de Microbiologia. 1997. (Congresso).

Doenças em eqüinos e bovinos. 1996. (Outra).

Encontro de Laboratórios de Diagnóstico do Cone Sul. 1996. (Encontro).

Simpósio de bovinos de leite da Região sul. 1996. (Simpósio).

Avanços no diagnóstico em veterinária. 1995. (Outra).

Simpósio de bovinos de leite da Região Sul. 1994. (Simpósio).

Ciclo de atualização em produção e utilização de vacinas em medicina veterinária. 1993. (Outra).

Simpósio de bovinos de corte da Região Sul. 1993. (Simpósio).

Simpósio de bovinos de corte da Região Sul. 1992. (Simpósio).

I Simpósio de bovinos de corte da Região Sul. 1991. (Simpósio).

XI Expo-feira de gado leiteiro de Pelotas. 1991. (Outra).

64 Expo-feira de Pelotas. 1990. (Outra).

I Simpósio de patologia, manejo e alimentação de animais silvestres. 1990. (Simpósio).

Simpósio de parasitologia veterinária. 1990. (Simpósio).

Campanha de Vacinação antirábica em caninos e felinos no município de Pelotas. 1989. (Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Gustavo Waltzer Fehrenbach

PEREIRA, D. I. B.LEITE, F. P. L.; PEREIRA, C. M. P.. Efluente de parboirização do arroz: biorremediação e produção de biomassa. 2019. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Vanessa Osmari

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S.; SANGIONI, LUÍS A.; BRAUNIG, P.. Ocorrência e caracterização molecular de Giardia spp. em amostras fecais de cães naturalmente infectados na região sul do Brasil.. 2019. Dissertação (Mestrado em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Haide Valeska Scheid

PEREIRA, D. I. B.RAFFI, M. B.; OSORIO, L. G.. Doenças de felinos domésticos diagnosticadas no laboratório regional de diagnóstico. 2019. Dissertação (Mestrado em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Vitória Sequeira Gonçalves

PEREIRA, D. I. B.LEITE, F. P. L.; McBride, A.J.A.. Expressão, caracterização e sinalização da proteína recombinante IL-17de Bos taurus. 2018. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Valessa Lunkes Ely

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S.; VARGAS, ÁGUEDA CASTAGNA; GRESSLER, LETICIA TREVISAN;COSTA, M. M.. Moraxella bovis, Moraxella ovis e Moraxella bovoculi: Formação de biofilme e atividade da lisozima. 2018. Dissertação (Mestrado em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Carolina Litchina Brasil

PEREIRA, D. I. B.LEITE, F. P. L.; Saalfeld, M.H.; Nogueira, C.E.W.. Avaliação do colostro de éguas e utilização da fermentação anaeróbica como método substituto do colostro in natura. 2017. Dissertação (Mestrado em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Daiane Voss Rech

PEREIRA, D. I. B.; LOVATO, M.; VAZ, C. S. L.;BOTTON, S. A.. Impacto de tratamentos de cama aviária reutilizada na viabilidade e infectividade de micro-organismos. 2017. Dissertação (Mestrado em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Renan Eugênio Araujo Piraine

PEREIRA, D. I. B.LEITE, F. P. L.; PINTO, L. S.; CUNHA, R. C.. Expressão da glicoproteína D de BoHV-5 na superfície celular de Saccharomyces cerevisae. 2017. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Andrios da Silva Moreira

PEREIRA, D. I. B.; FARIAS, N. A.; SCAINI, C.; Macedo, Marcia Raquel Pegoraro. Comparação de diferentes técnicas para o diagnóstico de Criptosporidium spp. em animais de companhia. 2017. Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Cristiane Telles Baptista

PEREIRA, D. I. B.; FONSECA, A. O. S.; MAIA FILHO, F. S.; RUAS, J. L.. Ação de extratos fúngicos sobre ovos e larvas de Tricostrongilídeos. 2017. Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Izadora Ferreira Previtali

SCAINI, C.; AVILA, L. F. C.;PEREIRA, D. I. B.. Efeito de fungos geofílicos e de desinfetantes de superfície sobre a viabilidade de ovos de Toxocara canis. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande.

Aluno: Izadora Ferreira Previtali

PEREIRA, D. I. B.; AVILA, L. F. C.; SCAINI, C.. Efeito de fungos geofílicos e de desinfetantes de superfície sobre a viabilidade de ovos de Toxacara canis. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande.

Aluno: Júlia de Souza Silveira

PEREIRA, D. I. B.; BOTTON, SÔNIA A.; OSORIO, L. G.;Nascente, P.; FONSECA, ANELISE O. S.. Atividade in vitro dos óleos essenciais de Melaleuca alternifolia, Mentha piperita e Origanum vulgare isolados, combinados entre si e com antifúngicos, frente ao oomiceto Pythium insiidiosum. 2016. Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Rosane de Sousa Quevedo

THYSSEN, P. J.;PEREIRA, D. I. B.; VIANNA, E. E. S.; CARCAMO, M. C.; MARTINS, D. S.. Avaliação da ação de secreções e excreções larvais de Chrysomya megacephala (Fabricius)(Dipetera: Caliphoridae) na recuperação de lesões tegumentares em ratos wistar. 2016. Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Franciéle de Souza Masiero

THYSSEN, P. J.;PEREIRA, D. I. B.; SOUZA, C. M.; AVILA, L. F. C.. Avaliação da cicatrização de lesões tegumentares em ratos Wistar com e sem diabetes mellitus tipo 1 usando a terapia larval. 2015. Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Carla Weiblen

BOTTON, S. A.PEREIRA, D. I. B.; Zanette, Régis A.. Soroprevalência da pitiose equina no Rio Grande do Sul, diagnóstico e controle da pitiose em modelo experimental. 2015. Dissertação (Mestrado em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Josiara Furtado Mendes Redu

PEREIRA, D. I. B.; CLEFF, M.B.; MELLO, F. B.. Atividade biocida de desinfetantes frente a fungos isolados de animais silvestres. 2014. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Aluno: Leonardo Mortagua de Castro

PEREIRA, D. I. B.; CLEFF, M.B.; CORREA, T. G.; ANTUNES, G. M.;Berne, M.E. A. Avaliação in vitro de Ocimum basilicum contra nematódeos gastrointestinais de ovinos. 2014. Dissertação (Mestrado em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Cristina Hallal de Freitas

PEREIRA, D. I. B.; CLEFF, M.B.;Nascente, P.. Identificação e perfil de suscetibilidade de agentes causadores de mastite bovina e determinação da atividade antimicrobiana e citotóxica de óleos essenciais frente a esses micro-organismos. 2014. Dissertação (Mestrado em Bioquímica e Bioprospecção) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Bianca Delgado Menezes Hofstatter

PEREIRA, D. I. B.Nascente, P.; Nizoli, L.Q.; ANTUNES, G. M.. Prevalência de ovos de helmintos em fezes de cães e avaliação de extratos enzimáticos fúngicos sobre ovos de Ancylostoma spp.. 2013. Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Angelita dos Reis Gomes

Mello, J.R.B.;PEREIRA, D. I. B.; de Faria, R.O.. Estudo retrospectivo de infecções fúngicas em caninos e felinosna região sul do RS: 1980-2011. 2012. Dissertação (Mestrado em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Marina Cunha Sinott

PEREIRA, D. I. B.; Leite, F.P.L;Berne, M.E. A; Nizoli, L.Q.. Capacidade nematicida de Bacillus spp. sobre larvas de Haemonchus spp.. 2012. Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Fernando de Souza Maia Filho

PEREIRA, D. I. B.; RUAS, J. L.; de Faria, R.O.. Atividade ovicida de fungos isolados do solo no sul do Brasil sobre ovos de Toxocara canis.. 2012. Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Francielli Pantellla Kunz de Jesus

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S.SANTURIO, J.M.. Susceptibilidade de isolados de Malassezia pachydermatis sensíveis e resistentes ao fluconazol frente antifúngicos e óleos essenciais. 2011. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Deise Flores Santurio

PEREIRA, D. I. B.ALVES, S.H.; Fries, L.L.M.. Atividade antimicrobiana de óleos essenciais de condimentos sobre Escherichia coli. 2011. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia dos Alimentos) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Patrícia Bernardes Cavalheiro

PEREIRA, D. I. B.SANTURIO, J.M.ALVES, Sydney Hartz. Caracterização de antígenos imunodominantes de Pyhtium insidiosum. 2010. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Cláudia Lautert

PEREIRA, D. I. B.; Hertz, P.F.; da Silva, C. S.. Perfil enzimático de isolados do fungo Malassezia pachydermatis. 2010. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Aluno: Carin Elisabete Applet

PEREIRA, D. I. B.; Severo, L.C.. Estudo retrospectivo das dermatofitoses diagnosticadas em cães e gatos em dois laboratórios de Porto Alegre, RS, Brasil nas três últimas décadas. 2010. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Aluno: Ayrton Sydnei Cavalheiro

PEREIRA, D. I. B.; Sônia Terezinha dos Anjos. Atividade in vitro da terbinafina e associações sobre Pythium insidiosum. 2009. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Ana Paula Neuschank Albano

PEREIRA, D. I. B.; RIBEIRO, G.A.; NASCENTE, P.. Fungos e Micoses de Animais Silvestres. 2009. Dissertação (Mestrado em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Carla Weiblen

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S.; Zanette, Régis A.; SANTURIO, J. M.; Denardi, LB; LORETO, E.. Genotipagem e aspectos filogenéticos e evolutivos de Pythium insidiosum. 2019. Tese (Doutorado em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Kathleen Tavares Winkel

THYSSEN, P J; ANTUNES, G. M.; CARCAMO, M. C.; SANTOS, C. M. M.;PEREIRA, D. I. B.. Compostos químicos e moleculares de dípteros (Arthropoda: Insecta) e sua relação com as ciências forenses. 2019. Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Franciéle de Souza Masiero

PEREIRA, D. I. B.; THYSSEN, P J; ANTUNES, G. M.; NASCENTE, P. S.; SANTOS, C. V.. O uso de larvas de dípteros (Arthopoda: Insecta) para o tratamento de lesões tegumentares: uma abordagem multissistêmica. 2019. Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Josiara Furtado Mendes

PEREIRA, D. I. B.; MEIRELES, M. C. A.; ALBANO, A. P.;Nascente, P.. Investigação sorológica e molecular da presença de Paracoccidioides spp. em três mesorregiões do Rio Grande do Sul. 2018. Tese (Doutorado em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Fernando de Souza Rodrigues

PEREIRA, D. I. B.; VOGEL, FERNANDA SILVEIRA FLORES;BOTTON, S. A.; CEZAR, A. S.; LEAL, M. L. R.. Controle da coccidiose em ovinos utilizando toltrazuril. 2018. Tese (Doutorado em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Laura Bedin

PEREIRA, D. I. B.; Alves, Sydney H.; SANTURIO, J. M.; FUENTEFRIA, A. M.; VERWEJ, P. E.. Aspergillus spp: Suscetibilidade aos antifúngicos isolados e em associação por diferentes metodologias e detecção de mecanismos de resistência aos azólicos. 2018. Tese (Doutorado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Vanessa Dal Ben

PEREIRA, D. I. B.; Leite, F.P.L;BOTTON, S. A.; HARTWIG, D. D.; ZAMBRANO, CRISTINA;Gomes, A. R.. Perfil proteico de isolados brasileiros de Pythium insidiosum e detecção de anticorpos em equinos sadios. 2018. Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Simone de Fátima Rauber Würfel

PEREIRA, D. I. B.; PADILHA, W.; DELLAGOSTIN, O.; JORGE, S.; BANDEIRA, F. S.. Caracterização genômica e epidemiologia molecular de Campylobacter termofílicos isolados de produtos cárneos de frango comercializados no Sul do Brasil. 2018. Tese (Doutorado em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Érico Silva de Loreto

PEREIRA, D. I. B.; Alves, Sydney H.; FUENTEFRIA, A. M.; Santurio, Janio M.;BOTTON, S.FERREIRO, L.; COPETTI, M. V.. Suscetibilidade in vitro e in vivo de Pythium insidiosum frente a antibacterianos (macrolídeos, oxazolidonas,e pleuromutilinas) e metifosina. 2018. Tese (Doutorado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Fancielly Felchicher

PEREIRA, D. I. B.; THYSSEN, P. J.; BRETANHA, P. R.; DUARTE, J. L. P.; BELMONTE, C.. Levantamento de mosquitos (Dipetera:Culicidae) e investigação de arbovírus no sul da Planície Costeira, RS. 2018. Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Juliana de Lima Marques

PEREIRA, D. I. B.; PADILHA, W.; RIBEIRO, G. A.; PIENIZ, S.; FIORENTINI, A. M.. Atividade probiótica de Pediococcus pentosaceus P47 e P97: caracterização in vitro, aplicação em sistema alimentar e modulação da resposta imune in vivo. 2018. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: ANA MUÑOZ VIANNA

PEREIRA, D. I. B.; CUNHA, R. C.; CONCEICAO, F. R.. Emulsões de polissacarídeo bacteriano como adjuvantes em vacinas recombinates. 2018. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Cristina Gomes Zambrano

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S.AZEVEDO, M.I.; Sallis, Elisa S.V.;Gomes, A. R.; FONSECA, A. O. S.. Isolamento, caracterização e avaliação da patogenicidade de Pythium spp. de ecossistemas de água doce no estado do Rio Grande do Sul e influência da temperatura na zoosporogênese de Pythium insidiosum. 2017. Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Juliano Gonçalves Pereira

PADILHA, W.; FIORENTINI, A. M.; Leite, F.P.L; LOPES, G. V.;PEREIRA, D. I. B.. Perigos associados à importação ilegal de produtos de origem animal na região de fronteira entre Brasil, Argentina e Uruguai. 2017. Tese (Doutorado em Ciência e Tecnologia de Alimentos) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Fernando de Souza Maia Filho

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S. A.AZEVEDO, Maria Isabel; AVILA, L. F. C.; VILELLA, M. M.; FONSECA, ANELISE O. S.. Ação dos fungos nematófagos Purpureocillium lilacinum e Trichoderma virens sobre ovos de Toxocara canis e avaliação da infectiividade em modelo experimental. 2016. Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Angelita dos Reis Gomes

PEREIRA, D. I. B.; de Faria, R.O.;MEIRELES, M. C. A.SCHILD, A L; SALLIS, E S V. Infecções fúngicas e micotoxicoses em animais do sul do Rio Grande do Sul. 2016. Tese (Doutorado em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Débora Alves Nunes Mário

ALVES, S. H.; SCHWARZBOLD, A. V.;PEREIRA, D. I. B.; SANTURIO, J. M.; Zanette, Régis A.;BOTTON, S. A.; LORETO, E.. Complexo Sporotrix schenckii: Suscetibilidade à terapia fotodinâmica, influência da melanina na atividade dos antifúngicos e combinação de fármacos in vitro. 2015. Tese (Doutorado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Maria Cristina da Silva

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S. A.DUTRA, V.. Proteínas imunorreativas de Conidiobolus lamprauges e variabilidade genética dos isolados clínicos de ovinos infectados naturalmente pela técnica de RAPD.. 2015. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Mato Grosso.

Aluno: REGIS ADRIEL ZANETTE

PEREIRA, D. I. B.Ferreiro, LaerteFIGHERA, R.A.ALVES, S.H.; Botton, S.A.; LORETO, E.;SANTURIO, J.M.. O papel do íon ferro nas infecções por Pythium insidiosum. 2014. Tese (Doutorado em Farmacologia) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Flávia Biasoli de Araújo

PEREIRA, D. I. B.; MEINERIZ, A. R.; MEIRELES, M. C. A.; CLEFF, M.B.. Isolamento, caracterização e eficácia de fungos nematófagos autóctones do Rio Grande do Sul no controle de nematóides gastrintestinais de ovinos. 2014. Tese (Doutorado em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Marcial Corrêa Cárcamo

BRETANHA, P. R.; MENEZES, A. M. D.; VIANNA, E. E. S.; SILVA, C. E.;PEREIRA, D. I. B.. Avaliação de Beauveria bassiana e Metarhizium anisopliae (Hypocreales) sobre Periplaneta americana (L. 1758) (Blattaria, Blatidae), Musca domestica (L. 1758) (Diptera, Muscidae) e Culex quinquefasciatus Say, 1823 (Diptera, Cilicidae). 2014. Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Sâmara Nunes Gomes

ANTUNES, G. M.; RUAS, J. L.; LANGONI, P. Q.; VIANNA, E. E. S.;PEREIRA, D. I. B.. Parasitos e micro-organismos aeróbios da migrante Calidris fuscicollis (Vieillot, 1819) (Aves: Scolopacidae) no Rio Grande do Sul, Brasil.. 2014. Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Luana Alves Drummer

PEREIRA, D. I. B.LEITE, F. P. L.; FISHER, G.; HUBNER, S. O.. Aplicação da glicoproteína D recombinante de herpesvírus bovino tipo 5 como antígeno em teste de imunodiagnóstico e vacina de subunidade. 2013. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Mara Helena Saalfeld

PEREIRA, D. I. B.; Botton, S.A.; Leite, F.P.L; GANDRA, E. A.;GULARTE, M. A.; LIMA, H. G.. Silagem de colostro bovino: propriedades e potencialidades de uso. 2013. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Patricia Jacob Santos

PEREIRA, D. I. B.; CLEFF, M.B.;Nascente, P.. Bactérias multirresistentes oriundas de mastite bovina subclínica: suscetibilidade a antissépticos. 2013. Tese (Doutorado em Bioquímica e Bioprospecção) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Gabriel Baracy Klafke

PEREIRA, D. I. B.; McBride, A.J.A.; Conceição, F.R.. Avaliação da lectina de Bauhinia variegata (BVL) nativa e recombinante como insumo biotecnológico na área médica. 2013. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Juliana Siqueira Argenta

PEREIRA, D. I. B.; Severo, L.C.; Pereira, S.A.. Atividade in vitro e in vivo da terbinafina, itraconazol, caspofungina, ibuprofeno e fluvastatina em combinações duplas e triplas frente a Pythium insidiosum. 2012. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Aluno: Daniele Carvalho de Oliveira

Alves, Sydney H.;PEREIRA, D. I. B.; ROLIM, C. M. B.; Santurio, Janio M.; MOREIRA, C. M.. S. schenkii, S. luriei, S. brasiliensis e S. albicans: Suscetibilidade a agentes antifúngicos combinados e caracterização de perfil enzimático. 2012. Tese (Doutorado em Farmacologia) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Régis Sturbelle

PEREIRA, D. I. B.; McBride, A.J.A.; Silva, E.F.. Quorum sensing em Escherichia coli enterotoxigênica: produção de vacina e estudo de fatores de patogenicidade. 2012. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Fernanda Vieira Amorin da Costa

PEREIRA, D. I. B.; de Oliveira, S.D.; Duarte, A.T.. Determinação da variabilidade genotípica e caracterização molecular de isolados de Microsporum canis. 2010. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Aluno: Fabiane Borelli Grecco

Barros, C.S.L;PEREIRA, D. I. B.SALLIS, E. S. V.. Intoxicação por Senecio spp: Padrões morfológicos hepáticos em bovinos e resistência adquirida em ovinos. 2009. Tese (Doutorado em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Bibiana Martins barasuol

BOTTON, S.VARGAS, A. C.; ARAUJO, D. A.;PEREIRA, D. I. B.GRESSLER, L. T.; CARGNELUTTI, J. F.. Isolamento e caracterização genômica e fenotípica de bacteriófagos quanto ao seu potencial de uso terapêutico em mastites bovinas causadas por Staphylococcus spp.. 2019. Exame de qualificação (Doutorando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Julia de Souza Silveira Valente

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S.; ZAMBRANO, C. G.. Atividade in vitro e in vivo de compostos bioativos de plantas medicinais e nanopartículas de prata sobre Pythium insidiosum. 2019. Exame de qualificação (Doutorando em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Carolina Litchina Brasil

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S.; Saalfeld, M.H.; MARQUES, J.. Avaliação da fermentação anaeróbica (silagem) de colostro equino e bovino. 2019. Exame de qualificação (Doutorando em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Cristina Hallal de Greitas

Pereira, D.I.B.; NASCENTE, P. S.; SCAGLIONI, P. T.. Determinação de aflatoxinas B1 e M1 em leite produzido no sul do Brasil. 2019. Exame de qualificação (Doutorando em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Aryse Martins Melo

Pereira, D.I.B.; XAVIER, M. O.; GROLL, A.; NASCENTE, P.. Aspergillus no contexto "One Health": Identificação molecular e avaliação da resistência a azóis em isolados clínicos e ambientais. 2019. Exame de qualificação (Doutorando em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Natália Berne Pìnto

Pereira, D.I.B.LEITE, F. P. L.; Nizoli, L.Q.; AVILA, L. F. C.. Desenvolvimento de insumos imunobiológicos para o controle de Haemonchus contortus em ovinos. 2019. Exame de qualificação (Doutorando em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Renan Eugênio Araujo Piraine

Pereira, D.I.B.LEITE, F. P. L.; FIORENTINI, A. M.. Caracterização de leveduras selvagens como potencial para indústria cervejeira. 2019. Exame de qualificação (Doutorando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Valessa Lunkes Ely

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S.; VARGAS, AGUEDA C.; CARGNELUTTI, J. F.; GRESSLER, LETICIA TREVISAN. Prototheca zopfii: Avaliação da formação de biofilmes e do potencial antimicrobiano de novos compostos. 2019. Exame de qualificação (Doutorando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Érico Silva de Loreto

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S. A.; SANTURIO, J. M.;ALVES, S Hartz. Suscetibilidade in vitro de Pythium insidiosum frente a antibacterianos (macrolídeos, oxazolidonas,e pleuromutilinas) e mitelfosina. 2018. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Vanessa Dal Ben

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S.AZEVEDO, M.I.; Leite, F.P.L. Perfil proteico e sorológico de isolados brasileiros de Pythium insidiosum. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Carla Weiblen

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S. A.; LORETO, E.; JESUS, F.P.K; ARAUJO, D. A.. Pythium insidiosum: análises filogenéticas e filogeográficas e clonagem e expressão de genes constitutivos de parede e flagelo. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Karine Bizzi Schlemmer

PEREIRA, D. I. B.ALVES, Sydney Hartz; SANTURIO, J. M.; Zanette, Régis A.; LEAL, D. B. R.;BOTTON, S.; LORETO, E.. Suscetibilidade in vitro de Malassezia pachydermatis frente a associação de fármacos antifúngicos. 2016. Exame de qualificação (Doutorando em Farmacologia) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Cristina Gomes Zambrano

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S. A.AZEVEDO, Maria Isabel; FONSECA, ANELISE O. S.; Sallis, Elisa S.V.. Isolamento e caracterização de espécies de Pythium de ambientes aquáticos no estado do Rio Grande do Sul e avaliação da patogenicidade em modelo experimental. 2016. Exame de qualificação (Doutorando em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Juçara Tinasi de Oliveira

PEREIRA, D. I. B.BOTTON, S. A.DUTRA, V.. CARACTERIZAÇÃO E AVALIAÇAO DA CAPACIDADE IMUNOGÊNICA DO GENE ENOLASE DE Conidiobolus lamprauges. 2015. Exame de qualificação (Doutorando em Ciência Animal) - Universidade Federal de Mato Grosso.

Aluno: Fernando de Souza Maia Filho

BOTTON, SÔNIA A.; FONSECA, ANELISE O. S.; VILELLA, M. M.; AVILA, L. F. C.;PEREIRA, D. I. B.. Avaliação in vivo do tratamento de ovos de Toxocara canis com os fungos Purpereocillium lilacinum (Paecilomyces lillacinus CG 193) e Trichoderma virens. 2015. Exame de qualificação (Doutorando em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Fernando de Souza Rodrigues

BOTTON, S.PEREIRA, D. I. B.; VOGEL, FERNANDA SILVEIRA FLORES;SANGIONI, LUIS ANTÔNIO; PAIVA, F.. Eimeria spp. em ovinos: avaliação de protocolos de tratamento, do perfil da resposta imune e de sistemas de cultivo celular in vitro. 2015. Exame de qualificação (Doutorando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Tarcieli Pozzebon Venturini

PEREIRA, D. I. B.; Botton, S.A.; LORETO, E.; OLIVEIRA, D. C.; COPETTI, M. V.; MATTER, L. B.. Prospecção de combinações antifúngicas sinérgicas in vitro para Fusarium spp.. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Angelita dos Reis Gomes

MEIRELES, M. C. A.;SCHILD, A LPEREIRA, D. I. B.; de Faria, R.O.; SALLIS, E S V. Epidemiologia de infecções fúngicas em animais na região sul do RS. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Marcial Corrêa Cárcamo

PEREIRA, D. I. B.; BRETANHA, P. R.; VIANNA, E. E. S.; ZIMMER, C. R.; MENEZES, A. M. D.. Avaliação de Metarhizium anisopliae (Hypocreales, Clavicipitaceae) e Beauveria bassiana (Hypocreales, Clavicipitaceae) sobre imaturos e adultos de Culex quinquefasciatus Say, 1823 (Diptera, Culicidae), Musca domestica L.(Diptera, Muscidae) e Periplaneta americana ( L.) (Blattaria, Blattidae), em laboratório.. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Flávia Biasoli de Araújo

PEREIRA, D. I. B.; CLEFF, M.B.; MEINERIZ, A. R.. Controle Biológico com fungos nematófagos. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: REGIS ADRIEL ZANETTE

PEREIRA, D. I. B.SANTURIO, Janio MoraisALVES, Sydney Hartz; Fighera, Rafael Almeida; LORETO, E.. O papel do íon ferro nas infecções por Pythium insidiosum. 2012. Exame de qualificação (Doutorando em Farmacologia) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Gabriel Baracy Klafke

McBride, A.J.A.; Conceição, F.R.;PEREIRA, D. I. B.. Utilização de lectinas vegetais nativas e recombinantes como insumo biotecnológico. 2012. Exame de qualificação (Doutorando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Mara Helena Saalfeld

PEREIRA, D. I. B.LEITE, F. P. L.; Arocha, M.. Utilização de Silagem de Colostro Bovino como Supelemento Nuctricional. 2011. Exame de qualificação (Doutorando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Isabel Martins Madrid

PEREIRA, D. I. B.; NASCENTE, P.. Estudo das caracteristicas fenotípicas, fatores de patogenicidade e suscetibilidade de isolados de Sporotrix schenckii a desinfetantes. 2009. Exame de qualificação (Doutorando em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Fabiane Borelli Greco

PEREIRA, D. I. B.; SALLIS, E S V;RAFFI, M. B.. Intoxicação por Senecio spp: Padrões morfológicos hepáticos em bovinos e resistência adquirida em ovinos. 2009.

Aluno: Cristiane Telles Baptista

PEREIRA, D. I. B.; Filho, F.S.M; VALENTE, JÚLIA SILVEIRA; BRASIL, CAROLINA LITCHINA. Ação de extratos fúngicos sobre ovos e larvas de Tricostrongilídeos de pequenos ruminantes. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Isabel da Rocha Aldrighi

PEREIRA, D. I. B.; Filho, F.S.M; BAPTISTA, CRISTIANE TELLES; VALENTE, JÚLIA SILVEIRA. Ação ovicida de Purpureocillium lilacinum aplicado a solo contaminado com ovos de Toxocara canis. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Caroline Quintana Braga

PEREIRA, D. I. B.; DA SILVA FONSECA, ANELISE OLIVEIRA; BRASIL, CAROLINA LITCHINA. Suscetibilidade in vitro de Pythium insidiosum frente aos óleos de Helianthus annus L., Eugenia caryophyllata e suas combinações. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Bárbara Ponzilacqua Silva

PEREIRA, D. I. B.; MENDONCA, G.; ROSA, J. V.. Estágio curricular. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Natalie Rauber Kleinubing

PEREIRA, D. I. B.; DUVAL, E. H.; FERREIRA, C. E. R.. Estágio curricular. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Juliana de Lima Marques

PEREIRA, D. I. B.; NASCENTE, P.; RIBEIRO, G.A.; LENCINA, C. L.. Atividade antibacteriana de óleos essenciais de Origanum vulgare e Origanum majorana frente a cepas bacterianas patogênicas de alimentos. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Lisiane Martins Volcão

PEREIRA, D. I. B.; NASCENTE, P.; RIBEIRO, G.A.; LENCINA, C. L.. Potencial antibacteriano de condimentos frente a isolados de carne moída. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Ayrton Sydnei Cavalheiro

PEREIRA, D. I. B.ALVES, Sydney Hartz. Microbiologia de Alimentos. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Stela Elisangela Schwendler

PEREIRA, D. I. B.ALVES, Sydney Hartz. Microbiologia de Alimentos. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Leila Cristiane Aguiar

PEREIRA, D. I. B.ARGENTA, Juliana Siqueira. Microbiologia de Alimentos. 2005. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Pedro Miguel Ocampos Pedroso

PEREIRA, D. I. B.. Patologia Veterinária. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Cristina Braccini Colpo

PEREIRA, D. I. B.. Clínica de Pequenos Animais. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Diana W

PEREIRA, D. I. B.. Mutti.Inspeção sanitária e tecnologia de pescado e derivados e reabilitação de animais marinhos.. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Elenora Brunoni

PEREIRA, D. I. B.. Clínica de pequenos animais. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Ellen Arias Almeida

PEREIRA, D. I. B.. Clínica de pequenos animais. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Carla Guazelli Paim

PEREIRA, D. I. B.. Bovinocultura de leite. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Rejane Fraga Marques

PEREIRA, D. I. B.. Inspeção de abate de suínos. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Sabrina Manoela Rosa de Fraga

PEREIRA, D. I. B.. Inspeção de produtos de origem animal. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Amarílis Díaz de Carvalho

PEREIRA, D. I. B.. Inspeção de produtos de origem animal. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Daniel Wanderer

PEREIRA, D. I. B.. Inspeção Sanitária. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Marcelo Crescente de Souza

PEREIRA, D. I. B.. Manejo de Aves. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Priscila paines Viana

PEREIRA, D. I. B.. Clínica de pequenos animais. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Cristiane Tellechea Goulart

PEREIRA, D. I. B.. Clínica de grandes animais. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Gustavo Chiarelli Rubin

PEREIRA, D. I. B.. Diagnóstico imunológico e microbiológico. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Rodrigo de Oliveira

PEREIRA, D. I. B.. Bovinocultura de leite. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Mainer Pereira Encina

PEREIRA, D. I. B.. Clínica médica e cirurgia de pequenos animais. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Artur Valério Cony

PEREIRA, D. I. B.. Sanidade e manejo avícola. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Natércia Ribeiro

PEREIRA, D. I. B.. Patologia clínica e clínica de pequenos animais. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Cátia dos Santos

PEREIRA, D. I. B.. Manejo e reprodução de emas. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Elizandra Goulart Rodrigues

PEREIRA, D. I. B.. Inspeção de produtos de origem animal. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Luís Eduardo Razia

PEREIRA, D. I. B.. Desenvolvimento e avaliação de métodos imunoenzimáticos (ELISA) para diagóstico de salmonelose suína. 2000. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Jacqueline Dias Rodrigues

PEREIRA, D. I. B.. Manejo e clínica de animais silvestres. 2000. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Roberto farias

PEREIRA, D. I. B.. Sanidade e patologia suína. 2000. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Glaucia Farias

PEREIRA, D. I. B.. Análise da qualidade do leite. 1999. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Renata Muricy

PEREIRA, D. I. B.. Diagnóstico de doenças infecciosas e produção de imunobiológicos. 1999. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Laura Arias Almeida

PEREIRA, D. I. B.. Clínica de pequenos animais. 1999. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Christina Canto de Freitas

PEREIRA, D. I. B.. Clínica e cirurgia de eqüinos. 1999. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Marta Mássia Cabreira

PEREIRA, D. I. B.. Controle de qualidade da carne. 1999. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Rodrigo Wenczenovicz

PEREIRA, D. I. B.. Bovinocultura de leite. 1999. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Zootecnia) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Lauren Ventura

PEREIRA, D. I. B.. Patologia suína. 1998. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Henrique da Silva

PEREIRA, D. I. B.. Clínica e cirurgia de pequenos animais. 1998. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Aluno: Fabíola Caetano Malinowski

PEREIRA, D. I. B.. Inspeção de produtos de origem animal. 1998. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

RIBEIRO, G.A.;PEREIRA, D. I. B.; NASCENTE, P.. Microbiologia ambiental - Processo seletivo para professor adjunto. 2009. Universidade Federal de Pelotas.

RIBEIRO, G.A.; NASCENTE, P.;PEREIRA, D. I. B.. Microbiologia ambiental - Professor assistente. 2009. Universidade Federal de Pelotas.

PEREIRA, D. I. B.; NASCENTE, P.; VILELLA, M. M.. Microbiologia e Imunologia - Professor Substituto. 2009. Universidade Federal de Pelotas.

PEREIRA, D. I. B.. Microbiologia Veterinária e Doenças Infecto-Contagiosas dos Animais - Professor adjunto. 2009. Universidade Federal do Pampa.

PEREIRA, D. I. B.. Micologia clínica - Professor Adjunto. 2007. Universidade Comunitária da Região de Chapecó.

PEREIRA, D. I. B.. 21 Congresso de Iniciação científica. 2012. Universidade Federal de Pelotas.

PEREIRA, D. I. B.; Neto, A.M.; KUSS, A. V.. Professor Substituto (área microbiologia e imunologia). 2011. Universidade Federal de Pelotas.

PEREIRA, D. I. B.. XX Congresso de Iniciação Científica / III Mostra Científica. 2011. Universidade Federal de Pelotas.

Nascente, P.PEREIRA, D. I. B.. XIII Encontro de Pós Graduação. 2011. Universidade Federal de Pelotas.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Sydney Hartz Alves

ALVES, S. H.; MELLO, J. R. B.; GUTERRES, S.; MEIRELES, Mario Carlos Araújo. Avaliação de dois diferentes tratamentos, imunoterapia e caspofungina, na pitiose experimental em coelhos.. 2008. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

MARIO CARLOS ARAUJO MEIRELES

MELLO, João Roberto Braga de; ALVES, Sydney Hartz;MEIRELES, M. C. A.; Guterres, S. S.. Avaliação de dois diferentes tratamentos, imunoterapia e caspofugina, na pitiose experimental em coelhos.. 2008. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

João Roberto Braga de Mello

Alves, Sydney;MEIRELES, Mário Carlos Araújo; Guterres, Silvia;MELLO, J. R. B.. Avaliação de dois diferentes tratamentos, imunoterapia e caspofugina, na pitiose experimental em coelhos. 2008. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Patricia Valente da Silva

VALENTE, Patrícia. Avaliação in vitro da susceptibilidade de Pythium insidiosum a novos antifúngicos e estudo comparativo de diferentes terapêuticas aplicadas à pitiose experimental em coelhos.. 2006. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Sílvia Stanisçuaski Guterres

GUTERRES, S. S.; MELLO, J. R. B.; ALVES, S. H.. Avaliação de dois diferentes tratamentos, imunoterapia e caspofungina, na pitiose experimental em coelhos. 2008. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Orientou

Carolina Bermann

Presença de Criptococcus spp; em Columbia livia; Início: 2019; Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Caroline Quintana Braga

Avaliação da presença de Pythium insidiosum em imaturos e adultos de Culex quinquefasciatus; Início: 2018; Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Mariane Vecchi

Infecções fúngicas em pacientes HIV atendidos no Hospital Escola da UFPel; Início: 2019; Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas; (Orientador);

Andrios da Silva Moreira

Identificação molecular e filogenia de Criptosporidium spp; de origem canina e felina; Início: 2018; Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Coorientador);

Cristiane Telles Baptista

Atividade anti-Toxocara canis de fungos nematófagos aplicados a solos contaminados com o nematódeo; Início: 2018; Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Carolina Litchina Brasil

Atividade probiótica do colostro bovino; Início: 2017; Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Júlia de Souza Silveira

Aplicação de óleos essenciais de plantas medicinais como estratégias terapêuticas para controle da pitiose experimental; Início: 2016; Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Waldenis Pereira da Trindade Junior

Aplicação de óleos essenciais de plantas medicinais como estratégias terapêuticas para controle da pitiose experimental; Início: 2019; Iniciação científica (Graduando em Medicina Veterinaria) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Cristiane Telles Baptista

Fungos aplicados ao controle biológico de helmintos; 2017; Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Andrios da Silva Moreira

Criptosporidiose em animais de companhia; 2017; Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas,; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Bruna Baccega

Criptosporidiose em animais de produção; 2017; Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Julia de Souza Silveira Valente

Suscetibilidade in vitro de Pyhtium insidiosum à óleos essenciais nanoparticulados e associados a antifúngicos; 2016; Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Bianca Delgado Menezes Hofstatter

Prevalência de ovos de helmintos em fezes de cães e avaliação de extratos enzimáticos fúngicos sobre ovos de Ancylostoma spp; ; 2013; Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Fernando Maia

Avaliação in vitro da atividade ovicida de fungos isolados de solo do município de Pelotas/RS sobre ovos de Toxocara canis; 2010; Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Juliana Nunes Vieira

Suscetibilidade de fungos nematófagos frente a fármacos antiparasitários; 2010; Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Deise Farias Freitas

AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DE TEMPERATURA BASE SOBRE O FUNGO SIMBIONTE DE FORMIGAS CORTADEIRAS; ; 2009; Dissertação (Mestrado em Fitossanidade) - Universidade Federal de Pelotas,; Coorientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Anelise Oliveira S

Fonseca; Suscetibilidade de dermatófitos e Pythium insidiosum a óleos essenciais; 2009; Dissertação (Mestrado em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Coorientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Tarcieli Pozzebon Venturini

Associações Antifúngicas Sinérgicas com Voriconazol; 2008; Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal de Santa Maria,; Coorientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Christiane Duarte Pombo

Estudo da micorbiota fúngica e presença de Trichophyton verrucosum no tegumento hígido de bovinos de corte e participação do solo como fonte de contaminação; ; 2003; 44 f; Dissertação (Mestrado em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Coorientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Vanessa Silvieira Dal Ben

Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P; insidiosum e detecção de anticorpos em equinos sadios; 2018; Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Cristina Zambrano

Isolamento de Pythium insidiosum de ambientes aquáticos no estado do Rio Grande do Sul ; Reprodução experimental da pitiose em coelhos e avaliação da patogenicidade de espécies de Pythium spp; ; 2017; Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas,; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Fernando de Sousa Maia Filho

Viabilidade de larvas de Toxocara canis após contato com fungos nematófagos; 2016; Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas,; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Diego Silva da Silva

Fauna parasitária associada a Sterna spp; (trinta-réis) da região costeira do extremo sul do Brasil; 2016; Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Anelise de Oliveira Fonseca

Suscetibilidade de Pythium insidiosum a óleos essenciais e proposta de um novo inoculo para testes de suscetibilidade in vitro; 2015; Tese (Doutorado em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Mara Helena Saalfeld

Potencialidades e usos da silagem de colostro bovino; 2013; Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas,; Coorientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Eliane Pereira

Variação latitudinal nas infecções helmintícas do leão marinho-do-Sul e avaliação da contaminação ambiental por fungos e ovos de helmintos ao redor das carcaças; ; 2012; Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Michele Guimarães Donatti

Variabilidade genética do fungo cultivado por Acromyrmex spp no Estado do Rio Grande do Sul; ; 2011; Tese (Doutorado em Fitossanidade) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Sâmara Nunes Gomes

Parasitos e microrganismos da migrante Calidris fuscicollis (Aves:Scolopacidae) no sul do Rio Grande do Sul; ; 2011; Tese (Doutorado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Mara Helena Saalfeld

Utilização da Silagem de Colostro Bovino como suprimento nutricional; 2009; Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas,; Coorientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Caroline Quintana Braga

Suscetibilidade in vitro de Pythium insidiosum frente aos óleos de Helianthus annus L; , Eugenia caryophyllata e suas combinações; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Cristiane Telles Baptista

Ação de extratos fúngicos sobre ovos e larvas de Tricostrongilídeos de pequenos ruminantes; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Isabel da Rocha Aldrighi

Ação ovicida de Purpureocillium lilacinum aplicado a solo contaminado com ovos de Toxocara canis; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Júlia de Souza Silveira

Análise de microbiota fúngica em utensílios de madeira oriundos de unidades de alimentação; 2013; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Bruna Ferraz Corrêa

Efeito in vitro de cloreto de sódio, iodeto de polivinilpirrolidona, formalina e permanganato de potássio no controle de Saprolegnia spp; em ovos de peixes-rei; 2011; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Daniela Almeida

PESQUISA DE FONTES AMBIENTAIS DE CRYPTOCOCCUS NEOFORMANS E OCORRÊNCIA DE CRIPTOCOCOSE HUMANA, NA CIDADE DE URUGUAIANA, RS, BRASIL; 2009; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biologia) - Pontificia Universidade Católica do rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Emilio Bernardon Neto

Clínica de Pequenos Animais; 2004; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Victor Gatto

Clínica de Grandes Animais; 2004; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Rodrigo Caetano

Manejo e Clínica de Bovinos de leite; 2004; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Cristina Braccini Colpo

Clinica de pequenos animais; 2003; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Diana Wischeral Mutti

Inspeção sanitária e tecnologia de pescado e derivados e reabilitação de animais marinhos; 2003; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Carla Guazelli Paim

Bovinocultura de leite; 2002; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Priscila paines Viana

Clínica de pequenos animais; 2001; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Cristiane Tellechea Goulart

Clinica de Grandes Animais; 2001; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Gustavo Chiarelli Rubin

Diagnóstico imonológico e microbiológico; 2001; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Rodrigo de Oliveira

Bovinocultura de leite; 2001; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Mainer Pereira Encina

Clínica médica e cirurgia de pequenos animais; 2001; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Artur Valério Cony

Sanidade e manejo avícola; 2001; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Natércia Ribeiro

Patologia clínica e clínica de pequenos animais; 2001; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Luís Eduardo Razia

Desenvolvimento e avaliação de métodos imunoenzimáticos (Elisa) para diagnóstico de salmonelose suína; 2000; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Gláucia de Medeiros Farias

Análise da qualidade do leite; 1999; 40 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Renata Muricy

Diagnóstico de doenças infecciosas e produção de imunobiológicos; 1999; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Laura Arias Almeida

Clínica de Pequenos Animais; 1999; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Giovana Mancilla Pivato

Aplicação de óleos essenciais de plantas medicinais como estratégias terapêuticas para controle da pitiose experimental; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Caroline Quintana Braga

Aplicação de óleos essenciais de plantas medicinais como estratégias terapêuticas para controle da pitiose experimental; 2017; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Caroline Quintana Braga

Suscetibilidade in vitro de Pythium insidiosum à óleos essenciais nanoparticulados e suas combinações com antifúngicos; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Caroline Quintana Braga

Reprodução experimental da pitiose em coelhos e avaliação da patogenicidade de espécies de Pythium spp; 2015; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Caroline Quintana Braga

Suscetibilidade in vitro e in vivo do oomiceto Pythium insidiosum a óleos essenciais; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Beatriz Persici Maroneze

Reprodução experimental da pitiose em coelhos e avaliação da patogenicidade de espécies de Pythium spp; ; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Beatriz Persici Maroneze

Perfil proteico de isolados brasileiros de Pythium insidiosum; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Beatriz Persici Maroneze

Perfil proteico de isolados brasileiros de Pythium insidiosum; ; 2012; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinaria) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Beatriz Persici

Caracterização molecular de isolados brasileiros de Pythium insidiosum; 2011; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinaria) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Julia de Sousa Silveira

Isolamento de Pythium insidiosum de ambientes aquáticos no Estado do Rio Grande do Sul; 2010; Iniciação Científica; (Graduando em Biologia) - Universidade Federal de Pelotas, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Bruna Ferraz Corrêa

CARACTERIZAÇÃO MOLECULAR DE ISOLADOS DE PYTHIUM INSIDIOSUM, OOMICETO CAUSADOR DA PITIOSE EM ANIMAIS E HUMANOS; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em Biologia) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Camila Pizani

CARACTERIZAÇÃO MOLECULAR DE ISOLADOS DE PYTHIUM INSIDIOSUM, OOMICETO CAUSADOR DA PITIOSE EM ANIMAIS E HUMANOS; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Katia da Silveira Viana

Características físico-químicas e microbiológicas do leite consumido no município de Uruguaiana, não inspecionado; 2004; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Telmo Fraga Rodrigues

Carne vermelha: procedência, formas de comercialização, preferências e consumo na cidade de Uruguaiana, RS; ; 2004; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Jovana Ferreira Martins

Efeito da levedura Saccharomyces cererviseae (BIOSAF) nos índices de mastite subclínica bovina e na produtividade de leite; ; 2003; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Cristina Braccini Colpo

Estudo do potencial zoonótico de gatos domésticos na transmissão da esporotricose; 2002; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Diana Wischeral Mutti

Histopatologia e microbiologia de lesões encontradas em peças de carcaças de bovinos abatidos em frigorífico na região de Uruguaiana, Rio Grande do Sul; ; 2002; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Carla Guazelli Paim

Estudo Microbiológico e histopatológico de lesões granulomatosas em bovinos abatidos em frigoríficos na região de Uruguaiana, Rio Grande do Sul; ; 2001; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Guilherme Rocha

Intoxicação experimental em ovinos com Ramaria favo-brunnensces fresca no município de Uruguaiana, Rio Grande do Sul; ; 2001; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Wilson Bishop

Intoxicação experimental de ovinos com Ramaria flavo-brunnensces, no município de Uruguaiana, Rio Grande do Sul; ; 2000; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Gustavo Chiarelli Rubin

Prevalência da mastite bovina no município de Uruguaiana, Rio Grande do Sul e sua relação com os agentes ambientais; 2000; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Luís Eduardo Razia

Prevalência e etiologia da mastite bovina no município de Uruguaiana, Rio Grande do Sul; ; 1999; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina Veterinária) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Cristiane Telles Baptista

Aplicação de óleos essenciais de plantas medicinais como estratégias terapêuticas para controle da pitiose experimental; 2017; Orientação de outra natureza - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Carolina Litchina Brasil

Aplicação de óleos essenciais de plantas medicinais como estratégias terapêuticas para controle da pitiose experimental; 2017; Orientação de outra natureza - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Anelise de Oliveira Fonseca

Aplicação de óleos essenciais de plantas medicinais como estratégias terapêuticas para controle da pitiose experimental; 2016; Orientação de outra natureza - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Cristiane Telles Baptista

Monitoria em Disciplina de Microbiologia; 2014; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas, Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Suzane Olachea Allend

Monitoria em Microbiologia; 2013; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Jéssica Lopes Borchardt

Monitoria Voluntária em Microbiologia; 2013; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Caiane Arceno

Bolsa de Monitoria; 2012; Orientação de outra natureza; (Nutrição) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Douglas Nonnemacher

Bolsista de Extensão; 2009; Orientação de outra natureza; (Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Bruna Corrêa

Monitoria; 2009; Orientação de outra natureza; (Biologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Natália Berne Pìnto

Bolsa de Extensão; 2009; Orientação de outra natureza; (Medicina Veterinaria) - Universidade Federal de Pelotas, Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Karen Rabelo

Monitoria da Disciplina de Microbiologia I; 2004; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Cíntia Braseiro

Monitoria da Disciplina de Microbiologia I; 2004; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Fernanda Ferreira Baptista Lusardo

Monitoria da Disciplina de Microbiologia II; 2004; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Matheus de Martini

Monitoria da Disciplina de Microbiologia II; 2004; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Fernanda Ferreira Baptista Lusardo

Monitoria da Disciplina de Microbiologia I; 2003; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Fernanda Ferreira Baptista Lusardo

Monitoria da Disciplina de Microbiologia II; 2003; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Karen Rabelo

Monitoria da Disciplina de Microbiologia II; 2003; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Kellen Nunes

Monitoria Disciplina de Microbiologia I; 2002; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Aline Cabeleira Alvarez

Monitoria da Disciplina de Microbiologia II; 2002; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Denita Bortolazzo

Diagnóstico bacteriológico e micológico; 2002; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Kellen Nunes

Monitoria Disciplina de Microbiologia II; 2001; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Christiane Duarte Pombo

Diagnóstico bacteriológico e micológico; 2000; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Gustavo Chiarelli Rubin

Diagnóstico bacteriológico e micológico; 2000; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Paulo Roberto Pereira

Monitoria Disciplina de Microbiologia I; 2000; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Gláucia de Medeiros Farias

Diagnóstico bacteriológico e micológico; 1999; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Chistiane Duarte Pombo

Diagnóstico bacteriológico e micológico; 1999; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Adriane Bartmann

Diagnóstico bacteriológico e micológico; 1998; 0 f; Orientação de outra natureza - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Orientador: Daniela Isabel Brayer Pereira;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Laerte Ferreiro

Suscetibilidade in vitro e in vivo de Pythium insidiosum: Estudo comparativo entre acetato de caspofungina e imunoterapia em coelhos; 2008; Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Laerte Ferreiro;

Janio Morais Santurio

Susceptibilidade in vitro e in vivo de Pythium insidiosum: Estudo comparativo entre caspogungina e imunoterapia; 2008; Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Coorientador: Janio Morais Santurio;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • VALENTE, JÚLIA DE SOUZA SILVEIRA ; BRASIL, CAROLINA LITCHINA ; BRAGA, CAROLINE QUINTANA ; ZAMBONI, ROSIMERI ; SALLIS, Elisa Simone Viégas ; ALBANO, ANA PAULA NEUSCHRANK ; ZAMBRANO, CRISTINA GOMES ; FRANZ, HELEN CABALDI ; PÖTTER, Luciana ; PANAGIO, LUCIANO APARECIDO ; REIS, GUILHERME FONSECA ; BOTTON, SÔNIA DE AVILA ; PEREIRA, Daniela Isabel Brayer . Biogenic silver nanoparticles in the treatment of experimental pythiosis Bio-AgNP in pythiosis therapy. MEDICAL MYCOLOGY , v. 1, p. 1, 2020.

  • WEIBLEN, CARLA ; ROBE, LIZANDRA JAQUELINE ; AZEVEDO, Maria Isabel ; IANISKI, LARA BACCARIN ; STIBBE, PAULA CRISTINA ; RIBEIRO, TATIANA CORREA ; ZANETTE, RÉGIS ADRIEL ; PEREIRA, Daniela Isabel Brayer ; SANTURIO, Janio Morais ; BOTTON, SÔNIA DE AVILA . New insights on evolutionary aspects of Pythium insidiosum and other peronosporaleans. MYCOSES , v. 63, p. 395-406, 2020.

  • SANTURIO, J. M. ; ALVES, S. H. ; Pereira, D.I.B. ; VETVICKA, V. ; OLIVEIRA, C. A. . Effect of yeast purified -glucan in experimental treatment of pythiosis in rabbits. International Clinical Pathology Journal , v. 8, p. 14-20, 2020.

  • RIBEIRO, MÁRCIO GARCIA ; SANGIONI, LUÍS ANTÔNIO ; ELY, VALESSA LUNKES ; SOARES, MAURO PEREIRA ; OLIVEIRA, HELINANDO PEQUENO DE ; VARGAS, AGUEDA CASTAGNA DE ; CARGNELUTTI, JULIANA FELIPETTO ; SILVA JÚNIOR, FERNANDO ANTONIO GOMES DA ; COSTA, MATEUS MATIUZZI DA ; BOTTON, SÔNIA DE AVILA ; PEREIRA, Daniela Isabel Brayer . In vitro algicidal effect of polypyrrole on Prototheca species isolates from bovine mastitisAlgicidal activity of polypyrrole on Prototheca spp.. MEDICAL MYCOLOGY , v. 1, p. 1-6, 2020.

  • IANISKI, LARA BACCARIN ; STIBBE, PAULA CRISTINA ; DENARDI, LAURA BEDIN ; WEIBLEN, CARLA ; SOARES, MAURO PEREIRA ; VALENTE, JULIA DE SOUZA SILVEIRA ; SANGIONI, LUÍS ANTÔNIO ; PEREIRA, Daniela Isabel Brayer ; SANTURIO, Janio Morais ; BOTTON, SÔNIA DE AVILA . In vitro anti-Pythium insidiosum activity of amorolfine hydrochloride and azithromycin, alone and in combination. MEDICAL MYCOLOGY , v. 1, p. 1-7, 2020.

  • ELY, V.L. ; VARGAS, A.C. ; Costa, M.M. ; OLIVEIRA, H.P. ; PÖTTER, L. ; REGHELIN, M.A. ; FERNANDES, A.W. ; Pereira, D.I.B. ; SANGIONI, L.A. ; Botton, S.A. . Moraxella bovis , Moraxella ovis and Moraxella bovoculi : biofilm formation and lysozyme activity. JOURNAL OF APPLIED MICROBIOLOGY , v. 126, p. 369-376, 2019.

  • Weiblen, C. ; AZEVEDO, M.I. ; IANISKI, L. B. ; STIBBE, P. C. ; PEREIRA, D. I. B. ; Zanette, Régis A. ; SANGIONI, L.A. ; RIVERO, R. ; SANTURIO, J. M. ; BOTTON, S. A. . Genotyping of South American clinical isolates of Pythium insidiosum based on single nucleotide polymorphism-based multiplex PCR. CIENCIA RURAL , v. 49, p. 1, 2019.

  • MAIA FILHO, FERNANDO ; FONSECA, ANELISE O. S. ; VALENTE, JÚLIA SILVEIRA ; BAPTISTA, CRISTIANE TELLES ; MOREIRA, A. ; BOTTON, SÔNIA A. ; POTTER, L. ; PEREIRA, D. I. B. . Exposure of Toxocara canis eggs to Purpureocillium lilacinum as a biocontrol strategy: an experimental model evaluation. REVISTA BRASILEIRA DE PARASITOLOGIA VETERINARIA , v. 28, p. 91-96, 2019.

  • Schild, Ana Lucia ; ECHENIQUE, J. V. Z. ; ESTIMA, P. ; PEREIRA, D. I. B. . Leukoencephalomalacia outbreak in horses associated with green corn. CIENCIA RURAL , v. 49, p. 1-4, 2019.

  • ZAMBRANO, CRISTINA GOMES ; BRAGA, CAROLINE QUINTANA ; BERMAN, C. S. ; BOTTON, S. A. ; Pereira, Daniela Isabel Brayer . Óleo de girassol ozonizado: atividade anti-Pythium insidiosum. Revista Brasileira de Medicina Eqüina , v. 13, p. 18-20, 2019.

  • CHANEIKO, SANDRA M. ; BRIDA, ANDRESSA L. DE ; BASSA, PEDRO G. ; TELLES, MARCO H. F. ; SANTOS, LUANA A. DOS ; Pereira, Daniela I. B. ; PEREIRA, ROBERTO M. ; GARCIA, FLÁVIO R. M. . Pathogenicity of Beauveria bassiana and Metarhizium anisopliae to Anastrepha fraterculus (Diptera: Tephritidae) and Effects on Adult Longevity. Journal of Agricultural Science , v. 11, p. 132-140, 2019.

  • MASIERO, F S ; AGUIAR, E S V ; PEREIRA, D I B ; THYSSEN, P J . First Report on the Use of Larvae of Cochliomyia macellaria (Diptera: Calliphoridae) for Wound Treatment in Veterinary Practice. JOURNAL OF MEDICAL ENTOMOLOGY , v. XXX, p. 1-4, 2019.

  • MOREIRA, ANDRIOS DA SILVA ; BAPTISTA, CRISTIANE TELLES ; BRASIL, CAROLINA LITCHINA ; VALENTE, JULIA DE SOUZA ; BRUHN, FÁBIO RAPHAEL PASCOTI ; PEREIRA, Daniela Isabel Brayer . COMPARAÃ?Ã?O DE TÃ?CNICAS DE CONCENTRAÃ?Ã?O POR SEDIMENTAÃ?Ã?O E COLORAÃ?Ã?O PARA DETECÃ?Ã?O DE OOCISTOS DE Cryptosporidium spp. EM AMOSTRAS FECAIS DE ANIMAIS DE COMPANHIA. SCIENCE AND ANIMAL HEALTH , v. 7, p. 2-11, 2019.

  • SCHANZEMBACH, M. ; Pereira, Daniela Isabel Brayer ; Sallis, Elisa S.V. ; CESAR, D. ; MATTO, C. ; ALMEIDA, R. ; NAN, F. ; RODRIGUEZ, V. ; PARODI, P. ; PEREIRA, M. ; GIANNEECHINI, R. ; RIVERO, R. . Descripción de un caso de pitiosis cutánea equina y su diagnóstico mediante diversas técnicas. VETERINARIA (MONTEVIDEO) , v. 55, p. 96-101, 2019.

  • ALBERTI, TAINA DOS SANTOS ; BONEL, JOSIANE ; VENANCIO, FABIANO DA ROSA ; ROSA, CRISTIANO SILVA DA ; LADEIRA, SILVIA LEAL ; PEREIRA, Daniela Isabel Brayer . Neonatal colisepticemia in a dog - a case report. REVISTA BRASILEIRA DE MEDICINA VETERINÁRIA , v. 41, p. 1-5, 2019.

  • MOREIRA, A. ; BAPTISTA, CRISTIANE TELLES ; BRASIL, CAROLINA LITCHINA ; VALENTE, JÚLIA SILVEIRA ; BRUHN, F. R. P. ; PEREIRA, D. I. B. . Risk factors and infection due to Cryptosporidium spp. in dogs and cats in southern Rio Grande do Sul. REVISTA BRASILEIRA DE PARASITOLOGIA VETERINARIA , v. 27, p. xx, 2018.

  • WEIBLEN, CARLA ; Zanette, Régis A. ; Ribeiro, T.C. ; SANTOS, C. E. ; IANISKI, L. B. ; PEREIRA, D. I. B. ; Santurio, Janio M. ; BOTTON, S. A. . Intradermal injection of Pythium insidiosum protein antigens for improved diagnosis and treatment of pythiosis in an experimental model. MEDICAL MYCOLOGY , v. 1, p. 1-6, 2018.

  • CARRASCHI, SILVIA PATRÍCIA ; GARLICH, NATHÁLIA ; SOUZA-POLLO, ANDRESSA ; Pereira, Daniela Isabel Brayer ; CRUZ, CLAUDINEI DA ; RANZANI-PAIVA, MARIA JOSÉ TAVARES . Isolation of Saprolegnia aenigmatica oomycetes and protocol for experimental infection of pacu ( Piaractus mesopotamicus ) . ACTA SCIENTIARUM. BIOLOGICAL SCIENCES (ONLINE) , v. 40, p. 38186, 2018.

  • PEREIRA, E. ; ECHENIQUE, J. V. Z. ; SANTOS, L. ; Pereira, D.I.B. ; VALENTE, A. L. S. . South American Sea Lion Thanatocenotic Elements of in Sediments: Would be an Important Source of Environmental Contamination by Parasite Eggs?. Journal of Dairy & Veterinary Sciences , v. 5, p. 001, 2018.

  • DE SOUZA SILVEIRA VALENTE, JÚLIA ; BRAGA, CAROLINE QUINTANA ; BRASIL, CAROLINA LITCHINA ; BAPTISTA, CRISTIANE TELLES ; REIS, GUILHERME FONSECA ; PANAGIO, LUCIANO APARECIDO ; NAKAZATO, GERSON ; DE OLIVEIRA HÜBNER, SILVIA ; SOARES, MAURO PEREIRA ; DE AVILA BOTTON, SÔNIA ; PEREIRA, Daniela Isabel Brayer . In vitro anti- Pythium insidiosum activity of biogenic silver nanoparticles. MEDICAL MYCOLOGY , v. 57, p. 858-863, 2018.

  • ZAMBRANO, CRISTINA ; FONSECA, A. O. S. ; VALENTE, JÚLIA SILVEIRA ; BRAGA, C. Q. ; Sallis, Elisa S.V. ; AZEVEDO, M.I. ; Weiblen, C. ; SANTURIO, J. M. ; Pereira, Daniela Isabel Brayer . Isolation and characterization of Pythium species from swampy areas in the Rio Grande do Sul, Brazil and evaluation of pathogenicity in an experimental model. PESQUISA VETERINARIA BRASILEIRA , v. 37, p. 459-464, 2017.

  • DAL BEN, VANESSA ; OLIVEIRA, R. S. ; Borchardt, J.L. ; VALENTE, JÚLIA SILVEIRA ; BRASIL, CAROLINA LITCHINA ; ZAMBRANO, CRISTINA ; Leite, F.P.L ; BOTTON, S. A. ; PEREIRA, D. I. B. . Protein profile of Brazilian Pythium insidiosum isolates. MEDICAL MYCOLOGY , p. 1-8, 2017.

  • ZAMBRANO, CRISTINA GOMES ; Gomes, A. R. ; BRASIL, CAROLINA LITCHINA ; VALENTE, JÚLIA SILVEIRA ; BRAGA, CAROLINE QUINTANA ; AZEVEDO, M.I. ; BOTTON, S. A. ; PEREIRA, D. I. B. . Influence of temperature on in vitro zoosporogenesis of Pythium insidiosum. MEDICAL MYCOLOGY , v. xx, p. xx-xx, 2017.

  • MASIERO, F S ; AQUINO, M F K ; NASSU, M P ; PEREIRA, D I B ; LEITE, D S ; THYSSEN, P J . First Record of Larval Secretions of Cochliomyia macellaria (Fabricius, 1775) (Diptera: Calliphoridae) Inhibiting the Growth of Staphylococcus aureus and Pseudomonas aeruginosa. NEOTROPICAL ENTOMOLOGY , v. 46, p. 125-129, 2017.

  • VOSS-RECH, DAIANE ; POTTER, LUCIANA ; VAZ, CLARISSA SILVEIRA LUIZ ; Pereira, Daniela Isabel Brayer ; SANGIONI, LUÍS ANTONIO ; VARGAS, ÁGUEDA CASTAGNA ; DE AVILA BOTTON, SÔNIA . Antimicrobial Resistance in Nontyphoidal Salmonella Isolated from Human and Poultry-Related Samples in Brazil: 20-Year Meta-Analysis. Foodborne Pathogens and Disease , v. 14, p. 116-124, 2017.

  • DE SOUZA MAIA FILHO, FERNANDO ; DA SILVA FONSECA, ANELISE OLIVEIRA ; PERSICI, BEATRIZ MARONEZE ; DE SOUZA SILVEIRA, JULIA ; BRAGA, CAROLINE QUINTANA ; PÖTTER, Luciana ; DE AVILA BOTTON, SÔNIA ; BRAYER PEREIRA, DANIELA ISABEL . Trichoderma virens as a biocontrol of Toxocara canis: In vivo evaluation. REVISTA IBEROAMERICANA DE MICOLOGIA , v. 34, p. 32-35, 2017.

  • RIBEIRO, TATIANA CORRÊA ; WEIBLEN, CARLA ; DE AZEVEDO, MARIA ISABEL ; DE AVILA BOTTON, SÔNIA ; ROBE, LIZANDRA JAQUELINE ; Pereira, Daniela Isabel Brayer ; MONTEIRO, DANIELI URACH ; LORENSETTI, DOUGLAS MIOTTO ; SANTURIO, Janio Morais . Microevolutionary analyses of Pythium insidiosum isolates of Brazil and Thailand based on exo-1,3--glucanase gene. INFECTION GENETICS AND EVOLUTION , v. 48, p. 58-63, 2017.

  • VIEIRA, J. N. ; MAIA FILHO, F. S. ; FERREIRA, G. F. ; MENDES, J. F. ; GONÇALVES, C. L. ; VILLELA, M. M. ; PEREIRA, D. I. B. ; NASCENTE, P. S. . In vitro susceptibility of nematophagous fungi to antiparasitic drugs: interactions and implications for biological control. BRAZILIAN JOURNAL OF BIOLOGY , v. 77, p. 476-479, 2017.

  • SANGIONI, L.A. ; BOTTON, SÔNIA DE AVILA ; RAMOS, F. ; CADORE, G. C. ; MONTEIRO, S. G. ; PEREIRA, D. I. B. ; VOGEL, FERNANDA SILVEIRA FLORES . Balantidium coli in Pigs of Distinct Animal Husbandry Categories and Different Hygienic-Sanitary Standards in the Central Region of Rio Grande do Sul State, Brazil. ACTA SCIENTIAE VETERINARIAE (ONLINE) , v. 45, p. 1-6, 2017.

  • F.V. JUNIOR, S. ; CUNHA, R. C. ; PEREIRA, D. I. B. ; BOTTON, S. A. ; LADEIRA, Silvia ; LUCIA JUNIOR, T. ; Sallis, Elisa S.V. . Identificação de fatores de virulência de isolados de Escherichia coli oriundos de fezes de bezerros na região Sul do Brasil. Acta Scientiae Veterinariae , v. 45, p. 1-5, 2017.

  • Weiblen, C. ; PEREIRA, D. I. B. ; DUTRA, V. ; GODOY, I. ; NAKAZATO, L. ; SANGIONI, L.A. ; SANTURIO, J. M. ; BOTTON, S. A. . Epidemiological, clinical and diagnostic aspects of sheep conidiobolomycosis in Brazil. Ciência Rural (UFSM. Impresso) , v. 46, p. 839-846, 2016.

  • DE SOUZA SILVEIRA VALENTE, JÚLIA ; DE OLIVEIRA DA SILVA FONSECA, ANELISE ; DENARDI, LAURA BEDIN ; DAL BEN, VANESSA SILVEIRA ; DE SOUZA MAIA FILHO, FERNANDO ; BAPTISTA, CRISTIANE TELLES ; BRAGA, CAROLINE QUINTANA ; ZAMBRANO, CRISTINA GOMES ; ALVES, Sydney Hartz ; DE AVILA BOTTON, SÔNIA ; Pereira, Daniela Isabel Brayer . In Vitro Susceptibility of Pythium insidiosum to Melaleuca alternifolia, Mentha piperita and Origanum vulgare Essential Oils Combinations. Mycopathologia (1975. Print) , v. 181, p. 1-6, 2016.

  • Saalfeld, M.H. ; PEREIRA, D. I. B. ; VALENTE, J. S. S. ; Borchardt, J.L. ; WEISSHEIMER, C. F. ; GULARTE, M. A. ; LEITE, F. P. L. . Effect of anaerobic bovine colostrum fermentation on bacteria growth inhibition. Ciência Rural , v. 46, p. 2152-2157, 2016.

  • VALENTE, JÚLIA SILVEIRA ; DA SILVA FONSECA, ANELISE ; DENARDI, LAURA ; DAL BEN, VANESSA ; MAIA FILHO, FERNANDO ; ZAMBRANO, CRISTINA ; BRAGA, CAROLINE ; ALVES, Sydney Hartz ; DE AVILA BOTTON, SÔNIA ; BRAYER PEREIRA, DANIELA . In vitro activity of antifungals in combination with essential oils against the oomycete Pythium insidiosum . JOURNAL OF APPLIED MICROBIOLOGY , v. 121, p. 998-1003, 2016.

  • HOFSTÄTTER, BIANCA DELGADO MENEZES ; OLIVEIRA DA SILVA FONSECA, ANELISE ; DE SOUZA MAIA FILHO, FERNANDO ; DE SOUZA SILVEIRA, JULIA ; PERSICI, BEATRIZ MARONEZE ; PÖTTER, Luciana ; SILVEIRA, ANDRESSA ; ANTONIOLLI, ZAIDA INÊS ; BRAYER PEREIRA, DANIELA ISABEL . Effect of Paecilomyces lilacinus, Trichoderma harzianum and Trichoderma virens fungal extracts on the hatchability of Ancylostoma eggs. REVISTA IBEROAMERICANA DE MICOLOGIA , v. 34, p. 28-31, 2016.

  • RIBEIRO, TATIANA CORRÊA ; WEIBLEN, CARLA ; BOTTON, SÔNIA DE AVILA ; Pereira, Daniela Isabel Brayer ; DE JESUS, FRANCIELLI PANTELLA KUNZ ; VERDI, CAMILA MARINA ; GRESSLER, LETICIA TREVISAN ; SANGIONI, LUÍS ANTONIO ; SANTURIO, Janio Morais . In vitro susceptibility of the oomycete Pythium insidiosum to metallic compounds containing cadmium, lead, copper, manganese or zinc: Table 1.. MEDICAL MYCOLOGY , v. 55, p. myw115-672, 2016.

  • DE SOUZA SILVEIRA VALENTE, JÚLIA ; DE OLIVEIRA DA SILVA FONSECA, ANELISE ; BRASIL, CAROLINA LITCHINA ; SAGAVE, LAUREN ; FLORES, FERNANDA CRAMER ; DE BONA DA SILVA, CRISTIANE ; SANGIONI, LUÍS ANTÔNIO ; PÖTTER, Luciana ; SANTURIO, Janio Morais ; DE AVILA BOTTON, SÔNIA ; Pereira, Daniela Isabel Brayer . In Vitro Activity of Melaleuca alternifolia (Tea Tree) in Its Free Oil and Nanoemulsion Formulations Against Pythium insidiosum. MYCOPATHOLOGIA , v. 181, p. 865-869, 2016.

  • PEREIRA, D. I. B. ; Botton, S.A. ; AZEVEDO, M.I. ; MONTEIRO, D. U. ; Weiblen, C. ; MACHADO, V. S. ; Donatti, M.G ; Loeck,A.E. . Isolation and molecular characterization of symbiotic fungus from Acromyrmex ambiguus and Acromyrmex heyeri ants of Rio Grande do Sul State, Brazil. Ciência Rural (UFSM. Impresso) , v. 45, p. 1256-1261, 2015.

  • Weiblen, C. ; Machado, G. ; JESUS, F.P.K ; SANTURIO, J. M. ; Zanette, Régis A. ; Pereira, D.I.B. ; Diehl, G.N. ; Santos, L.C. ; Corbelini, L.G. ; BOTTON, S. A. . Seroprevalence of Pythium insidiosum infection in equine in Rio Grande do Sul, Brazil. Ciência Rural (UFSM. Impresso) , v. Nov, p. 001-005, 2015.

  • FONSECA, A. O. S. ; Daniela I.B. Pereira ; BOTTON, S. A. ; PÖTTER, Luciana ; Sallis, Elisa S.V. ; F.V. JUNIOR, S. ; Filho, F.S.M ; ZAMBRANO, C. G. ; MARONEZE, BEATRIZ PERSICI ; VALENTE, J. S. S. ; BAPTISTA, C. T. ; BRAGA, C. Q. ; BEN, V. D. ; MEIRELS, Mário Carlos Araújo . Treatment of experimental pythiosis with essential oils of Origanum vulgare and Mentha piperita singly, in association and in combination with immunotherapy. VETERINARY MICROBIOLOGY , v. 178, p. 265-269, 2015.

  • GRESSLER, L. T. ; VARGAS, A. C. ; COSTA, M. M. ; SUTILI, F. J. ; SCHWAB, M. ; PEREIRA, D. I. B. ; SANGIONI, L.A. ; BOTTON, S. A. . Biofilm formation by Rhodococcus equi and putative association with macrolide resistance. Pesquisa Veterinária Brasileira (Impresso) , v. 35, p. 835-841, 2015.

  • FONSECA, A. O. S. ; PEREIRA, D. I. B. ; JACOB, R. G. ; MAIA FILHO, F. S. ; OLIVEIRA, D. H. ; MARONEZE, B. P. ; VALENTE, J. S. S. ; OSÓRIO, L. G. ; BOTTON, S. A. ; MEIRELES, M. C. A. . In Vitro Susceptibility of Brazilian Pythium insidiosum Isolates to Essential Oils of Some Lamiaceae Family Species. MYCOPATHOLOGIA , v. 179, p. 253-258, 2015.

  • Gomes, Sâmara Nunes ; Macedo, Marcia Raquel Pegoraro ; PESENTI, Tatiana Cheuiche ; PEREIRA, D. I. B. ; Cirne, Maximiano Pinheiro ; Müller, Gertrud . Isolamento de Salmonella enterica subsp. diarizonae em Calidris fuscicollis (Aves: Scolopacidade) no Rio Grande do Sul, Brasil. Ornithologia (CEMAVE/IBAMA. Impresso) , v. 8, p. 43-45, 2015.

  • SILVA FONSECA, ANELISE OLIVEIRA ; AVILA BOTTON, SÔNIA ; NOGUEIRA, CARLOS EDUARDO WAYNE ; CORRÊA, BRUNA FERRAZ ; SOUZA SILVEIRA, JÚLIA ; AZEVEDO, Maria Isabel ; MARONEZE, BEATRIZ PERSICI ; SANTURIO, Janio Morais ; Pereira, Daniela Isabel Brayer . In Vitro Reproduction of the Life Cycle of Pythium insidiosum from Kunkers? Equine and Their Role in the Epidemiology of Pythiosis. Mycopathologia (1975. Print) , v. 177, p. 123-127, 2014.

  • FONSECA, A. O. S. ; PEREIRA, D. I. B. ; MAIA FILHO, F. S. ; OSORIO, L. G. ; MARONEZE, B. P. ; VALENTE, J. S. S. ; POTTER, L. ; MEIRELES, M. C. A. . In vitro susceptibility of zoospores and hyphae of Pythium insidiosum to antifungals. Journal of Antimicrobial Chemotherapy (Print) , v. 1, p. 1-4, 2014.

  • Saalfeld, M.H. ; GULARTE, M. A. ; LEITE, F. P. L. ; PEREIRA, D. I. B. . Evaluation of the transfer of immunoglobulin from colostrum anaerobic fermentation (colostrum silage) to newborn calves. Animal Science Journal , v. 1, p. 1-6, 2014.

  • Gomes, A. R. ; Marcolongo-Pereira, Clairton ; SALLIS, E S V ; Pereira, D.I.B. ; SCHILD, A L ; de Faria, R.O. ; MEIRELES, M C A . Aflatoxicose em cães na região Sul do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira (Impresso) , v. 33, p. 00, 2014.

  • NUNES MARIO, D. A. ; DENARDI, L. B. ; BRAYER PEREIRA, D. I. ; SANTURIO, J. M. ; ALVES, S. H. . In vitro photodynamic inactivation of Sporothrix schenckii complex species. Medical Mycology (Oxford. Print) , v. 52, p. 770-773, 2014.

  • SANGIONI, LUIS ANTÔNIO ; Pereira, Daniela Isabel Brayer ; VOGEL, FERNANDA SILVEIRA FLORES ; BOTTON, SÔNIA DE AVILA . Princípios de biossegurança aplicados aos laboratórios de ensino universitário de microbiologia e parasitologia. Ciência Rural (UFSM. Impresso) , v. 43, p. 91-99, 2013.

  • CORRÊA, B.F. ; Stoll, F.E. ; Robaldo, R.B. ; PEREIRA, D. I. B. . Efeito in vitro de agentes químicos no crescimento micelial de Saprolegnia spp.. Ciência Rural (UFSM. Impresso) , v. 43, p. 1021-1024, 2013.

  • Filho, F.S.M ; PEREIRA, D. I. B. ; Vieira, J.N. ; Berne, M.E. A ; Stoll, F.E. ; Nascente, P. . Fungal ovicidal activity on Toxocara canis eggs. Revista Iberoamericana de Micología , v. 1, p. 1-10, 2013.

  • Saalfeld, M.H. ; PEREIRA, D. I. B. ; Silveira, K.R.K. ; SCHRAMM, R. C. ; VALENTE, J. S. S. ; Borchardt, J.L. ; GULARTE, M. A. ; LEITE, F. P. L. . Anaerobically fermented colostrum: an alternative for feeding calves. Ciência Rural (UFSM. Impresso) , v. 43, p. 1636-1641, 2013.

  • HOFSTATTER, B. D. M. ; FONSECA, ANELISE O. S. ; MAIA FILHO, F. S. ; VALENTE, J. S. S. ; BOTTON, SÔNIA A. ; PEREIRA, D. I. B. . Prevalence of helminth eggs in dog feces in urban areas of Pelotas, RS,. Pubvet (Londrina) , v. 7, p. 1595, 2013.

  • Pereira, Daniela I. B. ; BOTTON, SÔNIA A. ; AZEVEDO, MARIA I. ; MOTTA, MARCO A. A. ; LOBO, RAULENE R. ; SOARES, MAURO P. ; FONSECA, ANELISE O. S. ; Jesus, Francielli P. K. ; Alves, Sydney H. ; Santurio, Janio M. . Canine Gastrointestinal Pythiosis Treatment by Combined Antifungal and Immunotherapy and Review of Published Studies. Mycopathologia (1975. Print) , v. 176, p. 1-7, 2013.

  • AZEVEDO, M.I. ; PEREIRA, D. I. B. ; BOTTON, S. ; COSTA, M. M. ; MAHL, C.D ; ALVES, S.H. ; SANTURIO, J.M. . Pythium insidiosum: morphological and molecular identification of Brazilian isolates. Pesquisa Veterinária Brasileira (Impresso) , v. 32, p. 619-622, 2012.

  • Marcolongo-Pereira, Clairton ; Sallis, Elisa S.V. ; RAFFI, M. B. ; Pereira, Daniela Isabel Brayer ; HINNAH, F. L. ; COELHO, A. C. B. ; Schild, Ana Lucia . Epidemiologia da pitiose equina na Região Sul do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira (Impresso) , v. 32, p. 865-868, 2012.

  • AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; Pereira, D.I.B. ; Robe, L.J. ; Jesus, F.P.K. ; Mahl, C.D. ; Costa, M.M. ; ALVES, S.H. ; SANTURIO, J.M. . Phylogenetic relationships of Brazilian isolates of Pythium insidiosum based on ITS rDNA and cytochrome oxidase II gene sequences. Veterinary Microbiology (Amsterdam. Print) , v. 159, p. 141-148, 2012.

  • Saalfeld, M.H. ; PEREIRA, D. I. B. ; Silveira, K.R.K. ; Diniz, G.L. ; Kringel, D.H. ; Alves, M.I. ; GULARTE, M. A. ; LEITE, F. P. L. . Colostro: A redescoberta de um alimento saudável, nutritivo e com potencial probiótico. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável , v. 5, p. 18-24, 2012.

  • Argenta, Juliana S. ; Alves, Sydney H. ; Silveira, Flávio ; Maboni, Grazieli ; Zanette, Régis A. ; Cavalheiro, Ayrton S. ; Pereira, Patrique L. ; PEREIRA, DANIELA I.B. ; Sallis, Elisa S.V. ; PÖTTER, Luciana ; Santurio, Janio M. ; Ferreiro, Laerte . In vitro and in vivo susceptibility of two-drug and three-drug combinations of terbinafine, itraconazole, caspofungin, ibuprofen and fluvastatin against Pythium insidiosum. Veterinary Microbiology (Amsterdam. Print) , v. 157, p. 137-142, 2012.

  • Botton, Sonia A. ; PEREIRA, D. I. B. ; Costa, Mateus M. ; AZEVEDO, Maria Isabel ; Argenta, Juliana S. ; Jesus, Francielli P. K. ; ALVES, Sydney Hartz ; SANTURIO, Janio Morais . Identification of Pythium insidiosum by Nested PCR in Cutaneous Lesions of Brazilian Horses and Rabbits. Current Microbiology (Print) , v. 62, p. 1225-1229, 2011.

  • do Amaral, C.D.P. ; PEREIRA, D. I. B. ; MEIRELES, M. C. A. . Caracterização da microbiota por fungos filamentosos no tegumento hígido de bovinos de corte. Ciência Rural (UFSM. Impresso) , v. 42, p. 2137-2142, 2011.

  • Pereira, Daniela Isabel Brayer ; Schild, Ana Lucia ; Motta, Marco AurÃlio ; Fighera, Rafael Almeida ; Sallis, Eliza Simone ViÃgas ; Marcolongo-Pereira, Clairton . Cutaneous and gastrointestinal pythiosis in a dog in Brazil. Veterinary Research Communications , v. 34, p. 301-306, 2010.

  • Argenta, J. S. ; ALVES, S.H. ; SILVEIRA, F. ; MABONI, G. ; PEREIRA, D. I. B. ; SPANAMBERG, A. ; SANTURIO, J.M. ; FERREIRO, L. . In vitro paradoxical growth of Pythium insidiosum in the presence of caspofungin. Veterinary Microbiology (Amsterdam. Print) , v. 1, p. 1-3, 2010.

  • Carregaro, FB ; SPANAMBERG, A. ; Sanches, EMC ; Argenta, J. S. ; PEREIRA, D. I. B. ; ZANETI, R. ; SANTURIO, J.M. ; Barcellos, D.E.S.N. ; FERREIRO, L. . Fungal microbiota isolated from healthy pig skin. Acta Scientiae Veterinariae (Online) , v. 38, p. 147-153, 2010.

  • CAVALHEIRO, A ; MABONI, G. ; AZEVEDO, M.I. ; Argenta, J. S. ; PEREIRA, D. I. B. ; SPADER, T. ; ALVES, S.H. ; SANTURIO, J.M. . In vitro activity of terbinafine combined with caspofungin and azoles against Pythium insidiosum. Antimicrobial Agents and Chemotherapy , v. 3, p. 01-05, 2009.

  • PEDROSO, P. M. O. ; BEZERRA JUNIOR, P. S. ; PESCADOR, C. A. ; DALTRO, A. G. C. ; COSTA, G. R. ; PEREIRA, D. I. B. ; SANTURIO, Janio Morais ; DRIEMEIER, D. . Diagnóstico imuno-histoquímico de pitiose cutânea em equinos. Acta Scientiae Veterinariae (Online) , v. 37, p. 49-52, 2009.

  • PEREIRA, D. I. B. ; SANTURIO, J ; ALVES, S Hartz ; ARGENTA, Juliana Siqueira ; CAVALHEIRO, A ; FERREIRO, L. . Zoosporogênese in vitro entre isolados do oomiceto Pythium insidiosum. Ciência Rural , v. 38, p. 143-147, 2008.

  • ARGENTA, Juliana Siqueira ; SANTURIO, Janio Morais ; ALVES, Sydney Hartz ; PEREIRA, D. I. B. ; CAVALHEIRO, Ayrton Sydnei ; SPANAMBERG, A. ; FERREIRO, L. . In Vitro Activities of Voriconazole, Itraconazole, and Terbinafine Alone or in Combination against Pythium insidiosum Isolates from Brazil. Antimicrobial Agents and Chemotherapy , v. 52, p. 767-769, 2008.

  • SPANAMBERG, A. ; JR. , E. A. W. ; PEREIRA, D. I. B. ; ARGENTA, Juliana Siqueira ; SANCHES, E. M. C. ; VALENTE, P. ; FERREIRO, L. . Diversity of yeasts from bovine mastitis. Revista Iberoamericana de Micología , v. 25, p. 154-156, 2008.

  • PEREIRA, D. I. B. ; SANTURIO, J.M. ; ALVES, S.H. ; AZEVEDO, M ; SILVEIRA, F. ; COSTA, F. ; SALLIS, E. S. V. ; PÖTTER, L ; FERREIRO, L. . Comparison between the immunotherapic and caspofungin as agents to treat experimental pythiosis in rabbits. Journal de Mycologie Médicale , v. 18, p. 129-133, 2008.

  • SANTURIO, J.M. ; ARGENTA, Juliana Siqueira ; SCHWENDLER, S ; CAVALHEIRO, A ; PEREIRA, D. I. B. ; ZANETI, R. ; ALVES, S.H. ; DUTRA, V. ; SILVA, M. da ; Arruda, L.P. ; NAKAZATO, L. ; COLODEL, E. . Granulomatous rhinitis in sheep associated with Pythium insidiosum infection. Veterinary Record , v. 163, p. 276-277, 2008.

  • Gabriel, A.L. ; Kommers, G.D ; Trost, M. E. ; Barros, C.S.L ; PEREIRA, D. I. B. ; SCHWENDLER, S ; SANTURIO, J.M. . Surto de pitiose cutânea em bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira , v. 28, p. 583-587, 2008.

  • PEREIRA, D. I. B. ; SANTURIO, Janio Morais ; ALVES, Sydney Hartz ; ARGENTA, Juliana Siqueira ; PÖTTER, Luciana ; SPANAMBERG, A. ; FERREIRO, L. . Caspofungin in vitro and in vivo activity against Brazilian Pythium insidiosum strains isolated from animals. Journal of Antimicrobial Chemotherapy , v. 60, p. 1168-1171, 2007.

  • ALVES, Sydney Hartz ; LORETO, Érico Silva de ; LINARES, Carlos Eduardo ; SILVEIRA, Carolina P ; SCHEID, Liliane A ; PEREIRA, D. I. B. ; SANTURIO, Janio Morais . Comparison among tomato juice agar with other three media for differentiation of Candida dibliniensis from Candida albicans. Rev Inst Med Trop S Paulo, v. 48, n.3, p. 119-121, 2006.

  • PEREIRA, D. I. B. ; SEGALA, Luiz Sergio ; BUENO, Andressa ; CAVALHEIRO, Ayrton Sydnei ; SCHWENDLER, Stela ; AZEVEDO, Maria Isabel ; ECKARDT JUNIOR, João Carlos ; AGUIAR, Leila Cristiane ; SANTURIO, Deise Flores ; SANTURIO, Janio Morais ; ALVES, Sydney Hartz . Surto de Trichophyton equinum var. equinum em equinos no sul do Brasil. Ciência Rural , v. 36, n.6, p. 1849-1853, 2006.

  • SANTURIO, Janio Morais ; ALVES, Sydney Hartz ; PEREIRA, D. I. B. ; ARGENTA, Juliana Siqueira . Pitiose: Uma Micose Emergente. Acta Scientiae Veterinariae (Online) , v. 34, n.1, p. 1-14, 2006.

  • FILHO, S T L P ; PEREIRA, D. I. B. ; PEREIRA, Daniela Isabel Brayer ; SALLIS, Elisa Simone Viegas ; HENRIQUES, Graciela Bracini ; DAMOLIN, Fabíola . Criptococose nasal e cutânea em felino. MEDVEP. Revista Cientifica de Medicina Veterinaria , Curitiba, PR., v. 2, n.5, p. 33-37, 2004.

  • SALLIS, Elisa Simone Viegas ; RAFFI, Margarida Buss ; PEREIRA, Daniela Isabel Brayer ; BARROS, Claudio Severo Lombrado de . Intoxicação por Nierembergia hippomanica em bovinos, Rio Grande do Sul, Brasil. Revista da Faculdade de Zootecnia, Veterinária e Agronomia (Uruguaiana) , Uruguaiana, Rs, v. 10, p. 52-57, 2004.

  • PEREIRA, D. I. B. ; SALLIS, E. S. V. ; POMBO, C. D. ; SANTIN, C. ; PICININI, A. ; COLPO, C. B. . Dermatofitose suína causada por Trichophyton mentagrophytes - Relato de Caso. Revista da Faculdade de Zootecnia, Veterinária e Agronomia (Uruguaiana) , Uruguaiana, v. 11, n.1, p. 48-53, 2004.

  • SALLIS, E S V ; PEREIRA, D. I. B. ; RAFFI, M. B. . Pitiose cutânea em equinos. Ciência Rural , Santa Maria, RS, v. 33, n.5, p. 899-903, 2003.

  • PEREIRA, D. I. B. ; CORREA, Franklin Riet ; LADEIRA, Silvia . Estudos complementares da infecção por Mannheimia granulomatis (lechiguana) em bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira , Rio de Janeiro, v. 20, n.3, p. 91-96, 2000.

  • SCHILD, A L ; CORREA, F Riet ; MOTTA, A C ; FERREIRA, J L M ; RAPOSO, J B ; PEREIRA, D. I. B. ; FERNANDES, C. G. ; RUAS, J. L. ; CORREA, G. R. . Doenças diagnosticadas pelo Laboratório regional de diagnóstico no ano de 1996.. Boletim do Laboratório Regional de Diagnóstico , Pelotas, n.17, p. 9-57, 1997.

  • PEREIRA, D. I. B. ; RIET-CORREA, F. ; LADEIRA, S. . Lechiguana: Aspectos patogênicos, estudo de portadores de Pasteurella granulomatis e novos casos da doença em bovinos. Boletim do Laboratório Regional de Diagnóstico , v. 1, p. 41-46, 1997.

  • NOBRE, M. O. ; MEIRELES, M. C. A. ; GASPAR, L F ; PEREIRA, D. I. B. ; SCHRAMM, R. C. ; SCHUCH, L. F. ; SOUZA, L ; SOUZA, L. S. . Prevalência da Malassezia pachyderamtis e outros agentes infecciosos nas otites externas e dermatites em cães. Boletim do Laboratório Regional de Diagnóstico , v. 1, p. 35-39, 1997.

  • ADORNES, R. ; ESTIMA, E. ; LADEIRA, S. ; PEREIRA, D. I. B. ; MARTINS, L ; RIET-CORREA, F. . Bacia leiteira do município de Rio Grande: Produção e fatores limitantes. Boletim do Laboratório Regional de Diagnóstico , v. 1, p. 21-31, 1995.

  • SCHILD, Ana Lúcia ; CORREA, F Riet ; PEREIRA, D. I. B. ; LADEIRA, Silvia ; RAFFI, M. B. ; ANDRADE, G. B. ; SCHUCH, L. F. . Doenças diagnosticadas pelo Laboratório regional de diagnóstico no ano 1993 e comentários sobre algumas doenças.. Boletim do Laboratório Regional de Diagnóstico , Pelotas, n.14, p. 9-97, 1994.

  • SCHILD, Ana Lúcia ; PEREIRA, D. I. B. ; LADEIRA, Silvia ; RUAS, J. ; FERREIRA, J. L. M. ; PEREIRA, O. A. . Diagnósticos realizados no ano de 1992 pelo Laboratório Regional de Diagnóstico e comentário sobre algumas doenças.. Boletim do Laboratório Regional de Diagnóstico , Pelotas, n.13, p. 9-48, 1993.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

PEREIRA, D. I. B. ; ZAMBRANO, C. G. . Atendimento a equinos com pitiose. 2015.

BOTTON, S. A. ; AZEVEDO, M.I. ; Pereira, D.I.B. ; Weiblen, C. ; MACHADO, V. S. ; Ribeiro, T.C. ; SANTURIO, J. M. . Sequência de DNA depositada no Gen Bank: Pythium insidiosum isolate LAPEMI 0290 internal transcribed spacer 1, partial sequence; 5.8S ribosomal RNA gene and internal transcribed spacer 2, complete sequence; and large subunit ribosomal RNA gene, partial sequence. 2014.

BOTTON, S. A. ; Weiblen, C. ; AZEVEDO, M.I. ; ALVES, S. H. ; Pereira, D.I.B. ; Rossato, L. ; Ribeiro, T.C. ; EMMANOUILIDIS, J . Sequência de DNA depositada no Gen Bank: Cryptococcus neoformans var. grubii isolate LAPEMI 58.2014 18S ribosomal RNA gene, partial sequence; intergenic spacer 1 and 5.8S ribosomal RNA gene, complete sequence; and intergenic spacer 2, partial sequence. 2014.

BOTTON, S. A. ; PEREIRA, D. I. B. ; AZEVEDO, M.I. ; MACHADO, V. S. ; Weiblen, C. ; MONTEIRO, D. U. ; SANTURIO, J. M. ; LOECK, A. E. . Sequência de DNA depositada no Gen Bank: Leucoagaricus gongylophorus isolate LABIMIC LG 013 internal transcribed spacer 2 and 28S ribosomal RNA gene, partial sequence. 2014.

BOTTON, S. A. ; Pereira, D.I.B. ; AZEVEDO, M.I. ; MACHADO, V. S. ; Ribeiro, T.C. ; Weiblen, C. ; MONTEIRO, D. U. ; SANTURIO, J. M. ; Loeck,A.E. . Sequência de DNA depositada no Gen Bank: Leucoagaricus gongylophorus isolate LABIMIC LG 014 18S ribosomal RNA gene, partial sequence; internal transcribed spacer 1 and 5.8S ribosomal RNA gene, complete sequence; and internal transcribed spacer 2, partial sequence.. 2014.

BOTTON, S. A. ; Pereira, D.I.B. ; AZEVEDO, M.I. ; MACHADO, V. S. ; Ribeiro, T.C. ; Weiblen, C. ; MONTEIRO, D. U. ; SANTURIO, J. M. ; Loeck,A.E. . Sequência de DNA depositada no Gen Bank: Leucoagaricus gongylophorus isolate LABIMIC LG 015 18S ribosomal RNA gene, partial sequence; internal transcribed spacer 1 and 5.8S ribosomal RNA gene, complete sequence; and internal transcribed spacer 2, partial sequence.. 2014.

BOTTON, S. A. ; Pereira, D.I.B. ; AZEVEDO, M.I. ; MACHADO, V. S. ; Ribeiro, T.C. ; Weiblen, C. ; MONTEIRO, D. U. ; SANTURIO, J. M. ; Loeck,A.E. . Sequência de DNA depositada no Gen Bank: Leucoagaricus gongylophorus isolate LABIMIC LG 014 18S ribosomal RNA gene, partial sequence; internal transcribed spacer ?Leucoagaricus gongylophorus isolate LABIMIC LG 016 internal transcribed spacer 1, partial sequence; 5.8S ribosomal RNA gene, complete sequence; and internal transcribed spacer 2, partial sequence.. 2014.

BOTTON, S. A. ; PEREIRA, D. I. B. ; AZEVEDO, M.I. ; MACHADO, V. S. ; Ribeiro, T.C. ; Weiblen, C. ; MONTEIRO, D. U. ; SANTURIO, J. M. ; Loeck,A.E. . Sequência de DNA depositada no Gen Bank: Leucoagaricus gongylophorus isolate LABIMIC LG 017 5.8S ribosomal RNA gene and internal transcribed spacer 2, partial sequence. 2014.

Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; AZEVEDO, M.I. ; Weiblen, C. ; MAHL, C.D ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159493- Pythium insidiosum isolate LAPEMI 187. 2012.

Botton, S.A. ; AZEVEDO, M.I. ; PEREIRA, D. I. B. ; OLIVEIRA, L.M. ; MAHL, C.D ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126296- Pythium insidiosum isolate LAPEMI 187. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; THOMAS, L.R. ; MAHL, C.D ; ALVES, S.H. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159492 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 178. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; THOMAS, L.R. ; Weiblen, C. ; ALVES, S.H. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126295- Pythium insidiosum isolate LAPEMI 178. 2012.

Botton, S.A. ; AZEVEDO, M.I. ; PEREIRA, D. I. B. ; OLIVEIRA, L.M. ; MAHL, C.D ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159491- Pythium insidiosum isolate LAPEMI 175. 2012.

PEREIRA, D. I. B. ; AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; THOMAS, L.R. ; OLIVEIRA, L.M. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126294- Pythium insidiosum isolate LAPEMI 175. 2012.

PEREIRA, D. I. B. ; AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; OLIVEIRA, L.M. ; Weiblen, C. ; COSTA, M. M. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159490- Pythium insidiosum isolate LAPEMI 156. 2012.

Botton, S.A. ; AZEVEDO, M.I. ; PEREIRA, D. I. B. ; OLIVEIRA, L.M. ; Weiblen, C. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126293- Pythium insidiosum isolate LAPEMI 156. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; THOMAS, L.R. ; OLIVEIRA, L.M. ; SANTURIO, J.M. . . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159489 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 148. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; THOMAS, L.R. ; Weiblen, C. ; ALVES, S.H. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126292- Pythium insidiosum isolate LAPEMI 148. 2012.

Botton, S.A. ; AZEVEDO, M.I. ; PEREIRA, D. I. B. ; THOMAS, L.R. ; MAHL, C.D ; ALVES, S.H. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159488 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 146. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; THOMAS, L.R. ; COSTA, M. M. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126291 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 146. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; OLIVEIRA, L.M. ; Weiblen, C. ; ALVES, S.H. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159487- Pythium insidiosum isolate LAPEMI 143. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; OLIVEIRA, L.M. ; THOMAS, L.R. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126290 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 143. 2012.

Botton, S.A. ; AZEVEDO, M.I. ; PEREIRA, D. I. B. ; THOMAS, L.R. ; OLIVEIRA, L.M. ; Santurio, Janio M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159486 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 138. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; OLIVEIRA, L.M. ; Weiblen, C. ; ALVES, S.H. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126289 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 138. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; THOMAS, L.R. ; MAHL, C.D ; COSTA, M. M. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159485 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 136. 2012.

Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; AZEVEDO, M.I. ; THOMAS, L.R. ; Weiblen, C. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126288 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 136. 2012.

Botton, S.A. ; AZEVEDO, M.I. ; PEREIRA, D. I. B. ; Weiblen, C. ; MAHL, C.D ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159484 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 129. 2012.

Botton, S.A. ; AZEVEDO, M.I. ; PEREIRA, D. I. B. ; THOMAS, L.R. ; Weiblen, C. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126287 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 129. 2012.

PEREIRA, D. I. B. ; AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; Weiblen, C. ; THOMAS, L.R. ; COSTA, M. M. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159483 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 126.. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; THOMAS, L.R. ; MAHL, C.D ; Weiblen, C. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126286 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 126. 2012.

PEREIRA, D. I. B. ; AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; THOMAS, L.R. ; OLIVEIRA, L.M. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159482 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 125. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; OLIVEIRA, L.M. ; MAHL, C.D ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126285 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 125. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; OLIVEIRA, L.M. ; MAHL, C.D ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159481 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 124. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; OLIVEIRA, L.M. ; Weiblen, C. ; MAHL, C.D ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126284 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 124. 2012.

PEREIRA, D. I. B. ; AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; THOMAS, L.R. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159480 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 123. 2012.

PEREIRA, D. I. B. ; Botton, S.A. ; AZEVEDO, M.I. ; THOMAS, L.R. ; Weiblen, C. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126283 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 123. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; OLIVEIRA, L.M. ; MAHL, C.D ; ALVES, S.H. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159477 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 121. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; OLIVEIRA, L.M. ; MAHL, C.D ; COSTA, M. M. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126282 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 121. 2012.

PEREIRA, D. I. B. ; Botton, S.A. ; AZEVEDO, M.I. ; COSTA, M. M. ; OLIVEIRA, L.M. ; Weiblen, C. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159479 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 119. 2012.

AZEVEDO, M.I. ; Botton, S.A. ; PEREIRA, D. I. B. ; THOMAS, L.R. ; OLIVEIRA, L.M. ; Weiblen, C. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126281 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 119. 2012.

Botton, S.A. ; AZEVEDO, M.I. ; PEREIRA, D. I. B. ; THOMAS, L.R. ; OLIVEIRA, L.M. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN159478 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 118. 2012.

Botton, S.A. ; AZEVEDO, M.I. ; PEREIRA, D. I. B. ; THOMAS, L.R. ; SANTURIO, J.M. ; ALVES, S.H. ; OLIVEIRA, L.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: JN126280 - Pythium insidiosum isolate LAPEMI 118.. 2012.

BOTTON, S. ; PEREIRA, D. I. B. ; AZEVEDO, M.I. ; THOMAS, L.R. ; OLIVEIRA, L.M. ; Weiblen, C. ; ALVES, S.H. ; SANTURIO, J.M. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: HQ822269 Pythium catenulatum isolate LAPEMI 40.10. 2011.

BOTTON, S. ; AZEVEDO, M.I. ; MAHL, C.D ; ZANETI, R. ; PEREIRA, D. I. B. ; SANTURIO, J.M. ; ALVES, S.H. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: HQ148880 - Cryptococcus neoformans var. grubii isolate LAPEMI 02.10. 2010.

AZEVEDO, M.I. ; BOTTON, S. ; SANTURIO, J.M. ; ZANETI, R. ; MAHL, C.D ; PEREIRA, D. I. B. ; ALVES, S.H. . Sequencia de DNA depositada no GenBank: HM641826 - Filobasidiella neoformans strain LAPEMI 01/10. 2010.

PEREIRA, D. I. B. . Emissão de Parecer Ad hoc- CNPq - Bolsas no País - Produtividade em Pesquisa. 2015.

PEREIRA, D. I. B. . Emissão de parecer Ad hoc - Capes - Bolsas no Exterior. 2015.

PEREIRA, D. I. B. ; FONSECA, A. O. S. ; BOTTON, S. A. . Sucetibilidade in vitro e in vivo do oomiceto Pythium insidiosum a óleos essenciais. 2015.

PEREIRA, D. I. B. . Emissão de Parecer Ad Hoc - Chamada 14/2014 - Universal. 2014.

PEREIRA, D. I. B. . Emissão de Parecer Ad Hoc - Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora. 2013.

PEREIRA, D. I. B. ; Saalfeld, M.H. ; LEITE, F. P. L. ; MOREIRA, A. ; BRAGA, F. . Utilização da silagem de colostro na alimentação humana. 2015. (Programa de rádio ou TV/Mesa redonda).

PEREIRA, D. I. B. ; SILVA FONSECA, ANELISE OLIVEIRA ; MEIRELES, M C ; Botton, S.A. . Sucetibilidade in vitro e in vivo do oomiceto Pythium insidiosum a óleos essenciais. 2015. (Relatório de pesquisa).

PEREIRA, D. I. B. . Projeto Novos Talentos: Área de interesse: Micologia. Importância dos Fungos. 2014. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Material Didático).

PEREIRA, D. I. B. . Principais Afecções causadas por Dermatófitos em Animais de Produção. 2008. (Apresentação de Palestra).

PEREIRA, D. I. B. . I I Treinamento em Métodos de Diagnóstico e Controle da Brucelose e Tuberculose Animal. 2006. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

PEREIRA, D. I. B. . Pitiose: Tópicos gerais e avanços terapêuticos. 2006. (Apresentação de Seminário).

PEREIRA, D. I. B. . I Treinamento em Métodos de Diagnóstico e Controle da Brucelose e Tuberculose Animal. 2005. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

PEREIRA, D. I. B. . Principais agentes causadores de mastite bovina e medidas de manejo para seu controle. 2002. (Apresentação de Palestra).

PEREIRA, D. I. B. . Diagnóstico das micoses nos animais domésticos. 2001. (Apresentação de Palestra).

PEREIRA, D. I. B. . Diagnóstico das micoses em animais domésticos. 2000. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

PEREIRA, D. I. B. . Diagnóstico das micoses nos animais domésticos. 2000. (Apresentação de Palestra).

PEREIRA, D. I. B. . Diagnóstico das micoses em animais domésticos. 1999. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

PEREIRA, D. I. B. . Principais agentes causadores de mastite bovina e medidas de manejo para seu controle. 1999. (Apresentação de Palestra).

PEREIRA, D. I. B. . Principais Micoses dos Animais Domésticos. 1998. (Apresentação de Palestra).

SCHILD, Ana Lúcia ; PEREIRA, D. I. B. . Bolsa de Iniciação Científica: Estudo da herdabilidade e determinação de formas de controle de algumas doenças congênitas diagnosticadas na região Sul do RS (CNPq: 800.180/88-7).Orientador: Ana Lúcia Schild. 1989 (Bolsa de Iniciação Científica) .

SCHILD, Ana Lúcia ; PEREIRA, D. I. B. . Bolsa de Iniciação Científica: Estudo da epidemiologia e alternativas de controle da postite ulcerativa em novilhos de corte (FAPERGS: 800.180/88-7/VT) Orientador: Ana Lúcia Schild. 1988 (Bolsa de Iniciação Científica) .

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2018 - Atual

    Avaliação da presença de Pythium insidiosum em imaturos e adultos de Culex quinquefasciatus, Descrição: Pythium insidiosum é um importante oomiceto patógeno de mamíferos que causa a pitiose, uma doença grave, de rápida evolução e difícil tratamento, endêmica em regiões de clima quente. A enfermidade é descrita em vários Países, sendo frequente em humanos na Tailândia e equinos no Brasil. Em seu ciclo biológico, P. insidiosum utiliza plantas aquáticas para desenvolvimento e reprodução assexuada produzindo zoósporos infectantes, que são liberados nas águas. Relatos prévios apontam a recuperação de P. insidiosum de larvas de Culex quinquefasciatus na Índia e de larvas de Aedes aegypti no Brasil. Estes relatos sugerem que este oomiceto apresenta afinidade por hospedeiros invertebrados, podendo utilizar larvas de mosquitos para completar seu ciclo de vida e expandir seu nicho ecológico. Na pitiose em animais, comumente observa-se que as lesões cutâneas nas espécies afetadas ocorrem em regiões que estão em maior contato com a água; todavia, relatos de infecção em animais e humanos sem histórico de contato com ambientes aquáticos, induzem a questionamentos a respeito da presença de outras fontes de infecção, incluindo os culícideos como uma provável fonte de infeção. Considerando que Culex quinquefasciatus tem ampla distribuição no RS, que suas larvas são aquáticas e compartilham o mesmo nicho ecológico com P. insidiosum, torna-se relevante estudar a participação destes insetos na epidemiologia da pitiose, bem como no ciclo biológico de P. insidiosum. Desta forma, elaborou-se o presente estudo que busca averiguar in vitro e no ambiente se larvas de C. quinquefasciatus em seus diferentes estágios podem ser infectadas com zoósporos de P. insidiosum, bem como se o oomiceto está presente na fase adulta do mosquito.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Sonia Botton - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Élvia Elena Silveira Vianna - Integrante / Caroline Quintana Braga - Integrante / Cristiane Telles Baptista - Integrante / BRASIL, CAROLINA LITCHINA - Integrante / Daiane D Hartwig - Integrante / Waldenis Trindade - Integrante / Carolina Bergmann - Integrante.

  • 2018 - Atual

    Ação ovicida dos fungos Purpureocillium lilacinum e Trichoderma virens aplicados a solo com ovos de Toxocara canis e avaliação da infectividade em modelo experimental, Descrição: A toxocaríase ou larva migrans visceral é uma doença negligenciada ocasionada, principalmente, pelo nematódeo Toxocara canis, parasito intestinal de cães. A ingestão de solo, alimentos ou água contaminados com ovos larvados (ovos com L3) é a principal via de transmissão da toxocaríase humana. A alta resistência dos ovos no ambiente e os prejuízos causados pelo controle químico corroboram a necessidade do desenvolvimento de métodos alternativos de controle. Ponderando as diversas metodologias que estão sendo testadas com o intuito de melhorar o controle de parasitos, surge o controle biológico. Neste sentido, destaca-se o uso de fungos nematófagos presentes no solo e que atuam parasitando ovos e larvas de parasitos. O presente estudo objetiva avaliar in vitro e em condições ambientais, a ação ovicida dos fungos Purpureocilium lilacinum e Trichoderma virens aplicados a solo com ovos de T. canis, bem como verificar a infectividade in vivo de ovos embrionados de T. canis após a exposição aos fungos no solo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Caroline Quintana Braga - Integrante / Cristiane Telles Baptista - Integrante / Luciana Farias da Costa Avila - Integrante / Fábio Raphael Pascoti Bruhn - Integrante / Waldenis Trindade - Integrante / Carolina Bergmann - Integrante.

  • 2017 - Atual

    Avaliação da fermentação anaeróbica (silagem) de colostro equino e bovino, Descrição: SUBPROJETO I: A fermentação e acondicionamento anaeróbio do colostro equino surgem, como uma opção de uso para manutenção da concentração de imunoglobulinas, sem necessidade de resfriamento e com resultados promissores já estudados em bovinos. Em 2008, Saalfeld desenvolveu a silagem de colostro em bovinos como forma de aproveitamento do excesso de colostro produzido nas propriedades rurais, resolvendo problemas citados na literatura em relação à conservação, armazenamento e qualidade do colostro. Foi comprovado que a silagem de colostro bovino mantém as características físico-químicas do colostro in natura, bem como mantém a presença de micro-organismos e de outros constituintes colostrais, como proteínas, imunoglobulinas. Entretanto, inexiste a descrição da silagem de colostro para espécie equina. SUBPROJETO II:A produção atual de colostro bovino no Brasil alcança 1,9 bilhão de litros, dos quais metade alimenta os bezerros e a outra metade é desprezada. Segundo Saalfeld (2008) a utilização da silagem de colostro bovino como substituto do leite na alimentação de terneiras proporciona ao produtor de leite uma economia por animal criado de 200 litros de leite em média, que representam para o produtor o lucro da venda de 1.200 litros do produto.Tendo em vista a importância da utilização da silagem de colostro bovino na alimentação animal e a permissão do uso do colostro bovino para alimentação, entende-se que pesquisas com colostro bovino é extremamente relevante para elucidar e difundir os benefícios desse produto como alimento. o colostro bovino fermentado anaerobicamente (silagem do colostro) manteve as características físico-químicas e outros constituintes do colostro in natura, bem como a concentração de imunoglobulinas sendo desta forma, considerado um alimento adequado à alimentação animal. Adicionalmente, a avaliação microbiológica do produto revelou que após 21 dias de fermentação, bactérias de interesse na saúde animal não foram mais detectadas, restando viáveis apenas bactérias ácido láticas (BAL) incluindo os gêneros Lactobacillus spp. e Enterococcus spp. com provável potencial probiótico. Todavia, esses estudos não avaliaram as propriedades probióticas desses micro-organismos e pesquisas são necessárias para comprovar a atividade probiótica. O objetivo é avaliar a atividade probiótica e capacidade de imunomodulação in vitro, in vivo e ex vivo de bactérias ácido láticas (BAL) oriundas de colostro bovino anaerobicamente fermentado.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (3) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Fábio pereira Leivas leite - Integrante / Caroline Quintana Braga - Integrante / BRASIL, CAROLINA LITCHINA - Integrante / FRANSCISCO DENIS SOUZA SANTOS - Integrante / Vitória Serqueira - Integrante.

  • 2015 - 2017

    Comparação de diferentes técnicas para o diagnóstico de Cryptosporidium spp. em animais de companhia, Descrição: Cryptosporidium spp. são coccídios intestinais que parasitam humanos e animais e podem causar desde episódios assintomáticos até graves problemas gastrointestinais, como diarreia crônica e intermitente, principalmente em pacientes imunodeprimidos. Apesar de ser descrito na literatura como hospedeiro-específico, diferentes espécies foram descritas causando infecção de vários hospedeiros. Por ter um caráter zoonótico, representa uma potencial ameaça ao homem, principalmente quando há concentração de cães em área urbana, e o destino incorreto das fezes desses animais contribui para o risco à saúde humana. Embora alguns trabalhos tenham descrito métodos eficientes de diagnóstico, ainda não há um consenso sobre qual é a metodologia mais eficaz na detecção de oocistos em amostras fecais. O objetivo do presente trabalho é determinar a frequência de oocistos de Cryptosporidium spp. em fezes de cães, comparar e identificar técnicas que apresentem melhor especificidade e sensibilidade para o diagnóstico da criptosporidiose. Para isso serão analisadas quatro técnicas de coloração com diferentes metodologias: Coloração de Kynioun modificada, Método de Ziehl-Neelsen modificado, Coloração de Auramina-O Fenicada e Coloração de Safranina. Serão analisadas um total de 382 amostras de fezes, as quais serão obtidas no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Pelotas, no canil da cidade e de várias clínicas veterinárias particulares.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Sallis, Elisa S.V. - Integrante / Cristiane Telles Baptista - Integrante / Andrios Moreira - Integrante / Bruna baccega - Integrante., Número de orientações: 1

  • 2015 - 2017

    Ação de extratos fúngicos sobre ovos e larvas de tricostrongilídeos, Descrição: Dentre as principais causas que interferem no desenvolvimento da atividade pecuária estão as helmintoses gastrintestinais que ocasionam prejuízos no desenvolvimento animal determinando retardo no crescimento, morte e gastos excessivos com o manejo. Os parasitos gastrintestinais que mais acometem ruminantes pertencem a família Trichostrongylidae e incluem os gêneros Haemonchus, Trichostrongylus, Ostertagia, Nematodirus e Cooperia. Embora a utilização de anti-helmínticos venha mostrando-se como um método eficaz de controlar o parasitismo, seu uso tem ocasionado o surgimento de nematoides resistentes. Além disso, a preocupação com resíduos na carne e leite, bem como os riscos de contaminação ambiental impulsionam as pesquisas que buscam medidas alternativas e ambientalmente corretas de controle das endoparasitoses. Neste sentido, o controle biológico torna-se uma alternativa viável e promissora que propicia a redução das infecções ocasionadas por parasitos gastrintestinais. Dentre os organismos utilizados no controle biológico estão os fungos nematófagos, que apresentam capacidade ovicida e larvicida sobre tais parasitos. O objetivo deste trabalho é avaliar in vitro a ação de extratos fúngicos de fungos nematófagos sobre ovos e larvas de tricostrongilídeos. Para a realização deste estudo serão utilizados quatro isolados fúngicos: Paecilomyces lilacinus, Arthrobotrys spp., Duddingtonia flagrans e Trichoderma virens. A partir desses fungos, dois diferentes extratos serão obtidos: extrato filtrado (EF) e extrato macerado bruto (MB). Em placas de cultivo de tecidos, serão vertidos 500 m dos extratos fúngicos. A esse volume será acrescido 500 m de uma suspensão contendo aproximadamente 100 ovos ou 100 larvas de tricostrongilídeos. O grupo controle corresponderá a 500 m de uma suspensão contendo 100 ovos ou 100 larvas de tricostrongilídeos acrescido de 500 m de meio mínimo. Todas as placas serão incubadas a 25C, durante 24 e 48 horas. Cada tratamento será constituído de cinco repetições. A leitura será realizada em lupa estereoscópica e levará em consideração o número total de larvas (ovos eclodidos) de tricostrongilídeos presentes em cada placa dos grupos tratados e controle. Para a verificação de larvas viáveis e intactas (recuperação de larvas), será utilizada a técnica de Baermann modificada. Todos os dados serão submetidos a análise estatística. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANGIONI, L.A. - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Fernando de Sousa Maia Filho - Integrante / FONSECA, A. O. S. - Integrante / Caroline Quintana Braga - Integrante / Cristina gomes Zambrano - Integrante / BOTTON, S. A. - Integrante / Cristiane Telles Baptista - Integrante / Vanessa Dal Ben - Integrante / Andrios Moreira - Integrante., Número de orientações: 1

  • 2015 - Atual

    Aplicação de óleos essenciais de plantas medicinais como estratégias terapêuticas para controle da pitiose experimental, Descrição: Pythium insidiosum é o agente etiológico da pitiose, uma importante enfermidade que acomete humanos e animais, principalmente equinos e caninos. O tratamento da doença é difícil pelas peculiaridades do micro-organismo, especialmente pela ausência de ergosterol na membrana plasmática, componente alvo de ação da maioria das drogas antifúngicas. A fitoterapia tem sido alvo de diversas investigações científicas em função das propriedades farmacológicas das plantas medicinais, sobretudo devido as suas propriedades antioxidantes e antimicrobianas. Estudos avaliando a ação antimicrobiana de vários óleos essenciais e extratos de plantas têm evidenciado boa atividade contra Pythium spp. Considerando-se a eficácia in vitro dos óleos essenciais e dos extratos de plantas medicinais como agentes antimicrobianos, elaborou-se a presente proposta a fim de avaliar a suscetibilidade in vitro e in vivo do oomiceto P. insidiosum aos óleos essenciais e extratos de plantas comumente utilizadas na medicina popular. A importância econômica, as dificuldades encontradas para o tratamento e controle da pitiose em medicina veterinária, aliadas à necessidade de encontrar novas alternativas de tratamento mais eficazes e ambientalmente comprometidas, impulsionam e justificam o presente projeto, visando contribuir significativamente para o desenvolvimento científico e tecnológico do País. O projeto envolve o desenvolvimento de testes de suscetibilidade in vitro de isolados brasileiros de P. insidiosum frente aos óleos essenciais de diferentes plantas das famílias: Lamiaceae, Myrtaceae, Eucalypteae e Cardiopteridaceae, individualizados e em suas associações. Baseado nos resultados dos testes in vitro, serão realizados testes in vivo para verificar os óleos essenciais com melhor eficácia para o tratamento da pitiose experimental em coelhos. Entende-se que esta proposta apresenta caráter inovador, uma vez que estudos de novos compostos de origem natural com ação antimicrobiana frente ao oomiceto patogênico P. insidiosum são escassos; contudo são imprescindíveis para incrementar as possibilidades terapêuticas e impulsionar o desenvolvimento científico em medicina veterinária. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / M C A Meireles - Integrante / S Hartz Alves - Integrante / Nascente, P. - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / FONSECA, A. O. S. - Integrante / Caroline Quintana Braga - Integrante / Cristina gomes Zambrano - Integrante / SANTURIO, J. M. - Integrante / BOTTON, S. A. - Integrante / Vanessa Dal Ben - Integrante., Número de orientações: 1

  • 2014 - 2017

    Reprodução experimental da pitiose em coelhos e avaliação da patogenicidade de espécies de Pythium spp., Descrição: A pitiose é descrita em regiões de clima tropical, subtropical e temperada, afetando diversas espécies domésticas e selvagens e também humanos. No Brasil, a pitiose afeta equinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Embora as formas clínicas da pitiose nas espécies afetadas sejam bem descritas, a patogenia da pitiose não é completamente entendida, em parte porque as várias tentativas de reprodução experimental da enfermidade nas espécies naturalmente infectadas resultaram em insucesso. No entanto, a reprodução da doença em coelhos, espécie considerada modelo experimental da pitiose, com zoósporos de P. insidiosum obtidos in vitro muitas vezes falha. Este fato dificulta e atrasa o desenvolvimento dos estudos experimentais in vivo. Assim, a reprodução experimental utilizando micélio (hifas) de P. insidiosum poderá ser viabilizada quando a zoosporogênese resulta em insucesso. Em algumas espécies afetadas como equinos, caninos e ovinos a doença pode manifestar-se também na forma gastrointestinal. Os trabalhos utilizando coelhos como modelo experimental reproduziram a doença na sua forma cutânea. Assim, informações de período de incubação, desenvolvimento de lesões clínicas e cura puderam ser determinados para esta forma clínica. Por outro lado, a forma gastrointestinal da doença ainda não foi reproduzida. Desta forma, o desenvolvimento deste projeto propõe a avaliação da reprodução experimental da pitiose gastrointestinal em coelhos, auxiliando no conhecimento da patogenia da doença, evolução, características de lesões macroscópicas e microscópicas e métodos de controle e profilaxia desta forma clínica. Até o momento a única espécie relatada como patógena para animais é P. insidiosum. Porém, este gênero é composto por mais de 120 espécies que compartilham o mesmo nicho ecológico. Assim, torna-se importante avaliar se outras espécies de Pythium que co-habitam o mesmo ambiente também podem ser patogênicas para os animais. O presente estudo visa avaliar a reprodução da pitiose subcutânea e gastrointestinal em coelhos utilizando suspensão de micélio (hifas) e zoósporos de P. insidiosum, respectivamente, assim como avaliar a patogenicidade de espécies de Pythium isoladas de ecossistemas de água doce.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Elisa Simone Viégas Sallis - Integrante / SILVEIRA, J. S. - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Beatriz Persici - Integrante / Fernando de Sousa Maia Filho - Integrante / FONSECA, A. O. S. - Integrante / Cristina Zambrano - Integrante / Caroline Quintana Braga - Integrante.

  • 2014 - 2016

    Interação dos fungos Paecilomyces lilacinus e Trichoderma virens com ovos de Toxocara canis e avaliação da taxa de infecção em animais experimentais, Descrição: A toxocaríase visceral, também denominada síndrome larva migrans visceral (LMV), é uma zoonose parasitária resultante da migração e persistência de larvas de helmintos em hospedeiros não habituais, sendo um importante problema de saúde pública. A alta prevalência de Toxocara spp. em cães, associada à frequente contaminação ambiental e a resistência dos ovos no solo, incrementam a exposição humana à toxocaríase. Tendo em vista as desvantagens dos atuais métodos de controle contra enteroparasitos, sugere-se o uso do controle biológico, como uma alternativa viável e promissora que reduz as infecções causadas por helmintos parasitos gastrintestinais, e cuja ação se dá por meio de organismos vivos que atuam como antagonistas naturais no ambiente. Desta forma, é crescente o uso de fungos nematófagos, presentes no ecossistema e cuja ação é direcionada ao parasitismo dos ovos e larvas de vida livre dos geohelmintos. Levando-se em consideração a atividade ovicida de fungos nematófagos em T. canis, propõe-se o presente estudo que visa avaliar a redução da taxa de infecção por T. canis após a interação de fungos com ovos embrionados do parasito. A possibilidade de utilizarem-se os fungos em ambientes contaminados torna o controle biológico com esses agentes um método promissor. A realização de estudos que avaliem a utilização de métodos alternativos para o controle dessa zoonose é necessária, uma vez que ao reduzir-se o número de ovos infectantes no ambiente, estar-se-á reduzindo a exposição das espécies suscetíveis.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SILVEIRA, J. S. - Integrante / Fernando de Sousa Maia Filho - Integrante / FONSECA, A. O. S. - Integrante / MARONEZE, B. P. - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Avaliação in vitro e in vivo de óleos essenciais e de extratos de plantas nativas e exóticas no tratamento da pitiose em medicina veterinária: contribuição tecnológica no desenvolvimento de novos antimicrobianos, Descrição: A pitiose é uma importante enfermidade que afeta humanos e animais, principalmente equinos e caninos. Seu agente etiológico é o oomiceto aquático Pythium insidiosum. O tratamento da pitiose é difícil pelas peculiaridades do agente etiológico, notadamente a ausência de ergosterol na membrana plasmática, componente alvo de ação da maioria das drogas antifúngicas. A fitoterapia tem sido alvo de diversas investigações científicas relacionando usos, efeitos e propriedades farmacológicas das plantas medicinais. Neste sentido, há um crescente interesse na utilização de óleos essenciais e extratos de plantas devido as suas propriedades antioxidantes e antimicrobianas. Pesquisas avaliando a ação antimicrobiana de vários óleos essenciais e extratos de plantas, sobre espécies fitopatógenas de Pythium têm evidenciado boa atividade contra esses micro-organismos. No entanto, estudos envolvendo P. insidiosum ainda são escassos. Considerando-se a eficácia dos óleos essenciais e dos extratos de plantas medicinais como agentes antimicrobianos e a suscetibilidade de outras espécies de Pythium ? que não P. insidiosum - a esses compostos, elaborou-se o presente estudo que visa avaliar a suscetibilidade in vitro e in vivo do oomiceto P. insidiosum aos óleos essenciais e extratos de diversas plantas comumente utilizadas na culinária como condimentos ou na medicina popular. A importância econômica, as dificuldades encontradas para o tratamento e controle da pitiose em medicina veterinária, aliadas à necessidade de buscar novas alternativas de tratamento mais eficazes e ambientalmente comprometidas, impulsionam e justificam o presente projeto, visando contribuir significativamente para o desenvolvimento científico e tecnológico e inovação do País. O projeto prevê o desenvolvimento de testes de suscetibilidade in vitro aos óleos essenciais de Mentha piperita, Origanum majorana, Origanum vulgare, Rosmarinus officinalis e Melaleuca alternifolia, bem como o extrato bruto e frações (butanóica, clorofórmica, acetato de etila e exânica) de Glechon spathulata. Além disso, buscar-se-á estabelecer uma relação da eficácia dos testes de suscetibilidade in vitro com a eficiência de uma formulação tópica dos óleos essenciais ou extratos, avaliados neste estudo, no tratamento da pitiose experimental em coelhos. Entende-se que esta proposta apresenta caráter inovador, uma vez que estudos de novos compostos de origem natural com ação antimicrobiana frente ao oomiceto patogênico P. insidiosum são escassos; todavia são necessários para incrementar as possibilidades terapêuticas e, assim, impulsionar o desenvolvimento tecnológico do País, nas áreas de farmacologia e terapêutica em medicina veterinária.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Mario C Araújo Meireles - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / SANGIONI, L.A. - Integrante / SILVEIRA, J. S. - Integrante / Nascente, P. - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Beatriz Persici - Integrante / FONSECA, A. O. S. - Integrante / Caroline Quintana Braga - Integrante / SANTURIO, J. M. - Integrante / Fernando de souza Rodrigues - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.Número de orientações: 1

  • 2013 - 2015

    Suscetibilidade in vitro e in vivo do oomiceto Pythium insidiosum a óleos essenciais, Descrição: A pitiose é uma doença piogranulomatosa causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. o tratamento da pitiose é difícil pelas peculiaridades do agente etiológico, notadamente a ausência de ergosterol na membrana plasmática, componente alvo de ação da maioria das drogas antifúngicas. Mesmo assim, várias tentativas de tratamento e testes de suscetibilidade in vitro foram realizadas com anfotericina B, derivados imidazólicos, compostos iodínicos, terbinafina e caspofungina com resultados desanimadores. A fitoterapia tem sido alvo de diversas investigações científicas relacionando usos, efeitos e propriedades farmacológicas das plantas medicinais. Tendo em vista o mecanismo de ação dos óleos essenciais de plantas que determinam alterações da permeabilidade da membrana citoplasmática e modificações no gradiente de íons de hidrogênio, potássio e cálcio, levando a prejuízos dos processos essenciais à sobrevivência das células é notório o crescente interesse e desenvolvimento de pesquisas que avaliam o uso desses compostos como agentes antimicrobianos. Estudos têm demonstrado ação antimicrobiana de óleos essenciais de Rosmarinus officinalis, Mentha piperita, Thymus vulgaris, Origanum vulgare, Origanum majorana, Ocimum basilicum, Glechon spathulata bent., entre outros sobre bactérias, fungos filamentosos e leveduriformes. Pesquisas avaliando a ação antimicrobiana de óleos essenciais de Alpinia speciosa, Chenopodium ambrosioides, Lavandula R. C. hybrid, Mentha piperita, Ocotea queixos, origanum vulgare, Rosmarinus officinalis, thymus vulgaris e Thymus zygius sobre espécies fitopatógenas de Pythium (P. irregulare, P. ultimum e P. debarynum) têm evidenciado boa atividade contra esses micro-organismos. Porém, estudos avaliando a ação desses compostos sobre P. insidiosum, espécie patógena para mamíferos, são escassos. Nosso grupo de pesquisa ao avaliar a suscetibilidade in vitro dos óleos essenciais de O. vulgare e R. officinalis frente a oito isolados de P. insidiosum obteve resultados animadores. Todavia, mais estudos precisam ser realizados com o intuito de avaliar a eficácia desses compostos sobre esta espécie de oomiceto. Considerando-se a eficácia dos óleos essenciais como agentes antimicrobianos e a suscetibilidade de espécies de Pythium a esses compostos, elaborou-se o presente estudo que visa avaliar a suscetibivisa avaliar a suscetibilidade in vitro e in vivo do oomiceto P. insidiosum aos óleos essenciais de diversas plantas. A importância econômica, as dificuldades encontradas para o tratamento e controle da pitiose em animais e a necessidade de procura por alternativas de tratamento mais eficazes impulsionam e justificam a proposta deste trabalho.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Mario C Araújo Meireles - Integrante / S Hartz Alves - Integrante / SANTURIO, J.M. - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Fernando de Sousa Maia Filho - Integrante / MARONEZE, BEATRIZ PERSICI - Integrante / FONSECA, A. O. S. - Integrante / Caroline Quintana Braga - Integrante / Cristina gomes Zambrano - Integrante., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 3 / Número de orientações: 1

  • 2012 - 2013

    AVALIAÇÃO IN VITRO DA ATIVIDADE DE FUNGOS NEMATÓFAGOS SOBRE OVOS E LARVAS DE HELMINTOS INTESTINAIS DE CÃES, Descrição: As helmintoses constituem um grave problema na clínica de cães e gatos pela sua alta prevalência e por serem, algumas delas, consideradas zoonoses. O uso abusivo de quimioterápicos resulta no surgimento de populações resistentes destes parasitas, podendo também causar reações adversas e intoxicações. Torna-se necessário o desenvolvimento de métodos alternativos, que minimizem estes problemas e reduzam a carga parasitária dos animais, bem como a disponibilidade de larvas e a presença de nematódeos gastrointestinais de cães contaminando o ambiente. Os problemas relacionados à resistência e ecotoxicidade dos anti-helmínticos enfatizam a necessidade de programas integrados de controle parasitário, que assegurem saúde e segurança dos organismos vivos, por meio de tratamentos estratégicos baseados na epidemiologia, eliminação de vermifugações desnecessárias e medidas de higiene. Além disso, o crescente número de animais de companhia, principalmente nos grandes centros, tem estreitado o contato entre esses e o homem, aumentando a exposição humana aos agentes de zoonoses. Estes fatos justificam o desenvolvimento do presente trabalho que visa avaliar in vitro a atividade ovicida e predatória dos fungos Trichoderma spp.; Paecilomyces lilacinus; Duddingtonia flagrans e Arthrobotrys oligospora sobre os helmintos gastrointestinais de cães. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Elisa Simone Viegas Sallis - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / SILVEIRA, J. S. - Integrante / Filho, F.S.M - Integrante / Nascente, P. - Integrante / Stoll, F.E. - Integrante / Beatriz Persici - Integrante / Bianca Delgado Menezes Hofstatter - Integrante.

  • 2012 - Atual

    Perfil proteico de isolados brasileiros de Pythium insidiosum, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em eqüinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies e inclusive em isolados do microrganismo de ambientes aquáticos, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas e sugere a existência de variabilidade antigênica deste microrganismo. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem e comparem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados brasileiros de P. insidiosum oriundos de animais e ambientes aquáticos. Para isto, 60 isolados de P. insidiosum oriundos de equinos e 10 isolados oriundos de ambientes aquáticos, previamente identificados através da caracterização morfológica e molecular, serão submetidos a eletroforese em gel de poliacrilamida (SDS-PAGE) para identificação de proteínas. Em sequência, essas proteína. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Elisa Simone Viegas Sallis - Integrante / SANTURIO, J.M. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / SILVEIRA, J. S. - Integrante / Stoll, F.E. - Integrante / Botton, Sonia A. - Integrante / Fábio pereira Leivas leite - Integrante / Beatriz Persici - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante.

  • 2012 - Atual

    Ocorrência, aspectos epidemiológicos, clínicos e patológicos da pitiose equina no sul do Rio Grande do Sul, Descrição: Pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. É descrita em regiões de clima tropical, subtropical e temperado, em países do Continente Americano, Oceania e da África, afetando diversas espécies. No Brasil foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em eqüinos. Neste País, embora não exista um levantamento preciso da incidência e prevalência da enfermidade, a mesma representa um problema à equinocultura, sendo relatada em praticamente todos os Estados. O aumento do número de casos diagnosticados no sul do Rio Grande do Sul, a gravidade das lesões e as dificuldades terapêuticas da pitiose em equinos justificam a crescente preocupação com a enfermidade. A necessidade da caracterização epidemiológica da doença nesta região estimulou o desenvolvimento do presente estudo que visa determinar a ocorrência, os aspectos epidemiológicos, clínicos e patológicos da pitiose no sul do Rio Grande do Sul. Para isto, será desenvolvida a seguinte metodologia: coleta de dados da ocorrência da pitiose, assim como de dados pluviométricos e de temperatura mensais, a partir do ano de 1979, em municípios da área de influência do Laboratório Regional de Diagnóstico (LRD), Universidade Federal de Pelotas; mapeamento das propriedades com casos de pitiose diagnosticados a partir do ano de 1979 através de GPS; estudo dos padrões histopatológicos de lesões obtidas por biopsia ou necropsia de equinos a partir do ano de 2012 e dos casos diagnosticados pelo LRD no período de 1979 a 2011 e realização da técnica de imuno-histoquímica, para diagnóstico de certeza da pitiose eqüina.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Elisa Simone Viegas Sallis - Coordenador / Ana Lúcia Schild - Integrante / MARCOLONGO-PEREIRA, C. - Integrante / Beatriz Persici - Integrante / Tiago Luersen - Integrante / Dênis Halinski da Silveira - Integrante.

  • 2011 - 2015

    Utilização da Silagem de Colostro Bovino como suplemento nutricional, Descrição: O colostro é o primeiro leite produzido pela fêmea mamífera após parir, por um período que varia de 4 a 5 dias. Comparado ao leite, o colostro do dia do parto apresenta cinco vezes mais proteínas e é rico em minerais e vitaminas. Dentre as proteínas, 6% são imunoglobulinas que desempenham importante função protetora contra patógenos. Por ser um produto sem valor comercial e de aspecto desagradável o excedente é descartado. Entretanto pode ser utilizado como silagem de colostro representando uma alternativa de substituto de leite na alimentação de animais recém nascidos. Além disso, por possuir ingredientes de alto valor nutricional, pode ser utilizada como uma fonte alternativa viável, de baixo custo, na alimentação dos animais até o desmame. O colostro bovino é uma substância rica em nutrientes e imunoglobulinas.Na produção animal, a utilização do colostro, em algumas situações torna-se um processo de custo elevado pela necessidade de refrigeração ou congelamento. Saalfeld et al. (2006) utilizaram silagem de colostro como substituto do leite na alimentação animal observaram que terneiras alimentadas com silagem de colostro obtiveram um ganho médio de 667 g/dia, sendo superior dos animais alimentados com leite integral que obtiveram a média de 600 g/dia. Embora tenham demonstrado a eficácia da silagem de colostro na alimentação de animais, estudos determinando a sua composição físico - química e o seu valor nutricional e cinética do processo fermentativo, ainda não foram realizados. O presente projeto propõe estudar as características físico-químicas, microbiológicas, imunológicas e nutricionais da silagem de colostro bovino, testando a hipótese que a silagem de colostro pode ser utilizada na suplementação alimentar humana e animal.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / SILVEIRA, J. S. - Integrante / Stoll, F.E. - Integrante / Leite, F.P.L - Coordenador / Saalfeld, M.H. - Integrante., Financiador(es): CAPES - Centro Anhanguera de Promoção e Educação Social - Auxílio financeiro.

  • 2011 - 2013

    SUSCETIBILIDADE DE FUNGOS NEMATÓFAGOS FRENTE A FÁRMACOS ANTIPARASITÁRIOS, Descrição: Dentre as várias vantagens do controle biológico com fungos nematófagos seria o seu sinergismo com o controle químico, o que proporciona uma maior e abrangente atuação sobre as formas infectantes presentes nas fezes, bem como sobre os helmintos adultos que estão parasitando o animal (BRAGA et al., 2008). Entretanto, estudos com fungos entomopatogênicos têm demonstrado que os produtos químicos utilizados para o controle de pragas podem também ter efeitos antagônicos, sobre a atividade inseticida/acaricida de entomopatógenos presentes no agroecossistema. A inexistência de estudos de compatibilidade de formulações químicas com fungos nematófagos, assim como a ausência de uma metodologia padronizada para este tipo de teste, estimulou a realização do presente estudo que tem por objetivos verificar a atividade de fármacos preconizados para o tratamento anti-helmíntico de animais sobre a viabilidade de fungos utilizados no controle biológico de parasitos. Desta forma, acredita-se que o conhecimento da compatibilidade destes produtos sobre o desenvolvimento dos fungos é essencial para os programas de controle integrado de parasitoses em animais. O teste de suscetibilidade dos fungos nematófagos frente aos fármacos albendazol, tiabendazol, oxfendazol, ivermectina, closantel e levamisol será realizado pela técnica de Microdiluição em Caldo (MC), de acordo com o documento de referência M38-A (CLSI, 2008) adaptado para a realização de testes com fármacos antiparasitários. O teste de susceptibilidade será realizado em placas plásticas de microtitulação estéreis (Nuclon) com 96 poços de fundo chato.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / MENDES, J.F. - Integrante / Filho, F.S.M - Integrante / Nascente, P. - Coordenador / Vieira, J.N. - Integrante / Ferreira, F.G. - Integrante / Gonçalves, L. C. - Integrante., Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.

  • 2011 - 2013

    Determinação da capacidade inibitória de extratos vegetais em fungos de importância em veterinária., Descrição: Considerando a crescente importância das micoses em veterinária, destacando-se a esporotricose, candidíase, malasseziose ótica e tegumentar, dermatofitose e aspergilose por determinarem alta morbidade e mortalidade, além de grandes prejuízos econômicos; a realização de pesquisas na tentativa de se obter novos produtos mais eficazes e menos tóxicos para o tratamento destas se torna uma necessidade. A pesquisa de princípios ativos oriundos das plantas tem despertado interesse, em função da grande diversidade de compostos com possível ação antimicrobiana, já que muitos dos antifúngicos disponíveis apresentam um alto custo, efeitos colaterais importantes, sendo que algumas espécies fúngicas já desenvolveram resistência. Nesse contexto o Origanum vulgare (orégano) e Rosmarinus Officinallis (alecrim), se destacam, devido à estabilidade e ausência de contaminação microbiológica dos seus óleos essenciais, assim como pelos seus constituintes químicos, que possuem atividade antimicrobiana. De acordo com o exposto, estruturou-se este projeto priorizando o isolamento de patógenos fúngicos de animais e posterior avaliação da sensibilidade destes isolados aos óleos essenciais de orégano e alecrim. Com os objetivos propostos pretende-se demonstrar que fungos patogênicos isolados dos animais são sensíveis aos extratos vegetais, abrindo a possibilidade de uso destes óleos nas infecções fúngicas de pequenos animais.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Luis Felipe Schuch - Integrante / Mario C Araújo Meireles - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / SANTIN,R. - Integrante / OSORIO, L.G. - Integrante / CLEFF, M.B. - Coordenador / Nascente, P. - Integrante.

  • 2010 - 2013

    VARIABILIDADE GENÉTICA DO FUNGO CULTIVADO POR Acromyrmex spp NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL., Descrição: O presente estudo busca relacionar o fungo cultivado pelas espécies de formigas cortadeiras do gênero Acromyrmex (Formicidae: Myrmicinae) com sua biologia e comportamento de corte de folhas. Essas formigas através da evolução do padrão do seu comportamento se constituem atualmente nos principais herbívoros capazes de utilizar uma fonte ilimitada de recursos vegetais. Característica que as torna importantes pragas que atacam áreas agrícolas e urbanas. Essas formigas representam na natureza o modelo mais estreito e completo de uma associação mutualística, estabelecida principalmente com o fungo simbionte Leucoagaricus que se constitui no alimento das formigas. Este sistema biológico é o produto de uma sinergia co-evolutiva que potencia as interações ecológicas das formigas com altos impactos biológicos e econômicos. Não obstante é interessante a existência de certo grau de variação genética dentro das espécies simbiontes. Hipoteticamente, quando se busca explicar a origem dessas variações, verifica-se que podem estar associadas às preferências que as formigas exibem por certas plantas e que são acentuadas por mudanças antropogênicas, que por sua vez podem estar associadas com atividades agropecuárias. O estudo destes aspectos da biologia básica do sistema é de fudamental importância no planejamento e desenvolvimento racional de qualquer método de controle que se empreenda contra a formiga. O objetivo desse estudo é estabelecer o grau de diferenciação genética do fungo Leucoagaricus proveniente de distintos locais do Estado do Rio Grande do Sul em áreas de campo nativo e de agricultura e diferenciar etologicamente as formigas que cultivam esse fungo. O conhecimento da variabilidade genética do fungo mutualista das formigas cortadeiras é fundamental para o avanço de um manejo integrado regional destes insetos em zonas Neotropicais.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Sonia Botton - Integrante / Loeck,A.E. - Coordenador / Stoll, F.E. - Integrante / Donatti, M.G - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2010 - 2012

    Freqüência e diagnóstico de lesões de pele em equinos na região sul do Rio Grande do Sul-estudo retrospectivo eprospectivo, Descrição: Com relação as doenças de pele de equinos diagnosticadas no Laboratório Regional de Diagnóstico, destacam-se a pitiose, habronemose cutânea e o sarcóide, determinando prejuízos econômicos para a equinocultura da região sul do RS. Neste experimento será feito um levantamento retrospectivo e prospectivo das doenças de pele diagnosticadas em equinos na área de influência do LRD e a padronização da técnica de imuno-histoquímica para o diagnóstico de pitiose na área de influência do LRD-Faculdade de Veterinária-UFPel. Treinar estudantes de graduação e pós-graduação em técnicas de diagnóstico como histoquímica e imuno-histoquímica para o diagnóstico das doenças de pele em equinos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Ana Lúcia Schild - Integrante / Margarida B Raffi - Integrante / Eliza Simone Viegas Sallis - Coordenador / GRECCO, F.B. - Integrante.

  • 2010 - 2012

    Avaliação ?in vitro? da suscetibilidade de Pythium insidiosum aos óleos essenciais de Rosamarinus officinalis e Origanum vulgare, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. É descrita em regiões de clima tropical, subtropical e temperado, em países do Continente Americano, Oceania e da África, afetando diversas espécies. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em eqüinos. A doença é progressiva, levando o animal ao emagrecimento e à morte em 100% dos casos. O tratamento da pitiose em animais e humanos é dificultado pelas peculiaridades do agente etiológico, notadamente a ausência de ergosterol na membrana plasmática, componente alvo de ação da maioria das drogas antifúngicas. Por isso, as drogas antifúngicas são ineficientes e a maioria dos animais atingidos não sobrevive em decorrência da infecção. Mesmo assim, várias tentativas de tratamento e testes de suscetibilidade in vitro foram realizadas utilizando fármacos antifúngicos assim como: anfotericina B, cetoconazol, miconazol, fluconazol, itraconazol, compostos iodínicos, terbinafina e caspofungina com resultados desanimadores. Desta forma, há a necessidade de uma alternativa de terapia, principalmente para animais de alto valor zootécnico ou de estimação e mesmo na pitiose em humanos. A fitoterapia tem sido alvo de diversas investigações científicas relacionando a usos, efeitos e propriedades farmacológicas das plantas medicinais. Vários estudos têm demonstrado a ação antifúngica e antibacteriana dos óleos essenciais de Rosmarinus officinalis (alecrim) e Origanum vulgare (orégano) frente a diversos microrganismos incluindo bactérias e fungos levedurioformes e filamentosos. Considerando-se que estudos de suscetibilidade de P. insidiosum a fitoterápicos ainda não foram desenvolvidos e levando em consideração os dados animadores de suscetibilidade de agentes fúngicos aos óleos essenciais, elaborou-se o presente trabalho que visa avaliar a suscetibilidade in vitro do oomiceto P. insid. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Mário C Araújo meireles - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / CLEFF, M.B. - Integrante / SILVEIRA, J. S. - Integrante., Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.

  • 2010 - 2012

    AVALIAÇÃO IN VITRO DA ATIVIDADE OVICIDA DE FUNGOS ISOLADOS DE SOLO NO MUNICIPIO DE PELOTAS/RS SOBRE OVOS DE Toxocara canis, Descrição: A toxocaríase tem sido apontada como importante zoonose em países desenvolvidos e em desenvolvimento. A infecção no homem ocorre pela ingestão acidental de ovos embrionados de Toxocara canis presentes em solos contaminados ou ingestão de carne crua ou mal cozida de hospedeiros paratênicos. T. canis é considerado um dos mais comuns parasitos mundiais, cuja prevalência pode chegar até 81% da população de cães. Os cães jovens são os principais responsáveis pela contaminação de ovos no ambiente. As medidas de prevenção da toxocaríase a serem adotadas devem levar em consideração o controle da população canina, a educação do público sobre o potencial zoonótico desse nematóide e a limitação do acesso de animais a áreas de lazer. Por outro lado, a alta resistência dos ovos no ambiente e a dificuldade de desinfecção justificam a necessidade da implementação de medidas alternativas que ajudem na descontaminação do solo, já que o mesmo constitui-se na principal fonte de contaminação. Entre as medidas alternativas, está o uso de fungos nematófagos que estão presentes no meio ambiente e, cuja ação está concentrada no ambiente fecal e direcionada ao combate dos ovos e das larvas de vida livre dos geohelmintos. A importância da toxocaríase em saúde pública, assim como, a problemática nas metodologias para o controle da infecção, justificam a preocupação e o desenvolvimento de pesquisas que visem alternativas de controle do parasito. Além disso, a identificação de fungos com atividade sobre ovos de T. canis demonstram o potencial desses micro-organismos e a possibilidade de sua utilização no controle biológico do parasito. No presente estudo, propõe-se isolar e avaliar a atividade ovicida de fungos isolados a partir de solos provenientes de locais públicos do município de Pelotas, RS. Acredita-se que este estudo virá corroborar com as estratégias de controle desta importante parasitose. Além disso, indiretamente contribuirá na minimização da taxa de infecção, incrementando assim, a. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Berne, M.E. A - Integrante / Filho, F.S.M - Integrante / Nascente, P. - Integrante / Stoll, F.E. - Integrante., Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.

  • 2009 - 2017

    Isolamento de Pythium insidiosum de ambientes aquáticos no estado do Rio Grande do Sul, Descrição: O referido projeto tem como objetivos: - Verificar a presença de Pythium insidiosum em áreas alagadiças do Rio Grande do Sul, através do isolamento de Pythium insidiosum de ambientes aquáticos, primeiramente das regiões Sul, Central e Oeste do RS, onde a pitiose é incidente; - Avaliar diferentes meios de cultura para otimização do isolamento de Pythium insidiosum de ambientes aquáticos; - Verificar a composição química da água das áreas alagadiças e relacioná-la com a presença de Pythium insidiosum; - Estudar e comparar molecularmente as amostras de Pythium insidiosum isoladas dos ambientes aquáticos, relacionando-as com amostras de Pythium insidiosum provenientes de doença clínica em eqüinos e já caracterizadas; - Relacionar a presença de Pythium insidiosum com as condições climáticas da região estudada. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Janio Morais Santurio - Integrante / Sonia Botton - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante., Número de produções C, T & A: 2

  • 2009 - 2013

    RESISTÊNCIA AO APODRECIMENTO DE TRÊS ESPÉCIES DE EUCALIPTOS QUANDO SUBMETIDAS A TRATAMENTOS PRESERVATIVOS, Descrição: O presente trabalho tem como objetivo avaliar a durabilidade da madeira de Eucalyptus saligna Smith., Eucalyptus tereticornis Smith. e Corymbia citriodora Hill & Johnson, com três tipos de tratamentos preservativos, quando expostas a dois ambientes distintos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Victor Gatto - Coordenador / Érika da Silva Ferreira - Integrante / Diego Martins Stangerlin - Integrante.

  • 2009 - 2011

    Perfil de sensibilidade de bactérias isoladas de casos de mastite bovina, Descrição: O leite é um alimento nutritivo e completo, mas para que possa ser aproveitado pelo organismo, deve ser de ótima qualidade, assegurando assim sua eficiência. Mastite é a denominação do processo inflamatório da glândula mamária que ocorre em decorrência da contaminação por bactérias patogênicas, vírus, fungos e algas ou por traumas provocados por agentes químicos, físicos, mecânicos, térmicos e por problemas metabólicos e leva a perdas na produção de leite que alcançam de 10 a 26% do total da produção. O isolamento bacteriano e respectivo antibiograma são ferramentas imprescindíveis no dia-a-dia da granja leiteira.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Mario C Araújo Meireles - Integrante / S L Ladeira - Integrante / P nascente - Coordenador / Dias, P.A. - Integrante.

  • 2009 - 2011

    Leveduras isoladas em mãos de profissionais da saúde, Descrição: As infecções fúngicas de origem hospitalar passaram a ser de grande importância nos últimos anos, pelo seu aumento progressivo e pelas elevadas taxas de morbidade e mortalidade.Muitas dessas infecções são de origem endógena e outras podem também ser adquiridas por via exógena, pelas mãos dos trabalhadores da área da saúde, infusos contaminados, biomateriais e fontes inanimadas ambientais.Assim, o monitoramento de fontes de contaminação deve ser realizado, principalmente em salas especiais com pacientes imunocomprometidos, sujeitos à exposição de patógenos oportunistas. Portanto este estudo visa estabelecer a freqüência de leveduras nas mãos de profissionais da saúde trabalhadores de UTIs de três hospitais da cidade de Pelotas-RS e caracterizar e identificar as leveduras isoladas nas mãos destes profissionais.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Mario C Araújo Meireles - Integrante / P nascente - Coordenador / CLEFF, M.B. - Integrante / Lund, R.G - Integrante / Bueno, M.E.N. - Integrante / Santin, R. - Integrante.

  • 2009 - 2011

    INDUÇÃO À FRUTIFICAÇÃO DO FUNGO SIMBIONTE DE FORMIGAS CORTADEIRAS DO GÊNERO Acromyrmex (HYMENOPTERA:FORMICIDAE) EM LABORATÓRIO, Descrição: As formigas são consideradas insetos sociais (eussociais), ou seja, realizam atividades complexas agrupadas em castas: fêmeas férteis (rainhas) e estéreis ápteras (operárias e soldados), e machos alados (reprodutores). Além disso, elas cooperam no cuidado dos jovens, havendo uma divisão reprodutiva do trabalho - indivíduos sem função reprodutiva trabalhando para o benefício dos férteis (SILVA e LOECK, 2006). Elas são responsáveis por uma parcela significativa da reciclagem de nutrientes e aeração das camadas superficiais do solo. Algumas espécies mantêm associações simbióticas com plantas, protegendo-as contra a ação de herbívoros, fungos e outros insetos (CARLOS, 2008). Em contrapartida, outras formigas atacam folhas de plantas de grande porte, como de culturas de eucalipto, causando grandes perdas e danos econômicos (GALLO et al., 2002). As formigas cortadeiras do gênero Acromymex, pertencentes à tribo Attini, são popularmente conhecidas como ?quenquéns?. Cortam e transportam pedaços vegetais, de plantas nativas e cultivadas, para dentro dos formigueiros onde, em câmaras especiais (denominadas panelas), são utilizados como substrato para o cultivo de um fungo simbionte, do qual se alimentam (LOECK e GRÜTZMACHER, 2001). A associação entre as formigas cortadeiras e seus fungos simbiontes é obrigatória, de tal forma que nenhum dos dois consegue sobreviver isoladamente. As formigas inoculam o fungo sobre matéria vegetal dentro de seus formigueiros e previnem o crescimento de microorganismos contaminantes, que competem com seu desenvolvimento (HOLLDÖBLER & WILSON, 1990). O fungo produz hifas e gongilídeos que são tidos como a principal fonte de nutrientes para as formigas, especialmente para as larvas (QUINLAN & CHERRETT, 1979). Borba (2006) salienta que a sistemática do fungo simbionte é dificultada pela grande semelhança morfológica destes organismos no estado vegetativo e pela inexistência de frutificação das culturas em laboratório. Além disso, estes fungos pertenc. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Alci Enimar Loeck - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2009 - 2010

    INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA SOBRE O DESENVOLVIMENTO DO FUNGO SIMBIONTE DE FORMIGAS CORTADEIRAS., Descrição: O trabalho visa avaliar a temperatura ideal para o crescimento e desenvolvimento do fungo simbionte Leucoagaricus gongylophorus. Os fungos utilizados no trabalho provém de três diferentes espécies de formigas cortadeiras, Acromyrmex ambiguus, Acromyrmex crassispinus e Acromyrmex heyeri, que serão isolados e repicados em placas de Petri, contendo meio de cultura Silva- Pinhati (2005). Os tratamentos utilizados ,serão as temperaturas (15,18, 22, 25, 28 e 30 C), onde se avaliará o halo de crescimento do fungo aos 50 dias após o seu estabelecimento no meio de cultura.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Loeck,A.E. - Coordenador / Freitas, D.F. - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2008 - 2012

    CARACTERIZAÇÃO MOLECULAR DE ISOLADOS DE PYTHIUM INSIDIOSUM, OOMICETO CAUSADOR DA PITIOSE EM ANIMAIS E HUMANOS, Descrição: A pitiose é uma doença crônica, piogranulomatosa, freqüentemente observada em eqüinos e caninos. É prevalente em áreas tropicais, subtropicais e temperadas, sendo o Brasil um dos países de maior frequência da doença em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. A habilidade de distinguir Pythium insidiosum de outras espécies de Pythium e de outros organismos que podem causar sinais clínicos similares é crucial para o tratamento da doença. A identificação e a classificação das espécies de Pythium baseiam-se principalmente nas características morfológicas. Este método, além de exigir a realização de técnicas trabalhosas e demoradas, requer a identificação profissional capacitado e com experiência na identificação desse gênero. Além disso, fatores ambientais, assim como temperatura, meio de cultura e idade do isolado, podem afetar as características morfológicas e fisiológicas e impedir o processo de identificação. Desta forma, o uso de técnicas de biologia molecular torna-se uma ferramenta bastante útil para identificação de espécies de Pythium. Entretanto, poucos estudos moleculares têm sido reportados para identificação e filogenia de Pythium insidiosum. Pelo fato da grande maioria dos isolados brasileiros de Pythium insidiosum não ser caracterizada molecularmente e devido à possibilidade de existirem amplas variações genéticas, torna-se importante estudar e caracterizar a filogenia, bem como analisar a existência de variações moleculares entre os isolados de Pythium insidiosum do Brasil. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Sonia Botton - Integrante / SANTURIO, J.M. - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 9

  • 2008 - 2010

    Caracterização Molecular de isolados de Pythium insidiosum, oomiceto agente de pitiose em animais e humanos, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / M Azevedo - Integrante / Sonia Botton - Integrante / SANTURIO, J.M. - Coordenador / ALVES, S.H. - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 11

  • 2007 - 2007

    Suscetibilidade in vitro de Sporotrix schenckii e avaliação da antifungoterapia na esporotricose experimental em modelo murino, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Paulo Lopes - Integrante / ALVES, S.H. - Coordenador., Financiador(es): Universidade Federal de Santa Maria - Outra., Número de produções C, T & A: 1

  • 2005 - 2008

    Atividade de novos antifúngicos sobre Pythium insidiosum, fungo produtor de granulomas em eqüinos., Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / M Azevedo - Integrante / Fávio Silveira - Integrante / Fernando Costa - Integrante / SANTURIO, J.M. - Coordenador / ALVES, S.H. - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4

  • 2004 - 2005

    Características físico-químicas e microbiológicas do leite consumido em Uruguaiana, não inspecionado, Descrição: Avaliar a qualidade do leite " in natura ", não inspecionado vendido em pontos comerciais do município.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Kátia da Silveira Viana - Integrante / Jorje Schafhauser Júnior - Integrante., Financiador(es): Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Bolsa.

  • 2004 - 2005

    Carne vermelha: procedência, formas de comercialização, preferências e consumo na cidade de Uruguaiana, RS., Descrição: Estudar as preferências, procedências da carne consumida pela população.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Telmo Fraga Rodrigues - Integrante / Luciana Pötter - Coordenador., Financiador(es): Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Bolsa.

  • 2003 - 2004

    Efeito da levedura Saccharomyces cereviseae (BIOSAF) nos índices de mastite subclínica bovina e na produtividade de leite., Descrição: Avaliar a efetividade da levedura na melora dos índices de mastite bovina e na produção de leite.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Luciana Pötter - Integrante / Jovana Martins - Integrante., Financiador(es): Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2 / Número de orientações: 1

  • 2002 - 2003

    Estudo do potencial zoonótico de gatos domésticos na transmissão da esporotricose, Descrição: Pesquisar a presença de Sporotrix schenckii em unhas de gatos domésticos sadios, no intuito de avaliar se os mesmos podem atuar na transmissão da esporotricose para outos animais e humanos pela arranhadura.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Christiane Duarte Pombo - Integrante / Cristina B Colpo - Integrante., Financiador(es): Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Bolsa., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2002 - 2003

    Histopatologia e microbiologia de lesões encontradas em peças de carcaças de bovinos abatidos em frigorífico na região de Uruguaiana, RS., Descrição: Avaliar a microbiologia e histopatologia de lesões granulomatosas de bovinos abatidos, comparando com o diagnóstico macroscópico da inspeção sanitária.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Adriana Lücke Stigger - Integrante / Diana W Mutti - Integrante., Financiador(es): Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2001 - 2002

    Estudo microbiológico e histopatológico de lesões granulomatosas em bovinos abatidos em frigorífico no município de Uruguaiana, RS., Descrição: Avaliar amicrobiologia e histopatologia de lesões granulomatosas encontradas em frigorífico, comparando com o diagnóstico macroscópico da inspeção do frigorífico.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Kellen Nunes - Integrante / Adriana Lücke Stigger - Integrante / Carla G Paim - Integrante., Financiador(es): Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Bolsa., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2001 - 2002

    Intoxicação experimental em ovinos com Ramaria flavo-brunnensces fresca, no município de Uruguaiana, RS., Descrição: Avaliar a toxicidade da Ramaria fresca para ovinos, comparando com outros trabalhos quando a planta foi administrada na forma congelada.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Guilherme Rocha - Integrante / Adriana Lücke Stigger - Coordenador., Financiador(es): Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Bolsa., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2000 - 2000

    Prevalência da mastite bovina no município de Uruguaiana, RS e sua relação com os agentes ambientais., Descrição: Relacionar os agentes etiológicos das mastites subclínicas com a presença dos mesmos no ambiente (mãos de ordenhador, mangueiras e copos de ordenhadeiras). , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Christiane Duarte Pombo - Integrante / Gustavo C Rubin - Integrante., Financiador(es): Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 1999 - 1999

    Intoxicação experimental por Ramaria flavo-brunnensces, no município de Uruguaiana, RS., Descrição: Estudar a toxicidade da planta para ovinos.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Wilson Bishop - Integrante / Elisa Simone Viégas Sallis - Coordenador., Financiador(es): Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 1999 - 1999

    Prevalência e etiologia da mastite bovina no município de Uruguaina, RS., Descrição: Realizar o levantamento dos principais agentes de mastite no município. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / Luis Eduardo Razia - Integrante / Jorje Schafhauser Júnior - Integrante / Elisa Simoni Viegas Sallis - Integrante., Financiador(es): Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Bolsa., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 1996 - 1997

    Malassezia pachydermatis como causa de otites em cães., Descrição: Estudar a participação da levedura como causa de otite em cães.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Márcia de Oliveira Nobre - Integrante / Mário Carlos Araújo Meireles - Coordenador., Financiador(es): Universidade Federal de Pelotas - Bolsa., Número de produções C, T & A: 4

  • 1996 - 1997

    Determinação da toxicidade de Diplodia maydis para ruminantes no RS., Descrição: Estudar a toxicidade de diferentes cepas de Diplodia para ruminates.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Integrante / Franklin Riet Correa - Coordenador / Mário Carlos Araújo Meireles - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de desenvolvimento

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Identificação de proteínas imunodominantes de isolados brasileiros de P. insidiosum e desenvolvimento de insumos para o diagnóstico e controle da pitiose, Descrição: A pitiose é uma enfermidade piogranulomatosa do tecido subcutâneo causada pelo oomiceto aquático Pythium insidiosum. No Brasil, foi descrita em eqüinos, bovinos, ovinos, caninos e humanos, porém a maioria dos casos corresponde a lesões cutâneas em equinos. Em todas as espécies afetadas pode ocorrer a morte, especialmente quando não tratadas. Atualmente, a imunoterapia é a única alternativa mais eficaz no tratamento da pitiose equina. Porém, há muitos casos de equinos não responsivos e além disso, os imunoterápicos de corrente uso apresentam apenas propriedades curativas. Como o efeito curativo é lento, veterinários e proprietários desistem dos tratamentos e optam pela eutanásia dos animais. Uma vez que as propriedades profiláticas dos imunoterápicos não têm sido completamente avaliadas, acredita-se que a identificação de proteínas imunodominantes expressas pelo P. insidiosum poderia auxiliar a eficácia dos imunoterápicos já disponíveis e /ou estimular o desenvolvimento de vacinas de uso profilático e de insumos para um diagnóstico mais rápido e eficaz. Alguns estudos têm demonstrado a expressão de diferentes antígenos imunodominantes em isolados de P. insidiosum provenientes de diferentes espécies, o que evidencia a presença de prováveis proteínas imunogênicas. No Brasil, onde a pitiose é endêmica, é de urgência a realização de estudos que caracterizem o perfil protéico dos isolados de P. insidiosum. Desta forma, propõe-se o presente estudo que tem por objetivo avaliar o perfil protéico de isolados de P. insidiosum de diferentes regiões do Brasil e identificar proteínas imunodominantes para o desenvolvimento de insumos aplicados em métodos preventivos e de diagnóstico da pitiose. Para isto, primeiramente realizar-se-á um estudo do perfil proteico de isolados de P. insidiosum oriundos de animais com doença clínica e identificação das proteínas imunodominantes. Posteriormente, essas proteínas serão extraídas, submetidas a análise proteômica e clonagem. A proteína reco. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Daniela Isabel Brayer Pereira - Coordenador / SANTURIO, J.M. - Integrante / ALVES, S.H. - Integrante / Azevedo, M. I. - Integrante / FONSECA, A.O. - Integrante / Leite, F.P.L - Integrante / Julia de Souza Silveira Valente - Integrante / Botton, S.A. - Integrante / Rômulo Silva de Oliveira - Integrante / Maroneze, B.P. - Integrante.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2007

Homenageada Turma de Formandos 2007, PUCRS Campus Uruguaiana.

2006

Paraninfa da Turma de Formandos em Medicina Veterinária, Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

2005

Homenagem Especial da Turma de Formandos de Medicina Veterinária -2005, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

2004

Paraninfa da Turma de Formandos de Medicina Veterinária -2004, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

2003

Homenagem Especial da Turma de Formandos de Medicina Veterinária -2003, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

2002

Paraninfa da Turma de Formandos de Medicina Veterinária - 2002, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

2001

Patronesse da Turma de Formandos de Medicina Veterinária - 2001, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

2000

Homenagem de Estima - Turma de Formandos de Medicina Veterinária - 2000, Pontifícia Universidade Católica do rio Grande do Sul.

1999

Homenagem da Turma de Formandos de Medicina Veterinária de 1999, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

1992

Primeira Colocação em Medicina Veterinária (Turma Dez/91), VETSUL.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade Federal de Pelotas, Instituto de Biologia / Departamento de Microbiologia e Parasitologia. , Campus Universitário, Capão do Leão, 96010-900 - Pelotas, RS - Brasil, Telefone: (53) 32757338, Ramal: 7338, URL da Homepage:

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2013 - Atual

    Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq

    Vínculo: Bolsista em produtividade, Enquadramento Funcional: Bolsista - DT2, Carga horária: 10

    Outras informações:
    Bolsista em produtividade e desenvolvimento tecnológico e inovação - DT-2

  • 2005 - 2008

    Universidade Federal do Rio Grande do Sul

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Doutorado, Carga horária: 40

  • 1998 - 2008

    Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

    Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: professor adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

    Atividades

    • 03/2002

      Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Zootecnia Veterinária e Agronomia - Campus Uruguaiana, Fzva.,Cargo ou função, Comissão Científica da Revista da FZVA.

    • 03/1998

      Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de Zootecnia Veterinária e Agronomia - Campus Uruguaiana, Fzva.,Linhas de pesquisa

    • 03/1998

      Ensino, Medicina Veterinária, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, análises clínicas (patologia clínica), doenças infecto-contagiosas II, fisiologia dos animais domésticos I e II, imunologia, microbiologia veterinária I e II

    • 03/1998

      Serviços técnicos especializados , Faculdade de Zootecnia Veterinária e Agronomia - Campus Uruguaiana, Fzva.,Serviço realizado, Responsável técnica pelo laboratório de microbiologia da FZVA..

    • 03/1998

      Serviços técnicos especializados , Faculdade de Zootecnia Veterinária e Agronomia - Campus Uruguaiana, Fzva.,Serviço realizado, Atendimento em propriedades leiteiras e diagnóstico microbiológico em geral.

    • 03/1998

      Extensão universitária , Faculdade de Zootecnia Veterinária e Agronomia - Campus Uruguaiana, Fzva.,Atividade de extensão realizada, diagnóstico laboratorial - microbiologia.

    • 04/2006 - 04/2006

      Treinamentos ministrados , Departamento de Medicina Veterinári aPreventiva, .,Treinamentos ministrados, II Treinamento em Métodos de Diagnóstico em Brucelose e Tuberculose

    • 08/2005 - 08/2005

      Treinamentos ministrados , Faculdade de Zootecnia Veterinária e Agronomia - Campus Uruguaiana, Fzva.,Treinamentos ministrados, I Treinamento em Métodos de Diagnóstico e Controle da Brucelose e Tuberculose Animal

    • 12/2000 - 12/2003

      Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Zootecnia Veterinária e Agronomia - Campus Uruguaiana, Fzva.,Cargo ou função, Membro de Conselho de Unidade - Coordenação do Departamento de Ciências Básicas.

    • 09/2000 - 11/2000

      Treinamentos ministrados , Faculdade de Zootecnia Veterinária e Agronomia - Campus Uruguaiana, Fzva.,Treinamentos ministrados, Diagnóstico das micoses nos animais domésticos (30 horas)

    • 11/1999 - 12/1999

      Treinamentos ministrados , Faculdade de Zootecnia Veterinária e Agronomia - Campus Uruguaiana, Fzva.,Treinamentos ministrados, Diagnóstico das micoses em animais domésticos (30 horas)

  • 2016 - Atual

    Universidade Federal de Pelotas

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Bolsista Produt. em Pesquisa - CNPq -nível 2, Carga horária: 10, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2014 - Atual

    Universidade Federal de Pelotas

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Adjunto 4, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2014 - Atual

    Universidade Federal de Pelotas

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Coord. Programa Pós-Graduação Parasitologia, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2013 - 2015

    Universidade Federal de Pelotas

    Vínculo: Bolsista em produtividade, Enquadramento Funcional: Bolsista produtividade e desenv. tecnologico, Carga horária: 10

    Outras informações:
    Bolsista em produtividade e desenvolvimento tecnológico e inovação - DT-2.

  • 2012 - 2014

    Universidade Federal de Pelotas

    Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Adjunto 3, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2011 - 2014

    Universidade Federal de Pelotas

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Coord. Adj. Progr. Pós Grad. Parasitologia, Carga horária: 2

  • 2010 - 2012

    Universidade Federal de Pelotas

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto 2, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2008 - 2010

    Universidade Federal de Pelotas

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto 1, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 1996 - 1998

    Universidade Federal de Pelotas

    Vínculo: professor substituto, Enquadramento Funcional: professor substituto, Carga horária: 40

    Atividades

    • 08/2011

      Conselhos, Comissões e Consultoria, Membro do Colegiado do Curso de Medicina Veterinária, .,Cargo ou função, Membro do colegiado de curso.

    • 03/2011

      Ensino, Parasitologia, Nível: Pós-Graduação,Disciplinas ministradas, Orientador em nível doutorado

    • 03/2010

      Ensino, Parasitologia, Nível: Pós-Graduação,Disciplinas ministradas, Aplicabilidade de fungos no controle biológico de artrópodes e endoparasitas, Metodologia da Pesquisa em Parasitologia

    • 03/2010

      Ensino, Parasitologia, Nível: Pós-Graduação,Disciplinas ministradas, Orientador em nível mestrado

    • 03/2009

      Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Biologia / Departamento de Microbiologia e Parasitologia, .,Linhas de pesquisa

    • 03/2009

      Ensino, Nutrição, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Microbiologia

    • 03/2009

      Ensino, Odontologia, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Microbiologia e Imunologia

    • 03/2009

      Conselhos, Comissões e Consultoria, Membro do Colegiado do Curso de odontologia, .,Cargo ou função, Membro do colegiado de curso.

    • 10/2008

      Ensino, Medicina Veterinaria, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Microbiologia e Imunologia

    • 06/1996 - 02/1998

      Ensino, Veterinária Medicina Enfermagem e Obstetrícia Odon, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Microbiologia

    • 11/1996 - 12/1997

      Ensino, Veterinária, Nível: Pós-Graduação,Disciplinas ministradas, Colaboradora das disciplinas de micologia dos animais domésticos e doenças micológicas, ministrando aulas.

    • 06/1996 - 12/1997

      Ensino, Veterinária, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Colaboradora da disciplina de doenças infecciosas, ministrando aulas de dermatofitose e dermatofilose.

    • 09/1997 - 10/1997

      Treinamentos ministrados , Faculdade de Veterinária, Departamento de Veterinária Preventiva.,Treinamentos ministrados, Aulas ministradas no I Curso Prático de Micologia (80 horas /aula)

  • 2005 - 2007

    Universidade Federal de Santa Maria

    Vínculo: Professor Substituto, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 20

    Atividades

    • 09/2005 - 09/2007

      Ensino, Medicina Veterinária, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Micologia clínica, Microbiologia