João Victor dos Santos Silva

Ingressei na Universidade Federal de Alagoas no ano de 2010 para cursar História e tentando fazer a minha própria. Durante minha estadia na UFAL participei de projetos de Pesquisa sobre atingidos por barragens e suas lutas, como também do PIBID, pesquisando ensino de história e cultura afro brasileira. Apresentei minha monografia de conclusão de curso em Janeiro de 2016 já estando aprovado no Mestrado em História da Universidade Estadual de Feira de Santana. No dia 04 de Abril colei grau no gabinete da reitoria em Alagoas e no dia 9 do mesmo mês tornei-me oficialmente mestrando do PPGH da Universidade Estadual de Feira de Santana, onde desenvolvi uma pesquisa sobre o movimento sindical dos atingidos pela barragem de Itaparica no Submédio São Francisco e obtive meu título de mestre em História.

Informações coletadas do Lattes em 03/06/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em História

2016 - 2018

Universidade Estadual de Feira de Santana
Título: O povo versus a ?Besta-Fera?: o Polo Sindical dos Trabalhadores Rurais do Submédio São Francisco -Pe/Ba - na organização do movimento dos trabalhadores ribeirinhos atingidos pela barragem de Itaparica ? BA/PE ? (1976-1986),Ano de Obtenção: 2018
Eurelino Teixeira Coelho Neto.Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Atingidos por barragem; sindicalismo rural; luta de classes; CHESF.Grande área: Ciências Humanas

Graduação em História

2010 - 2016

Universidade Federal de Alagoas
Título: Luz e Sombras: uma análise da história escrita da CHESF no Submédio São Francisco e a tessitura de uma história única
Orientador: Aruã Silva de Lima

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Espanhol

Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

V SEHPOLIS Seminário de história política: diálogos históricos e historiográficosos.Narrativa, Política e Hegemonia: A historiografia ?oficial? da CHESF e a tentativa de afogamento da memória de luta dos atingidos pelas barragens de Itaparica. (1976-1988). 2018. (Seminário).

IV Encontro Nacional de História do Sertão.No front do rio de lutas, a trincheira das prensas:a disputa pela narrativa entre atingidos pela barragem de Itaparica e a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF) em periódicos pernambucanos entre 1979 e 1986. 2017. (Encontro).

XII Semana de História Politica IX Seminário Nacional de História Politica, Cultura e Sociedade: Conflitos e resistência: Entre práticas, expectativas e rupturas..Energia para o capital: a besta-fera do vale na marcha pela produção energética para industrialização sobre os trabalhadores rurais atingidos pela barragem de Itaparica ? PE/BA (1976-1990).. 2017. (Seminário).

III Encontro Nacional de História do Sertão.Barragens Da Aridez: Atingidos Por Barragem Em Luta No Submédio São Francisco Da Década De 1940 Aos Dias De Hoje. 2016. (Encontro).

VIII Encontro Estadual de História da ANPUH-BA.As Agruras Do Rio: Trabalho, Organização Política E A Luta Dos Atingidos Pelas Barragens De Itaparica E Moxotó No Submédio São Francisco (1974-1986).. 2016. (Simpósio).

2ª Encontro Nacional de História do Sertão.( 2ªIENHS). 2015. (Encontro).

1ª Encontro Nacional de História do Sertão.( 1ªIENHS).CHESF e a produção de sua auto-imagem: histórias e memórias de uma instituição (1946 ? 2014). 2014. (Encontro).

I Simpósio de Arqueologia e História do Núcleo de Pesquisa e Estudos Arqueológicos e Históricos, do Campus do Sertão, da Universidade Federal de Alagoas, em Delmiro Gouveia. 2014. (Simpósio).

I Simpósio de Arqueologia e história do Núcleo de Pesquisa e Estudos arqueológicos e históricos do Campus Sertão. 2014. (Simpósio).

XXXIII Encontro Nacional de Estudantes de História.ENSINO DE HISTÓRIA: CULTURA AFRO-BRASILEIRA E AS RELIGIOSIDADES AFRICANAS E AFRO-BRASILEIRAS NO ENSINO DE HISTORIA COMO ESPAÇO DE INTERCESSÕES ÉTICAS.. 2014. (Encontro).

ANPUH XXVII Simpósio Nacional de história: conhecimento histórico e diálogo social.. 2013. (Simpósio).

XXVII Simpósio Nacional de História ( ANPUH).Fontes para história Social do Traabalho: policia política, processos trabalhistas e depoimentos orais.. 2013. (Simpósio).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Lázaro da Conceição

SILVA, S. F.; GOMES, S. A. B.;SILVA, J. V. S.. Entre construções, diversões e memórias: lazer em Paulo Afonso 1949-1961. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Alagoas.

Aluno: Cicero Mayk Ferreira Bezerra de Oliveira

Lima. A.SSILVA, J. V. S.. História e Literatura: a literatura como fonte histórica. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Alagoas.

Aluno: Rodrigo Souza Pereira

Lima. A.SSILVA, J. V. S.; FIGUEIREDO, C. T.. Entre a CHESF e a Vila Poty: O Muro Da Vergonha de Paulo Afonso ? BA (1949 ? 1980). 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Alagoas.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Aruã Silva de Lima

COELHO, Eurelino; OLIVEIRA, C. F. R. M.;LIMA, A. S.. O POVO VERSUS A BESTA-FERA: O POLO SINDICAL DOS (AS) TRABALHADORES (AS) RURAIS DO SUBMÉDIO SÃO FRANCISCO -PE/BA- NA ORGANIZAÇÃO DO MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RIBEIRINHOS ATINGIDOS PELA BARRAGEM DE ITAPARICA (1970 ? 1987). 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Estadual de Feira de Santana.

Carla Taciane Figueiredo

FIGUEIRÊDO, C. T.. Luz e sombras: uma análise da história escrita da CHESF no submédio São Francisco e a tessitura de uma história única. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Alagoas.

Eurelino Teixeira Coelho Neto

LIMA, A. S.; MATTOS, Marcelo Badaró;COELHO, Eurelino. O Povo versus a Besta Fera: o Polo Sindical dos Trabalhadores Rurais do Submédio São Francisco na organização dos trabalhadores ribeirinhos atingidos pela barragem de Itaparica - BA/PE (1976-1986). 2018. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Estadual de Feira de Santana.

Eduardo Henrique Costa

COSTA, E. H.. Análise da responsabilidade civil do fornecedor: Quando da recusa do consumidor a realizar o recall. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Direito) - Centro Universitário CESMAC.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Aruã Silva de Lima

Luz e Sombras: Uma Análise da História Escrita da Chesf no submédio de São Francisco; 2016; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em História) - Universidade Federal de Alagoas; Orientador: Aruã Silva de Lima;

Eurelino Teixeira Coelho Neto

O Povo versus a Besta Fera: o Polo Sindical dos Trabalhadores Rurais do Submédio São Francisco na organização dos trabalhadores ribeirinhos atingidos pela barragem de Itaparica - BA/PE (1976-1986); 2018; Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Estadual de Feira de Santana, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia; Orientador: Eurelino Teixeira Coelho Neto;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • SILVA, J. V. S. . Barragens Da Aridez: Atingidos Por Barragem Em Luta No Submédio São Francisco Da Década De 1940 Aos Dias De Hoje. In: III Encontro Nacional de História do Sertão, 2016, Delmiro Gouveia. Anais III Encontro Nacional de História do Sertão (ENHS), 2016. v. 3. p. 333-344.

  • SILVA, J. V. S. . Narrativa, política e hegemonia: a historiografia 'oficial' da CHESF e tentativa de afogamento da memória da lutas dos atingidos pela barragem de Itaparica 1976-1988. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • SILVA, J. V. S. . ENERGIA PARA O CAPITAL: A BESTA-FERA DO VALE NA MARCHA PELA PRODUÇAO ENERGÉTICA PARA INDUSTRIALIZAÇAO SOBRE OS TRABALHADORES RURAIS ATINGIDOS PELA BARRAGEM DE ITAPARICA ? PE/BA (1976-1990).. 2017. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • SILVA, J. V. S. . No front do rio de lutas a trincheira das prensas: a disputa pela narrativa entre atingidos pela barragem de Itaparica e a Companhia Hidrelétrica do São Francisco entre 1979 e 1986. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • SILVA, J. V. S. . As Agruras Do Rio: Trabalho, Organização Política E A Luta Dos Atingidos Pelas Barragens De Itaparica E Moxotó No Submédio São Francisco (1974-1986).. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • SILVA, J. V. S. . Barragens Da Aridez: Atingidos Por Barragem Em Luta No Submédio São Francisco Da Década De 1940 Aos Dias De Hoje. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • SILVA, J. V. S. . Ensino de história: cultura afro-brasileira e as religiões africanas no ensino de história.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • SILVA, J. V. S. . CHESF e a produção de sua auto-imagem: histórias memorias de uma instituição de 1964 a 2014.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2014 - 2016

    Um Rio de Lutas, Descrição: Este projeto propõe um objetivo duplo: investigar a história e registrar a memória das lutas sociais protagonizadas por diferentes grupos de sujeitos pertencentes às classes trabalhadoras na região do Submédio São Francisco entre 1968 e 1994. A história daqueles personagens e das lutas que travaram compõe o outro lado, ainda pouco conhecido, da história social da região dominada, até o presente, por narrativas estruturadas sobre os temas do progresso e do desenvolvimento. Ainda são limitados os conhecimentos disponíveis sobre quem eram esses sujeitos e como suas vidas foram atingidas pelas grandes obras na calha do Rio São Francisco. Conhecemos ainda menos a história de como eles responderam às mudanças e o que resultou de suas ações ? e são essas as questões que orientam a presente proposta de pesquisa. Ao atacá-las, damos encaminhamento ao primeiro aspecto do nosso duplo objetivo, ou seja, a produção de conhecimento histórico sobre as experiências de luta desencadeadas na região por aqueles personagens que, por seus próprios esforços, se tornaram protagonistas relevantes na cena histórica. Reconhecer e demonstrar a importância daquelas experiências, no entanto, leva necessariamente a questionar a hegemonia de uma memória que, sem maiores riscos, pode ser denominada de oficial. As lutas concretas travadas no passado por aqueles homens e mulheres se prolongam, no presente, como luta simbólica e política em torno da memória, isto é, dos sentidos de que se recobrem os acontecimentos do passado quando lembrados hoje. Aqui aparece a segunda dimensão do nosso objetivo, o registro da memória das lutas a partir de acervos documentais e da memória oral dos protagonistas. Na verdade, este projeto deve sua existência à iniciativa de alguns que, tendo vencido os perigos de ontem, dispõem-se agora a lutar contra o esquecimento. A região do Submédio São Francisco é constituída por municípios da Bahia e de Pernambuco localizados na bacia sanfranciscana entre o lago de Sobradinho e a Cachoeira de Paulo Afonso. Trata-se da área afetada mais direta e intensamente pelas intervenções realizadas em sequência na calha do Rio São Francisco a partir da década de 50. A pesquisa, no entanto, não recobre cada município individualmente, mas retraça e segue o roteiro das lutas sociais que se desenvolveram e se articularam a partir de diferentes pontos daquele território. A rigor o território coberto pela pesquisa ultrapassa, por pequena margem, a definição técnica do Submédio São Francisco. Estão incluídas as localidades da usina de Xingó, situada já no Baixo São Francisco entre Alagoas, Bahia e Sergipe, apesar de distante poucos quilômetros de Paulo Afonso, e as porções mais ocidentais do lago de Sobradinho, que pertencem ao Médio São Francisco. Mesmo assim mantivemos o termo que serve, melhor que qualquer outro, para localizar num rio com mais de 2.800 quilômetros de extensão o trecho em que ocorreram os episódios cuja história queremos estudar. O marco inicial do período coberto pela investigação é 1968. Naquele ano era inaugurada a segunda usina em Paulo Afonso, enquanto eram tomadas as primeiras providências para expulsar os moradores da cidade de Glória, que seria inundada pela barragem de Moxotó. Foi também naquele ano, no auge da ditadura militar, que um vigário recém-chegado a Paulo Afonso começou a se envolver com o problema daqueles moradores, abrindo caminho para muito do que veio depois. A pesquisa se estende até 1994, ano de inauguração da Usina de Xingó, a última a ser construída naquele trecho do rio. Foi também um ano cheio de acontecimentos políticos que, por seu caráter mobilizador e sua abrangência, permitem a observação do ponto a que chegaram os personagens dessa história, não apenas no desenvolvimento de movimentos sociais e organizações com impacto em sua região, mas também como protagonistas da luta de classes em escala Nacional. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Victor dos Santos Silva - Integrante / Aruã Silva de Lima - Integrante / Jamile Silva Silveira - Integrante / Eurelino Coelho Teixeira Neto - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2005 - Atual

    Lab. de História e Memória da Esquerda e das Lutas Sociais, Descrição: Descrição: O objetivo geral do LABELU é consolidar na UEFS um espaço coletivo de pesquisa histórica sobre as lutas sociais no século XX. As formas engendradas pelas lutas que povoaram o século XX são extremamente diversificadas. Dentre elas as mais freqüentes foram os partidos, organizações sindicais, associações, movimentos comunitários e religiosos, movimentos de rebeldia popular espontânea , círculos ou grupos culturais e recreativos, coletivos envolvidos na publicação de periódicos, disputas de caráter teórico e político envolvendo intelectuais. Os cenários dos embates foram igualmente diversos: o chão da fábrica, acampamentos e ocupações de terra, manifestações e atos em praças e vias públicas, intervenções nas esferas legislativa, judiciária e executiva da sociedade política, publicações alternativas, universidades e meios intelectuais. Algumas iniciativas tiveram articulação e repercussão nacional, outras operavam somente no plano local. Na prática, o estudo das lutas coincide com a investigação dessas formas históricas através das quais elas se manifestaram. Elas é que constituem o objeto dos trabalhos de investigação que o LABELU pretende articular. Alguns dos seus objetivos específicos são: 1) Articular, incentivar e acompanhar, no âmbito da UEFS, iniciativas já existentes e outras que venham a ser desenvolvidas, individuais e coletivas, de pesquisa sobre a história da esquerda e das lutas sociais; 2) Identificar, sistematizar e disponibilizar fontes e instrumentos de pesquisa para a história da esquerda e das lutas sociais no Brasil, com ênfase para a Bahia, no século XX; 3) Constituir um espaço permanente de leitura e reflexão de textos de autores com contribuição destacada para os estudos históricos sobre as lutas sociais e a esquerda... , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Victor dos Santos Silva - Integrante / Aruã Silva de Lima - Integrante / Jamile Silva Silveira - Integrante / Eurelino Coelho Teixeira Neto - Coordenador / Larissa Penelu - Integrante / Andrei valente - Integrante / Igor Gomes Santos - Integrante / Guilherme Lopes - Integrante / Manuela Muniz - Integrante / Rafael Fontes - Integrante.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional