Rafael José Oliveira Ofemann

Mestre em Comunicação e Práticas de Consumo da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-SP), integra o GRUSCCO - Grupo CNPq de Pesquisa em Subjetividade, Comunicação e Consumo. Graduou-se em Jornalismo (Universidade Veiga de Almeida, 2002) e cursou o MBA em Gestão e Produção Cultural na Fundação Getúlio Vargas (FGV-RJ) em 2012. Possui experiência em Comunicação Corporativa Interna; Assessoria de Imprensa e no desenvolvimento de Projetos Culturais.

Informações coletadas do Lattes em 23/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo

2015 - 2017

Escola Superior de Propaganda e Marketing
Título: Cultura participativa na cibercinefilia: produção e consumo cinéfilo na internet,Ano de Obtenção: 2017
Gisela Grangeiro da Silva Castro.Palavras-chave: comunicação e consumo; Cibercultura; Cinefilia; cinema; Cultura participativa.Grande área: Ciências Sociais Aplicadas

Graduação em Jornalismo

1999 - 2002

Universidade Veiga de Almeida
Título: Febre de Blog - Blog: Uma mídia alternativa
Orientador: Prof. Dr. Luís Carlos Bittencourt

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2014 - 2014

Curso intensivo de documentário. (Carga horária: 90h). , Academia Internacional de Cinema, AIC, Brasil.

2010 - 2012

MBA em Gestão e Produção Cultural. , Fundação Getúlio Vargas, FGV, Brasil. , Título: Multitelas Brasil: a força dos meios digitais para a democratização do acesso ao cinema brasileiro. , Orientador: Claudio D'Ipolitto de Oliveira.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Bandeira representando o idioma Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Comunicação.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

OFEMANN, Rafael . Organização do COMUNICON. 2016. (Congresso).

OFEMANN, Rafael . Organização GT Comunicação, Consumo e Subjetividade COMUNICON. 2016. (Congresso).

CASTRO, Gisela ; MASTROCOLA, V. M. ; DUARTE, G. A. ; TERENZZO, K. ; OFEMANN, Rafael . Organização GT Comunicação, Consumo e Subjetividade COMUNICON. 2015. (Congresso).

CASTRO, Gisela ; MASTROCOLA, V. M. ; DUARTE, G. A. ; TERENZZO, K. ; OFEMANN, Rafael . Organização GT Comunicação, Consumo e Subjetividade COMUNICON. 2015. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

COMUNICON. Práticas de Consumo Cinéfilas: dos Cineclubes e Cadernos de Cinema Para a Web a Solidificação da Cinefilia no Ambiente Digital. 2016. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Marilia Dias Ponte

CASTRO, Gisela; MATSUDA, M. M.;OFEMANN, Rafael. O mundo é a sua casa: um estudo sobre comunicação e consumo de hospedagens alternativas em São Paulo. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda) - Escola Superior de Propaganda e Marketing.

Aluno: Rafael Henrique Gonçalves

CASTRO, Gisela; BEKESAS, W.;OFEMANN, Rafael. O funk quer o seu lugar: ativismo no movimento funk carioca, diálogos com o Estado e a mídia. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda) - Escola Superior de Propaganda e Marketing.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Vander Casaqui

CASTRO, Gisela; SCHVARZMAN, S.;CASAQUI, Vander. Cultura participativa na cibercinefilia: produção e consumo cinéfilo na internet. 2017. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo) - Escola Superior de Propaganda e Marketing.

Vander Casaqui

CASTRO, Gisela; PRYSTHON, A. F.;CASAQUI, Vander. Práticas de consumo cinéfilas: continuidades e rupturas na cibercinefilia. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Comunicação e Práticas de Consumo) - Escola Superior de Propaganda e Marketing.

Gisela Grangeiro da Silva Castro

CASTRO, Gisela G. S.; PRYSTHON, A.;CASAQUI, V.. Práticas de consumo cinéfilas: continuidades e rupturas na cibercinefilia. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Comunicação e Práticas de Consumo) - Escola Superior de Propaganda e Marketing.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Gisela Grangeiro da Silva Castro

Cultura participativa na cibercinefilia: produção e consumo cinéfilo na internet; 2017; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo) - Escola Superior de Propaganda e Marketing, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Gisela Grangeiro da Silva Castro;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • BEZERRA, BEATRIZ BRAGA ; OFEMANN, RAFAEL . Humor, ironia e intertextualidade: produção e consumo da série Narcos no Facebook. SIGNOS DO CONSUMO , v. 8, p. 54-66, 2016.

  • OFEMANN, Rafael . O cinema clássico em disputa: a memória como produto de consumo. COMUM (FACHA) , v. 17, p. 386, 2016.

  • OFEMANN, Rafael . Práticas de Consumo Cinéfilas: dos Cineclubes e Cadernos de Cinema Para a Web a Solidificação da Cinefilia no Ambiente Digital. In: Congresso Internacional Comunicação e Consumo, 2016, São Paulo. COMUNICON 2016, 2016.

  • OFEMANN, Rafael ; TERENZZO, K. . Produzir, Exibir, Distribuir: Netflix, a transformação do telespectador. Novas práticas de consumo de TV na era da convergência midiática. 2015.. In: 11° Interprogramas de Mestrado Cásper Líbero., 2015, São Paulo. 11° Interprogramas de Mestrado Cásper Líbero., 2015.

  • OFEMANN, Rafael . A crítica cinematográfica em tempos de Netflix: a curadoria algorítmica e o ocaso da análise fílmica. In: Congresso Internacaional de Comunicação e Consumo, 2015, São PAulo. 5º Encontro de GTS de Pós-Graduação, 2015.

  • OFEMANN, Rafael . O cinema clássico em disputa: a memória como produto de consumo. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • BEZERRA, B. B. ; OFEMANN, Rafael . Humor, ironia e intertextualidade: produção e consumo da série Narcos no Facebook. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • OFEMANN, Rafael . Práticas de Consumo Cinéfilas: dos Cineclubes e Cadernos de Cinema Para a Web a Solidificação da Cinefilia no Ambiente Digital. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • OFEMANN, Rafael ; TERENZZO, K. . Produzir, Exibir, Distribuir: Netflix, a transformação do telespectador. Novas práticas de consumo de TV na era da convergência midiática. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • OFEMANN, Rafael . A crítica cinematográfica em tempos de Netflix: a curadoria algorítmica e o ocaso da análise fílmica. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • OFEMANN, Rafael . Cultura participativa na cibercinefilia: produção e consumo cinéfilo na internet 2017 (Trabalho de conclusão de curso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

CASTRO, Gisela ; MASTROCOLA, V. M. ; DUARTE, G. A. ; TERENZZO, K. ; OFEMANN, Rafael . Organização GT Comunicação, Consumo e Subjetividade COMUNICON. 2015.

OFEMANN, Rafael . Relatório Anual de Bolsista Institucional. 2016. (Relatório de pesquisa).

OFEMANN, Rafael . Práticas de consumo cinéfilas: continuidades e rupturas na cibercinefilia. 2016. (Relatório de pesquisa).

OFEMANN, Rafael . Relatório Anual de Bolsista. 2015. (Relatório de pesquisa).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2016 - 2016

    Espectadores, fãs e supernoveleiros: Velho Chico na cultura participativa, Descrição: Descrição: Para iniciar esta etapa do Projeto Obitel Brasil, cujo tema são as ?práticas dos fãs no ambiente da cultura participativa?, o núcleo ESPM se serve de trabalhos anteriores nos quais percorreu a trajetória dos fãs de telenovela, desde suas manifestações nas revistas (década de 60) até os fãs-clubes atuais, que interagem instantaneamente nas mídias digitais. Verificamos que há os fãs que assistem à telenovela apenas quando o seu ator está escalado para determinada produção. Sendo assim, veem a telenovela vez ou outra, dando preferência a assistir posteriormente na internet. Mas há o fã do artista que é também um ?supernoveleiro digital?. Consideramos como tal o receptor que acompanha todas as novelas na televisão enquanto interage nas redes sociais com demais ?supernoveleiros?. Criam uma rede de relacionamento que mantém contatos online. Assim sendo, o presente projeto visa mapear hábitos de consumo e de comportamento constitutivos da cultura participativa dos espectadores e fãs da teleficção seriada no Brasil, buscando contribuir para a análise crítica e interpretação da ocorrência, intensidade e formas assumidas pelos agenciamentos da memória e da identidade dos sujeitos, bem como na avaliação do potencial deste produto cultural enquanto instaurador de agendas e pautas no cenário político e cultural do Brasil da segunda década do século XXI. Neste contexto, assumimos que a telenovela possui caráter formativo, educativo, mobilizador e político, ao alterar as condições simbólicas da existência cotidiana e permitir novas formas de organização da compreensão e interpretação da realidade do mundo. Partiremos de uma abordagem multimetodológica, qualitativa e quantitativa, a fim de atendermos todos os objetivos propostos na pesquisa. Será realizada coleta e análise sistemática de páginas de fãs-clubes de atores globais, textos publicados em fanpages temáticas do Facebook. Interessa-nos tanto o material divulgado pela Rede Globo de Televisão, quanto o conteúdo cuja produção é atribuída aos fãs e que é distribuído no ambiente digital. O estudo de recepção partirá de uma amostra de fãs e/ou espectadores de telenovela. Ao estendermos, por meio de pesquisa de recepção, o escopo da investigação para além das interações características da cultura participativa no ambiente digital, pretendemos coletar subsídios para que se possa elaborar uma cartografia abrangente das interações entre a audiência, a emissora e a nova trama de Benedito Ruy Barbosa. Como aporte teórico-metodológico, os Estudos Recepção latino-americanos, a Análise do Discurso de Linha Francesa (ADF) e as pesquisas realizadas em edições anteriores do OBITEL (em especial LOPES, 2015, 2013 e 2011). Buscaremos localizar, identificar, qualificar e interpretar evidências e resultados empíricos do agenciamento de pautas políticas, sociais, estéticas e culturais para o Brasil, postas em circulação pela telenovela Velho Chico. Espera-se que venham a ser manifestadas na mobilização participativa e na expressão dos sujeitos nos ambientes em que estão inseridos, os quais a pesquisa pretende cartografar.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (3) Doutorado: (7) . , Integrantes: Rafael José Oliveira Ofemann - Integrante / Beatriz Braga Bezerra - Integrante / Maria Aparecida Baccega - Coordenador / Gisela Grangeiro da Silva Castro - Integrante / Fernanda E. Budag - Integrante / Rosilene Moraes Alves Marcelino - Integrante / Andrea Antonacci - Integrante / Maria Amélia Paiva Abrão - Integrante / Antonio Helio Junqueira - Integrante / Lizbeth Kanyat de Novais - Integrante / Virginia Patrocinio - Integrante / Camilla Costa Rocha - Integrante / Felipe C Correa de Mello - Integrante.

  • 2015 - 2017

    Cultura participativa na cibercinefilia: produção e consumo cinéfilo na internet, Descrição: O universo cinéfilo é reconhecidamente uma esfera ativa de consumo cultural e sociabilidade que tem na reflexividade sobre as obras cinematográficas sua marca. Ser cinéfilo, ao longo da história, constitui-se como um modo de ser. Esta pesquisa tomou como objeto as práticas cinéfilas no ambiente digital. Estas práticas de consumo cultural perfazem o que denominamos como cibercinefilia, uma forma de se relacionar com o cinema que tem feito uso das possibilidades tecnológicas atuais para conectar pessoas com interesses próximos, ampliar o acesso a obras cinematográficas, disseminar informações, produções independentes e reflexões críticas, bem como promover o debate online sobre a sétima arte. Para fundamentar a reflexão proposta, uma densa pesquisa bibliográfica buscou estabelecer articulações entre os estudos de comunicação e consumo, cinema e cibercultura. Em uma abordagem empírica do fenômeno, investigamos por meio da etnografia virtual ambientes de cibercinefilia e examinamos com mais detalhe um fórum de compartilhamento de filmes na internet. Os resultados demonstram que a cibercinefilia ampliou e diversificou as práticas cinéfilas e revelou ser um movimento de resistência às lógicas hegemônicas da grande indústria cinematográfica global, ao embarcar os conflitos entre os defensores do livre compartilhamento e os detentores de direito intelectual. O amplo acesso a filmes e informação possibilitados pela cibercinefilia permite que o cinéfilo desenvolva de maneira mais autônoma sua perícia e juízo sobre o cinema do que no passado.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Rafael José Oliveira Ofemann - Integrante / Gisela Grangeiro da Silva Castro - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2015 - 2017

Escola Superior de Propaganda e Marketing

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20

2012 - 2013

Sopro - Escritório de Cultura

Vínculo: Sócio, Enquadramento Funcional: Produtor Cultural, Carga horária: 40

2009 - 2011

Astral Saúde Ambiental

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Assessor de Comunicação

2008 - 2008

VALE S/A

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Analista de Comunicação, Regime: Dedicação exclusiva.