Ivonete Pinheiro

Doutoranda em Antropologia Social no Programa de Pós graduação em Antropologia Social (PPGAS) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Mestra em Antropologia Social pelo Programa de Pós graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA) da Universidade Federal do Pará (UFPA). Especialista em Controle, Prevenção e Intervenção da Violência pelo Instituto de Ciências da Saúde da UFPA. Cientista Social formada pela UFPA. Editora associada à R@U: Revista de Antropologia da UFSCar. Membro e bolsista da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (APBN) para organização XIII Congresso Brasileiro de Pesquisadores Negros em Belém-Pará (ano 2024). Seus interesses de pesquisa têm se concentrado nas questões relativas aos estudos sobre: gênero, violência, tráfico de drogas, teoria interseccional e antropologia das relações raciais. Atualmente desenvolve pesquisa de doutorado sobre movimento negro na Amazônia.

Informações coletadas do Lattes em 19/02/2024

Acadêmico

Formação acadêmica

Doutorado em andamento em Antropologia Social

2021 - Atual

Universidade Federal de São Carlos
Título: Movimento negro organizado na Amazônia: uma etnografia sobre o Centro de Estudo e Defesa do Negro do Pará (CEDENPA)
Andressa Lewandowski. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.

Mestrado em Antropologia

2018 - 2020

Universidade Federal do Pará
Título: Trajetórias de mulheres no tráfico de drogas: intersecções de gênero, raça e classe
, Ano de Obtenção: 2020.Edna Ferreira Alencar.Coorientador: Maria Luzia Miranda Álvares. Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil. Grande área: Ciências Humanas

Especialização em Especialização em Controle, Prevenção e Intervenção na Violência

2017 - 2019

Universidade Federal do Pará
Título: Projeto de intervenção: Ressocialização para além da perspectiva do trabalho e educação básica/ profissionalizante
Orientador: Luanna Tomaz de Souza

Graduação em Ciências Sociais

2013 - 2017

Universidade Federal do Pará
Título: Um novo tempo para as paraenses? A agenda de governo de Ana Júlia Carepa e os recursos aplicados no enfrentamento da violência doméstica contra as mulheres (2007-2010)
Orientador: Maria Luzia Miranda Álvares

Formação complementar

2023 - 2023

Extensão universitária em Escola de Políticas e Ações Afirmativas edição 2023. (Carga horária: 60h). , Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/a, ABPN, Brasil.

2023 - 2023

Extensão universitária em Vozes negras na Antropologia. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, Brasil.

2023 - 2023

Oficina de Comunicação sobre trabalho de cuidado. (Carga horária: 20h). , Onu Mulheres-Entidade Das Nacoes Unidas Para A Igu, ONU Mulheres, Brasil.

2023 - 2023

Formação piloto para fortalecimento das capacidades de advocacy da sociedad. (Carga horária: 40h). , Onu Mulheres-Entidade Das Nacoes Unidas Para A Igu, ONU Mulheres, Brasil.

2023 - 2023

IGUALDADE RACIAL NAS ESCOLAS. (Carga horária: 180h). , Ministério da Educação, MEC, Brasil.

2022 - 2023

LER O BRASIL. (Carga horária: 180h). , Casa Sueli Carneiro, CASA SUELI CARNE, Brasil.

2021 - 2021

Extensão universitária em VI Curso de Cannabis Medicinal. (Carga horária: 54h). , Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, Brasil.

2014 - 2016

Curso Livre de Línguas Estrangeiras (CLLE). (Carga horária: 450h). , Universidade Federal do Pará, UFPA, Brasil.

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Bandeira representando o idioma Francês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia.

Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia Urbana.

Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia das populações afro-brasileiras.

Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Relações de gênero.

Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Violências.

Organização de eventos

PINHEIRO, I. . Escola de Políticas e Ações Afirmativas (EPAA). 2023. (Outro).

PINHEIRO, I. . Mostrando aos meus o que negaram a mim. 2023. (Outro).

PINHEIRO, I. . I Ciclo de Formação Política do Coletivo de Juventude Negra do CEDENPA. 2023. (Outro).

PINHEIRO, I. . VIII Reunião de Antropologia da Ciência e da Tecnologia (ReACT). 2021. (Outro).

PINHEIRO, I. . Festival Tucunduba. 2021. (Festival).

PINHEIRO, I. . Encontros Socioantropológicos- Diálogos sobre Experiências de Pesquisa nas Ciências Sociais. 2018. (Outro).

PINHEIRO, I. . Encontros Socioantropológicos- Universidade para quem? Política de cotas e os desafios diante da nova conjuntura. 2018. (Outro).

PINHEIRO, I. . Encontros Socioantropológicos- Entranhamentos e estranhamentos na outra margem atlântica: estudando arte africana contemporânea fora de casa. 2018. (Outro).

SOUZA, L. T. ; PINHEIRO, I. . VII Seminário de Direito Penal e Democracia. 2018. (Outro).

PINHEIRO, I. ; SOUZA, L. T. . II Encontro do NEIVA- Violências na Amazônia: Cenários contemporâneos e estratégias de enfrentamento. 2017. (Outro).

PINHEIRO, I. ; SOUZA, L. T. . Estreia do documentário- ?Mulheres Negras- Projetos de Mundo. 2017. (Outro).

ALVARES, M L M ; PINHEIRO, I. . Crítica Feminista,Teoria Política e Democracia: As Perspectivas de Carole Pateman e Anne Phillips. 2016. (Outro).

PINHEIRO, I. ; SOUZA, L. T. . I Encontro Regional do Neiva- As várias faces da violência na Amazônia. 2016. (Outro).

ALVARES, M L M ; PINHEIRO, I. . Mesa Redonda: ?Desnaturalização das práticas de significação dos gêneros e raça na mídia?. 2015. (Outro).

ALVARES, M L M ; PINHEIRO, I. . Mesa Redonda: ?Combatentes da autonomia reprodutiva feminina: Panoramas?. 2015. (Outro).

FERREIRA, L. C. L. ; PINHEIRO, I. . ?INVENTUDES- Diálogos sobre crianças e juventudes na Amazônia?. 2015. (Outro).

PINHEIRO, I. . CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISADORES NEGROS. 2014. (Congresso).

Participação em eventos

Escola de Políticas e Ações Afirmativas (EPAA) da ABPN.POLÍTICAS DE AÇÕES AFIRMATIVAS E O ACESSO DE MULHERES NEGRAS ÀS CARREIRAS CIENTÍFICAS,. 2023. (Seminário).

Escola de Políticas e Ações Afirmativas (EPAA) da ABPN.Pacto da branquitude. 2023. (Encontro).

XIV Reunião de Antropologia do Mercosul. 2023. (Congresso).

33ª Reunião Brasileira de Antropologia. 2022. (Congresso).

X Fórum Social Pan-Amazônico (FOSPA). 2022. (Outra).

Seminário Política Cultura e Ambiente. 2021. (Seminário).

Aula inaugural do PPGSA-UFPA.Como a Política proibicionista das drogas afeta as mulheres: narrativas etnográficas. 2020. (Seminário).

Semana de Abertura do Ano Letivo do PPGSA.Como a Política proibicionista das drogas afeta as mulheres: narrativas etnográficas. 2020. (Seminário).

III Encontro Regional do NEIVA.Mulheres e Resistências na Amazônia. 2019. (Seminário).

31ª Reunião Brasileira de Antropologia. (Sobre)vivência no tráfico de drogas: Trajetórias de mulheres. 2018. (Congresso).

31ª Reunião Brasileira de Antropologia. 2018. (Congresso).

As Veias Abertas da Volta Grande do Xingu: Significado Acadêmico e Político. 2018. (Seminário).

Diálogos sobre Experiências de Pesquisa nas Ciências Sociais?,. 2018. (Seminário).

Encontros Socioantropológicos,.Universidade para quem? Política de cotas e os desafios diante da nova conjuntura. 2018. (Seminário).

Verdade, Objetividade e Ética na Pesquisa Antropológica. 2018. (Seminário).

XX Encontro Internacional da Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos e Pesquisa sobre Mulher e Relações de Gênero (REDOR).Trajetórias de mulheres no tráfico de drogas: Teias de gênero, raça e poder. 2018. (Encontro).

XX Encontro Internacional da Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos e Pesquisa sobre Mulher e Relações de Gênero (REDOR). 2018. (Encontro).

13° Mundo de Mulheres e Fazendo Gênero 11. Primeiros anos de implementação da Lei Maria da Penha Pará- Desafios e entraves no governo Ana Júlia (2007-2010). 2017. (Congresso).

13° Mundo de Mulheres e Fazendo Gênero 11. 2017. (Congresso).

Cine Gênero com exibição de?Fences?. 2017. (Exposição).

Das práticas misóginas ao feminicídio: o ciclo permanente da violência contra as mulheres.Daspráticasmisóginasaofeminicídio:ociclopermanentedaviolênciacontraasmulheres. 2017. (Seminário).

II Encontro do NEIVA- Violências na Amazônia: Cenários contemporâneos e estratégias de enfrentamento.Amazônia pintada de preto: Um debate sobre racismo, luta e resistência. 2017. (Encontro).

II Seminário Nacional Territórios da Negritude Amazônica: Interfaces de gênero, raça e sexualidade na socialização a na produção de subjetividades negras.. 2017. (Seminário).

Orçamento dos Serviços na Aplicabilidade da Lei Maria da Penha. 2017. (Oficina).

Para além das grades: olhares para o sistema carcerário. 2017. (Seminário).

?Amor(es) e Juventude(s): cenas contemporâneas?. 2016. (Seminário).

?Cine Gênero? com o filme ?Tudo Sobre Minha Mãe?. 2016. (Exposição).

?I Encontro Regional do Neiva- As várias faces da violência na Amazônia?."Amazônia Pintada de Preto: Um debate sobre racismo, luta e resistência". 2016. (Encontro).

?O Amor está no ar...? com o tema ?Amor(es) e Juventude(s): cenas contemporâneas?. 2016. (Seminário).

?Solidariedade e afeto nas relações de gênero: GEPEM 22 Anos?. 2016. (Exposição).

30a Reunião Brasileira de Antropologia. 2016. (Congresso).

30ª Reunião Brasileira de Antropologia. Mulheres que comandam: Protagonismo feminino no tráfico de drogas em Belém do Pará. 2016. (Congresso).

Estudos sobre Feminismo Ecológico ou Ecofeminismo.Estudos sobre Feminismo Ecológico ou Ecofeminismo. 2016. (Seminário).

Estudos sobre Feminismo e Liberalismo. 2016. (Seminário).

Estudos sobre Feminismo Lésbico.Estudos sobre Feminismo Lésbico. 2016. (Seminário).

Estudos sobre Feminismo Negro I. 2016. (Seminário).

Estudos sobre Feminismo Radical.Estudos sobre Feminismo Radical. 2016. (Seminário).

Estudos sobre Feminismo Transgênero ou Transfeminismo.Estudos sobre Feminismo Transgênero ou Transfeminismo. 2016. (Seminário).

Projeto de Extensão Motivação na Redação.Gênero e Diversidade Sexual,. 2016. (Outra).

A cultura da violência de gênero. 2015. (Seminário).

A cultura da violência de gênero. 2015. (Seminário).

As mulheres nos espaços de poder e decisão: os degraus para o acesso e a quebra de entraves. rav. 2015. (Seminário).

Cine Gênero com os filmes: ?A velha dama indigna. 2015. (Outra).

Combatentes da autonomia reprodutiva feminina: panoramas. 2015. (Seminário).

Desnaturalização das práticas de significação dos gêneros e raça na mídia. 2015. (Seminário).

Estudos sobre "O segundo sexo". 2015. (Seminário).

Gênero, artes e romance. 2015. (Seminário).

Gênero e trabalho: O rural, o meio ambiente e a sustentabilidade. 2015. (Seminário).

GEPEM/UFPA: Comemorações do dia internacional da mulher. 2015. (Seminário).

INVENTUDES- Diálogos sobre crianças e juventudes na Amazônia.IMAGINÁRIO DO MEDO: A juventude estampada nos jornais ?O Liberal ?e ?Diário do Pará?. 2015. (Encontro).

I Seminário Paraense de Transmaculinidades- A construção das identidades transmasculinas : O corpo como símbolo de resistência. 2015. (Seminário).

IV Seminário - O amor está no ar: Na velhice... também se ama. 2015. (Seminário).

Mulher Negra : Epistemologias, militância e luta contra o preconceito. 2015. (Seminário).

Seminário Nacional Territórios da Negritude Amazônica: corporalidalidades negras e performances de gênero e sexuais. 2015. (Seminário).

?O AMOR ESTÁ NO AR...: AMORES DIVERSOS AMORES IGUAIS?,. 2014. (Seminário).

Cine gênero:Mulheres perfeitas e Maria, mãe de Jesus,. 2014. (Outra).

Dia internacional da Mulher: Amor, Respeito Mulheres: Quem é contra?. 2014. (Seminário).

Extensão Axé e Tambor, Religiões e culturas afro-brasileiras, direitos humanos , violência urbana. 2014. (Outra).

Simpósio GEPEM/UFPA: Mulheres, Gênero,História e Saberes em 20 Anos.Vivendo e aprendendo na Pesquisa e na Extensão em 20 anos de atividades: as/os bolsistas e seus relatos de. 2014. (Simpósio).

SIMPÓSIO GEPEM/UFPA: MULHERES, GÊNERO, HISTÓRIAS E SABERES EM 20 ANOS. 2014. (Simpósio).

As ciências sociais e a educação. 2013. (Outra).

cultura,política e sociedade:o papel do cientista social na Amazônia do século xxi. 2013. (Outra).

Democracia e representação:cenas,cenários e história do ativismo femfeminino da políca paraense.. 2013. (Simpósio).

Saúde indígena,interdisciplinariedade e políticas públicas.. 2013. (Seminário).

Comissão julgadora das bancas

Voyner Ravena Cañete

ALENCAR, E. F.;CAETE, VOYNER RAVENACARDOSO, D. M.; GONCACVES, T. A.; ALVARES, M. L. M.. TRAJETÓRIAS DE MULHERES NO TRÁFICO DE DROGAS EM BELÉM DO PARÁ: ATRAVESSAMENTOS DE GÊNERO E RAÇA. 2019. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropol) - Universidade Federal do Pará.

Telma Amaral Gonçalves

ALENCAR, E. F.;AMARAL GONÇALVES, T.; ALVARES, M. L. M.. TRAJETÓRIAS DE MULHERES NO TRÁFICO DE DROGAS: INTERSECÇÕES DE GÊNERO, RAÇA E CLASSE. 2020. Dissertação (Mestrado em ppgsa) - Universidade Federal do Pará.

Telma Amaral Gonçalves

ALENCAR, E. F.; ALVARES, M. L. M.;AMARAL GONÇALVES, T.; CARDOSO, D. M.; RAVENA, V.. Trajetórias de mulheres no tráfico de drogas em Belém do Pará: atravessamentos de gênero e raça. 2019. Exame de qualificação (Mestrando em programa de pós-graduação em ciências sociais) - Universidade Federal do Pará.

Telma Amaral Gonçalves

ALENCAR, E. F.; ALVARES, M. L. M.;AMARAL GONÇALVES, T.; CARDOSO, D. M.; RAVENA, V.. TRAJETÓRIAS DE MULHERES NO TRÁFICO DE DROGAS EM BELÉM DO PARÁ: ATRAVESSAMENTOS DE GÊNERO E RAÇA. 2019. Exame de qualificação (Mestrando em Ciências Sociais) - Universidade Federal do Pará.

Luanna Tomaz de Souza

SOUZA, Luanna Tomaz de.Alvares, Maria Luzia MirandaCORREA, R. R.. UM NOVO TEMPO PARA AS MULHERES? EXPECTATIVAS E ENTRAVES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA LEI MARIA DA PENHA NO GOVERNO ANA JÚLIA. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - Ciências Sociais) - Universidade Federal do Pará.

Rosa Lúcia Lima da Silva Correia

CORREIA, Rosa Lucia L. S.; ALENCAR, E. F.. Trajetórias de mulheres no tráfico de drogas: intersecções de gênero, raça e classe,. 2020. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antriopologia) - Universidade Federal do Pará.

Foi orientado por

Luanna Tomaz de Souza

RESSOCIALIZAÇÃO PARA ALÉM DA PERSPECTIVA DO TRABALHO E EDUCAÇÃO BÁSICA/ PROFISSIONALIZANTE; 2019; Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em ESPECIALIZAÇÃO EM CONTROLE, PREVENÇÃO E INTERVENÇÃO NA VIOLÊNCIA) - Universidade Federal do Pará; Orientador: Luanna Tomaz de Souza;

EDNA FERREIRA ALENCAR

Estudo sobre trajetórias de mulheres no tráfico de drogas em Belém do Pará; 2020; Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Sociologia e AnPPGSA) - Universidade Federal do Pará, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Edna Ferreira Alencar;

Produções bibliográficas

  • PINHEIRO, I. . Entrevista: O ativismo de Nilma Bentes e o enfretamento ao racismo na Amazônia. Revista ABPN , v. v. 14, p. 129, 2022.

  • PINHEIRO, IVONETE ; ALENCAR, EDNA FERREIRA . Mulher negra no campo de pesquisa. REVISTA ANDUTY , v. 9, p. 72-91, 2021.

  • SOUZA, L. T. ; VELOSO, M. M. X. ; PINHEIRO, I. . Os centros de referência de atendimento à mulher em situação de violência e a experiência do Propaz Mulher em Belém do Pará (Belém-Pará). REVISTA DE ESTUDOS EMPÍRICOS EM DIREITO , v. 5, p. 128-145, 2018.

  • PINHEIRO, I. ; ALVARES, M L M . Mitos: pilares que sustentam o patriarcado na perspectiva de Simone de Beauvoir. Gênero na Amazônia , v. 7, p. 15-24-24, 2017.

  • SOUZA, L. T. ; VELOSO, M. M. X. ; PINHEIRO, I. . A experiência do Pro Paz mulher: reflexões acerca dos limites e potencialidades dos centros integrados. In: Wânia Pasinato, Bruno Amaral Machado, Thiago Pierobom de Ávila. (Org.). POLÍTICAS PÚBLICAS DE PREVENÇÃO À VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER. 1ed.Brasília [DF}: Fundação Escola, 2019, v. 1, p. 1-298.

  • FARIAS, Alessandro Sobral ; PINHEIRO, I. ; ALMEIDA, S. S. . Entraves Impostos pelo Racismo Institucional diante da Busca por Justiça para os Crimes de Racismo e Injúria Racial em Belém e Região Metropolitana. In: Luanna Tomaz de Souza, Verena Alves. (Org.). Mulheres e sistema penal na Amazônia. 1ed.Belém: Lumen Juris, 2019, v. 1, p. 1-195.

  • PINHEIRO, IVONETE . CEDENPA É QUILOMBO: reflexões sobre organização política e ancestralidade negra em Belém-Pará. In: 33a Reunião Brasileira de Antropologia, 2022, Online com sede na UFPR. Anais da 33ª. Reunião Brasileira de Antropologia.

  • PINHEIRO, I. ; ALENCAR, E. F. . Trajetórias de mulheres no tráfico de drogas: Teias de gênero, raça e poder. In: XX Encontro Internacional da Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos e Pesquisa sobre Mulher e Relações de Gênero (REDOR), 2018, Salvador. Anais XX Encontro Nacional da Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos e Pesquisa sobre Mulher e Relações de Gênero (REDOR), 2018. v. 1. p. 1.

  • PINHEIRO, I. ; ALENCAR, E. F. . (Sobre)vivência no tráfico de drogas: Trajetórias de mulheres. In: 31a Reunião Brasileira de Antropologia, 2018, Brasília-DF. Anais da 31ªRBA, 2018. v. 1. p. 1.

  • PINHEIRO, I. ; ALVARES, M L M . Mitos: Pilares que sustentam o patriarcado, na perspectiva de Simone de Beauvoir. In: 18° Encontro Internacional da Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos e Pesquisa sobre Mulher e Relações de Gênero (REDOR), 2014, Recife. Anais Eletrônicos, 2014.

  • PINHEIRO, I. ; ALVARES, M L M . Mitos: Pilares que sustentam o patriarcado na perspectiva de Simone de Beauvoir. In: CADERNO DE RESUMOS APROVADOS DO SIMPÓSIO GEPEM/UFPA: MULHERES, GÊNERO, HISTÓRIAS E SABERES EM 20 ANOS, 2014, BELÉM. CADERNO DE RESUMOS APROVADOS DO SIMPÓSIO GEPEM/UFPA: MULHERES, GÊNERO, HISTÓRIAS E SABERES EM 20 ANOS AGOSTO/SETEMBRO, V.1, 2014., 2014. v. 1.

  • PINHEIRO, I. ; ALENCAR, E. F. . 'MULHER NEGRA NO CAMPO DE PESQUISA: DILEMAS ÉTICOS E TENSÕES EPISTEMOLÓGICAS EM UMA ETNOGRAFIA SOBRE MULHERES NO TRÁFICO DE DROGAS'.. REVISTA ANDUTY , 2021.

  • PINHEIRO, IVONETE . OCUPAR, RESSIGNIFICAR E AQUILOMBAR: como o CEDENPA criou um quilombo na região central de Belém-Pará. 2023. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • PINHEIRO, I. . CEDENPA É QUILOMBO: reflexões sobre organização política e ancestralidade negra em Belém-Pará. 2022. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • PASSOS, B. F. ; PINHEIRO, I. . ?Do nada eu apareço na Beirada?: imersões etnográficas sobre lazer, isolamento social e pandemia no bairro da Terra Firme, periferia de Belém. 2021. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • PINHEIRO, I. . Feminismo Negro. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • PINHEIRO, I. . Mulheres que comandam: Protagonismo feminino no tráfico de drogas em Belém do Pará. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • PINHEIRO, I. . Diretrizes da política estadual de enfrentamento das formas de violência doméstica contra as mulheres paraenses inseridas no plano de governo de Ana Julia Carepa (2007-2010).. 2016. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • PINHEIRO, I. . As tranças e os traços da primeira governadora do Pará: Ana Júlia Carepa ? Entre o jogo político partidário, as relações de gênero e a gestão estadual. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • PINHEIRO, I. ; ALVARES, M L M . Mitos: Pilares que sustentam o patriarcado, na perspectiva de Simone de Beauvoir. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • PINHEIRO, I. ; ALVARES, M L M . 18° Encontro Nacional da Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos Feministas- Sobre mulher e Relações de Gênero.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • PINHEIRO, I. ; SALDANHA, C. F. M. . Entrevista com Maria Luzia Miranda Álvares. Belém-Pa: Revista Visagem, 2018 (Entrevista).

Outras produções

PINHEIRO, I. . Movimento negro e a importância do dia da consciência negra na luta antirracista. 2023. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

PINHEIRO, I. . Revista de Antropologia da UFSCAr (R@U). 2023. (Editoração/Periódico).

PINHEIRO, I. ; ALVARES, M L M . Diretrizes da política estadual de enfrentamento das formas de violência doméstica contra as mulheres paraenses inseridas no plano de governo de Ana Julia Carepa (2007-2010). 2016. (Relatório de pesquisa).

PINHEIRO, I. ; ALVARES, M L M . As tranças e os traços da primeira governadora do Pará: Ana Julia Carepa ? entre o jogo político partidário, as relações de gênero e a gestão estadual.. 2015. (Relatório de pesquisa).

Prêmios

2017

Prêmio Melhores Pôsteres:Primeiros anos da implementação da Lei Maria da Penha no Pará - Desafios e entraves no Governo Ana Júlia (2007-2010), Seminário Internacional 13° Mundos e Mulheres & Fazendo Gênero 11-Florianópolis-SC.

Histórico profissional

Experiência profissional

2014 - 2016

Grupo de Estudos e Pesquisas Eneida de Moraes

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de iniciação científica, Carga horária: 20

2016 - 2017

Clínica de Atenção à Violência

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: bolsista de extensão, Carga horária: 20

2021 - 2021

Universidade do Estado do Pará

Vínculo: Professora Auxiliar, Enquadramento Funcional: Estagiária-Docente, Carga horária: 60

Outras informações:
Disciplina Antropologia Interétnica e da Diversidade Brasileira