Andressa Barbosa dos Santos

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência e a Matemática da Universidade Estadual de Maringá (PCM-UEM). Graduada em Licenciatura e Bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá. Professora na Secretaria de Educação do Estado do Paraná.

Informações coletadas do Lattes em 03/06/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em Pós-Graduação em Educação para a Ciência e a Matemática

2015 - 2017

Universidade Estadual de Maringá
Título: A perspectiva CTS no ensino de Ciências: uma investigação na formação inicial de professores.,Ano de Obtenção: 2017
Ana Lúcia Olivo Rosas Moreira.Palavras-chave: CTS; Formação docente; Ensino de Ciências.Grande área: Ciências Humanas

Especialização em andamento em Docência no Ensino Superior

2017 - Atual

Faculdade Eficaz

Graduação em Ciências Biológicas

2014 - 2014

Universidade Estadual de Maringá
Título: A perspectiva CTS na formação inicial de professores de Ciências"
Orientador: Ana Lúcia Olivo Rosas Moreira

Graduação em Ciências Biológicas

2010 - 2013

Universidade Estadual de Maringá

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2013 - 2013

Extensão universitária em História da Ciência:Proposta de Inclusão no Ensino. (Carga horária: 30h). , Universidade Estadual de Maringá, UEM, Brasil.

2010 - 2012

Lingua Inglesa. (Carga horária: 330h). , Universidade Estadual de Maringá, UEM, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

MOREIRA, A. L. O. R. ; SANTOS, A. B. ; COSTA, E. P. S. ; HENRICH JUNIOR, E. J. ; ALVES, I. S. ; VALERIO, M. ; PEREIRA, M. P. A. . Limpeza participativa do Parque do Cinquentenário. 2017. (Outro).

AYRES, A. C. M. ; MOREIRA, A. L. O. R. ; MAGALHAES JUNIOR, C. A. O. ; SANTOS, A. B. . VI Encontro Nacional de Ensino de Biologia (ENEBIO) e VIII Encontro Regional de Ensino de Biologia da Regional 3 (EREBIO).. 2016. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências.O solo por meio de CTS: uma investigação na formação inicial. 2017. (Encontro).

VI Encontro Nacional de Ensino de Biologia (ENEBIO) VIII Encontro Regional de Ensino de Biologia da Regional 3 (E.As relações CTS na formação inicial de professores de ciências e biologia. 2016. (Encontro).

Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências.Concepções de Ciência, Tecnologia e Sociedade na formação inicial de professores de Ciências. 2015. (Encontro).

I Seminário de Ensino de Ciências, Biologia e Educação Ambiental.A parceria para Educação Ambiental. 2014. (Seminário).

II Encontro do PIBID/UEM - Licenciaturas: impactos e resultados. 2013. (Encontro).

21º Encontro Anual de Iniciação Científica.Identificação genético molecular de isolados de Aspergillus sp pelo método da PCR-RFLP. 2012. (Encontro).

2º Sábado sem dor de Maringá. 2012. (Simpósio).

Semana do Meio Ambiente de Maringá. 2012. (Outra).

Ciclo de Palestras - Seminários de genética. 2011. (Seminário).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Ana Lúcia Olivo Rosas Moreira

MOREIRA, Ana Lúcia Olivo Rosas; MAGALHAES JUNIOR, C. A. O.; SANCHES, Denise Godoi Ribeiro; OLIVEIRA, Andre Luis; MACIEL, M. D.. A perspectiva CTS no Ensino de Ciências: uma investigação na formação inicial de professores. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência e a Matemática) - Universidade Estadual de Maringá.

Ana Lúcia Olivo Rosas Moreira

MOREIRA, Ana Lúcia Olivo Rosas; MAGALHAES JUNIOR, C. A. O.; MACIEL, M. D.; OLIVEIRA, Andre Luis; SANCHES, Denise Godoi Ribeiro. A perspectiva CTS bo Ensino de Ciências: uma investigação na formação inicial de professores. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Educação para a Ciência e a Matemática) - Universidade Estadual de Maringá.

Ana Lúcia Olivo Rosas Moreira

MOREIRA, Ana Lúcia Olivo Rosas; OLIVEIRA, Andre Luis; CORAZZA, M. J.. A perspectiva CTS na formação inicial de professores de Ciências. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Estadual de Maringá.

Denise Godoi Ribeiro Sanches

MOREIRA, Ana Lúcia Olivo Rosas;SANCHES, Denise Godoi Ribeiro; MAGALHÃES JUNIOR, C. A. O.; OLIVEIRA, André L.; MACIEL, M. L.. A Perspectiva CTS no Ensino de Ciências: uma investigação na formação inicial de professores. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação Para a Ciência e o Ensino de Matemática) - Universidade Estadual de Maringá.

Maria Julia Corazza

MOREIRA, Ana Lúcia Olivo Rosas; OLIVEIRA, A. L.;Corazza, M.J.. A perspectiva CTS na formação inicial de professores. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Estadual de Maringá.

Igor Ramos Rosa

ROSA, Igor Ramos. As limitações inerente ao poder do ministério público de realizar atos diretos de investigação no âmbito criminal. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Direito) - Universidade Estadual de Montes Claros.

Carlos Alberto de oliveira Magalhães Júnior

MOREIRA, A. L. O. R.; SANCHES, D. G. R.;MAGALHÃES JÚNIOR, Carlos Alberto de Oliveira. A perspectiva CTS no Ensino de Ciências: uma investigação na formação inicial de professores. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação Para a Ciência e o Ensino de Matemática) - Universidade Estadual de Maringá.

André Luis de Oliveira

MOREIRA, A. L. O. R.;OLIVEIRA, André Luis de; CORAZA, M. J.. A perspectiva CTS na formação inicial de professores de Ciências. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Estadual de Maringá.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

EDILSON NOBUYOSHI KANESHIMA

IDENTIFICAÇÃO GENÉTICO MOLECULAR DE POPULAÇÕES ATOXIGÊNICAS DE Aspergillus flavus PELO MÉTODO DA PCR-RFLP; 2011; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade Estadual de Maringá, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Edilson Nobuyoshi Kaneshima;

Ana Lúcia Olivo Rosas Moreira

A Perspectiva CTS no Ensino de Ciências: uma Investigação na Formação Inicial de Professores; 2017; Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência e a Matemática) - Universidade Estadual de Maringá,; Orientador: Ana Lúcia Olivo Rosas Moreira;

Ana Lúcia Olivo Rosas Moreira

A perspectiva CTS na formação inicial de professores de Ciências; 2014; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Estadual de Maringá; Orientador: Ana Lúcia Olivo Rosas Moreira;

Ana Lúcia Olivo Rosas Moreira

Educação Ambiental em Projetos de Ensino da Universidade Estadual de Maringá; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade Estadual de Maringá, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Ana Lúcia Olivo Rosas Moreira;

Fabio Amodeo Lansac Toha

Estágio Supervisionado - Bacharelado do Curso de graduação em Ciências Biológicas da Universidade Estadual de Maringá - Estágio no Aquário Paranaguá-PR; 2014; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas) - Universidade Estadual de Maringá; Orientador: Fabio Amodeo Lansac Toha;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • SANTOS, A. B. ; MOREIRA, A. L. O. R. . As relações CTS na formação inicial de professores de ciências e biologia. Revista da SBEnBIO , v. 9, p. 7792-7803, 2016.

  • SANTOS, A. B. ; MOREIRA, A. L. O. R. . O solo por meio de CTS: uma investigação na formação inicial. In: XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2017, Florianópolis. 20 anos de ABRAPEC: Memórias de conquistas e movimentos de resistência, 2017.

  • MOREIRA, A. L. O. R. ; ROMAGNOLO, M. B. ; HENRICH JUNIOR, E. J. ; SANTOS, A. B. ; SANCHES, D. G. R. ; VALERIO, M. ; PEREIRA, M. P. A. ; ALVES, I. S. . Limpeza participativa do Parque do Cinquentenário: Uma ação para o futuro. In: 15º Fórum de Extensão e Cultura da UEM, 2017, Maringá. 15º Fórum de Extensão e Cultura da UEM, 2017.

  • SANTOS, A. B. ; MOREIRA, A. L. O. R. . Concepções de Ciência, Tecnologia e Sociedade na formação inicial de professores de Ciências. In: X Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, 2015, Águas de Lindoia. X ENPEC, 2015.

  • BERTOGLIO, I. M. ; SOUZA-KANESHIMA, A. M. ; BECKER, T. C. A. ; SANTOS, A. B. ; LEAL, J. P. C. ; ESPER, L. Q. ; KANESHIMA, E. N. . Estudo comparativo da qualidade de vida entre pacientes fibromiálgicos do sexo masculino e feminino. In: 22º Encontro Anual de Iniciação Científica, 2013, Foz do Iguaçu. 22º Encontro Anual de Iniciação Científica, 2013.

  • DOMINGOS, M. M. ; SANTOS, A. B. ; BECKER, T. C. A. ; SOUZA-KANESHIMA, A. M. ; KANESHIMA, E. N. . Caracterização Genética de Populações Toxigênicas e Atoxigências de Aspergillus flavus pelo método do RAPD. In: 21º Encontro Anual de Iniciação Científica, 2012, Maringá. 21º Encontro Anual de Iniciação Científica, 2012.

  • SANTOS, A. B. ; DOMINGOS, M. M. M. ; BECKER, T. C. A. ; SOUZA-KANESHIMA, A. M. ; KANSEHIMA, N. E. . Identificação Genético Molecular de Isolados de Aspergillus sp pelo método da PCR-RFLP. In: 21º Encontro Anual de Iniciação Científica, 2012, Maringá. 21º Encontro Anual de Iniciação Científica, 2012.

  • MOREIRA, A. L. O. R. ; SANTOS, A. B. ; HENRICH JUNIOR, E. J. ; PEREIRA, M. P. A. ; SANCHES, D. G. R. ; REIS, P. G. R. . Trilhas interpretativas e temas controversos: Uma proposta metodológica de Ensino. 2018. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • SANTOS, A. B. ; MOREIRA, A. L. O. R. . As interações entre Ciência, Tecnologia e Sociedade: concepções iniciais de acadêmicos de licenciatura. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • SANTOS, A. B. ; MOREIRA, A. L. O. R. . O Solo por meio de CTS: uma investigação na formação inicial. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • SANTOS, A. B. ; MOREIRA, A. L. O. R. . As relações CTS na formação inicial de professores de ciências e biologia. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • SANTOS, A. B. ; MOREIRA, A. L. O. R. . Concepções de Ciência, Tecnologia e Sociedade na formação inicial de professores de ciências. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • MOREIRA, A. L. O. R. ; BEREZUK, P. A. ; SELEM, S. L. O. ; CAMPOS, R. M. ; PEREIRA, M. P. A. ; FITHS, P. R. S. ; SANTOS, A. B. ; COSTA, E. P. S. ; SANCHES, D. G. R. . GECENA e PROEDUCON - A parceria para Educação Ambiental. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • SANTOS, A. B. ; DOMINGOS, M. M. M. ; BECKER, T. C. A. ; KANESHIMA, A. M. S. . Identificação genético molecular de isolados de Aspergillus sp pelo método da PCR-RFLP. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2014 - 2015

    Educação Ambiental em projetos de ensino da Universidade Estadual de Maringá (PIBIC), Descrição: A partir do século XX, iniciou-se uma discussão sobre a necessidade de se construir uma nova relação entre os seres humanos e a natureza no intuito de reverter um contexto de degradação ambiental, agravado em decorrência das relações sociais impostas pelo sistema capitalista. Em meio a essas discussões, a Educação Ambiental, que consiste em uma forma de regular a intervenção do homem no ambiente, tornou-se um dos temas a serem tratados no âmbito acadêmico. A universidade apresenta um papel importante na formação de indivíduos capacitados a exercerem uma prática pedagógica educacional de qualidade voltada para as questões ambientais. Neste sentido, passa a ser relevante a inclusão da Educação Ambiental nos currículos dos diferentes cursos acadêmicos, independente da formação e atuação no mercado de trabalho, nos quais o sujeito se insere. Neste âmbito, o aluno que se encontra na universidade, além das questões acadêmicas, tem a oportunidade de participar de projetos, como vivenciar novas experiências em uma situação contextualizada. Nestes termos, o presente estudo visa analisar se a Educação Ambiental está contemplada nos projetos de ensino que são desenvolvidos pela Universidade Estadual de Maringá. Seguirá a metodologia de análise de conteúdo proposta por Bardin (2002), a partir de análises quantitativa e qualitativa dos resultados.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

  • 2012 - 2013

    Utilização do Questionário Sobre o Impacto da Fibromialgia (QIF) para avaliar a qualidade de vida do paciente fibromiálgico (PIBIC), Descrição: A Fibromialgia apresenta um impacto negativo na qualidade de vida dos pacientes. A utilização dos questionários de avaliação como instrumento de acompanhamento clínico possibilita uma melhor avaliação do impacto das doenças no cotidiano dos doentes. Neste projeto pretende-se avaliar o impacto da Fibromialgia na qualidade de vida do paciente fibromiálgico, por meio da aplicação do Questionário Sobre o Impacto da Fibromialgia (QIF). Desta forma pretende-se agregar informações que possam auxiliar no entendimento dos mecanismos fisiopatológicos da Fibromialgia, bem como no estabelecimento de medidas preventivas que contribuam para diminuir os efeitos dolorosos desta doença no paciente fibromiálgico.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

  • 2012 - 2013

    Impacto da Fibromialgia na qualidade de vida do paciente fibromiálgico: Correlação entre as informações sobre o estilo de vida e dos hábitos alimentares deste paciente com a fisiopatologia da Fibromialgia, Descrição: A Fibromialgia apresenta um impacto negativo na qualidade de vida dos pacientes, por ser uma síndrome dolorosa e crônica, com vasta sintomatologia, além de etiologia e mecanismos fisiopatológicos que não estão bem esclarecidos. A utilização dos questionários de avaliação como instrumento de acompanhamento clínico é uma tendência recente, pois leva-se em consideração os dados obtidos com o paciente e a intensidade do impacto das doenças no cotidiano dos doentes. O Questionário de Impacto da Fibromialgia (QIF) é um dos mais utilizados, avaliando a qualidade de vida do paciente fibromiálgico, fornecendo informações relacionadas com a capacidade funcional, situação profissional, distúrbios psicológicos e sintomas físicos. Neste projeto pretende-se avaliar o impacto da Fibromialgia na qualidade de vida do paciente fibromiálgico atendido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), por meio da aplicação do Questionário QIF, e também do preenchimento de formulários que tem como meta obter informações quanto às características gerais, ao estilo de vida e dos hábitos alimentares deste paciente. A obtenção destas informações pode ser relevante, principalmente pelo fato de que ainda não foram descritos estudos que identifiquem alimentos irritantes ou nocivos que contribuam para o desenvolvimento dos mecanismos fisiopatológicos da Fibromialgia. Com o desenvolvimento deste projeto, pretende-ser agregar informações que possam auxiliar no entendimento dos mecanismos fisiopatológicos da Fibromialgia, bem como no estabelecimento de medidas preventivas que contribuam para diminuir os efeitos dolorosos desta doença no paciente fibromiálgico.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

  • 2011 - 2013

    Controle biológico da produção de Aflatoxina: Obtenção e caracterização de linhagens atoxigênicas de Aspergillus flavus, Descrição: Micotoxinas são produtos do metabolismo secundário de alguns fungos filamentosos, que proliferam em grãos e alimentos armazenados, acarretando graves danos à saúde humana e animal. As aflatoxinas, especialmente a AFB1, conhecida como um dos mais potentes carcinógenos humanos, são produzidas pelos fungos Aspergillus flavus e Aspergillus parasiticus, os quais desenvolvem-se em uma grande variedade de substratos agrícolas e sob várias condições de umidade, pH e temperatura. Muitos grãos em geral são susceptíveis à contaminação por aflatoxinas, sendo a contaminação do amendoim, em particular, passível de ocorrer tanto no campo, quanto após a colheita, durante a secagem e/ou no armazenamento. Atualmente, métodos de controle biológico para reduzir ou eliminar a contaminação por aflatoxinas vêm sendo testados, dentre os quais destaca-se a colonização do solo com grandes quantidades de linhagens atoxigênicas naturais de A. flavus. A efetividade deste método depende da existência de incompatibilidade vegetativa entre linhagens atoxigênicas e toxigênicas, no sentido de se evitar a formação de heterocários e consequentemente de uma progênie recombinante capaz de sintetizar aflatoxinas. No entanto, as linhagens atoxigênicas introduzidas para o controle biológico devem necessariamente atuar como competidores efetivos em relação às linhagens nativas. Diante do exposto, o presente estudo tem como objetivo obter e selecionar linhagens atoxigênicas e auto-incompatíveis de A. flavus para o controle da aflatoxicose em amendoim. Para atingir tal objetivo, a identificação de linhagens toxigênicas e atoxigênicas de A. flavus será realizada pelas técnicas Polymerase Chain Reaction (PCR) e nested-PCR; a detecção de aflatoxinas será por cromatografia em camada delgada. Mutantes auxotróficos (niaD, nirA e cnx) dos isolados toxigênicos e não-toxigênicos de A. flavus serão obtidos e utilizados para a identificação dos Grupos de Compatibilidade Vegetativa e consequentemente para a seleção das linhagens atoxigênicas incompatíveis, ou seja aquelas incapazes de formar heterocários estáveis com os demais isolados e portanto, um possível agente de controle biológico da produção de aflatoxinas. A variabilidade genética existente na população não-produtora de aflatoxinas será estudada pela técnica do RAPD possibilitando a caracterização genética e a seleção de uma ou mais linhagens atoxigênicas de A. flavus.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

  • 2011 - 2012

    Identificação genético molecular de populações atoxigênicas de Aspergillus flavus pelo método da PCR-RFLP (PIBIC), Descrição: Dependendo das condições de umidade, pH e temperatura, fungos toxigênicos do gênero Aspergillus podem sintetizar aflatoxinas e contaminar o amendoim. Esta contaminação pode ocorrer tanto no campo, como durante a secagem ou no armazenamento. Métodos de controle biológico baseados na colonização do solo com grandes quantidades de linhagens atoxigênicas naturais de A. flavus vêm sendo testados. A efetividade deste método depende da existência de incompatibilidade vegetativa entre linhagens atoxigênicas e toxigênicas, evitando assim, a formação de heterocários e de uma progênie recombinante produtora de aflatoxinas. Diante do exposto, o presente estudo tem como objetivo identificar as linhagens atoxigênicas e toxigênicas de A. flavus isoladas de regiões produtoras de amendoim do Estado do Paraná, pela técnica de PCR-RFLP abrindo a possibilidade da seleção de linhagens com potencial para o controle da produção de aflatoxinas.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional