Componente protético multifuncional e seu método de uso

  • Número do pedido da patente:
  • BR 10 2013 027205 1 A2
  • Data do depósito:
  • 22/10/2013
  • Data da publicação:
  • 01/09/2015
Inventores:
  • Classificação:
  • A61C 8/00
    Meios destinados a serem fixos ao maxilar para consolidar dentes naturais ou para nele fixar pr?teses dent?rias; Implantes dent?rios; Ferramentas para implantes;
    ;

COMPONENTE PROTÉTICO MULTIFUNCIONAL E SEU MÉTODO DE USO Um componente protético multifuncional composto por uma cabeça prismática, marcas externas e hexágono interno para indexação, encaixe e orientação do conjunto, abrangendo um cilindro, uma tampa plástica, um parafuso de fixação e um implante dotado de hexágono externo, que permitem, além da função de um montador convencional, as funções de captura do implante na embalagem, transporte e instalação no leito ósseo, aplicação de torque; transfer de moldagem; pilar protético indexado ao implante e dispositivo de orientação tridimensional durante o procedimento cirúrgico.

Página de 2

Documento

RELATÓRIO DESCRITIVO

Componente protético multifuncional e seu método de uso Campo de aplicação

A inovação pertence ao campo da medicina odontológica, mais especificamente 5 dos implantes dentários, exatamente um componente protético multifuncional, um parafuso de fixação do sistema e um cilindro para confecção de uma prótese dentária. Especificamente, o componente protético multifuncional traz como inovação o seu uso em diversas funções distintas: a) captura na embalagem, transporte, instalação e aplicação de torque; b) transfer de moldagem; c) pilar 10 protético indexado ao implante; d) dispositivo de paralelismo durante o procedimento cirúrgico.

Histórico da inovação e análise do estado da arte

No campo dos implantes dentários tanto as interfaces de hexágono externo quanto as de hexágono interno já se encontram amplamente difundidas, assim 15 como o uso de montadores simplesmente para auxiliar na instalação de implante. Apesar de haver opções que dispensem o uso de montadores, tais artefatos fazem parte da atividade odontológica quando se trata de realizar a instalação de implantes odontológicos, pois a prática mais habitual consiste em utilizar uma ferramenta que capture o implante de sua embalagem, que transporte o implante 20 até o leito ósseo e que o instale em sua posição de uso.

O documento W02006/088680 apresenta um implante dentário endósseo de recepção de parafuso extemamente em peça única que inclui uma porção com rosca externa e, na sua extremidade proximal, de uma porção não roscada, cilíndrica, incluindo uma ranhura de retenção para engatar um componente de transfe-25 rência complementar ou um tampão de conforto, um ou dois parafusos PICCC receptores do pilar do implante para fixação a um implante de um ou dois

f

PICCC, incluindo uma ranhura de retenção para engatar um componente de transferência complementar ou um tampão de conforto, e uma montagem de fixação para inserção de um implante de uma peça, que pode ser seccionado com

a extremidade distai utilizado para alargar a altura do implante.

E o documento US7785107 apresenta implantes dentários endósseos que incluem roscas externas e, dentro de uma passagem interna no interior do corpo do implante, um bisel guia, superfícies de engate para encaixes octogonais, superfí-5 cies de engate para ferramentas hexagonais distalmente posicionadas, roscas internas distais a ambas as superfícies hexagonais e octogonais, e dispositivos de engate e de montagem, incluindo projeções macho para acoplagem das superfícies de engate para ferramentas hexagonais dentro dos implantes.

No sentido do desenvolvimento das tecnologias conhecidas, depois de aprofun-10 dada análise no estado da arte, percebe-se uma lacuna no que tange a um particular sistema de implante, que permita reunir várias das características necessárias à implantodontia.

Para tanto se propõe uma inovação que se constitui em um componente protético multifuncional dotado de hexágono interno, onde o dito componente protético '15 tem múltiplas funções, incluindo a de ser utilizado para captura na embalagem, transporte, instalação e aplicação de torque; transfer de moldagem; pilar protético indexado ao implante, bem como dispositivo de orientação tridimensional durante o procedimento cirúrgico. Tal aparato é associado a um método de uso específico, que se aproveita das funcionalidades e vantagens oferecidas pelo 20 componente multifuncional.

Quando comparada aos documentos relevantes acima descritos, pode-se notar que a proteção W02006/088680 reivindica, diferente da inovação proposta, uma conexão interna implante-pilar. E a patente US7785107 reivindica, de modo diferente da inovação, uma geometria que não abrange a indexação nem a multi-25 funcionalidade aqui propostas.

Desta forma, a inovação traz como vantagens em relação ao estado da técnica, por exemplo:

- Conveniência: pois os produtos essenciais para a técnica estão conjugados em uma única embalagem;

-    Melhor relação custo-benefício: uma vez que todos os componentes são compatíveis com toda a linha de componentes que possuem o hexágono externo;

-    Redução de etapas no procedimento cirúrgico e na moldagem de transferência para confecção da prótese.

5 Relação das figuras

A figura 1 mostra uma vista em perspectiva dos componentes do sistema de implante odontológico aqui proposto, onde se ilustram o cilindro (1), a tampa plástica (2), o parafuso interno (3), o componente protético multifuncional (4) e o implante (5).

ío A figura 2 mostra uma vista em perspectiva do componente protético multifuncional, onde se evidenciam as faces (4A e 4B) da cabeça prismática (4.1); o sulco de orientação para corte (4C), que o transformará em pilar protético (4.2); as ranhuras externas verticais côncavas (4D) indexadas com as faces maiores (4A) da cabeça prismática (4.1) e as faces do hexágono interno (4F); o canal (4E) pais ra adaptação do cilindro (1) com um clique, e o hexágono interno (4F).

A figura 3 apresenta o corte transversal da cabeça prismática (4.1) do componente protético multifuncional (4), obtendo-se uma vista superior, no qual se verificam as faces menores (4B), de formato hexagonal para aplicação do torque, e as faces maiores (4A), de formato triangular para orientação tridimensional, as 20 quais também poderão adotar o formato hexagonal.

A figura 4 apresenta uma vista em perspectiva da indexação entre as faces maiores (4A) da cabeça prismática (4.1), as ranhuras externas verticais côncavas (4D) do pilar protético (4.2), as faces do hexágono interno (4F) do componente protético multifuncional (4), e as faces do hexágono externo (5A) do implante (5), o 25 que permite o efeito antirrotacional, e a precisão no reposicionamento do componente protético multifuncional (4) sobre o implante (5).

A figura 5 apresenta uma vista em perspectiva do componente protético multifuncional (4) após sua secção por profissional habilitado através de um disco de corte comum e conhecido na técnica da reabilitação, removendo-se a cabeça

prismática (4.1), obtendo-se, então, o pilar protético (4.2).

A figura 6 demonstra o cilindro (1) sobre o pilar protético (4.2) e as respectivas vistas dos cortes perpendiculares aos eixos longitudinais, onde se evidenciam os sulcos externos (IA) para retenção da resina que será confeccionada a prótese; 5 as saliências internas (1B) para encaixe no pilar protético (4.2) através de um clique, assim como as ranhuras internas verticais convexas (1C) para orientação de posicionamento no pilar protético (4.2) e encaixe antirrotacional da prótese.

A figura 7 ilustra a sequência de um uso típico desta inovação, observando-se na etapa “A” o sistema de captura, onde o anel o’ring (6A) pertencente à chave (6) ío se acopla na haste cilíndrica (2A) da tampa plástica (2), que está fixada ao componente protético multifuncional (4) por meio do canal em forma de pinça (2B), enquanto o componente protético multifuncional (4) é unido ao implante (5) através do parafuso de fixação (3).

Na etapa “B” percebe-se o desacoplamento da tampa plástica (2) após o proces-*15 so de moldagem de transferência, o que evita a entrada de material de moldagem no furo de inserção do parafuso de fixação (3).

Na etapa “C”, ilustra-se a secção do componente protético multifuncional (4), realizada através de um disco de corte, obtendo-se duas partes: a cabeça prismática (4.1) e o pilar protético (4.2) que, após o corte, é novamente unido ao im-20 plante (5) através do parafuso de fixação (3).

Na etapa “D” verifica-se o cilindro (1) antes da sua colocação sobre o pilar protético (4.2). Na etapa “E” ilustra-se o cilindro (1) já fixado sobre o pilar protético (4.2).

Descrição detalhada da invenção

25 A inovação proposta trata de um componente protético multifuncional (4), dotado de hexágono interno (4F), um parafuso de fixação do sistema (3) e um cilindro para confecção de uma prótese dentária (1). Especificamente, o componente protético multifuncional (4) traz como inovação sua configuração geométrica associada ao seu uso em diversas funções distintas: a) captura na embalagem, transporte, instalação e aplicação de torque; b) transfer de moldagem; c) pilar protético indexado ao implante; d) dispositivo de orientação tridimensional durante o procedimento cirúrgico.

Na técnica tradicional introduz-se o implante (5) por meio de um montador con-5 vencional, que é utilizado apenas para o transporte até o leito ósseo e para a aplicação do torque, sendo que logo em seguida é descartado por não ter mais utilidade, dando sequência então à adaptação de um componente protético convencional.

Com o uso da inovação que se propõe, o componente protético multifuncional ío (4) apresenta uma tampa plástica (2) disposta em sua porção superior, a qual possui um canal em forma de pinça (2B) para a exata fixação no componente protético multifuncional (4), assim como uma haste cilíndrica (2A) para permitir a fixação no anel o ’ring (6A) da chave de instalação (6).

Com o auxílio da chave de instalação (6), todo o conjunto, composto pela tampa •15 plástica (2), pelo parafuso (3), pelo componente protético multifuncional (4) e pelo implante (5), é capturado na região da haste cilíndrica (2A) da tampa plástica, permitindo o seu transporte até o leito ósseo (Figura 7A).

O componente protético multifuncional (4) apresenta em sua configuração física uma cabeça prismática (4.1) contendo faces menores (4B) de formato preferen-20 cialmente hexagonal, utilizadas para a aplicação do torque, além de faces maiores (4A), com perfil preferencialmente triangular em sua seção transversal, utilizadas para a orientação tridimensional. Opcionalmente, as faces podem apresentar formatos distintos e compatíveis entre si, como, por exemplo, faces maiores (4A) de forma hexagonal associadas a uma cabeça prismática (4.1) de 12 lados.

25 Estas faces (4A e 4B) da cabeça prismática (4.1) estão indexadas com as faces do hexágono interno (4F) do componente protético multifuncional (4) que, consequentemente, estão indexadas com as faces do hexágono externo (5A) do implante (5). Isto permite o exato posicionamento de uma prótese unitária, pois limita o giro do componente protético multifuncional a um número específico de posições precisas, criando um efeito antirrotacional (figura 4). No caso acima descrito, por exemplo, são seis posições possíveis para a alocação do componente protético.

A função de orientação do conjunto no momento de instalação do implante (5) é 5 garantida por meio das ranhuras externas verticais côncavas (4D) dispostas ao longo do corpo do pilar protético (4.2), as quais estão indexadas com as faces maiores (4A) da cabeça prismática (4.1). Assim, pelo menos uma ranhura é assinalada no corpo do pilar protético (4.2) para viabilizar a indexação com as faces maiores (4A) da cabeça prismática (4.1).

10 O componente protético multifuncional (4) apresenta um sulco (4C) abaixo da cabeça prismática (4.1), que orienta o profissional habilitado para a realização do corte, através de um disco de uso comum e conhecido na área de reabilitação (figura n° 5), que transformará o componente protético multifuncional (4) em um pilar protético (4.2).

15 A presença de um parafuso de fixação (3) condiciona a fixação do componente protético multifuncional (4) sobre o implante (5), possibilitando o seu uso como pilar protético (4.2).

Na função de pilar protético (4.2), o componente protético multifuncional pode ser utilizado como dispositivo de orientação tridimensional para instalação de 20 mais de um implante no mesmo procedimento cirúrgico.

Não obstante, o componente protético multifuncional (4) possui um canal circular (4E) acima da base de assentamento protético, no qual o cilindro (1) será encaixado com apenas um clique, garantindo segurança na adaptação da coroa.

O cilindro (1), por sua vez, apresenta uma saliência interna (1B) para o encaixe 25 exato do pilar protético (4.2) com um clique, além de sulcos externos (IA) para retenção da resina que será confeccionada a prótese. Existem, ainda, ranhuras internas verticais convexas (1C) para orientação de posicionamento do mesmo no pilar protético (4.2).

O componente protético multifuncional (4) permite que se realize a moldagem de transferência do implante (5), facilitando a técnica por conta das faces (4A e 4B) da cabeça prismática (4.1), minimizando os riscos de erros na orientação da prótese final.

Além do mais, a presença da tampa plástica (2) permite a proteção da porção interna do componente protético multifuncional (4) durante o procedimento de moldagem de transferência, pois evita a entrada de material de moldagem, facilitando o acesso ao parafuso de fixação (3).

Em resumo, o componente (4) proposto nesta inovação possibilita a otimização da técnica de instalação de implantes dentários, adotando o componente protético multifuncional (4) a associação da função de um montador convencional com pelo menos uma das funções adicionais de captura, transporte, instalação, aplicação de torque; transfer de moldagem; pilar protético indexado ao implante, além de dispositivo de orientação tridimensional.

Esta configuração do componente protético multifuncional(4) permite estabelecer um método de uso específico, capaz de aproveitar as funcionalidades oferecidas pelo artefato. Assim, em um cenário de uso corriqueiro para aplicação de implantes (5), utiliza-se uma chave de instalação (6) para remoção do componente (4) da embalagem, onde o anel o ’ring (6A) da chave (6) se acopla na haste cilíndrica (2A) da tampa plástica (2), que está fixa ao componente protético multifuncional (4) por meio do canal em forma de pinça (2B), enquanto o componente protético multifuncional (4) está preso ao implante através do parafuso de fixação (3).

Todo este conjunto tampa (2), componente protético multifuncional (4) e implante (5) é removido da embalagem e levado até o leito ósseo através da chave (6), que inicia a aplicação do torque sobre as faces menores (4B) da cabeça prismática (4.1) do componente protético multifuncional (4). A finalização da inserção do implante (5) continua por meio de uma conexão acoplada a uma ca-traca torquímetro, também apoiada sobre as faces menores (4B) da cabeça prismática (4.1), permitindo a exata fixação do conjunto.

Após a finalização da instalação do implante (5), o profissional realiza o processo de moldagem de transferência, ainda com a tampa plástica (2) em posição, o que impede a entrada do material de moldagem na porção interna do componente protético multifuncional (5) e no orifício do parafuso (3).

5 Após este processo, o profissional retira o componente protético multifuncional (4), desparafusando-o do implante (5) que já se encontra no leito ósseo, e o utiliza como transfer de moldagem para confecção do modelo em gesso.

Nesta etapa, o profissional retira o componente protético multifuncional (4) do modelo e realiza a sua secção através de um disco de uso comum da técnica la-10 boratorial, obtendo-se a cabeça prismática (4.1), que é descartada, e o pilar protético (4.2), que retoma ao modelo para a adaptação do cilindro, cujo encaixe é realizado através de um clique, diante das suas saliências internas.