Processo de obtenção de resina fenólica a partir de piche de alcatrão vegetal

  • Número do pedido da patente:
  • PI 0003963-2 A2
  • Data do depósito:
  • 17/07/2000
  • Data da publicação:
  • 30/04/2002
Inventores:
  • Classificação:
  • C08G 8/10
    Pol?meros de condensa??o de alde?dos ou cetonas com apenas fen?is; / de alde?dos; / de formalde?do, p. ex. de formalde?do formado in situ ; / com fenol;
    ;

"PROCESSO DE OBTENÇÃO DE RESINA FENÓLICA A PARTIR DO PICHE DE ALCATRÃO VEGETAL". Refere-se o presente pedido a um novo processo de obtenção de resina fenólica, que consiste basicamente nas etapas de carbonização da madeira (2), obtenção do alcatrão (8) e fracionamento primário (9) deste , produzindo o piche vegetal (12), principal componente da resina. O piche deverá ser moído em processo criogênico (14), ajustado a uma granulometria específica para ser submetido à mistura (17) com o agente de cura (18) e resina fenólica tradicional (19) em proporções mássicas definidas. A resina "verde" é então submetida ao processo de moldagem (21), em presença ou não de cargas e posteriormente é levada às condições de cura (22) para tornar-se termofixa. A cura deverá ocorrer sob uma dada pressão e temperatura, por um tempo definido.

Página de 1

Documento

República Federativa do Brasil

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e do Comércio Exterior Instituto Nacional da Propriedade Industrial


(11) (21) PI 0003963-2 A

(51) Int. Cl7

C08G 8/10



(22) Data de Depósito: 17/07/2000 (43) Data de Publicação: 30/04/2002 (RPI 1634)

.(54) Título: PROCESSO DE OBTENÇÃO DE RESINA FENÓLICA A PARTIR DE PICHE DE ALCATRÃO VEGETAL

(71)    Depositante(s): Acesita s.A. (BR/MG)

(72)    inventor(es): Vânya Márcia Duarte Pasa, Rodrigo Saturnino de Assis, Choyu Otani

(74) Procurador: Marcos Wilian Carvalho (57) Resumo: "processo de obtenção de resina fenólica a

PARTIR DO PICHE DE ALCATRÃO VEGETAL". Refere-se o presente pedido a um novo processo de obtenção de resina fenólica, que consiste basicamente nas etapas de carbonização da madeira (2), obtenção do alcatrão (8) e fracionamento primário (9) deste , produzindo o piche vegetal (12), principal componente da resina. O piche deverá ser moído em processo criogênico (14), ajustado a uma granulometria específica para ser submetido à mistura (17) com o agente de cura (18) e resina fenólica tradicional (19) em proporções mássicas definidas. A resina "verde" é então submetida ao processo de moldagem (21), em presença ou não de cargas e posteriormente é levada às condições de cura (22) para tornar-se termofixa. A cura deverá ocorrer sob uma dada pressão e temperatura, por um tempo definido.