Processo de obtenção de microtubos de carbono e de microtubos ativados de carbono a partir de piche de alcatrão de eucalípto.

  • Número do pedido da patente:
  • PI 0100257-0 A2
  • Data do depósito:
  • 04/01/2001
  • Data da publicação:
  • 20/03/2001
Inventores:
  • Classificação:
  • C10C 3/04
    Manipula??o de piche, asfalto, betume; / por meios qu?micos; / por sopramento ou oxida??o;
    ;

"PROCESSO DE OBTENÇÃO DE MICROTUBOS DE CARBONO E DE MICROTUBOS ATIVADOS DE CARBONO A PARTIR DE PICHE DE ALCATRÃO DE EUCALÍPTO". Onde o processo compreende uma etapa de preparação do piche vegetal bruto mediante uma digestão com solução de água/álcool (40:60) seguida de filtração e secagem a 100C por um período de 2h. O processo compreende ainda a fiação contínua de fibra de piche a 217-219C, através de uma fiadeira com orifício de 0,45mm e bobinamento a uma velocidade de 100 à 150 m/min, seguida de tratamentos térmicos de estabilização a temperaturas de 80C por 4h, 120C por 4h e 270C por 4h em atmosfera de ar; e carbonização a temperaturas na faixa de 700 a 900C em fluxo de nitrogênio. O presente processo permite a obtenção de fibras de carbono com cavidade cilíndrica concêntrica ao eixo da fibra, ao longo da sua extensão longitudinal, e que devido a essa característica é denominado de microtubo de carbono.

Página de 1

Documento

j do Desenvolvimento, Indústria e do Comércio Exterior Jacional da Propriedade Industriai


lica Federativa do Brasil


(11) (21) PI 0100257-0 A




(22) Data de Depósito: 04/01/2001 (43) Data de Publicação: 03/09/2002 (RP11652)


(51) Int. Cl7.:

C10C3/04,



tulo: PROCESSO DE OBTENÇÃO DE >TUBOS DE CARBONO E DE MICROTUBOS DOS DE CARBONO A PARTIR DE PICHE DE rRÃO DE EUCALÍPTO

jpositante(s): Universidade Estadual de Campinas -IP (BR/SP)

/entor(es): Carlos Alberto Luego, Gino Capobianco, Choyu sitor Aguiar Polidoro, Satika Otani

OCUrador: Pedro Emerson de Carvalho


(57) Resumo: "processo de obtenção de microtubos de

CARBONO E DE MICROTUBOS ATIVADOS DE CARBONO A PARTIR DE PICHE DE ALCATRÃO DE EUCALÍPTO". Onde o processo compreende uma etapa de preparação do piche vegetal bruto mediante uma digestão com solução de água/álcool (40:60) seguida de filtração e secagem a 100°C por um período de 2h. O processo compreende ainda a fiação contínua de fibra de piche a 217-219°C, através de uma fiadeira com orifício de 0,45mm e bobinamento a uma velocidade de 100 à 150 m/min, seguida de tratamentos térmicos de estabilização a temperaturas de 80°C por 4h, 120°C por 4h e 270°C por 4h em atmosfera de ar; e carbonização a temperaturas na faixa de 700 a 900°C em fluxo de nitrogênio. O presente processo permite a obtenção de fibras de carbono com cavidade cilíndrica concêntrica ao eixo da fibra, ao longo da sua extensão longitudinal, e que devido a essa característica é denominado de microtubo de carbono.