Marcelo de Almeida Guimarães

Possui Graduação em Agronomia (2002), Mestrado em Fitotecnia (2004) e Doutorado em Fisiologia Vegetal (2009), sendo todos os títulos obtidos na Universidade Federal de Viçosa. Entre 2004 e 2005 realizou estágio em Ohio nos Estados Unidos na área de produção de flores em ambiente controlado. Em 2005, realizou estágio na Universidade de Purdue nos Estados Unidos, tendo retornado em 2007 para realizar parte de seu Doutorado Sanduíche. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em produção e fisiologia vegetal, e manejo de hortaliças. Atua principalmente nos seguintes temas: Tratos culturais em hortaliças, cultivo de hortaliças em ambiente orgânico, cultivo protegido, astronomia agrícola e influência do som no desenvolvimento das plantas. Foi professor adjunto I do curso de Ciências Agrárias e do Ambiente da Universidade Federal do Amazonas, Unidade Acadêmica de Benjamin Constant, onde ministrou aulas de Fisiologia Vegetal, Técnicas Agroecológicas - Nutrição Vegetal, Olericultura Tropical, Introdução a Genética e ao Melhoramento de Plantas e Beneficiamento de Produtos Agropecuários. Atualmente está como professor do Curso de Agronomia da Universidade Federal do Ceará, lotado no Departamento de Fitotecnia, onde é responsável pela disciplina de Olericultura na graduação e Olericultura Geral na Pós-Graduação. Desde junho de 2013 está credenciado como docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Agronomia (Fitotecnia) da Universidade Federal do Ceará. Tem atuado também como revisor de artigos em periódicos. É bolsista Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora desde março de 2014.

Informações coletadas do Lattes em 24/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Ciências Agrárias (Fisiologia Vegetal)

2005 - 2009

Universidade Federal de Viçosa
Título: Uso de Thlaspi caerulescens e Arabidopsis thaliana em estudos de acúmulo e tolerância a zinco e lítio
Orientador: em Purdue University ( David Edward Salt)
com Marcelo Ehlers Loureiro. Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil. Palavras-chave: Fitorremediação; Mutação; Thlaspi caerulescens; temperatura; Giberelina - GA3.Grande área: Ciências BiológicasGrande Área: Ciências Biológicas / Área: Fisiologia. Setores de atividade: Produtos e Processos Biotecnológicos Vinculados À Saúde Humana Ou dos Animais.

Mestrado em Fitotecnia (Produção Vegetal)

2002 - 2004

Universidade Federal de Viçosa
Título: Influência da poda apical e da posição do cacho de tomateiro no crescimento da planta e na qualidade dos frutos,Ano de Obtenção: 2004
Derly José Henriques da Silva.Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil. Palavras-chave: Lycopersicon esculentum Mill; tratos culturais; brix; pH; poda apical; poda de racimo. Grande área: Ciências AgráriasGrande Área: Ciências Agrárias / Área: Engenharia Agrícola / Subárea: Construções Rurais e Ambiência. Setores de atividade: Produção Vegetal; Desenvolvimento Rural.

Graduação em Agronomia

1997 - 2002

Universidade Federal de Viçosa

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2019 - 2019

Producción y usos de aceites esenciales. (Carga horária: 4h). , Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.

2019 - 2019

Micorrizas arbusculares, mucho más que una interacción biológica. (Carga horária: 16h). , Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.

2018 - 2018

Capacitação sobre Enade para Procuradores Institucionais e Coordenadores. (Carga horária: 20h). , Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, INEP/MEC, Brasil.

2014 - 2014

Planejamento da Produção de Hortaliças. (Carga horária: 6h). , Universidade Federal do Tocantins, UFT, Brasil.

2013 - 2013

Docência Integrada às Tec. da Info. e Comun.. (Carga horária: 64h). , Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.

2013 - 2013

Seminário de ambientação aos novos servidores. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.

2012 - 2013

CASa - Comunidade de Coop. e Aprend. Significativa. (Carga horária: 72h). , Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.

2012 - 2012

I Oficina de Formação Continuada. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.

2011 - 2011

Extensão universitária em Visita técnica ao setor responsável pelos RSU. (Carga horária: 54h). , Prefeitura Municipal de Silvianópolis, SILVIANÓPOLIS, Brasil.

2011 - 2011

Extensão universitária em Dia de Campo - Cultivo do Tomateiro. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal de Viçosa, UFV, Brasil.

2010 - 2010

Extensão universitária em Visita técnica nas unidades da EcoUrbis Ambiental. (Carga horária: 32h). , Concessionária EcoUrbis Ambiental S.A., ECOURBIS, Brasil.

2010 - 2010

Arranjo Produtivo Local. (Carga horária: 4h). , Universidade Federal do Amazonas - UFAM, PROEXTI - UFAM, Brasil.

2010 - 2010

Noções Básicas de Propriedade Intelectual. (Carga horária: 4h). , Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, INPA, Brasil.

2008 - 2008

Advanced English Course. (Carga horária: 190h). , Lafayette Adult Resource Academy, LARA, Estados Unidos.

2007 - 2007

Biorremediación. Estrategias ecoamigables. (Carga horária: 100h). , Centro Argentino-Brasileño de Biotecnologia, CABBIO, Argentina.

2007 - 2007

Uso da Biotecnologia na Biorremediação. (Carga horária: 146h). , Centro Brasileiro-Argentino de Biotecnologia, CBAB, Brasil.

2001 - 2001

Orientação Para o Crédito. (Carga horária: 16h). , Sebrae, SEBRAE, Brasil.

2001 - 2001

Melhoramento Genético de Hortaliças. (Carga horária: 4h). , Associação Brasileira de Horticultura, ABH, Brasil.

2000 - 2000

Extensão universitária em 71 Semana do Fazendeiro. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal de Viçosa, UFV, Brasil.

1997 - 1999

Inglês. , Real English Center, REC, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Bandeira representando o idioma Espanhol

, Lê Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Olericultura.

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitotecnia/Especialidade: Manejo e Tratos Culturais.

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Extensão Rural.

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitotecnia/Especialidade: Fisiologia de Plantas Cultivadas.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

GUIMARÃES, M.A. ; RABELO, J.S. . I Workshop Internacional Brasil/Argentina do curso de Pós-graduação em Fitotecnia da UFC. 2019. (Outro).

GUIMARÃES, M.A. . Como ter uma horta em casa. 2017. (Outro).

GUIMARÃES, M.A. . XXVI Encontro de Iniciação à Docência. 2017. (Outro).

TAKANE, R. J. ; PIVETTA, K. ; FARIA, R. T. ; MATTIUZ, C. F. M. ; GUIMARÃES, M.A. . I Simpósio Brasileiro de Cultivo de Orquídeas. 2013. (Outro).

GUIMARÃES, M.A. . I Mostra Interinstitucional de Ensino, Pesquisa e Extensão. 2011. (Outro).

GUIMARÃES, M.A. . I Oficina de Avaliação de Processos Operacionais / PROEXTI. 2010. (Outro).

GUIMARÃES, M.A. . Oficina de Avaliação da Minuta de Resolução da Política de Inovação da UFAM. 2010. (Outro).

GUIMARÃES, M.A. . EXPOTEC. 2010. (Exposição).

GUIMARÃES, M.A. . I Seminário para a discussão da Política de Inovação e Propriedade Intelectual. 2010. (Outro).

FERNANDES, C. V. ; SAMPAIO, A. C. S. ; GUIMARÃES, M.A. ; ASCIOLI, A. N. S. ; MONTEIRO, L. R. ; NUNES, J. R. S. ; MIRANDA, J. F. . I Semana da Ciências Agrárias e do Ambiente: O homem e a sustentabilidade do ambiente amazônico. 2010. (Outro).

GUIMARÃES, M.A. ; CALIMAN, F. R. B. ; MATTEDI, A. P. ; SILVA, D. J. H. . Dia de campo na cultura do tomateiro na 78 Semana do Fazendeiro. 2007. (Exposição).

GUIMARÃES, M.A. . Uso da Biotecnologia na Biorremediação da Contaminação Ambiental. 2007. (Outro).

GUIMARÃES, M.A. ; MARIM, B. G. ; CALIMAN, F. R. B. ; SILVA, D. J. H. . Dia de Campo: "Influência de tutoramento e condução do tomateiro na produção de tomate. 2001. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

I Workshop Internacional Brasil/Argentina do curso de Pós-graduação em Fitotecnia da UFC. 2019. (Outra).

SENGE.CE - Compartilhando Saberes.Ética e atribuições no exercício legal da profissão de engenheiro agrônomo. 2017. (Outra).

XXX Congresso Brasileiro de Agronomia - CBA. I Fórum dos coordenadores de curso de agronomia. 2017. (Congresso).

I Congresso Internacional da Diversidade do Semiárido. O projeto. 2016. (Congresso).

I Congresso Internacional da Diversidade do Semiárido. Efeito do espaçamento entre fileiras no feijão-caupi via pesquisa participativa. 2016. (Congresso).

I Congresso Internacional da Diversidade do Semiárido. 2016. (Congresso).

2 Fórum sobre o Ensino de Olericultura no Brasil. 2014. (Outra).

53 Congresso Brasileiro de Olericultura. 2014. (Congresso).

Encontros Científicos 2013 - XIII Encontro de Pós-Graduação e Pesquisa da UNIFOR.Efeito de GA3 e da temperatura na pós-colheita de cebolinha. 2013. (Encontro).

Encontros Científicos 2013 - XIX Encontro de Iniciação à Pesquisa.Efeito de diferentes dosagens de GA3 na pós-colheita de coentro. 2013. (Encontro).

I Simpósio Brasileiro de Cultivo de Orquídeas.Auxinas e Fotoperíodo na multiplicação in vitro de orquídea (Cattleya labiata Lindl.). 2013. (Simpósio).

I Simpósio Brasileiro de Cultivo de Orquídeas.Multiplicação in vitro de orquídea (Cattleya labiata Lindl.) com diferentes citocininas e fotoperíodo. 2013. (Simpósio).

VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia - Cuidando da Saúde do Planeta. Efeito de diferentes substratos e ambientes no enraizamento de folíolos de Zamioculca [Zamioculca zamiifolia (Lodd.)]. 2013. (Congresso).

XVIII Semana Universitária - 18 anos: Socialização do ensino, da pesquisa e da extensão.Efeito de diferentes dosagens de GA3 na pós-colheita de coentro e cebolinha. 2013. (Outra).

XXII Encontro de Extensão.Implantação de horta demonstrativa/pedagógica em escolas públicas no município de Reriutaba/CE. 2013. (Encontro).

XXII Encontro de Iniciação à Docência.Monitoria: Ferramenta de apoio ao processo de ensino/aprendizagem na disciplina de olericultura (Agronomia-UFC). 2013. (Encontro).

XXII Encontro de Iniciação à Docência.Utilização de tecnologias digitais como ferramenta educacional para a disciplina de olericultura (Agronomia-UFC). 2013. (Encontro).

XXXII Encontro de Iniciação Científica.Incidência de Pestalotiopsis em duas cultivares de morangueiro. 2013. (Encontro).

51 Congresso Brasileiro de Olericultura. 2011. (Congresso).

I Encontro dos Cursos do Instituto de Natureza e Cultura/UFAM:.Nutrição Vegetal: Uso de Elementos Minerais. 2011. (Encontro).

I Encontro dos Cursos do Instituto de Natureza e Cultura/UFAM: "Promovendo o ensino, desenvolvendo a pesquisa e integrando saberes".Hormônios Vegetais. 2011. (Encontro).

I Encontro dos Cursos do Instituto de Natureza e Cultura/UFAM: "Promovendo o ensino, desenvolvendo a pesquisa e integrando saberes".Produção de mudas de hortaliças. 2011. (Encontro).

I Encontro dos Cursos do Instituto de Natureza e Cultura/UFAM: "Promovendo o ensino, desenvolvendo a pesquisa e integrando saberes".Nutrição Vegetal: Uso de elementos minerais. 2011. (Encontro).

I Encontro dos Cursos do Instituto de Natureza e Cultura/UFAM: "Promovendo o ensino, desenvolvendo a pesquisa e integrando saberes".Introdução e organização do processo de coleta seletiva de lixo no município de Benjamin Constant. 2011. (Encontro).

I Encontro dos Cursos do Instituto de Natureza e Cultura/UFAM: "Promovendo o ensino, desenvolvendo a pesquisa e integrando saberes".Parque Científico e Tecnológico para a Inclusão Social: Rede de Pesquisa, Ensino e Extensão. 2011. (Encontro).

I Encontro dos Cursos do Instituto de Natureza e Cultura/UFAM: "Promovendo o ensino, desenvolvendo a pesquisa e integrando saberes".Hormônios Vegetais. 2011. (Encontro).

II Semana Ambiental de Benjamin: Sustentabilidade e Educação.Como acabar com o problema do lixo na mesorregião do Alto Solimões, AM. 2011. (Outra).

I Semana de Extensão do IFAM.Como acabar com o problema do lixo no Alto Solimões. 2011. (Outra).

IV Workshop de Integração do parque Científico e Tecnológico para Inclusão Social: Rede de Pesquisa, Extensão e Inovação Tecnológica - PCTIS e I Seminário sobre Inovação Tecnológica para Inclusão Social em Arranjos Produtivos Locais.Introdução e organização do processo de coleta seletiva de lixo na mesorregião do Alto Solimões - AM. 2011. (Seminário).

IV Workshop de Integração do PCTIS e I Seminário sobre Inovação Tecnológica para Inclusão Social em Arranjos Produtivos Locais.Preservação Ambiental: oportunidades para inovação e geração de renda. 2011. (Outra).

IV Workshop de Integração do PCTIS e I Seminário sobre Inovação Tecnológica para Inclusão Social em Arranjos Produtivos Locais. 2011. (Outra).

VI Feira Internacional da Amazônia: Novas Idéias, Soluções e Oportunidades de Negócios.Conferência WITS (Água, Inovação, Tecnologia & Sustentabilidade) 2011. 2011. (Outra).

VI Feira Internacional da Amazônia: Novas Idéias, Soluções e Oportunidades de Negócios. 2011. (Outra).

VI Feira Internacional da Amazônia: Novas Idéias, Soluções e Oportunidades de Negócios. 2011. (Outra).

VI Feira Internacional da Amazônia: Novas Idéias, Soluções e Oportunidades de Negócios. 2011. (Outra).

VIII Semana de Ciência e Tecnologia - Mudanças Climáticas, Desastres Naturais e Prevenção de Riscos.Nutrientes Minerais Essenciais Às Plantas. 2011. (Outra).

VIII Semana de Ciência e Tecnologia - Mudanças Climáticas, Desastres Naturais e Prevenção de Riscos.Parque Tecnológico para a Inclusão Social: Rede de Pesquisa, Ensino e Extensão. 2011. (Outra).

VIII Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - Mudanças Climáticas, Desastres Naturais e Prevenção de Riscos.Hormonios Vegetais. 2011. (Outra).

VIII Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - Mudanças Climáticas, Desastres Naturais e Prevenção de Riscos.Nutrientes Minerais Essenciais Às Plantas. 2011. (Outra).

VIII Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - Mudanças Climáticas, Desastres Naturais e Prevenção de Riscos.Hormonios Vegetais. 2011. (Outra).

VIII Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - Mudanças Climáticas, Desastres Naturais e Prevenção de Riscos.Parque Tecnológico para a Inclusão Social: Rede de Pesquisa, Ensino e Extensão. 2011. (Outra).

50 Congresso Brasileiro de Olericultura. 2010. (Congresso).

Amazônia e Meio Ambiente: "Conhecimento, Saberes e Direitos a Diversidade".Palestra: "O lixo e a Sustentabilidade". 2010. (Outra).

Amazônia e Meio Ambiente: "Conhecimento, Saberes Tradicionais e Direitos a Diversidade".Documentário: "Destinos do Lixo". 2010. (Outra).

EXPOTEC.Criação do Núcleo de Economia Solidária do Alto Solimões ? NESAS. 2010. (Outra).

EXPOTEC.Criação do Núcleo de Complementação e Formação Acadêmica de Administração - NUCFAADM - INC/BC-UFAM. 2010. (Outra).

EXPOTEC.Criação do Núcleo de Complementação e Formação Acadêmica de Administração - NUCFAADM - INC/BC-UFAM. 2010. (Outra).

EXPOTEC.Introdução e organização do processo de coleta seletiva de lixo na Mesorregião do Alto Solimões. 2010. (Outra).

EXPOTEC.Implementação da Pesquisa e Capacitação para o Desenvolvimento Social do Vale do Javari. 2010. (Outra).

EXPOTEC.Introdução e organização do processo de coleta seletiva de lixo na Mesorregião do Alto Solimões. 2010. (Outra).

II Fórum de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia da Região Norte - FORTEC 2010. 2010. (Outra).

II Semana do Curso de Ciências: Biologia e Química: Pesquisas em Biodiversidade.Coleta Seletiva de Lixo. 2010. (Outra).

I Mostra Interinstitucional de Ensino, Pesquisa e Extensão - I MIEPEX.Implementação da Pesquisa e Capacitação para o Desenvolvimento Social do Vale do Javari. 2010. (Outra).

I Mostra Interinstitucional de Ensino, Pesquisa e Extensão - I MIEPEX. 2010. (Outra).

I Oficina de Avaliação de Processos Operacionais / PROEXTI.Avaliação dos Processos Operacionais da PROEXTI. 2010. (Oficina).

I Oficina de Avaliação de Processos Operacionais da PROEXT. 2010. (Oficina).

I Oficina de Avaliação de Processos Operacionais da PROEXTI.Processos Operacionais da PROEXTI. 2010. (Oficina).

I Semana de Ciências Agrárias e do Ambiente: O homem e a sustentabilidade no ambiente amazônico.O Lixo e a Sustentabilidade. 2010. (Outra).

I Seminário para a discussão da Política de Inovação e Propriedade Intelectual.Política Institucional de Inovação. 2010. (Seminário).

I Workshop do Parque Científico e Tecnológico para Inclusão Social: Rede de Pesquisa, Extensão e Inovação Tecnológica - PCTIS.Projetos do Instituto de Natureza e Cultura - INC - Benjamin Constant. 2010. (Outra).

I Workshop do Parque Tecnológico para Inclusão Social: Rede de Pesquisa, Extensão e Inovação Tecnológica. 2010. (Outra).

Oficina de Avaliação da Minuta de Resolução da Política de Inovação da UFAM.Avaliação da Minuta de Resolução da Política de Inovação da UFAM. 2010. (Oficina).

Oficina de Avaliação da Minuta de Resolução da Política de Inovação da UFAM.Minuta da Resolução da Política de Inovação da UFAM. 2010. (Oficina).

Semana do Meio Ambiente: A caminho da sustentabilidade ambiental do município.Lixo e seus efeitos no Meio Ambiente. 2010. (Outra).

VII Semana de Ciência e Tecnologia do Amazonas: Ciência para o Desenvolvimento Sustentável.Documentário: Destinos do Lixo. 2010. (Outra).

VII Semana de Ciência e Tecnologia do Amazonas: Ciência para o Desenvolvimento Sustentável.Como resolver o problema do lixo no Alto Solimões. 2010. (Outra).

VII Semana Nacional de Ciência e Tecnologia: Ciência para o Desenvolvimento Sustentável. 2010. (Outra).

Energy and the Environment: Powering the Future Responsibly. 2008. (Simpósio).

Frontiers in Biological Membranes. 2008. (Simpósio).

II Simpósio Brasileiro de Pós-Colheita de Frutas, Hortaliças e Flores. 2007. (Simpósio).

XVI Simpósio de Iniciação Científica. VI SIMPÓS - Mostra Científica da Pós-Graduação. IV Simpósio de Extensão Universitária. Os rumos da Universidade Pública: Ciência Sociedade e Cultura.. 2007. (Simpósio).

46 Congresso Brasileiro de Olericultura. 46 Congresso Brasileiro de Olericultura. 2006. (Congresso).

Certificação e Boas Práticas Agrícolas. 2006. (Encontro).

II Simpósio Brasileiro de Cultivo em Ambiente Protegido. 2006. (Simpósio).

Interbio "Biotechnology and Animal Health International Meeting". 2006. (Encontro).

Molecular Markers. 2006. (Outra).

Núcleo de Estudos em Olericultura - NEO/UFV.Fisiologia Vegetal x Produção de Hortaliças. 2006. (Encontro).

Núcleo de Estudos em Olericultura - NEO/UFV.Produção de flores em ambiente controlado no Estado de Ohio - USA. 2006. (Encontro).

Tomate: O dia a dia do brasileiro. 2006. (Outra).

44° Congresso Brasileiro de Olericultura - Novos Rumos, Diversificação e Renda.. 44 Congresso Brasileiro de Olericultura. 2004. (Congresso).

Núcleo de Estudos em Olericultura - NEO/UFV.Partição de fotoassimilados em tomateiro após a poda apical. 2004. (Encontro).

Núcleo de Estudos em Olericultura - NEO/UFV.Análise de métodos de condução de tomateiro visando maximizar a produção de frutos do Grupo Santa Cruz. 2004. (Encontro).

Núcleo de Estudos em Olericultura - NEO/UFV.Avaliação do efeito da poda apical e posição do cacho de tomateiro na produção e sabor dos frutos. 2004. (Encontro).

Núcleo de Estudos em Olericultura - NEO/UFV.Comportamento da fonte e do dreno em tomateiro após a poda apical acima do quarto cacho. 2004. (Encontro).

Núcleo de Estudos em Olericultura - NEO/UFV.Distribuição de fotoassimilados na planta de tomateiro. 2004. (Encontro).

Prêmio Jovem Cientista.Prêmio Jovem Cientista. 2004. (Outra).

42° Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura. 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura. 2002. (Congresso).

3 Encontro sobre produção de café com qualidade. 2001. (Encontro).

41 Congresso Brasileiro de Olericultura e 1 Encontro sobre Plantas Aromáticas, Condimentares e Medicinais. 41° Congresso Brasileiro de Olericultura e 1 Encontro sobre Plantas Aromáticas, Condimentares e Medicinais. 2001. (Congresso).

I Expocen - Exposição Agropecuária de Centralina e I Agrotec - Tecnologia na Agropecuária. 2001. (Outra).

I Semana de Olericultura da UFV. 2001. (Outra).

X Simpósio de Iniciação Científica - A Ciência e o Desenvolvimento Tecnológico Nacional.X Simpósio de Iniciação Científica. 2000. (Simpósio).

IX Simpósio de Iniciação Científica - A Ciência e a Realidade Social.IX Simpósio de Iniciação Científica - A Ciência e a Realidade Social. 1999. (Simpósio).

VIII Simpósio de Iniciação Científica - Produção e Apropriação da Pesquisa.VIII Simpósio de Iniciação Científica - Produção e Apropriação da Pesquisa. 1998. (Simpósio).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Francisco Thiago de Albuquerque Aragão

GUIMARÃES, M.A.; BEZERRA, F. M. L.; NEVES, A. L. R.; SOUSA, G. G.. Eficácia do uso do hidrogel e respostas fisiológicas no cultivo da alface (Lactuca sativa L.) submetidos a déficit hídrico. 2018. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Italo Marlone Gomes Sampaio

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, L. S. C.; TAKANE, R. J.; GUSMAO, S. A. L.. Produção de jambu (Acmella oleraceae (L.) R.K. Jansen): métodos de propagação, espaçamento e número de plantas por cova. 2017. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Caris dos Santos Viana

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, L. S. C.; GUSMAO, S. A. L.. Eficiência agroeconômica e aspectos fisiológicos no consórcio de rúcula (Eruca sativa Miller) com espécies aromáticas e condimentares. 2017. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Ana Régia Alves de Araújo Hendges

GUIMARÃES, M.A.; MELO, J. W. S.; OLIVEIRA, L. S. C.; MESQUITA, R. O.. Desempenho de cultivo de couve de folha com espécies aromáticas e condimentares. 2016. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: HOZANO DE SOUZA LEMOS NETO

GUIMARÃES, M.A.; MESQUITA, R. O.; SILVA, J. C. V.; PINTO, C. M.. Influência da temperatura na germinação e de espaçamentos na produção em cultivares de alface sob baixa altitude e latitude. 2015. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Renato Leandro Costa Nunes

OLIVEIRA, A. B.; DUTRA, A. S.;GUIMARÃES, M.A.; MESQUITA, R. O.. Germinação de sementes e produção de girassol sob estresses abióticos e bióticos. 2015. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Sebastián Andrés Garita

GUIMARÃES, M.A.; RUSCITTI, M.; OLIVEIRA, A. B.; SANTOS, C. D. G.. Aspectos do desenvolvimento e da fisiologia de enxertos do tomateiro 'Santa Clara' crescidos sobre diferentes variedades de porta-enxerto e em ambiente infestado com o falso nematoide das galhas. 2015. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Ronimeire Torres da Silva

OLIVEIRA, A. B.; DUTRA, A. S.;GUIMARÃES, M.A.; PINTO, C. M.. Qualidade fisiológica de sementes de gergelim em função da adubação orgânica, posição dos frutos e deficiência hídrica em diferentes fases fenológicas. 2015. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Manuel Filipe Nascimento Garcia

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, A. B.; TAKANE, R. J.; TOSTA, M. S.. Desenvolvimento de protocolos de enxertia do tomateiro 'santa clara' combinado com porta-enxertos de diferentes cultivares e espécies de solanáceas. 2015. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Jean Paulo de Jesus Tello

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, A. B.; TAKANE, R. J.; TOSTA, M. S.. Características fisiológicas e de produção do tomateiro produzido sobre diferentes porta-enxertos da família solanácea. 2015. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Lívia Karine Maia de Freitas Lima

DUTRA, A. S.;GUIMARÃES, M.A.; PAULA, L. A. M.. Escolas de ensino médio do campo no Estado do Ceará: mandalla como experiência de integração. 2015. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: LYDIO LUCIANO DE GOIS RIBEIRO DANTAS

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, L. S. C.; MARTINS JUNIOR, W.. Contribuições fitotécnicas para o desenvolvimento de couve-chinesa e flor do deserto em região litorânea do Nordeste Brasileiro. 2015. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Antonio Anderson de Jesus Rodrigues

TAKANE, R. J.;GUIMARÃES, M.A.; CASTRO, A. C. R.; CARVALHO, A. C. P. P.. Luz artificial e reguladores de crescimento no estiolamento in vitro de Cattleya labiata e Phalaenopsis sp.. 2014. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: REBECA DE ARAUJO TORRES

TAKANE, R. J.;GUIMARÃES, M.A.; CASTRO, A. C. R.; FARIA, R. T.. Desempenho de duas variedades de girassol de corte (Vicents II Choice e Vicents II Fresh - Sakata Seeds) sob efeito de diferentes doses de composto orgânico. 2014. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Hernandes Rufino dos Santos

INNECCO, R.;GUIMARÃES, M.A.; VASCONCELOS, A. A.; ARAGÃO, F. A. S.. Viabilidade de produção da alface americana no Município de Pentecoste-Ce. 2013. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Maria Lucilania Bezerra Almeida

INNECCO, R.;GUIMARÃES, M.A.; VASCONCELOS, A. A.; MOURA, C. F. H.. Caracterização pós-colheita de propriedades físicas e químicas de morangos produzidos sob diferentes sistemas de cultivo. 2013. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Wanderlúcia Silva Rodrigues

TAKANE, R. J.;GUIMARÃES, M.A.; CASTRO, A. C. R.. Estudo de técnicas de produção das ornamentais Caladium FREIDA HEMPLE, Sansevieria cilyndrica BOJER e Cereus jamacaru DC.. 2013. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: HOZANO DE SOUZA LEMOS NETO

GUIMARÃES, M.A.; MESQUITA, R. O.; OLIVEIRA, A. B.; PINTO, C. M.; DIAS, N. S.. Silício na atenuação dos efeitos da salinidade em alface hidropônica. 2019. Tese (Doutorado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Renato Leandro Costa Nunes

BEZERRA NETO, F.; LIMA, J. S. S.; OLIVEIRA, A. B.; PADILLA, A. D.;GUIMARÃES, M.A.. Eficiência agroeconômica em sistemas de produção de hortaliças e grãos em ambiente semiárido. 2019. Tese (Doutorado em Fitotecnia) - Universidade Federal Rural do Semi-Árido.

Aluno: Fábio Perlatti

FERREIRA, T. O.; ARAUJO, F. S.;GUIMARÃES, M.A.; SOUZA JR., V. S.; PEREZ, X. L. O.. Trace metals biogeochemistry in soils and rhizosphere of plants affected by miming wastes: consequences to ecosystem and options for restoration (Phytoremediation and Technosols). 2015. Tese (Doutorado em Ecologia e Recursos Naturais) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Francisco Ronaldo Alves de Oliveira

GUIMARÃES, M. A.; MIRANDA, M. R. A.; DIAS, C. T. S.; LIMA, C. J. G. S.. Consórcio de cultivares de beterraba com coentro em sistema orgânico. 2020. Exame de qualificação (Doutorando em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: HOZANO DE SOUZA LEMOS NETO

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, L. S. C.; AQUINO, B. F.; MESQUITA, R. O.. Silício reduz os efeitos do estresse salino na germinação e crescimento em cultivares de alface?. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Maria Lucilania Bezerra Almeida

GUIMARÃES, M.A.; SOUSA, A. E. D.; VASCONCELOS, A. A.. Perfil de giberelina e indutores de florescimento no cajueiro anão precoce. 2016. Exame de qualificação (Doutorando em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Viviane Ruppenthal

GUIMARÃES, M.A.; MESQUITA, R. O.; MIRANDA, R. S.. Alterações fisiológicas e bioquímicas em arroz adubado com silício e sob estresse salino. 2015. Exame de qualificação (Doutorando em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Fábio Perlatti

ARAUJO, F. S.;GUIMARÃES, M.A.; WEBER, O. B.. Prospecção da diversidade de espécies de fungos micorrízicos arbusculares na rizosfera de plantas espontâneas em solos contaminados por cobre. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Ecologia e Recursos Naturais) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Frederico Silva Thé Pontes Filho

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, A. B.; PINTO, C. M.. Banca de qualificação de doutorado. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Benedito Pereira Lima Neto

GUIMARÃES, M. A.; LEMOS NETO, H. S.; BEZERRA, A. M. E.. Desempenho do rabaneteiro em cultivo solteiro e consorciado com espécies aromáticas e condimentares. 2019. Exame de qualificação (Mestrando em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Francisco Thiago de Albuquerque Aragão

BEZERRA, F. M. L.;GUIMARÃES, M.A.; NEVES, A. L. R.. Eficácia do uso de hidrogel e respostas fisiológicas no cultivo da alface (Lactuca sativa L.). 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Engenharia Agrícola) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Janiquelle da Silva Rabelo

GUIMARÃES, M.A.; MESQUITA, R. O.; COSTA, R. N. T.. Eficiência no uso da água no cultivo de tomate cereja associado a diferentes coberturas do solo e lâminas de irrigação. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Caris dos Santos Viana

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, A. B.; SANTOS, C. D. G.. Produção de tomate enxertado em solo infestado por nematoides das galhas. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Italo Marlone Gomes Sampaio

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, A. B.; TAKANE, R. J.. Produção de jambu (Acmella oleraceae (L.) R. K Jansen): influência dos métodos de propagação e espaçamentos de cultivo. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Wesley Costa Silva

OLIVEIRA, A. B.;GUIMARÃES, M.A.; MESQUITA, R. O.. Crescimento, fisiologia e produção de feijão-caupi em função de diferentes lâminas de irrigação com água salina e doses de biofertilizantes. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Ana Régia Alves da Araújo Hendges

GUIMARÃES, M.A.; MELO, J. W. S.; OLIVEIRA, A. B.. Cultivo solteiro e consorciado de couve de folha com espécies aromáticas e condimentares: desempenho agroeconômico e efeitos na dinâmica populacional de insetos. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Maiara Pereira Barros

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, F. R. A.; ABUD, H. F.. Germinação de sementes de pimentão em condições de estresse salino. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Cícera Manuele de Souza Mesquita

GUIMARÃES, M.A.; PINHEIRO, C. L.; ABUD, H. F.; LIMA NETO, B. P.. Efeito alelopático de extratos aquosos de cebolinha na germinação da alface. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Gabriela Pinho Meneses

GUIMARÃES, M.A.; LEMOS NETO, H. S.; VIANA, C. dos S.; LIMA NETO, B. P.. Desempenho agronômico do rabaneteiro em diferentes arranjos de cultivo. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Bruno Cordeiro de Almeida

GUIMARÃES, M.A.; LEMOS NETO, H. S.; RABELO, J. S.. Desempenho Agroeconômico do coentro em diferentes densidades de semeadura sob manejo orgânico. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: VINICIUS BORGES DA SILVA

GUIMARÃES, M.A.; LEMOS NETO, H. S.; HENDGES, A. R. A. A.; MELO, J. W. S.. Adubação orgânica e densidade de plantio alterando a fisiologia, produção e incidência de pragas no rabanete. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Bruno do Nascimento Silva

MESQUITA, R. O.;GUIMARÃES, M.A.; PAULA, S. O.; MAGALHAES, C. H. C.. Caracterização fisiológica e bioquímica de variedades locais de feijão-caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp) quanto a tolerância ao déficit hídrico. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Lidiane dos Santos Olimpio

GUIMARÃES, M.A.; HENDGES, A. R. A. A.; LEMOS NETO, H. S.; RABELO, J. S.. Recipientes e densidades de cultivo na produção de coentro em ambiente protegido. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Maria Risocleuda da Costa

GUIMARÃES, M.A.; RABELO, J. S.; HENDGES, A. R. A. A.; LEMOS NETO, H. S.. Desempenho agronômico do rabaneteiro em diferentes arranjos de cultivo. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Celly de Lima Maia

GUIMARÃES, M.A.; LEMOS NETO, H. S.; RABELO, J. S.; HENDGES, A. R. A. A.. Fisiologia do rabaneteiro em diferentes arranjos espaciais. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Santiago Rúbio Ruiz

GUIMARÃES, M.A.; HENDGES, A. R. A. A.; LEMOS NETO, H. S.; RABELO, J. S.. Recipientes e doses de adubo de liberação controlada na produção do rabanete em ambiente protegido. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Benedito Pereira Lima Neto

GUIMARÃES, M.A.; HENDGES, A. R. A. A.; LEMOS NETO, H. S.; RABELO, J. S.. Arranjos de cultivo em consórcio entre rúcula e nirá (Allium tuberosum Rottle ex Spreng). 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Joyce cristine Silva Rocha

GUIMARÃES, M.A.; CORREA, M. C. M.; SOARES, I.. Nutrição mineral e aspectos morfológicos do tomateiro cereja sob redução da disponibilidade de macronutrientes. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Maíra Saldanha Duarte

MELO, J. W. S.;GUIMARÃES, M.A.; LIMA, D. B.. Populações de pulgões Myzus persicae (Sulzer) (Hemiptera: Aphididae) em couve-de-folha sob diferentes formas de controle. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Jefferson Freitas de Menezes Fortes

GUIMARÃES, M.A.; LEMOS NETO, H. S.; SAMPAIO, I. M. G.. Desempenho produtivo e fisiológico do alface em sistema hidropônico sob temperatura elevada. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Maristela Caetano Gomes

GUIMARÃES, M.A.; RABELO, J. S.; VIANA, C. dos S.. Influência de recipientes e da semeadura direta na produção do rábano (Raphanus sativus var. Acanthiformis). 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Francisco Gilcivan Moreira Silva

GUIMARÃES, M.A.; SOARES, I.; QUEIROZ, R. F.. Absorção de N P K por alface crespa cultivada em sistema hidropônico. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: João Germano Gomes

GUIMARÃES, M.A.; HENDGES, A. R. A. A.; VIANA, C. dos S.. Características morfoagronômicas e fisiológicas do mini tomate produzido sob elevada temperatura. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Gustavo Galeazzi Dable

GUIMARÃES, M.A.; MOTA, N. F.; SOUSA, A. S. M.. Ciências sem fronteiras: o que o sistema orgânico de produção de hortaliças desenvolvido na Finlândia tem a nos ensinar. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Felipe Silva Nunes

GUIMARÃES, M.A.; LEMOS NETO, H. S.; SAMPAIO, I. M. G.; ALMEIDA, M. L. B.. Silício na produção e qualidade pós-colheita da alface hidropônica. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: João Germano Gomes

GUIMARÃES, M.A.; HENDGES, A. R. A. A.; VIANA, C. dos S.. Avaliação de cultivares de tomate cereja sob condições de baixa altitude e latitude em Fortaleza-CE. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: José Israel Pinheiro

SOARES, I.;GUIMARÃES, M.A.; FERREIRA, F. J.. Acumulação e exportação de NPK em plantas de alface e coentro produzidas em sistema orgânico. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Pedro Rodrigues Magalhães

GUIMARÃES, M.A.; MOTA, N. F.; FREITAS, J. B. S.; LEMOS NETO, H. S.. Influência da astronomia agrícola em aspectos produtivos e fisiológicos do rabanete (Raphanus sativus L.). 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Janiquelle da Silva Rabelo

GUIMARÃES, M.A.; SANTOS, C. D. G.; FEITOSA, F. R. C.. Prospecção de espécies de solanáceas para resistência ao nematoide das galhas. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Keyla Kezzia Medeiros Sousa

GUIMARÃES, M.A.; MOTA, N. F.; HENDGES, A. R. A. A.; FEITOSA, F. R. C.. Recipientes e substratos na qualidade e nos custos de produção de mudas de Raphanus sativus var. acanthiformis. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Felipe Rodrigues Costa Feitosa

GUIMARÃES, M.A.; HENDGES, A. R. A. A.; TELLO, J. P. J.. Efeitos de temperaturas, recipientes e substratos no desenvolvimento de Brassica rapa subsp. nipposinica. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Sara Santos Cardoso

GUIMARÃES, M.A.; MOTA, N. F.; FEITOSA, F. R. C.; LEMOS NETO, H. S.. Aspectos morfológicos e produtivos de cultivares de alface desenvolvidos em condições de baixa altitude e latitude. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Romero Batista Araújo

GUIMARÃES, M.A.; MOTA, N. F.; FEITOSA, F. R. C.; LEMOS NETO, H. S.. Atributos produtivos e econômicos do feijão-de-metro (Vigna unguiculata var. sesquipedalis) submetidos a diferentes espaçamentos e sistemas de tutoramento. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Juliana de Mesquita Camilo

GUIMARÃES, M.A.; MOTA, N. F.; FEITOSA, F. R. C.; GARCIA, M. F. N.. Temperaturas, substratos e recipientes no comportamento da germinação de sementes e produção de mudas de mostarda (BRassica juncea ssp. integrifolia var. integrifolia). 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Elizangela Tourinho

GUIMARÃES, M.A.; SAMPAIO, A. C. S.; CRUZ, T. S.. A população de São Paulo de Olivença e sua percepção em relação à problemática do lixo produzido no município. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

Aluno: Pollianna Almeida da Silva

GUIMARÃES, M.A.; MIRANDA, J. F.; ASCIOLI, A. N. S.. Caracterização produtiva de tomate tipo cereja em função do número de hastes e cachos. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

Aluno: Simone Pinto de Castro

GUIMARÃES, M.A.; MIRANDA, J. F.; ASCIOLI, A. N. S.. Caracterização do desenvolvimento e produtividade de quatro variedades de cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal) crescidas na mesorregião do Alto Solimões, AM. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

Aluno: Célio Honorato da Silva

MIRANDA, J. F.;GUIMARÃES, M.A.; ROSAS, L. V.. Caracterização e química de solos em propriedades rurais na BR 307, no município de Benjamin Constant, AM. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

Aluno: Raimunda Pereira Marques

MIRANDA, J. F.;GUIMARÃES, M.A.; SILVA, O. B.. A educação ambiental no 6o ano do ensino fundamental: desafios e possibilidades. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

Aluno: Grace Kelly Guimarães da Costa

ASCIOLI, A. N. S.;GUIMARÃES, M.A.; MIRANDA, J. F.. Identificação da entomofauna em quatro etnovariedades da cultura do cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal) no município de Benjamin Constant, Amazonas, Brasil. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

Aluno: Manoel Filipe Nascimento Garcia

GUIMARÃES, M.A.; NUNES, J. R. S.; DAMASCENO, L. A.. Avaliação de diferentes tipos de recipientes para a produção de mudas de cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal) e jurubeba (Solanum paniculatum). 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

Aluno: Caris dos Santos Viana

GUIMARÃES, M.A.; MIRANDA, J. F.; DAMASCENO, L. A.. Diferentes profundidades de semeadura e substratos na produção de plântulas de cubiu (Solanum sessiliflorum). 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

Aluno: Jean Paulo de Jesus Tello

MONTEIRO, L. R.; DAMASCENO, L. A.;GUIMARÃES, M.A.. Pré-embebição de sementes e seus efeitos em características de crescimento e desenvolvimento de plântulas de melancia. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

Aluno: Leny Almeida da Silva

GUIMARÃES, M.A.; CRUZ, T. S.; MONTEIRO, L. R.. Diagnóstico quali-quantitativo dos resíduos sólidos (lixo) urbano produzidos no município de Benjamin Constant, Alto Solimões-AM. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

Aluno: Raimunda Antônia Alves de Araújo

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.; FERREIRA NETO, R. G.. Avaliação da potencialidade e de diferentes formas de beneficiamento da traíra (Hoplias malabaricus) e aruanã (Osteoglossum bicirrhosum). 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

Aluno: Cardovan da Silva Soeiro

SILVA, O. B.; ROSAS, L. V.;GUIMARÃES, M.A.. Extração de óleo da polpa de Açaí: um experimento para o ensino de química no ensino médio. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências: Biologia e Química) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

Aluno: Álvaro Camilo da Costa Bohorquez

GUIMARÃES, M.A.; COUTINHO, T.C.; MIRANDA, J. F.. Seleção de genótipos de alface (Lactuca sativa L.) para produção na mesorregião do Alto Solimões, Amazonas. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

TUCCI, C. A. F.;GUIMARÃES, M.A.; MIRANDA, J. F.. Banca do Edital 059/2011. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GALVÃO, R. M. S.; NAGAO, E. O.; ASCIOLI, A. N. S.; ROSAS, L. V.;GUIMARÃES, M.A.. Banca do Edital 034/2011. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.; BLUM, J.; SOUSA, H. H. F.. Concessão da distinção acadêmica. 2019. Universidade Federal do Ceará.

BLUM, J.;GUIMARÃES, M.A.; VIANA, T. V. A.. Revalidação de diploma. 2019. Universidade Federal do Ceará.

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, L. S. C.; CORREA, M. C. M.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Olericultura. 2018. Universidade Federal do Ceará.

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, L. S. C.; CORREA, M. C. M.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Olericultura. 2017. Universidade Federal do Ceará.

OLIVEIRA, L. S. C.;GUIMARÃES, M.A.; BEZERRA, A. M. E.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Silvicultura. 2017. Universidade Federal do Ceará.

CARNEIRO, M. S. S.; MAGALHAES, C. H. C.;GUIMARÃES, M.A.; RUIZ, S. R.; LIMA NETO, B. P.. Concessão da distinção acadêmica Magna Cum Laude. 2017. Universidade Federal do Ceará.

GUIMARÃES, M.A.; CORREA, M. C. M.; INNECCO, R.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Fruticultura. 2016. Universidade Federal do Ceará.

GUIMARÃES, M.A.; INNECCO, R.; CORREA, M. C. M.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Olericultura. 2016. Universidade Federal do Ceará.

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, L. S. C.; CORREA, M. C. M.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Olericultura. 2016. Universidade Federal do Ceará.

CORREA, M. C. M.; INNECCO, R.;GUIMARÃES, M.A.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Fruticultura. 2016. Universidade Federal do Ceará.

CORREA, M. C. M.;GUIMARÃES, M.A.; INNECCO, R.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Fruticultura. 2015. Universidade Federal do Ceará.

GUIMARÃES, M.A.; CORREA, M. C. M.; INNECCO, R.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Olericultura. 2015. Universidade Federal do Ceará.

CARVALHO, L. E.; MAGALHAES, C. H. C.;GUIMARÃES, M.A.. Concessão da distinção acadêmica Magna Cum Laude. 2015. Universidade Federal do Ceará.

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, A. B.; SILVA, J. C. V.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Olericultura. 2014. Universidade Federal do Ceará.

CORREA, M. C. M.; INNECCO, R.;GUIMARÃES, M.A.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Fruticultura. 2014. Universidade Federal do Ceará.

CARNEIRO, M. S. S.; CHIODEROLI, C. A.;GUIMARÃES, M.A.. Concessão da distinção acadêmica Magna Cum Laude. 2014. Universidade Federal do Ceará.

GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, A. B.; SILVA, J. C. V.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Olericultura. 2013. Universidade Federal do Ceará.

CORREA, M. C. M.;GUIMARÃES, M.A.; INNECCO, R.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Fruticultura. 2013. Universidade Federal do Ceará.

CORREA, M. C. M.; BEZERRA, A. M. E.; MAGALHAES, C. H. C.; INNECCO, R.; PASTORI, P. L.;GUIMARÃES, M.A.; SILVA, J. C. V.; NASCIMENTO, K. P. C.. Comissão de seleção dos candidatos ao Programa de Pós-Graduação em Agronomia-Fitotecnia da UFC. 2013. Universidade Federal do Ceará.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.; ALMEIDA, A.M.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

NUNES, J. R. S.;GUIMARÃES, M.A.ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.; NUNES, J. R. S.; MONTEIRO, L. R.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Olericultura Tropical. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.; NUNES, J. R. S.; MONTEIRO, L. R.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Introdução à Genética e ao Melhoramento de Plantas. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.; NUNES, J. R. S.; MONTEIRO, L. R.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Silvicultura. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.; NUNES, J. R. S.; MONTEIRO, L. R.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Tópicos de Produção Animal I. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.; NUNES, J. R. S.; MONTEIRO, L. R.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Associativismo e Cooperativismo. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.; NUNES, J. R. S.; MONTEIRO, L. R.; SAMPAIO, A. C. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Prática Curricular II. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.; MONTEIRO, L. R.; NUNES, J. R. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Agrometeorologia. 2011.

GUIMARÃES, M.A.; MONTEIRO, L. R.; NUNES, J. R. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Metodologia do Estudo e da Pesquisa. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.; MONTEIRO, L. R.; NUNES, J. R. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Avaliação de Impactos Ambientais. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.; MONTEIRO, L. R.; NUNES, J. R. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Fisiologia Vegetal. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.; MONTEIRO, L. R.; NUNES, J. R. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Fisiologia Vegetal. 2011.

GUIMARÃES, M.A.; NUNES, J. R. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Tecnologias Agroecológicas - Solos. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.. Estágio Supervisionado. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.. Estágio Supervisionado. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.. Estágio Supervisionado. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.. Estágio Supervisionado. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.. Estágio Supervisionado. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.. Estágio Supervisionado. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.. Estágio Supervisionado. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.; NUNES, J. R. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Introdução à Genética e ao Melhoramento de Plantas. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.; ASCIOLI, A. N. S.; MONTEIRO, L. R.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Introdução a Genética e Melhoramento de Plantas. 2010. Universidade Federal do Amazonas.

GUIMARÃES, M.A.; ASCIOLI, A. N. S.; MONTEIRO, L. R.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Ecologia. 2010. Universidade Federal do Amazonas.

GUIMARÃES, M.A.; NUNES, J. R. S.; ASCIOLI, A. N. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Fundamentos de Matemática e Estatística. 2010. Universidade Federal do Amazonas.

GUIMARÃES, M.A.; NUNES, J. R. S.; ASCIOLI, A. N. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Microbiologia. 2010. Universidade Federal do Amazonas.

GUIMARÃES, M.A.; NUNES, J. R. S.; ASCIOLI, A. N. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Tópicos de Produção Animal I. 2010.

GUIMARÃES, M.A.; NUNES, J. R. S.; ASCIOLI, A. N. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Estatística e Planejamento Experimental. 2010. Universidade Federal do Amazonas.

GUIMARÃES, M.A.; MIRANDA, J. F.. Estágio Supervisionado - Olericultura. 2010. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

GUIMARÃES, M.A.; MIRANDA, J. F.. Estágio Supervisionado - Plantas Medicinais. 2010. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Francisco Xavier Ribeiro do Vale

SILVA, D. J. H.;FONTES, P. C. R.VALE, F. X. R.COSTA, L. C.; PEREIRA, P. R. G.. Influência da poda apical e da posição do cacho de tomateiro no crescimento da planta e na qualidade dos frutos.. 2004. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia (Produção Vegetal)) - Universidade Federal de Viçosa.

Andréa Miyasaka de Almeida

LOUREIRO, M. E.ALMEIDA, A. M.; Da MATTA, F.; OLIVEIRA, J. A.; DIAS, D. C. F. S.. Participação de banca de qualificação de Marcelo de Almeida Guimarães. 2007. Exame de qualificação (Doutorando em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Viçosa.

Paulo Cesar de Lima

M. E. L.; A. N. R. CAMPOS; LOPES, F.J.F.;BARROS, N. F.LIMA, P. C.. Uso de Thlaspi caerulescensi arabidopsis thaliana em estudos de acúmulo e tolerância a zinco e lítio. 2009. Tese (Doutorado em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Viçosa.

Paulo Roberto Gomes Pereira

SILVA, Derly José Henriques daPEREIRA, P.R.G.FONTES, Paulo Cezar Rezende; VALE, Francisco Xavier Ribeiro Do; COSTA, Luiz Cláudio. Influência da poda apical e da posição do cacho de tomateiro no crescimento da planta e na qualidade dos frutos.. 2004. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia (Produção Vegetal)) - Universidade Federal de Viçosa.

Paulo Cezar Rezende Fontes

FONTES, P. C. R.SILVA, Derly José Henrique daPEREIRA, Paulo Roberto Gomes; VALLE, Francisco Xavier Ribeiro Do; COSTA, Luis Claudio. Influencia da poda apical e da posição do cacho do tomateiro no crescimento da planta e na qualidade dos frutos.. 2004. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia (Produção Vegetal)) - Universidade Federal de Viçosa.

ANDRE NARVAES DA ROCHA CAMPOS

LOUREIRO, M.E.; LOPES, F. J. F.; BARROS, N. F.; LIMA, P. C.;CAMPOS, A. N. R.. Uso de Thlaspi caerulescens e Arabidopsis thaliana em estudos de acúmulo e tolerância a zinco e lítio. 2009. Tese (Doutorado em Ciências Agrárias (Fisiologia Vegetal)) - Universidade Federal de Viçosa.

Derly José Henriques da Silva

SILVA, D. J. H.FONTES, P.c.r.; VALE, Francisco Xavier Ribeiro Do;PEREIRA, P.r.g.COSTA, Luiz Claudio. Influência da poda apical e da posição do cacho de tomateiro no crescimento da planta e qualidade dos frutos.. 2004. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia (Produção Vegetal)) - Universidade Federal de Viçosa.

Francis Julio Fagundes Lopes

LOUREIRO, M. E.; CAMPOS, A. N. R.; BARROS, N. F.; LIMA, P. C.;LOPES, F. J. F.. Uso de Thlaspi caerulescens e Arabidopsis thaliana em estudos de hiperacumulação e tolerância a zinco e lítio. 2009. Tese (Doutorado em Ciências Agrárias (Fisiologia Vegetal)) - Universidade Federal de Viçosa.

Denise Cunha Fernandes dos Santos Dias

DIAS, Denise Cunha Fernandes dos SantosLOUREIRO, Marcelo Ehlers; Mata, F.M.; Oliveira, J.A.; ALMEIDA, A. M.. FIsiologia da germinação de sementes. 2007. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências Agrárias (Fisiologia Vegetal)) - Universidade Federal de Viçosa.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Orientou

Benedito Pereira Lima Neto

Uso do policultivo e da consorciação como ferramentas para produção sustentável de hortaliças; Início: 2018; Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Caris dos Santos Viana

Consorciação como método agroecológico para produção de hortaliças; Início: 2018; Tese (Doutorado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará; (Orientador);

Francisco Ronaldo Alves de Oliveira

Produção de composto orgânico a partir de restos de poda de árvores urbanos e suas dosagens para produção consorciada de hortaliças; Início: 2018; Tese (Doutorado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará; (Orientador);

Janiquelle da Silva Rabelo

Consorciação de espécies arbóreas nativas do semiárido nordestino com hortaliças: interações e aspectos agroeconômicos; Início: 2017; Tese (Doutorado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Ana Régia Alves de Araújo Rendges

Consorciação como ferramenta de diversificação e sustentabilidade na produção de hortaliças; Início: 2016; Tese (Doutorado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará; (Orientador);

Iana de Paula Brito Mendes

Lâminas de irrigação e consorciação no cultivo de rúcula e jambu: aspectos fitotécnicos, fisiológicos e teor de óleo essencial; Início: 2019; Iniciação científica (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Davi Guilherme Bastos Ferreira

Lâminas de irrigação e consorciação no cultivo de rúcula e jambu: aspectos fitotécnicos, fisiológicos e teor de óleo essencial; Início: 2019; Iniciação científica (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Lázaro Silva Cassemiro

Olericultura: teoria e prática; Início: 2019; Orientação de outra natureza; Universidade Federal do Ceará; Pró-Reitoria de Graduação - UFC; (Orientador);

Nailson Oliveira da Silva

Implantação e manutenção de hortas comunitárias: da pesquisa a extensão; Início: 2019; Orientação de outra natureza; Universidade Federal do Ceará; Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; (Orientador);

Natália dos Santos Moura

Núcleo de Estudos em Olericultura do Nordeste (NEON): trabalhar pelo desenvolvimento da olericultura nordestina; Início: 2019; Orientação de outra natureza; Universidade Federal do Ceará; Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; (Orientador);

Alana Samara Sousa do Carmo

Olericultura: teoria e prática; Início: 2019; Orientação de outra natureza; Universidade Federal do Ceará; Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; (Orientador);

Caris dos Santos Viana

Eficiência agroeconômica e aspectos fisiológicos no consórcio de rúcula (Eruca sativa Miller) com espécies aromáticas e condimentares; 2017; Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Italo Marlone Gomes Sampaio

Produção de jambu (Acmella oleraceae (L; ) R; K; Jansen): métodos de propagação, espaçamentos e número de plantas; 2017; Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Ana Régia Alves de Araújo Hendges

Desempenho de cultivo de couve de folha com espécies aromáticas e condimentares; 2016; Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará,; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Manuel Filipe Nascimento Garcia

Protocolos de enxertia do tomateiro combinado com porta-enxertos de cultivares e espécies de solanáceas; 2015; Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará, Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Amazonas; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Jean Paulo de Jesus Tello

Características produtivas e fisiológicas do tomateiro produzido sobre diferentes porta-enxertos da família Solanaceae; 2015; Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará,; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

HOZANO DE SOUZA LEMOS NETO

Influência da temperatura na germinação e de espaçamentos na produção em cultivares de alface sob baixa altitude e latitude; 2015; Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará, Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Jéssica Soares Pereira

Rosa do deserto produção e aplicação de hormônios; 2015; Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Coorientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

LYDIO LUCIANO DE GOIS RIBEIRO DANTAS

Contribuições fitotécnicas para o desenvolvimento de couve-chinesa e flor do deserto em região litorânea do Nordeste Brasileiro; 2015; Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará,; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Janiquelle da Silva Rabelo

Respostas do tomate cereja irrigado utilizando cobertura do solo com bagana de carnaúba; 2015; Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Sebastián Andrés Garita

Desenvolvimento e fisiologia de enxertos do tomateiro 'Santa Clara' em função de porta-enxertos e infestação com o falso nematoide das galhas; 2015; Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará, Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Wanderlúcia Silva Rodrigues

Estudo de técnicas de produção das ornamentais Caladium FREIDA HEMPLE, Sansevieria cilyndrica BOJER e Cereus jamacaru DC; ; 2012; Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

HOZANO DE SOUZA LEMOS NETO

Silício na atenuação dos efeitos da salinidade em alface hidropônica; 2019; Tese (Doutorado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Marcos da Silva Maia

Desempenho morfoagronômico e fisiológico do rabaneteiro sob influência do som: estudo preliminar; 2019; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maiara Pereira Barros

Germinação de sementes de pimentão em condições de estresse salino; 2018; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Cícera Manuele de Souza Mesquita

Efeito alelopático de extratos aquosos de cebolinha na germinação de alface; ; 2018; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Gabriela Pinho Meneses

Desempenho agronômico do rabaneteiro em diferentes arranjos de cultivo; 2018; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Bruno Cordeiro de Almeida

Desempenho agroeconômico do coentro em diferentes densidades de semeadura sob manejo orgânico; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maria Risocleuda da Costa

Desempenho agronômico do rabaneteiro em diferentes arranjos de cultivo; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Lidiane dos Santos Olimpio

Recipientes e densidades de cultivo na produção de coentro em ambiente protegido; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Celly de Lima Maia

Fisiologia do rabaneteiro em diferentes arranjos espaciais; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Superior Federação de Agricultura Pecuária e Abastecimento do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Santiago Rúbio Ruiz

Recipientes e doses de adubo de liberação controlada na produção do rabanete em ambiente protegido; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

VINICIUS BORGES DA SILVA

Adubação orgânica e densidade de plantio alterando a fisiologia, produção e incidência de pragas no rabanete; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Benedito Pereira Lima Neto

Arranjos de cultivo em consórcio entre rúcula e nirá (Allium tuberosum Rottle ex Spreng); 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Jefferson Freitas de Menezes Fortes

Desempenho produtivo e fisiológico do alface em sistema hidropônico sob temperatura elevada; 2016; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maristela Caetano Gomes

Influência de recipientes e da semeadura direta na produção do rábano (Raphanus sativus var; Acanthiformis); 2016; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

João Germano Gomes

Características morfoagronômicas e fisiológicas do mini tomate produzido sob elevada temperatura; 2016; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Felipe Silva Nunes

Silício na produção e qualidade pós-colheita da alface hidropônica; 2016; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Pedro Rodrigues Magalhães

Influência da astronomia agrícola em aspectos produtivos e fisiológicos do rabanete (Raphanus sativus L; ); 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Janiquelle da Silva Rabelo

Prospecção de espécies de solanáceas para resistência ao nematoide das galhas; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Programa de Educação Tutorial do Curso de Agronomia da UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Keyla Kezzia Medeiros Sousa

Recipientes e substratos na qualidade e nos custos de produção de mudas de Raphanus sativus var; acanthiformis; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Romero Batista Araújo

Atributos produtivos e econômicos do feijão-de-metro (Vigna unguiculata var; sesquipedalis) submetidos a diferentes espaçamentos e sistemas de tutoramento; 2014; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Sara Santos Cardoso

Aspectos morfológicos e produtivos de cultivares de alface desenvolvidos em condições de baixa altitude e latitude; 2014; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Juliana de Mesquita Camilo

Temperaturas, substratos e recipientes no comportamento da germinação de sementes e produção de mudas de mostarda (BRassica juncea ssp; integrifolia var; integrifolia); 2014; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Felipe Rodrigues Costa Feitosa

Efeitos de temperaturas, recipientes e substratos no desenvolvimento de Brassica rapa subsp; nipposinica; 2014; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Elizangela Tourinho

A população de São Paulo de Olivença - AM e sua percepção em relação a problemática do lixo produzido no município; 2012; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Simone Pinto de Castro

Caracterização morfológica e produtiva de 4 genótipos de Solanum sessiliflorum; 2012; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Pollianna Almeida da Silva

Efeito de diferentes números de hastes na produção de frutos de tomate cereja; 2012; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Leny Almeida da Silva

Diagnóstico quali-quantitativo dos resíduos sólidos (lixo) urbano produzidos no Município de Benjamin Constant, Alto Solimões - AM; 2011; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Manuel Filipe do Nascimento

Avaliação de diferentes recipientes para a produção de mudas de Solanun sessiliforum; 2011; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Caris dos Santos Viana

Diferentes profundidades de semeadura e substratos na produção de plântulas de cubiu (Solanum sessiliflorum); 2011; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Jean Paulo de Jesus Tello

Pré-embebição de sementes e seus efeitos em características de crescimento e desenvolvimento de plântulas de Citrullus lanatus L; ; 2011; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Álvaro Camilo da Costa Bohorquez

Seleção de genótipos de alface (Lactuca sativa L; ) para produção na mesoregião do Alto Solimões, Amazonas; 2011; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Davi Guilherme Bastos Ferreira

Uso de plantas hospedeiras e não hospedeiras no desenvolvimento de sistemas consorciados de couve de folha para manejo integrado de afídeos; 2019; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Natália dos Santos Moura

Uso de plantas hospedeiras e não-hospedeiras no desenvolvimento de sistemas consorciados de couve de folha para o manejo integrado de afídeos; 2019; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Marcos da Silva Maia

Pode o cultivo consorciado de rúcula e nirá proporcionar aumento na eficiência de uso da terra?; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Natália dos Santos Moura

Pode o cultivo consorciado de rúcula e nirá proporcionar aumento na eficiência de uso da terra?; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Marcos da Silva Maia

Uso de plantas hospedeiras e não-hospedeiras no desenvolvimento de sistemas consorciados de couve de folha para o manejo integrado de afídeos; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Natália dos Santos Moura

Uso de plantas hospedeiras e não-hospedeiras no desenvolvimento de sistemas consorciados de couve de folha para o manejo integrado de afídeos; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Davi Guilherme Bastos Ferreira

Uso de plantas hospedeiras e não-hospedeiras no desenvolvimento de sistemas consorciados de couve de folha para o manejo integrado de afídeos; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Marcos da Silva Maia

Uso de plantas hospedeiras e não-hospedeiras no desenvolvimento de sistemas consorciados de couve de folha para o manejo integrado de afídeos; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Benedito Pereira Lima Neto

Pode o cultivo consorciado de rúcula e nirá proporcionar aumento na eficiência de uso da terra?; 2017; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

VINICIUS BORGES DA SILVA

Pode o cultivo consorciado de rúcula e nirá proporcionar aumento na eficiência de uso da terra?; 2017; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

João Germano Gomes

Identificação de potenciais genitores de tomate cereja para produção sob as condições edafoclimáticas do Estado do Ceará; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Benedito Pereira Lima Neto

Avaliação do desempenho agroeconômico em cultivo solteiro e consorciado de couve e coentro; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

VINICIUS BORGES DA SILVA

Respostas fisiológicas e competitividade de rúcula em cultivo solteiro e consorciado com espécies aromáticas e condimentares; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Benedito Pereira Lima Neto

Desempenho agroeconômico da rúcula em cultivo consorciado e solteiro; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Benedito Pereira Lima Neto

Avaliação do desempenho agroeconômico em cultivo solteiro e consorciado de couve e coentro; 2015; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Sara Santos Cardoso

Caracterização morfológica e produtiva de cultivares e acessos de alface no Estado do Ceará; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

VINICIUS BORGES DA SILVA

Identificação de potenciais genitores de tomate cereja para produção sob as condições edafoclimáticas do Estado do Ceará; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Benedito Pereira Lima Neto

Seleção de espécies da família Solanaceae para produção de enxertos de tomateiro resistentes a infestação por nematoide das galhas, nas condições edafloclimáticas do Estado do Ceará; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Márcio Lopes Muller

Avaliação de diferentes espaçamentos na produção de frutos de melancia crescidos e desenvolvidos na Mesorregião do Alto Solimões, Amazonas; 2012; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Álvaro Camilo da Costa Bohorquez

Caracterização morfológica de 13 genótipos de alface (Lactuca sativa L; ) na mesorregião do Alto Solimões; 2012; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Álvaro Camilo da Costa Bohorquez

Seleção de genótipos de alface (Lactuca sativa L; ) com potencial para produção na Região do Alto Solimões, Estado do Amazonas, Brasil; ; 2011; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Gabriella Katarina Alencar de Lima

Estágio Supervisionado Não Obrigatório - Atividades práticas na Horta Didática da UFC; 2019; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Bruna Almeida de Sousa

Núcleo de Estudos em Olericultura do Nordeste (NEON): trabalhar pelo desenvolvimento da olericultura Nordestina; 2019; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maria Vitória Ricarte Gonçalves

Estágio - Embrapa Agroindústria Tropical; 2019; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Júlia Maia Santos

Núcleo de Estudos em Olericultura do Nordeste (NEON): trabalhar pelo desenvolvimento da olericultura Nordestina; 2019; Orientação de outra natureza; (Engenharia de Pesca) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Nailson Oliveira da Silva

Núcleo de Estudos em Olericultura do Nordeste (NEON): trabalhar pelo desenvolvimento da olericultura nordestina; 2019; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Marcos da Silva Maia

Implantação e manutenção de hortas comunitárias: da pesquisa a extensão; 2019; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Marcos da Silva Maia

Estágio Obrigatório Supervisionado; 2019; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Nicholas Ribeiro Silva

Estágio Supervisionado Obrigatório; 2019; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Alana Samara Sousa do Carmo

Núcleo de Estudos em Olericultura do Nordeste (NEON): trabalhar pelo desenvolvimento da olericultura Nordestina; 2019; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Bruna Almeida Sousa

Núcleo de Estudos em Olericultura do Nordeste (NEON): trabalhar pelo desenvolvimento da olericultura Nordestina; 2019; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Lázaro Silva Cassemiro

Iniciação a Docência - Olericultura: teoria e prática; 2019; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Antônia Valeska Alves dos Santos

Estágio Supervisionado Obrigatório; 2019; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Iana de Paula Brito Mendes

Práticas culturais em hortaliças; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Bruna Almeida de Sousa

Práticas culturais em hortaliças; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Márcio Douglas Hermínio Falcão

Práticas culturais em hortaliças; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Davi Guilherme Bastos Ferreira

Práticas culturais em hortaliças; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Marcos Adriano Santos Silva

Práticas culturais em hortaliças; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Lázaro Silva Cassemiro

Práticas culturais em hortaliças; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

José Jeferson Fernandes da Silva

Práticas culturais em hortaliças; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Pedro Henrique da Silva Alves

Práticas culturais em hortaliças; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Micilene Ribeiro Albuquerque

Práticas culturais em hortaliças; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Iana de Paula Brito Mendes

Práticas culturais em hortaliças; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Davi Guilherme Bastos Ferreira

Práticas culturais em hortaliças; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Pedro Henrique da Silva Alves

Práticas culturais em hortaliças; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Gabriela Pinho Meneses

Núcleo de Estudos em Olericultura do Nordeste (NEON): trabalhar pelo desenvolvimento da olericultura nordestina; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Cícera Manuele de Souza Mesquita

Implantação e manutenção de hortas comunitárias: da pesquisa a extensão; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Marcos Adriano Santos Silva

Implantação e manutenção de hortas comunitárias: da pesquisa a extensão; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Gabriela Pinho Meneses

Estágio Supervisionado Obrigatório; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Cícera Manuele de Souza Mesquita

Estágio Supervisionado Obrigatório; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Timoteo de Carvalho Sampaio

Olericultura: teoria e prática - Iniciação a Docência; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Lázaro Silva Cassemiro

Iniciação a Docência - Olericultura: teoria e prática; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Nailson Oliveira da Silva

Núcleo de Estudos em Olericultura do Nordeste (NEON): trabalhar pelo desenvolvimento da olericultura Nordestina; 2018; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Janiquelle da Silva Rabelo

Disciplina - Estágio de docência I (ACP-0159); 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Reuel Scherrer

Implantação e manutenção de hortas comunitárias: da pesquisa a extensão; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Gabriela Pinho Menezes

Núcleo de Estudos em Olericultura do Nordeste (NEON): trabalhar pelo desenvolvimento da olericultura nordestina; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Celly de Lima Maia

Articulação participativa: monitores e professores trabalhando de forma coletiva para o esclarecimento e difusão de informações institucionais para discentes e docentes do curso de graduação em Agronomia da Universidade Federal do Ceará; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Santiago Rúbio Ruiz

Articulação participativa: monitores e professores trabalhando de forma coletiva para o esclarecimento e difusão de informações institucionais para discentes e docentes do curso de graduação em Agronomia da Universidade Federal do Ceará; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Nailson Oliveira da Silva

Núcleo de Estudos em Olericultura do Nordeste (NEON): trabalhar pelo desenvolvimento da olericultura nordestina; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maria Risocleuda da Costa

Articulação participativa: monitores e professores trabalhando de forma coletiva para o esclarecimento e difusão de informações institucionais para discentes e docentes do curso de graduação em Agronomia da Universidade Federal do Ceará; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Alline Morais Silva

Olericultura: teoria e prática; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Benedito Pereira Lima Neto

Olericultura: teoria e prática; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Reuel Scherrer

Olericultura: teoria e prática; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Bruno Cordeiro de Almeida

Estágio Supervisionado Obrigatório; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Victa Nobre de Andrade

Estágio supervisionado não obriagtório; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Departamento Nacional de Obras Contra a Seca; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Daniele da Silva Carneiro

Estágio supervisionado não obrigatório; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Valéria do Nascimento Aguiar

Estágio supervisionado não obriagtório; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Superior Federação de Agricultura Pecuária e Abastecimento do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Lidiane dos Santos Olimpio

Estágio Supervisionado Obrigatório; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maria Risocleuda da Costa

Estágio Supervisionado Obrigatório; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Benedito Pereira Lima Neto

Estágio Supervisionado Obrigatório; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Celly de Lima Maia

Estágio Supervisionado Obrigatório; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Superior Federação de Agricultura Pecuária e Abastecimento do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Santiago Rúbio Ruiz

Estágio Supervisionado Obrigatório; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Rayena Koana De Jesus Sousa

Núcleo de Estudos em Olericultura do Nordeste (NEON): trabalhar pelo desenvolvimento da olericultura nordestina; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Marina Rocha de Sousa

Estágio Supervisionado; 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisco Tupinamba de Vasconcelos

Práticas na produção de hortaliças; 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Cinia Raianny Carneiro

Práticas na produção de hortaliças; 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Celly de Lima Maia

Implantação e manutenção de hortas comunitárias: da pesquisa a extensão; 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Jefferson Freitas de Menezes Fortes

Estágio Supervisionado; 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

João Germano Gomes

Estágio Supervisionado; 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maristela Caetano Gomes

Estágio Supervisionado; 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Santiago Rúbio Ruiz

Olericultura: teoria e prática; 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

VINICIUS BORGES DA SILVA

Olericultura: teoria e prática; 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Bruno do Nascimento Silva

Influência da astronomia agrícola em fatores produtivos e parâmetros fisiológicos da alface; 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Programa de Educação Tutorial do Curso de Agronomia da UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Italo Marlone Gomes Sampaio

Disciplina - Estágio de docência I (ACP-0159); 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Theyson Duarte Maranhão

Estágio Supervisionado; 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Felipe Silva Nunes

Estágio Supervisionado; 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Janaína Silva Medeiros

Estágio Supervisionado; 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Marina Monteiro Feitosa

Estágio Supervisionado; 2016; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

João Germano Gomes

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisco Dalber da Silva

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Pedro Rodrigues Magalhães

Olericultura: teoria e prática; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maristela Caetano Gomes

Olericultura: teoria e prática; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

HOZANO DE SOUZA LEMOS NETO

Disciplina - Estágio de docência em Fitotecnia II (ACP-8977); 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisco Tupinamba de Vasconcelos

Práticas na produção de hortaliças; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Mario Gustavo de Araujo Carvalho

Práticas na produção de hortaliças; 2015; Orientação de outra natureza - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Naara Iorrana Gomes Sousa

Práticas na produção de hortaliças; 2015; Orientação de outra natureza - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisco Lucas da Silva Neri

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Antonia Clara Galvão da Silva

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Antonio Evenildo de Oliveira Pereira

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Antonio Igor Freire de Sousa

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Dayane Oliveira da Silva

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Deusiano Fernandes de Lima

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Diego Eduardo Araujo da Silva

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Eunaldo Matheus Silva dos Santos

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisca Graziely Martins dos Santos

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisca Viviane Pereira de Sousa

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisco Diones Ribeiro de Oliveira

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisco Jardel de Sousa Ferreira

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisco Jardeson de Sousa Ferreira

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisco Leonardo Maia de Oliveira

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisco Lucas da Silva Sousa

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisco Rennan Sousa de Lima

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

João Pedro Gomes da Silveira

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

José Washington Alves da Silva

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maria Brena Souza da Silva

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maria Naíra Sousa da Silva

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Raimunda Vitória Cavalcante de Sousa

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Antonio Fagner da Silva Lima

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Carlos Galvão da Silva

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Antonia Clara Galvão da Silva

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Diego Antonio Santos de Souza

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Ednara Barreto da Silva

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Euriene Silva Barreto

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisca Everlane Abreu de Sousa

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisca Ticyane Nunes dos Santos

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisco Bruno da Costa Silva

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisco Natanael Germano de Abreu

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Francisco Wanderson da Silva Lopes

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Gerliany Sousa da Costa

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

José Wilson Gomes dos Santos

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maria de Lourdes da Silva Fernandes

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maria Erilane Ribeiro de Sousa

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maria Nathalia Moreira Sousa

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maria Nayane Germano de Abreu

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Maria Sanielly Ribeiro de Abreu

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Raimundo Nonato Santiago da Silva

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Ronaldo Moreira Sousa

Começando certo: comunidade e universidade de ?mãos dadas? aperfeiçoando o conhecimento de jovens rurais para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável e economicamente viável no semiárido nordestino; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Keyla Kezzia Medeiros Sousa

Estágio Supervisionado; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Pedro Rodrigues Magalhães

Estágio Supervisionado; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Janiquelle da Silva Rabelo

Estágio Supervisionado; 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Programa de Educação Tutorial do Curso de Agronomia da UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

HOZANO DE SOUZA LEMOS NETO

Disciplina - Estágio de docência em Fitotecnia III (ACP-8977); 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Ana Régia Alves de Araújo Hendges

Disciplina - Estágio de docência I (ACP-0159); 2015; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

João Germano Gomes

Olericultura: Teoria e Prática; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Janiquelle da Silva Rabelo

Olericultura: Teoria e Prática; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Programa de Educação Tutorial do Curso de Agronomia da UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Juliana de Mesquita Camilo

Projeto Rondon na UFC; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Bruno do Nascimento Silva

Avaliação de recipientes e substratos para produção de mudas de couve mizuna wase; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Programa de Educação Tutorial do Curso de Agronomia da UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Benedito Pereira Lima Neto

Curso teórico/prático sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

VINICIUS BORGES DA SILVA

Curso teórico/prático sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Romero Batista Araújo

Curso teórico/práticos sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Sara Santos Cardoso

Curso teórico/práticos sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

João Carlos Costa Moreira

Horta Didática da UFC; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Rafael Onofre Pereira

Horta Didática da UFC; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Celly de Lima Maia

Horta Didática da UFC; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

HOZANO DE SOUZA LEMOS NETO

Atividade complementar - Estágio de docência em Fitotecnia (ACP-7644); 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Weverton de Araújo Crispim

Horta Didática da UFC; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Assistência Estudantil; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Felipe Rodrigues Costa Feitosa

Eficiência de métodos e idades de plantas de diferentes espécies de solanáceas para produção precoce de mudas de tomateiro enxertadas; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Sara Santos Cardoso

Estágio Supervisionado; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Juliana de Mesquita Camilo

Estágio Supervisionado; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Romero Batista Araújo

Estágio Supervisionado; 2014; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

João Germano Gomes

Olericultura: Teoria e Prática; 2013; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Sara Santos Cardoso

Olericultura: Teoria e Prática; 2013; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Olienaide Ribeiro de Oliveira

Atividade complementar - Estágio de docência em Fitotecnia (ACP-7644); 2013; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Antonio Francisco Carvalho Freitas Albuquerque

Projeto Rondon na UFC; 2013; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Ingrid Pinheiro Machado

Atividades práticas em Horta Didática da Universidade Federal do Ceará; 2013; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Rafael Onofre Pereira

Atividades práticas em Horta Didática da Universidade Federal do Ceará; 2013; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Olienaide Ribeiro de Oliveira

Atividade complementar - Estágio de docência em Fitotecnia (ACP-8977); 2013; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Sebastián Andrés Garita

Atividade complementar - Estágio de docência em Fitotecnia (ACP-8977); 2013; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Loyda Patricia Panta Babilonia

Monitoria da disciplina: Introdução a Genética e ao Melhoramento de Plantas; 2012; Orientação de outra natureza; (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Pró-reitoria de Ensino e Graduação da Universidade Federal do Amazonas; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Juliana de Mesquita Camilo

Projeto Rondon na UFC; 2012; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Elizangela Tourinho

Estágio Supervisionado III; 2012; Orientação de outra natureza; (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

José Bezerra Maricaua

Estágio Supervisionado III; 2012; Orientação de outra natureza; (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Márcio Lopes Muller

Estágio Supervisionado III; 2012; Orientação de outra natureza; (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Caris dos Santos Viana

Monitoria da disciplina: Olericultura Tropical; 2011; Orientação de outra natureza; (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Pró-reitoria de Ensino e Graduação da Universidade Federal do Amazonas; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Pollianna Almeida da Silva

Monitoria da disciplina: Introdução a Genética e ao Melhoramento de Plantas; 2011; Orientação de outra natureza; (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Erica Ines Almeida de Souza

Monitoria da disciplina: Fisiologia Vegetal; 2011; Orientação de outra natureza; (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Joana Milena Grandes Londonha

Monitoria da disciplina: Introdução a Genética e ao Melhoramento de Plantas; 2010; Orientação de outra natureza; (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Manuel Filipe Nascimento Garcia

Mandioca e Macaxeira: ?Difusão de técnicas e tecnologias para o aumento da produção?; 2010; Orientação de outra natureza; (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas, Universidade Federal do Amazonas - UFAM; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Leny Almeida da Silva

Abóboras e Morangas: ?Técnicas e Tecnologias de Produção?; 2010; Orientação de outra natureza - Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Universidade Federal do Amazonas - UFAM; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Célio Honorato da Silva

Desenvolvimento e implementação de uma horta educativa como alternativa para alimentação e aprendizado dos detentos da Delegacia Prisional de Benjamin Constant, Amazonas; 2010; Orientação de outra natureza; (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas, Universidade Federal do Amazonas - UFAM; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Elson Gomes de Souza

Difundindo técnicas e tecnologias para o aumento na produção de melancia na mesorregião do Alto Solimões, Amazonas; 2010; Orientação de outra natureza; (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas, Universidade Federal do Amazonas - UFAM; Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Andréa Miyasaka de Almeida

Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio; ; 2005; Tese (Doutorado em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Viçosa, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Coorientador: Andrea Miyasaka de Almeida;

Paulo Cezar Rezende Fontes

Influencia da poda apical e da posição do cacho do tomateiro no crescimento da planta e na qualidade dos frutos; ; 2004; 0 f; Dissertação (Mestrado em Fitotecnia (Produção Vegetal)) - Universidade Federal de Viçosa,; Coorientador: Paulo Cezar Rezende Fontes;

José Cola Zanuncio

Efeito da cultivar de soja IAC 17, resistente a insetos, sobre aspectos biológicos do predador Podisus nigrispinus (Dallas) (Heteroptera: Pentatomidae); ; 1999; 13 f; Iniciação Científica - Universidade Federal de Viçosa, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Jose Cola Zanuncio;

José Cola Zanuncio

Efeito da cultivar de soja IAC 17, resistente a insetos, sobre aspectos biológicos do predador Podisus nigrispinus (Dallas) (Heteroptera: Pentatomidae); ; 1998; 10 f; Iniciação Científica - Universidade Federal de Viçosa, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Jose Cola Zanuncio;

Derly José Henriques da Silva

Influência da poda apical e da posição do cacho de tomateiro no crescimento da planta e na qualidade dos frutos; 2004; 0 f; Dissertação (Mestrado em Fitotecnia (Produção Vegetal)) - Universidade Federal de Viçosa, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Derly Jose Henriques da Silva;

Francis Julio Fagundes Lopes

Uso de Thlaspi caerulescens e Arabidopsis thaliana em estudos de hiperacumulação e tolerância a zinco e lítio; 2009; Tese (Doutorado em Ciências Agrárias (Fisiologia Vegetal)) - Universidade Federal de Viçosa, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Coorientador: Francis Julio Fagundes Lopes;

Luiz Alexandre Peternelli

Influência da poda apical e da posição do cacho de tomateiro no crescimento da planta e na qualidade dos frutos; ; 2004; 93 f; Dissertação (Mestrado em Fitotecnia (Produção Vegetal)) - Universidade Federal de Viçosa, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Coorientador: Luiz Alexandre Peternelli;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • FORTES, J. F. M. ; GUIMARÃES, M. A. ; LEMOS NETO, H. S. ; SAMPAIO, I. M. G. ; SILVA, F. G. M. . Productive and physiological performance of lettuce cultivars under hydroponic cultivation in the semi-arid region of the Northeast. agro@mbiente on-line , v. 14, p. 1-10, 2020.

  • LEMOS NETO, H. S. ; GUIMARÃES, M. A. ; SAMPAIO, I. M. G. ; RABELO, J. S. ; VIANA, C. dos S. ; MESQUITA, R. O. . Can silicon (Si) influence growth, physiology and postharvest quality of lettuce?. AUST J CROP SCI , v. 14, p. 71-77, 2020.

  • HENDGES, A. R. A. A. ; GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, J. C. V. ; LIMA NETO, B. P. . AGRONOMIC PERFORMANCE AND BIOLOGICAL EFFICIENCY OF KALE INTERCROPPED WITH SPICE SPECIES. Revista Caatinga , v. 32, p. 7-15, 2019.

  • ALMEIDA, B. C. ; LEMOS NETO, H. S. ; GUIMARÃES, M. A. ; SAMPAIO, I. M. G. ; SILVA, L. S. . Desempenho agroeconômico do coentro em diferentes densidades de semeadura. AMAZONIAN JOURNAL OF AGRICULTURAL AND ENVIRONMENTAL SCIENCES / REVISTA DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS , v. 62, p. 1-7, 2019.

  • SAMPAIO, I. M. G. ; GUIMARÃES, M. A. ; LEMOS NETO, H. S. ; MAIA, C. L. ; VIANA, C. dos S. ; GUSMAO, S. A. L. . Recipientes e densidades de semeadura combinados com o tempo na produção de mudas de jambu. AMAZONIAN JOURNAL OF AGRICULTURAL AND ENVIRONMENTAL SCIENCES / REVISTA DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS , v. 62, p. 1-10, 2019.

  • Guimarães, Marcelo de A ; GARCIA, MANUEL FILIPE N ; TELLO, JEAN PAULO DE J ; LEMOS NETO, HOZANO DE S ; LIMA NETO, BENEDITO P ; RABELO, JANIQUELLE DA S . Tomato grafting on rootstock of Jilo, Cocona and Jurubeba. HORTICULTURA BRASILEIRA , v. 37, p. 138-145, 2019.

  • GARITA, SEBASTIÁN ANDRÉS ; BERNARDO, VALERIA FERNANDA ; GUIMARÃES, MARCELO DE ALMEIDA ; ARANGO, MARÍA CECILIA ; RUSCITTI, MARCELA FABIANA . Mycorrhization and grafting improve growth in the tomato and reduce the population of Nacobbus aberrans. Revista Ciencia Agronomica , v. 50, p. 609-615, 2019.

  • PINHEIRO, MARCELO DE SOUSA ; PEREIRA, JÉSSICA SOARES ; COUTINHO, CRISTIANE RAMOS ; FILGUEIRAS, ROSENYA MICHELY CINTRA ; GUIMARÃES, MARCELO DE ALMEIDA ; MESQUITA, ROSILENE OLIVEIRA . Intercropping of collard green and radish -Cometo?: spatial arrangement and growing efficiency. REVISTA CERES , v. 66, p. 243-248, 2019.

  • HENDGES, ANA REGIA ALVES DE ARAÚJO ; MELO, JOSE WAGNER DA SILVA ; GUIMARAES, MARCELO DE ALMEIDA ; RABELO, JANIQUELLE DA SILVA . Intercropping Kale with Culinary Herbs Alters Arthropod Diversity and Hinders Population Growth in Aphids. HORTSCIENCE , v. 53, p. 44-48, 2018.

  • RABELO, J. S. ; GUIMARÃES, M. A. ; SANTOS, C. D. G. ; LIMA NETO, B. P. ; HENDGES, A. R. A. A. ; VIANA, C. dos S. ; TELLO, J. P. J. ; LEMOS NETO, H. S. . Prospection and production of Solanaceae species resistant to the root knot nematode. AFRICAN JOURNAL OF AGRICULTURAL RESEARCH , v. 13, p. 851-857, 2018.

  • CARDOSO, S. S. ; GUIMARÃES, M. A. ; LEMOS NETO, H. S. ; TELLO, J. P. de J. ; SILVA, J. C. V. . Morphological and productive aspects of lettuce in low altitude and latitude. Revista Ciencia Agronomica , v. 49, p. 644-652, 2018.

  • LEMOS NETO, H. S. ; GUIMARÃES, M. A. . Silicon (Si) reduces the effects of salt stress on germination and initial growth of lettuce (Lactuca sativa L.). AUSTRALIAN JOURNAL OF CROP SCIENCE (ONLINE) , v. 12, p. 1410-1418, 2018.

  • LEMOS NETO, H. S. ; GUIMARÃES, M. A. ; MESQUITA, R. O. ; SAMPAIO, I. M. G. ; HENDGES, A. R. A. A. ; OLIVEIRA, A. B. . Silicon Potential as Attenuator of Salinity Effects on Growth and Post-harvest Quality of Lettuce. Journal of Agricultural Science , v. 10, p. 455-463, 2018.

  • SAMPAIO, I. M. G. ; GUIMARÃES, M. A. ; LEMOS NETO, H. S. ; MAIA, C. L. ; VIANA, C. dos S. ; GUSMAO, S. A. L. . Pode o uso de mudas agrupadas e a maior densidade de plantio aumentar a produtividade de jambu?. AMAZONIAN JOURNAL OF AGRICULTURAL AND ENVIRONMENTAL SCIENCES / REVISTA DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS , v. 61, p. 1-8, 2018.

  • MAIA, C. L. ; GUIMARÃES, M. A. ; LEMOS NETO, H. S. . Fisiologia do rabaneteiro em diferentes arranjos espaciais. AMAZONIAN JOURNAL OF AGRICULTURAL AND ENVIRONMENTAL SCIENCES / REVISTA DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS , v. 61, p. 1-6, 2018.

  • GARITA, S. A. ; GUIMARÃES, M. A. ; ARANGO, M. C. ; TELLO, J. P. J. ; RUSCITTI, M. . Performance of tomato rootstocks in False Root-knot Nematode (Nacobbus aberrans) infested soil. AUST J CROP SCI , v. 12, p. 1725-1731, 2018.

  • RABELO, J. S. ; GUIMARÃES, M. A. . Socio-economic Characteristics and Perception of the Lettuce Consumer. Journal of Agricultural Science , v. 10, p. 501-510, 2018.

  • MAGALHAES, P. R. ; LEMOS NETO, H. S. ; GUIMARÃES, M. A. ; LIMA NETO, B. P. ; SILVA, B. N. . Tolerância do rabanete ao transplantio de mudas. Cultura Agronômica , v. 27, p. 378-384, 2018.

  • HENDGES, ANA RÉGIA ALVES DE ARAÚJO ; GUIMARÃES, MARCELO DE ALMEIDA ; CAMILO, JULIANA DE MESQUITA ; FEITOSA, FELIPE RODRIGUES COSTA ; MAIA, CELLY DE LIMA . Temperaturas e diferentes combinações de recipientes e substratos na produção de mudas de mostarda. Agropecuária Científica no semi-árido , v. 14, p. 212-221, 2018.

  • LEMOS NETO, HOZANO DE SOUZA ; GUIMARÃES, MARCELO DE ALMEIDA ; SILVA, BRUNO DO NASCIMENTO ; MEDEIROS FILHO, SEBASTIÃO . Germinación y emergencia de lechuga a temperaturas elevadas. REVISTA COLOMBIANA DE CIENCIAS HORTICOLAS , v. 12, p. 677-684, 2018.

  • HOZANO, DE SOUZA LEMOS NETO ; MARCELO, DE ALMEIDA GUIMARAES ; JEAN, PAULO DE JESUS TELLO ; ROSILENE, OLIVEIRA MESQUITA ; JULIO, CESAR DO VALE ; BENEDITO, PEREIRA LIMA NETO . Productive and physiological performance of lettuce cultivars at different planting densities in the Brazilian Semi-arid region. African Journal of Agricultural Research , v. 12, p. 771-779, 2017.

  • BOHORQUEZ, A. C. C. ; GUIMARÃES, M. A. ; LIMA NETO, B. P. ; FEITOSA, F. R. C. ; MARICAUA, J. B. . Seleção de cultivares de alface para produção na mesorregião do Alto Solimões-AM. CULTURA AGRONOMICA (UNESP. ILHA SOLTEIRA) , v. 26, p. 115-122, 2017.

  • MULLER, M. L. ; TELLO, J. P. de J. ; RABELO, J. S. ; LIMA NETO, B. P. ; GUIMARÃES, M. A. . Produção de mudas de melancieira sob diferentes telas de cobertura. CULTURA AGRONOMICA (UNESP. ILHA SOLTEIRA) , v. 26, p. 251-264, 2017.

  • MAGALHAES, P. R. ; LEMOS NETO, H. S. ; GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, B. N. ; LIMA NETO, B. P. ; MESQUITA, R. O. . Astronomia agrícola em aspectos produtivos e fisiológicos do rabanete. CULTURA AGRONOMICA (UNESP. ILHA SOLTEIRA) , v. 26, p. 375-383, 2017.

  • FEITOSA, F. R. C. ; GUIMARÃES, M. A. ; HENDGES, A. R. A. A. ; SILVA, B. N. ; TAKANE, R. J. . Efeitos de temperaturas, recipientes e substratos no desenvolvimento de Brassica rapa subsp. nipposinica. REVISTA DE LA FACULTAD DE AGRONOMÍA (LA PLATA) , v. 116, p. 39-50, 2017.

  • HENDGES, A. R. A. A. ; GUIMARÃES, M.A. ; LEMOS NETO, H. S. ; MESQUITA, R. O. . Physiological performance and competitive ability in kale (Brassica oleracea var. acephala -Manteiga da Georgia?) intercropped with important aromatic species and herbs. AUSTRALIAN JOURNAL OF CROP SCIENCE (ONLINE) , v. 11, p. 1181-1187, 2017.

  • SILVA, P. A. ; RABELO, J. S. ; GUIMARÃES, M.A. ; SILVA, J. C. V. ; OLIVEIRA, L. S. C. . Sistemas de condução na produção comercial de tomate ?cereja?. NATIVA , v. 5, p. 316-319, 2017.

  • GUIMARÃES, M.A. ; LEMOS NETO, H. S. ; ARAUJO, R. B. ; LIMA NETO, B. P. ; SILVA, V. B. ; MESQUITA, R. O. . Sistemas de tutoramento e espaçamentos de plantio na produção de feijão de metro. HORTICULTURA BRASILEIRA , v. 35, p. 613-620, 2017.

  • COUTINHO, TACIANA DE CARVALHO ; GUIMARÃES, MARCELO DE ALMEIDA ; VIDAL, MARCIA SOARES . Isolation and characterization of gene sequences expressed in cotton fiber. Revista Ciência Agronômica (UFC. Online) , v. 47, p. 283-289, 2016.

  • LEMOS NETO, HOZANO DE SOUZA ; TORRES, REBECA DE ARAÚJO ; DANTAS, LYDIO LUCIANO DE GOIS RIBEIRO ; XAVIER, CÍCERA VANUZA VIANA ; GUIMARÃES, MARCELO DE ALMEIDA ; TAKANE, ROBERTO JUN . Substrates and containers for the development of Brassica pekinensis L. seedlings. Bragantia (São Paulo, SP. Eletrônico) , v. 1, p. 1-7, 2016.

  • SILVA, R. T. ; OLIVEIRA, A. B. ; LOPES, M. F. Q. ; GUIMARÃES, M.A. ; DUTRA, A. S. . Physiological quality of sesame seeds produced from plants subjected to water stress. Revista Ciencia Agronomica , v. 47, p. 643-648, 2016.

  • SILVA, J. C. V. ; GUIMARÃES, M. A. . Efeito do espaçamento entre fileiras no feijão-caupi via pesquisa participativa. Anais I CONIDIS , v. 1, p. 1-6, 2016.

  • GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, J. C. V. . Projeto - Começando Certo: comunidade e universidade de mãos dadas para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável no semiárido nordestino. Anais I CONIDIS , v. 1, p. 1-5, 2016.

  • SILVA, B. N. ; LEMOS NETO, H. S. ; GUIMARÃES, M. A. ; MAGALHAES, P. R. ; MESQUITA, R. O. . Astronomia agrícola influencia os aspectos produtivos e fisiológicos da alface?. Enciclopédia Biosfera , v. 13, p. 112-119, 2016.

  • CASTRO, S. P. ; FEITOSA, F. R. C. ; GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, J. C. V. ; MIRANDA, J. F. ; ASCIOLI, A. N. S. . Respostas de etnovariedades de cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal) a diferentes densidades populacionais. Cultura Agronomica (UNESP. Ilha Solteira) , v. 24, p. 205-2014, 2015.

  • TELLO, J. P. de J. ; SOUZA, E. I. A. ; FEITOSA, F. R. C. ; RABELO, J. S. ; GUIMARÃES, M. A. . Aspectos socioeconômicos e de comercialização dos vendedores de hortaliças do lado brasileiro da tríplice fronteira (Brasil-Peru-Colômbia). Cultura Agronomica (UNESP. Ilha Solteira) , v. 24, p. 275-288, 2015.

  • GUIMARÃES, M. A. ; VIANA, C. dos S. ; TELLO, J. P. J. ; DAMASCENO, L. A. ; MIRANDA, J. F. . Emergência e desempenho de plântulas de cubiu em diferentes substratos e profundidades de semeadura. Bioscience Journal (UFU. Impresso) , v. 30, p. 802-810, 2014.

  • ASCIOLI, A. N. S. ; COSTA, G. K. G. ; MOURA, T.N. ; GUIMARÃES, M. A. ; ALMEIDA, R. ; MIRANDA, J. F. . Entomofauna associada ao cultivo do cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal) no município de Benjamin Constant, Amazonas, Brasil. EntomoBrasilis (Vassouras) , v. 7, p. 99-105, 2014.

  • MATTEDI, A. P. ; GUIMARÃES, M. A. ; NICK, C. ; SILVA, D. J. H. ; PUIATTI, M. ; CARNEIRO, P. C. S. . Genetic divergence of tomato subsamples. Revista Ceres , v. 61, p. 70-76, 2014.

  • COUTINHO, T.C. ; GUIMARÃES, M. A. ; VIDAL, M. S. . Determinação da diversidade genética entre acessos de algodão por meio de marcadores microssatélites. Bioscience Journal (UFU. Impresso) , v. 30, p. 1447-1458, 2014.

  • GUIMARÃES, M. A. ; BOHORQUEZ, A. C. C. ; TELLO, J. P. J. ; DAMASCENO, L. A. ; FEITOSA, F. R. C. ; SILVA, D. J. H. . Caracterização morfológica de subamostras de alface na mesorregião do Alto SOlimões, Amazonas. Cultura Agronomica (UNESP. Ilha Solteira) , v. 23, p. 41-48, 2014.

  • MIRANDA, J. F. ; BATISTA, I. M. P. ; TUCCI, C. A. F. ; ALMEIDA, N. O. ; GUIMARÃES, M. A. . Substrato para produção de mudas de macacaúba ( Platymiscium ulei Harms) no município de Autazes, AM. http://dx.doi.org/10.5902/198050987550 , v. 23, p. 555-562, 2013.

  • GUIMARÃES, M. A. ; TELLO, J. P. J. ; DAMASCENO, L. A. ; VIANA, C. dos S. ; MONTEIRO, L. R. . Pré-embebição de sementes e seus efeitos no crescimento e desenvolvimento de plântulas de melancia. Revista Ceres , v. 60, p. 442-446, 2013.

  • GUIMARÃES, M. A. ; LOUREIRO, M. E. ; SALT, D. E. . Inducing flowering in Noccaea caerulescens (J. & C. Presl) F. K. Mey (Brassicaceae), a species having high heavy-metal accumulation. Revista Ciência Agronômica (UFC. Online) , v. 44, p. 834-841, 2013.

  • GUIMARÃES, M. A. ; GARCIA, M. F. N. ; DAMASCENO, L. A. ; VIANA, C. dos S. . Production of cocona and jurubeba seedlings in different types of containers. Horticultura Brasileira , v. 30, p. 720-725, 2012.

  • GUIMARÃES, M. A. ; MANDELLI, M. S. ; SILVA, D. J. H. . Seleção de genótipos de Lactuca sativa L. para a produção com adubação orgânica. REVISTA CERES , v. 58, p. 202-207, 2011.

  • MATTEDI, A. P. ; GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, D. J. H. ; CALIMAN, F. R. B. ; MARIM, B. G. . Qualidade dos frutos de genÃtipos de tomateiro do banco de germoplasma de hortaliÃas da Universidade Federal de ViÃosa. Revista Ceres , v. 58, p. 525-530, 2011.

  • GUIMARÃES, M.A. ; VIDIGAL, D. S. ; LOUREIRO, M. E. ; DIAS, D. C. F. S. ; GUIMARÃES, A. R. . Influência de temperatura, luz e giberelina na germinação de sementes de Thlaspi caerulescens J. Presl & C. Presl (Brassicaceae). Revista Ceres , v. 57, p. 372-376, 2010.

  • SAMPAIO JÚNIOR, J. D. ; FONTES, P. C. R. ; GUIMARÃES, M. A. ; MOREIRA, M. A. . Produção de mini-tubérculos de batata propagada por brotos, em função de doses de nitrogênio aplicadas ao substrato. Bioscience Journal (UFU) , v. 25, p. 75-82, 2009.

  • GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, D. J. H. ; PETERNELLI, L. A. ; FONTES, P. C. R. . Distribuição de fotoassimilados em tomateiro com e sem a retirada do primeiro cacho. Bioscience Journal (UFU) , v. 25, p. 83-92, 2009.

  • VIEIRA, A. ; GUIMARÃES, M. A. ; DAVID, G. ; KARSBURG, I. ; CAMPOS, A. N. R. . Efeito genotóxico da infusão de capítulos florais de camomila. Revista Trópica - Ciências Agrárias e Biológicas , v. 3, p. 8-13, 2009.

  • GUIMARÃES, M. A. ; GUSTIN, J. ; SALT, D. E. . Reciprocal grafting separates the roles of the root and shoot in zinc hyperaccumulation in Thlaspi caerulescens. New Phytologist (Print) , v. 184, p. 323-329, 2009.

  • GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, D. J. H. ; FONTES, P. C. R. ; MATTEDI, A. P. . Produtividade e sabor dos frutos de tomate do grupo salada em função de podas. Bioscience Journal (UFU) , v. 24, p. 32-38, 2008.

  • SAMPAIO JÚNIOR, J. D. ; FONTES, P. C. R. ; MOREIRA, M. A. ; GUIMARÃES, M. A. . Produção de mini-tubérculo semente de batata, em função de doses de nitrogênio aplicadas ao substrato. Bioscience Journal (UFU) , v. 24, p. 1-9, 2008.

  • GUIMARÃES, M. A. ; DIAS, D. C. F. S. ; LOUREIRO, M. E. . Hidratação de sementes. Revista Trópica - Ciências Agrárias e Biológicas , v. 1, p. 31-39, 2008.

  • FONTES, P. C. R. ; SAMPAIO JÚNIOR, J. D. ; MOREIRA, M. A. ; GUIMARÃES, M. A. ; PUIATTI, M. ; LANI, E. . Produção de mini-tubérculos de batata-semente em função de doses de nitrogênio aplicadas ao substrato. Horticultura Brasileira (Impresso) , v. 26, p. 116-120, 2008.

  • GUIMARÃES, M. A. ; SANTANA, T. A. ; SILVA, E. ; ZENZEN, I. L. ; LOUREIRO, M. E. . Toxicidade e tolerância ao cádmio em plantas. Revista Trópica - Ciências Agrárias e Biológicas , v. 2, p. 58-68, 2008.

  • GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, D. J. H. ; FONTES, P. C. R. ; CALIMAN, F. R. B. ; LOOS, R. A. ; STRINGHETA, P. C. . Produção e sabor dos frutos de tomateiro submetidos a poda apical e de cachos florais. Horticultura Brasileira (Impresso) , v. 25, p. 265-269, 2007.

  • ABREU, F. B. ; SILVA, D. J. H. ; MARIM, B. G. ; CARNEIRO, P. C. S. ; JUHÁSZ, A. C. P. ; LUCA, C. A. C. ; VALENTE, R. F. ; GUIMARÃES, M. A. . Minimum number and best combinations of harvests to evaluate accessions of tomato plants from germplasm banks. Genetics and Molecular Biology (Impresso) , v. 29, n.n.1, p. 112-116, 2006.

  • GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, D. J. H. ; COSTA, L. C. ; VIDIGAL, D. S. ; SAMPAIO JÚNIOR, J. D. ; ANDRADE, G. J. M. . Modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro. Revista Brasileira de Agrometeorologia , v. 14, p. 353-363, 2006.

  • MARIM, B. G. ; SILVA, D. J. H. ; GUIMARÃES, M. A. ; BELFORT, G. . Sistemas de tutoramento e condução do tomateiro visando produção de frutos para consumo in natura. Horticultura Brasileira (Impresso) , Horticultura Brasileira, v. 23, n.4, p. 951-955, 2005.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

GUIMARÃES, M. A. . Revista Horticultura Brasileira - ID2028. 2019.

GUIMARÃES, M. A. . Utilização de resíduos de .... 2017.

GUIMARÃES, M. A. . Ciência Rural - CR-2015-0363. 2015.

GUIMARÃES, M. A. . Horticultura Brasileira - ID726. 2015.

GUIMARÃES, M. A. . Revista Ceres - no. 1690. 2015.

GUIMARÃES, M. A. . Horticultura Brasileira - ID364. 2014.

GUIMARÃES, M. A. . 53 Congresso Brasileiro de Olericultura. 2014.

GUIMARÃES, M. A. . Revista Ceres - Respostas .... 2013.

GUIMARÃES, M. A. . 51 Congresso Brasileiro de Olericultura. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 021/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 016/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 019/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 023/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/008/2010/PAREC-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 005/2010-INC/CEI-PIBEX. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Revista Tropica - Ciencias Agrarias e Biologicas. 2008.

GUIMARÃES, M.A. . 46° Congresso Brasileiro de Olericultura. 2006.

GUIMARÃES, M. A. . Consultor Ad-hoc - Projetos - PIBIC UFC 2020/2021. 2020.

GUIMARÃES, M. A. . Consultor Ad-hoc - Projetos - PIBIC UFC 2019/2020. 2019.

GUIMARÃES, M. A. . Consultor Ad-hoc - Projetos - PREX UFC 2019. 2019.

GUIMARÃES, M. A. . Consultor Ad-hoc - Projetos - PIBIC UFC 2016/2017. 2018.

GUIMARÃES, M. A. . Consultor Ad-hoc - Projetos - PIBIC UFC 2017/2018. 2018.

GUIMARÃES, M. A. . Consultor Ad-hoc - Projetos - PIBIC UFC 2018/2019. 2018.

GUIMARÃES, M.A. . Consultor Ad-hoc - XXVII Encontro de Extensão. 2018.

GUIMARÃES, M. A. . Emissão de parecer Ad Hoc - Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica PIBIC 2016/2017 - Edital 02/2016. 2017.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 178197-856685-2-RV - Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. 2017.

GUIMARÃES, M. A. . Emissão de parecer Ad Hoc - Bolsas no País / Pós-doutorado Júnior - PDJ. 2017.

GUIMARÃES, M. A. . Emissão de parecer Ad Hoc - Bolsas no País / Pós-doutorado Júnior - PDJ. 2017.

GUIMARÃES, M. A. . Consultor Ad-hoc - PIBIC-UFC - Relatório. 2017.

GUIMARÃES, M. A. . Consultor Ad-hoc - PIBIC-UFC - Relatório. 2017.

GUIMARÃES, M. A. . Consultor Ad-hoc - PIBIC-UFC - Relatório. 2017.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: ID 7063 - Revista Caatinga. 2017.

GUIMARÃES, M. A. . Emissão de parecer Ad Hoc - Bolsas no País / Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora - DT. 2017.

GUIMARÃES, M. A. . Processo n 428937/2016-0 - Insumos biológicos .... 2016.

GUIMARÃES, M. A. . Processo n 433928/2016-6 - Implantação de cultivo e cultivares .... 2016.

GUIMARÃES, M. A. . Emissão de parecer Ad Hoc - Apoio a Projetos de Pesquisa / RHAE TRAINEE II. 2016.

GUIMARÃES, M. A. . Emissão de parecer Ad Hoc - Bolsas no País / Pós-doutorado Júnior - PDJ. 2016.

GUIMARÃES, M. A. . Emissão de parecer Ad Hoc - Apoio a Projetos de Pesquisa / Universal 01 / 2016 - Faixa A - até R$ 30.000,00. 2016.

GUIMARÃES, M. A. . Emissão de parecer Ad Hoc - Apoio a Projetos de Pesquisa / Universal 01 / 2016 - Faixa B - até R$ 60.000,00. 2016.

GUIMARÃES, M. A. . Emissão de parecer Ad Hoc - Instalação de uma unidade produtiva e avaliação de produção sustentável de plantas ornamentais (CAM) no semiárido. 2016.

GUIMARÃES, M. A. . Emissão de parecer Ad Hoc - Centro de estudos e pesquisa em floricultura e paisagismo. 2016.

GUIMARÃES, M.A. . Processo No: ID1163 - Revista Horticultura Brasileira. 2016.

GUIMARÃES, M. A. . Emissão de parecer Ad Hoc - DT 2015. 2015.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: ID418 - Revista Horticultura Brasileira. 2014.

GUIMARÃES, M. A. . Revista Ceres. 2013.

GUIMARÃES, M. A. . Revista de Ciências Agrárias / Amazonian Journal of Agricultural and Environmental Sciences. 2013.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: Germinação/2013 - Revista Ceres. 2013.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: Desempenho/2013 - Revista Ceres. 2013.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 236/2011 - Revista Ceres. 2012.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 310/2011 - Revista Ceres. 2012.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 130/2012 - Revista Ceres. 2012.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 036/2012 - Revista Ceres. 2012.

GUIMARÃES, M. A. . Revista de la Facultad de Agronomía. 2012.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 112/2012 - Revista Ceres. 2012.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 2489-12 - Horticultura Brasileira. 2012.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: PBFE - Revista Horticultura Brasileira. 2012.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 071/2011 - Revista Ceres. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/00202011-INC-CEI. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/013/2011/PAREC-INC-CEI. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 018/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 014/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 013/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 012/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 010/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 009/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 005/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 003/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 002/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 004/2010-2-INC/BC-PACE. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/006/2010/PAREC-INC-CEI-RF. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/002/2010-INC-CEI. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 008/2010-INC/CEI-PIBEX. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 010/2010-INC/CEI/PIBEX. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 009/2010-INC-CEI. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/008/2010-INC-CEI. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/007/2010-INC-CEI. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/006/2010-INC-CEI. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 023/2010-2-INC/BC-PACE. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 013/2010-2-INC/BC-PACE-RF. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 009/2010-2-INC/BC-PACE. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 007/2010-INC/BC-PACE. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 006/2010-INC-BC-PACE. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 026/2011 - Revista Ceres. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 174/2011 - Revista Ceres. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No. 056/2011 - Revista Ceres. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 156/2011 - Revista Ceres. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 016/2010-2-INC/BC-PACE-RF. 2011.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/009/2009-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 001/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 002/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 003/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FC/CR/001/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 004/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 005/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 006/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 007/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 008/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 009/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 010/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FC/CR/002/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/001/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/002/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/003/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/004/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/007/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/008/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/011/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 004/2009-1-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 001/2010-INC/CEI-PIBEX. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/012/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/013/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/014/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/015/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/016/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/017/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/018/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/019/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/020/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/021/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/022/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/023/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/024/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M.A. . Projeto de exploração agrícola da cultura da melancia (Citrullus lanatus) por pequenos produtores da mesorregião do Alto Solimões, AM. 2010.

GUIMARÃES, M.A. ; JUSTAMAND, M. ; NUESCH, E.V. ; PETRY, J.F. ; LIMA, J.L.F. ; COUTINHO, T.C. ; MOURA, T.N. . Avaliação dos processos operacionais da PROEXTI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/007/2010/PAREC/INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/006/2010/PAREC/INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/005/2010/PAREC/INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/004/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/004/2010/PAREC/INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/003/2010/PAREC/INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/002/2010/PAREC/INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/001/2010/PAREC/INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/003/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/005/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 002/2010-INC-BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/002/2010-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 020/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 010/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 014/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 004/2010-INC/CEI-PIBEX. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 002/2010-INC/CEI-PIBEX. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 006/2010-INC/CEI-PIBEX. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 003/2010-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 005/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 003/2010-INC/CEI-PIBEX. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 004/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 015/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 004/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 002/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 013/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 008/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 017/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 001/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 003/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/009/2010/PAREC-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/010/2010/PAREC-INC-CEI. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 006/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 007/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 009/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 011/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 012/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 018/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 022/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

GUIMARÃES, M. A. . Processo número: P-TCC 020/2010. 2010.

ZANúNCIO, J. C. ; ZANÚNCIO, T. V. ; RIBEIRO, G. T. ; FREITAS, L. C. ; SOSSAI, M. ; CARVALHO, S. A. P. ; HORA, G. N. ; GONÇALVES, J. F. ; FERNANDES, A. M. ; GOMES, B. M. R. ; BARBOSA, J. M. ; GUIMARÃES, M.A. ; ZANÚNCIO JÚNIOR, J. S. . Relatório Anual Hymenoptera. 1998.

ZANúNCIO, J. C. ; ZANÚNCIO, T. V. ; RIBEIRO, G. T. ; FREITAS, L. C. ; SOSSAI, M. ; CARVALHO, S. A. P. ; FERNANDES, A. M. ; GOMES, B. M. R. ; GUIMARÃES, M.A. ; ZANÚNCIO JÚNIOR, J. S. . Relatório Anual Lepdoptera. 1998.

GUIMARÃES, M.A. ; ZANúNCIO, J. C. ; ZANÚNCIO, T. V. ; RIBEIRO, G. T. ; SOSSAI, M. ; CARVALHO, S. A. P. ; FERNANDES, A. M. ; GOMES, B. M. R. ; ZANÚNCIO JÚNIOR, J. S. . Relatório Quadrimestral Lepidoptera. 1998.

GUIMARÃES, M. A. ; FEITOSA, F. R. C. ; MAIA, C. L. . Implantação de hortas: aspectos a serem considerados. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

GUIMARÃES, M. A. ; FEITOSA, F. R. C. ; MAIA, C. L. . Implantação de hortas: aspectos a serem considerados. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

GUIMARÃES, M. A. ; FEITOSA, F. R. C. ; MAIA, C. L. . Produção de mudas de tomateiro a partir de enxertia. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

GUIMARÃES, M. A. . Curso de Olericultura Aplicado. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

GUIMARÃES, M.A. ; RABELO, J. S. . Curso de implantação de hortas. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

GUIMARÃES, M. A. . Curso teórico/prático sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

GUIMARÃES, M. A. . Curso teórico/prático sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

GUIMARÃES, M. A. ; EVANGELISTA, S. M. ; CAMILO, J. de M. ; FEITOSA, F. R. C. ; SILVA, B. N. ; LIMA NETO, B. P. ; SILVA, V. B. ; CARDOSO, S. S. ; ARAUJO, R. B. ; GOMES, J. G. ; RABELO, J. S. . 2 Curso teórico/prático sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

GUIMARÃES, M. A. ; EVANGELISTA, S. M. ; FEITOSA, F. R. C. ; CAMILO, J. de M. ; CARDOSO, S. S. ; ARAUJO, R. B. ; LIMA NETO, B. P. ; SILVA, V. B. ; RABELO, J. S. ; GOMES, J. G. ; SILVA, B. N. . 2 Curso teórico/prático sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

GUIMARÃES, M. A. ; MIRANDA, J. F. ; BOHORQUEZ, A. C. C. . Produção de mudas de hortaliças. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

GUIMARÃES, M. A. ; BOHORQUEZ, A. C. C. ; MIRANDA, J. F. . Produção de mudas de hortaliças. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

GUIMARÃES, M.A. ; MIRANDA, J. F. ; BOHORQUEZ, A. C. C. . Produção de mudas de hortaliças. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

GUIMARÃES, M.A. ; CALIMAN, F. R. B. . A cultura do tomateiro. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

GUIMARÃES, M.A. ; LOUREIRO, M. E. . Uso da Biotecnologia na Biorremediação da Contaminação Ambiental.. 2007. .

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2019 - Atual

    Consórcio de cultivares de beterraba com coentro em sistema orgânico, Descrição: A consorciação de culturas somente passou a ganhar ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa a produção sustentável. No cultivo consorciado é proposto um manejo diferenciado das culturas, o que proporciona alterações biológicas no agrossistema. Diante disso, por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, cultivos consorciados têm sido mais adotados para a produção de hortaliças em diversas regiões do mundo. Todavia, estudos voltados para o consórcio deste grupo de plantas, nas condições edafoclimáticas do Nordeste brasileiro, ainda são incipientes. Sendo assim, os diversos projetos de pesquisa que desenvolvemos buscam repostas biológicas, fitotécnicas, fisiológicas e econômicas sobre diferentes tipos de consorciações de plantas, bem como de seus arranjos produtivos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Francisco Ronaldo Alves de Oliveira - Integrante / Lázaro Silva Cassemiro - Integrante / Pedro Henrique da Silva Alves - Integrante / Natália dos Santos Moura - Integrante.

  • 2019 - Atual

    Desempenho do rabaneteiro em cultivo solteiro e consorciado com espécies aromáticas condimentares, Descrição: O cultivo em consórcio é uma técnica promissora para as hortaliças, pois permite melhorar o aproveitamento do espaço e, assim, aumentar a produtividade por unidade de área. Nesse sentido, o objetivo desta pesquisa é investigar os comportamentos fitotécnico e fisiológico, bem como a eficiência biológica , fisiológico e habilidade competitiva do rabaneteiro em cultivo consorciado e solteiro com espécies aromáticas e condimentares. O estudo foi será conduzido na Horta Didática da Universidade Federal do Ceará, em delineamento em blocos casualizados, com quatro repetições e nove tratamentos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Iana de Paula Brito Mendes - Integrante / Victor Emmanuel de Vasconcelos Gomes - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2019 - Atual

    Comportamento morfofisiológico de plantas submetidas a ondas sonoras, Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2018 - 2018

    Desempenho do rabaneteiro em recipiente com adubo de liberação controlada, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Gabriela Pinho Menezes - Integrante.

  • 2018 - Atual

    Efeito alelopático de extratos aquosos de cebolinha na germinação da alface, Descrição: A cebolinha pode ser cultivada solteira ou consorciada. Em cultivos consorciados são consideradas algumas interações, entre plantas, que podem ser benéficas ou prejudiciais. Tais interações são causadas por algumas plantas que podem produzir os chamados compostos alelopáticos. Diante disto, esta pesquisa teve por objetivo avaliar um possível efeito alelopático causado pela cebolinha. Para isso, foram realizados bioensaios de extratos brutos de cebolinha sobre a germinação e o desenvolvimento de plântulas de alface. O experimento foi realizado no Laboratório de Sementes da Universidade Federal do Ceará Foram realizadas análises físico-químicas dos extratos, por meio da determinação do pH, condutividade elétrica e potencial osmótico. Os testes de germinação sobre as sementes de alface, foram conduzidos em caixas gerbox com substrato papel germitest. As variáveis físico-químicas dos extratos, que foram analisadas, estão dentro da faixa que não interfere na identificação da presença de compostos alelopático. Os extratos de cebolinha obtidos a partir do uso do sistema radicular causaram efeito negativo sobre a alface, sendo constatado, assim, potencial alelopático da cebolinha sobre a alface.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Cicera Manuele de Sousa Mesquita - Integrante / Haynna Fernandes Abud - Integrante / Charles Lobo Pinheiro - Integrante.

  • 2018 - Atual

    Lâminas de irrigação e consorciação no cultivo de rúcula e jambu: aspectos fitotécnicos, fisiológicos e teor de óleo essencial, Descrição: A consorciação de culturas somente passou a ganhar ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa a produção sustentável. No cultivo consorciado é proposto um manejo diferenciado das culturas, o que proporciona alterações biológicas no agrossistema. Diante disso, por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, cultivos consorciados têm sido mais adotados para a produção de hortaliças em diversas regiões do mundo. Todavia, estudos voltados para o consórcio deste grupo de plantas, nas condições edafoclimáticas do Nordeste brasileiro, ainda são incipientes. A presente pesquisa objetiva avaliar aspectos fitotécnicos e fisiológicos das culturas da rúcula e jambu, cultivadas em sistema solteiro e consorciado e submetidos a cinco níveis de irrigação.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (9) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Davi Guilherme Bastos Ferreira - Integrante / Iana de Paula Brito Mendes - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2018 - Atual

    Efeito de lâminas de irrigação e da consorciação na produção de óleo essencial em jambu, Descrição: A consorciação de culturas somente passou a ganhar ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa a produção sustentável. No cultivo consorciado é proposto um manejo diferenciado das culturas, o que proporciona alterações biológicas no agrossistema. Diante disso, por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, cultivos consorciados têm sido mais adotados para a produção de hortaliças em diversas regiões do mundo. Todavia, estudos voltados para o consórcio deste grupo de plantas, nas condições edafoclimáticas do Nordeste brasileiro, ainda são incipientes. A presente pesquisa objetiva avaliar aspectos fitotécnicos e fisiológicos das culturas da rúcula e jambu, cultivadas em sistema solteiro e consorciado e submetidos a cinco níveis de irrigação.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2017 - 2018

    Densidade e espaçamento para a produção otimizada de rabanete em área litorânea de baixa altitude e latitude do Nordeste brasileiro, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Maria Risocleuda da Costa - Integrante.

  • 2017 - 2018

    Germinação de sementes de pimentão em condições de estresse salino, Descrição: O pimentão (Capsicum annuum L.) é uma das hortaliças de maior consumo no Brasil. Seu desenvolvimento e produtividade decorrem, entre outros fatores, do bom estabelecimento das plantas em campo. Tal fator está diretamente associado à germinação de suas sementes, que são diretamente impactadas pela qualidade da água usada para sua irrigação. Diante disso, esta pesquisa teve como objetivo avaliar três cultivares de pimentão submetidos a diferentes níveis de estresse salino na fase de germinação. O experimento foi realizado no Laboratório de Sementes da Universidade Federal do Ceará. A cultivar Amarelo SF134 foi a que apresentou as melhores respostas para todas as características mesmo com o aumento dos níveis de NaCl. As cultivares Casca Dura Ikeda e All Big apresentaram bom desempenho até o nível de 6,0 dS m-1.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Maiara Pereira Barros - Integrante / Francisco Ronaldo Alves de Oliveira - Integrante / Haynna Fernandes Abud - Integrante., Número de orientações: 1

  • 2017 - Atual

    Pode o cultivo consorciado de rúcula e nirá proporcionar aumento na eficiência de uso da terra?, Descrição: O cultivo consorciado destaca-se como uma alternativa para os produtores de hortaliças que buscam alcançar incrementos na produção agrícola com mais sustentabilidade. Nesse sistema, diferentes espécies são cultivadas numa mesma área, o que possibilita a maior eficiência no uso da terra e de insumos. Contudo, diante das diversas possibilidades de associações, ajustes quanto ao arranjo de cultivo são necessários para garantir a superioridade do consórcio em relação ao monocultivo. Nesse sentido, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o desempenho produtivo e a eficiência biológica do cultivo consorciado de rúcula com nirá sob diferentes arranjos de cultivo. O cultivo solteiro de rúcula e o cultivo consorciado 2R:1N alcançaram produtividade semelhante, porém o cultivo consorciado 2R:1N foi o que apresentou maior eficiência produtiva, com UET de 1,16%, tendo a rúcula uma contribuição relativa de 84,3% no rendimento produtivo do sistema. Conclui-se, portanto, que o cultivo consorciado 2R:1N pode ser utilizado para a maior otimização no uso dos insumos produtivos em cultivo de rúcula.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / BENEDITO, PEREIRA LIMA NETO - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 2

  • 2017 - Atual

    Uso de plantas hospedeiras e não-hospedeiras no desenvolvimento de sistemas consorciados de couve de folha para o manejo integrado de afídeos, Descrição: A consorciação tem se destacado como uma estratégia interessante para o produtor de hortaliças, podendo contribuir para a maior eficiência agroeconômica dos cultivos; bem como auxiliar no manejo de pragas dentro da área de produção. Nesse último, a maior diversidade vegetal atua estimulando interações ecológicas benéficas, que podem regular as populações de insetos-pragas e aumentar a presença de inimigos naturais. Há poucos consórcios desenvolvidos para a gestão de pragas, porém as possibilidades são infinitas. Uma delas é a adoção da estratégia stimulo-deterrent diversion (desvio estímulo-impedimento) que combina, na área de cultivo, espécies companheiras com propriedades atrativas e repelentes/barreira física que desviam os insetos-pragas da cultura de interesse econômico.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante.

  • 2017 - Atual

    Fisiologia do rabaneteiro em diferentes arranjos espaciais, Descrição: O rabanete (Raphanus sativus L.) é uma cultura de ciclo curto, que proporciona rápido retorno econômico ao produtor. Para seu cultivo qualificado, a definição de aspectos relacionados à implantação no campo, quanto à escolha do espaçamento ideal de cultivo combinado com a densidade de plantas por cova, e o entendimento de seus efeitos sobre a fisiologia da cultura, ajudam na obtenção da máxima eficiência produtiva. Assim, o presente trabalho teve por objetivo avaliar o desempenho fisiológico do rabanete submetido a diferentes espaçamentos e densidades de plantas por cova. A densidade de duas plantas por cova combinada com os maiores espaçamentos foram as que proporcionaram a obtenção dos maiores valores de fotossíntese líquida e clorofila para as plantas. Os tratamentos cujas densidades de semeadura foram de apenas uma planta por cova, combinados com espaçamentos de 0,05 a 0,15 m entre plantas foram os que possibilitaram a obtenção de maiores valores para a fotossíntese bruta.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Maria Risocleuda da Costa - Integrante., Número de orientações: 1

  • 2016 - 2018

    Desempenho agroeconômico de cultivo solteiro e consorciado de couve e nirá, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2016 - 2018

    Cultivo solteiro e consorciado de rabanete e nirá: Desempenho agroeconômico e eficiência do uso da terra, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2016 - 2017

    Respostas do tomate cereja utilizando cobertura do solo com bagana de carnaúba, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valsérgio Barros da Silva - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Raimundo Nonato Távora Costa - Integrante.

  • 2016 - Atual

    Produção de jambu (Acmella oleraceae (L.) R.K. Jansen): métodos de propagação, espaçamentos e número de plantas, Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante / Sérgio Antonio Lopes de Gusmão - Integrante.

  • 2015 - 2016

    Substratos e recipientes para produção de mudas de rábano (Raphanus sativus var. acanthiformis), Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Keyla Kezzia Medeiros Sousa - Integrante.

  • 2015 - 2015

    Influência da astronomia agrícola em parâmetros fisiológicos e produtivos da cultura do rabanete, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Bruno do Nascimento Silva - Integrante / Bruno Cordeiro de Almeida - Integrante / Pedro Rodrigues Magalhães - Integrante.

  • 2015 - Atual

    Consorciação de hortaliças pode contribuir para diversificação da produção, segurança alimentar e sustentabilidade do meio ambiente., Descrição: A consorciação de culturas somente passou a ganhar ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa a produção sustentável. No cultivo consorciado é proposto um manejo diferenciado das culturas, o que proporciona alterações biológicas no agrossistema. Diante disso, por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, cultivos consorciados têm sido mais adotados para a produção de hortaliças em diversas regiões do mundo. Todavia, estudos voltados para o consórcio deste grupo de plantas, nas condições edafoclimáticas do Nordeste brasileiro, ainda são incipientes. Sendo assim, os diversos projetos de pesquisa que desenvolvemos buscam repostas biológicas, fitotécnicas, fisiológicas e econômicas sobre diferentes tipos de consorciações de plantas, bem como de seus arranjos produtivos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (7) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (5) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / BENEDITO, PEREIRA LIMA NETO - Integrante / Francisco Ronaldo Alves de Oliveira - Integrante / Marcos da Silva Maia - Integrante / Natália dos Santos Moura - Integrante.

  • 2015 - Atual

    Silício reduz os efeitos do estresse salino na germinação e crescimento em cultivares de alface?, Descrição: Na região Nordeste problemas relacionadas à disponibilidade de água de qualidade para a irrigação são corriqueiros. Isso acontece porque devido à baixa precipitação, boa parte da água disponível para irrigação apresenta níveis crescentes de salinidade. Com base no exposto, produzir nessas condições se torna um desafio ao produtor, o que torna necessária a busca por alternativas que viabilizem a produção. Nesse sentido, projetos que visem a seleção de cultivares que sejam mais bem adaptados a essas condições, bem como estudos que permitam uma melhor compreensão de seus comportamentos biológico, fitotécnico e fisiológico são fundamentais para a melhoria de suas produções com consequente aumento da segurança alimentar.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Alexandre Bosco de Oliveira - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Rosilene Oliveira Mesquita - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante / Felipe Silva Nunes - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2014 - 2017

    Identificação de potenciais genitores de tomate cereja para produção sob as condições edafoclimáticas do Estado do Ceará, Descrição: O estado do Ceará assim como os outros estados do nordeste do Brasil, não dispõe de cultivares de tomates específicos para suas condições edafoclimáticas. Esse fato se reflete em baixas produtividades quando se compara com as obtidas naquelas regiões onde se concentra os programas de melhoramento para essa cultura. Assim, para se aumentar a produtividade desta cultura neste estado, torna-se necessário obter cultivares específicos para suas condições edafoclimáticas.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Júlio César do Vale Silva - Integrante / João Germano Gomes - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Ceará - Bolsa.

  • 2014 - 2015

    Eficiência de métodos e idades de plantas de diferentes espécies de solanáceas para produção precoce de mudas de tomateiro enxertadas, Descrição: Produzir tomate com qualidade não tem sido tarefa fácil em diversas regiões do mundo, principalmente por causa dos inúmeros problemas bióticos e abióticos encontrados. Para superar tais problemas, existem à disposição do produtor diversas técnicas que podem ser utilizadas. Como exemplos, alguns pesquisadores citam o uso de produtos químicos, a solarização, o uso de cultivares geneticamente melhorados e a técnica da enxertia. Nos últimos anos, alguns métodos de enxertia tem se destacado quanto à eficiência de produção de novas composições de plantas, com destaque sendo feito para: 1) Inglês-simples ou contato em bisel; 2) Corte horizontal com grafite; 3) Encostia; 4) Fenda-cheia; e, 5) Microenxertia. Todos esses métodos apresentam vantagens e desvantagens que podem ser decisivas na sua escolha. Baseado no exposto acima se objetiva com este projeto avaliar diferentes métodos e idades de plantas de diferentes espécies de solanáceas para a produção precoce de mudas de tomateiro enxertadas.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Carmem Dolores Gonzaga Santos - Integrante / Júlio César do Vale Silva - Integrante / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante / Rosilene Oliveira Mesquita - Integrante., Financiador(es): Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2014 - 2014

    Temperaturas, substratos e recipientes no comportamento da germinação de sementes e produção de mudas de mostarda (BRassica juncea ssp. integrifolia var. integrifolia), Descrição: A mostarda (Brassica juncea ssp. integrifolia var. integrifolia) é uma hortaliça popular e bastante consumida nos países asiáticos, no qual utilizam as folhas tenras em saladas, na América do Norte as sementes são matéria prima para fabricação de um condimento amarelado, conhecido como mostarda. No Brasil o consumo e produção ainda é restrito. Este trabalho teve como objetivo encontrar a melhor formulação de substrato e o melhor volume de recipiente para a produção de mudas de mostarda.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (12) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Juliana de Mesquita Camilo - Integrante / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante / Narciso Ferreira Mota - Integrante.

  • 2013 - 2016

    Seleção de espécies da família Solanaceae para produção de enxertos de tomateiro resistentes a infestação por nematoide das galhas, nas condições edafoclimáticas do Estado do Ceará, Descrição: O tomate é uma das hortaliças mais consumidas no Brasil. No Ceará, o tomateiro tem produção reduzida, contudo destaque pode ser dado ao município de Guaraciaba do Norte. De acordo com levantamento técnico realizado pela Embrapa Agroindústria Tropical a respeito das principais doenças de plantas hortícolas, recorrentes nessa região, observou-se que alguns patógenos de solo, são responsáveis pelos principais problemas diagnosticados nos cultivos de tomateiro. Para superar tais problemas, existem à disposição do produtor diversas técnicas que podem ser utilizadas com maior ou menor grau de eficiência. Uma das técnicas que tem recebido bom destaque é a enxertia. Baseado no exposto acima objetiva-se com este trabalho avaliar e selecionar espécies de solanáceas que possam ser utilizadas como porta-enxertos resistentes ao nematoide das galhas que infesta o tomateiro.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2013 - 2014

    Aspectos morfológicos e produtivos de cultivares de alface desenvolvidos em condições de baixa altitude e latitude, Descrição: A alface (Lactuca sativa L.) é a mais popular dentre as hortaliças folhosas produzidas no mundo. Considerada cultura de clima ameno, sua produção em regiões de baixa altitude latitude é prejudicada principalmente devido às elevadas temperaturas e à predominância de dias longos. Foi verificada a escassez de cultivares adaptados à produção nessas condições e então propôs-se a avaliação morfológica e caracterização produtiva de cultivares de alface, desenvolvidos nas condições climáticas de baixa altitude e latitude.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (10) / Mestrado acadêmico: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Sara Santos Cardoso - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante / Narciso Ferreira Mota - Integrante., Financiador(es): Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2013 - 2014

    Efeitos de temperaturas, recipientes e substratos no desenvolvimento de Brassica rapa subsp. nipposinica, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (12) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Jean Paulo de Jesus Tello - Integrante / Sara Santos Cardoso - Integrante / Bruno do Nascimento Silva - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante.

  • 2013 - 2013

    Efeito de diferentes recipientes na produção de mudas de chinguensai, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Rebeca de Araujo Torres - Integrante / Cicera Vanuza Viana Xavier - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Lydio Luciano de Gois Ribeiro Dantas - Integrante.

  • 2013 - 2013

    Avaliação do uso do silício no desenvolvimento, produtividade e como dator de resistência a Broca das cucurbitáceas na cultura do pepino, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (3) Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hernandes Rufino dos Santos - Integrante / Kadson Emmanuel Frutuoso Silva - Integrante / Tamiris Pereira da Silva - Integrante / Wnaderson Pires Salomão - Integrante.

  • 2012 - 2016

    Seleção de diferentes combinações de porta-enxertos e de variedades de tomateiro para produção sob cultivo protegido ou em campo em áreas infestadas com o nematoide das galhas, Descrição: O tomate é uma das hortaliças mais consumidas no Brasil e no mundo, ficando atrás somente da batata. No Ceará, apesar de amplamente consumido, o tomateiro tem produção reduzida, contudo destaque pode ser dado ao município de Guaraciaba do Norte, na Serra de Ibiapaba, maior produtor da região. De acordo com levantamento técnico realizado pela Embrapa Agroindústria Tropical a respeito das principais doenças de plantas hortícolas, recorrentes nessa região, observou-se que alguns patógenos de solo, dentre os quais o nematoide-das-galhas (Meloidogyne incognita e M. javanica), são responsáveis pelos principais problemas diagnosticados nos cultivos de tomateiro. Para superar tais problemas, existem à disposição do produtor diversas técnicas que podem ser utilizadas com maior ou menor grau de eficiência. Como exemplos alguns pesquisadores citam o uso de produtos químicos, a solarização, a técnica da enxertia do tomateiro (em espécies resistentes a nematoides) e, o uso de variedades geneticamente melhoradas como algumas das principais técnicas. Apesar de haver certo estudo quanto ao uso da solarização para combater tal problema no Estado do Ceará, para as demais técnicas citadas, não foram identificados trabalhos desenvolvidos in loco, que pudessem gerar informações mais precisas de sua eficiência sob as condições climáticas e produtivas do Estado. Baseado no exposto acima objetiva-se com este trabalho selecionar espécies vegetais bem como algumas variedades de tomateiro comercializadas que possam ser utilizadas como porta-enxerto resistentes a nematoides de tomateiro.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Derly José Henriques da Silva - Integrante / Roberto Jun Takane - Integrante / Carmem Dolores Gonzaga Santos - Integrante / Juliana de Mesquita Camilo - Integrante / Elaine Silva dos Santos - Integrante., Financiador(es): Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2012 - 2013

    Desempenho de cultivares comerciais de alface em ambiente protegido e cultivo orgânico na região Amazônica, Descrição: O desenvolvimento da alface é bastante influenciado por condições ambientais, sendo que temperaturas acima de 22C estimulam o pendoamento, o qual é acelerado à medida que a temperatura aumenta, porém, há variação de comportamento entre cultivares. Na região amazônica, trabalhos com alface são raros, devido às condições climáticas que causam grandes perdas produtivas e de qualidade para os agricultores. Essas condições estão relacionadas ao alto índice pluviométrico que pode gerar danos às plantas, a alta umidade relativa do ar que pode causar doenças e a temperatrura elevada que pode causar pendoamento precoce, ficando essas plantas impróprias para o consumo. Recomendações de cultivares têm sido realizadas por empresas produtoras de sementes, no entanto, nem sempre esses materiais servem para serem produzidos em ambientes com diferentes condições climáticas. Baseado no exposto e tendo-se o conhecimento da escassez de informações a respeito da cultura da alface produzida na mesorregião do Alto Solimões, Amazonas, objetivou-se com este trabalho avaliar o desempenho de cultivares desta cultura, na referida região, dando-se ênfase na avaliação de seus potenciais produtivos.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Álvaro Camilo da Costa Bohorquez - Integrante / José Bezerra Maricaua - Integrante.

  • 2011 - 2012

    Caracterização morfológica de 13 genótipos de alface na mesoregião do Alto Solimões, Descrição: A alface (Lactuca sativa L.) pode ser considerada a mais popular dentre as hortaliças folhosas produzidas no mundo. No geral é produzida por pequenos produtores, que nem sempre possuem alta tecnificação em seus cultivos. Considerada cultura de clima ameno, a produção de alface na região amazônica é extremamente prejudicada, primeiramente devido às elevadas precipitações ao longo do ano, secundariamente devido às elevadas temperaturas que favorecem a precocidade de emissão do pendão floral. Na busca por cultivares adaptados para produção nas condições previamente citadas, verificou-se escassez de genótipos. Culpa da revolução verde ou dos programas de melhoramento realizados por instituições de pesquisa ou multinacionais? Provavelmente de ambos. O primeiro focava no aumento da produtividade através da utilização de um ?pacote tecnológico? (adubos, inseticidas, fungicidas, dentre outras), sendo utilizadas somente as cultivares que apresentavam respostas de produção mais eficientes. Já o segundo continua sendo feito principalmente com foco na seleção de cultivares mais produtivas sob determinadas circunstâncias. Mas o que foi feito ou tem sido feito das cultivares locais, de baixa produtividade mas bem adaptadas a produção local? Alguns pesquisadores, preocupados com esta perda de variabilidade das espécies, realizaram viagens expedicionárias principalmente com o intuito de resgatar, colher, armazenar, catalogar e preservar estas. Hoje, tais espécies encontram-se depositadas nos chamados bancos de germoplasma, considerados ferramentas importantes no processo de seleção de genótipos que melhor se adaptam às diferentes condições climáticas existentes em diversas regiões. O Banco de Germoplasma de Hortaliças da Universidade Federal de Viçosa (BGH-UFV) é um bom exemplo de diversidade de genótipos armazenada. Neste banco encontram-se cerca de 7000 genótipos de hortaliças, dos quais 107 são pertencentes a espécie Lactuca sativa L. Baseado no exposto, foi inciado no ano de 20. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Leandro Ribeiro Monteiro - Integrante / Álvaro Camilo da Costa Bohorquez - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2011 - 2012

    Avaliação de diferentes espaçamentos na produção de frutos de melancia crescidos e desenvolvidos na Mesorregião do Alto Solimões, Amazonas., Descrição: A melancieira (Citrullus lanatus) é uma espécie olerícola de grande aceitação nos mercados nacionais e internacionais. Produzida preferencialmente em condições de elevada temperatura (21 a 30oC) a melancieira é muito explorada no período de menor precipitação (julho-novembro) na região Amazônica. Dentro deste contexto, a Mesorregião do Alto Solimões se insere perfeitamente, não apenas por possuir condições climáticas ideais para o crescimento e desenvolvimento da cultura, mas também por apresentar vastas áreas de várzea, que devido a menor intensidade de chuvas no período, aparecem nas margens dos rios com rica disponibilidade de matéria orgânica. No entanto, apesar das condições favoráveis para a produção desta olerícola na região, poucas informações tem sido divulgadas e/ou até mesmo produzidas cientificamente que venham a fornecer ao produtor novas possibilidades de incrementar suas produções, aumentando a eficiência produtiva da cultura. É certo que para algumas regiões há informações disponíveis e que muitas vezes podem ser extrapoladas para outras localidades que apresentem condições climáticas similares. No entanto, as elevadas precipitações e temperaturas ao longo do ano na Mesorregião do Alto Solimões a tornam distinta das demais localidades, necessitando para isso de experimentos in loco, para a determinação de manejos mais adequados. Baseado no exposto, é proposto neste trabalho de pesquisa a avaliação de diferentes espaçamentos entre-plantas para o cultivo da melancieira (cv. Charleston Gray) nas condições climáticas da Mesorregião do Alto Solimões, mais especificamente do município de Benjamin Constant, AM.. , Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Leandro Ribeiro Monteiro - Integrante / Márcio Lopes Muller - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Auxílio financeiro / Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Amazonas - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2011 - 2012

    Rendimento de frutos de tomate tipo cereja em função do número de hastes e cachos, Descrição: Na mesorregião do Alto Solimões, principalmente na região da tríplice fronteira Brasil-Peru-Colombia, onde se localizam as cidades brasileiras de Bejamin Constant, Atalaia do Norte e Tabatinga, quase não se ve cultivos de hortaliças convencionais como o tomate. O que se ve, muitas vezes no mercado, são tomates produzidos a partir de variedades caboclas, que em geral apresentam pequenos, tamanho e qualidade, e em geral estão disponíveis de forma sazonal. Ao se buscar informações de pesquisas feitas na mesorregião, no que se refere a produção dessa importante hortaliça, verificou-se que não há informações disponíveis que possam ser utilizadas pelos produtores brasileiros para implementarem e/ou incrementarem suas produções. Baseado no expôsto acima, faz-se necessário estudos básicos na cultura do tomateiro, que visem o desenvolvimento e aprimoramento de técnicas e práticas de cultivo do tomateiro nesta região. Tais atividades possibilitarão a produção de informações que auxiliarão os produtores no cultivo desta hortaliça. O experimento será conduzido em ambiente protegido do tipo capela com área de 48 m2 (8 m de comprimento x 6 m de largura), nas dependências do Instituto Natureza e Cultura- UFAM, no município de Benjamim Constant, Alto Solimões, AM. O delineamento adotado será o inteiramente casualizado no esquema fatorial 4 x 3, sendo quatro diferentes números de hastes por planta (uma, duas, três e quatro) e três diferentes números de cachos por planta (um, dois e três). Para cada tratamento serão conduzidas 6 repetições, sendo uma planta conduzida por repetição. Quando os frutos alcançarem o estádio de maturação verde-cana, serão colhidos e os seguintes parâmetros serão avaliados: 1) Precocidade de produção (dias); 2) Produtividade total média de frutos por tratamento (t.ha-1); 3) Peso médio dos frutos por tratamento (g.fruto-1); 4) Diâmetro médio dos frutos por tratamento (cm.fruto-1); 5) Comprimento médio dos frutos por tratamento (cm.fruto-1); 6) Número médio d. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Poliana Almeida da Silva - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra.Número de orientações: 1

  • 2010 - 2012

    A população de São Paulo de Olivença-AM e sua percepção em relação a problemática do lixo produzido no município, Descrição: O consumo desenfreado que vivenciamos desde a Revolução Industrial, apesar de ter possibilitado maior comodidade e melhores condições de vida por parte da população, é responsável por um dos maiores problemas enfrentados pelas populações atuais, a geração de resíduos sólidos ?o lixo?. O município de São Paulo de Olivença, localizado na mesorregião do Alto Solimões-AM, é um dos municípios que precisa se adequar a nova Política Nacional de Resíduos Sólidos. Sendo assim, e levando-se em consideração aquilo que preconiza a PNRS, propõem-se neste projeto a avaliação da percepção da população deste município no que se refere ao lixo produzido, bem como às temáticas atuais, referentes a este assunto e que vem sendo amplamente discutidas e divulgadas nos meios de comunicação. Sendo assim, será desenvolvido um projeto no Município de São Paulo de Olivença, situado na mesorregião do Alto Solimões, Estado do Amazonas. Para a avaliação da percepção da população no que se refere aos RSUs gerados em São Paulo de Olivença, serão realizadas visitas técnicas, com o objetivo de se aplicar questionário baseado na estrutura dos modelos aplicados pelo IBGE (2004). Para a determinação do número de questionários a serem aplicados, utilizar-se-á metodologia de Andriotti (2004).. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Elizângela Tourinho - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra.Número de orientações: 1

  • 2010 - 2011

    Pré-embebição de sementes e seus efeitos em características de crescimento e desenvolvimento de plântulas de Citrullus lanatus L., Descrição: Dentre os fatores ambientais a água pode ser considerada o de maior influência no processo germinativo. Neste trabalho, objetivou-se avaliar diferentes períodos de pré-embebição de sementes de melancia em água e seus efeitos em características de crescimento e desenvolvimento de plântulas. Os tratamentos constituíram de diferentes períodos de pré-embebição: 0, 12, 24, 48 e 72 horas. As sementes foram depositadas em copos plásticos com 50 ml de água mineral e mantidos em ambiente escuro a 25 2 °C, no Campus do IFAM, em Tabatinga-AM. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, com quatro repetições. Foram semeadas 25 sementes por repetição em bandejas de isopor preenchidas com substrato ?cama de frango?. Em seguida foram alocadas em ambiente protegido cobertas com filme plástico e sombrite 50%. Logo, iniciou-se a contagem diária das plântulas para obtenção do índice de velocidade de emergência. Aos 6 e 12 dias após a semeadura (DAS), 5 plantas por repetição foram coletadas, sendo avaliados: percentual de emergência (%E); comprimento da raiz principal, parte aérea e total da planta; massa fresca da raiz principal, parte aérea e total da planta; massa seca da raiz principal, parte aérea e total da planta. As médias foram comparadas pelo teste Scott-Knott a 5% de probabilidade. A pré-embebição das sementes por 12 hs favoreceu o aumento no %E aos 12 DAS. No geral, as plântulas obtidas a partir de sementes pré-embebidas por 48 e 72 hs, foram as que apresentaram maiores valores para as características de crescimento e desenvolvimento avaliadas.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Leandro Ribeiro Monteiro - Integrante / Caris dos Santos Viana - Integrante / Jean Paulo de Jesus Tello - Integrante / Leandro Amorim Damasceno - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra.Número de orientações: 1

  • 2010 - 2011

    Seleção de genótipos de alface (Lactuca sativa L.) com potencial para produção na região do Alto Solimões, Estado do Amazonas, Brasil, Descrição: O cultivo de alface na região amazônica tem sido dificultado por implicações de ordem climática que se propagam em perdas aos agricultores e baixa qualidade do produto aos consumidores. No presente trabalho objetivou-se selecionar genótipos de alface do Banco de Germoplasma de Hortaliças da Universidade Federal de Viçosa (BGH-UFV), para produção na mesorregião do Alto Solimões, AM. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualisado com 2 variedades comerciais e 53 subamostras do BGH-UFV. Foram conduzidas três repetições de cada uma das subamostras, todas cultivadas em substrato proveniente de ?cama de frango?. Foram avaliados os seguintes parâmetros: a) hábito de crescimento das plantas; b) forma das folhas; c) conteúdo de antocianina; e d) massa da matéria fresca das folhas (g. planta-1) aos 40 dias após a semeadura (DAS). Para a variável hábito de crescimento, observou-se os fenótipos: prostado (1 subamostra), ereto (8 subamostras) e semi-ereto (46 subamostras). Quanto a forma das folhas, foi verificada grande diversidade de formas, sendo os seguintes fenótipos observados: losângica transversa alargada (22 subamostras), elíptica (14 subamostras), elíptica estreitada (13 subamostras), ovalada (4 subamostras) e elíptica alargada (1 subamostra). Apenas três subamostras (BGHs 2607, 2630 e 3290) apresentaram coloração característica da presença de antocianina nas folhas. Quanto a massa da matéria fresca das folhas, obtidas aos 40 DAS, duas subamostras puderam ser destacadas dentre as 55 estudadas, as BGHs 4064 e 4326, com 55 e 50 g.planta-1, respectivamente.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Leandro Ribeiro Monteiro - Integrante / Álvaro Camilo da Costa Bohorquez - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra.Número de orientações: 1

  • 2010 - 2011

    Diagnóstico quali-quantitativo dos resíduos sólidos (lixo) urbano produzidos no município de Benjamin Constant, Alto Solimões-AM, Descrição: Desde o momento em que o ser humano nasce até o findar da vida, produz lixo. Com o objetivo de se determinar quali-quantitativamente o lixo produzido por três setores da sociedade do município de Benjamin Constant (comercial, educacional e domiciliar), estudou-se a composição em classes (lixo seco, úmido e orgânico) dos resíduos produzidos nestes. Para o lixo seco, determinou-se a composição percentual de seus componentes (plástico, papel e papelão, vidro e metal). Para a determinação no comércio, duas panificadoras e dois mercados foram estudados. Para a área educacional, três instituições de ensino foram avaliadas. Para os domicílios, seis bairros foram estudados, sendo selecionados cinco domicílios em cada bairro com faixa salarial mais representativa. Os bairros Cidade Nova e Colônia II tiveram como representantes domicílios com faixa salarial de até 1 salário mínimo, os bairros Cohabam e Coimbra domicílios com 2 a 3 salários e os bairros Centro e Colônia I domicílios acima de 3 salários. Os mercados e as instituições de ensino apresentaram maior geração de resíduos recicláveis. Panificadoras e domicílios apresentaram maior geração de resíduos orgânicos. Verificou-se que quanto maior a faixa salarial entre os domicílios, maior foi a produção média de lixo por habitante por dia. Com exceção dos domicílios sustentados com mais de três salários mínimos, que apresentaram cerca de 22% da composição total em resíduos úmidos, todos os demais apresentaram 10% em média, ou seja, cerca de 90% dos resíduos sólidos gerados nos diferentes setores estudados de Benjamin Constant poderiam ser destinados a reciclagem e/ou compostagem.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Elizângela Tourinho - Integrante / Poliana Almeida da Silva - Integrante / Samuel Almeida da Silva - Integrante / Leny Almeida da Silva - Integrante / Manuel Filipe Nascimento Garcia - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra.Número de orientações: 1

  • 2010 - 2011

    Avaliação de diferentes tipos de recipiente para a produção de mudas de cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal) e jurubeba (Solanum paniculatum), Descrição: Com o objetivo de verificar o efeito de diferentes recipientes na produção de mudas de cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal) e jurubeba (Solanum paniculatum), foi realizado um experimento na mesorregião do Alto Solimões, município de Benjamin Constant/AM em área de produção particular. Utilizou-se semeadura em bandejas de poliestireno expandido com 288, 200 e 128 células e saco plástico de 250 ml, com volumes variando de 9,88; 21,60; 32,61 e 250,00 cm3, respectivamente. Adotou-se o delineamento inteiramente casualizado (DIC) com quatro tratamentos e quatro repetições por espécie, sendo avaliadas 5 plantas por repetição. Para o cubiu as mudas foram avaliadas aos 27, 38, 45 e 52 dias após a semeadura (DAS) e para a jurubeba aos 38, 45, 52, 59 e 66 DAS. As seguintes características foram avaliadas: número de folhas; comprimento da raiz principal, da parte aérea e total; massa fresca da raiz principal, da parte aérea e total; massa seca da raiz principal, da parte aérea e total por planta. Com exceção do número de folhas para a jurubeba que, em geral, não apresentou diferença significativa entre os tratamentos estudados aos 45 e 66 DAS e para o cubiu aos 52 DAS, cujo o tratamento bandeja de 200 células proporcionou a obtenção de maior número de folhas, as demais características, para ambas as espécies, foram superiores no recipiente saco plástico em todas as datas de avaliação.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Manuel Filipe Nascimento Garcia - Integrante / Caris dos Santos Viana - Integrante / Leandro Amorim Damasceno - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra.Número de orientações: 1

  • 2010 - 2011

    Diferentes profundidades de semeadura e substratos na produção de plântulas de cubiu (Solanum sessiliflorum), Descrição: O cubiu (Solanun sessiliflorum Dunal) é uma solanaceae com boa rusticidade, capacidade de produção e múltiplas possibilidades de aproveitamento. Neste trabalho objetivou-se avaliar o efeito de diferentes profundidades e substratos na produção de mudas de cubiu. O experimento foi conduzido em condições de laboratório (25 2 °C), no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas, localizado na cidade de Tabatinga ? AM. Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições, em esquema fatorial 2:5, duas profundidades de semeadura (sobre = 0 e entre = 1 cm) e 5 tipos ou combinações de substratos. Os tratamentos foram: Sobre Terra (ST); Entre Terra (ET); Sobre Areia (SA); Entre Areia (EA); Sobre Terra + Areia (STA); Entre Terra + Areia (ETA); Sobre Terra + Esterco (STE); Entre Terra + Esterco (ETE); Sobre Terra + Areia + Esterco (STAE); e Entre Terra + Areia + Esterco (ETAE). Foram avaliados o índice de velocidade de emergência (IVE); o percentual de emergência (%E); número de folhas (NF); comprimento da raiz principal (CRP), parte aérea (CPA) e total (CT; cm); massa fresca da raiz principal (MFRP), parte aérea (MFPA) e total (CT; g); e massa seca da raiz principal (MSRP), parte aérea (MSPA) e total (CT; g). No geral, a semeadura sobre os substratos, favoreceu as características avaliadas para esta cultura. A combinação do substrato TAE com a semeadura sobre, destacou-se dentre os tratamentos, podendo ser citado como a melhor combinação para a produção de plântulas de cubiu.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / José Furtado de Miranda - Integrante / Caris dos Santos Viana - Integrante / Jean Paulo de Jesus Tello - Integrante / Leandro Amorim Damasceno - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra.Número de orientações: 1

  • 2008 - 2010

    Respostas fisiológicas, bioquímicas e moleculares de genótipos de tomateiro (Lycopersicon esculentum Mill.) mutantes na síntese de ABA exposto ao cádmio, Descrição: Verificar a influência do ABA sobre a absorção, translocação e acúmulo de cádmio e sua toxicidade em plantas de Lycopersicon esculentum Mill. Identificar efeitos do cádmio nas trocas gasosas e parâmetros de fluorescência da clorofila. Análise de perfil do ionoma das plantas. Quantificação dos ABA em plantas na presença de diferentes níveis de cádmio. Caracterizar o dano oxidativo na presença deste metal e o efeito de restrições da síntese de ABA nas respostas dos mecanismos de defesa antioxidativos (enzimáticos e não-enzimáticos). Estudar o papel do ABA na regulação de mecanismos moleculares envolvidos na absorção e acúmulo de cádmio.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Ivan Luís Zenzen - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante., Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.

  • 2007 - 2009

    Uso da enxertia na separação do papel da raiz e da parte aérea na hiperacumulção e hipertolerância a zinco em Thlaspi caerulescens., Descrição: O fenótipo de acumulação de zinco (Zn), encontrado em muitas espécies de Brassicaceas, é determinado por mecanismos que promovem elevada tolerância a Zn e alto nível de acumulação deste elemento na parte aérea. Foi empregada a enxertia recíproca entre uma espécie hiperacumuladora de Zn, Thlaspi caerulescens, e uma não acumuladora, Thlaspi perfoliatum, para determinar a importância relativa da raiz e da parte aérea na hiperacumulação e hipertolerância a Zn. Folhas provenientes de plantas de T. perfoliatum como porta-enxerto com T. caerulescens como enxerto não acumulam Zn, enquanto plantas com T. caerulescens como porta-enxerto e T. perfoliatum como enxerto acumulam Zn. No entanto, ainda que folhas provenientes de plantas com T. caerulescens como porta-enxerto e T. perfoliatum como enxerto acumulem altos teores de Zn, sob altas concentrações deste elemento, as folhas dessas plantas apresentam sintomas de toxidez a Zn significativos, ao contrário de folhas de T. caerulescens auto-enxertadas. A hiperacumulação de Zn em folhas de T. caerulescens é primeiramente ditada por processos que ocorrem na raiz. Além disso, os mecanismos controladores da tolerância de Zn no hiperacumulador T. caerulescens são dirigidos por processos que ocorrem na parte aérea.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / David Edward Salt - Integrante / Jeffery Gustin - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 1

  • 2007 - 2009

    Estudo do efeito da giberelina, temperatura e fotoperíodo no florescimento de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é uma planta muito utilizada em estudos de hiperacumulação de metais como Cd, Ni e Zn. Esta espécie necessita de longo período frio (4C) para a indução do crescimento do pendão principal e florescimento. Neste trabalho nós desenvolvemos um protocolo para indução de florescimento precoce e abundante de T. caerulescens. Para isso, foram estudados diferentes condições como: fotoperíodo (8 ou 12 h de luz (100 mol.m-2.s-1)), temperatura (4 ou 21C), semanas de exposição às condições de luz e temperatura citadas anteriormente (6 ou 8 semanas) e a aplicação de diferentes concentrações de GA3 (0, 15, 30 e 60 g l-1). Verificou-se que baixas temperaturas (4C) são essenciais para a indução ao florescimento e produção de sementes de T. caerulescens e que o tempo de exposição das plantas à baixa temperatura (4C) é muito importante para a potencialização da produção de sementes de T. caerulescens, sendo desejados períodos mais longos de exposição. GA3 juntamente com a condição de dia longo (12 h de luz) proporciona certo grau de florescimento, no entanto, não é eficaz para a produção de sementes de T. caerulescens. A aplicação de GA3 afeta negativamente a produção de sementes de plantas desta espécie quando submetidas a dias curtos (8 h de luz) e dias longos, quando se utiliza a concentração de 60 g l-1 deste hormônio. GA3 foi capaz de induzir o alongamento do pendão principal, independentemente do fotoperíodo utilizado, sendo este efeito observado somente em plantas de Thlaspi que não foram submetidas a baixas temperaturas (21C).. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / David Edward Salt - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2007 - 2009

    Caracterização fisiológica e genética do mutante 13231 de Arabidopsis thaliana., Descrição: Entender como as plantas se comportam nos mais variados tipos e condições de ambiente é condição essencial para o desenvolvimento de estratégias que ajudem a humanidade a melhorar suas condições de vida. Sendo assim, faz-se necessário o conhecimento dos processos e rotas fisiológicas, bem como dos genes participantes dos processos que integram a vida das plantas. Neste trabalho, nós utilizamos o mutante de Arabidopsis thaliana ?132:31?, obtido a partir da irradiação por nêutrons de alta energia. Foi verificado que este mutante apresenta uma deleção de oito genes no cromossomo 2. Após diversos experimentos de caracterização fenotípica com este mutante em comparação com seu tipo selvagem ?Col-0?, nós conseguimos identificar três fenótipos básicos do mutante: maior sensibilidade ao lítio, maior produção de etileno e maior nível de estresse oxidativo. Nossos resultados mostram que o lítio reduziu o crescimento da parte aérea de ambos os genótipos e das raízes do mutante.A aplicação de cálcio ao meio de cultivo, reverteu parcialmente o efeito do lítio nas raízes de ambos os genótipos. Através da técnica da enxertia recíproca, demonstrou-se que não somente a parte aérea, mas também o sistema radicular do 132:31 apresenta maior sensibilidade ao lítio do que Col-0. A maior produção de etileno observada no mutante, torna-se ainda mais evidente em sua presença. O aumento na produção do etileno poderia explicar: a redução do crescimento da parte aérea e raízes, diminuição dos teores de clorofila a e carotenóides. São necessárias outras análises para construir uma explicação convincente dos mecanismos responsáveis pelos fenótipos encontrados.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / David Edward Salt - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2005 - 2006

    Influência de temperatura, luz e giberelina na germinação de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação. Esta espécie é uma planta hiper-acumuladora de metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, tem-se observado experimentalmente que há uma grande variação na porcentagem de germinação e na velocidade de germinação das sementes desta espécie quando submetidas a diferentes condições de luz e temperatura. Com o objetivo de se determinar uma condição ótima para se maximizar a germinação acelerando este processo, sementes de Thlaspi foram submetidas a diferentes condições de temperatura (10 e 25C) sob diferentes faixas do espectro luminoso (violeta e azul (390 a 590 nm), verde (480 a 630 nm), vermelho (580 a 680 nm), vermelho longo azul (acima de 670 nm), escuro e luz branca). Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Quando submetidas a 10C, tanto o tratamento de escuro como todas as faixas de espectro luminoso simuladas produziram maior %G (98%) quando, em comparação aos mesmos tratamentos a temperatura de 25C (40%). Para o IVG a mesma tendência de resposta foi observada, com exceção da luz branca, a qual não diferiu significativamente para ambas as temperaturas. Tanto as duas temperaturas avaliadas houve efeito significativo do espectro luminoso. Sob 10C a luz branca apresentou a menor %G (90%) e, juntamente com a luz vermelha, apresentaram menor IVG (3,4) em relação aos demais tratamentos (98% e 4,0 respectivamente). Já sob 25C a luz branca foi a que apresentou maior %G (74%) e maior valor de IVG (3,2), diferenciando-se estatisticamente dos demais espectros testados (33% e 2,2 respectivamente). Podemos concluir que a melhor condição para germinação de sementes T. caerulescens ocorre a 10C na ausência de luz.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Denise Cunha Fernandes dos Santos Dias - Integrante / Matheus Junqueira - Integrante / Kelly Teles Nascimento - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Efeito da pré-embebição na velocidade de germinação de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens ecotipo Saint Félix de Palliéres é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação. Seu uso em experimentos envolvendo o acúmulo de metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+ têm crescido de forma exponencial. No entanto, a grande desvantagem de se utilizar esta espécie, para este tipo de estudo, tem sido o longo tempo de produção de novas sementes a partir do semeio (em geral 18 meses). Com o objetivo de se diminuir o tempo de geração de novas sementes desta espécie, sementes de Thlaspi caerulescens foram submetidas a diferentes tempos de pré-embebição (2h, 5h, 8h, 11h, 15h, 19h e 23h) em água deionizada sob a temperatura de 20C e comparadas ao controle sem pré-embebição. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G) e o índice de velocidade de germinação de sementes (IVG). Os resultados da germinação foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. O IVG foi submetido à análise de regressão. Não houve diferença entre o controle e os tratamentos de pré-embebição para a % de germinação de sementes. Entretanto, a partir de 5 horas de pré-embebição foi observado aumento de 22% no IVG, sendo este aumento máximo após 15 horas de embebição (70%). Adicionalmente, a análise de regressão representada pela equação: IVG = 5,2853 + 0,321x - 0,0063x2 (R= 0,887) demonstrou que a pré-embebição das sementes foi eficiente em acelerar o processo de germinação (IVG). Podemos concluir com este experimento que a pré-embebição das sementes pode ser utilizada com o objetivo de se acelerar a germinação desta espécie.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Bráulio Souza - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 1

  • 2000 - 2004

    Estudo da distribuição de fotoassimilados, produtividade e sabor dos frutos de tomateiro com e sem a poda apical e de cachos., Descrição: Analisar o crescimento de uma planta é descrever e interpretar o desempenho de uma espécie crescendo em condições de ambiente natural ou controlado e fundamenta-se no fato de que ao crescerem, as plantas tem aumento irreversível de volume, com acúmulo de matéria orgânica. A análise de crescimento expressa as condições morfofisiológicas da planta e quantifica a produção líquida, que provém do processo fotossintético. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da poda e não poda do primeiro cacho e do ápice na distribuição de fotoassimilados, produtividade e sabor dos frutos na planta de tomate.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Rodolfo Araújo Loos - Integrante / Luiz Alexandre Peternelli - Integrante / Paulo Cézar Rezende Fontes - Integrante / Fabiano Ricardo Brunele Caliman - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 11

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de desenvolvimento

  • 2013 - Atual

    Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador., Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.

  • 2005 - 2009

    Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20ºC e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20ºC. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100 mol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20ºC e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100 mol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2002 - 2004

    Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro., Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3

  • 2013 - Atual

    Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador., Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.

  • 2005 - 2009

    Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20ºC e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20ºC. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100 mol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20ºC e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100 mol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2002 - 2004

    Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro., Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3

  • 2013 - Atual

    Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador., Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.

  • 2005 - 2009

    Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20ºC e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20ºC. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100 mol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20ºC e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100 mol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2002 - 2004

    Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro., Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3

  • 2013 - Atual

    Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador., Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.

  • 2005 - 2009

    Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20ºC e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20ºC e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20ºC. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2002 - 2004

    Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro., Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3

  • 2013 - Atual

    Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador., Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.

  • 2005 - 2009

    Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20ºC e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20ºC e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20ºC. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2002 - 2004

    Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro., Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3

  • 2013 - Atual

    Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador., Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.

  • 2005 - 2009

    Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20ºC e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20ºC e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20ºC. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2002 - 2004

    Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro., Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3

  • 2016 - Atual

    Cultivo solteiro e consorciado de rabanete e nirá: Desempenho agroeconômico e eficiência do uso da terra, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio de culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas rabanete e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2016 - Atual

    Desempenho agroeconômico de cultivo solteiro e consorciado de couve e nirá, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio dessas culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas couve e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2014 - Atual

    Cultivo solteiro e consorciado de couve de folha com espécies aromáticas e condimentares: desempenho agroeconômico e efeitos na dinâmica populacional de insetos, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2013 - Atual

    Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador., Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.

  • 2005 - 2009

    Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20ºC e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20ºC e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20ºC. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2002 - 2004

    Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro., Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3

  • 2016 - Atual

    Desempenho agroeconômico de cultivo solteiro e consorciado de couve e nirá, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio dessas culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas couve e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2016 - Atual

    Cultivo solteiro e consorciado de rabanete e nirá: Desempenho agroeconômico e eficiência do uso da terra, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio de culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas rabanete e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2014 - Atual

    Cultivo solteiro e consorciado de couve de folha com espécies aromáticas e condimentares: desempenho agroeconômico e efeitos na dinâmica populacional de insetos, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2013 - Atual

    Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador., Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.

  • 2005 - 2009

    Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20ºC e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20ºC. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20ºC e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2002 - 2004

    Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro., Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3

  • 2016 - Atual

    Cultivo solteiro e consorciado de rabanete e nirá: Desempenho agroeconômico e eficiência do uso da terra, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio de culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas rabanete e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2016 - Atual

    Desempenho agroeconômico de cultivo solteiro e consorciado de couve e nirá, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio dessas culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas couve e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2014 - Atual

    Cultivo solteiro e consorciado de couve de folha com espécies aromáticas e condimentares: desempenho agroeconômico e efeitos na dinâmica populacional de insetos, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2013 - Atual

    Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador., Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.

  • 2005 - 2009

    Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20ºC e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20ºC e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20ºC. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2002 - 2004

    Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro., Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3

  • 2016 - Atual

    Desempenho agroeconômico de cultivo solteiro e consorciado de couve e nirá, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio dessas culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas couve e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2016 - Atual

    Cultivo solteiro e consorciado de rabanete e nirá: Desempenho agroeconômico e eficiência do uso da terra, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio de culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas rabanete e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2014 - Atual

    Cultivo solteiro e consorciado de couve de folha com espécies aromáticas e condimentares: desempenho agroeconômico e efeitos na dinâmica populacional de insetos, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2013 - Atual

    Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador., Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.

  • 2005 - 2009

    Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20ºC e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20ºC e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20ºC. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2002 - 2004

    Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro., Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3

  • 2017 - 2017

    Recipientes e doses de adubo de liberação controlada na produção de rabanete em ambiente protegido, Descrição: O cultivo do rabanete tem despertado interesse por parte dos produtores agrícolas, porém ainda é preciso o desenvolvimento e aprimoramento de práticas de manejo que possibilitem maior produção e qualidade das túberas. Atualmente tem sido apresentados resultados de pesquisas que mostram ser viável o desenvolvimento, do ciclo completo, das plantas dentro de recipientes de diferentes volumes preenchidos com substrato. Tais resultados tornam possível avaliar a combinação do uso desses recipientes com substratos enriquecidos com adubos de liberação controlada. Nesse sentido, objetivou-se com este trabalho avaliar o uso de recipientes de diferentes volumes preenchidos com substrato enriquecido com doses crescentes de adubo de liberação controlada (ALC) no crescimento e na produção do rabanete em ambiente protegido do tipo telado. Conclui-se com este trabalho que recipientes de maior volume (100 cm3) combinados com a maior dose de ALC (12 kg.m3), são aqueles que possibilitaram a obtenção dos maiores valores agronômicos e de produção do rabanete em cultivo protegido.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Santiago Rubio Ruiz - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Ceará - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2017 - 2017

    Recipientes e densidades de cultivo na produção de coentro em ambiente protegido, Descrição: O coentro é uma cultura muito consumida em diversos países. No Brasil, é cultivado tradicionalmente por pequenos agricultores familiares das regiões Norte e Nordeste. Embora a produção de coentro ocorra predominantemente em campo aberto, o cultivo em ambiente protegido pode contribuir para elevar a produtividade e qualidade da cultura, além de cooperar para a redução da sazonalidade de sua oferta. Com base no exposto, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o desempenho agronômico do coentro em diferentes recipientes e densidade de plantio sob ambiente protegido. O experimento foi conduzido em viveiro telado, na Horta Didática da Universidade Federal do Ceará. O recipiente de 100 cm³ possibilitou a obtenção de plantas de maior altura, massa fresca e aspecto visual. O recipiente de 31 cm³ foi o que possibilitou a obtenção de maior produtividade, sobretudo com a densidade de 12 plantas por célula. O uso de recipientes de 31 cm³ combinado com a densidade de 12 plantas por célula é o mais indicado para a produção de coentro nas condições de realização deste trabalho.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Lidiane dos Santos Olímpio - Integrante., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2016 - 2017

    Desempenho agronômico do rabaneteiro em diferentes arranjos de cultivo, Descrição: O rabanete é uma hortaliça de ciclo curto que possibilita rápido retorno financeiro ao agricultor, o pequeno porte permite sua inserção nas entrelinhas de cultivo de outras espécies (consorciação). No entanto, para que boas produtividades e qualidade do produto final sejam alcançadas, pesquisas como a avaliação do arranjo de plantas no cultivo devem ser desenvolvidas. Com base no exposto, objetivou-se com este trabalho avaliar o desempenho agronômico do rabaneteiro em diferentes densidades de plantas nas condições em Fortaleza-CE. A partir dos resultados obtidos, conclui-se que o espaçamento de 0,05 m entre plantas combinado com apenas uma planta por cova é o mais indicado para se obter maior produtividade e boa qualidade do rabanete nas condições edafoclimáticas de Fortaleza-CE.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Maria Risocleuda da Costa - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Ceará - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2016 - 2017

    Adubação orgânica e densidade de plantio alterando a fisiologia, produção e incidência de pragas no rabanete, Descrição: O rabanete pode ser cultivado em sistema de produção convencional ou orgânico. O sistema de produção orgânica em oposição ao sistema convencional, combinado com o estudo da densidade de plantas, pode tornar a forma de cultivo do rabanete ainda mais sustentável. Objetivou-se com este estudo avaliar os efeitos da adubação orgânica e da densidade de plantio no crescimento, fisiologia, produtividade e na infestação de pulgão verde em plantas de rabanete. Conclui-se que a adubação e a densidade de cultivo de rabanete afetam o crescimento da cultura, fisiologia, sua produtividade, a população de pulgões verdes e a incidência de mosca-minadora.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / José Wagner da SIlva Melo - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2016 - Atual

    Desempenho agroeconômico de cultivo solteiro e consorciado de couve e nirá, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio dessas culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas couve e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2016 - Atual

    Cultivo solteiro e consorciado de rabanete e nirá: Desempenho agroeconômico e eficiência do uso da terra, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio de culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas rabanete e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2014 - 2017

    Cultivo solteiro e consorciado de couve de folha com espécies aromáticas e condimentares: desempenho agroeconômico e efeitos na dinâmica populacional de insetos, Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2013 - 2017

    Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais, Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador., Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.

  • 2005 - 2009

    Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20ºC e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20ºC. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20ºC e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2002 - 2004

    Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro., Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3

  • 2017 - 2017

    Recipientes e doses de adubo de liberação controlada na produção de rabanete em ambiente protegido, Descrição: O cultivo do rabanete tem despertado interesse por parte dos produtores agrícolas, porém ainda é preciso o desenvolvimento e aprimoramento de práticas de manejo que possibilitem maior produção e qualidade das túberas. Atualmente tem sido apresentados resultados de pesquisas que mostram ser viável o desenvolvimento, do ciclo completo, das plantas dentro de recipientes de diferentes volumes preenchidos com substrato. Tais resultados tornam possível avaliar a combinação do uso desses recipientes com substratos enriquecidos com adubos de liberação controlada. Nesse sentido, objetivou-se com este trabalho avaliar o uso de recipientes de diferentes volumes preenchidos com substrato enriquecido com doses crescentes de adubo de liberação controlada (ALC) no crescimento e na produção do rabanete em ambiente protegido do tipo telado. Conclui-se com este trabalho que recipientes de maior volume (100 cm3) combinados com a maior dose de ALC (12 kg.m3), são aqueles que possibilitaram a obtenção dos maiores valores agronômicos e de produção do rabanete em cultivo protegido.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Santiago Rubio Ruiz - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Ceará - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2017 - 2017

    Recipientes e densidades de cultivo na produção de coentro em ambiente protegido, Descrição: O coentro é uma cultura muito consumida em diversos países. No Brasil, é cultivado tradicionalmente por pequenos agricultores familiares das regiões Norte e Nordeste. Embora a produção de coentro ocorra predominantemente em campo aberto, o cultivo em ambiente protegido pode contribuir para elevar a produtividade e qualidade da cultura, além de cooperar para a redução da sazonalidade de sua oferta. Com base no exposto, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o desempenho agronômico do coentro em diferentes recipientes e densidade de plantio sob ambiente protegido. O experimento foi conduzido em viveiro telado, na Horta Didática da Universidade Federal do Ceará. O recipiente de 100 cm³ possibilitou a obtenção de plantas de maior altura, massa fresca e aspecto visual. O recipiente de 31 cm³ foi o que possibilitou a obtenção de maior produtividade, sobretudo com a densidade de 12 plantas por célula. O uso de recipientes de 31 cm³ combinado com a densidade de 12 plantas por célula é o mais indicado para a produção de coentro nas condições de realização deste trabalho.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Lidiane dos Santos Olímpio - Integrante., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2016 - 2018

    Desempenho agroeconômico de cultivo solteiro e consorciado de couve e nirá, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio dessas culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas couve e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2016 - 2018

    Cultivo solteiro e consorciado de rabanete e nirá: Desempenho agroeconômico e eficiência do uso da terra, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio de culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas rabanete e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2016 - 2017

    Desempenho agronômico do rabaneteiro em diferentes arranjos de cultivo, Descrição: O rabanete é uma hortaliça de ciclo curto que possibilita rápido retorno financeiro ao agricultor, o pequeno porte permite sua inserção nas entrelinhas de cultivo de outras espécies (consorciação). No entanto, para que boas produtividades e qualidade do produto final sejam alcançadas, pesquisas como a avaliação do arranjo de plantas no cultivo devem ser desenvolvidas. Com base no exposto, objetivou-se com este trabalho avaliar o desempenho agronômico do rabaneteiro em diferentes densidades de plantas nas condições em Fortaleza-CE. A partir dos resultados obtidos, conclui-se que o espaçamento de 0,05 m entre plantas combinado com apenas uma planta por cova é o mais indicado para se obter maior produtividade e boa qualidade do rabanete nas condições edafoclimáticas de Fortaleza-CE.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Maria Risocleuda da Costa - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Ceará - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2016 - 2017

    Adubação orgânica e densidade de plantio alterando a fisiologia, produção e incidência de pragas no rabanete, Descrição: O rabanete pode ser cultivado em sistema de produção convencional ou orgânico. O sistema de produção orgânica em oposição ao sistema convencional, combinado com o estudo da densidade de plantas, pode tornar a forma de cultivo do rabanete ainda mais sustentável. Objetivou-se com este estudo avaliar os efeitos da adubação orgânica e da densidade de plantio no crescimento, fisiologia, produtividade e na infestação de pulgão verde em plantas de rabanete. Conclui-se que a adubação e a densidade de cultivo de rabanete afetam o crescimento da cultura, fisiologia, sua produtividade, a população de pulgões verdes e a incidência de mosca-minadora.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / José Wagner da SIlva Melo - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2014 - 2017

    Cultivo solteiro e consorciado de couve de folha com espécies aromáticas e condimentares: desempenho agroeconômico e efeitos na dinâmica populacional de insetos, Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2013 - 2017

    Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais, Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador., Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.

  • 2005 - 2009

    Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20ºC e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20ºC. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20ºC e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2002 - 2004

    Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro., Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3

  • 2017 - 2017

    Recipientes e doses de adubo de liberação controlada na produção de rabanete em ambiente protegido, Descrição: O cultivo do rabanete tem despertado interesse por parte dos produtores agrícolas, porém ainda é preciso o desenvolvimento e aprimoramento de práticas de manejo que possibilitem maior produção e qualidade das túberas. Atualmente tem sido apresentados resultados de pesquisas que mostram ser viável o desenvolvimento, do ciclo completo, das plantas dentro de recipientes de diferentes volumes preenchidos com substrato. Tais resultados tornam possível avaliar a combinação do uso desses recipientes com substratos enriquecidos com adubos de liberação controlada. Nesse sentido, objetivou-se com este trabalho avaliar o uso de recipientes de diferentes volumes preenchidos com substrato enriquecido com doses crescentes de adubo de liberação controlada (ALC) no crescimento e na produção do rabanete em ambiente protegido do tipo telado. Conclui-se com este trabalho que recipientes de maior volume (100 cm3) combinados com a maior dose de ALC (12 kg.m3), são aqueles que possibilitaram a obtenção dos maiores valores agronômicos e de produção do rabanete em cultivo protegido.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Santiago Rubio Ruiz - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Ceará - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2017 - 2017

    Recipientes e densidades de cultivo na produção de coentro em ambiente protegido, Descrição: O coentro é uma cultura muito consumida em diversos países. No Brasil, é cultivado tradicionalmente por pequenos agricultores familiares das regiões Norte e Nordeste. Embora a produção de coentro ocorra predominantemente em campo aberto, o cultivo em ambiente protegido pode contribuir para elevar a produtividade e qualidade da cultura, além de cooperar para a redução da sazonalidade de sua oferta. Com base no exposto, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o desempenho agronômico do coentro em diferentes recipientes e densidade de plantio sob ambiente protegido. O experimento foi conduzido em viveiro telado, na Horta Didática da Universidade Federal do Ceará. O recipiente de 100 cm³ possibilitou a obtenção de plantas de maior altura, massa fresca e aspecto visual. O recipiente de 31 cm³ foi o que possibilitou a obtenção de maior produtividade, sobretudo com a densidade de 12 plantas por célula. O uso de recipientes de 31 cm³ combinado com a densidade de 12 plantas por célula é o mais indicado para a produção de coentro nas condições de realização deste trabalho.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Lidiane dos Santos Olímpio - Integrante., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2016 - 2018

    Cultivo solteiro e consorciado de rabanete e nirá: Desempenho agroeconômico e eficiência do uso da terra, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio de culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas rabanete e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2016 - 2018

    Desempenho agroeconômico de cultivo solteiro e consorciado de couve e nirá, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio dessas culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas couve e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2016 - 2017

    Adubação orgânica e densidade de plantio alterando a fisiologia, produção e incidência de pragas no rabanete, Descrição: O rabanete pode ser cultivado em sistema de produção convencional ou orgânico. O sistema de produção orgânica em oposição ao sistema convencional, combinado com o estudo da densidade de plantas, pode tornar a forma de cultivo do rabanete ainda mais sustentável. Objetivou-se com este estudo avaliar os efeitos da adubação orgânica e da densidade de plantio no crescimento, fisiologia, produtividade e na infestação de pulgão verde em plantas de rabanete. Conclui-se que a adubação e a densidade de cultivo de rabanete afetam o crescimento da cultura, fisiologia, sua produtividade, a população de pulgões verdes e a incidência de mosca-minadora.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / José Wagner da SIlva Melo - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2016 - 2017

    Desempenho agronômico do rabaneteiro em diferentes arranjos de cultivo, Descrição: O rabanete é uma hortaliça de ciclo curto que possibilita rápido retorno financeiro ao agricultor, o pequeno porte permite sua inserção nas entrelinhas de cultivo de outras espécies (consorciação). No entanto, para que boas produtividades e qualidade do produto final sejam alcançadas, pesquisas como a avaliação do arranjo de plantas no cultivo devem ser desenvolvidas. Com base no exposto, objetivou-se com este trabalho avaliar o desempenho agronômico do rabaneteiro em diferentes densidades de plantas nas condições em Fortaleza-CE. A partir dos resultados obtidos, conclui-se que o espaçamento de 0,05 m entre plantas combinado com apenas uma planta por cova é o mais indicado para se obter maior produtividade e boa qualidade do rabanete nas condições edafoclimáticas de Fortaleza-CE.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Maria Risocleuda da Costa - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Ceará - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2014 - 2017

    Cultivo solteiro e consorciado de couve de folha com espécies aromáticas e condimentares: desempenho agroeconômico e efeitos na dinâmica populacional de insetos, Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2013 - 2017

    Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais, Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador., Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.

  • 2005 - 2009

    Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20ºC e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20ºC e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20ºC. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100µmol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2002 - 2004

    Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro., Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3

  • 2017 - 2017

    Recipientes e densidades de cultivo na produção de coentro em ambiente protegido, Descrição: O coentro é uma cultura muito consumida em diversos países. No Brasil, é cultivado tradicionalmente por pequenos agricultores familiares das regiões Norte e Nordeste. Embora a produção de coentro ocorra predominantemente em campo aberto, o cultivo em ambiente protegido pode contribuir para elevar a produtividade e qualidade da cultura, além de cooperar para a redução da sazonalidade de sua oferta. Com base no exposto, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o desempenho agronômico do coentro em diferentes recipientes e densidade de plantio sob ambiente protegido. O experimento foi conduzido em viveiro telado, na Horta Didática da Universidade Federal do Ceará. O recipiente de 100 cm possibilitou a obtenção de plantas de maior altura, massa fresca e aspecto visual. O recipiente de 31 cm foi o que possibilitou a obtenção de maior produtividade, sobretudo com a densidade de 12 plantas por célula. O uso de recipientes de 31 cm combinado com a densidade de 12 plantas por célula é o mais indicado para a produção de coentro nas condições de realização deste trabalho.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Lidiane dos Santos Olímpio - Integrante., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2017 - 2017

    Recipientes e doses de adubo de liberação controlada na produção de rabanete em ambiente protegido, Descrição: O cultivo do rabanete tem despertado interesse por parte dos produtores agrícolas, porém ainda é preciso o desenvolvimento e aprimoramento de práticas de manejo que possibilitem maior produção e qualidade das túberas. Atualmente tem sido apresentados resultados de pesquisas que mostram ser viável o desenvolvimento, do ciclo completo, das plantas dentro de recipientes de diferentes volumes preenchidos com substrato. Tais resultados tornam possível avaliar a combinação do uso desses recipientes com substratos enriquecidos com adubos de liberação controlada. Nesse sentido, objetivou-se com este trabalho avaliar o uso de recipientes de diferentes volumes preenchidos com substrato enriquecido com doses crescentes de adubo de liberação controlada (ALC) no crescimento e na produção do rabanete em ambiente protegido do tipo telado. Conclui-se com este trabalho que recipientes de maior volume (100 cm3) combinados com a maior dose de ALC (12 kg.m3), são aqueles que possibilitaram a obtenção dos maiores valores agronômicos e de produção do rabanete em cultivo protegido.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Santiago Rubio Ruiz - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Ceará - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2016 - 2018

    Cultivo solteiro e consorciado de rabanete e nirá: Desempenho agroeconômico e eficiência do uso da terra, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio de culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas rabanete e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2016 - 2018

    Desempenho agroeconômico de cultivo solteiro e consorciado de couve e nirá, Descrição: Apesar de ser uma prática antiga, a consorciação de culturas somente ganhou ênfase nas últimas décadas, sobretudo como uma importante alternativa à busca por uma agricultura mais sustentável e por alimentos mais seguros. Propondo um manejo diferenciado, ela contribui com o uso mais eficiente dos recursos, influencia alterações biológicas no agrossistema reduzindo problemas fitossanitários, além de permitir maior produtividade, estabilidade produtiva e retorno econômico. Por ser acessível e de fácil adoção por pequenos produtores, a consorciação se destaca na olericultura. Todavia, os estudos voltados para o consórcio dessas culturas nas condições edafoclimáticas do nordeste ainda são incipientes. Portanto, a presente pesquisa objetiva avaliar os aspectos fitotécnicos e a viabilidade econômica das culturas couve e nirá, sob o cultivo solteiro e consorciado.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante / Ítalo Marlone Gomes Sampaio - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2016 - 2017

    Adubação orgânica e densidade de plantio alterando a fisiologia, produção e incidência de pragas no rabanete, Descrição: O rabanete pode ser cultivado em sistema de produção convencional ou orgânico. O sistema de produção orgânica em oposição ao sistema convencional, combinado com o estudo da densidade de plantas, pode tornar a forma de cultivo do rabanete ainda mais sustentável. Objetivou-se com este estudo avaliar os efeitos da adubação orgânica e da densidade de plantio no crescimento, fisiologia, produtividade e na infestação de pulgão verde em plantas de rabanete. Conclui-se que a adubação e a densidade de cultivo de rabanete afetam o crescimento da cultura, fisiologia, sua produtividade, a população de pulgões verdes e a incidência de mosca-minadora.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / José Wagner da SIlva Melo - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2016 - 2017

    Desempenho agronômico do rabaneteiro em diferentes arranjos de cultivo, Descrição: O rabanete é uma hortaliça de ciclo curto que possibilita rápido retorno financeiro ao agricultor, o pequeno porte permite sua inserção nas entrelinhas de cultivo de outras espécies (consorciação). No entanto, para que boas produtividades e qualidade do produto final sejam alcançadas, pesquisas como a avaliação do arranjo de plantas no cultivo devem ser desenvolvidas. Com base no exposto, objetivou-se com este trabalho avaliar o desempenho agronômico do rabaneteiro em diferentes densidades de plantas nas condições em Fortaleza-CE. A partir dos resultados obtidos, conclui-se que o espaçamento de 0,05 m entre plantas combinado com apenas uma planta por cova é o mais indicado para se obter maior produtividade e boa qualidade do rabanete nas condições edafoclimáticas de Fortaleza-CE.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Maria Risocleuda da Costa - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal do Ceará - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2014 - 2017

    Cultivo solteiro e consorciado de couve de folha com espécies aromáticas e condimentares: desempenho agroeconômico e efeitos na dinâmica populacional de insetos, Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Caris dos Santos Viana - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante / Ana Régia Alves de Araújo Hendges - Integrante / Janiquelle da Silva Rabelo - Integrante / Celly de Lima Maia - Integrante / Naara Iorrana Gomes Sousa - Integrante., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2013 - 2017

    Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais, Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador., Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.

  • 2005 - 2009

    Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20C e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20C e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10C até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100mol.m-2s-1) à 25 C. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2005 - 2006

    Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens, Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20C. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10C até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100mol.m-2s-1) à 25 C. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2002 - 2004

    Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro., Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2018

Centenário (1918-2018) do Curso de Agronomia, Universidade Federal do Ceará.

2017

Honra, Colégio da Polícia Militar do Ceará General Edgard Facó - CPMGEF.

2017

Manifestação Pública de Agradecimento e Reconhecimento, Grupo Retina Ceará.

2017

Motivo de Orgulho, Governo do Estado do Ceará.

2017

Professor homenageado - Turma de Agronomia (UFC - 2017), Universidade Federal do Ceará.

2016

Professor homenageado - Turma de Agronomia (UFC - 2016), Universidade Federal do Ceará.

2015

Aula da Saudade - Turma de Agronomia (UFC - 2015), Universidade Federal do Ceará.

2014

Melhores práticas na Assitência Social, Secretaria de Desenvolvimento Social de Caucaia.

2012

Mensão Honrosa, Universidade Federal do Amazonas.

2011

Moção de Agradecimento e Reconhecimento, Câmara Municipal de Benjamin Constant.

2010

Trabalho Destaque 50o CBO, Associação Brasileira de Horticultura e INCAPER.

2010

Honra ao Mérito, Universidade Federal do Amazonas.

2009

Doutor em Fisiologia Vegetal, Universidade Federal de Viçosa.

2004

Mestre em Fitotecnia, Universidade Federal de Vicosa.

2002

Engenheiro Agronomo, Universidade Federal de Vicosa.

1999

Menção Honrosa, Universidade Federal de Viçosa.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade Federal do Ceará, Centro de Ciências Agrárias. , Av. Mister Hull, 2977, Bloco 805, Pici, 60356-001 - Fortaleza, CE - Brasil, Telefone: (85) 33669677

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2012 - Atual

Universidade Federal do Ceará

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor e Pesquisador, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

  • 01/2019

    Direção e administração, Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Vice-coordenador da Horta didática da UFC..

  • 07/2016

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências Agrárias, .,Cargo ou função, Membro do Núcleo Docente Estruturante do Curso de Agronomia da UFC..

  • 06/2016

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências Agrárias, Coordenação do curso de graduação em Agronomia.,Cargo ou função, Membro do Núcleo Docente Estruturante do curso de graduação em Agronomia da UFC.

  • 08/2015

    Ensino, Agronomia (Fitotecnia), Nível: Pós-Graduação,Disciplinas ministradas, Olericultura Geral

  • 06/2015

    Direção e administração, Centro de Ciências Agrárias, .,Cargo ou função, Coordenador do Curso de Graduação em Agronomia.

  • 08/2014

    Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.,Linhas de pesquisa

  • 08/2013

    Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, .,Linhas de pesquisa

  • 08/2013

    Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, .,Linhas de pesquisa

  • 10/2012

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências Agrárias, .,Cargo ou função, Membro do Colegiado do Curso da Agronomia - Representante da Unidade de Horticultura.

  • 05/2012

    Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.,Linhas de pesquisa

  • 05/2012

    Ensino, Agronomia, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, AC0494 - Olericultura

  • 01/2012

    Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.,Linhas de pesquisa

  • 01/2013 - 07/2018

    Direção e administração, Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Coordenador da Horta Didática da Universidade Federal do Ceará.

  • 03/2015 - 02/2016

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, .,Cargo ou função, Representante do Centro de Ciências Agrárias junto ao Comitê Interno da Coordenação de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, na área de "Câmara de Meio Ambiente e Agrárias".

  • 08/2013 - 12/2014

    Ensino, Agronomia (Fitotecnia), Nível: Pós-Graduação,Disciplinas ministradas, ACP7766 - Tópicos em Fitotecnia II

  • 04/2013 - 12/2014

    Extensão universitária , Pró-Reitoria de Extensão-PREX, .,Atividade de extensão realizada, Orientador das atividades realizadas pelos alunos do curso de Agronomia, oriundas do Projeto Rondon na UFC.

  • 10/2012 - 01/2013

    Direção e administração, Centro de Ciências Agrárias, .,Cargo ou função, Vice Coordenador da Horta Didática vinculada ao Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal do Ceará.

2009 - 2012

Universidade Federal do Amazonas

Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Adjunto I, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

  • 01/2011

    Ensino, Agronomia Tropical, Nível: Pós-Graduação,Disciplinas ministradas, Fisiologia Vegetal

  • 02/2012 - 11/2012

    Ensino, Ciências Agrárias e do Ambiente, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, INC 016 - Introdução à Genética e ao Melhoramento de Plantas (60 horas), INC 061 - Olericultura Tropical (60 horas), INC 072 - Trabalho de Conclusão de Curso (60 horas), INC 079 - Estágio Supervisionado III (120 horas)

  • 12/2011 - 05/2012

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .,Cargo ou função, Presidente da Subcomissão de Acompanhamento, Apoio e Avaliação do Programa de Monitoria do Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente no âmbito do Instituto de Natureza e Cultura, Campus Alto Solimões.

  • 11/2011 - 05/2012

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .,Cargo ou função, Membro da Comissão de Orientação de Monografia.

  • 11/2011 - 05/2012

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .,Cargo ou função, Constituinte da Comissão de Elaboração da Proposta de Curso do Colegiado de Ciências Agrárias e do Ambiente.

  • 10/2011 - 05/2012

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .,Cargo ou função, Presidente da Comissão de Atividades Complementares do Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente do Instituto de Natureza e Cultura.

  • 10/2011 - 05/2012

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .,Cargo ou função, Membro do Núcleo Docente Estruturante - NDE do Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente do Instituto de Natureza e Cultura.

  • 09/2010 - 05/2012

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .,Cargo ou função, Comissão para avaliação de estágio supervisionado do Curso de Licenciatura e Bacharelado em Ciências Agrárias e do Ambiente.

  • 09/2010 - 05/2012

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .,Cargo ou função, Grupo de trabalho para propor a nova matriz curricular do Curso de Licenciatura e Bacharelado em Ciências Agrárias e do Ambiente (Portaria No. 021/2010 - INCBC - UFAM).

  • 08/2010 - 05/2012

    Pesquisa e desenvolvimento , Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .,Linhas de pesquisa

  • 05/2010 - 05/2012

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Pró-Reitoria de Extensão e Interiorização (PROEXTI/UFAM), .,Cargo ou função, Comissão de Articulação Política e de Planejamento Estratégico (Portaria No. 008/2010 - PROEXTI).

  • 03/2010 - 05/2012

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .,Cargo ou função, Integrante Titular da Subcomissão de Acompanhamento, Apoio e Avaliação do Programa de Monitoria vinculado ao Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente no âmbito do Instituto de Natureza e Cultura de Benjamin Constant, Campus do Alto Solimões, para os.

  • 12/2011 - 01/2012

    Direção e administração, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .,Cargo ou função, Coordenador de Curso.

  • 08/2011 - 12/2011

    Ensino, Ciências Agrárias e do Ambiente, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Fisiologia Vegetal, Técnicas Agroecológicas - Nutrição Vegetal, Trabalho de Conclusão de Curso

  • 10/2009 - 11/2011

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .,Cargo ou função, Coordenador do Comitê Multidisciplinar de Extensão e Interiorização (COMEXI) da Universidade Federal do Amazonas, Unidade Instituto Natureza e Cultura Benjamin Constant..

  • 02/2011 - 07/2011

    Ensino, Ciências Agrárias e do Ambiente, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Beneficiamento de Produtos Agrícolas (60 horas aula), Introdução a Genética e ao Melhoramento de Plantas (60 horas aula), Olericultura Tropical (60 horas aula), Trabalho de Conclusão de Curso

  • 08/2010 - 12/2010

    Ensino, Ciências Agrárias e do Ambiente, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Fisiologia Vegetal (60 horas aula), Olericultura Tropical (60 horas aula), Técnicas Agroecológicas - Nutrição Vegetal (60 horas aula)

  • 03/2010 - 07/2010

    Ensino, Ciências Agrárias e do Ambiente, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Beneficiamento de Produtos Agrícolas (60 horas de aula), Introdução a Genética e Melhoramento de Plantas (60 horas de aula), Olericultura Tropical (60 horas de aula)

  • 08/2009 - 02/2010

    Ensino, Ciências Agrárias e do Ambiente, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Fisiologia Vegetal (60 horas de aula), Técnicas Agroecológicas - Nutrição Vegetal (60 horas de aula)

  • 12/2009 - 01/2010

    Direção e administração, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .,Cargo ou função, Coordenador de Curso.

2006 - 2009

Sítio Vale do Sol

Vínculo: Empregado pelo regime da CLT, Enquadramento Funcional: Consultor, Carga horária: 4

Atividades

  • 02/2006 - 01/2009

    Serviços técnicos especializados , Sítio Vale do Sol, .,Serviço realizado, Projetos na área de produção de plantas olerícolas em ambiente protegido.

  • 02/2006 - 01/2009

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Sítio Vale do Sol, .,Cargo ou função, Consultor.

2005 - 2009

Universidade Federal de Viçosa

Vínculo: Bolsista de Pós-Graduação, Enquadramento Funcional: Estudante de Doutorado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
Doutorado Sanduiche na Universidade de Purdue em West Lafayette nos Estados Unidos.

2002 - 2004

Universidade Federal de Viçosa

Vínculo: Bolsista de Pós-Graduação, Enquadramento Funcional: Estudante de Mestrado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

1997 - 2002

Universidade Federal de Viçosa

Vínculo: Estudante de Graduação, Enquadramento Funcional: Estudante de Agronomia, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

  • 04/1997 - 08/2004

    Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.,Linhas de pesquisa

  • 09/2001 - 04/2002

    Estágios , Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.,Estágio realizado, Estágio voluntário, cadastrado junto ao CEE, realizado sob a orientação do professor Derly José Henriques da Silva, na área de olericultura, com a cultura do tomateiro..

  • 04/2000 - 09/2001

    Estágios , Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.,Estágio realizado, Estágio voluntário, realizado sob a orientação do professor Derly José Henriques da Silva, na área de olericultura, com a cultura do tomateiro..

  • 02/1998 - 08/1999

    Estágios , Centro de Ciências Agrárias, Entomologia.,Estágio realizado, Entre os meses de fevereiro a agosto de 1998 realizei estágio voluntário no Laboratório de Entomologia sob a orientação do Professor José Cola Zanúncio. No mês de setembro de 1998 fui qualificado pelo CNPq a receber bolsa de iniciação científica..

2007 - 2008

Purdue University

Vínculo: Pesquisador Visitante, Enquadramento Funcional: Pesquisador Visitante, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
Doutorado Sanduiche.

2004 - 2005

Communicating For Agriculture Exchange Program

Vínculo: Trainee, Enquadramento Funcional: Trainee, Carga horária: 45, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
Programa de intercâmbio entre Brasil e Estados Unidos.

Atividades

  • 09/2004 - 07/2005

    Direção e administração, CAEP, Little Miami Flowers.,Cargo ou função, Gerente.

  • 09/2004 - 07/2005

    Serviços técnicos especializados , CAEP, .,Serviço realizado, Organização do processo de produção de flores (Gerbera) em ambiente controlado..

2005 - 2005

Pudue University

Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Trainee, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

  • 07/2005 - 08/2005

    Estágios , Purdue University, Department Of Horticulture And Landscape Architecture.,Estágio realizado, Laboratorio de Fisiologia Molecular.

2001 - 2001

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 36, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
Estágio voluntário.

Atividades

  • 03/2001 - 03/2001

    Estágios , Centro Nacional de Pesquisa de Hortaliças, Laboratório de Fitotecnia.,Estágio realizado, Estágio realizado no Laboratório de Fitotecnia, de 19 a 29 de março com carga horária de 72 horas..