Ana Carolina Fioretto

Formada em Ciências Biológicas, modalidade licenciatura, pela Universidade Estadual Paulista - UNESP/Instituto de Biociências de Botucatu - SP. Graduanda no curso de Ciências Biológicas, modalidade bacharelado, da Universidade Estadual Paulista - UNESP/Instituto de Biociências. Mestranda na Universidade Estadual Paulista - UNESP/Instituto de Biociências de Botucatu - SP, pelo programa Biologia Geral e Aplicada. Estagiária na empresa JM Bionanálises em Botucatu e realiza estágio supervisionado no Laboratório de Ensaios Biológicos com Produtos Naturais no Departamento de Fisiologia no Instituto de Biociências de Botucatu.

Informações coletadas do Lattes em 10/02/2024

Acadêmico

Formação acadêmica

Mestrado em andamento em Biologia Geral e Aplicada

2020 - Atual

UNESP - Botucatu
Título: Avaliação do efeito protetor do citral na doença do refluxo gastroesofágico em camundongos eutróficos e obesos,Orientador: Clélia Akiko Hiruma-Lima
Coorientador: Lúcia Regina Machado da Rocha. Grande área: Ciências Biológicas

Graduação em andamento em Abi - Ciências Biológicas

2019 - Atual

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Título: Avaliação do efeito do Citral na doença do refluxo gastroesofágico
Orientador: Clélia Akiko Hiruma-Lima

Graduação em Abi - Ciências Biológicas

2014 - 2018

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Ensino Médio (2º grau)

2010 - 2012

Colégio Tyto Alba

Ensino Fundamental (1º grau)

2006 - 2009

Colégio Tyto Alba

Formação complementar

2018 - 2018

ABNT NBR ISO/IEC - 17025:2017 - Interpretação dos Requisitos. (Carga horária: 16h). , JM BioAnalises, JMBA, Brasil.

2017 - 2017

Boas práticas de laboratório (BPL). (Carga horária: 16h). , JM BioAnalises, JMBA, Brasil.

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Participação em eventos

Contribuições das Medicinas Tradicionais, Complementares e Integrativas (MTCI) no contexto do COVID-19. 2020. (Simpósio).

Simpósio Anual do Programa de Pós-Graduação em Biologia Geral e Aplicada.Avaliação do efeito protetor do citral na doença do refluxo gastroesofágico em camundongos eutróficos e obesos. 2020. (Simpósio).

Conferência Técnica ?Domine sua pipeta por dentro e por fora?. 2019. (Outra).

Congresso de Iniciação Científica da UNESP. Caracterização da Virulência de Paracoccidioides brasiliensis isolados de duas regiões endêmicas distintas em modelo experimental murino. 2016. (Congresso).

IV Congresso de Biociências. 2015. (Congresso).

IV Congresso de Biociências. Ensaio com camundongos imunossuprimidos para a recuperação de Paracoccidioides spp.. 2015. (Congresso).

III Congresso de Biociências. 2014. (Congresso).

Comissão julgadora das bancas

Flávia Karina Delella

Delella, FK; AKIKO HIRUMA-LIMA, CLELIA; SANTOS, RC. Avaliação do efeito protetor do citral na doença do refluxo gastroesofágico em camundongos. 2022. Dissertação (Mestrado em Biologia Geral e Aplicada) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Foi orientado por

Silvio Luis de Oliveira

Treinamento técnico em práticas de laboratório; 2015; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas - Licenciatura - Noturno) - Instituto de Biociências de Botucatu; Orientador: Silvio Luis de Oliveira;

Eduardo Bagagli

Estágio de Iniciação Científica; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Laboratório de Biologia de Fungos do Depto de Micro/Imuno) - Instituto de Biociências de Botucatu; Orientador: Eduardo Bagagli;

Produções bibliográficas

  • FIORETTO, A. C. ; HIRUMA-LIMA, C. A. ; ROCHA, L. R. M. . Avaliação do efeito protetor do citral na doença do refluxo gastroesofágico em camundongos eutróficos e obesos. 2020. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • FIORETTO, A. C. ; Bagagli, E. ; Oliveira, S. L. . Caracterização da virulência de Paracoccidioides brasiliensis isolados de Duas regiões endêmicas distintas em modelo experimental murino. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • FIORETTO, A. C. ; Bagagli, E. ; Oliveira, S. L. . Ensaio com camundongos imunossuprimidos para a recuperação de PARACOCCIDIODES SPP. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

Projetos de pesquisa

  • 2020 - Atual

    Avaliação do efeito protetor do citral na doença do refluxo gastroesofágico em camundongos eutróficos e obesos, Descrição: A Organização Mundial da Saúde vem alertando sobre a epidemia de obesidade que atinge diferentes faixas etárias e grupos socioeconômicos. Estudos têm demonstrado a prevalência de outras doenças associadas à obesidade, como a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE). Esse quadro decorre do processo inflamatório, com aumento dos níveis de leptina e prostaglandina (PG)E2. A DRGE é uma alteração decorrente do refluxo do conteúdo gastroduodenal que gera lesões teciduais no esôfago e um desequilíbrio entre os fatores protetores e agressores da mucosa. Assim, danos oxidativos em macromoléculas geram produtos que caracterizam a lesão, como o malondialdeído (MDA) resultado da peroxidação lipídica. Os antioxidantes como a superóxido dismutase (SOD), catalase (CAT) e glutationa reduzida (GSH) são importantes para regulação da homeostasia celular durante o estresse oxidativo. Decorrente ao processo, o dano tecidual e inflamação são caracterizados pela presença da enzima mieloperoxidase (MPO), expressa principalmente em neutrófilos. Atualmente, para o tratar a DRGE é necessário o uso prolongado de fármacos antissecretores e inibidores da bomba de prótons (Lansoprazol, LZ), o que induz efeitos colaterais. Assim, a busca por alternativas terapêuticas tem sido importante, como os produtos naturais de origem vegetal que são fontes de biomoléculas ativas na prevenção de alterações da homeostasia do organismo. O citral, monoterpeno presente em óleos essenciais de plantas medicinais, apresenta ação anti-inflamatória, antipirética, antihiperlipidêmica e gastroprotetora. Portanto, o objetivo deste trabalho é avaliar o perfil de resposta do citral no DRGE em animais eutróficos e obesos. Serão utilizados camundongos machos (C57BL-J6) que receberão dieta hiperlipídica (HFD) ou dieta padrão (DP), divididos em grupos tratados por via oral com citral (25, 100 e 300 mg/kg) e LZ (30 mg/kg). Posteriormente, será realizada dupla ligadura no estômago como modelo de DRGE. Será caracterizado a evolução do processo inflamatório (MPO), peroxidação lipídica (MDA) e marcadores para os mecanismos antioxidantes (SOD, GSH e CAT), dosagem de mediadores inflamatórios (TNF- , IL-1, IL-6 e PGE2) e níveis de leptina. A partir da avaliação espera-se uma redução desses marcadores, melhora no quadro e efeito do citral no tratamento de animais obesos e eutróficos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Ana Carolina Fioretto - Coordenador / clélia akiko hiruma-lima - Integrante.

  • 2019 - Atual

    Avaliação do efeito do Citral na doença do refluxo gastroesofágico, Descrição: A Organização Mundial da Saúde vem nos alertando sobre a epidemia de obesidade que atinge pessoas de todas as faixas etárias e grupos socioeconômicos tanto em países desenvolvidos quanto em desenvolvimento. Diante disso, estudos têm demonstrado a maior prevalência de outras doenças associadas à obesidade, como por exemplo a maior suscetibilidade a quadros infecciosos, processos inflamatórios e doenças crônicas, entre elas as úlceras gástricas. Sabe-se que uma das causas para ocorrência desses quadros patológicos é o processo inflamatório crônico de baixo grau que incide sobre indivíduos obesos, o que induz a mudança do perfil de mediadores inflamatórios, aumentando o infiltrado de células do sistema imune no tecido adiposo e nas regiões hipotalâmicas, consequentemente promovendo alterações metabólicas significativas. Buscando melhorar a sobrevida e fornecer alternativas de fármacos para o tratamento de quadros inflamatórios metabólicos e sistêmicos além da ação sobre doenças do trato digestório como úlceras pépticas e doença do refluxo gastroesofágico, esse projeto se baseia em trabalhos prévios de nosso grupo que documentaram a ação de monoterpenos de origem natural como potente anti-inflamatório e cicatrizante em modelo in vivo com animais sob dieta normal. Apesar dos resultados prévios acerca das ações farmacológicas desses monoterpenos como anti-inflamatório e cicatrizante, não existem estudos acerca da ação desses no combate ao quadro inflamatório induzido pela obesidade. Portanto, esse projeto pretende-se avaliar o perfil de resposta de monoterpenos utilizando-se de camundongos sob dieta hiperlipídica comparado com animais com dieta padrão. Serão determinados parâmetros que caracterizam a evolução do processo inflamatório pelo tratamento com os monoterpenos para avaliar se os mesmos podem ser indicados no tratamento preventivo ou curativo quadro inflamatório decorrente da obesidade.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Ana Carolina Fioretto - Coordenador / clélia akiko hiruma-lima - Integrante.

  • 2015 - 2016

    Detecção de Paracoccidioides sp. em amostras ambientais utilizando modelo murino imunossuprimido, Descrição: O Paracoccidioides brasiliensis é um fungo termodimórfico que pode se apresentar na fase leveduriforme, ou seja, a fase parasitária onde o mesmo se encontra em tecidos, ou na forma micelial onde produz esporos infectantes que se aerossolizados podem infectar hospedeiros. A imunidade celular é fundamental para resistência a essa infecção, já que o este fungo possui mecanismos eficientes para inibir a resposta imune e a possível disseminação no organismo. O que vêm sendo muito utilizado em estudos, são os camundondos Biozzi, uma linhagem geneticamente selecionada para boa ou má resposta imune. Através de amostras ambientais do P. brasiliensis, testamos uma dose ótima de ciclofosfamida, uma droga imunossupressora, para o isolamento desse fungo em animais imunossuprimidos.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Ana Carolina Fioretto - Coordenador / Silvio Luis de Oliveira - Integrante / Eduardo Bagaglli - Integrante.

Histórico profissional

Experiência profissional

2017 - Atual

JM BIOANALISES

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 30, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
Desempenho atividade de rotina laboratorial na empresa JM Bioanalises, que realiza análise de resíduo agroquímico. Eu, na função de auxiliar de laboratório, mantenho a limpeza e organização do laboratório, bem como de seus equipamentos e vidrarias. Sendo responsável pela execução de métodos de extração de resíduo agroquímico de sementes, frutos e hortaliças, também de sua pesagem e identificação. Através dos métodos de análises, sou responsável pela pesagem de padrões analíticos, bem como sua diluição, e preparo de soluções com manuseio e utilização de reagentes e solventes assim como cálculos químicos básicos para o seu preparo, além de verificação semanal de micropipetas e limpeza e manutenção de equipamentos básicos de extração a partir de Procedimento Operacional Padrão (POP), seguindo as normas de Boas Práticas Laboratoriais (BPL), além disso sou responsável pelos Itens de Referência, solventes e reagentes da empresa.

2020 - Atual

UNESP - Botucatu

Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Mestranda

2019 - Atual

UNESP - Botucatu

Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Estágio de Iniciação Científica

2015 - 2016

UNESP - Botucatu

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 5, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
Durante o período de estágio, a aluna acompanhou procedimentos como preparo de meios de cultura e realizou ensaios de virulência com Paracoccidioides brasiliensis e camundongos.

2014 - 2015

UNESP - Botucatu

Vínculo: Estágio Voluntário, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 5, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
Durante o período a aluna acompanhou e realizou os trabalhos de rotina de biotério do Departamento de Microbiologia e Imunologia como? limpeza das caixas dos camundongos, sexagem, acasalamentos seletivos e obtenção de reagentes biológicos. No laboratório de Experimentação Animal, acompanhou e realizou esterilização de vidrarias e experimentos de dosagem de anticorpos e técnicas de hipersensibilidade tardia em linhagens de camundongos imunossuprimidos.

2015 - 2015

Universidade Estadual de Maringá

Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Estágiário, Carga horária: 12, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
A aluna realizou estágio no nível de graduação, na área de Ensino de Ciências e Biologia.