Lívia Silva Teixeira

Psicóloga. Possui graduação em Psicologia pela Universidade Veiga de Almeida (2015). Pós-graduada em Saúde Mental (2017) FAVENI. Pós- graduação em Teoria Psicanalítica e Prática Clínico-Institucional Psicologia pela Universidade Veiga de Almeida (2018). Mestrado em andamento na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Linha de Pesquisa: Subjetividade, Cultura e Práticas Clínicas . Atuação na área de Psicologia Escolar.

Informações coletadas do Lattes em 19/10/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em andamento em Psicologia

2018 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro
Orientador: Cristiana Carneiro;

Especialização em Saúde Mental

2015 - 2018

FAVENI-FACULDADE VENDA NOVA DO IMIGRANTE
Título: O Sujeito Surdo

Especialização em Teoria Psicanalítica e Prática Clínico-Institucional

2015 - 2018

Universidade Veiga de Almeida
Título: Psicanálise e Educação: o sujeito na Educação Integral
Orientador: Eliane Augustines
Bolsista do(a): Universidade Veiga de Alameida, UVA, Brasil.

Graduação em Psicologia

2010 - 2015

Universidade Veiga de Almeida
Título: Punição: Justiça ou Vingança
Orientador: Andreia Ribeiro Cardoso
Bolsista do(a): .

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Espanhol

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia Escolar.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicanálise.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

TEIXEIRA, L. S. . JORNADA NIPIAC. 2018. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

I CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISADORES EM POLÍTICAS PÚBLICAS,. A politica de educação integral como campo de subjetivação: uma questão da psicanálise. 2019. (Congresso).

10º Seminário As Vozes das Periferias e a Universidade Pública como Resistência,.POLÍTICA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL NO BRASIL: UMA INTERVENÇÃO NOS MODOS DE SUBJETIVAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES. 2018. (Seminário).

12 MOSTRA REGIONAL DE PRATICAS EM PSICOLOGIA.Psicologia e Educação: relato de uma experiência no ensino Integral. 2018. (Outra).

CEFEPI - 1 º Congresso de Educação Física Escolar na perspectiva Inclusiva. A Educação Integral como Campo de Subjetivação de Crianças e Adolescentes: uma proposta inclusiva. 2018. (Congresso).

Colóquio Anísio Teixeira.PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO: A EDUCAÇÃO INTEGRAL COMO CAMPO DE SUBJETIVAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES. 2018. (Outra).

JORNADA NIPIAC 20 ANOS.Mal- estar docente: uma proposta interventiva. 2018. (Outra).

SEMANA DA PSICOLOGIA DA UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA.QUESTÕES DA PSICANÁLISE: A EDUCAÇÃO INTEGRAL COMO CAMPO DE SUBJETIVAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES. 2018. (Outra).

SEMANA DE INTEGRAÇÃO ACADEMICA.A EDUCAÇÃO INTEGRAL COMO CAMPO DE SUBJETIVAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES. 2018. (Encontro).

V Seminário Discente PPGE -UFF.Pesquisa em Psicanálise e Educação: a educação integral como campo de subjetivação de crianças e adolescentes. 2018. (Seminário).

16 dias de ativismo pelo fim da violência doméstica.16 dias de ativismo pelo fim da violência doméstica. 2017. (Encontro).

Roda de Conversa: Direitos das Mulheres. 2017. (Outra).

CONFERÊNCIA PELO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA.O afeto no espaço escolar: uma relação de sujeitos. 2016. (Seminário).

II MESA REDONDA DA PÓS- GRADUAÇÃO EM TEORIA PSICANALÍTICA PRÁTICO CLINICO INSTITUCIONAL.MARINA ABRAMOVIC: THE ARTIST IS PRESENTE. 2016. (Outra).

PROJETO : FALANDO NISSO.Violência na escola: Bullying é coisa séria. 2016. (Oficina).

PROJETO FALANDO NISSO.Sexualidade no espaço escolar. 2016. (Oficina).

PROJETO FALANDO NISSO.Violencia na Escola. 2016. (Oficina).

PROJETO FALANDO NISSO.Diversidade na escola: nem melhor, nem pior, apenas diferente. 2016. (Oficina).

PROJETO FALANDO NISSO.Vamos falar de sexualidade. 2016. (Oficina).

PROJETO FALANDO NISSO.Afetividade, família e escola: uma relação possivel. 2016. (Encontro).

I CONGRESSO INTERNACIONAL DE PSICOLOGIA JURIDICA. 2015. (Congresso).

III CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES.III CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES. 2015. (Outra).

II JORNADA DA ESCOLA DE PSICANÁLISE DOS FÓRUNS DO CAMPO LACANIANO O.PSICANÁLISE COM CRIANÇAS: DEMANDA, DESEJO E GOZO. 2014. (Outra).

I JORNADA DO FÓRUM DO CAMPO LACANIANO.Autismo, um debate atual: o sujeito em pleno direito. 2013. (Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Eliane de Augustinis Valle Machado da Silva

Cardoso, Andreia Ribeiro; Souza, Lígia Claudia;AUGUSTINIS, Eliane. Punição, Justiça ou Vingança. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Psicologia) - Universidade Veiga de Almeida (Cabo Frio).

Ligia Claudia Gomes de Souza

SOUZA, Ligia Claudia Gomes de. Punição, justiça ou vigança. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Psicologia) - Universidade Veiga de Almeida.

Francisco Teixeira Portugal

Carneiro, C.;PORTUGAL, F. T.; COUTINHO, L. G.. Do velho ao novo mais educação: reflexões sobre a infância na proposta de jornada estendida. 2019. Exame de qualificação (Mestrando em Psicologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Andréia Ribeiro Cardoso

Punição, justiça ou vingança; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Psicologia) - Universidade Veiga de Almeida; Orientador: Andréia Ribeiro Cardoso;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • TEIXEIRA, L. S. . A EDUCAÇÃO INTEGRAL COMO CAMPO DE SUBJETIVAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: UMA INVESTIGAÇÃO PSICANALÍTICA. In: Coloquio Anísio Teixeira, 2018, RIO DE JANEIRO. Coloquio Anísio Teixeira, 2018.

  • TEIXEIRA, L. S. . A EDUCAÇÃO INTEGRAL COMO CAMPO DE SUBJETIVAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: UMA PROPOSTA INCLUSIVA. In: 1º Congresso de Educação Física escolar na perspectiva inclusiva, organizado pelo LEPIDEFE, 2018, RIO DE JANEIRO. 1º Congresso de Educação Física escolar na perspectiva inclusiva, 2018.

  • TEIXEIRA, L. S. . A POLÍTICA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL NO BRASIL: UMA INTERVENÇÃO NOS MODOS DE SUBJETIVAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES. In: V Seminário Discente do PPGE-UFF, 2018, RIO DE JANEIRO. V Seminário Discente do PPGE-UFF ?, 2018.

  • TEIXEIRA, L. S. . A EDUCAÇÃO INTEGRAL COMO CAMPO DE SUBJETIVAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES. In: 9ª Semana de Integração Acadêmica da UFRJ / SIAC, 2018, RIO DE JANEIRO. Caderno de Resumos: Centro de Filosofia e Ciências Humanas, 2018.

  • TEIXEIRA, L. S. . MAL-ESTAR DOCENTE: UMA PROPOSTA INTERVENTIVA. 2018. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • TEIXEIRA, L. S. . Criminalidade na Juventude. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2018 - Atual

    Infância, adolescência e mal-estar na escolarização: estudo de casos em psicanálise e educação, Descrição: Este projeto se constitui a partir de uma parceria entre o NIPIAC (Núcleo Interdisciplinar de Estudo e Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas), as Faculdades de Educação da UFRJ e da UFF e o Instituto de Psiquiatria da UFRJ, mais especificamente o SPIA, Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência. Visa refletir sobre o mal-estar na escolarização de crianças e adolescentes através de uma perspectiva interdisciplinar a partir da metodologia do estudo de caso aliada à pesquisa-intervenção.Objetiva-se aprofundar os vários discursos que se entrecruzam na produção das queixas de dificuldade de aprendizagem e agitação, a saber: a escola, a família, a criança/adolescente, os profissionais que a atendem. Mais específicamente temos o mal-estar como objeto de pesquisa, analisado a partir destes quatro eixos. Em vez de uma criança/adolescente fragmentada entre os especialismos, buscou-se uma integração das ações e reflexões dos diferentes profissionais envolvidos bem como, necessariamente, a participação da própria criança/adolescente e família no processo. Neste sentido o estudo de casos se articula à pesquisa intervenção inserida no modelo qualitativo nos termos propostos por Gaskell e Bauer (2002), concentrando-se na relação sujeito / objeto que parte do observador, dentro de um contexto, e pergunta como os acontecimentos se relacionam às pessoas que os experienciam. Trata-se, ainda, de uma pesquisa inserida no paradigma de construção de subjetividades. A pesquisa de construção de subjetividades se volta para o processo, para os modos de subjetivação, e não para o sujeito em si, como se este fosse já dado ou constituído. Os encontros com crianças/adolescentes, família e escola situaram-se dentro de um modelo de pesquisa-intervenção, no qual se pretendeu ao mesmo tempo investigar e viabilizar a construção de um espaço de fala e intercâmbio entre eles e os pesquisadores. A pesquisa buscou, ainda, ainda, como inspiração teórica uma abordagem clínica sustentada pelos pressupostos da psicanálise, utilizados fora de seu dispositivo de intervenção tradicional (Castro, 2008). No atual momento, o campo foi finalizado e o grupo encontra-se no período de análise... , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Lívia Silva Teixeira - Integrante / CRISTIANA CARNEIRO - Coordenador.

  • 2018 - Atual

    Corpo pulsional posto à prova pela escola: retratos sobre a medicalização do mal estar, Descrição: O intuito central é partir dos principais pontos de mal-estar na escolarização de crianças e adolescentes hoje, construindo um retrato deste mal-estar para, em seguida, aprofundar o conceito de corpo a partir da distinção entre corpo orgânico e corpo pulsional, ouvindo professores brasileiros e franceses quanto ao seu manejo diante dos alunos ditos ?difíceis? inquietos/desatentos. Em sua concepção do corpo, Freud se afasta do domínio da biologia e coloca as manifestações somáticas na esfera intrapsíquica (ASSOUN, 1997). No entanto, no contemporâneo, a crescente tendência à medicalização dos fenômenos educativos parece estar endossando o domínio biológico como aquele responsável pelo mal-estar. Visa investigar teoricamente na literatura psicanalítica a relação entre mal-estar e os conceitos de corpo e subjetivação para a compreensão dos ditos casos problema (agitados, inquietos e desatentos), muitas vezes encaminhados à saúde mental, discutindo as situações intersubjetivas contemporâneas que poderiam estar endossando a compreensão do mal-estar na escolarização de crianças/adolescentes como indícios de patologias.A aliança infância-escola continua fortemente articulada no contemporâneo, desenhando uma espécie de perfil de aluno que se interrelaciona fortemente com o que esperamos deles nas diferentes idades. A questão é que as duas últimas décadas do século XX assistiram a um incremento significativo de encaminhamentos da escola à saúde mental, o que vem crescendo ainda mais nesta segunda década do século XXI no Brasil (BOARINI & BORGES,1998; COLLARES, 2013; CARNEIRO & COUTINHO, 2015). Por que a escola vem encaminhando tantas crianças à saúde mental nas últimas décadas? Estaríamos assistindo a um aumento alarmante de patologias na infância e adolescência, ou estaríamos interpretando uma nova forma de ser no contemporâneo (diante da qual ainda pouco sabemos) como doença? Indo nesta direção, temos como temática o mal-estar na escolarização que se presentifica através do ?corpo inquieto e desatento? e questionamos se as diferentes formas dos educadores compreenderem o corpo poderiam ter impactos sobre o mal-estar.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Lívia Silva Teixeira - Integrante / CRISTIANA CARNEIRO - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2018 - Atual

    Universidade Federal do Rio de Janeiro

    Vínculo: , Enquadramento Funcional:

  • 2013 - 2016

    PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO

    Vínculo: Voluntário, Enquadramento Funcional: Monitor

    Outras informações:
    Atuação em monitoria nas oficinas de Orientação para os estudos e brinquedoteca.O Programa Novo Mais Educação, criado pela Portaria MEC nº 1.144/2016 e regido pela Resolução FNDE nº 5/2016, é uma estratégia do Ministério da Educação que tem como objetivo melhorar a aprendizagem em língua portuguesa e matemática no ensino fundamental, por meio da ampliação da jornada escolar de crianças e adolescentes.

  • 2014 - 2014

    Universidade Veiga de Almeida

    Vínculo: Voluntário, Enquadramento Funcional: Aluno Monitor, Carga horária: 30

    Outras informações:
    Monitoria relativa a disciplina de Movimento Psicanalítico.

  • 2014 - 2014

    Universidade Veiga de Almeida

    Vínculo: Voluntario, Enquadramento Funcional: Aluno Monitor, Carga horária: 30

    Outras informações:
    Monitoria relativa a disciplina de Psicologia e Profissão

  • 2015 - 2017

    ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES D MARIA JOAQUINA

    Vínculo: Voluntário, Enquadramento Funcional: Coordenadora de Projeto de Direitos Sociais, Carga horária: 24

    Outras informações:
    O projeto tem como proposta a ampliação das atividades da instituição através da realização de fóruns, palestras, cursos, workshops e atividades de grupo de geração de renda, contribuindo, através do seu conhecimento, com a manutenção da interdisciplinaridade com outros profissionais, de outros saberes que atravessam as práticas da Psicologia na área Social

  • 2016 - Atual

    Cruz Vermelha Brasileira-Cabo Frio

    Vínculo: Voluntário, Enquadramento Funcional: Responsável técnico., Carga horária: 20

    Outras informações:
    Responsável técnico pelo setor de desenvolvimento do projeto de Intervenção Psicológica. O Serviço de Atendimento psicológico (SAP) é baseado no atendimento clinico psicanalítico tradicional, sendo aberto à toda comunidade.

  • 2017 - 2018

    Centro de Referência de Assistência Social

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Coordenadora, Carga horária: 40