Camila Barbosa Sabino

Doutoranda da UNIFESP ( Universidade Federal de São Paulo), com Mestrado em Ética e Filosofia Política na Universidade Estadual Paulista (UNESP), Especialização em Globalização Justiça e Segurança Humana na Escola Superior do Ministério Publico da União ( ESMPU) e Especialização em Direito Civil e Processo Civil pela Universidade Estadual de Londrina(UEL). Graduada em Direito pela Fundação de Ensino ''Eurípedes Soares da Rocha'' (2005) e graduada em Filosofia pela Universidade Estadual Paulista ( UNESP) (2005).

Informações coletadas do Lattes em 14/05/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em andamento em Filosofia

2016 - Atual

Universidade Federal de São Paulo
Título: A presença da Teoria Política de Rousseau na 1ª. Declaração de Direitos do Homem e do Cidadão.,
Jacira de Freitas.

Mestrado em Filosofia

2012 - 2015

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Título: Lei Natural e Lei Civil J.J. Rousseau,Ano de Obtenção: 2015
Ricardo Monteagudo.Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Grande área: Ciências HumanasGrande Área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Filosofia Política. Grande Área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Filosofia do Direito. Setores de atividade: Educação.

Especialização em Globalização Justiça e Segurança Humana

2009 - 2012

Escola Superior do Ministério Público da União
Título: A Proteção de Crianças e Adolescentes Testemunhas em um Sistema de Justiça em construção
Orientador: Luiza de Marilac de Passos Pantoja

Especialização em Direito Civil e Processo Civil

2006 - 2007

Universidade Estadual de Londrina
Título: A Resposabilidade objetiva do Estado, face o art.133 do CPC ( responsabilidade subjetiva do Juiz)
Orientador: Roberto Wagner Marquesi
Bolsista do(a): INSTITUTO DE TECNOLOGIA. E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. E SOCIAL, ITEDES, Brasil.

Graduação em Filosofia

2001 - 2005

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Título: O Problema da Identidade Pessoal e a Noção de Sujeito
Orientador: Carmen Beatriz Milidoni
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Graduação em Direito

2000 - 2005

Fundação de Ensino ''Eurípedes Soares da Rocha''
Título: A concepção de Estado de Jean J. Rousseau
Orientador: José Carlos Poker

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2007 - 2008

Extensão universitária em Direito e LegislaçãoAplicada ao Terceiro Setor. (Carga horária: 24h). , Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC/SP, Brasil.

2007 - 2008

Introdução a Gestão do Terceiro Setor. (Carga horária: 50h). , Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC/SP, Brasil.

2007 - 2007

Extensão universitária em Curso Preparatório para Concursos. , Curso Preparatório para Concursos -Marcato, CPC -MARCATO, Brasil.

2006 - 2006

Curso preparatório para primeira Fase da OAB. , Curso preparatório para Concursos- Marcato, CPC- MARCATO, Brasil.

2006 - 2006

Segunda Fase Exame da OAB. , PROORDEM, PROORDEM, Brasil.

2005 - 2005

Curso Preparatório para Primeira fase da OAB. , PROORDEM, PROORDEM, Brasil.

2001 - 2005

Francês. , Cultura Francesa, CF, Brasil.

2000 - 2001

Informática. (Carga horária: 100h). , Centro de Treinamento a Informática, CTI, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Francês

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia.

    Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Direito.

    Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Direito / Subárea: Direito Tributário/Especialidade: Metodologia do Trabalho Científico.

    Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Direito / Subárea: Direito Tributário/Especialidade: Introdução ao Estudo do Direito.

    Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Direito / Subárea: Direito Privado/Especialidade: Direito Civil.

    Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Direito / Subárea: Direito Público/Especialidade: Direito Administrativo.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

ANPOF. Direito e Lei Natural em Rousseau. 2014. (Congresso).

Seminário Maquiavel - 500 Anos de O Príncipe (1513-2013). 2013. (Seminário).

VI Colóquio Rousseau. 2013. (Outra).

VII Encontro de Pós Graduação em Filosofia da Unesp.A concepção de Lei em Rousseau. 2013. (Encontro).

Colóquio Interncional Rousseau 300 anos.A concepção de Lei em Rousseau. 2012. (Outra).

Minicurso EDUCAÇÃO, DIREITOS HUMANOS E ADOLESCÊNCIA, no VII Seminário de Direitos Humanos no Século XXI.-. 2012. (Seminário).

VII COLÓQUIO KANT DE MARÍLIA - KANT E ROUSSEAU. 2012. (Outra).

VII Seminário de Direitos Humanos no Século XXI.A proteção de crianças e adolescentes testemunhas em um sistema jurídico-legal em construção. 2012. (Seminário).

A Representação do Negro na Política Brasileira. 2004. (Outra).

Congresso Nacional de Direito Alternativo de Franca. 2004. (Congresso).

I Colóquio de História da Filosofia - Bicentenário da Morte de Kant. 2004. (Outra).

I Encontro Científico na Graduação em Filosofia. 2004. (Encontro).

I Jornada de Estudos da Justiça Federal do Centro - Oeste Paulista. 2004. (Outra).

I Simpósio de Direito '' os novos horizonte das garantias fundamentais no Direito brasileiro''. 2004. (Simpósio).

IV Seminário do Trabalho: perspectivas do trabalho no século XXI. 2004. (Seminário).

XXII Ciclo de Estudos Jurídicos. 2004. (Outra).

Colóquio Adorno -100 anos. 2003. (Outra).

V Encontro Brasileiro Internacional de Ciência Cognitiva.O Problema da Identidade Pessoal e a Noção de Sujeito. 2003. (Encontro).

X Jornada de Iniciação Científica do Câmpus de Marília.O Problema da Identidade Pessoal e Noção de Sujeito. 2003. (Outra).

XV Congresso de Inciação Cinetífica da Unesp.COMUNICAÇÃO ORAL E ESCRITA do XV Congresso de Inciação Cinetífica da Unesp. 2003. (Oficina).

XV Congresso de Iniciação Científica da Unesp. o Problema da Identidade Pessoal e a Noção de Sujeito. 2003. (Congresso).

XXVII Jornada de Filosofia e Teoria das Ciências Humanas - História da Filosofia antiga e medieval. 2003. (Outra).

Colóquio Michel Debrun. 2002. (Simpósio).

III Seminário de Direitos Humanos. 2002. (Oficina).

III Seminário de Direitos Humanos no Século XXI. 2002. (Seminário).

Seminário 80 Anos de Movimento Comunista no Brasil. 2002. (Seminário).

VIII Jornada de Iniciação Científica do Campus de Marília. 2001. (Oficina).

XXV Jornada de Filosofia e Teoria das Ciências Humanas - Colóquio Internacional histórias e Historiografia da Filosofia. 2001. (Outra).

''10 anos de Eleições Diretas. 2000. (Encontro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Pedro Henrique Facioli

PORTICH, A. M.; Monteagudo, R.;SABINO, C. B.. Poética e retórica como filosofia nos romances do Marquês de Sade. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Filosofia) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Aluno: Debora Aparecisa Vicente e Kelly Cristina Nunes Fraquetto

MAZETO, M. V.;SABINO, C. B.. A nova proposta Legal para as questões da dependência química com vistas na política social. 2007 - Universidade de Marília.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

José Geraldo Alberto Bertoncini Poker

POKER, J. G. A. B.. A concepção de Estado em Jean-Jacques Rousseau. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Direito) - Centro Universitário Euripedes de Marília.

José Benedito de Almeida Júnior

ALMEIDA JÚNIOR, J. B.; MONTEAGUDO, R.. Lei natural em Rousseau. 2013. Exame de qualificação (Mestrando em Filosofia) - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA.

José Ribeiro Leite

LEITE, J. R.. A concepção do Esstado em Jean-Jacques Rousseau. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Direito) - Fundação de Ensino Eurípides Soares da Rocha Mant. Centro Univ. UNIVEM.

Ricardo Monteagudo

MONTEAGUDO, R.; REIS, C. A.; Freitas, J.. Lei natural e lei civil em Rousseau. 2015. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Estadual Paulista.

Ricardo Monteagudo

MONTEAGUDO, R.; Freitas, J.; ALMEIDA JUNIOR, J. B.. Lei natural em Rousseau. 2013. Exame de qualificação (Mestrando em Filosofia) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

HUMBERTO TENÓRIO GOMES

GOMES, H. T.; LEITE, J. R.; POKER, J. G. A. B.. A Concepção de Estado em Jean Jacques Rousseau. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Direito) - Fundação de Ensino Eurípides Soares da Rocha.

Claudio Araujo Reis

MONTEAGUDO, R.; FREITAS, J.;REIS, C. A.. Lei natural e lei civil em Rousseau. 2015. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Jacira de Freitas

FREITAS, J. deMONTEAGUDO, R.; REIS, C.. Lei natural e lei civil em Rousseau. 2015. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - UNESP - Marília.

Jacira de Freitas

FREITAS, J. deMONTEAGUDO, R.; Almeida Jr. J. B.. Lei natural em Rousseau. 2013. Exame de qualificação (Mestrando em Filosofia) - UNESP - Marília.

João Luiz Martins Esteves

ESTEVES, João Luiz M.. Responsabilidade Objetiva do Estado e a Problemática em torno do Artigo 133 do Código de Processo Civil (A Responsabilidade Subjetiva do Juiz). 2007. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Direito Civil e Processo Civil) - Universidade Estadual de Londrina.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Orientou

Ricardo Monteagudo

Lei Natural e Lei Civil J; J; Rousseau; 2015; Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Camila Barbosa Sabino;

Luiza de Marilac

A proteção de crianças e adolescentes testemunhas em um sistema jurídico-legal em construção; 2010; Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em Globalização Justiça e Segurança Humana) - Escola Superior do Ministério Público da União; Orientador: Camila Barbosa Sabino;

Roberto Wagner Marquesi

A Responsabilidade objetiva do Estado, face o art; 133 do CPC (responsabilidade subjetiva do Juiz); 2008; Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em Direito Civil e Processo Civil) - Universidade Estadual de Londrina; Orientador: Camila Barbosa Sabino;

José Geraldo Poker

A Concepção de Estado em J; J; Rousseau; 2004; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Direito) - Fundação de Ensino ''Eurípedes Soares da Rocha''; Orientador: Camila Barbosa Sabino;

Carmen Beatriz Milidoni

O Problema da Identidade Pessoal e a Noção de Sujeito; 2004; Iniciação Científica; (Graduando em Filosofia) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Camila Barbosa Sabino;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Ricardo Monteagudo

A concepção de lei em Rousseau; 2015; Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Estadual Paulista, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Ricardo Monteagudo;

Roberto Wagner Marquesi

Responsabilidade Objetiva do estado em face da Problemática em torno do Art; 133 do Código de Processo Civil; 2008; Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em Especialização em Direito Civil e Processo Civil) - Universidade Estadual de Londrina; Orientador: Roberto Wagner Marquesi;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • SABINO, C. B. . Direito e Lei Natural em Rousseau. In: ANPOF, 2014, Campos do Jordão. XVI ENCONTRO NACIONAL ANPOF, 2014.

  • SABINO, C. B. . A concepção de Lei em Rousseau. In: VII Encontro de Pós Graduação em Filosofia da Unesp, 2013, Marília. VII Encontro de Pós Graduação em Filosofia da Unesp., 2013.

  • SABINO, C. B. . A proteção de crianças e adolescentes testemunhas em um sistema jurídico-legal em construção. In: VII Seminário de Direitos Humanos no Século XXI, 2012, Marília. A proteção de crianças e adolescentes testemunhas em um sistema jurídico-legal em construção, 2012.

  • SABINO, C. B. . A concepção de Lei em Rousseau. In: Colóquio Interncional Rousseau 300 anos, 2012, São Paulo. Colóquio Internacional Rousseau, 2012.

  • SABINO, C. B. . O Problema da Identidade Pessoal e a Noção de Sujeito. In: V Encontro Brasileiro Internacional de Ciência Cognitiva, 2003, São Vicente. Caderno de Resumo do ''V Encontro Brasileiro Internacional de Ciência Cognitiva/V EBICC 2003'', 2003. p. 42-42.

  • SABINO, C. B. . O Probema da Identidade Pessoal e a Noção de Sujeito. In: X JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CÂMPUS DE MARÍLIA, 2003, Marília. Caderno de resumo da ''X JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CÂMPUS DE MARÍLIA''. Marilia, 2003. p. 58-58.

  • SABINO, C. B. . O Problema da Identidade Pessoal e a Noção de Sujeito. In: XV Congresso de Inciciação Ciêntífica da Unesp, 2003, Marília -sp. CR -ROM DO XV CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIÊNTÍFICA, 2003.

  • SABINO, C. B. . O Problema da Identidae Pessoal e a Noção de Sujeito. In: X Jornada de Iniciação Científica do Câmpus de Marília, 2003, Marilia. Resumo , X Jornada de Iniciação Científica do Câmpus de Marília, 2003.

  • SABINO, C. B. . O Problema da Identidade pessoal e a Noção de Sujeito. In: XV Congresso de Iniciação Científica da Unesp, 2003. Caderno de resumo da ''X JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CÂMPUS DE MARÍLIA''. Marilia, 2003. p. 58-58., 2003.

  • SABINO, C. B. . O Problema da Identidade Pessoal e Noção de sujeito. In: XV Congresso de Inciação Cinetífica da Unesp, 2003. XV Congresso de Inciação Cinetífica da Unesp, 2003.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

SABINO, C. B. . IX Encontro de Pesquisa na Graduação em Filosofia da UNESP. 2014. (Programa de rádio ou TV/Mesa redonda).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2012 - 2015

    Lei Natural e Lei Civil J.J. Rousseau, Descrição: O objetivo da pesquisa é compreender o conceito de Lei Natural e Lei Civil na obra de Rousseau e analisar a possibilidade de uma relação entre estes dois conceitos e formação de uma concepção única de Lei. Porém, constatou-se que existe uma interseção e uma interdependência entre conceitos de Lei Natural e Lei Civil construído dentro de uma linearidade que se inicia no plano hipotético do Segundo Discurso e se concretiza no plano histórico do Contrato Social, mas não há possibilidade de formar um único conceito de Lei. Ou seja, a Lei Natural emerge no estado de natureza e pode ser definida como conjunto de princípios naturais compartilhados entre o homem e a natureza, dentre eles: amor de si, piedade e princípios naturais que distinguem os humanos e dos outros seres, a saber: liberdade e perfectibilidade. Tais princípios impulsionaram o homem, naturalmente solitário e sem noções de moralidade, a perfazer modificações em sua relação com a natureza no sentido de melhorar as condições de sobrevivência e gradativamente intensificar suas interações sociais, situação que, apesar de ter trazido ampliação consciência de si e do outro e amadurecimento moral, acentuou a progressão da desigualdade que culminou num ?estado de guerra? que é finalizado com o pacto social ou pacto dos ricos. Este institui ?justiça? e o ?direito?, através de uma proposta de uma igualdade jurídica, que pode ser considerada uma expressão de maturação dos cidadãos na concepção Lei. Porque esta, que até então, era um conjunto principiológico sem exigibilidade, passa, a partir do estabelecimento do contrato a ter força coercitiva que dará, diferentemente do pacto que é ato primitivo de natureza contratual, movimento e vontade ao corpo político. E nesse movimento legislativo os súditos devem primeiramente, se observar enquanto partícipes da autoridade soberana através do entendimento que pressupõe a sua própria consciência submissa à razão individual e coletiva. Consciência esta que faz do homem o senhor verdadeiro de si, pois a obediência à lei civil prescrita é sua própria liberdade, pois ele que a elaborou. Em um segundo momento, já na construção da vontade - denominada vontade geral padrão- os súditos devem entender, que matéria sobre a qual se delibera é absolutamente geral; que todos os cidadãos participam do processo de tomada de decisão; que cada indivíduo manifesta sua opinião sobre a conformidade ou não da proposta ao interesse comum. Após a demarcação destas etapas e a posterior manifestação da vontade através do sufrágio ? vontade geral decisão- é que as Leis Civis se tornarão expressão legítima da vontade geral.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Camila Barbosa Sabino - Coordenador / Ricardo Monteagudo - Integrante.Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.

  • 2002 - 2004

    O Problema da Identidade Pessoal e a Noção de Sujeito, Descrição: O Trabalho tem como objeto de análise a natureza dos estados mentais, em Searle, filósofo da mente dos dias atuais, e em Freud, teórico da psicanálise. Consistirá ainda, na interpretação e comentário crítico das obras desses pensadores. S. Freud acredita que existem tanto estados mentais conscientes como inconscientes. E para provar tal teoria, o autor utiliza como instrumento a interpretação dos sonhos, porque estes, para ele, se remetem imediatamente aos desejos, medos e repressões do ser humano no seu nível inconsciente. Tendo em vista que a vigília impede de um modo geral a passagem para a consciência tais desejos, e ao se exteriorizarem, e transformarem -se em conteúdo manifesto libertam o indivíduo de seus complexos angustias e medos. Este processo é chamado de ''elaboração onírica'' e só é possível quando se trabalha com uma Intencionalidade inconsciente que requer um desvendamento. John Searle, em uma tentativa de naturalizar a consciência define a Intecionalidade como a '' propriedade de muitos estados e eventos mentais pela qual estão dirigidos para ou acerca de objetos e estados das coisas do mundo '' ,ou seja são estados direcionados a coisas ou a acontecimentos que percebemos e pensamos. Para o autor a Intencionalidade está destituída de qualquer pressuposto metafísico, ou de algum elemento obscuro, pois que para ele não existem estados mentais inconscientes, e se existem estes estão subordinados a processos neurofisiológicos. Em outros termos, para Searle inexiste inconsciente em termos psíquicos como existe em Freud, mas sim somente o que ele chama de pré - consciente.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Camila Barbosa Sabino - Coordenador.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 10 / Número de orientações: 1

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de desenvolvimento

  • 2002 - 2004

    A Concepção de Estado no Contrato Social de J. J. Rousseau, Descrição: Este trabalho, é uma investigação de cunho filosófico - conceitual, que tem o objetivo de fazer uma análise do modo como se constrói a complexidade da concepção de Estado do renomado filósofo Jean Jacques Rousseau. Este, que, além de ser um dos mais considerados pensadores europeus no século XVIII, trouxe um novo aparato, político, moral, e ético que inspirou reformas na sociedade de sua época, e que na atualidade ainda se encontra inovador, pois, estabelece um sistema com princípios e bases diferentes, das regras constituídas pelo Estado atual. A doutrina clássica, sempre se preocupou com os limites do poder, e este, é geralmente apresentado como as relações entre o Direito e o Estado. E esse Estado, tem sido definido entre três elementos: o povo, o território e a soberania, nas palavras de Kelsen : o Estado é um ordenamento jurídico destinado a exercer o poder soberano em um dado território , ao qual estão necessesáriamente subordinados os sujeitos a ele pertencentes (Morati,1969, p. 23) Dentro dessa trilogia é que deverá ser focado o objeto da pesquisa, que se dará em quatro momentos, divido nos quatro livros do Contrato Social. No primeiro momento, declarando os pressupostos iniciais a Teoria Política de Rousseau, mostrando que a sociedade civil não provém da natureza humana, nem das convenções sobre qual geralmente ela se funda como, na família, na força, na escravidão, sendo relatadas também, as condições de um possível Contrato Social.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Camila Barbosa Sabino - Coordenador., Número de orientações: 1

  • 2002 - 2004

    A Concepção de Estado no Contrato Social de J. J. Rousseau, Descrição: Este trabalho, é uma investigação de cunho filosófico - conceitual, que tem o objetivo de fazer uma análise do modo como se constrói a complexidade da concepção de Estado do renomado filósofo Jean ? Jacques Rousseau. Este, que, além de ser um dos mais considerados pensadores europeus no século XVIII, trouxe um novo aparato, político, moral, e ético que inspirou reformas na sociedade de sua época, e que na atualidade ainda se encontra inovador, pois, estabelece um sistema com princípios e bases diferentes, das regras constituídas pelo Estado atual. A doutrina clássica, sempre se preocupou com os limites do poder, e este, é geralmente apresentado como as relações entre o Direito e o Estado. E esse Estado, tem sido definido entre três elementos: o povo, o território e a soberania, nas palavras de Kelsen : ?? o Estado é um ordenamento jurídico destinado a exercer o poder soberano em um dado território , ao qual estão necessesáriamente subordinados os sujeitos a ele pertencentes ??(Morati,1969, p. 23) Dentro dessa trilogia é que deverá ser focado o objeto da pesquisa, que se dará em quatro momentos, divido nos quatro livros do Contrato Social. No primeiro momento, declarando os pressupostos iniciais a Teoria Política de Rousseau, mostrando que a sociedade civil não provém da natureza humana, nem das convenções sobre qual geralmente ela se funda como, na família, na força, na escravidão, sendo relatadas também, as condições de um possível Contrato Social.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Camila Barbosa Sabino - Coordenador., Número de orientações: 1

  • 2002 - 2004

    A Concepção de Estado no Contrato Social de J. J. Rousseau, Descrição: Este trabalho, é uma investigação de cunho filosófico - conceitual, que tem o objetivo de fazer uma análise do modo como se constrói a complexidade da concepção de Estado do renomado filósofo Jean ? Jacques Rousseau. Este, que, além de ser um dos mais considerados pensadores europeus no século XVIII, trouxe um novo aparato, político, moral, e ético que inspirou reformas na sociedade de sua época, e que na atualidade ainda se encontra inovador, pois, estabelece um sistema com princípios e bases diferentes, das regras constituídas pelo Estado atual. A doutrina clássica, sempre se preocupou com os limites do poder, e este, é geralmente apresentado como as relações entre o Direito e o Estado. E esse Estado, tem sido definido entre três elementos: o povo, o território e a soberania, nas palavras de Kelsen : ?? o Estado é um ordenamento jurídico destinado a exercer o poder soberano em um dado território , ao qual estão necessesáriamente subordinados os sujeitos a ele pertencentes ??(Morati,1969, p. 23) Dentro dessa trilogia é que deverá ser focado o objeto da pesquisa, que se dará em quatro momentos, divido nos quatro livros do Contrato Social. No primeiro momento, declarando os pressupostos iniciais a Teoria Política de Rousseau, mostrando que a sociedade civil não provém da natureza humana, nem das convenções sobre qual geralmente ela se funda como, na família, na força, na escravidão, sendo relatadas também, as condições de um possível Contrato Social.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Camila Barbosa Sabino - Coordenador., Número de orientações: 1

  • 2002 - 2004

    A Concepção de Estado no Contrato Social de J. J. Rousseau, Descrição: Este trabalho, é uma investigação de cunho filosófico - conceitual, que tem o objetivo de fazer uma análise do modo como se constrói a complexidade da concepção de Estado do renomado filósofo Jean ? Jacques Rousseau. Este, que, além de ser um dos mais considerados pensadores europeus no século XVIII, trouxe um novo aparato, político, moral, e ético que inspirou reformas na sociedade de sua época, e que na atualidade ainda se encontra inovador, pois, estabelece um sistema com princípios e bases diferentes, das regras constituídas pelo Estado atual. A doutrina clássica, sempre se preocupou com os limites do poder, e este, é geralmente apresentado como as relações entre o Direito e o Estado. E esse Estado, tem sido definido entre três elementos: o povo, o território e a soberania, nas palavras de Kelsen : ?? o Estado é um ordenamento jurídico destinado a exercer o poder soberano em um dado território , ao qual estão necessesáriamente subordinados os sujeitos a ele pertencentes ??(Morati,1969, p. 23) Dentro dessa trilogia é que deverá ser focado o objeto da pesquisa, que se dará em quatro momentos, divido nos quatro livros do Contrato Social. No primeiro momento, declarando os pressupostos iniciais a Teoria Política de Rousseau, mostrando que a sociedade civil não provém da natureza humana, nem das convenções sobre qual geralmente ela se funda como, na família, na força, na escravidão, sendo relatadas também, as condições de um possível Contrato Social.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Camila Barbosa Sabino - Coordenador.Número de orientações: 1

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2016 - Atual

    Escritorio de Advocacia

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Aluna Doutorado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2012 - 2014

    Escritorio de Advocacia

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Aluna Mestrado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2005 - 2012

    Escritorio de Advocacia

    Vínculo: Autonoma, Enquadramento Funcional: Advogada, Carga horária: 30

    Outras informações:
    Resumo das atividades desempenhadas: Acompanhamento de processos e elaboração de peças processuais referentes à área cível, tais como: Ação Monitória, Ação de Busca e Apreensão, elaboração recursos (Apelação, Agravo de Instrumento, Recurso Especial); acompanhamento em ações referentes à Direito de Família e Sucessão: Ação de Alimentos, Execução de Alimentos, Ação de Divórcio; Consultoria na área criminal: acompanhamento jurídico de processos de Injúria Racial;

    Atividades

    • 01/2005

      Serviços técnicos especializados , Escritório de Advocacia, .,Serviço realizado, Atuação Profissional nas seguintes áreas:1º Direito Contratual, 2º Direitos Reais, 3º Direito de Família , 4º Direito do Consumidor.

  • 2013 - 2013

    Escola Estadual Dona Vitu Giorgi

    Vínculo: Temporário, Enquadramento Funcional: Professora, Carga horária: 4

    Outras informações:
    Ministrar aulas de Filosofia e Sociologia (1o.,2o.,3o. ano do Ensino Médio) orientar a aprendizagem do aluno, elaborando programas, planos de curso e de aula no que for de sua competência. Avaliar o desempenho dos alunos a partir de notas atribuídas nos prazos fixados. Executar outras atividades compatíveis com o cargo.

  • 2013 - 2013

    Escola Estadual Antonio de Baptista

    Vínculo: Temporário, Enquadramento Funcional: Professora, Carga horária: 12

    Outras informações:
    Ministrar aulas de História ( 7a série- 8o. ano) e orientar a aprendizagem do aluno, elaborando programas, planos de curso e de aula no que for de sua competência. Avaliar o desempenho dos alunos a partir de notas atribuídas nos prazos fixados. Executar outras atividades compatíveis com o cargo.

  • 2012 - 2012

    Escola Estadual Profa Norma Mônaco Truzzi

    Vínculo: Temporário, Enquadramento Funcional: Professora, Carga horária: 14

    Outras informações:
    Ministrar aulas de História ( 7a série- 8o. ano) e Sociologia (1,2,3 ano do Ensino Médio) orientar a aprendizagem do aluno, elaborando programas, planos de curso e de aula no que for de sua competência. Avaliar o desempenho dos alunos a partir de notas atribuídas nos prazos fixados. Executar outras atividades compatíveis com o cargo.

  • 2008 - 2010

    Agência para o desenvolvimento Humano através da Cultura -Valor Cultural

    Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Advogada, Carga horária: 44

    Outras informações:
    Resumo das atividades desempenhadas como Advogada: Analisar a situação jurídica do adolescente tomando as medidas cabíveis no que diz respeito aos aspectos inerentes à proteção; orientar o protegido no que se refere a sua situação processual; acompanhar o protegido (vítimas [exploração sexual, abuso sexual, pedofilia], testemunha, adolescente em conflito com a lei) e os familiares em oitivas e audiências junto as Instituições competentes; solicitar transferência do cumprimento de medida sócioeducativa em meio aberto para o local de proteção; esclarecer os familiares ou pessoas responsáveis sobre a sua situação jurídica, bem como a situação jurídica do protegido; orientar e/ou encaminhar para a Defensoria Pública e /ou outros órgãos competentes; Monitorar os processos de responsabilização; elaborar relatório de acompanhamento individual e junto aos demais integrantes da equipe Técnica, participar da elaboração de relatórios multidisciplinares; acompanhar sistematicamente as demandas jurídicas dos usuários que requeiram encaminhamentos. Título na Classificação Brasileira de Ocupações:2410-05 Período: março de 2008 até abril de 2010;

  • 2012 - 2015

    Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2002 - 2005

    Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

    Vínculo: Pesquisa e Desenvolvimento, Enquadramento Funcional: Pesquisa e Desenvolvimento, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.

    Atividades

    • 05/2002 - 06/2004

      Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília, .,Linhas de pesquisa

  • 2002 - 2004

    Fundação de Ensino Eurípedes Soares da Rocha

    Vínculo: aluno, Enquadramento Funcional: aluno