Bantu Mendonça Katchipwi Sayla

Graduado em FILOSOFIA (1992 - 1995) e em Teologia (1995 - 1999) Instituto Superior de Benguela - Angola; Graduado em RÁDIO E TV - Faculdades Integradas Teresa D'Avila (2009) e graduação; Possui a especialização em Psicopedagogia e Psicomotricidade - Universidade Salesiana SP ( 2009); Psicanalista Clínico (2012-2014) pelo Instituto de Educação Brasileira SP; Mestre em Ciências de Educação ( 2010 - 2012 ), UNISUL Tubarão SC. Doutorando em Psicologia na Universidad del Ciencias Empresariales y Sociales em Buenos Aires - Argentina. Doutorando em Ciências da Comunicação na UNISINOS (Campus de São Leopoldo, RS) Atua nas seguintes áreas: Religião, Psicologia, Comunicação, Educação e Sociologia.

Informações coletadas do Lattes em 21/06/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em Ciências da Educação

2010 - 2012

Universidade do Sul de Santa Catarina
Título: Reflexões Pedagógicas: O Diálogo e o Afeto enquanto Motriz Pedagógico,Ano de Obtenção: 2012
Christian Muleka Mwewa.Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina, FAPESC, Brasil. Palavras-chave: Relação-professor-aluno, diálogo, afetividade.Grande área: Ciências HumanasSetores de atividade: Educação.

Especialização em PSICOPEDAGOGIA PSICOMOTRICIDADE

2008 - 2009

UNISAL - LORENA
Título: O DIÁLOGO E AFETO COMO MATRIZ PEDAGÓGICO EM PAULO FREIRE
Orientador: Professora Dra. Antônia Cristina Peluso de Azevedo.

Graduação em RÁDIO E TV

2006 - 2009

Centro Universitário Teresa D`Ávila
Título: Discusrso Religioso no Meio de Comunicação de Massa: Rádio
Orientador: Profª Me. Neide Aparecida Arruda de Oliveira

Graduação em TEOLOGIA

1995 - 1999

SEMINÁRIO MAIOR DO BOM PASTOR - SECÇÃO DE TEOLOGIA
Título: A RELIGIÃO COMO FENÓMENO ANTROPOLÓGICO
Orientador: Pe. Dr. Geraldo Lopes

Graduação em FILOSOFIA

1992 - 1995

SEMINÁRIO MAIOR DO BOM PASTOR
Título: O TER E O SER EM GABRIEL MARCEL
Orientador: Pe. Dr. Bonefácio Tchimboto

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2011 - 2011

TOPICOS ESPECIAIS EM PRAGMATICA E TEORIA DE RELEVA. (Carga horária: 45h). , Universidade do Sul de Santa Catarina, UNISUL, Brasil.

2011 - 2011

TOPICOS ESPECIAIS DE PESQUISA E ENSINO EM ANÁLISE. (Carga horária: 45h). , Universidade do Sul de Santa Catarina, UNISUL, Brasil.

2011 - 2011

TEORIA LITERÁRIA. (Carga horária: 45h). , Universidade do Sul de Santa Catarina, UNISUL, Brasil.

2011 - 2011

ANÁLISE DO DISCURSO. (Carga horária: 45h). , Universidade do Sul de Santa Catarina, UNISUL, Brasil.

2010 - 2010

TEXTO E DISCURSO. (Carga horária: 45h). , Universidade do Sul de Santa Catarina, UNISUL, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Teologia.

    Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Comunicação.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Educação.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Ética.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Desenvolvimento Humano/Especialidade: Desenvolvimento Social e da Personalidade.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

II Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Sociais..Organização do Evento. 2018. (Seminário).

I SEMINÁRIO DISCENTE PPGCC UNISINOS.RELAÇÕES EMPÍRICAS DA PROBLEMÁTICA DA CIRCULAÇÃO DA AGRESSIVIDADE NA SOCIEDADE ANGOLANA EM VIAS DE MIDIATIZAÇÃO.. 2018. (Seminário).

Colóquio Semiótico das Mídias. MUTAÇÕES DO DISPOSITIVO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE CIRCULAÇÃO: O ?LARANJINHA?, UM ESTUDO DE CASO EM ANGOLA. 2017. (Congresso).

I Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Sociais.APROPRIAÇÃO E RE-SIGNIFICAÇÃO DOS CONTEÚDOS MIDIÁTICOS PELOS SUJEITOS À LUZ DA TEORIA DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS. 2016. (Seminário).

IV Seminário EDUCS - Educação Cultura e Sociedade - Equidade e Coesão Social no Ensino Superior..A Avaliação dos Futuros Professores de Filosofia de Filosogia: Uma Releitura de Theodoro W. Adorno. 2011. (Seminário).

VIII CongressoCientífico Latino Americano da FIEP.Infância e a formação continuada das professoras: estudo de caso no município de tubarão-sc. 2011. (Simpósio).

Corpo, Infância e formação de professores. 2010. (Seminário).

I INTERNATIONAL SEMINAR GUIDE ON VIRTUAL HIGHER EDUCACATION. 2010. (Seminário).

I Seminário de Violência, Educação e Saúde do Vale do Paraíba e I seminário Internacional de Direito. 2010. (Seminário).

Os referenciais teórico-metodológicos para o estudo de políticas públicas em Educação. 2010. (Outra).

Sistema de Educação na República do Cabo Verde / África. 2010. (Outra).

VI Encontro de Iniciação Científica e IV Mostra de Pós-Graduação.O Diálogo e o Afeto como Motriz Pedagógico. 2009. (Encontro).

V Encontro de Iniciação Científica e III Mostra de Pós-Graduação e II Seminário Interno PIBIC-CNPq.O Discurso Religioso nos Meios de Comunicação Social: Rádio. 2008. (Encontro).

27ª SECOM (Semana da Comunicação), UNITAU, SP, de 21- 24 de agosto de 2007. 2007. (Encontro).

Iº CONGRESSO INTEGRADO DO CONHECIMENTO ?Vida, Sociedade e Futuro? FATEA, de 28 a 31 de agosto de 2007. Vida, Sociedade e Futuro. 2007. (Congresso).

VII SIPAT. 2007. (Seminário).

Simpósio.As Competências do Professor. 2002. (Seminário).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Felipe Quintão de Almeida

SAYLA, Bantu Mendonça Katchipwi; MWEWA, M.; SILVA, Alex Sander; SIQUEIRA, André Boccassius;ALMEIDA, Felipe Quintao de. Reflexões pedagógicas: o diálogo e o afeto enquanto motriz pedagógico. 2012. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Educação) - Universidade do Sul de Santa Catarina.

André Boccasius Siqueira

MWEWA, C. M.; ALMEIDA, F.Q.; SILVA, A. S.;SIQUEIRA, A. B.. Reflexões Pedagógicas: o diálogo e o afeto enquanto motriz pedagógico. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Sul de Santa Catarina.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Neide Aparecida Arruda de Oliveira

Discurso Religioso no meio de comunicação de massa: rádio; 2009; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Rádio e TV) - Centro Universitário Teresa D`Ávila; Orientador: Neide Aparecida Arruda de Oliveira;

Pedro Gilberto Gomes

OS DISPOSITIVOS MIDIATICOS E A RECONSTRUÇÃO DA REALIDADE: A AGRESSIVIDADE EM ADOLESCENTES ESCOLARIZADOS; Início: 2017; Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos; (Orientador);

Christian Muleka Mwewa

Reflexões pedagógicas: o diálogo e o afeto como motriz pedagógico; 2012; Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Sul de Santa Catarina, Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina; Orientador: Christian Muleka Mwewa;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • SAYLA, B. M. K. . Análise crítica e descritiva do V Fórum Sobre a Criança Angolana. Revista de educação cultura e comunicação do Curso de Comunicação Social das Faculdades Integradas Teresa D'Ávila - Fatea , v. 3, p. 23-39, 2012.

  • SAYLA, B. M. K. ; CHRISTIAN MULEKA MWEWA . Fifth Forum 2011 on Angolan children: a perspective viewpoint. POIÉSIS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação (Unisul) , v. 4, p. 542-552, 2012.

  • SAYLA, B. M. K. . A Educação das crianças na sociedade imagética. Revista de educação cultura e comunicação do Curso de Comunicação Social das Faculdades Integradas Teresa D'Ávila - Fatea , v. 4, p. 61-70, 2012.

  • SAYLA, B. M. K. . A educação da sociedade tecnico-digitalizada. Revista de educação cultura e comunicação do Curso de Comunicação Social das Faculdades Integradas Teresa D'Ávila - Fatea , v. 2, p. 32-40, 2011.

  • SAYLA, B. M. K. ; CHRISTIAN MULEKA MWEWA ; Luciane Lara Acco . Infância e a formação continuada das professoras: estudos de caso do município de Tubarão-SC.. The FIEP Bulletin , v. 81, p. 004-182, 2011.

  • SAYLA, B. M. K. . O DIÁLOGO E O AFETO COMO MOTRIZ PEDAGÓGICO. 1. ed. Tubarão: Humaitá, 2014. v. 1. 170p .

  • SAYLA, B. M. K. ; OLIVEIRA, N. A. A. ; MOURA, J. J. R. ; PEREIRA, A. M. C. ; SOARES, A. C. S. R. ; SABINO, A. C. R. ; SISLVA, A. C. C. ; BURINI, D. ; MOREIRA, D. J. S. ; FARIAS, G. M. A. ; SILVA, H. A. P. ; TIRELLI, I. C. S. ; SANTOS, L. ; OLIVEIRA, M. A. ; DAVINI, M. ; PEREIRA, O. A. A. ; MARTINS, P. H. M. W. ; ARAUJO, S. M. L. C. . EDUCOMUNICAÇÃO: MULTIPLAS FORMAS DE APRENDIZAGEM. 1. ed. LORENA: INSTITUTO SANTA TERESA, 2014. v. 1. 200p .

  • SAYLA, P. B. M. K. ; SAYLA, B. M. K. . Semana Santa: Hosana ao Filho de Davi. A ESTRELA POLAR, Pirapora/MG, p. 5 - 6, 01 fev. 2010.

  • SAYLA, B. M. K. . Comunicação: Sob multiplos olhares. Discurso Religioso no Meio de Comunicação de Massa: Rádio, FATEA - Lorena, p. 24 - 46, 18 ago. 2009.

  • SAYLA, B. M. K. . Obediência como caminho para a santidade. Tela Nón, São Tomé e Príncipe., p. 23 - 45, 14 ago. 2005.

  • SAYLA, B. M. K. . A Fúria do Poder. Tela Nón, São Tomé e Príncipe., p. 29 - 50, 11 out. 2002.

  • SAYLA, B. M. K. . A Prostituição Como Flagelo. Tela Nón, São Tomé e Príncipe., p. 3 - 7, 11 fev. 2001.

  • SAYLA, B. M. K. . O Profetismo. Acácias em Flores, Benguela, p. 22 - 26, 20 nov. 2000.

  • SAYLA, B. M. K. . Angola: Um Futuro Nebuloso. Acácias em Flores, Benguela, p. 10 - 17, 16 jul. 2000.

  • SAYLA, B. M. K. . Consumir-se como Vela. Acácias em Flores, Benguela, p. 12 - 17, 12 jun. 1989.

  • SAYLA, B. M. K. . Viver é comunicar e comunicar é viver.. Caderno de Iniciação Científica, FATEA - Lorena.

  • SAYLA, B. M. K. . O Percurso Histórico da Comunicação. Caderno de Iniciação Científica, FATEA - Lorena.

  • SAYLA, B. M. K. . A Avaliação dos Futuros Professores de Filosofia de Filosogia: Uma Releitura de Theodoro W. Adorno. In: IV Seminário EDUCS- Educação Cultura e Sociedade - Equidade e Coesão Social no Ensino Superior ? 5/6 de Dezembro 2011, Universidade do Sul de Santa Catarina ? UNISUL, 2011, Tubarão. IV Seminário EDUCS- Educação Cultura e Sociedade - Equidade e Coesão Social no Ensino Superior. TUBARÃO: UNISUL, 2011. v. 1. p. 90-105.

  • SAYLA, B. M. K. . A EDUCAÇÃO DA SOCIEDADE TECNICODIGITALIZADA. In: I SEMINÁRIO DE VIOLÊNCIA, EDUCAÇÃO E SAÚDE DO VALE DO PARAÍBA E I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE DIREITO, 2010, LORENA. I SEVILES / I SEMIDI. LORENA: UNISAL, 2010. v. 1. p. 19-32.

  • SAYLA, B. M. K. . Circulação da problemática de agressividade em adolescentes na sociedade em midiatização. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • SAYLA, B. M. K. . INTERTECENDO O CONCEITO ADOLESCÊNCIA NA CIRCULAÇÃO MIDIÁTICA. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • SAYLA, B. M. K. . A ADOLESCÊNCIA E A RESIGNIFICAÇÃO DA AGRESSIVIDADE TELEVISIVA À LUZ DA TEORIA DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • SAYLA, B. M. K. . AS COMPETÊNCIAS E OS DESAFIOS DO PROFESSOR DAS SÉRIES INICIAIS. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • SAYLA, B. M. K. . A Avaliação dos Futuros Professores de Filosofia de Filosogia: Uma Releitura de Theodoro W. Adorno. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • SAYLA, B. M. K. . A EDUCAÇÃO DAS CRIANÇAS NA SOCIEDADE TÉCNICODIGITAL. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • SAYLA, B. M. K. . O Diálogo e o Afeto como Motriz Pedagógico. 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

Cristina ; SAYLA, B. M. K. . MAIS MULHER. 2011. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SAYLA, B. M. K. . PALAVRAS DA FÉ. 2011. (Programa de rádio ou TV/Outra).

SAYLA, B. M. K. . PALAVRAS DA FÉ. 2011. (Programa de rádio ou TV/Outra).

SAYLA, B. M. K. . PALAVRAS DA FÉ. 2011. (Programa de rádio ou TV/Outra).

SAYLA, B. M. K. . PALAVRAS DA FÉ. 2011. (Programa de rádio ou TV/Outra).

Reporter ; SAYLA, B. M. K. . Padre angolano fala da experiência de vida no Brasil. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SAYLA, B. M. K. . PALAVRAS DA FÉ. 2011.

SAYLA, B. M. K. . SINOS DA CATEDRAL. 2011.

SAYLA, P. B. M. K. ; SAYLA, B. M. K. . BENÇÃO DA FAMÍLIA. 2011.

SAYLA, P. B. M. K. ; SAYLA, B. M. K. . SINOS DA CATEDRAL. 2011.

SAYLA, P. B. M. K. ; SAYLA, B. M. K. . SINOS DA CATEDRAL. 2011.

SAYLA, B. M. K. ; SAYLA, P. B. M. K. . SINOS DA CATEDRAL. 2011.

SAYLA, B. M. K. ; SAYLA, P. B. M. K. . SINOS DA CATEDRAL. 2011.

SAYLA, B. M. K. ; SAYLA, P. B. M. K. . SINOS DA CATEDRAL. 2011.

SAYLA, B. M. K. ; SAYLA, P. B. M. K. . SINOS DA CATEDRAL. 2011.

SAYLA, B. M. K. ; SAYLA, P. B. M. K. . SINOS DA CATEDRAL. 2011.

SAYLA, B. M. K. ; SAYLA, P. B. M. K. . SINOS DA CATEDRAL. 2011.

SAYLA, B. M. K. ; SAYLA, P. B. M. K. . SINOS DA CATEDRAL. 2011.

SAYLA, B. M. K. ; SAYLA, P. B. M. K. . SINOS DA CATEDRAL. 2011.

SAYLA, P. B. M. K. ; SAYLA, B. M. K. . SINOS DA CATEDRAL. 2011.

SAYLA, B. M. K. . Visita do Papa Bento XVI. 2009.

SAYLA, B. M. K. . Tarde Especial. 2008.

SAYLA, B. M. K. . Dai-nos a benção. 2007.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2016 - Atual

    OS DISPOSITIVOS MIDIATICOS E A RECONSTRUÇÃO DA REALIDADE: A Circulação da Agressividade em adolescentes angolanos, Descrição: Abordar a problemática da adolescência e agressividade no contexto atual angolano exige repensar os sujeitos pós-modernos atravessados pela inovação tecnológica dos Meios de Comunicação de Massa (MCM). Pesquisadores recentes em Psicologia, Educação e Comunicação Social, são de opinião de que com o surgimento da Internet, que possibilita a formação de comunidades virtuais, o compartilhamento e a reprodução de informações instantaneamente, em rede e os dispositivos midiáticos (televisores-computadores-smartphones-tabletes), que oferecem a convergência midiática, portabilidade, edição e publicação de mensagens em qualquer lugar, os sujeitos atravessam zonas de interpenetração midiática global. Esta zona, converte os sujeitos em atores sociais, que pelo domínio tecnológico, participam ativamente dos processos de circulação dos conteúdos midiáticos. Os adolescentes enquanto consumidores destes conteúdos, talvez ao apropriar-se, deles, reproduzam, ressignifiquem e os reinscrevam noutros dispositivos dando-lhes novos sentidos e significados, através dos processos de intermedialidade, referencialidade, ancoragem, assimilação e representação, possibilitando a intensificação processual da subjetivação, ?renovação de identidades, questionamento das estruturas familiares, sociais e midiáticas tradicionais. Tradicionalmente, conforme os conteúdos disponibilizados, as mídias podem ser agrupadas em duas categorias: programas de informação e fantasia/ficção (Discursos-vídeos-músicas-filmes-jogos). Objetiva-se focar nos programas televisivos e nos vídeos na Internet que, os adolescentes escolarizados angolanos assistem através dos dispositivos midiáticos, pois, em meio a conversas e debates com pais e professores quanto às mídias e agressividade, é comum verificar-se diversos comentários em seus discursos, sobretudo com maior ênfase ao crescente índice da agressividade e a exposição excessiva aos programas televisivos e vídeos na Internet. Pretende-se compreender se o processo de representação social pode organizar a construção dos sentidos e significados sobre a agressividade dos adolescentes angolanos escolarizados dos 14 aos 16 anos. E para tanto, visa-se responder à pergunta: Que significados os adolescentes angolanos escolarizados atribuem aos conteúdos violentos que assistem em programas televisivos e os vídeos na Internet através dos dispositivos midiáticos?. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . , Integrantes: Bantu Mendonça Katchipwi Sayla - Coordenador / Pedro Gilberto Gomes - Integrante.

  • 2013 - Atual

    A REPRESENTAÇÃO SOCIAL DA AGRESSIVIDADE E VIOLÊNCIA EM ADOLESCENTES ANGOLANOS ESCOLARIZADOS QUE ASSISTEM CONTEÚDOS VIOLENTOS ATRAVÉS DOS DISPOSITIVOS MIDIÁTICOS, Descrição: O ato de representar e dar significado ao mundo a nossa volta possa ser um ato de reconhecimento e construção de conhecimento. Isabel Perez Jauregui, (2014) citando Karl Popper, diz que este processo pode dar-te através da ?observação natural quotidiana, da elucubração filosófica e do conhecimento cientifico?. Trata-se de um ato pelo qual os sujeitos ou indivíduos podem apreender o objeto de suas atenções num sistema de referências e representações e com significados e sentidos a eles atribuídos. Este fenômeno dá-se, sobretudo, na fase da adolescência. É nesta etapa da vida que se podem acontecer as transformações psicológicas e sociais que contribuirão para a formação da identidade. Este processo de significar e representar atinge em dias atuais, o seu ápice com os meios de comunicação de massa. Eles se apresentam como uma das mais importantes instâncias de socialização de crianças e adolescentes, funcionando como mediadora da relação das pessoas com o mundo. Ademais, segundo Wilhelm Dilthey referenciado por Isabel Perez Jáuregui (Ibidem), sob o ponto de vista da noção estrutural ?Sujeito-Objeto?, ?o homem pode ser compreendido levando em conta o seu ser histórico?. Segundo pesquisadores de várias partes do mundo tais como por exemplo GOMIDE (2011), WILSON ET AL. (1999), KEHL (2004), MATOS (2005), OLGA & ALEJANDRO (2008), MANUEL (2010), os conteúdos midiáticos, influenciam tanto para o bem quanto para o mal, os modos de comportamentos, mentalidades e hábitos das pessoas de modo concreto em crianças e adolescentes. Em 2002, com o fim da guerra, a República de Angola abre-se para o mundo digital, a televisão e a internet, dentre outros, são meios de comunicação incorporados à vida milhões de adolescentes de Benguela - Angola. As crianças e adolescentes angolanos, passam boa parte de seu tempo assistindo programas televisivos com conteúdos diversificado. Estes programas muitas vezes talvez não sejam adequados à sua faixa etária, como aponta uma pesquisa realizada pela Rede ANDI Brasil Latino Americana (Fundação Itaú Social) , que regulamento os direitos da crianças e adolescentes quanto aos meios de comunicação de massa, em parceria com a Save the Children Suecia (2009). Assim, somos levados a pensar que talvez, as crianças, sem a maturidade psíquica suficiente que os ajude a distinguir o fictício do real possam desenvolver um comportamento violento ou agressivo através do processo de observação, imitação e identificação. É neste víeis que se enquadra o conceito de violência e agressividade assunto desta pesquisa. Nos meios de comunicação social, mais concretamente na televisão, falar de violência é debruçar-se sobre distintas formas de criminalidades e agressões que incluem agressão física a um indivíduo, a um grupo, aos assaltos à mão armada, a destruição e roubos de bens materiais, ao trafico de entorpecentes e humano, ao Bullying em fim. Para, FREUD (1996, [1927-1931], Vol. XXI), a violência pode ser de intervenção física seja voluntária com a finalidade de destruir, ofender e coagir ao serviço da sobrevivência. A violência pode ser direta quando atinge de maneira imediata o corpo de quem sofre. E indireta quando opera através de uma alteração do ambiente físico no qual a vítima se encontra, ou através da destruição, da danificação ou da subtração dos recursos materiais. Em qualquer das formas, resultará na modificação prejudicial do estado físico individual ou grupal que é o sujeito da ação violenta. E então: Quais são os desejos dos adolescentes ?benguelenses? que escolhem os programas televisivos com cenas predominantemente agressivas e violentas? Qual é a percepção i destes adolescentes sobre o que seja a impulsividade, agressividade e a violência? Será possível estabelecer um grau de impulsividade e da agressividade entre os adolescentes quanto ao sexo, à nível social e ao nível escolar através dos instrumentos:. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Bantu Mendonça Katchipwi Sayla - Coordenador / ANDRÉA VOLPATO WRONSKI - Integrante.

  • 2010 - 2012

    O DIÁLOGO E DO AFETO COMO MOTRIZ PEDAGÓGICO: Um Enfoque Freiriano, Descrição: Este projeto visa redescobrir o valor do diálogo e da afetividade no processo de ensino aprendizagem. Pois, desde os primórdios da humanidade a educação é um fator de socialização humana dentro de uma conjuntura intersubjetiva. Pretende-se, a partir das complexas relações existentes entre os professores, que são os protagonistas da escola e os alunos, sujeitos de educação, estabelecer uma ponte que torne eficiente o processo pedagógico. Já que as relações que os professores nutrem com os seus alunos não se deve basear no controle excessivo, na ameaça e na punição que provocam reações diferentes nos educandos. A tarefa educativa em nossos dias sofre a influência de fatores sociais, econômicos, políticos sem falar da nova cultura criada pelos modernos meios de comunicação de massa, pondo muitas vezes em conflitos os professores e os alunos; o que corta a fala dialógica e afetiva entre ambos. Estas e outras razões geram por sua vez nos alunos a indisciplina, o não aprendizado e consequentemente a evasão escolar que nos últimos anos tem sido alvo de estudos e debates, mobilizando pais, professores e técnicos. Diante disso, como e o que fazer para eliminar os conflitos existentes entre alunos, pais e professores? Será possivel acabar com a indisciplina escolar? Que métodos adotar para que o processo de ensino e aprendizadem ocorra verdadeiramente? A partir de uma pesquisa bibliográfica pretendemos fazer um estudo da interação Professor-Aluno no processo de aprendizagem sob os enfoques psicológicos, sócio-históricos, envolvidos pela Pedagogia dialógica e afetiva de Freire que consiste no respeito ao educando.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Bantu Mendonça Katchipwi Sayla - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade do Sul de Santa Catarina, Departamento de Ciências Humanas de Ciências da Educação de Letras e Artes. , Av. José Acácio Moreira, 787 CEP 88704-900, Tubarão, 88701-220 - Tubarao, SC - Brasil - Caixa-postal: 114, Telefone: (48) 36220381, URL da Homepage:

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional