Maíra Cavalcanti Vale

Doutora em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Mestra pela mesma instituição. Ao longo do mestrado, a aluna realizou um estágio na Universidade de York, no Canadá, em História da África. Bacharel em antropologia pela Universidade de Brasília. Realizou pesquisa na região de KwaZulu-Natal, África do Sul, com grupos de mulheres rurais e negras e na cidade de Cachoeira, no Recôncavo Baiano. Trabalha com escrita antropológica, questões raciais, espiritualidade, colonialismo e mulheres. Durante a graduação, participou de dois projetos de iniciação científica vinculados à Universidade de Brasília e ao CNPq. Trabalhou também como Secretária Administrativa da revista Anuário Antropológico e como estagiária de antropologia na 6ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, instância responsável pela defesa dos direitos dos povos indígenas e minorias.

Informações coletadas do Lattes em 06/04/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Antropologia Social

2014 - 2018

Universidade Estadual de Campinas
Título: Cachoeira & a inversão do mundo
Maria Suely Kofes. Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil. Palavras-chave: Cachoeira; espiritualidade; escravidão; escrita etnográfica.Grande área: Ciências HumanasGrande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia das Populações Afro-Brasileiras.

Mestrado em Antropologia Social

2010 - 2013

Universidade Estadual de Campinas
Título: Prosa que tece a vida - estórias de mulheres em KwaZulu-Natal, África do sul,Ano de Obtenção: 2013
Omar Ribeiro Thomaz.Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.

Aperfeiçoamento em História da África

2012 - 2013

York University, YorkU
Título: Prosa que tece a vida - estórias de mulheres em KwaZulu-Natal, África do sul. Ano de finalização: 2013
Orientador: José Carlos Curto
Bolsista do(a): Canadian Bureau of International Education., ELAP, Canadá.

Graduação em Antropologia

2006 - 2009

Universidade de Brasília, UnB
Título: transbordando antropologias: mortes, tempos, mulheres e agência na África do Sul contemporânea
Orientador: Antonádia Monteiro Borges

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2015 - 2015

Mulheres, resistências e (in)dependência: narrativas femininas em perspecti. (Carga horária: 20h). , Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, UFRB, Brasil.

2007 - 2007

Extensão universitária em ?Índios na América do Norte- Áreas Etnográficas?. (Carga horária: 14h). , Universidade de Brasília, UnB, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Espanhol

Compreende Razoavelmente, Lê Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

LARA, S. H. ; REGINALDO, L. ; SLENES, R. ; CURTO, J. ; MANDES, A. ; GOMES, R. G. A. ; SALVE, G. G. ; ALFAGALI, C. ; THOMAZ, O. R. ; VALE, M. C. . Seminário Internacional "Cultura, Política e Trabalho na África Meridional". 2015. (Congresso).

Vale, Maíra ; Noronha, Isabel ; Sousa, Camilo de ; Guerra, Alessandra ; Alves, Ana Rita ; Camargo, Carla de ; Oliveira, Everton de ; Petrini, Carina ; Etechebere, Rafaela . Ciclo de Filmes: Karingana wa Karingana, seis estórias moçambicanas. 2014. (Outro).

VALE, M. C. ; Nunes, Eduardo S. ; MOLINA, L. P. ; Aratanha, V. . Semana Antropológica da Universidade de Brasília - 2º/2007. 2007. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

18º Congresso Mundial da IUAES. Skin, that which one does not speak of: affect and racism in anthropological writing. 2018. (Congresso).

31ª Reunião Brasileira de Antropologia. Desengano da vista é ver: escrita antropológica recôncava. 2018. (Congresso).

13º Mundos de Mulheres & Fazendo Gênero 11. Eu quero que você escreva tudo isso! Construção de conhecimento e pesquisa de campo com mulheres em KwaZulu-Natal, África do Sul. 2017. (Congresso).

Mediação no V Conversas da Kata.Gt Religiosidades e Estudos Afro-indígenas. 2017. (Seminário).

Workshop Trilateral Reino Unido-Brasil-Uruguai: How anthropology can contribute to affirmative action in South America in the fields of human rights, gender equality and environmental sustainabilitityty.Conhecimento para vida. 2017. (Oficina).

Diálogos e Saberes Transdisciplinares.SABERES MALUNGU: EXPERIÊNCIAS DE PESQUISA E ENSINO EM HISTÓRIA E CULTURA AFRICANA E AFRO-BRASILEIRA. 2015. (Seminário).

I Congreso Internacional de Antropología AIBR. Estórias cotidianas, pendências com ancestrais na África do Sul pós-apartheid. 2015. (Congresso).

Seminário Internacional.Dando conta do passado, pendências com ancestrais na África do Sul pós-apartheid. 2015. (Seminário).

29a Reunião Brasileira de Antropologia. De cabras, ancestrais e telefones celulares. 2014. (Congresso).

28a Reunião Brasileira de Antropologia. Entrecruzando falas: diálogos com mulheres sul-africanas na província de KwaZulu-Natal. 2012. (Congresso).

27ª Reuniao Brasileira de Antropologia. Miçangas produtos, miçangas rituais: uma reflexão sobre o artesanato de mulheres na região de KwaZulu-Natal, na África do Sul. 2010. (Congresso).

Seminários do DAN (Departamento de Antropologia/ UnB). 2009. (Seminário).

VIII Reunión de Antropología del Mercosur (RAM). A morte como experiência e o seu significa inscrito juridicamente: uma tradução (im)possível?. 2009. (Congresso).

XIII Graduação em Campo.Os limites da tradução jurídica na inscrição da morte como experiência. 2009. (Seminário).

26ª Reunião da Associação Brasileira de Antropologia. 2008. (Congresso).

- 32º Encontro Anual da Anpocs. 2008. (Congresso).

Perícia Antropológica e a Defesa dos Direitos Socio-Culturais no Brasil. 2008. (Simpósio).

Seminários do DAN (Departamento de Antropologia/ UnB). 2008. (Seminário).

Simpósio Internacional: Poder Político e Povos Indígenas na América Latina. 2008. (Simpósio).

VII Graduação em Campo - Seminários de Antropologia Urbana das Ciências Sociais.Perspectivas teóricas sobre a morte: o lugar do enterro e as dinâmicas contemporâneas. 2008. (Seminário).

XIV Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Brasília e 5º Congresso de Iniciação Científica do DF. Burials Societies: economia das lutas políticas na África do Sul. 2008. (Congresso).

XV Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Brasília e 6º Congresso de Iniciação Científica do DF. Os limites da tradução jurídica na inscrição da morte como experiência. 2008. (Congresso).

Seminário Internacional do Medo: Perspectivas Urbanas. 2007. (Simpósio).

Seminários do DAN (Departamento de Antropologia/ UnB). 2007. (Seminário).

Simpósio Internacional sobre Povos Indígenas e Constituições Nacionais. 2007. (Simpósio).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

María Eloísa Martín

Antonadia Monteiro Borges;MARTÍN, Eloísa. Transbordando Antropologias. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade de Brasília.

Cristiane Santos Souza

VALE, M. C.; KOFES, S.;SOUZA, Cristiane. S.; FIGUEIREDO, A.; REGINALDO, L.; RODRIGUES, C. C.. Cachoeira e a Inversão do mundo. 2018. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Universidade Estadual de Campinas.

Antonádia Monteiro Borges

BORGES, A.. Prosa que tece a vida, estórias de mulheres em Kwazulu-Natal/ África do Sul. 2013. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Estadual de Campinas.

Marta Denise da Rosa Jardim

JARDIM, M. D. R.. Prosa que tece a vida, estórias de mulheres em Kwa Zulu Natal - África do Sul. 2013. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Estadual de Campinas.

Emilia Pietrafesa de Godoi

GODOI, E. P. / PIETRAFESA DE GODOI, E.; THOMAZ, O. R.; Borges, Antonádia. Prosa que tece a Vida: estórias de mulheres em KwaZulu-Natal - África do Sul. 2013. Dissertação (Mestrado em Pós-Graduação em Antropologia Social) - Universidade Estadual de Campinas.

Angela Lucia Silva Figueiredo

FIGUEIREDO, Angela; Suely Kofes; Lucilene Reginaldo; Cristiane Souza; Catarina Rodrigues. Cachoeira & a inversão do mundo. 2018. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Universidade Estadual de Campinas.

Maria Suely Kofes

KOFES, SUELY; REGINALDO, Lucilene; RODRIGUES, Carolina Cantarino; SOUZA, Cristiane Santos; FIGUEIREDO, Angela Lúcia Silva. Cachoeira & a inversão do mundo. 2018. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Universidade Estadual de Campinas.

Carolina Cantarino Rodrigues

KOFES, M. S.; FIGUEIREDO, A. L. S.; SOUZA, C. S.; REGINALDO, L.;RODRIGUES, C. C.. Cachoeira & a inversão do mundo. 2018. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Universidade Estadual de Campinas.

Lucilene Reginaldo

REGINALDO, L.; KOFES, M. S.; SOUZA, C. S.; FIGUEIREDO, A. L. S.; RODRIGUES, C. C.. Cachoeira & a inversão do mundo. 2018. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Universidade Estadual de Campinas.

Lucilene Reginaldo

REGINALDO, L.; KOFES, M. S.; Thomaz, O. R.. Cachoeira e a inversão do mundo. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Antropologia Social) - Universidade Estadual de Campinas.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Antonádia Monteiro Borges

transbordando antropologias; 2009; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Antropologia) - Universidade de Brasília; Orientador: Antonádia Monteiro Borges;

Antonádia Monteiro Borges

Burial Societies: economia das lutas políticas na África do Sul; 2008; Iniciação Científica; (Graduando em Antropologia) - Universidade de Brasília; Orientador: Antonádia Monteiro Borges;

Antonádia Monteiro Borges

Construção de lugares para o corpo após a morte: um estudo etnográfico sobre o caso do Distrito Federal, à luz de uma comparação com a África do Sul; 2008; Iniciação Científica; (Graduando em Antropologia) - Universidade de Brasília; Orientador: Antonádia Monteiro Borges;

Maria Suely Kofes

Cachoeira & a inversão do mundo; 2014; Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas/Unicamp,; Orientador: Maria Suely Kofes;

Omar Ribeiro Thomaz

Prosa que tece a vida estórias de mulheres em KwaZulu-Natal, África do sul; 2013; Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social - IFCH / Unicamp, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo; Orientador: Omar Ribeiro Thomaz;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • VALE, M. C. . Narrando com cabras: a importância dos ancestrais no cotidiano em KwaZulu-Natal (África do Sul). Revista de História da UEG , v. 4 n.2, p. 62-78, 2015.

  • VALE, MAÍRA CAVALCANTI . 'Este país é cheio de apartheid', diálogos com mulheres sul-africanas na província de KwaZulu-Natal. Cadernos Pagu , v. na, p. 51-78, 2015.

  • VALE, MAÍRA CAVALCANTI . Flores e velas que falam no silêncio: perspectivas. PONTO URBE , v. 5, p. 1-10 (2009), 2014.

  • Vale, Maíra . Os limites da tradução jurídica na inscrição da morte como experiência. PONTO URBE , v. 5, p. 1-10 (2009), 2014.

  • VALE, M. C. . Entrecruzando falas: diálogos com mulheres sul-africanas na província de KwaZulu-Natal. In: 28a Reunião Brasileira de Antropologia, 2012, São Paulo. Anais 28ª RBA, 2012.

  • VALE, M. C. . Miçangas produtos, miçangas rituais: uma reflexão sobre o artesanato de mulheres na região de KwaZulu-Natal, na África do Sul. In: 27a Reunião Brasileira de Antropologia, 2010, Belém. Miçangas produtos, miçangas rituais: uma reflexão sobre o artesanato de mulheres na região de KwaZulu-Natal, na África do Sul, 2010.

  • VALE, M. C. . Os limites da tradução jurídica na inscrição da morte como experiência. In: Graduação em Campo, 2009, São Paulo. XIII Graduação em Campo, 2009.

  • VALE, M. C. . A morte como experiência e o seu significa inscrito juridicamente: uma tradução (im)possível?. In: VIII Reunión de Antropología del Mercosur (RAM), 2009, Bienos Aires. VIII Reunión de Antropología del Mercosur (RAM), 2009.

  • VALE, M. C. . Os limites da tradução jurídica na inscrição da morte como experiência. In: XV Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Brasília e 6º Congresso de Iniciação Científica do DF, 2009, Brasília. XV Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Brasília e 6º Congresso de Iniciação Científica do DF, 2009.

  • VALE, M. C. . Burials Societies: economia das lutas políticas na África do Sul. In: XIV Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Brasília e 5° Congresso de Iniciação Científica do DF, 2008, Brasília. XIV Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Brasília, 2008.

  • VALE, M. C. . Flores e velas que falam no silêncio: perspectivas teóricas sobre a morte e os limites da linguagem antropológica. In: Graduação em Campo, 2008, São Paulo. XII Graduação em Campo, 2008.

  • VALE, M. C. . Skin, that which one does not speak of: affect and racism in anthropological writing. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • VALE, M. C. . Desengano da vista é ver: escrita antropológica recôncava. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • Vale, Maíra . 'Eu quero que você escreva tudo isso!', construção de conhecimento e pesquisa de campo com mulheres em KwaZulu-Natal, África do Sul. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • Vale, Maíra . Parecer do trabalho Matilde Ribeiro: A minha história é talvez igual a tua, Uma trajetória de militância e empoderamento da mulher negra, da aluna Bruna Aparecida Thalita Maia. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • VALE, M. C. . Contar história como teoria: experiências de trabalho de campo entre África do Sul e Cachoeira. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • Vale, Maíra . Participação na mesa-redonda: SABERES MALUNGU: EXPERIÊNCIAS DE PESQUISA E ENSINO EM HISTÓRIA E CULTURA AFRICANA E AFRO-BRASILEIRA. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • VALE, M. C. . Dando conta do passado, pendências com ancestrais na África do Sul pós-apartheid. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • VALE, M. C. . Contar estória como teoria, conversa com mulheres sul-africanas da província de KwaZulu-Natal. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • Vale, Maíra . De cabras, ancestrais e telefones celulares. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • Vale, Maíra . Trabalho aceito para apresentação no 57th ASA Annual Meeting: 'Trajectories, Literature and War in Mozambique Through the Eyes of Paulina Chiziane and Minose'. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • Vale, Maíra . Reconhecendo Privilégios: a importância das cotas étnico-raciais. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • Vale, Maíra . Estórias cotidianas, conversas com mulheres na África do Sul. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • Vale, Maíra . Conversa sobre literatura Moçambicana. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • VALE, M. C. . Miçangas produtos, miçangas rituais: uma reflexão sobre o artesanato de mulheres na região de KwaZulu-Natal, na África do Sul. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • VALE, M. C. . A morte como experiência e o seu significa inscrito juridicamente: uma tradução (im)possível?. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • VALE, M. C. . Os limites da tradução jurídica na inscrição da morte como experiência. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • VALE, M. C. . Perspectivas teóricas sobre a morte: o lugar do enterro e as dinâmicas contemporâneas. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • VALE, M. C. . Burials Societies: economia das lutas políticas na África do Sul. 2008. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

VALE, M. C. . Parecer Ad Hoc - Revista de Antropologia Social do PPGAS-UFSCar. 2018.

Vale, Maíra . Parecer Ad Hoc - Revista Trama. 2017.

VALE, M. C. ; WISDAHL, M. ; Morawska, Catarina . Comoveras, mulheres escrevendo antropologia. 2018. (Programa de rádio ou TV/Mesa redonda).

Maranhão dos Santos, Elisângela ; Morawska, Catarina ; Vale, Maíra . Mães da Saudade de Pernambuco: resistência e luta pela vida. 2017. (Editoração/Livro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2014 - 2018

    Cachoeira & a inversão do mundo, Descrição: Projeto de doutorado desenvolvido no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Estadual de Campinas. Tendo por base pesquisa de campo entre os anos de 2015 e 2017 na cidade de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, busquei trabalhar com uma perspectiva atenta ao conhecimento diário, de modo que pequenas narrativas e histórias do comum ressoassem e pudessem compor um estado de análise. Trabalhei com as narrativas das moradoras e moradores da cidade relacionadas à espiritualidade afro-brasileira e escravidão. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . , Integrantes: Maíra Cavalcanti Vale - Coordenador.

  • 2012 - 2013

    Prosa que tece a vida - estórias de mulheres em KwaZulu-Natal, África do sul, Descrição: Participei do Emerging Leaders in the Americas Program (ELAP), financiado pelo Bureau Canadense de Educação Internacional, para a realização de um intercâmbio no Harriet Tubman Institute for Research on the Global Migrations of African Peoples na York University em Toronto, no Canadá. Ao longo deste período, participei de seminários e apresentei minha pesquisa sobre mulheres rurais sul-africanas em um ambiente repleto de pesquisadores internacionais especializados em história da África e suas diásporas.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Maíra Cavalcanti Vale - Integrante / José Curto - Coordenador., Financiador(es): Canadian Bureau of International Education. - Bolsa.

  • 2010 - 2013

    Um diálogo entre miçangas: mulheres e terras na região de KwaZulu-Natal, África do Sul, Descrição: Projeto de mestrado desenvolvido no âmbito do curso de Pós- Graduação em Antropologia Social pela Unicamp. Este projeto tem como objetivo refletir acerca das formas de se produzir artesanatos com miçangas Foi fruto dos aprendizados ao longo do curso de mestrado e de três meses de trabalho de campo na província de KwaZulu-Natal, na África do Sul. O trabalho foi desenvolvido com foco no cotidiano de algumas mulheres negras, moradoras da zona rual e falantes de isiZulu, através dos diversos grupos dos quais fazem parte. Estes estão ligados a funerais e maneiras de se poupar dinheiro, como também relacionados ao ganho de recursos pela venda de artesanatos feitos de miçangas, alimentos produzidos em hortas comunitárias ou na criação de galinhas.Bem como a sua relação com formas diversas de estar na terra, pensando as novas formas de redistribuição desta pelo viés do gênero.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Maíra Cavalcanti Vale - Coordenador., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2009

    Etnografia das formas de construção dos lugares para o corpo após a morte: um estudo de caso sobre o Distrito Federal à luz de uma comparação com a África do Sul, Descrição: Pojeto vinculado ao Programa de Iniciação Científica, Edital PIC/UnB 2008, e vinculado ao projeto ?Terra para viver e para morrer: etnografia de conflitos fundiários na África do Sul contemporânea?, coordenado por Antonádia Monteiro Borges.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Maíra Cavalcanti Vale - Coordenador.

  • 2007 - 2008

    Burials Societies: economia das lutas políticas na África do Sul, Descrição: Projeto de Iniciação Científica, Edital 2007 PIBIC/CNPq/ UnB, vinculado ao Projeto ?Invasões e Remoções: uma perspectiva etnográfica comparada acerca dos movimentos urbanos de luta pela terra no Brasil e África do Sul?, coordenado por Antonádia Monteiro Borges.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Maíra Cavalcanti Vale - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2012 - 2013

    York University, YorkU

    Vínculo: , Enquadramento Funcional:

  • 2014 - 2018

    Universidade Estadual de Campinas

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estudante de doutorado, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2010 - 2013

    Universidade Estadual de Campinas

    Vínculo: Estudante de Mestrado, Enquadramento Funcional: Bolsista, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2008 - 2009

    Universidade de Brasília, UnB

    Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Secretária Adminitrativa do Anuário Antropo., Carga horária: 20

  • 2008 - 2008

    Ministério Público Federal

    Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estagiária na Coordenação de Antropologia, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Atuou como estagiária na área de Antropologia na 6ª Câmara de Coordenação e Revisão, povos indígenas e minorias étnicas.

  • 2016 - 2016

    Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

    Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Estágio Docência - Disciplina Graduação, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Realização de Estágio Docente na disciplina "Leituras Etnográfcas" ministrada pela profª Dra. Suzana Moura Maia no Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL), Colegiado de Ciências Sociais - UFRB.

  • 2014 - Atual

    LA?GRIMA - laboratório antropológico de grafia e imagem

    Vínculo: Participante, Enquadramento Funcional: Pesquisadora

    Outras informações:
    O LA?GRIMA, coordenado pelas professoras doutoras Suely Kofes e Fabiana Bruno, é um laboratório antropológico dedicado à experimentação conceitual e metodológica, cujo objetivo central é fomentar estudos e reflexões acerca das grafias e das imagens em pesquisa no campo antropológico, abarcando proposições teóricas e etnográficas. O Laboratório abriga pesquisadores interessados nas questões relativas ao desenvolvimento de habilidades de pesquisa e suas expressões gráficas ? este último termo compreendido em sentido lato ? e reúne, a partir deles, pesquisas em desenvolvimento, em contextos distintos, com materiais diversos (escritos, orais, imagéticos, iconográficos), combinados ou não, e sobre distintos objetos, condição para cumprir a formação, reflexão e experimentação "metodológica" tomada como meio e como modo de conhecimento.

  • 2015 - Atual

    Malungu - Núcleo de Pesquisa, Estudos e Extensão de Áfricas e suas diáspora

    Vínculo: Participante, Enquadramento Funcional: Pesquisadora

    Outras informações:
    O Núcleo Malungu foi fundado no dia 2 de dezembro de 2015, no Campus V da UNEB- cidade de Jacobina. Na ocasião foi realizado o primeiro seminário Saberes MALUNGU, com o tema ?Ensino e Pesquisa de África e cultura Afro-brasileira?. Essa programação incluiu a realização de duas oficinas com estudantes da graduação, cujos temas trataram do ensino de história da África e cultura afro-brasileira e ?Candomblé e Educação?.