João Francisco Carlexo Horn

Engenheiro Ambiental, formado pelo Centro Universitário Franciscano, Mestre em Engenharia Civil e Ambiental na área de concentração de Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental e Doutor em Engenharia Agrícola na área de concentração em água e solo ambos na Universidade Federal de Santa Maria - UFSM. Sua área de atuação dá no âmbito da hidrologia, gestão dos recursos hídricos, estudos de disponibilidade hídrica em pequenas bacias, estudo de impacto da urbanização sobre os recursos hídricos e o meio ambiente, Saneamento ambiental e Drenagem urbana. Atualmente é professor Adjunto do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental da Universidade Federal de Santa Maria, em Santa Maria, RS.

Informações coletadas do Lattes em 26/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Engenharia Agrícola

2012 - 2016

Universidade Federal de Santa Maria
Título: Estimativa de vazões com dados escassos: Novas hipóteses para o método Silveira
Geraldo Lopes da Silveira. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.

Mestrado em Engenharia Civil e Ambiental

2010 - 2012

Universidade Federal de Santa Maria
Título: REGIME HIDROLÓGICO DE DUAS MICROBACIAS CONTÍGUAS: UM COMPARATIVO ENTRE USO URBANO E RURAL,Ano de Obtenção: 2012
Geraldo Lopes da Silveira.Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil. Palavras-chave: Escoamento superficial; impacto da urbanização; Bacias experimentais; Microbacias.Grande área: Engenharias

Graduação em Engenharia Ambiental

2005 - 2010

Universidade Franciscana
Título: Estatísticas descritivas e estimativa da Radiação Solar a parir dos dados de Insolação, para Santa Maria - RS
Orientador: Galileo Adeli Buriol

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2018 - 2018

Capacitação para Ingresso no Banco de Avaliadores do Sistema Nacional de Av. (Carga horária: 90h). , Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, INE, INEP, Brasil.

2014 - 2014

Intr. ao Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle. (Carga horária: 30h). , Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.

2010 - 2010

Modelagem de Outorga. (Carga horária: 12h). , Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.

2008 - 2008

Curso de AutoCAD 2006. (Carga horária: 60h). , RD Treinamentos, RD, Brasil.

2006 - 2006

Oficina Teórico/prático sobre reciclagem. (Carga horária: 10h). , Universidade Franciscana, UFN, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

CRUZ, J. C. ; LOPES, G. S. ; MAZIERO, E. ; BAUMHARDT, E. ; PADILHA, D. G. ; HORN, J. F. C. . IV Mostra Científica do Grupo de Pesquisa Gestão em Recursos Hídricos - GERHI. 2016. (Outro).

MAZIERO, E. ; PADILHA, D. G. ; LOPES, G. S. ; HORN, J. F. C. ; BAUMHARDT, E. ; MONTEIRO, J. S. ; DISCONZI, G. S. . 4ª Mostra do Grupo de Pesquisa GERHI-UFSM. 2016. (Outro).

HORN, J. F. C. ; CRUZ, J. C. ; MAZIERO, E. ; PADILHA, D. G. . Curso "Modelagem e Outorga". 2010. (Outro).

TREVISAN, M. L ; CRUZ, J. C. ; HORN, J. F. C. ; BAUMHARDT, E. ; PADILHA, D. G. ; MAZIERO, E. . Mostra Científica do Grupo de Pesquisa Gestão em Recursos Hídricos - Análise de Impactos, Monitoramento e Gestão de Bacias Hidrográficas. 2010. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

Gestão de Barragens: Riscos e Responsabilidades. 2019. (Outra).

Primeiro Encontro Nacional de Desastres. 2018. (Outra).

XIII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste. 2018. (Simpósio).

XXII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos. 2017. (Simpósio).

1º Seminário de Gestão dos Recursos Hídricos da Bacia do Rio da Várzea.Impacto da Urbanização no planejamento da drenagem urbana. 2016. (Seminário).

4ª Mostra Científica do Grupo de Pesquisa GERHI.Estimativa de vazões com dados escassos: Novas hipóteses para o Método Silveira. 2016. (Outra).

III Semana Acadêmica do Curso de Engenharia Hídrica - UFPel. 2016. (Outra).

Seminário: Agências de Bacias - possibilidades para o Rio Grande do Sul. 2016. (Seminário).

XIII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste.Verificação de picos de condutividade elétrica da água em pequena bacia hidrográfica. 2016. (Simpósio).

XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos. 2015. (Simpósio).

Mostra de Ensino da Universidade Federal de Pelotas.Desenvolvimento de Objetos de Aprendizagem em Mecânica dos Fluídos e Hidráulica. 2014. (Outra).

VI Ciclo de Estudos da Engenharia Hídrica - CEEH. 2014. (Outra).

V Semana Acadêmica do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFPel.Impacto do desenvolvimento urbano na drenagem das águas pluviais. 2014. (Outra).

XXIII Congresso de iniciação científica da Universidade Federal de Pelotas. Ferramenta Computacional. 2014. (Congresso).

Seminário Sobre o Impacto da Agricultura nos Recursos Hídricos: Manejo do solo, da água e de bacias hidrográficas. 2013. (Seminário).

XX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos. 2013. (Simpósio).

Seminário Sobre o Impacto da Agricultura nos Recursos Hídricos. 2012. (Seminário).

XIX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos.Coeficiente de Escoamento Superficial: Estudo comparativo entre dados observados e literatura.. 2011. (Simpósio).

25ª Jornada Acadêmica Integrada, da Universidade Federal de Santa Maria, RS..Impacto no escoamento e na qualidade da água avaliados diretamente por meio de duas microbacias contíguas e com mesma área: uma sob uso agrícola e outra sob uso urbano. 2010. (Outra).

I Congresso de Iniciação Científica e Pós Graduação. A perspectiva das áreas protegidas no município de Torres-RS. 2010. (Congresso).

24ª Jornada Acadêmica Integrada, da Universidade Federal de Santa Maria.Estimativa de larguras de faixas de área de preservação permanente recomendadas de acordo com as funções desempenhadas em torno de rede de drenagem: uma revisão.. 2009. (Outra).

24ª Jornada Acadêmica Integrada, da Universidade Federal de Santa Maria, RS..AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO HIDROLÓGICO EM PEQUENAS BACIAS COM CURVA DE PERMANÊNCIA. 2009. (Outra).

5º Semana Acadêmica do Curso de Engenharia Ambiental. 2009. (Outra).

III Seminário Sobre Tecnologias Limpas e V Fórum Internaciona de Produção mais Limpa.Potencial de Radiação Solar em Santa Maria, RS. 2009. (Seminário).

XIII SIMPÓSIO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO.Estimativa da Radiação Solar a partir dos Dados de Insolação. 2009. (Simpósio).

XVIII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS.RESÍDUO SÓLIDO NA DRENHAGEM: CURVA DE PRODUÇÃO EM FUNÇÃO DA PRECIPITAÇÃO EM SUB-BACIA TOTALMENTE URBANA. 2009. (Simpósio).

1º Congresso Internacional de Tecnologias para o Meio Ambiente. 2008. (Congresso).

4ª Semana Acadêmica do Curso de Engenharia Ambiental- UNIFRA. 2008. (Outra).

XIII SIMPÓSIO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO e 4º SALÃO D INICIAÇÃO CIENTÍFICA.Sistema de Gestão Ambiental em um Empresa Metal Meânica em Santa Maria, RS.. 2008. (Simpósio).

3ª Semana Acadêmica do Curso de Engenharia Ambiental - UNIFRA. 2007. (Outra).

2ª Semana Acadêmica do Curso de Engenharia Ambiental- UNIFRA. 2006. (Outra).

1ª Semana Acadêmica do Curso de Engenharia Ambiental - UNIFRA. 2005. (Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: KELEN MANNES KNAESEL

PINHEIRO, A.; SILVA, J. D.;HORN, J. F. C.. SIMULAÇÃO DE CENÁRIOS DE GESTÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA COM MODELAGEM HIDROLÓGICA DISTRIBUIDA NA BACIA DO RIO ITAJAÍ. 2019. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós Graduação em Engenharia Ambiental) - Fundação Universidade Regional de Blumenau.

Aluno: Fernanda Dias dos Santos

CRUZ, J. C.; PINHEIRO, A.;HORN, J. F. C.. Perdas de solo por erosão e balanço hídrico climatológico como subsídio para tomada de decisão no manejo de bacias hidrográficas. 2018. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Alice Alonzo Steinmetz

BESKOW, S.; TERRA, F. S.;HORN, J. F. C.; NUNES, M. C.. Estimativa de cheias aplicando a técnica de hidrograma unitário com diferentes abordagens de discretização espacial: estudo de caso em uma sub-bacia do arroio Pelotas. 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós Graduação em Recursos Hídricos) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Raviel Eurico Basso

PICILLI, D.G.A.; PINTO, E. J. A.; SEIDEL, E. J.; GOLDENFUM, J. A.;HORN, J. F. C.. Estimativa de chuvas intensas em locais sem dados no Rio Grande do Sul. 2019. Tese (Doutorado em Programa de Pós Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Róbson Ilha

PAIVA, J. B. D.; RIGHES, A. A.; PINHEIRO, A.; LOUZADA, J. A. S.;HORN, J. F. C.; CASTRO, N. M. R.. Escoamento Superficial e infiltração de água no solo em sistema plantio direto com "Vertical Mulching". 2018. Tese (Doutorado em PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AGRÍCOLA) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Taiane Menezes Conterato

TASSI, R.; PAZ, A. R.;HORN, J. F. C.; RODRIGUES, L. H. R.; KRUGEL, M. M.. Sistema de suporte à decisão para gerenciamento integrado de Wetlands. 2019. Exame de qualificação (Doutorando em Programa de Pós Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Helenesio Cabral

PAIVA, J. B. D.;HORN, J. F. C.; PINTO, L. C.; PINHEIRO, A.; CASTRO, N. M. R.. DETERMINAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE SEDIMENTOS EM SUSPENSÃO ATRAVÉS DO USO DO VELOCÍMETRO ACÚSTICO DOPPLER (ADV) E DO TURBÍDIMETRO. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Programa de Pós Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Gabriel Lima Fava

PINTO, L. C.; BASSO, R. E.;HORN, J. F. C.. Estudo experimental sobre o uso de estruturas de baixo custo para a medição de vazão em canais abertos. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Brenda Mello Franco

TASSI, R.;HORN, J. F. C.; BASSO, R. E.. Avaliação de Escoamento Pluvial em módulos de telhados verdes com diferentes substratos. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Lucas Lasta

SILVA, J. L. S;HORN, J. F. C.; SWAROWSKY, A.. Monitoramento do Nível da água em poços tubulares no campus UFSM. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Greice Amélia Vendrusculo

SWAROWSKY, A.;HORN, J. F. C.; PINTO, L. C.. Reutilização de solo oriundo de escavações de manutenções de redes de abastecimento de água. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Brenda Mello Franco

TASSI, R.; SILVEIRA, A. O.;HORN, J. F. C.. Avaliação de Escoamento pluvial em módulos de telhados verdes com diferentes substratos. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Gabriel Lima Fava

PINTO, L. C.;HORN, J. F. C.; SARI, V.. Análise da Eficiência de medidores de velocidade e vazão em ambientes meândricos. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Bruna Minetto

PICILLI, D.G.A.;HORN, J. F. C.; RAGUZZONI, J. C. M.. Desenvolvimento de Sensores de Baixo Custo para Monitoramento Hidrológico. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: João Pedro Roos Wilhelm

PAIVA, J. B. D.; FORGIARINI, F. R.;HORN, J. F. C.. Avaliação de escalas temporais na determinação do balanço hídrico em lisímetros de drenagem instalados em campo nativo. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Jose Carlos de Almeida Marques Junior

PRA, M. D.; PREBER, P.;HORN, J. F. C.. Aeração no escoamento sobre vertedouros em degraus: Avaliação do ponto de início da aeração. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Hídrica) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Janara Lilian Immich

HORN, J. F. C.; PRA, M. D.; FLORES, J.H.N.. Estudo de dimensionamento de cisterna para aproveitamento das águas pluviais no Campus Porto da Universidade Federal de Pelotas. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Hídrica) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Everton Pinto da Luz

HORN, J. F. C.; MILANI, I. C. B.; PAIVA, R. B.. AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE WETLANDS COM THYPA DOMINGENSIS NO TRATAMENTO COMPLEMENTAR DO EFLUENTE GERADO POR UM FRIGORÍFICO. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Hídrica) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Juliano Pacheco dos Santos

HORN, J. F. C.; PRA, M. D.; PREBER, P.. Escoamento aerado em estruturas hidráulicas - Estudo de caso do escoamento a jusante de comporta em condutos retangulares. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Hídrica) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Marcus Vinicius Ramos Bueno da Silva

PRA, M. D.;HORN, J. F. C.; PREBER, P.. Estudo de uma central hidrelétrica na região sul do Rio Grande do Sul: Avaliação da energia firme. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Hídrica) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Elisa Ferreira Bueno

HORN, J. F. C.. Validação do modelo digital de elevação (MDE) para a bacia urbana do município de Pelotas/RS.. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Pedro Brites Pascotini

HORN, J. F. C.CRUZ, J. C.; Eltz, F.L.F.. ANÁLISE COMPARATIVA DE ESTIMATIVAS DE MEDIÇÃO DE VAZÃO EM CANAIS DE IRRIGAÇÃO DE ARROZ. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Assis Monti Neto

PIMENTA, M. I.; FENSTERSEIFER, S. L. B.;HORN, J. F. C.. Impacto Sócio Econômico da Reserva Legal em uma Propriedade Rural no Município de Maçambará - RS. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Ambiental) - Universidade Franciscana.

TAVARES, V. E. Q.; ESTEFANELO, G.;HORN, J. F. C.. Concurso Público para professor Adjunto A na área de Hidráulica do curso de Engenharia Hídrica da Universidade Federal de Pelotas. 2018. Universidade Federal de Pelotas.

TERRA, F. S.;HORN, J. F. C.; MACHADO, F. M.. Seleção Pública para professor substituto na área de Gestão de Sistemas h´ricos - Edital CPSI/UFPEL nº 008/2017. 2017. Universidade Federal de Pelotas.

HORN, J. F. C.; SUZUKI, L. E. A. S.; Ahlert, S.. Seleção Pública para professor substituto na área de Geometria Descritiva e Desenho Técnico - Edital CPSI nº 088/2014 - Processo UFPEL nº 23110.001936/2014-10. 2014. Universidade Federal de Pelotas.

PINTO, L. C.;HORN, J. F. C.; SWAROWSKY, A.. Seleção Pública para professor Substituto na área de Instalações Prediais Hidrossanitárias, de Gás e Combate a Incêndio / Sistemas Coletivos de Esgotamento Sanitário e Abastecimento de Água. 2019. Universidade Federal de Santa Maria.

HORN, J. F. C.. Banca de Seleção de novos petianos do PET - Engenharia Hídrica. 2014. Universidade Federal de Pelotas.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

José Luiz Silvério da Silva

Buriol, G.A.;SILVÉRIO DA SILVA, Jose LuizFORGIARINI, F. R.PICCILLI, D.G.A.SILVEIRA, G.L.. Deplecionamento fluvial em pequenas bacias: uma avaliação para suporte ao licenciamento ambiental e ao processo de outorga. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia Agrícola) - Universidade Federal de Santa Maria.

FRANCISCO ROSSAROLLA FORGIARINI

SILVEIRA, G. L.FORGIARINI, F. R.; BURIOL, G. A.;GOLDENFUM, J. A.; NISHIJIMA, T.. Estimativa de vazão com dados escassos: novas hipóteses para o Método Silveira. 2016. Tese (Doutorado em Engenharia Agrícola) - Universidade Federal de Santa Maria.

FRANCISCO ROSSAROLLA FORGIARINI

SILVEIRA, G. L.; BURIOL, G. A.;CRUZ, J. C.FORGIARINI, F. R.; SILVÉRIO DA SILVA, Jose Luiz. ANÁLISE DA DINÂMICA DO DEPLECIONAMENTO FLUVIAL EM PEQUENAS BACIAS: UMA AVALIAÇÃO PARA SUPORTE AO LICENCIAMENTO AMBIENTAL E AO PROCESSO DE OUTORGA. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia Agrícola) - Universidade Federal de Santa Maria.

Daniela Guzzon Sanagiotto

SILVEIRA, G. L.; PEDROLLO, O. C.;SANAGIOTTO, D. G.. Regime hidrológico de duas microbacias contíguas: um comparativo entre uso urbano e rural. 2012. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Santa Maria.

Olavo Corrêa Pedrollo

SILVEIRA, G. L.; SANAGIOTTO, D. G.;PEDROLLO, O. C.. Diferenças no escoamento entre duas bacias contíguas e de mesma área com usos agrícolas e urbano. 2012. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Santa Maria.

Toshio Nishijima

SILVEIRA, G. L.; FORGIARINI, F. R.; BURIOL, G. A.; GOLDENFUN, J. A.;NISHIJIMA, T.; SILVA, J. L. S.; CRUZ, R. C.. Estimativa de vazão com dados escassos: novas hipóteses para o Método Silveira. 2016. Tese (Doutorado em Engenharia Agrícola) - Universidade Federal de Santa Maria.

Geraldo Lopes da Silveira

PEDROLLO, O. C.; SANAGIOTTO, D.G.;Silveira, G.L.. Regime Hidrológico de duas microbacias contíguas: um comparativo entre uso urbano e rural.. 2012. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Santa Maria.

Geraldo Lopes da Silveira

SILVEIRA, Geraldo Lopes da; PEDROLLO, O. C.; SANAGIOTTO, D.G.. REGIME HIDROLÓGICO DE DUAS MICROBACIAS CONTÍGUAS: UM COMPARATIVO ENTRE USO URBANO E RURAL. 2012. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Santa Maria.

Geraldo Lopes da Silveira

SILVEIRA, Geraldo Lopes daGOLDENFUM, Joel AvruchBURIOL, Galileo Adeli; Toshio Nishijima;FORGIARINI, F. R.. ESTIMATIVA DE VAZÕES COM DADOS ESCASSOS: NOVAS HIPÓTESES PARA O MÉTODO SILVEIRA. 2016. Tese (Doutorado em PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AGRÍCOLA) - Universidade Federal de Santa Maria.

Daniel Gustavo Allasia Piccilli

LOPES DA SILVEIRA, G;ALLASIA, D. G.; GALILEO,A. D; FORGIARINI, F. R.; SILVA, J. L. S.. ANÁLISE DA DINÂMICA DO DEPLECIONAMENTO FLUVIAL EM PEQUENAS BACIAS: UMA AVALIAÇÃO PARA SUPORTE AO LICENCIAMENTO AMBIENTAL E AO PROCESSO DE OUTORGA. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AGRÍCOLA) - Universidade Federal de Santa Maria.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Orientou

Leonar Curto Bonini

ESTUDO DE VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE REAPROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA EM UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA DO SUL, RS; Início: 2019; Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental) - Universidade Federal de Santa Maria; (Orientador);

Everton Pinto da Luz

Eficiência na utilização de Wetlands no tratamento de efluente de um frigorífico bovino; 2016; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Engenharia Hídrica) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: João Francisco Carlexo Horn;

Janara Lilian Immich

Dimensionamento de um sistema de reaproveitamento da água da chuva para o campus Porto - UFPel; 2016; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Engenharia Hídrica) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: João Francisco Carlexo Horn;

Patrícia Damasceno Ribeiro

Dimensionamento de microrreservatórios de contenção de cheias em duas pequenas bacias hidrográficas urbanas da cidade de Pelotas-RS; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Engenharia Hídrica) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: João Francisco Carlexo Horn;

Fernando Nogueira Aguas

CARACTERIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES HIDRÁULICAS DO CANAL DA AVENIDA JUSCELINO KUBITSCHEK- PELOTAS/RS; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Engenharia Hídrica) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: João Francisco Carlexo Horn;

Nathália Silva Chites

Avaliação do modelo MPB2 para estimativa da disponibilidade hídrica de duas pequenas bacias hidrográficas com diferentes usos do solo; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Engenharia Hídrica) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: João Francisco Carlexo Horn;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Geraldo Lopes da Silveira

REGIME HIDROLÓGICO DE DUAS MICROBACIAS CONTÍGUAS: UM COMPARATIVO ENTRE USO URBANO E RURAL; 2012; Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Santa Maria, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Geraldo Lopes da Silveira;

Geraldo Lopes da Silveira

ESTIMATIVA DE VAZÕES COM DADOS ESCASSOS: NOVAS HIPÓTESES PARA O MÉTODO SILVEIRA; 2016; Tese (Doutorado em Engenharia Agrícola) - Universidade Federal de Santa Maria, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Geraldo Lopes da Silveira;

Geraldo Lopes da Silveira

Projeto Bacia Escola Urbana; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em Engenharia Ambiental) - Universidade Federal de Santa Maria, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Geraldo Lopes da Silveira;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • STEINMETZ, A. A. ; BESKOW, S. ; TERRA, F. S. ; NUNES, M. C. M. ; VARGAS, M. M. ; HORN, J. F. C. . Spatial discretization influence on flood modeling using unit hydrograph theory. REVISTA BRASILEIRA DE RECURSOS HÍDRICOS , v. 24, p. 1, 2019.

  • HORN, J. F. C. ; SILVEIRA, G. L. . Monitoramento fluviométrico de duas bacias hidrográficas vizinhas: comparação de vazões em períodos concomitantes. Revista Brasileira de Recursos Hídricos , v. 20, p. 809-816, 2015.

  • Buriol, A.B. ; HELDWEIN, A. B. ; PRESTES, S. D. ; HORN, J. F. C. . Estimativa da Radiação Solar Global a partir dos dados de insolação para Santa Maria, RS. Ciência Rural (UFSM. Impresso) , v. 42, p. 1563-1567, 2012.

  • HORN, J. F. C. ; Buriol, A.B. ; OLIVEIRA, E.D. ; Estefanel, V. . Disponibilidade de Radiação Solar em Santa Maria, RS. Disciplinarum Scientia. Série Ciências Naturais e Tecnológicas , v. 10, p. 67-76, 2009.

  • Forgiarini, F. R. ; HISTER, C. A. L. ; HORN, J. F. C. ; MORAES, L. M. ; SILVEIRA, G. L. . A gestão ambiental e suas implicações: estudo de caso em Silveira Martins/RS. In: David Lorenzi Junior, Debora Bobsin, Igor Bernardi Sonza e Luciana Davi Traverso. (Org.). Desafios da Gestão: Interfaces do turismo, agronegócio e meio ambiente. 1ed.Santa Maria: Cesma, 2015, v. , p. 337-360.

  • HORN, J. F. C. ; BAUMHARDT, E. ; CRUZ, J. C. . BALANÇO HÍDRICO E MONITORAMENTO EM FLORESTAS PLANTADAS COMO SUBSÍDIO AO PLANEJAMENTO EM MICROBACIAS. Amazônia, Recursos Hídricos e Diálogo Sócio Ambiental. Curitiba: Editora CRV, 2011, v. , p. 187-193.

  • STEINMETZ, A. A. ; VARGAS, M. M. ; BESKOW, S. ; TERRA, F. S. ; NUNES, M. C. M. ; HORN, J. F. C. . Estimativa de cheias no modelo HEC-HMS empregando diferentes abordagens de discretização espacial. In: XXII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2017, Florianópolis. Anais do XXII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2017.

  • RODRIGUES, A. A. ; STEINMETZ, A. A. ; VARGAS, M. M. ; BESKOW, S. ; TERRA, F. S. ; NUNES, M. C. M. ; HORN, J. F. C. . Avaliação de Modelos Geomorfológicos de Hidrograma unitário e discretização espacial visando a estimativa de cheias na bacia hidrográfica do Arroio Cadeira (RS). In: XXII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2017, Florianópolis. Anais do XXII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2017.

  • BATTISTI, A. ; SOUZA, E. E. B. ; BOLDRIN, M. ; BAUMHARDT, E. ; HORN, J. F. C. . Verificação de picos de condutividade elétrica da água em pequena bacia hidrográfica. In: XIII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste, 2016, Aracaju. Anais do XIII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste, 2016.

  • GUSMAO, J. S. ; SELL, B. M. ; SILVEIRA, J. P. M. ; VARGAS, M. M. ; CHAGAS NETA, M. C. C. ; PRA, M. D. ; Ahlert, S. ; HORN, J. F. C. . Análise hidrológica de um evento de precipitação na cidade de Pelotas - RS no ano de 2015. In: XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2015, Brasília. Anais do XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2015.

  • DIAS, C. G. G. ; NOSCHANG, A. A. ; HORN, J. F. C. ; Ahlert, S. ; MAZIERO, E. ; PADILHA, D. G. . Avaliação da influência do sedimento no escoamento em trecho de canal artificial de drenagem urbana da cidade de Pelotas - RS. In: XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2015, Brasília. Anais do XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2015.

  • BAUMHARDT, E. ; BOITO, E. ; SOUZA, H. C. ; SILVA, J. L. S ; CRUZ, J. C. ; MAZIERO, E. ; HORN, J. F. C. . Eucalipto no Bioma Pampa: Tópicos sobre a recarga subterrânea em microbacias. In: XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2015, Brasília. Anais do XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2015.

  • SELL, B. M. ; GUSMAO, J. S. ; SILVEIRA, J. P. M. ; VARGAS, M. M. ; CHAGAS NETA, M. C. C. ; HORN, J. F. C. ; PRA, M. D. ; Ahlert, S. . Uso de geotecnologias para avaliação qualitativa dos fatores de influência nas regiões críticas de alagamentos na cidade de Pelotas -RS. In: Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2015, Brasília. Anais do XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2015.

  • TAMIOSSO, M. F. ; TAMIOSSO, C. F. ; ARAUJO, R. K. ; CRUZ, J. C. ; HORN, J. F. C. ; SILVA, R. L. L. ; PASCOTINI, P. B. ; PEROTTO, F. . PREENCHIMENTO DE FALHAS DE DADOS OBSERVADOS DE VAZÃO UTILIZANDO A EQUAÇÃO DE MANNING. In: XX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2013, Bento Gonçalves. Anais do XX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2013.

  • BAUMHARDT, E. ; MAZIERO, E. ; TAMIOSSO, M. F. ; CRUZ, J. C. ; HORN, J. F. C. . INFLUENCIA DA MARÉ BAROMÉTRICA NOS DADOS DE COTA PARA MONITORAMENTO DE PEQUENAS BACIAS. In: XIV IWRA Congresso Mundial da Água, 2011, Porto de Galinhas. XIV World Water Congress - Proceedings - Anais, 2011.

  • SILVA, R. L. L. ; PICILLI, D.G.A. ; SILVEIRA, G. L. ; PADILHA, D. G. ; HORN, J. F. C. . INCREMENTO DA VARIÁVEL USO DO SOLO NA ANÁLISE RELATIVA À EROSÃO DA METODOLOGIA MMA. In: XIX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 2011, MACEIO, AL. XIX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 2011.

  • HORN, J. F. C. ; TAMIOSSO, M. F. ; SILVEIRA, G. L. ; CRUZ, J. C. ; SANAGIOTTO, D. G. ; MAZIERO, E. ; PADILHA, D. G. ; SILVA, R. L. L. . COEFICIENTES DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL: ESTUDO COMPARATIVO ENTRE DADOS OBSERVADOS E LITERATURA. In: XIX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 2011, MACEIO, AL. XIX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 2011.

  • SILVEIRA, G. L. ; Buriol, A.B. ; PAVANELO, L.B. ; BAUMHARDT, E. ; HERMES, L. ; HORN, J. F. C. ; SALLES, A. . Resíduo Sólido na Drenagem: Curva de Produção em função da precipitação em sub-bacia totalmente urbana. In: XVIII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 2009, Campo Grande. Programa Final livro de resumos, 2009.

  • LUZ, E. P. ; MAHL, M. ; CALDEIRA, T. L. ; VEBER, C. L. P. ; HORN, J. F. C. ; BESKOW, S. . Ferramenta computacional 'Isochrones : análise na bacia hidrográfica do Arroio Pelotas visando modelagem de cheias.. In: XXIII Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2014, Pelotas. Anais do XXIII Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2014.

  • PRA, M. D. ; HORN, J. F. C. . Desenvolvimento de Objetos de Aprendizagem em Mecânica dos Fluídos e Hidráulica. In: Mostra de Ensino da Universidade Federal de Pelotas, 2014, Pelotas. Anais da Mostra de Ensino da Universidade Federal de Pelotas, 2104.

  • CONSENSA, C.B. ; BAUMHARDT, E. ; HORN, J. F. C. . Análise do Número de Coletores da precipitação interna em floresta plantada de eucalyptus dunni aplicado no estudo da interceptação. In: 26ª Jornada Acadêmica da Universidade Federal de Santa Maria, 2011, Santa Maria. Anais da 26ª JAI, 2011.

  • LAMPERT, P. D. ; SILVEIRA, G. L. ; LUZ, G. O. ; D'AVILA, C.B. ; CONSENSA, C.B. ; HORN, J. F. C. . Estudo da Taxa de infiltração em bacias escola. In: 25ª Jornada Acadêmica Integrada, 2010, Santa Maria. 25ª Jornada Acadêmica Integrada, 2010.

  • LUZ, G. O. ; CRUZ, J. C. ; LORENSI, R. P. ; HORN, J. F. C. . Comparação de Diferentes Sistemas hidráulicos implementados em lavouras orizícolas como ferramenta de auxílio ao automonitoramento. In: 25ª Jornada Acadêmica Integrada, 2010, Santa Maria. 25ª Jornada Acadêmica Integrada, 2010.

  • COSTELLA, E. ; SANAGIOTTO, D. G. ; PERIUS, C. F. ; HORN, J. F. C. ; SILVEIRA, G. L. . Projeto e execução de ima estrutura hidráulica para o monitoramento da vazão em uma microbacia. In: 25ª Jornada Acadêmica Integrada, 2010, Santa Maria. 25ª Jornada Acadêmica Integrada, 2010.

  • SANAGIOTTO, D. G. ; COSTELLA, E. ; HORN, J. F. C. ; SILVEIRA, G. L. . Compara da capacidade de infiltração de água no solo de duas microbacias contíguas e de mesma área: uma sob uso semiurbano e outra sob uso rural. In: 25ª Jornada Acadêmica Integrada, 2010, Santa Maria. 25ª Jornada Acadêmica Integrada, 2010.

  • HORN, J. F. C. ; SANAGIOTTO, D. G. ; SILVEIRA, G. L. . Impacto no Escoamento e na Qualidade da água avaliados diretamente por meio de duas microbacias contíguas e com mesma área: uma sob uso agrícola e outra sob uso urbano. In: 25ª Jornada Acadêmica Integrada da UFSM, 2010, Santa Maria. Anais da 25ª JAI, 2010.

  • BAUMHARDT, E. ; GONZATTI, S.A. ; HORN, J. F. C. ; SÁ, Y.R.V ; CRUZ, J. C. . AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO HIDROLÓGICO EM PEQUENAS BACIAS COM CURVA DE PERMANÊNCIA. In: 24ª Jornada Acadêmica Integrada, 2009, Santa Maria. 24ª Jornada Acadêmica Integrada, 2009.

  • CONSENSA, C.B. ; CRUZ, J. C. ; HORN, J. F. C. ; BAUMHARDT, E. . Estimativa de larguras de faixas de área de preservação permanente recomendadas de acordo com as funções desempenhadas em torno de rede de drenagem: uma revisão. In: 24ª Jornada Acadêmica Integrada, 2009, Santa Maria. 24ª Jornada Acadêmica Integrada, 2009.

  • HORN, J. F. C. ; Buriol, A.B. ; Estefanel, V. . Estimativa da Radiação Solar a partir dos Dados de Insolação. In: XIII Simpósio de ensino, pesquisa e extensão do Centro Universitário Franciscano, 2009, Santa Maria. XIII Simpósio de ensino, pesquisa e extensão do Centro Universitário Franciscano, 2009.

  • HORN, J. F. C. . Impacto do desenvolvimento urbano na drenagem das águas pluviais. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • TAMIOSSO, M. F. ; TAMIOSSO, C. F. ; ARAUJO, R. K. ; CRUZ, J. C. ; HORN, J. F. C. ; SILVA, R. L. L. ; PASCOTINI, P. B. ; PEROTTO, F. . Preenchimento de falhas de dados observados de vazão utilizando a equação de manning. 2013. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • BAUMHARDT, E. ; MAZIERO, E. ; TAMIOSSO, M. F. ; CRUZ, J. C. ; HORN, J. F. C. . INFLUENCIA DA MARÉ BAROMÉTRICA NOS DADOS DE COTA PARA MONITORAMENTO DE PEQUENAS BACIAS. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • HORN, J. F. C. ; TAMIOSSO, M. F. ; SILVEIRA, G. L. ; CRUZ, J. C. ; SANAGIOTTO, D. G. ; PADILHA, D. G. ; MAZIERO, E. ; SILVA, R. L. L. . COEFICIENTES DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL: ESTUDO COMPARATIVO ENTRE DADOS OBSERVADOS E LITERATURA. 2011. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • SILVA, R. L. L. ; PICILLI, D.G.A. ; SILVEIRA, G. L. ; PADILHA, D. G. ; HORN, J. F. C. . Incremento da Variável uso do solo na análise relativa à erosão da metodologia MMA. 2011. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • HORN, J. F. C. ; PADILHA, D. G. ; MONTEIRO, J. S. . A perspectiva das áreas protegidas no município de Torres-RS. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • HORN, J. F. C. ; OLIVEIRA, E.D. ; Buriol, A.B. ; Estefanel, V. . Potencial de Radiação Solar em Santa Maria, RS. 2009. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • SALLES, A. ; HORN, J. F. C. ; LOPES, G. S. ; Buriol, A.B. ; BAUMHARDT, E. ; PAVANELO, L.B. ; HERMES, L. . Resíduo Sólido na Drenagem: Curva de Produção em função da precipitação em sub-bacia totalmente urbana. 2009. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • HORN, J. F. C. ; Buriol, A.B. ; OLIVEIRA, E.D. ; Estefanel, V. . Estimativa da Radiação Solar a partir dos Dados de Insolação. 2009. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • HORN, J. F. C. ; DONATO, F.F. ; STECKEL, L.F. ; WOLFF, D.B. . SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL EM UMA EMPRESA METAL MECÂNICA EM SANTA MARIA, RS.. 2008. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

HORN, J. F. C. . Projeto de licenciamento ambiental de Desinsetizadora. 2012.

HORN, J. F. C. . Projeto para Licenciamento ambiental de irrigação superficial para orizicultura. 2011.

HORN, J. F. C. . Projeto de licenciamento ambiental de irrigação superficial para orizicultura. 2011.

HORN, J. F. C. . Projeto de licenciamento ambiental de pista posto de abastecimento para aviação agrícola. 2011.

HORN, J. F. C. . Pelotenses buscam se prevenir de Alagamentos. 2015. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

LOPES, G. S. ; HORN, J. F. C. . Estimativa de vazões mínimas em bacias sem dados em apoio ao licenciamento e ao projeto de PCH's. 2015. .

LOPES, G. S. ; HORN, J. F. C. . Estimativa de vazões mínimas em bacias sem dados em apoio ao licenciamento e a gestão dos Recursos Hídricos. 2013. .

LOPES, G. S. ; HORN, J. F. C. . Estimativa de vazões mínimas em bacias sem dados em apoio ao licenciamento e a gestão dos Recursos Hídricos. 2013. .

HORN, J. F. C. . A poluição hídrica e suas fontes. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

HORN, J. F. C. . Métodos e Instrumentos para coleta de dados Hidrológicos e Climáticos. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

CRUZ, J. C. ; CRUZ, R. C. ; BAUMHARDT, E. ; HORN, J. F. C. ; D'AVILA, C.B. ; SILVEIRA, G. L. . Relatório Técnico Parcial I do projeto FINEP ? PROJETO BACIAS VERTENTES. 2011. (Relatório de pesquisa).

CRUZ, R. C. ; CRUZ, J. C. ; SILVEIRA, G. L. ; SILVERIO, ; PADILHA, D. G. ; MAZIERO, E. ; HORN, J. F. C. ; BAUMHARDT, E. . Relatório Técnico: Etapa I do projeto FINEP/CT-HIDRO - FRAG-RIO. 2011. (Relatório de pesquisa).

CRUZ, J. C. ; BAUMHARDT, E. ; CRUZ, R. C. ; SILVEIRA, G. L. ; SILVA, J. L. S ; MAZIERO, E. ; D'AVILA, C.B. ; HORN, J. F. C. ; PADILHA, D. G. ; MONTEIRO, J. S. ; CONSENSA, C.B. . Relatório Técnico Final do projeto CNPq - BEFLORESTA - Bacia Escola Floresta. 2010. (Relatório de pesquisa).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2019 - Atual

    Dinâmica da água sub-superficial em solos do Bioma Pampa, Descrição: O solo é um importante meio de suprimento de água para atender necessidade em sistemas de manejo agrícola. São suas propriedades físico-hídricas que o tornam capaz de regular a disponibilidade de água. O regime hidrológico na região do Bioma Pampa do Rio Grande do Sul vem sendo modificado. Em áreas com atividade agrícola da região, o armazenamento subsuperficial de águas pluviais vem diminuindo e casos de erosão hídrica de subsuperfície tem sido relatada. Não está claro o quanto e como tais situações estão afetando a dinâmica de água no solo na região. Com isso, o objetivo do presente projeto será avaliar como as formas de relevo e diferentes usos interferem no armazenamento de água em latossolos. Para isso será comparado o escoamento lateral sub-superficial de água com a geração de fluxo no exutório da bacia, em função do balanço hídrico, em duas bacias hidrográficas da região do Bioma Pampa no Rio Grande do Sul. Serão analisados morfologicamente perfis do solo para caracterizar a estrutura, consistência, cor, quantidade de raízes, tipo de poros, horizontes e manchas do solo. Análises físicas da densidade do solo, porosidade total, textura e condutividade hidráulica saturada serão realizadas. Serão estrategicamente impostas, ao longo da bacia escolhida, estruturas que permitam a leitura do comportamento físico dos principais parâmetros que contribuem para hidrodinâmica. Por meio de programas computacionais específicos para gestão de bacias hidrográficas, será elaborado um banco de dados sobre a área de estudo, onde o pós-processamento dessas informações responderá quais são os efeitos fixos que tem contribuindo para a perda de qualidade da região.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Alexandre Swarowsky - Coordenador / ANDRÉ GONÇALVES PANZIERA - Integrante / GABRIEL BASSOTTO MORETI - Integrante / GUSTAVO TAVARES LENCINA - Integrante.

  • 2019 - Atual

    Monitoramento Hidrossedimentológico na Bacia Hidrográfica do Campus da UFSM em Camobi, Descrição: A chuva é um agente erosivo que pode originar vários efeitos, dependendo de sua intensidade, quantidade, duração e frequência. Quando as águas da chuva atingem um solo desprotegido, sem interceptação da vegetação, desintegram parcialmente os agregados naturais do solo, libertando agregados finos chamados de sedimentos que posteriormente são carregados pelo escoamento superficial, este processo é conhecido como erosão hídrica superficial. A água que escoa pelo terreno pode formar depressões que aumentam para sulcos, e posteriormente grandes erosões como voçorocas. Além disso, os sedimentos se depositam nos corpos hídricos, rios ou reservatórios, ocasionando o assoreamento dos mesmos. Os objetivos deste projeto são avaliar a perda de solo em uma parcela com uso agrícola e o posterior transporte e deposição deste sedimento na bacia hidrográfica do Campus da UFSM em Camobi, nos seus rios e reservatórios. As metas do projeto são: - Caracterização física da área de estudo; - Instalação de medidores de descarga líquida e sólida; - Quantificação da descarga sólida de sedimentos em eventos de chuva.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Francisco Rossarola Forgiarini - Coordenador / FÁBIO SEBASTIAN OLIVEIRA FRANÇA - Integrante / GABRIELA THOMAZI - Integrante.

  • 2019 - Atual

    Manutenção, estruturação de ações e programas do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica dos Rios Vacacaí e Vacacaí Mirim, Descrição: Atualmente, com as mais frequentes e preocupantes crises hídricas em quase todo território brasileiro, o tema difundiu-se mais na sociedade, tanto para conscientização quanto preocupação com estes recursos. Por se tratar de uma questão de que impacta diretamente com a vida dos seres vivos, destaca-se a necessidade do apoio dos governos. Como um processo regulatório dos recursos hídricos a legislação do âmbito federal e estadual, instituiu mecanismos com o intuito de gerir este nosso patrimônio, que ao mesmo tempo que há fartura em algumas regiões assim como, escassez e desperdícios. Uma das ferramentas pertencentes ao sistema de recursos hídricos, são os comitês de bacias hidrográficas. Os comitês de bacias hidrográficas, foram instituídos pela Lei Federal n° 9.433, de 08 de janeiro de 1997 (BRASIL, 1997). No estado do Rio Grande do Sul, através da Lei 10.350, de 30 de dezembro de 1994, compondo o Sistema de Recursos Hídricos, o Conselho de Recursos Hídricos, o Departamento de Recursos Hídricos, os Comitês de Gerenciamento de Bacia Hidrográfica e as Agências de Região Hidrográfica (RIO GRANDE DO SUL, 1994). Os comitês representam a instância básica de participação da sociedade no Sistema. Tratam-se de colegiados instituídos oficialmente pelo Governo do Estado. Exercem poder deliberativo, uma vez que é no seu âmbito que são estabelecidas as prioridades de uso e as intervenções necessárias à gestão das águas de uma bacia hidrográfica, bem como devem ser dirimidos, em primeira instância, os eventuais conflitos. Tendo os recursos hídricos um fator determinante para o desenvolvimento regional, para o alcance de uma melhor qualidade de vida da população e para a garantia de disponibilização deste recurso para as futuras gerações, torna-se evidente o papel do gerenciamento de recursos hídricos na Bacia Hidrográfica dos Rios Vacacaí e Vacacaí-Mirim (CGBH Vacacaí e Vacacaí-Mirim).. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Camila Ferreira Tamiosso - Integrante / Alexandre Swarowsky - Coordenador / ANDRESSA BAMMESBERGER - Integrante / MICHELE LUSA BALBINOT - Integrante / TAIS CARINE SCHMITT - Integrante / THAIRA EVELIN EBERT - Integrante.

  • 2018 - Atual

    Estudos Aplicados na área de Engenharia do Meio Ambiente, Descrição: O Laboratório de Engenharia do Meio Ambiente (LEMA) é um órgão suplementar Setorial do Centro de Tecnologia, que possui nove setores: Análises Físico-Químicas; Microbiologia; Processos; Mecânica dos Fluidos e Hidráulica; Hidrometria e Hidrossedimentometria; Logística; Geoprocessamento; Ecotecnologias e Instalações Prediais; e Gestão dos Recursos Hídricos. São finalidades básicas do LEMA: I ? Desenvolver e apoiar as atividades de ensino prático e pesquisa experimental do CT. II ? Realizar pesquisas científicas e tecnológicas orientadas, preferencialmente, no sentido de atender às condições e características próprias da região, tendo em vista o seu desenvolvimento. III ? Atender as solicitações de entidades públicas e privadas, de acordo com as capacidades da equipe e infraestrutura disponível, no exame, estudos e soluções de questões técnicas na área de engenharia do meio ambiente. V ? Colaborar com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para o estabelecimento de padrões, normas, métodos, mantendo atualizado o acervo de normas técnicas, na área de Engenharia do Meio Ambiente. VI ? Atender ao treinamento de estudantes da UFSM e outras instituições, por meio de estágios supervisionados. VII ? Promover a realização de cursos de treinamento e aperfeiçoamento, bem como a capacitação de técnicos na área de engenharia do meio ambiente. VIII ? Celebrar contratos, acordos, termos de compromisso ou protocolo com pessoas e entidades públicas ou privadas, respeitando a legislação vigente da UFSM. IX ? Desenvolver outras atividades compatíveis com suas finalidades, equipe técnica e infraestrutura. Neste contexto, no âmbito da extensão, o LEMA procurará realizar a integração da Universidade Federal de Santa Maria com a sociedade na área de engenharia do meio ambiente.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (8) . , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Daniel G. Allasia Picilli - Integrante / Francisco Rossarola Forgiarini - Coordenador / Rutinéia Tassi - Integrante.

  • 2015 - Atual

    Caracterização hidrológica e manejo da Bacia Hidrográfica do Arroio Padre Doutor, Capão do Leão-RS: impactos do manejo, do uso da água e do solo na drenagem superficial em áreas urbanizadas, Descrição: As Bacias Hidrográficas são contornadas por divisores de águas, no qual as precipitações que caem no seu interior, parte infiltra e após atingir a capacidade de infiltração da água no solo inicia o escoamento superficial. Esse é direcionado para a rede de drenagem, onde a água da chuva mais partículas de sedimento em suspensão e arraste são transportadas em quantidade e intensidade proporcional a energia de escoamento. A morfometria da bacia hidrográfica repercute em todo o fluxo superficial de água, sendo utilizada como unidade geomorfológica fundamental para estudos e diagnósticos. Assim, torna-se necessário seu emprego como unidade territorial no desenvolvimento de atividades ligadas ao planejamento e gestão de recursos hídricos. O comportamento hidrológico da bacia é variável de uma para outra, sendo função das características morfológicas como: área, forma, topografia, geologia, solos e cobertura vegetal. Estas características afetam, diretamente, a infiltração, produção de escoamento, evapotranspiração, armazenamento de água no solo, entre outros. Além de que as interações entre estes componentes ou ações antrópicas são perceptíveis na seção de controle da bacia. Em bacias hidrográficas urbanas são muito mais pronunciáveis os efeitos das ações antrópicas no comportamento hidrológico, tendo como principal problema e geração de enchentes, causando grandes impactos em áreas urbanas, prejudicando as condições de vida da população e provocando prejuízos econômicos (PERES FILHO et al., 2006). De um modo geral, o processo de urbanização de áreas que antes se apresentava em um estado de uso e ocupação do solo praticamente inalterado, passa pela construção de medidas estruturais tais como, pavimentação de vias públicas, construção de rede de drenagem, canalização e retificação de cursos d?água. No entanto tais medidas podem intensificar os problemas de inundações. Certamente isto se agrava quando não é realizado um planejamento adequado na ocupação da bacia hidrográfica, sendo que a população mais carente tende a habitar áreas de risco de inundação. Assim, se faz necessários estudos hidrológicos, para compor um diagnóstico do manejo da bacia e das medidas mitigadoras tanto estruturais como não estruturais a serem adotadas, possibilitando uma melhoria de vida para a população. Portanto, o presente estudo pretende um adequado manejo de duas sub-bacias urbanas inseridas na Bacia Hidrográfica do Arroio Padre Doutor (Teodósio), no Município de Capão do Leão-RS... , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador / Siclério Ahlert - Integrante / Gilberto Loguercio Collares - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Análise do Deplecionamento fluvial em pequenas bacias: Avaliação para suporte ao licenciamento ambiental e ao processo de outorga, Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador.

  • 2013 - 2015

    AUTOMONITORAMENTO DO USO DOS RECURSOS HÍDRICOS EM LAVOURAS ORIZÍCOLAS UTILIZANDO VERTEDORES TRIANGULARES, Descrição: Contribuir para a gestão de recursos hídricos, buscando validar o sistema simplificado e de baixo custo para automonitoramento de quantidades de água utilizadas em lavouras orizícolas. Como objetivo correlato, identificar se existem diferenças significativas de volumes de água efetivamente utilizados nas lavouras de arroz (medidos pelo automonitoramento) e os volumes de outorga.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (10) . , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Geraldo Lopes da Silveira - Integrante / Edner Baumhardt - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Coordenador / Damaris Golçalves Padilha - Integrante / Rafael Cabral Cruz - Integrante / Elisandra Maziero - Integrante / Regis Leandro Lopes da Silva - Integrante / Flavio Luiz Foletto Eltz - Integrante / Francisco Rossarola Forgiarini - Integrante / Pedro Brites Pascotini - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2013 - Atual

    Projeto Biomas - Bioma Pama, Descrição: O Projeto Biomas é fruto de uma parceria entre a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). A partir do projeto, serão produzidas pesquisas técnicas e estudos sobre o comportamento do solo em cada Bioma, tornando possível a identificação dos diferentes potenciais do uso da terra das áreas analisadas. Os seis biomas brasileiros são a área de experiência deste projeto. Ao longo dos nove anos, pesquisadores e produtores rurais poderão colher os frutos de ter a área pesquisada mais fértil e diversificada. E o principal instrumento será o plantio arbóreo. ÁREA EXPERIMENTAL (PA2): Fazenda Caveiras do Sr. Valter José Pötter, região de Bagé, no Rio Grande do Sul.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (3) . , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Edner Baumhardt - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Coordenador / Pedro Brites Pascotini - Integrante., Financiador(es): Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil - Auxílio financeiro.

  • 2012 - 2014

    Desenvolvimento de Estudos e Metodologias de Apoio a Gestão de Recursos Hídricos, Descrição: O objetivo deste projeto é associar o atendimento das demandas da sociedade, sejam elas de cunho tecnológico, científico ou de inovação promovendo o desenvolvimento de estudos, a transferência de tecnologias e o aprimoramento de metodologias.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Geraldo Lopes da Silveira - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Coordenador / Elisandra Maziero - Integrante / Marilia Ferreira Tamiosso - Integrante / Regis Leandro Lopes da Silva - Integrante.

  • 2011 - 2014

    Befloresta 2 - Implementação de ferramentas para avaliação de impactos potenciais das florestas de eucalipto sobre os recursos hídricos por meio de microbacias experimentais, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Jussara Cabral Cruz em 22/05/2019., Descrição: A idéia central deste projeto fundamenta-se na busca por respostas à grande polêmica instalada no RS, a partir de 2005, com o anúncio dos investimentos em silvicultura do eucalipto por três grandes empresas florestais, com plantios localizados na metade sul do Estado do RS. Ainda em 2011, persistem as dúvidas e indagações em relação aos monocultivos florestais e a sua função hidrológica no Pampa. Busca-se portanto, a) entender o comportamento da flutuação de água subterrânea após eventos pluviométricos em microbacia florestada, quantificar a variação de volume de água no solo da bacia florestada em relação ao da bacia de campo e diagnosticar possíveis impactos na recarga, entender as relações da interceptação da água da chuva incidente nas copas do eucalipto, tomando a intensidade da chuva como referencial, modelar as respostas do córrego e do aquífero em relação à chuva real incidente no piso florestal, avaliar e diagnosticar níveis críticos de rebaixamento do lençol freático em relação à manutenção da cobertura florestal implantada.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (4) . , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Geraldo Lopes da Silveira - Integrante / Edner Baumhardt - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Coordenador / Calinca Barão de Avila - Integrante / CATARINE BARCELLOS CONSENSA - Integrante / Damaris Golçalves Padilha - Integrante / Josita Soares Monteiro - Integrante / José Silvério - Integrante / Elisandra Maziero - Integrante.

  • 2011 - Atual

    Projeto HidroECO : Estratégia metodológica de monitoramento quali-quantitativo com vistas à aplicação na definição de hidrogramas de vazão ecológica, Descrição: A implantação de reservatórios, ou barramentos, altera o regime hidrológico natural do rio. Geralmente, para a geração de energia, esse regime é alterado quando se regulariza a vazão, ou quando se criam trechos de vazão alterada (TVA's), ou seja, parte da vazão é desviada para as turbinas, e parte para alças de vazão reduzida (AVR's), somando-se estas vazões em um ponto mais a jusante. No Brasil, a prática tradicionalmente utilizada para o estabelecimento de uma vazão mínima a ser mantida nesta AVR nem sempre contempla os aspectos ecológicos importantes para os ecossistemas existentes e para os usos do recurso existentes a jusante, uma vez que é focada em uma vazão de referência, obtida através de séries históricas, desprezando a dependência que algumas espécies tem da variabilidade natural das vazões. No intuito de buscar alternativas para o estabelecimento de um regime ecologicamente viável nas AVR's, tem-se como objetivo deste projeto a proposição de uma metodologia para definir estratégias de monitoramento quali-quantitativo dos escoamentos em trechos de vazão alterada e reduzida por barramentos em suporte a prescrição do regime de vazões ecológicas e necessárias aos outros usos, além da manutenção da classe de enquadramento do rio. Para isso, será feito um estudo de caso na AVR da UHE São João, no Rio Ijuí. Para este estudo serão realizadas as seguintes etapas: Etapa 1: Caracterização da região: levantamento dos índices fisiográficos e obtenção de dados operacionais da usina hidrelétrica projetada. Etapa 2: Avaliação da franja de tensão: avalia-se o hidrograma natural pré-obra por métodos convencionais, e a seguir avalia-se este hidrograma pelo método desenvolvido por Cruz (2005), definindo-se a variabilidade a ser mantida a jusante da obra. Etapa 3: Simulação Hidroenergética: simula-se a operação da usina que mantenha a franja de tensão para diferentes cenários de vazão de base. Etapa 4: Outros Usos: levantamento dos outros usos vinculados ao trecho de vazão a. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Geraldo Lopes da Silveira - Coordenador / Edner Baumhardt - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Integrante / Damaris Golçalves Padilha - Integrante / Josita Soares Monteiro - Integrante / Rafael Cabral Cruz - Integrante / Elisandra Maziero - Integrante.

  • 2011 - Atual

    Avaliação do impacto da urbanização sobre os recursos hídricos no ambiente rural em Silveira Martins-RS., Descrição: Ocupação urbana irregular; canalização de cursos de água urbanos; alagamentos anuais frequentes; esgotos sanitários e resíduos sólidos nos cursos de água urbanos; racionamento de água em residências. Esta é a realidade de Silveira Martins, município gaúcho com 2.452 habitantes. Este quadro existente em uma pequena cidade mostra a falta de planejamento no desenvolvimento das áreas urbanas no Brasil. O projeto pretende responder as seguintes questões: Qual a extensão do impacto da área urbana sobre o ambiente rural? Quais ações, adequadas para a realidade local, poderiam ser empregadas para minimizar os impactos da urbanização? Quais os impactos sobre as atividades econômicas que dependem do ambiente preservado?.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador / Francisco Rossarola Forgiarini - Integrante / Liliane Milani de Moraes - Integrante / Tiago Pereira dos Santos - Integrante., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul - Auxílio financeiro.

  • 2010 - 2014

    PROJETO BACIA ESCOLA - CAMPUS UFSM, Descrição: A região do Campus da UFSM localiza-se na porção intermediária de pequena bacia hidrográfica que define uma das nascentes do rio Vacacaí-Mirim. Esta bacia possui área de drenagem de 9,7 km² e situa-se na região central do Estado do Rio Grande do Sul. A bacia encontra-se assentada no compartimento geomorfológico da depressão central do Rio Grande do Sul. Está em sua totalidade alterada por processo de urbanização e de utilização do solo para a agricultura. O Campus ocupa 65% da área da bacia. A porção da bacia que não pertence ao Campus localiza-se a montante dessa região e possui intenso processo de urbanização, produto da implantação de núcleos de habitações populares e de ocupação de terras inicialmente invadidas, hoje regularizadas em seus aspectos fundiários, pela prefeitura de Santa Maria. Também fazem parte da região de montante da bacia construções de elevado padrão, entretanto, para toda a região, inexiste sistema de esgotos cloacais, o que impacta sobremaneira a bacia. Em menor proporção, a área do Campus apresenta aspectos negativos que contribuem para impactar e degradar a qualidade dos recursos hídricos, visto que alguns prédios ainda possuem sistemas de esgotos subdimensionados, produto de passivo ambiental mais antigo. Em conseqüência, os escoamentos na bacia apresentam-se visualmente poluídos e efetivamente impactados por esgotos domésticos e se desenvolvem, em sua grande parte na região do Campus. A aparência evidenciada pela poluição induz a comunidade interna e externa a atribuir à Universidade o crédito pelas cargas poluidoras.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Geraldo Lopes da Silveira - Coordenador / Delmira Beatriz Wolff - Integrante / Edner Baumhardt - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Integrante / Damaris Golçalves Padilha - Integrante / DANIELA GUZZON SANAGIOTTO - Integrante / Elisandra Maziero - Integrante.

  • 2009 - 2012

    IMPACTO NO ESCOAMENTO E NA QUALIDADE DA ÁGUA AVALIADOS DIRETAMENTE POR MEIO DE DUAS MICROBACIAS CONTÍGUAS E COM MESMA ÁREA: UMA SOB USO AGRÍCOLA E OUTRA SOB USO URBANO, Descrição: Esta pesquisa busca dar continuidade aos projetos de monitoramento de bacias hidrográficas, com vistas à produção de informação que possam subsidiar tomadas de decisão no âmbito do planejamento do uso dos recursos hídricos. Na configuração atual tem-se implantado o monitoramento de uma pequena bacia hidrográfica (3,5 km2) dentro da área de abrangência do Campus, em uma região de ocupação semiurbanizada. Nesse projeto, propõe-se a continuidade de monitoramento dessa área concomitantemente a avaliação de uma bacia contígua a já monitorada, de mesma área. Assim, poderá ser avaliado diretamente o impacto do processo de urbanização no escoamento e na qualidade da água, já que as duas bacias encontram-se lado a lado, o que resulta em condições semelhantes de precipitação, de insolação, de evaporação, com semelhante tipo de solo e demais características fisiográficas, sendo a ocupação do solo a única diferença.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Geraldo Lopes da Silveira - Integrante / Edner Baumhardt - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Integrante / Damaris Golçalves Padilha - Integrante / DANIELA GUZZON SANAGIOTTO - Coordenador / Elisandra Maziero - Integrante.

  • 2009 - 2010

    Projeto Bacia Escola Urbana, Descrição: A deposição de resíduos sólidos em cursos de água geram problemas como a poluição dos mananciais e a obstrução dos canais, que podem causar inundações, as quais, além de impactos econômicos, podem causar impactos na saúde da população. Para gerar subsídios ao processo de tomada de decisão pelos gestores municipais são necessárias informações referentes ao montante de resíduos gerados em cada chuva. Para cada evento de chuva, a coleta de resíduos sólidos será realizada à montante da estação fluviométrica do arroio Esperança, por meio de uma estrutura coletora. Além disso, serão coletados dados de resíduos gerados por meio deste monitoramentos de chuvas intensas, na sub-bacia do arroio Esperança (0,57km2) - uma pequena bacia com ocupação urbana intensa localizada na região central de Santa Maria - RS. Os resíduos serão separados, pesados e qualificados de acordo com os padrões de cores segundo a RESOLUÇÃO DO CONAMA n.º 275 de 25 de abril 2001.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Geraldo Lopes da Silveira - Coordenador / Alessando Salles da Silva - Integrante.

  • 2008 - 2012

    BACIAS VERTENTES: ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS PARA MONITORAMENTO, MODELAGEM E GESTÃO, Descrição: Desenvolvimento de estratégias metodológicas para determinação da disponibilidade hídrica e autorização de uso de água bruta em apoio a instrução de processos de outorga de recursos hídricos em pequenas bacias ( cabeceiras ou vertentes) de forma articulada com os outros instrumentos de gestão, destacadamente o enquadramento dos corpos de água. Para pequenas bacias (rurais ou urbanas) são necessárias estratégias metodológicas especiais, tanto para determinação das disponibilidades hídricas do RS, 95% das solicitações de outorga se referem a vazões de origem fluvial, foco do presente estudo (DRH, 2007). Usualmente os modelos de balanço hídrico para outorga trabalham com trechos para gerenciamento definindo volumes outorgáveis vinculados à seção de montante desse trecho. Em decorrência, as bacias de cabeceira requerem estratégia especial de outorga, pois iniciam nos divisores de água e rigorosamente não possuem seção de referência a montante. Possuem escassa disponibilidade de dados pela carência do monitoramento em bacias de cabeceira, conforme se depreende do inventário de estações fluviométricas do Brasil. Desta forma, identificam-se três caminhos para o aprimoramento de uma base metodológica que permita uma maior realidade da aplicação dos instrumentos de gestão para pequenas bacias, conforme apresentado a seguir: 1) Modelagem hidrológica em bacias de cabeceira para a avaliação de disponibilidade hídrica em bacias com carência de dados. O pressuposto é a necessidade de avaliação de disponibilidade com poucos dados de calibragem de modelos, mais baseada na filosofia do PUBs (IAHS Decade on Predictions in Ungauged Basins). 2) Monitoramento hidrológico para sustentar a modelagem hidrológica em seus objetivos de desenvolvimento metodológico e de estimativa de volumes outorgáveis a partir de pequenas amostragens de vazões. 3) Modelagem de balanço hídrico para repartição e conservação das águas em bases sustentáveis, considerando a diversidade de usos e o ambiente, no in. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Geraldo Lopes da Silveira - Integrante / Delmira Beatriz Wolff - Integrante / Edner Baumhardt - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Coordenador / Leonardo Bachio Pavanelo - Integrante / Laura Hermes - Integrante / Calinca Barão D'avila - Integrante / Simone Angela Gonzatti - Integrante / Calinca Barão de Avila - Integrante / CATARINE BARCELLOS CONSENSA - Integrante / Damaris Golçalves Padilha - Integrante / Josita Soares Monteiro - Integrante / PAMINA DIAS LAMPERT - Integrante / GLAUCO DE OLIVEIRA DA LUZ - Integrante / RAQUEL PAULA LORENSI - Integrante / EDUARDO COSTELLA - Integrante / DANIELA GUZZON SANAGIOTTO - Integrante / Rafael Cabral Cruz - Integrante / José Silvério - Integrante / Elisandra Maziero - Integrante.

  • 2008 - 2011

    Bacia Escola Floresta - BEFLORESTA, Descrição: Os impactos no regime hidrológico da mudança da conbertura original no Bioma Pampa pelo florestamento com espécie do gênero Eucalyptos são ainda desconhecidas. O objetivo desta pesquisa é avaliar o grau de impacto utilizado como instrumentos o monitoramento hidrológico (pluviométrico e fluviométrico) e a avaliação de disponibilidade pela curva de permanência. As duas bacias a serem instrumentadas devem apresentar semelhanças características fisiográficas e de clima, uma florestada e outra com passtagem natural, atribuindo-se eventuais alerações de disponibilidade hídrica diretamente ao uso do solo em decorrência do florestamento. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (5) . , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Alessando Salles da Silva - Integrante / Edner Baumhardt - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Coordenador / Geraldo da Silveira Lopes - Integrante.

  • 2008 - 2011

    Desenvolvimento metodológico e tecnológico para Avaliação Ambiental Integrada aplicada ao processo de análise da viabilidade de hidrelétricas, Descrição: Aprimorar metodologia de avaliação de fragilidades ambientais em apoio à gestão ambiental integrada e à tomada de decisão no processo de licenciamento ambiental de empreendimentos hidrelétricos nas regiões do Médio e Alto Uruguai,no trecho nacional da Bacia Hidrográfica do Rio Uruguai.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Integrante / Geraldo Lopes da Silveira - Integrante / Edner Baumhardt - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Coordenador / Leonardo Bachio Pavanelo - Integrante / ADRIANO TASCHETTO ANTOLINI - Integrante / Damaris Golçalves Padilha - Integrante / Josita Soares Monteiro - Integrante / Rafael Cabral Cruz - Integrante / Elisandra Maziero - Integrante.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de desenvolvimento

  • 2000 - 2009

    Gerenciamento dos recursos hídricos na Bacia do Campus da UFSM: Monitoramento quali-quantitativo dos recursos hídricos para avaliação da adequação ambiental, Descrição: O Objetivo deste projeto é o de avaliar as condições qualiquantitativas atuais dos recursos hídricos dos mananciais que se inserem na bacia do campus da UFSM. A fase inicial do projeto a que se refere o presente registro compreende a avaliação dos ecursos superficiais e dos subterraneos mediante o levantamento de dados junto as estaçãoes de avaliação superficiala serem instaladas peloprojeto e a dos poços de captação de agua subterranea que são atualmente utilizados pela UFSM para seu abastecimento. Os postos de avaliação dos recursos hídricos superficiais constituir-se-ao de estruturas hidráulicas medidoras de vazões do tipo Parshal de fundo raso a serem construidas em numero inicial de seis a serem financiadas pela presfeitura da cidade Universitária. A avaliação subterrânea tem a preocupação principal de avaliar as condições do resurso quanto as suas consições de uso visto ser de origem profunda e desta forma estar desconectada( fora o local onde foram perfurados os poços) das consequências da ação antropica que ocorre na superfície onde ocorrem os impactos da ação antrópica adota-se a sequinte estratégia: a) Diagnósticoda situação atual pelo levantamento das condições quali-quantitativas e b) Avaliação da adequação ambiental de processos e procedimentos ao longo do tempo pelo monitoramento para quantificação das melhorias ocorridas e c) cadastro de processos e procedimentos que proporciponam condiçõesde minimização de impactos as quais devem ser creditadas as melhorias detectadas por este projeto atravez do monitoramento qualiquantitativo. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador.

  • 2000 - 2009

    Gerenciamento dos recursos hídricos na Bacia do Campus da UFSM: Monitoramento quali-quantitativo dos recursos hídricos para avaliação da adequação ambiental, Descrição: O Objetivo deste projeto é o de avaliar as condições qualiquantitativas atuais dos recursos hídricos dos mananciais que se inserem na bacia do campus da UFSM. A fase inicial do projeto a que se refere o presente registro compreende a avaliação dos ecursos superficiais e dos subterraneos mediante o levantamento de dados junto as estaçãoes de avaliação superficiala serem instaladas peloprojeto e a dos poços de captação de agua subterranea que são atualmente utilizados pela UFSM para seu abastecimento. Os postos de avaliação dos recursos hídricos superficiais constituir-se-ao de estruturas hidráulicas medidoras de vazões do tipo Parshal de fundo raso a serem construidas em numero inicial de seis a serem financiadas pela presfeitura da cidade Universitária. A avaliação subterrânea tem a preocupação principal de avaliar as condições do resurso quanto as suas consições de uso visto ser de origem profunda e desta forma estar desconectada( fora o local onde foram perfurados os poços) das consequências da ação antropica que ocorre na superfície onde ocorrem os impactos da ação antrópica adota-se a sequinte estratégia: a) Diagnósticoda situação atual pelo levantamento das condições quali-quantitativas e b) Avaliação da adequação ambiental de processos e procedimentos ao longo do tempo pelo monitoramento para quantificação das melhorias ocorridas e c) cadastro de processos e procedimentos que proporciponam condiçõesde minimização de impactos as quais devem ser creditadas as melhorias detectadas por este projeto atravez do monitoramento qualiquantitativo. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador.

  • 2000 - 2009

    Gerenciamento dos recursos hídricos na Bacia do Campus da UFSM: Monitoramento quali-quantitativo dos recursos hídricos para avaliação da adequação ambiental, Descrição: O Objetivo deste projeto é o de avaliar as condições qualiquantitativas atuais dos recursos hídricos dos mananciais que se inserem na bacia do campus da UFSM. A fase inicial do projeto a que se refere o presente registro compreende a avaliação dos ecursos superficiais e dos subterraneos mediante o levantamento de dados junto as estaçãoes de avaliação superficiala serem instaladas peloprojeto e a dos poços de captação de agua subterranea que são atualmente utilizados pela UFSM para seu abastecimento. Os postos de avaliação dos recursos hídricos superficiais constituir-se-ao de estruturas hidráulicas medidoras de vazões do tipo Parshal de fundo raso a serem construidas em numero inicial de seis a serem financiadas pela presfeitura da cidade Universitária. A avaliação subterrânea tem a preocupação principal de avaliar as condições do resurso quanto as suas consições de uso visto ser de origem profunda e desta forma estar desconectada( fora o local onde foram perfurados os poços) das consequências da ação antropica que ocorre na superfície onde ocorrem os impactos da ação antrópica adota-se a sequinte estratégia: a) Diagnósticoda situação atual pelo levantamento das condições quali-quantitativas e b) Avaliação da adequação ambiental de processos e procedimentos ao longo do tempo pelo monitoramento para quantificação das melhorias ocorridas e c) cadastro de processos e procedimentos que proporciponam condiçõesde minimização de impactos as quais devem ser creditadas as melhorias detectadas por este projeto atravez do monitoramento qualiquantitativo. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador.

  • 2000 - 2009

    Gerenciamento dos recursos hídricos na Bacia do Campus da UFSM: Monitoramento quali-quantitativo dos recursos hídricos para avaliação da adequação ambiental, Descrição: O Objetivo deste projeto é o de avaliar as condições qualiquantitativas atuais dos recursos hídricos dos mananciais que se inserem na bacia do campus da UFSM. A fase inicial do projeto a que se refere o presente registro compreende a avaliação dos ecursos superficiais e dos subterraneos mediante o levantamento de dados junto as estaçãoes de avaliação superficiala serem instaladas peloprojeto e a dos poços de captação de agua subterranea que são atualmente utilizados pela UFSM para seu abastecimento. Os postos de avaliação dos recursos hídricos superficiais constituir-se-ao de estruturas hidráulicas medidoras de vazões do tipo Parshal de fundo raso a serem construidas em numero inicial de seis a serem financiadas pela presfeitura da cidade Universitária. A avaliação subterrânea tem a preocupação principal de avaliar as condições do resurso quanto as suas consições de uso visto ser de origem profunda e desta forma estar desconectada( fora o local onde foram perfurados os poços) das consequências da ação antropica que ocorre na superfície onde ocorrem os impactos da ação antrópica adota-se a sequinte estratégia: a) Diagnósticoda situação atual pelo levantamento das condições quali-quantitativas e b) Avaliação da adequação ambiental de processos e procedimentos ao longo do tempo pelo monitoramento para quantificação das melhorias ocorridas e c) cadastro de processos e procedimentos que proporciponam condiçõesde minimização de impactos as quais devem ser creditadas as melhorias detectadas por este projeto atravez do monitoramento qualiquantitativo. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador.

  • 2000 - 2009

    Gerenciamento dos recursos hídricos na Bacia do Campus da UFSM: Monitoramento quali-quantitativo dos recursos hídricos para avaliação da adequação ambiental, Descrição: O Objetivo deste projeto é o de avaliar as condições qualiquantitativas atuais dos recursos hídricos dos mananciais que se inserem na bacia do campus da UFSM. A fase inicial do projeto a que se refere o presente registro compreende a avaliação dos ecursos superficiais e dos subterraneos mediante o levantamento de dados junto as estaçãoes de avaliação superficiala serem instaladas peloprojeto e a dos poços de captação de agua subterranea que são atualmente utilizados pela UFSM para seu abastecimento. Os postos de avaliação dos recursos hídricos superficiais constituir-se-ao de estruturas hidráulicas medidoras de vazões do tipo Parshal de fundo raso a serem construidas em numero inicial de seis a serem financiadas pela presfeitura da cidade Universitária. A avaliação subterrânea tem a preocupação principal de avaliar as condições do resurso quanto as suas consições de uso visto ser de origem profunda e desta forma estar desconectada( fora o local onde foram perfurados os poços) das consequências da ação antropica que ocorre na superfície onde ocorrem os impactos da ação antrópica adota-se a sequinte estratégia: a) Diagnósticoda situação atual pelo levantamento das condições quali-quantitativas e b) Avaliação da adequação ambiental de processos e procedimentos ao longo do tempo pelo monitoramento para quantificação das melhorias ocorridas e c) cadastro de processos e procedimentos que proporciponam condiçõesde minimização de impactos as quais devem ser creditadas as melhorias detectadas por este projeto atravez do monitoramento qualiquantitativo. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador.

  • 2000 - 2009

    Gerenciamento dos recursos hídricos na Bacia do Campus da UFSM: Monitoramento quali-quantitativo dos recursos hídricos para avaliação da adequação ambiental, Descrição: O Objetivo deste projeto é o de avaliar as condições qualiquantitativas atuais dos recursos hídricos dos mananciais que se inserem na bacia do campus da UFSM. A fase inicial do projeto a que se refere o presente registro compreende a avaliação dos ecursos superficiais e dos subterraneos mediante o levantamento de dados junto as estaçãoes de avaliação superficiala serem instaladas peloprojeto e a dos poços de captação de agua subterranea que são atualmente utilizados pela UFSM para seu abastecimento. Os postos de avaliação dos recursos hídricos superficiais constituir-se-ao de estruturas hidráulicas medidoras de vazões do tipo Parshal de fundo raso a serem construidas em numero inicial de seis a serem financiadas pela presfeitura da cidade Universitária. A avaliação subterrânea tem a preocupação principal de avaliar as condições do resurso quanto as suas consições de uso visto ser de origem profunda e desta forma estar desconectada( fora o local onde foram perfurados os poços) das consequências da ação antropica que ocorre na superfície onde ocorrem os impactos da ação antrópica adota-se a sequinte estratégia: a) Diagnósticoda situação atual pelo levantamento das condições quali-quantitativas e b) Avaliação da adequação ambiental de processos e procedimentos ao longo do tempo pelo monitoramento para quantificação das melhorias ocorridas e c) cadastro de processos e procedimentos que proporciponam condiçõesde minimização de impactos as quais devem ser creditadas as melhorias detectadas por este projeto atravez do monitoramento qualiquantitativo. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador.

  • 2000 - 2009

    Gerenciamento dos recursos hídricos na Bacia do Campus da UFSM: Monitoramento quali-quantitativo dos recursos hídricos para avaliação da adequação ambiental, Descrição: O Objetivo deste projeto é o de avaliar as condições qualiquantitativas atuais dos recursos hídricos dos mananciais que se inserem na bacia do campus da UFSM. A fase inicial do projeto a que se refere o presente registro compreende a avaliação dos ecursos superficiais e dos subterraneos mediante o levantamento de dados junto as estaçãoes de avaliação superficiala serem instaladas peloprojeto e a dos poços de captação de agua subterranea que são atualmente utilizados pela UFSM para seu abastecimento. Os postos de avaliação dos recursos hídricos superficiais constituir-se-ao de estruturas hidráulicas medidoras de vazões do tipo Parshal de fundo raso a serem construidas em numero inicial de seis a serem financiadas pela presfeitura da cidade Universitária. A avaliação subterrânea tem a preocupação principal de avaliar as condições do resurso quanto as suas consições de uso visto ser de origem profunda e desta forma estar desconectada( fora o local onde foram perfurados os poços) das consequências da ação antropica que ocorre na superfície onde ocorrem os impactos da ação antrópica adota-se a sequinte estratégia: a) Diagnósticoda situação atual pelo levantamento das condições quali-quantitativas e b) Avaliação da adequação ambiental de processos e procedimentos ao longo do tempo pelo monitoramento para quantificação das melhorias ocorridas e c) cadastro de processos e procedimentos que proporciponam condiçõesde minimização de impactos as quais devem ser creditadas as melhorias detectadas por este projeto atravez do monitoramento qualiquantitativo. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador.

  • 2000 - 2009

    Gerenciamento dos recursos hídricos na Bacia do Campus da UFSM: Monitoramento quali-quantitativo dos recursos hídricos para avaliação da adequação ambiental, Descrição: O Objetivo deste projeto é o de avaliar as condições qualiquantitativas atuais dos recursos hídricos dos mananciais que se inserem na bacia do campus da UFSM. A fase inicial do projeto a que se refere o presente registro compreende a avaliação dos ecursos superficiais e dos subterraneos mediante o levantamento de dados junto as estaçãoes de avaliação superficiala serem instaladas peloprojeto e a dos poços de captação de agua subterranea que são atualmente utilizados pela UFSM para seu abastecimento. Os postos de avaliação dos recursos hídricos superficiais constituir-se-ao de estruturas hidráulicas medidoras de vazões do tipo Parshal de fundo raso a serem construidas em numero inicial de seis a serem financiadas pela presfeitura da cidade Universitária. A avaliação subterrânea tem a preocupação principal de avaliar as condições do resurso quanto as suas consições de uso visto ser de origem profunda e desta forma estar desconectada( fora o local onde foram perfurados os poços) das consequências da ação antropica que ocorre na superfície onde ocorrem os impactos da ação antrópica adota-se a sequinte estratégia: a) Diagnósticoda situação atual pelo levantamento das condições quali-quantitativas e b) Avaliação da adequação ambiental de processos e procedimentos ao longo do tempo pelo monitoramento para quantificação das melhorias ocorridas e c) cadastro de processos e procedimentos que proporciponam condiçõesde minimização de impactos as quais devem ser creditadas as melhorias detectadas por este projeto atravez do monitoramento qualiquantitativo. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador.

  • 2000 - 2009

    Gerenciamento dos recursos hídricos na Bacia do Campus da UFSM: Monitoramento quali-quantitativo dos recursos hídricos para avaliação da adequação ambiental, Descrição: O Objetivo deste projeto é o de avaliar as condições qualiquantitativas atuais dos recursos hídricos dos mananciais que se inserem na bacia do campus da UFSM. A fase inicial do projeto a que se refere o presente registro compreende a avaliação dos ecursos superficiais e dos subterraneos mediante o levantamento de dados junto as estaçãoes de avaliação superficiala serem instaladas peloprojeto e a dos poços de captação de agua subterranea que são atualmente utilizados pela UFSM para seu abastecimento. Os postos de avaliação dos recursos hídricos superficiais constituir-se-ao de estruturas hidráulicas medidoras de vazões do tipo Parshal de fundo raso a serem construidas em numero inicial de seis a serem financiadas pela presfeitura da cidade Universitária. A avaliação subterrânea tem a preocupação principal de avaliar as condições do resurso quanto as suas consições de uso visto ser de origem profunda e desta forma estar desconectada( fora o local onde foram perfurados os poços) das consequências da ação antropica que ocorre na superfície onde ocorrem os impactos da ação antrópica adota-se a sequinte estratégia: a) Diagnósticoda situação atual pelo levantamento das condições quali-quantitativas e b) Avaliação da adequação ambiental de processos e procedimentos ao longo do tempo pelo monitoramento para quantificação das melhorias ocorridas e c) cadastro de processos e procedimentos que proporciponam condiçõesde minimização de impactos as quais devem ser creditadas as melhorias detectadas por este projeto atravez do monitoramento qualiquantitativo. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador.

  • 2000 - 2009

    Gerenciamento dos recursos hídricos na Bacia do Campus da UFSM: Monitoramento quali-quantitativo dos recursos hídricos para avaliação da adequação ambiental, Descrição: O Objetivo deste projeto é o de avaliar as condições qualiquantitativas atuais dos recursos hídricos dos mananciais que se inserem na bacia do campus da UFSM. A fase inicial do projeto a que se refere o presente registro compreende a avaliação dos ecursos superficiais e dos subterraneos mediante o levantamento de dados junto as estaçãoes de avaliação superficiala serem instaladas peloprojeto e a dos poços de captação de agua subterranea que são atualmente utilizados pela UFSM para seu abastecimento. Os postos de avaliação dos recursos hídricos superficiais constituir-se-ao de estruturas hidráulicas medidoras de vazões do tipo Parshal de fundo raso a serem construidas em numero inicial de seis a serem financiadas pela presfeitura da cidade Universitária. A avaliação subterrânea tem a preocupação principal de avaliar as condições do resurso quanto as suas consições de uso visto ser de origem profunda e desta forma estar desconectada( fora o local onde foram perfurados os poços) das consequências da ação antropica que ocorre na superfície onde ocorrem os impactos da ação antrópica adota-se a sequinte estratégia: a) Diagnósticoda situação atual pelo levantamento das condições quali-quantitativas e b) Avaliação da adequação ambiental de processos e procedimentos ao longo do tempo pelo monitoramento para quantificação das melhorias ocorridas e c) cadastro de processos e procedimentos que proporciponam condiçõesde minimização de impactos as quais devem ser creditadas as melhorias detectadas por este projeto atravez do monitoramento qualiquantitativo. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador.

  • 2000 - 2009

    Gerenciamento dos recursos hídricos na Bacia do Campus da UFSM: Monitoramento quali-quantitativo dos recursos hídricos para avaliação da adequação ambiental, Descrição: O Objetivo deste projeto é o de avaliar as condições qualiquantitativas atuais dos recursos hídricos dos mananciais que se inserem na bacia do campus da UFSM. A fase inicial do projeto a que se refere o presente registro compreende a avaliação dos ecursos superficiais e dos subterraneos mediante o levantamento de dados junto as estaçãoes de avaliação superficiala serem instaladas peloprojeto e a dos poços de captação de agua subterranea que são atualmente utilizados pela UFSM para seu abastecimento. Os postos de avaliação dos recursos hídricos superficiais constituir-se-ao de estruturas hidráulicas medidoras de vazões do tipo Parshal de fundo raso a serem construidas em numero inicial de seis a serem financiadas pela presfeitura da cidade Universitária. A avaliação subterrânea tem a preocupação principal de avaliar as condições do resurso quanto as suas consições de uso visto ser de origem profunda e desta forma estar desconectada( fora o local onde foram perfurados os poços) das consequências da ação antropica que ocorre na superfície onde ocorrem os impactos da ação antrópica adota-se a sequinte estratégia: a) Diagnósticoda situação atual pelo levantamento das condições quali-quantitativas e b) Avaliação da adequação ambiental de processos e procedimentos ao longo do tempo pelo monitoramento para quantificação das melhorias ocorridas e c) cadastro de processos e procedimentos que proporciponam condiçõesde minimização de impactos as quais devem ser creditadas as melhorias detectadas por este projeto atravez do monitoramento qualiquantitativo. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador.

  • 2000 - 2009

    Gerenciamento dos recursos hídricos na Bacia do Campus da UFSM: Monitoramento quali-quantitativo dos recursos hídricos para avaliação da adequação ambiental, Descrição: O Objetivo deste projeto é o de avaliar as condições qualiquantitativas atuais dos recursos hídricos dos mananciais que se inserem na bacia do campus da UFSM. A fase inicial do projeto a que se refere o presente registro compreende a avaliação dos ecursos superficiais e dos subterraneos mediante o levantamento de dados junto as estaçãoes de avaliação superficiala serem instaladas peloprojeto e a dos poços de captação de agua subterranea que são atualmente utilizados pela UFSM para seu abastecimento. Os postos de avaliação dos recursos hídricos superficiais constituir-se-ao de estruturas hidráulicas medidoras de vazões do tipo Parshal de fundo raso a serem construidas em numero inicial de seis a serem financiadas pela presfeitura da cidade Universitária. A avaliação subterrânea tem a preocupação principal de avaliar as condições do resurso quanto as suas consições de uso visto ser de origem profunda e desta forma estar desconectada( fora o local onde foram perfurados os poços) das consequências da ação antropica que ocorre na superfície onde ocorrem os impactos da ação antrópica adota-se a sequinte estratégia: a) Diagnósticoda situação atual pelo levantamento das condições quali-quantitativas e b) Avaliação da adequação ambiental de processos e procedimentos ao longo do tempo pelo monitoramento para quantificação das melhorias ocorridas e c) cadastro de processos e procedimentos que proporciponam condiçõesde minimização de impactos as quais devem ser creditadas as melhorias detectadas por este projeto atravez do monitoramento qualiquantitativo. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: João Francisco Carlexo Horn - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2017 - Atual

Universidade Federal de Santa Maria

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
Professor Adjunto do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental da Universidade Federal de Santa Maria, Campus Camobi, Santa Maria-RS

2009 - 2009

Universidade Federal de Santa Maria

Vínculo: Bolsista de Inciação Científic, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20

Outras informações:
Bolsista de Inciação Científica pelo Projeto Bacia Escola Urbana - BEU

Atividades

  • 11/2017

    Direção e administração, Curso de Engenharia Sanitária e Ambiental, .,Cargo ou função, Coordenador Substituto.

  • 03/2009

    Pesquisa e desenvolvimento , Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental, .,Linhas de pesquisa

2018 - Atual

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, INE

Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Consultor Ad Hoc, Carga horária: 2

Outras informações:
Membro avaliador de cursos de graduação a nivel de bacharelado e cursos tecnológicos.

2013 - 2017

Universidade Federal de Pelotas

Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
Professor do Curso de Engenharia Hídrica do Centro de Desenvolvimento Tecnológico CDTEC. Responsável pelas disciplinas de Drenagem Urbana, Sistema de Tratamento de Efluentes, Sistema de Abastecimento de águas e Mecânica dos Fluídos

2012 - 2013

Universidade Federal de Pelotas

Vínculo: Professor Temporário, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 40

Outras informações:
Professor das disciplinas de Drenagem Urbana, Sistema de Tratamento de Efluentes e Sistema de Abastecimento de água do Curso de Engenharia Hídrica.

Atividades

  • 08/2015 - 09/2017

    Direção e administração, Curso de Engenharia Hídrica, .,Cargo ou função, Coordenador Substituto - Portaria 1457 de 5 de Novembro de 2015.

2012 - 2012

Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões

Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Professor Horista de Ensino Superior, Carga horária: 4

Outras informações:
Professora da Disciplina de Saneamento Básico do Curso de Engenharia Civil da URI - Santo Angelo

2009 - 2009

Universidade Franciscana

Vínculo: Bolsista de Inciação Científic, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20

2008 - 2008

Universidade Franciscana

Vínculo: Monitoria, Enquadramento Funcional: Acadêmico do Curso de Engenharia Ambiental, Carga horária: 4

Outras informações:
Monitor da Disciplina de Climatologia Ambiental, junto ao Curso de Engenharia: habilitação em Engenharia Ambiental

2008 - 2008

Universidade Franciscana

Vínculo: Monitoria, Enquadramento Funcional: Acadêmico do Curso de Engenharia Ambiental, Carga horária: 4

Outras informações:
Monitor da disciplina de Avaliação e Controle da Poluição Atmosférica, junto ao curso de Engenharia: habilitação em Engenharia Ambiental

2007 - 2007

Laboratório de Geoprocessamento do Departamento de Engenharia Rural - UFSM

Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 16

Outras informações:
Estágio extracurricular desenvolvido na área de Geoprocessamento