Beatriz Silva dos Santos

Graduada em Fonoaudiologia pela Universidade Federal da Paraíba (2016). Experiência em atendimento Home Care com foco nas áreas de linguagem, motricidade orofacial e voz, além da atuação em triagem auditiva neonatal e estimulação precoce. Atualmente, fonoaudióloga do Centro Especializado em Reabilitação Física e Intelectual - APAE Arapiraca.

Informações coletadas do Lattes em 17/06/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em Fonoaudiologia

2011 - 2016

Universidade Federal da Paraíba

Ensino Médio (2º grau)

2007 - 2009

Executivo colégio e curso

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2015 - 2015

O Melhor do IntensiVoz - Panorama Vocal por meio de Casos. (Carga horária: 18h). , Centro de Estudos da Voz, CEV, Brasil.

2014 - 2014

Curso: Distúrbio de Fluência: Etiologia, Diagnóstico Diferencial e Terapia. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Brasil.

2014 - 2014

Evento teórico de Urgência e Emergência. (Carga horária: 12h). , Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Brasil.

2014 - 2014

Oficina de Motricidade Orofacial: Avaliação/Terapia Olfatória. (Carga horária: 2h). , Centro Universitário de João Pessoa, UNIPÊ, Brasil.

2014 - 2014

Oficina de Audiologia: Reabilitação Auditiva em Pacientes Implantados. (Carga horária: 2h). , Centro Universitário de João Pessoa, UNIPÊ, Brasil.

2013 - 2013

Oficina: Teste da linguinha. (Carga horária: 4h). , Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Brasil.

2013 - 2013

Oficina Intervenção Fonoaudiológica em Neonatologia. (Carga horária: 4h). , Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Brasil.

2012 - 2012

1° Curso de Urgências e Emergências Otorrinolaringológicas. (Carga horária: 20h). , Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Brasil.

2011 - 2011

Introdução à Neurobiologia da Memória. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências da Saúde / Área: Fonoaudiologia / Subárea: Monitora da disciplina de Audiologia Educacional.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

CASTRO, R. D. ; SANTOS, B. S. . II Simpósio de Saberes em Fitoterapia aplicados à Odontologia. 2013. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

6° Conselho Itinerante do CREFONO 4. 2016. (Encontro).

30º EIA ? ENCONTRO INTERNACIONAL DE AUDIOLOGIA. 2015. (Congresso).

Campanha do dia mundial da voz. 2015. (Outra).

I Jornada de Fonoaudiologia e I Encontro de Egressos da Universidade Federal da Paraiba. 2014. (Encontro).

Palestra sobre Síndrome de Down - 'Saúde e Bem Estar: Acesso e Igualdade para Todos'. 2014. (Outra).

Saúde e Bem-estar: Acesso e Igualdade para todos. 2014. (Outra).

V Expofono UNIPÊ. 2014. (Exposição).

Zumbido: Você já Ouviu?. 2014. (Outra).

Campanha do Programa de Implantação do Teste da Linguinha no Estado da Paraíba. 2013. (Outra).

I Congresso Norte-Nordeste de Neurologia Pediátrica. 2013. (Congresso).

II Simpósio de Saberes em Fitoterapia aplicados A Odontologia. 2013. (Simpósio).

I Sisi - Seminário Integrado de saúde do Idoso. 2013. (Seminário).

X Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica. 2013. (Congresso).

XIV Encontro de Extenção - UFPB. 2013. (Encontro).

XIV Encontro de Extensão - UFPB. 2013. (Encontro).

I Seminário em Aquisição e Alterações da Linguagem. 2012. (Seminário).

1° Encontro Falando Sobre Gagueira. 2011. (Encontro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Wagner Teobaldo Lopes de Andrade

MELO, L. P. F.; CAVALCANTI, H. G.;ANDRADE, W. T. L.. Triagem auditiva neonatal: o que sabem e sentem os pais? (artigo). 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fonoaudiologia) - Universidade Federal da Paraíba.

Wagner Teobaldo Lopes de Andrade

MELO, L. P. F.; CAVALCANTI, H. G.;ANDRADE, W. T. L.. Triagem auditiva neonatal: o que sabem e sentem os pais? (projeto). 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fonoaudiologia) - Universidade Federal da Paraíba.

HANNALICE GOTTSCHALCK CAVALCANTI

MELO, L. P. F.;CAVALCANTI, Hannalice Gottschalck; ANDRADE, W. T. L.. Triagem auditiva neonatal: o que sabem e sentem os pais. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fonoaudiologia) - Universidade Federal da Paraíba.

Luciana Pimentel Fernandes de Melo

MELO, L. P. F.; CAVALCANTE, H. G.; ANDRADE, W. T. L.. Triagem auditiva o que sabem e sentem os pais. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fonoaudiologia) - Universidade Federal da Paraíba.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Ricardo Dias de Castro

EFEITO DA CLORAMINA T SOBRE CEPAS DE CANDIDA NÃO-ALBICANS; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Fonoaudiologia) - Universidade Federal da Paraíba; Orientador: Ricardo Dias de Castro;

Ricardo Dias de Castro

Saúde e arte: troca de saberes e difusão da cidadania entre jovens afrodescendentes; 2014; Orientação de outra natureza; (Fonoaudiologia) - Universidade Federal da Paraíba, Ministério da Cultura e Educação; Orientador: Ricardo Dias de Castro;

Luciana Pimentel Fernandes de Melo

Triagem Auditiva Neonatal: o que sabem e sentem os pais?; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Fonoaudiologia) - Universidade Federal da Paraíba; Orientador: Luciana Pimentel Fernandes de Melo;

Luciana Pimentel Fernandes de Melo

Monitoria da Disciplina de Audiologia Educacional; 2015; Orientação de outra natureza; (Fonoaudiologia) - Universidade Federal da Paraíba; Orientador: Luciana Pimentel Fernandes de Melo;

Luciana Pimentel Fernandes de Melo

Ação de Extensão Educação Popular em Saúde Auditiva na Atenção às Gestantes e Lactantes que frequentam o Hospital Universitário Lauro Wanderley; 2015; Orientação de outra natureza; (Fonoaudiologia) - Universidade Federal da Paraíba; Orientador: Luciana Pimentel Fernandes de Melo;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • SANTOS, B. S. ; MELO, L. P. F. ; FREITAS, J. A. . AVALIAÇÃO DO BENEFÍCIO DE UM PROGRAMA DE ORIENTAÇÃO SOBRE SAÚDE AUDITIVA INFANTIL. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • MELO, L. P. F. ; MATOS, A.S. ; SANTOS, B. S. . O Conhecimento das Mães sobre Prevenção e Identificação de Deficiência Auditiva em Neonatos. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • MELO, L. P. F. ; CAVALCANTE, H. G. ; LIMA, A. G. ; NASCIMENTO, R. M. ; SANTOS, B. S. . Avaliação da Triagem Auditiva Neonatal Realizada em um Projeto de Educação Popular em Saúde Auditiva. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • SANTOS, B. S. ; MATOS, A.S. ; OLIVEIRA, G. G. S. S. ; FLORENCIO, W. O. ; ANDRADE, W. T. L. . Impactos da presbiacusia na qualidade de vida do idoso. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • MELO, L. P. F. ; SANTOS, B. S. . Orientações sobre Saúde Auditiva Infantil através de Recurso Visual às Gestantes, Puérperas e Lactantes do HULW/UFPB. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • MELO, L. P. F. ; SANTOS, B. S. . Educação Popular em Sáúde Auditiva na atenção às Gestantes, Puérperas e Lactantes do HULW/UFPB. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2015 - 2016

    Avaliação das prescrições antimicrobianas em hospitais da rede para neonatos e suas implicações, Descrição: A audição tem papel importante na comunicação humana. Segundo a ASHA (American Speech-Language-Hearing Association) 60% dos distúrbios da comunicação são representados pela deficiência auditiva, que pode ser congênita ou adquirida e apresentar-se em graus e tipos diferentes. Entre as causas adquiridas temos o uso de medicamentos que provocam reações tóxicas ao sistema auditivo (fármacos ototóxicos). Já existem estudos que relatam porcentagens variáveis de ototoxidade infantil incluindo diversos antibióticos utilizados no tratamento de infecções. Além disso, nos estudos consta que o principal grupo pediátrico que recebem esses tratamentos são recém-nascidos com infecções graves na UTI neonatal. Ante o exposto, é objetivo desse estudo realizar uma análise das informações registradas nos prontuários de neonatos quanto ao uso de medicamentos ototóxicos em três hospitais da rede pública da cidade de João Pessoa. Trata-se de um estudo documental e retrospectivo, de abordagem quantitativa, utilizando-se como dados os registros dos prontuários relativos ao tipo, dosagem total, forma e tempo de cada fármaco administrado, como também características de saúde e morbidade da criança desde o nascimento até o período de alta hospitalar e das triagens auditivas realizadas no período de janeiro de 2014 a dezembro de 2015. Os dados coletados permitirão a análise de qual medicamento ototóxico tem sido mais utilizado entre os hospitais, bem como sua dosagem total, forma e tempo administrado nos neonatos e tais variáveis serão relacionadas com as características de saúde e morbidade bem como o resultado da TAN (Triagem Auditiva Neonatal) realizada em cada neonato. Após a coleta de dados, as informações obtidas nos protocolos serão categorizadas e dispostas em tabelas a fim de facilitar a leitura dos dados obtidos. A análise dos mesmos será realizada na forma de distribuições absolutas e percentuais, uni e bivariadas, utilizando-se de técnica de estatística descritiva.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) . , Integrantes: Beatriz Silva dos Santos - Integrante / Luciana Pimentel F. Melo - Coordenador.

  • 2014 - 2016

    Triagem Auditiva Neonatal: o que sabem e sentem os pais?, Descrição: INTRODUÇÃO: O desenvolvimento de uma criança tem ligação direta com a detecção de deficiências ou doenças durante o período neonatal. Entre as enfermidades detectadas nesse período está a deficiência auditiva que apresenta uma incidência bastante considerável, tanto em bebês de risco, quanto naqueles que não são de risco. Uma vez a deficiência auditiva tratar-se de um problema de saúde pública, foi aprovada em nosso país, no ano de 2010, uma lei que instituiu a realização de Programas de Triagem Auditiva Neonatal em todas as maternidades e hospitais, exigindo-se a realização do chamado Teste da Orelhinha, como é conhecido popularmente o procedimento de triagem auditiva de bebês. Esse teste tem por finalidade identificar precocemente crianças que devem ser encaminhadas para procedimentos de diagnóstico clínico de possíveis alterações auditivas, sendo este procedimento considerado essencial para o futuro da criança portadora de alguma deficiência de audição uma vez que pode garantir intervenção em tempo hábil. Entretanto, a saúde auditiva infantil ainda se trata de um tema pouco abordado, e se reflete ao pouco conhecimento que os pais e mães têm sobre o assunto. Como consequência disso, os bebês realizam o teste antes da alta na maternidade e quando precisam voltar para o reteste, muitos deles não retornam, o que significa que essas mães não sabem da importância de um diagnóstico prévio, nem das consequências caso essa criança realmente tenha perda auditiva. Diante desta realidade, é inquestionável a influência da família no que se refere à detecção e à intervenção precoce da perda auditiva, uma vez que a participação da mesma é capaz de garantir a efetividade de um programa de triagem e seus desdobramentos. E, a fim de garantir sua participação e adesão ao programa, tem-se considerado fundamental a inclusão de estratégias de orientação direcionadas às mães e também aos pais com o objetivo de garantir maior envolvimento dos mesmos no processo. Atualmente a literatura discute o escasso conhecimento das mães em relação à prevenção de alterações auditivas em seus bebês como responsável pelo alto índice de evasão no processo de detecção precoce de possíveis problemas de audição. Já no que concerne à participação dos pais nesse processo, são poucos os estudos que revelam o conhecimento dos mesmos, bem como discutem o papel que exercem no processo de triagem auditiva neonatal. Por esse motivo, investigar o conhecimento de ambos em relação aos indicadores de risco e à importância da triagem, como também conhecer que sentimentos são provocados durante a realização do teste é o propósito desse estudo, que tem como intuito refletir sobre novas estratégias e possibilidades de orientação familiar que garantam maior adesão aos programas de triagem auditiva neonatal. OBJETIVO: Investigar o conhecimento e os sentimentos expressos por mães e pais frente à triagem auditiva neonatal. MÉDOTOS: O estudo será realizado no Hospital Universitário Lauro Wanderley e na Clínica Escola de Fonoaudiologia da Universidade Federal da Paraíba. Participarão deste estudo 40 casais, sendo estes pais de bebês que serão submetidos à triagem auditiva neonatal. Trata-se de um estudo de caráter quantitativo, descritivo, observacional e transversal. O método de coleta a ser proposto compreende em coletar os dados através de questionário, um direcionado para os pais e outro para as mães, após a triagem auditiva neonatal. ANÁLISE: Após a aplicação individual do instrumento de coleta, será realizada a análise descritiva das respostas fornecidas e será utilizado o SPSS para análise das variáveis.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Beatriz Silva dos Santos - Integrante / Luciana Pimentel F. Melo - Coordenador.

  • 2013 - 2014

    Atividade antifúngica da Cloramina T frente a cepas de Candida envolvidas com infecções da cavidade bucal, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Beatriz Silva dos Santos - Integrante / Ricardo Dias Castro - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2016 - 2016

    Universidade Federal da Paraíba

    Vínculo: Voluntária, Enquadramento Funcional: Monitora de Audiologia Educacional, Carga horária: 12

  • 2015 - 2015

    Universidade Federal da Paraíba

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Extensionista, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Extensionista bolsista do programa, ?Educação Popular em Saúde Auditiva na Atenção às Lactantes, Gestantes e Parturientes do Hospital Universitário Lauro Wanderley - HULW/UFPB?.

  • 2014 - 2014

    Universidade Federal da Paraíba

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Extencionista, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Extensionista bolsista do Programa " Saúde e Arte: Troca de Saberes e Difusão da Cidadania entre jovens Afrodescendentes".

  • 2014 - 2014

    Universidade Federal da Paraíba

    Vínculo: Voluntárioa, Enquadramento Funcional: Extensionista, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Extensionista voluntária do programa, ?Educação Popular em Saúde Auditiva na Atenção às Lactantes, Gestantes e Parturientes do Hospital Universitário Lauro Wanderley - HULW/UFPB?.

  • 2013 - 2013

    Universidade Federal da Paraíba

    Vínculo: Voluntária, Enquadramento Funcional: Extensionista, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Extencionista voluntária do programa, ?Educação Popular em Saúde Auditiva na Atenção às Lactantes, Gestantes e Parturientes do Hospital Universitário Lauro Wanderley - HULW/UFPB?.

  • 2018 - 2018

    Complexo multidisciplinar Tarcizo Freire

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Fonoaudióloga, Carga horária: 24

  • 2017 - 2017

    Escola Técnica Rosa Mística

    Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Profa de Anatomia e Fisiologia Humana, Carga horária: 25