Luciano da Silva Pinto

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Pelotas (1999), mestrado em Fisiologia Vegetal pela Universidade Federal de Pelotas (2000) e doutorado em Biotecnologia pela Universidade Federal de Pelotas (2008). Professor Associado da UFPel atuando na Graduação em Biotecnologia e docente permanente no Programa consolidado de Pós-Graduação em Biotecnologia (nota 7) e no Programa emergente de Pós-Graduação em Fisiologia Vegetal da UFPel. Foi coordenador do curso de graduação em Biotecnologia da UFPel (2013-2017), membro do conselho diretor da fundação da Universidade Federal de Pelotas, membro do conselho universitário da Universidade Federal de Pelotas e membro do comitê gestor da incubadora Conectar da UFPel. Membro do grupo de trabalho para criação da Sulbiotec (Rede de Biotecnologia do Sul do Brasil) MCTI/CNPq. Atualmente é Coordenador Adjunto do Programa de Pós Graduação em Biotecnologia da UFPel. É líder do grupo multidisciplinar de pesquisa em Bioprospecção de Moléculas Biológicamente Ativas pelo CNPq e coordena o Laboratório de Bioinformática e Proteômica da UFPel. É orientador de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado nas áreas de expressão heteróloga de proteínas, isolamento e caracterização de lectinas e aplicação biotecnológicas de proteínas nos estudos de cicatrização e oncologia. Nos últimos anos produziu mais de 50 artigos científicos em periódicos internacionais, 5 patentes (privilégio de inovação) e 4 software. Aprovou fomento a pesquisa e desenvolvimento tecnológico em diferentes editais. Orientou/co-orientou 39 alunos de graduação, 10 mestres e 3 doutores em Biotecnologia. Atualmente esta com 3 orientações de doutorado e 3 de Mestrado em andamento em Biotecnologia.

Informações coletadas do Lattes em 20/10/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Biotecnologia

2005 - 2008

Universidade Federal de Pelotas
Título: Expressão heteróloga de lectina recombinante de Bauhinia variegata L (rBVL) e suas aplicações biotecnológicas
Odir Antonio Dellagostin. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Pichia pastoris; expressão heteróloga; Lectina; Bauhinia variegata; Escherichia coli.Grande área: Ciências BiológicasGrande Área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica. Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Microbiologia / Subárea: Microbiologia Aplicada / Especialidade: Microbiologia Médica. Setores de atividade: Produtos e Processos Biotecnológicos Vinculados À Saúde Humana Ou dos Animais.

Mestrado em Fisiologia Vegetal

1999 - 2000

Universidade Federal de Pelotas
Título: Purificação e Caracterização de Lectina de Sementes de Bauhinia variegada L.,Ano de Obtenção: 2000
Orientador: Marcos Antonio Bacarin
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Lectina; Bauhinia variegada; proteínas.Grande área: Ciências BiológicasGrande Área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Biologia Molecular. Setores de atividade: Produtos e Processos Biotecnológicos.

Graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas

1994 - 1999

Universidade Federal de Pelotas
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Pós-doutorado

2009 - 2010

Pós-Doutorado. , Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil. , Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. , Grande área: Ciências Biológicas, Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Biofísica.

2008 - 2009

Pós-Doutorado. , Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil. , Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. , Grande área: Ciências Biológicas, Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Parasitologia. , Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Imunologia.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2004 - 2004

Introdução à Tecnologia Proteômica. (Carga horária: 48h). , Fundação Oswaldo Cruz, FIOCRUZ, Brasil.

2003 - 2003

Eletroforese Bidimensional e Proteômica. (Carga horária: 20h). , Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.

2003 - 2003

Iniciando um pequeno grande negócio. (Carga horária: 30h). , Nestle Brasil - Matriz, NESTLE, Brasil.

2003 - 2003

Purif. e Identif. de Proteínas e MALDI-TOF. (Carga horária: 80h). , Embrapa Recursos genéticos e Biotecnológicos, EMBRAPA-CENARGEN, Brasil.

2003 - 2003

Sequenciamento de DNA na Plataforma MegaBACE. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.

2000 - 2000

Curso de Inglês. (Carga horária: 70h). , Escola de idiomas Wizard, WIZARD, Brasil.

1998 - 1998

Extensão universitária em Curso de Extensão de Inglês Instrumental. (Carga horária: 40h). , Universidade Católica de Pelotas, UCPEL, Brasil.

1998 - 1998

Biodiversidade, Mutagênese eMonitoramento ambienta. (Carga horária: 8h). , Sociedade Brasileira de Geneticístas, SBG, Brasil.

1997 - 1997

Minicurso Biologia de Cetáceos.. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.

1994 - 1994

Treinamento E-mail. , Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Espanhol

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica.

    Grande área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Biologia Molecular.

    Grande área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Química de Macromoléculas/Especialidade: Proteínas.

    Grande área: Ciências Biológicas.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

L.S. Pinto ; DELLAGOSTIN, O. ; Collares, T. ; Deschamps, J. C. ; SILVA, S. M. E. . Congresso SulBiotec. 2018. (Congresso).

DODE, L. B. ; PINTO, L. S. . Simpósio de Biotecnologia: Pesquisa e desafios Para Inovação. 2013. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

III Simpósio de Engenharia Bioquímica e Bioprocessos.Produção de Proteínas Recombinantes e suas aplicações como insumos Biotecnológicas. 2016. (Simpósio).

10 Congresso Internacional de Biotecnologia Vegetal. Effect of different concentrations of benzylaminopurine in indirect organogenesis induction in Jatropha Curcas L.. 2015. (Congresso).

20 Congresso Brasileiro de Floricultura e Plantas Ornamentais. Ensaios de Preliminares de Transformação Genética de suspensões Celulares de Jatropha curcas L.. 2015. (Congresso).

7 congresso Brasileiro de Cultura de Tecidos de Plantas. Obtenção de suspensões celulares de pinhão manso. 2015. (Congresso).

BIO Latin America Conference ? BIO. Convidado. 2015. (Congresso).

Momento Ciência: A popularização das ciências nos 200 anos de Pelotas.Realidade das Feiras de Ciências no Brasil. 2012. (Oficina).

Momento Ciência: A popularização das Ciências nos 200 anos de Pelotas.Biotecnologia e saúde. 2012. (Oficina).

XXI Congresso de Iniciação Científica da UFPel. Desenvolvimento de Protocolo de Transformação de Jatropha curcas L. E verificação de sua eficiência utilizando a proteína verde fluorescente - GFP. 2012. (Congresso).

6 ciclo depalestras de Biologia Molecular e Biotecnologia.Aplicações e anaços na área de Biotecnologia Vegetal. 2011. (Simpósio).

XIII Encontro de Pós-Graduação.Degeneração de Túbulos seminíferos de camundongos mediada por anticorpos anti-GnRH. 2011. (Encontro).

57 Congresso de Botânica. Expressão Heteróloga de uma lectina de Bauhinia variegata L. em Escherichia coli. 2006. (Congresso).

57 Congresso Nacional de Botânica. Propagação in vitro de duas variedades de Bauhinia variegata L.. 2006. (Congresso).

XV Congresso de Iniciação Científica e VIII Encontro de Pós-Graduação. Construção de um vetor de expressão em plantas utilizando o gene bvl I, visando resistência a insetos. 2006. (Congresso).

XV Congresso de Iniciação Científica e VIII Encontro de Pós-Graduação. Expressão e purificação de duas lectinas de Bauhinia variegata L. em Escherichia coli. 2006. (Congresso).

XV Congresso de Iniciação Científica e VIII Encontro de Pós-Graduação. Clonagem, expressão e purificação da lectina de Bauhinia forficata em Escherichia coli. 2006. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Breno Xavier Gonçalves

Rombaldi, César Valmor; PEGORARO, C.; GIRARDI, C. L.; DODE, L. B.;PINTO, L. S.. Ação do etileno no acúmulo diferencial de proteínas durante o amadurecimento de maças, cv Gala. 2016. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Julia Labonde

DELLAGOSTIN, O.A.PINTO, L. S.; MACBRIDE, A.; Maia, L. C.. Aplicação de algoritimos de mineração de dados genômicos para classificação molecular de Leptospira spp. 2016. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Frederico Schmitt Kremer

PINTO, L. S.; MCBRIDE, A. J. A.; Maia, L. C.. Genix: Desenvolvimento de uma nova pipeline automatizada para anotação de genomas microbianos. 2016. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Paula Ferreira Knabah

PINTO, L. S.; RIZZI, C.; GRASSMANN, A. A.;BERNE, M. E. A.. Atividade antifúngica de lectinas nativas e recombinantes em ensaios in vitro contra Sporothrix brasiliensis. 2016. Dissertação (Mestrado em Química) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Elsa Kuhn Klumb

Bianchi, V. J.;PINTO, L. S.; Castro, Caroline Marques. Análise de parâmetros de trocas gasosas e perfil transcriptômico de portaenxertos de Prumus spp. submetidos ao estresse hídrico. 2015. Dissertação (Mestrado em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Vilson Borba Pinto

POUEY, J. L. O. F.;PINTO, L. S.LEITE, F. P. L.; DIAZ, P.. Uso de probióticos na alimentação de Jundiá - Rhamdia quelen. 2015. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Andressa Fisch

PINTO, L. S.; CONCEIÇÃO, F. R.;LEITE, F. P. L.; FISCHER, G.. Bacterias comerciais falharam em induzeir resposta imune humoral em camundongos contra fatores de patogenicidade de Mycoplasma hyopneumoniae. 2014. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Marcos Aurélio Ziemann

PEREIRA, C. M.;PINTO, L. S.. Identificação e qualificação de ácidos graxos das famílias ômegas 3 e 6 do filo Rhodophyta encontradas no continente Antártico através da cromatografia gasosa )CG/FID) e espectrometria de massa (GC/MS). 2013. Dissertação (Mestrado em Bioquímica e Bioprospecção) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Ana Paula de Souza Stori de Lara

PINTO, L. S.LEITE, F. P. L.; ZIMMER, C. R.; MENEZES, A. M. D.. Expressão heteróloga da toxina Cry 11A2 de Bacillus thuringiensis (Berliner, 1916) var. israelensis em Escherichia coli (Escherich, 1885), visando o controle biológico.. 2013. Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Lucas da Silva Maria

GIROLDO, D.; COLARES, I. G.;PINTO, L. S.. Caracterização dos polissacarídeos extracelulares produzidos por Chlamydomonas cf. pumilioniformis (Chlamidophyceae): Identificação de frações com potencial bioatividade. 2012. Dissertação (Mestrado em Biologia de Ambientes Aquáticos Continentais) - Universidade Federal do Rio Grande.

Aluno: Caroline de Paula Lopes

MCBRIDE, A. J. A.; MOREIRA, A. N.; MENDONCA, M.;PINTO, L. S.. Anticorpos policlonais contra InVH de Salmonella spp: produção, caracterização e aplicação em separação imunológica. 2012. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia Agroindustrial) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Marcus Redü Eslabão

MCBRIDE, A.;PINTO, L. S.; DELLAGOSTIN, O.. Sequenciamento, montagem e anotação do genoma de um isolado de Leptospira borgpetersenii. 2012. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Luiz Gonzaga do Nascimento Neto

PINTO, L. S.Teixeira, E. H.Silva, A.L.C.. Utilização de lectinas isoladas de sementes de Bauhinia variegata e sua isoforma recombinante no tratamento de lesões cutâneas em camundongos. 2011. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal do Ceará.

Aluno: Ana Muños Vianna

PINTO, L. S.LEITE, F. P. L.; VILLELA, M. M.; NIZOLI, L. Q.. Expressão Heteróloga da EMA-2 de Theileria equi em Pichia pastoris. 2011. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Juliano Lacava Pereira

PINTO, LLEITE, F. P. L.; CORCINI, C. D.; BIANCHI, I.. Expressão Heteróloga de Quimera LTB/GnRH sintética em Pichia pastoris e seu efeito na resposta imunológica e no epitélio em camundongo. 2011. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Gabriel Baracy Klafke

PINTO, L. S.Peters, José Antônio; Dutra, L.F.; Dode, L.B.. Integração e Expressão do Gene LTB-R1 em Plantas de Tabaco. 2010. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Amanda Fernandes Pinheiro

Leite, Fábio Pereira Leivas; Nozolli, Leandro Quintana;Hartleben, Claudia PinhoPinto, Luciano da Silva. Desenvolvimento de ELISA para o Diagnóstico da Neosporose. 2010. Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Fernanda Antunes Brum

Leite, Fábio Pereira Leivas; Roos, Talita Bandeira; Nozolli, Leandro Quintana;PINTO, L. S.. Clonagem e Expressão da Proteína gp19 de Ehrlichia canis. 2010. Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Rafael Godoy Petry

Pinto, Luciano da SilvaMARINS, L. F.. Expressão do RNAm de proteínas envolvidas na resposta ao choque térmico em eritrócitos e fígados de peixes antárticos (Notothemia coriiceps e Notothemia rossii. 2010. Dissertação (Mestrado em Ciências Fisiológicas - Fisiologia Animal Comparada) - Universidade Federal do Rio Grande.

Aluno: Marcus Redü Eslabão

DELLAGOSTIN, O.A.PINTO, L. S.; MCBRIDE, A. J. A.; Aguiar, M. S.. Square:uma plataforma gráfica e intuitiva para anotação de genomas bacterianos. 2016. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Fernanda Nedel

PINTO, L. S.CAVADA, B. S.; TARQUINIO, S.; SEIXAS, F.. Avaliação in vitro de moléculas (metabólitos secundários e lectinas) com potencial na terapêutica do câncer.. 2012. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Carina Pereira Da Silva

PINTO, L. S.; Oliveira, A. C.; Magalhães Junior, A.M.; Fagundes, P.R.R.. Transformação Genética de Plantas de Arroz visando à Tolerância ao frio. 2012. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Filipi de Carvalho Victoria

Hemerly, A. S.; Barbieri, R.L.; Oliveira, A. C.;PINTO, L. S.. Análise evolutiva de genes de homeostase de ferro e elementos repetitivos em espécies modelo. 2011. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Bianca Palma Santana

Carreño, N.L.V.;PINTO, L. S.; Casagrande, L.; Pereira, C.M.P.; Zanchi, C. H.. Produção, caracterização e aplicação de hidrogel de alginato funcionalizado com nanofibras. 2011. Tese (Doutorado em Odontologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Bianca Palma Santana de Morais

PINTO, L. S.; Carreño, N.L.V.; Casagrande, L.; Pereira, C.M.P.; Zanchi, C. H.; Leite, F. R. M.. Obtenção, Caracterização e Aplicação (in vitro) de Nanoscafold injetável Funcionalizado com Substâncias Bioativas. 2011. Tese (Doutorado em Odontologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Leonardo Garcia Monte

PINTO, L. S.; MACBRIDE, Alan John A; Cava, S. S.; CONCEIÇÃO, F. R.. Partículas Magnéticas: síntese e aplicações em ensaios de imunoseparação. 2011. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Gabriela Peres Morais

PINTO, L. S.; Rombaldi, César Valmor; COSTA, C. S. B.. Análise transcriptômica e proteômica do perfil fisiológico da Spattina Altermiflora em busca de genes de tolerância à salinidade. 2015. Exame de qualificação (Doutorando em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Juliele Home Dambros

Rombaldi, César Valmor;PINTO, L. S.; GIRARDI, C. L.; Oliveira, A. C.; PEGORARO, C.. Avaliação bioquímica-fisiológica de tomates Micro Tom e de Arabdopsis thaliana com diferentes níveis de expressão do gene de a-L-arabnofuranidase (MdAF3) e alteração da qualidade de maçãs cv. gala, durante o armazenamento refrigerado. 2015. Exame de qualificação (Doutorando em Ciência e Tecnologia Agroindustrial) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Fabiana Fonseca dos Santos

PINTO, L. S.; DUTRA, L. F.; Schuch, M.W.. Microenxertia de oliveira. 2015. Exame de qualificação (Doutorando em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Stela Mari Meneghello Gheller

PINTO, L. S.; VARELA JUNIOR, A. S.; Deschamps, J. C.; GOULART, K.L.. Criopreservação e identificação de proteínas do plasma seminal de jundiá amazônico (Leiarius marmoratus). 2015. Exame de qualificação (Doutorando em Veterinária) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Ellen Cristina Perin

Rombaldi, César Valmor; Messias, R. S.; POSSER, C. A.; MARTINAZZO, R.; DEUNER, S.;PINTO, L. S.. Estratégia de biofortificação por estresse osmótico em morango e mineral em arroz, trigo e quinoa:aspectos agronômicos, bioquímicos e moleculares. 2015. Exame de qualificação (Doutorando em Ciência e Tecnologia Agroindustrial) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Carla Ferreira Silveira

PINTO, L. S.; DODE, L. B.;NORA, F. R.; Magalhães Junior, A.M.. Transformação genética em arroz visando à obtenção de plantas tolerantes a pragas e doenças.. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Letícia Carvalho Benitez

Bianchi, V. J.;PINTO, L. S.. Caracterização estrutural e funcional do metabilismo antioxidante em plantas de Oryza sativa L. sob estresse por frio no período reprodutivo. 2012 - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Fernanda Nedel

PINTO, L. S.SEIXAS, F. K.; SAVEGNAGO, L.; TARQUINIO, S. B. C.. Seleção de novas moléculas e potenciais marcadores no combate ao cãncer. 2012. Exame de qualificação (Doutorando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Gabriel Baracy Klafke

PINTO, L. S.; PEREIRA, D. I. B.; MACBRIDE, Alan John A; CONCEIÇÃO, F. R.. Utilização de lectinas vegetais nativas e recombinantes como insumo biotecnológico. 2012 - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Márcia Vaz Ribeiro

PINTO, L. S.; Bianchi, V. J.; Castro, Caroline Marques. Expressão de genes relacionados com tolerância á salinidade em plantas de Alternanthera maritima (Mart.) e Oriza sativa I. 2011. Exame de qualificação (Doutorando em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Márcia Vaz Ribeiro

PINTO, L. S.; Bianchi, V. J.. Identificação e Análise da Expressão de Genes Relacionados com Tolerância à Salinidade em Plantas de Alternanthera marítima (Mart.) e Oryza sativa L.. 2011. Exame de qualificação (Doutorando em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Daiane de Pinho Benemann

Peters, José Antônio; Castro, Caroline Marques;PINTO, L. Obtenção de híbridos e populações segregantes de Gerbera jamesonii, com auxílio da biologia celular e molecular. 2010. Exame de qualificação (Doutorando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Giovanni Victorio Cerruti

PINTO, L. S.; CHAVES, A. L. S.; OLIVEIRA, PATRÍCIA DIAZ DE. Extração, purificação e caracterização parcial de lectinas de folhas de Bauhinia variegata. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Mariana Gallio Fronza

SAVEGNAGO, L.;PINTO, L. S.; SENA-LOPES, A.. Triagem racional de um grupo de moléculas da classe seleniltriazoil carbonitrila com efeito antidepressivo: uma análise in silico e in vivo. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Giovanni Victorio Cerruti

PINTO, L. S.; CHAVES, A. L. S.; OLIVEIRA, PATRÍCIA DIAZ DE. Caracterização parcial de lectinas de folhas de Bauhinia variegata. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Arthur de Siqueira Brahm

PINTO, L. S.; SAVEGNAGO, L.; Campos, V.F.. Estudo da Beta-lactoglobulina como veículo para tamoxileno. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Monize Nakamoto Provisor

PINTO, L. S.; CAMPOS, V.; ESLABAO, M. R.. Análise diferencial dos padrões de expressão dos genes TIMPs, ADMTs e MMPs e de seus possíveis papéis no Câncer de mama. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Mariana Gallio Fronza

SAVEGNAGO, L.;PINTO, L. S.; SENA-LOPES, A.. Desenvolvimento de uma ferramenta para montagem e anotação automatiza de genomas procariotos. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Mariana Brutschin Pereira

Campos, V.F.; Thurow, H.S.;PINTO, L. S.. Análise in silico da expressão de genes ligados a autofagia e a pluripotência em bancos de dados de microarranjos de iPSCs, ESCs e células somáticas. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Cíntia Silveira Garcia

DODE, L. B.;PINTO, L. S.; SILVEIRA, C. F.. Otimização de um protocolo de regeneração in vitro de alface (lactuca sativa). 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Carolina da Silva Silveira

PINTO, L. S.; BONOW, S.; MARINI, N.. Caracterização Molecular de acessos de morangueiro do BAG da Embrapa utilizando marcadores microssatélites. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Daniele de Souza Masiero

DODE, L. B.;PINTO, L. S.; VARGAS, D. P.. Criopreservação de ápices de batata (Solanum tuberosum L) cultivar BRS clara através da técnica de encapsulamento-vitrificação. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Larissa Brussa Reis

PINTO, L. S.MONTE, L. G.; CAMPOS, V.. Investigação de Polimorfismos de base única (SNPs) relacionados à pigmentação da pele e associação com susceptibilidade ao Melanoma em Pacientes do Rio Grande do Sul. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Gustavo Marçal Shimidt Garcia Moreira

PINTO, L. S.; CONCEIÇÃO, F. R.;LEITE, F. P. L.; MACBRIDE, Alan John A. Caracterização de Proteínas Recombinantes e Anticorpos monoclonais para o desenvolvimento de Vacinas e Testes diagnósticos. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Lucas Bigolin Lorenzon

LEITE, F. P. L.PINTO, L. S.; VILLELA, M. M.; GRASSMANN, A. A.. Construção de Ferramentas Moleculares para Avaliação de Expressão Gênica em Leishmania donovani. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Vinícius da Rosa da Silva Tavares

PINTO, L. S.; DUTRA, L. F.; VARGAS, D. P.. Fitorreguladores e antioxidantes na composição de semente sintética de batata-seleção F630106. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Tatiane Casarin

DODE, L. B.;PINTO, L. S.; SILVEIRA, C. F.. Detecção de variação somaclonal utilizando marcadores SSR e extração de RNA de cana-de-açúcar. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Marcelo Nogueira do Amaral

PETERS, J. A.PINTO, L. S.; DODE, L. B.. Regeneração in vitro de Melão (Cucumis melo L.) Cultivar Gaucho. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Mariana Lima Terres

Pinto, Luciano S.LEITE, F. P. L.; MORAIS, K. M.; Ribeiro, P.B.. Controle Biológico e Químico de Culex Quinquefasciatus: Revisão Sobre os Principais Métodos e Novas Alternativas para Construção de Bioinseticidas. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Anna Lia Araújo Sant'Anna

PINTO, L. S.DELLAGOSTIN, Odir Antonio. Construção de um vetor de expressão em plantas utilizando o gene bvl I, visando resistência a insetos.. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas.

Aluno: Marina Borges Osório

Rocha, A. S.; Nora, F. R.;PINTO, L. S.. Transformação de Nicotiana tabacum L. Via Agrobacterium tumefaciens visando à produção de uma vacina recombinante contra a pneumonia micoplásmatica suína. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas.

PINTO, L. S.; AMARAL, M. G.;BORSUK, S.. CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO-23110.007963/2012-34. 2013. Universidade Federal de Pelotas.

FREITAG, R. A.;PINTO, L. S.; SILVA, S. M. E.. Concurso para professor adjunto -23110.008166/2012-74, Área: Toxicologia.. 2013. Universidade Federal de Pelotas.

PINTO, L. S.. Avaliador do XIV Encontro de Pós Graduação da UFPel. Universidade Federal de Pelotas.. 2012. Universidade Federal de Pelotas.

PINTO, L. S.. Avaliador do XIII Encontro de Pós Graduação da UFPel. 2011. Universidade Federal de Pelotas.

Pinto, Luciano da Silva. Avaliador do XIX Congresso de Iniciação Científica/II Mostra Científica da UFPel. 2010. Universidade Federal de Pelotas.

Pinto, Luciano da Silva. Avaliador do XII Encontro de ós-Graduação da UFPel. 2010.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Carlos Frederico Nalepinski Widholzer

WIDHOLZER, C. F. N.. Lista preliminar de gêneros de algas de água doce do campus da Universidade Federal de Pelotas. 2000. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas - bacharelado) - Universidade Federal de Pelotas.

Élen Nunes Garcia

GARCIA, E. N.. LISTA DE GÊNEROS DE ALGAS DE ÁGUA DOCE DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. 1998. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Bacharelado E Licenciatura Em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas.

Fabiana Roos Nora

Cavada, B. S.; Leite, F. P. L;NORA, F. R.; DELLAGOSTIN, O. A.. Expressão heteróloga da lectina recombinante de Bauhinia variegata (rBVL) e sua aplicação biotecnológica. 2007. Exame de qualificação (Doutorando em Biotecnologia Agrícola) - Universidade Federal de Pelotas.

Ronaldo do Nascimento

NASCIMENTO, R. do.. Caracterização bioquímica e presença de lectinas de sementes de Bauhinia variegada. 2000. Dissertação (Mestrado em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Pelotas.

Fábio Pereira Leivas Leite

Pinto, S. L;Fábio P. Leivas Leite; Pinto, V. P;CONCEICAO, Fabricio RochedoDELLAGOSTIN, Odir Antonio. Expressão heteróloga de lectina recombinante de Bauhinia variegata L e suas aplicações biotecnológicas. 2008. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Fábio Pereira Leivas Leite

Pinto, S. L;Fábio P. Leivas Leite; Nora , F.; Cavada, B. S.;DELLAGOSTIN, Odir Antonio. Expressão heteróloga da lectina recombinante da Bauhinia variegata (rBVL) e sua aplicação biotecnológica. 2007. Exame de qualificação (Doutorando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Vicente de Paulo Teixeira Pinto

PINTO, V. P. T.. Expressão heteróloga de lectina de Bauhinea variegata L e suas aplicações biotecnológicas. 2008. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Fabrício Rochedo Conceição

CONCEIÇÃO, F. R.. Expressão heteróloga de lectina de Bauhinia variegata L e suas aplicações biotecnológicas. 2008. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Odir Antonio Dellagostin

DELLAGOSTIN, O. A.; NORA, F. R.;LEITE, Fábio P LCAVADA, B. S.. Expressão heteróloga da lectina recombinante de Bauhinia variegata (rBVL) e sua aplicação biotecnológica. 2007. Exame de qualificação (Doutorando em Biotecnologia Agrícola) - Universidade Federal de Pelotas.

Marcos Antonio Baccarin

PINTO, Luciano da SilvaBACARIN, M. A.CAVADA, Benildo SousaLOPES, Nei Fernandes; MADRUGA, Luiz Alberto Netto;ROMBALDI, Cesar Valmor. Purificação parcial de lectina em Bahunia variegada. 2000. Dissertação (Mestrado em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Pelotas.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Orientou

Alessandra Neis

Engenharia de proteínas e otimização da atividade catalítica de celulases recombinantes; Início: 2019; Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Luize Silva Mascarenhas

Metodologia de seleção de genótipos de cana-de-açúcar para tolerância ao déficit hídrico através de alterações fisiológicas, bioquímicas e moleculares; Início: 2019; Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Laura Junqueira de Camargo

Atividade antiviral de lectinas nativas e recombinantes da família das jacalinas frente a dois agentes virais de grande importância veterinária; Início: 2018; Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Amanda Sigal Soares

A ação biológica da lectina de Bauhinia variegata nativa na regeneração tecidual; Início: 2018; Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Amanda Munari Guimarães

Pangenoma de Xanthomonas campestris: estudo dos patovares; Início: 2018; Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Rafaela Formoso

Expressão transiente da proteína LigA ni de Leptospira interrogans em folhas de alface e seu papel como imunomoduladora em ramsters; Início: 2017; Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Amílton Seixas Neto

Início: 2017; Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior;

Isadora Leitzke Guidotti

Identificação in silico de biomarcadores para câncer de bexiga; Início: 2019; Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; (Orientador);

Guilherme Feijó de Sousa

Expressão heteróloga da lectina rBVL em E; coli e sua aplicação biológica; Início: 2019; Iniciação científica (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; (Orientador);

Ana Cláudia de Oliveira

Utilização de lectinas nativas e recombinantes na inibição de células tumorais; Início: 2018; Iniciação científica (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; (Orientador);

Diego Serrasol do Amaral

Produção heterólogas de lectinas recombinantes visando sua aplicação biotecnológica; Início: 2018; Iniciação científica (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Christian Domingues Sanchez

GENOMAS RASCUNHOS DE ISOLADOS LEPTOSPIRA SANTAROSAI CEPAS U160, U164 E U233; Início: 2017; Iniciação científica (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; (Orientador);

Juliana Oliveira de Carvalho

CULTURA DE TECIDOS E TRANSFORMAÇÃO GENÉTICA DA CULTIVAR DE ARROZ IRGA 426 COM O GENE DA LECTINA bvl DE Bauhinia variegata; 2018; Dissertação (Mestrado em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Rafael Danelon dos Santos Woloski

Influência da glicosilação na estrutura e funcionamento de lectinas : Uma abordagem in silico; 2018; Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Mara Andrade Colares Maia

Expressão heteróloga da lectina BanLec-like em Escherichia coli e efeito sobre linhagem tumoral de melanoma; 2017; Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas,; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Tatiana Rossato

Alterações fisiológicas, bioquímicas e moleculares de arroz, cv; BRS AG, em resposta ao estresse salino; 2016; Dissertação (Mestrado em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Frederico Schmitt Kremer

Genix: Desenvolvimento de uma nova pipeline automatizada para anotação de genomas microbianos; 2016; Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Paula Ferreira Knabah

Atividade antifúngica de lectinas nativas e recombinantes em ensaios in vitro contra Sporothrix brasiliensis; 2016; Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Tatiane Casarin

Propagação in vitro de pinhão-manso a partir de acessos de interesse; 2016; Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Juliana Oliveira de Carvalho

Lectina BVL de Bauhinia variegata na transformação genética de arroz visando proteção contra fungos fitopatogênicos; 2016; Dissertação (Mestrado em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Rafael Danelon dos Santos Woloski

DESENVOLVIMENTO DO SOFTWARE DE VIRTUAL SCREENING VINA2NETWORK; 2016; Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Mariane D´Avila Vecchi

Prevalência de anticorpos anti-Toxoplasma gondii em pacientes com Hepatite C em tratamento, atendidos no CAMMI-UFPel; 2015; Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas,; Coorientador: Luciano da Silva Pinto;

Marcelo Nogueira do Amaral

ANÁLISE TRANSCRICIONAL E DE TROCAS GASOSAS EM PLANTAS DE ARROZ SUBMETIDAS AOS ESTRESSES POR FRIO, FERRO E SAL NO ESTÁDIO VEGETATIVO; 2015; Dissertação (Mestrado em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Luciano da Silva Pinto;

Ana Paula de Souza Stori de Lara

Expressão heteróloga da Toxina Cry 11Aa de Bacillus thuringiensis var; israelensis em Escherichia coli; ; 2013; Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Luciano da Silva Pinto;

Fernanda Brum

Produção e avaliação de antígenos para detecção de Ehrlichia canis; 2009; Dissertação (Mestrado em Parasitologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Luciano da Silva Pinto;

Frederico Schmitt Kremer

Estratégias de bioinformática no estudo da patogenômica de bactérias do gênero Xanthomonas; 2019; Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Guilerme Cardoso

Expressão e Caracterização de uma nova lectina recombinante de Bauhinia forficata Link e efeito sobre linhagens celulares tumorais; 2016; Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Isabel Lopes Vighi

CARACTERIZAÇÃO ESTRUTURAL E FUNCIONAL DO METABOLISMO ANTIOXIDANTE EM PLANTAS DE ARROZ SOB ESTRESSE SALINO; 2016; Tese (Doutorado em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Luciano da Silva Pinto;

Frederico Schmitt Kremer

Pangenoma de Xanthomonas oryzae: análise comparativa nos patovares oryzae e oryzicola; 2016; Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Gabriel Baracy Klafke

Avaliação da Lectina Vegetal e Recombinante de Bauhinia variegata (BVL) como Insumo Biotecnológico na Área Médica, Ano de obtenção: 2013; 2013; Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Isabel Lopes Vighi

2018; Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Luciano da Silva Pinto;

André Alex Grassmann

2015; Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Luciano da Silva Pinto;

Rafael Cagliari

Prospecção e análise in vitro deenzimas celulases de espécies de fungos fitopatogênicos com potencial aplicação na produção de biocombustíveis; 2018; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Amanda Sigal Soares

A ação proliferativa da lectina nativa Bauhinia variegata: um potencial fármaco para regeneração tecidual; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Laura Junqueira de Camargo

Utilização de uma lectina Jacalin-Like recombinante na inativação de Herpesvírus bovino tipo 1 e o vírus da diarréia viral bovina; ; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Amanda Munari Guimarães

Análise do Pangenoma de Xanthomonas campestris e a prospecbiotecnológicoção de genes de interesse; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Gabrielle Sanches Navarro

PROSPECÇÃO IN SILICO DE LECTINAS DE MICROORGANISMOS; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Martina Bianca Fuhrmann

Caracterização bioquímica e fisiológica de plantas de soja GM em condições de estresse hídrico por seca e encharcamento; 2016; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Arthur de Siqueira Brahm

Estudo da Beta-lactoglobulina como veículo para tamoxileno; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Monize Nakamoto Provisor

Análise diferencial dos padrões de expressão dos genes TIMPs, ADMTs e MMPs e de seus possíveis papéis no Câncer de mama; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Giovanni Victório Cerriti

Caracterização parcial de lectinas de folhas de Bauhinia variegata; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Roberta Maraninchi Silveira

Papel da proteína Nef de HIV-1 na modulação negativa da expressão de MHC-I; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Carolina da Silva Silveira

Caracterização molecular de acessos de morangueiro do BAG da Embrapa utilizando marcadores microssatélites; 2014; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Larissa Brussas Reis

Investigação de SNPs relacionados à pigmentação da pele e associação com susceptibilidade ao Melanoma em amostras do Rio Grande do Sul; 2014; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Paula Ferreira Knabah

Aprendendo higiene e ciência através de aulas práticas; 2013; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Frederico Schmitt Kremer

CestodaDB: Desenvolvimento de um banco de dados para proteínas de cestódeos; 2013; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Vinícius da Rosa da Silva Tavares

Fitorreguladores e antioxidantes na composição de semente sintética de batata-seleção F630106; 2013; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Relber Aguiar Gonçales

Expressão da lectina rBVL em Pichia pastoris; 2008; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Anna Lia Araújo Sant'Anna

Construção de um vetor de expressão em plantas utilizando o gene bvl I, visando resistência a insetos; 2007; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Laura Camargo

Expressão heteróloga da lectina BanLec-tipe em E; coli; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Amanda Silva Hecktheuer

Desenvolvimento de sistema de expressão heteróloga de lectinas e sua aplicação terapêutica; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Giovani Serruti

Purificação de lectinas vegetais de folhas de legumiosas e suas aplicações biotecnológicas; 2015; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Rafael Cagliari

Expressão heteróloga da lectina rHeltube em diferentes sistemas de expressão; 2015; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Gabriele Navarro

PROSPECÇÃO IN SILICO DE LECTINAS DE MICROORGANISMOS; 2015; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Larissa Brussas Reis

Transformação genética em arroz visando à obtenção de plantas tolerantes a pragas e doenças; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Amanda Sigal Soares

Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Amanda Munari Guimarães

Análise Proteômica da Resposta a diferentes fitorreguladores na cultura de tecidos de Pinhão-Manso (Jatropha Curcas); 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Monize Nakamoto Provisor Santos

Análise in silico do domínio c-type em lectinas de Leptospira spp; ; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Amanda Sigal Soares

Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Amanda Munari Guimarães

Análise Proteômica da Resposta a diferentes fitorreguladores na cultura de tecidos de Pinhão-Manso (Jatropha Curcas); 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Frederico Schmitt Kremer

LECBANK: CONSTRUINDO UM BANCO DE DADOS ONLINE PARA; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Tatiane Casarin

Regeneração in vitro de diferentes cultivares de arroz por organogênese indireta; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Cíntia Silveira Garcia

Transformação genética em arroz visando à obtenção de plantas tolerantes a pragas e doenças; ; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Arthur de Siqueira Brahm

Caracterização das isoformas das lectinas de Bauhinia forficata; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Larissa Brussas Reis

Utilização de lectinas no estudo da proliferação de células in vitro e cicatrização de tecidos em camundongos; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Paula Ferreira Knabah

Atividade biológica de lectinas no controle de insetos fitopatogênicos; 2012; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Carolina da Silva Silveira

Utilização de lectinas associadas à nanopartículas como insumo biotecnológico (COCEP 20804011); 2012; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Larissa Brussa Reis

Utilização de lectinas no estudo da proliferação de células in vitro e cicatrização de tecidos em camundongos; 2012; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Tatiane Casarin

Utilização de lectinas no estudo da proliferação de células in vitro e cicatrização de tecidos em camundongos COCEP; 2; 00; 00; 011; 2012; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Anna Carla Peinhopf

Expressão heteróloga da lectina BF de Bauhinia Forficata; 2010; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Luana Talita da Cruz

Expressão heteróloga de proteínas inseticidas; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Relber Gonçales Aguiar

Expressão heteróloga da lectina BVL I em Pichia Pastoris; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Tanize Cézar Priebe

Expressão da lectina BVLI de Bauninia variegata em alface visando o controle de fungos fitopatogênicos; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em Biotecnologia) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Carlos André Evangelista Freitas

Sequenciamento de fragmentos genomicos da Cramobacterium violaceum; 2001; 12 f; Orientação de outra natureza - Universidade Federal do Ceará; Orientador: Luciano da Silva Pinto;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Carlos Frederico Nalepinski Widholzer

Lista preliinar de gêneros de algas de água doce do campus da Universidade Federal de Peotas; ; 2000; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas - bacharelado) - Universidade Federal de Pelotas; Orientador: Carlos Frederico Nalepinski Widholzer;

Maria Elisabeth Aires Berne

Estudo da fauna helmíntica de búfalos em Pelotas,RS; ; 1996; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Maria Elisabeth Aires Berne;

Odir Antonio Dellagostin

Expressão heteróloga de lectina de Bauhinia variegata L e suas aplicações biotecnológicas; 2008; 0 f; Tese (Doutorado em Biotecnologia Agrícola) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Odir Antonio Dellagostin;

Marcos Antonio Baccarin

Purificação parcial de lectina em Bahunia variegada; 2000; 0 f; Dissertação (Mestrado em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Pelotas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Marcos Antonio Baccarin;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • KREMER, F. S. ; SOUZA JUNIOR, I. T. ; GUIMARAES, A. M. ; WOLOSKI, R. S. D. ; MOURA, A. B. ; PINTO, LUCIANO SILVA . Genome sequence of Xanthomonas fuscans subsp. fuscans strain Xff49: a new isolate obtained from common beans in Southern Brazil. BRAZILIAN JOURNAL OF MICROBIOLOGY , v. 50, p. 357-367, 2019.

  • NEIS, A. ; KREMER, F. S. ; PINTO, LUCIANO S ; LEON, P. . In silico prediction of prolactin molecules as a tool for equine genomics reproduction. MOLECULAR DIVERSITY , v. 1, p. 1-10, 2019.

  • Pinto, Luciano da Silva ; CARDOSO, G. ; KREMER, F. S. ; WOLOSKI, R. D. S. ; DELLAGOSTIN, O.A. ; Campos, V.F. . Heterologous expression and characterization of a new galactose-binding lectin from Bauhinia forficata with antiproliferative activity. INTERNATIONAL JOURNAL OF BIOLOGICAL MACROMOLECULES , p. 877-884, 2019.

  • FRONZA, M. G. ; BALDINOTTI, R. ; MARTINS, M. C. ; GOLDANI, B. ; DALBERTO, B. T. ; KREMER, F. S. ; BEGNINI, K. ; PINTO, L. S. ; LENARDAO, E. J. ; SEIXAS, F. K. ; Collares, T. ; ALVES, D. ; SAVEGNAGO, L. . Rational design, cognition and neuropathology evaluation of QTC-4-MeOBnE in a streptozotocin-induced mouse model of sporadic Alzheimer?s disease. Scientific Reports , v. 9, p. 1-14, 2019.

  • JORGE, S. ; KREMER, F. S. ; OLIVEIRA, N. R. ; NAVARRO, G. O. S. V. ; GUIMARAES, A. M. ; SANCHEZ, C. D. ; WOLOSKI, R. D. S. ; FORSTER, KARINE M ; Campos, V.F. ; PINTO, L. S. ; Odir A. Dellagostin . Whole-genome sequencing of Leptospira interrogans from southern Brazil: genetic features of a highly virulent strain. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz , v. 113, p. 80-86, 2018.

  • ESLABÃO, MARCUS R ; KREMER, FREDERICO S ; RAMOS, R.T.J. ; SILVA, A. L. C. ; AZEVEDO, V. A. C. ; PINTO, L. S. ; Silva, E. F. ; DELLAGOSTIN, O . Genome of Leptospira borgpetersenii strain 4E, a highly virulent isolate obtained from Mus musculus in southern Brazil. MEMORIAS DO INSTITUTO OSWALDO CRUZ , v. 113, p. 137-141, 2018.

  • MEDEIROS, GRACY K.V.V. ; QUEIROGA, RITA C.R.E. ; COSTA, WHYARA K.A. ; GADELHA, CARLOS A.A. ; E LACERDA, RODRIGO R. ; LACERDA, JOSÉ T.J.G. ; Pinto, Luciano S. ; BRAGANHOL, ELIZANDRA ; TEIXEIRA, FERNANDA C. ; DE S. BARBOSA, PAULA P. ; CAMPOS, MARIA I.F. ; GONÇALVES, GREGÓRIO F. ; PESSÔA, HILZETH L.F. ; GADELHA, TATIANE S. . Proteomic of goat milk whey and its bacteriostatic and antitumour potential. INTERNATIONAL JOURNAL OF BIOLOGICAL MACROMOLECULES , v. 113, p. 116-123, 2018.

  • DOS SANTOS, MARINALVA CARDOSO ; KROETZ, THAIS ; DORA, CRISTIANA LIMA ; GIACOMELLI, FERNANDO CARLOS ; FRIZON, TIAGO ELIAS ALLIEVI ; PICH, CLAUS TRÖGER ; DA SILVA PINTO, LUCIANO ; SOARES, AMANDA SIGAL ; RODEMBUSCH, FABIANO SEVERO ; DE LIMA, VÂNIA RODRIGUES ; DAL-BÓ, ALEXANDRE GONÇALVES . Elucidating Bauhinia variegata lectin/phosphatidylcholine interactions in lectin-containing liposomes. JOURNAL OF COLLOID AND INTERFACE SCIENCE , v. 519, p. 232-241, 2018.

  • CAGLIARI, RAFAEL ; KREMER, FREDERICO SCHMITT ; DA SILVA PINTO, LUCIANO . Bauhinia lectins: Biochemical properties and biotechnological applications. INTERNATIONAL JOURNAL OF BIOLOGICAL MACROMOLECULES , p. 811-820, 2018.

  • E LACERDA, RODRIGO RODRIGUES ; DO NASCIMENTO, EDILZA SILVA ; DE LACERDA, JOSÉ THALLES JOCELINO GOMES ; Pinto, Luciano da Silva ; RIZZI, CAROLINE ; BEZERRA, MIRNA MARQUES ; PINTO, ISABELA RIBEIRO ; FILHO, SAMUEL MATEUS PEREIRA ; PINTO, VICENTE DE PAULO TEXEIRA ; FILHO, GERARDO CRISTINO ; GADELHA, Carlos Alberto de Almeida ; GADELHA, Tatiane Santi . Lectin from seeds of a Brazilian lima bean variety (Phaseolus lunatus L. var. cascavel) presents antioxidant, antitumour and gastroprotective activities. International Journal of Biological Macromolecules , v. 95, p. 1072-1081, 2017.

  • MCBRIDE, ALAN JOHN ALEXANDER ; GRASSMANN, ANDRÉ ALEX ; KREMER, FREDERICO SCHMITT ; DOS SANTOS, JÚLIA COUGO ; SOUZA, JÉSSICA DIAS ; Pinto, Luciano da Silva . Discovery of Novel Leptospirosis Vaccine Candidates Using Reverse and Structural Vaccinology. Frontiers in Immunology , v. 8, p. 1-20, 2017.

  • KREMER, FREDERICO SCHMITT ; MCBRIDE, ALAN JOHN ALEXANDER ; Pinto, Luciano da Silva . Approaches for in silico finishing of microbial genome sequences. GENETICS AND MOLECULAR BIOLOGY , v. 40, p. 553-576, 2017.

  • ROSSATTO, TATIANA ; DO AMARAL, MARCELO NOGUEIRA ; BENITEZ, LETÍCIA CARVALHO ; VIGHI, ISABEL LOPES ; BRAGA, EUGENIA JACIRA BOLACEL ; DE MAGALHÃES JÚNIOR, ARIANO MARTINS ; MAIA, MARA ANDRADE COLARES ; DA SILVA PINTO, LUCIANO . Gene expression and activity of antioxidant enzymes in rice plants, cv. BRS AG, under saline stress. PHYSIOLOGY AND MOLECULAR BIOLOGY OF PLANTS , v. 1, p. 1-15, 2017.

  • FILHO, JOÃO COSTA ; JORGE, SÉRGIO ; KREMER, FREDERICO SCHMITT ; DE OLIVEIRA, NATASHA RODRIGUES ; Campos, Vinicius Farias ; DA SILVA PINTO, LUCIANO ; DELLAGOSTIN, Odir Antônio ; FEIJÓ, RUBENS GALDINO ; DE MENEZES, FRANCISCA GLEIRE RODRIGUES ; DE SOUSA, OSCARINA VIANA ; Maggioni, Rodrigo ; MARINS, Luis Fernando . Complete genome sequence of native Bacillus cereus strains isolated from intestinal tract of the crab Ucides sp. DATA IN BRIEF , v. 1, p. 1-9, 2017.

  • SANTOS, M. C. ; MICHELETTO, Y. M. S. ; SILVEIRA, N. P. ; PINTO, L. S. ; GIACOMELLI, F. C. ; LIMA, V. R. ; FRIZON, T. E. A. ; DAL-BO, A. G. A. . Self-assembled carbohydrate-based vesicles for lectin targeting. Colloids and Surfaces. B, Biointerfaces (Print) , v. 148, p. 12-18, 2016.

  • DE LARA, ANA PAULA DE SOUZA STORI ; LORENZON, LUCAS BIGOLIN ; VIANNA, ANA MUÑOZ ; SANTOS, FRANCISCO DENIS SOUZA ; PINTO, LUCIANO SILVA ; AIRES BERNE, MARIA ELISABETH ; Leite, Fábio Pereira Leivas . Larvicidal activity of Bacillus thuringiensis var. israelensis Cry11Aa toxin against Haemonchus contortus. Parasitology (London. Print) , v. 143, p. 1665-1671, 2016.

  • KLAFKE, GABRIEL BARACY ; MOREIRA, GUSTAVO MARÇAL SCHMIDT GARCIA ; PEREIRA, JULIANO LACAVA ; OLIVEIRA, PATRÍCIA DIAZ ; Conceição, Fabricio Rochedo ; LUND, RAFAEL GUERRA ; GRASSMANN, ANDRÉ ALEX ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio ; Pinto, Luciano da Silva . Lectin I from Bauhinia variegata (BVL-I) expressed by Pichia pastoris inhibits initial adhesion of oral bacteria in vitro. International Journal of Biological Macromolecules , v. 93, p. 913-918, 2016.

  • VIGHI, I. L. ; BENITEZ, L. C. ; AMARAL, M. N. ; AULER, P. A. ; MORAES, G. P. ; RODRIGUES, G.S. ; Maia, L. C. ; PINTO, L. S. ; BRAGA, E. J. B. . Changes in gene expression and catalase activity in Oryza sativa L. under abiotic stress. Genetics and Molecular Research , v. 15, p. 1-15, 2016.

  • SPEROTTO, RITA LEAL ; KREMER, FREDERICO SCHMITT ; AIRES BERNE, MARIA ELISABETH ; COSTA DE AVILA, LUCIANA F. ; DA SILVA PINTO, LUCIANO ; MONTEIRO, KARINA MARIANTE ; CAUMO, KARIN SILVA ; FERREIRA, HENRIQUE BUNSELMEYER ; BERNE, NATÁLIA ; Borsuk, Sibele . Proteomic analysis of Toxocara canis excretory and secretory (TES) proteins. Molecular and Biochemical Parasitology (Print) , p. 39-47, 2016.

  • KREMER, FREDERICO S ; ESLABÃO, MARCUS R ; Jorge, Sérgio ; OLIVEIRA, NATASHA R ; LABONDE, JULIA ; SANTOS, MONIZE NP ; MONTE, LEONARDO G ; GRASSMANN, ANDRÉ A ; CUNHA, CARLOS EP ; Forster, Karine M ; MORENO, LUÍSA Z ; MORENO, ANDREA M ; CAMPOS, VINICIUS F ; MCBRIDE, ALAN JA ; PINTO, L. S. ; DELLAGOSTIN, O. A. . Draft genome of the Leptospira interrogans strains, Acegua, RCA, Prea, and Capivara, obtained from wildlife maintenance hosts and infected domestic animals. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz (Online) , v. 111, p. 280-283, 2016.

  • KREMER, F. S. ; ESLABAO, M. R. ; Odir A. Dellagostin ; PINTO, L. S. . Genix: A New Online Automated Pipeline for Bacterial Genome Annotation. FEMS Microbiology Letters , p. fnw263, 2016.

  • DANELUZ, L. O. ; PINTO, L. S. ; DODE, L. B. ; CAGLIARI, R. ; PINTO, P. N. . BIOTECHNOLOGY FOR CHILDREN: DEMYSTIFYING CONCEPTS AND SPREADING THE BIOTECHNOLOGY. Expressa Extensão , v. 21, p. 162-173, 2016.

  • PINHEIRO, A. F. ; BORSUK, S. ; BERNE, M. E. A. ; PINTO, L. S. ; Andreotti, R. ; ROLLOF, B. C. ; ROOS, T. B. ; LEITE, F. P. L. . Use of ELISA based on NcSRS2 of Neospora caninum expressed in Pichia pastoris for diagnosing neosporosis in sheep and dogs. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária (Impresso) , v. 24, p. 148-154, 2015.

  • AZAMBUJA, C. R. L. ; SANTOS, L. G. ; RODRIGUES, M. R. ; SILVEIRA, E. F. ; AZAMBUJA, J. H. ; FLORES, A. F. ; HORN, A. P. ; DORA, C. L. ; MUCCILLO-BAISH, A. L. ; BRAGANHOL, E. ; PINTO, L. S. ; PARIZ, A. L. ; LIMA, V. R. . Physico-chemical characterization of asolectin-genistein liposomal system: An approach to analyze its in vitro antioxidant potential and effect in glioma cells viability. Chemistry and Physics of Lipids (Print) , v. 193, p. 24-35, 2015.

  • RODRIGUES, AMANDA AVILA ; MACAGNAN, KARINE LASTE ; SANTOS, BRUNA COI DOS ; ALVES, MARIANE IGANSI ; MOURA, ANDREA BITTENCOURT ; PERALBA, MARIA DO CARMO RUARO ; OLIVEIRA, PATRÍCIA DIAZ DE ; Pinto, Luciano da Silva ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio ; MOREIRA, ANGELITA DA SILVEIRA ; VENDRUSCOLO, CLAIRE TONDO . SELEÇÃO E IDENTIFICAÇÃO DE LINHAGENS BACTERIANAS PRODUTORAS DO BIOPLÁSTICO POLI(3-HIDROXIBUTIRATO). Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial , v. 9, p. 1771-1785, 2015.

  • Monte, Leonardo G. ; SANTI-GADELHA, TATIANE ; REIS, LARISSA B. ; BRAGANHOL, ELIZANDRA ; PRIETSCH, RAFAEL F. ; DELLAGOSTIN, O. A. ; E LACERDA, RODRIGO RODRIGUES ; GADELHA, CARLOS A. A. ; Conceição, Fabricio R. ; PINTO, L. S. . Lectin of Abelmoschus esculentus (okra) promotes selective antitumor effects in human breast cancer cells. Biotechnology Letters , v. 36, p. 461-469, 2014.

  • Amaral, M. N. do ; NORA, F. R. ; PINTO, L. S. ; FERNANDO, J. A. ; PETERS, J. A. . Regeneration of cotyledonary nodes from the recalcitrant melon cultivar ?Gaúcho. African Journal of Agricultural Research , v. 9, p. 2546-2551, 2014.

  • REIS, LARISSA ; RIZZI, CAROLINE ; MONTE, LEONARDO ; LABONDE, JULIA ; HARTLEBEN, CLAUDIA ; CONCEIÇÃO, FABRÍCIO ; PINTO, LUCIANO . Investigation of cellular proliferative potential of lectin extracted from Bauhinia variegata according to different cell lines. BMC Proceedings , v. 8, p. P265, 2014.

  • VIANNA, ANA MUÑOZ ; Gonçales, Relber Aguiar ; LARA, ANA PAULA DE SOUZA STORI DE ; Pinto, Luciano da Silva ; NIZOLI, LEANDRO QUINTANA ; Leite, Fábio Pereira Leivas . Expressão heteróloga da EMA-2 (equi merozoite antigen) de Theileria equi em Pichia pastoris com potencial utilização em imunobiológicos. Ciência Rural (UFSM. Impresso) , v. 44, p. 1830-1836, 2014.

  • SEGATTO, NATÁLIA ; FUHRMANN, MARTINA ; CASARIN, TATIANE ; SILVEIRA, CARLA ; DODE, LUCIANA ; PINTO, LUCIANO ; DE MAGALHÃES JÚNIOR, ARIANO . Effect of different concentrations of growth regulator on callus induction of the rice lineage AB11047. BMC Proceedings , v. 8, p. P118, 2014.

  • BRAGANHOL, E ; Prietsch, R. F. ; MONTE, L. G. ; SILVA, F. A. ; BEIRA, F. T. ; DEL PINO, F. A. B. ; CAMPOS, V. F. ; COLLARES, T. ; PINTO, L. S. ; SPANEVELLO, R. M. ; GAMARO, G. D. . Genistein induces apoptosis and autophagy in human breast MCF-7 cells by modulating the expression of proapoptotic factors and oxidative stress enzymes. Molecular and Cellular Biochemistry , v. 390, p. 235-242, 2014.

  • KLAFKE, G. B. ; MOREIRA, G. M. S. G. ; MONTE, L. G. ; PEREIRA, J. L. ; BRANDOLT, T. M. ; XAVIER, M. O. ; SANTI-GADELHA, T. ; DELLAGOSTIN, O. A. ; PINTO, L. S. . Assessment of Plant Lectin Antifungal Potential Against Yeasts of Major Importance in Medical Mycology. Mycopathologia (Dordrecht. Online) , v. 175, p. 147-151, 2013.

  • PINHEIRO, AMANDA FERNANDES ; Borsuk, Sibele ; Berne, Maria Elisabeth Aires ; Pinto, Luciano da Silva ; Andreotti, Renato ; ROOS, TALITA ; ROLLOF, BARBARA COUTO ; Leite, Fábio Pereira Leivas . Expression of Neospora caninum NcSRS2 surface protein in Pichia pastoris and its application for serodiagnosis of Neospora infection. Annals of Tropical Medicine and Parasitology , v. 107, p. 116-121, 2013.

  • KLAFKE, GABRIEL BARACY ; Borsuk, Sibele ; Gonçales, Relber Aguiar ; Arruda, Francisco Vassiliepe Sousa ; Carneiro, Victor Alves ; Teixeira, Edson Holanda ; COELHO DA SILVA, ANDRÉ LUIS ; CAVADA, BENILDO S. ; Dellagostin, Odir A. ; Pinto, Luciano S. . Inhibition of initial adhesion of oral bacteria through a lectin from Bauhinia variegata L. var. variegata expressed in Escherichia coli . JOURNAL OF APPLIED MICROBIOLOGY , v. XX, p. n/a-n/a, 2013.

  • SILVA, H. C. ; PINTO, L. S. ; Teixeira, E. H. ; NASCIMENTO, K. S. ; CAVADA, B. S. ; Silva, A.L.C. . BUL: A novel lectin from Bauhinia ungulata L. seeds with fungistatic and antiproliferative activities. Process Biochemistry (1991) , p. 1, 2013.

  • MOREIRA, GUSTAVO M. S. G. ; CONCEIÇÃO, FABRICIO R. ; MCBRIDE, ALAN J. A. ; PINTO, LUCIANO DA S. . Structure Predictions of Two Bauhinia variegata Lectins Reveal Patterns of C-Terminal Properties in Single Chain Legume Lectins. Plos One , v. 8, p. e81338, 2013.

  • Cunha, R. ; LEON, A. A. P. ; LEITE, F. P. L. ; PINTO, L. S. ; SANTOS JUNIOR, A. G. ; Andreotti, R. . Bovine immunoprotection against Rhipicephalus microplus with recombinant Bm86-Campo Grande antigen. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária (Impresso) , v. 21, p. 1-9, 2012.

  • REY, Maristela dos Santos ; SCHMITZ, Daiane ; PINTO, L. S. ; Silva, F.S.P. da ; BRAGA, E. J. B. ; BRAGA, E. J. B. ; MOURA, Andrea B ; PIEROBOM, Carlos Roberto ; PETERS, J. A. . INDUÇÃO DE RESISTÊNCIA EM ARROZ CONTRA Bipolaris oryzae BREDA DE HANN, ATRAVÉS DA EXPRESSÃO CONSTITUTIVA DE UM GENE DE QUITINASE. Bioscience Journal (Online) , v. 28, p. 745-752, 2012.

  • Borsuk, Sibele ; Andreotti, Renato ; Leite, Fábio Pereira Leivas ; da Silva Pinto, Luciano ; Simionatto, Simone ; Hartleben, Claudia Pinho ; Goetze, Marcelo ; Oshiro, Leandra Marla ; Matos, Maria de Fátima Cepa ; Berne, Maria Elisabeth Aires ; Pinto, Luciano da Silva . Development of an indirect ELISA-NcSRS2 for detection of Neospora caninum antibodies in cattle. Veterinary Parasitology (Print) , v. 177, p. 33-38, 2011.

  • Neto, Luiz Gonzaga do Nascimento ; Pinto, Luciano da Silva ; Bastos, Rafaela Mesquita ; Evaristo, Francisco Flávio Vasconcelos ; Vasconcelos, Mayron Alves de ; Carneiro, Victor Alves ; Arruda, Francisco Vassiliepe Sousa ; Porto, Ana Lúcia Figueiredo ; Leal, Rodrigo Bainy ; Júnior, Valdemiro Amaro da Silva ; CAVADA, Benildo Sousa ; Teixeira, Edson Holanda . Effect of the Lectin of Bauhinia variegata and Its Recombinant Isoform on Surgically Induced Skin Wounds in a Murine Model. Molecules (Basel. Online) , v. 16, p. 9298-9315, 2011.

  • Silva Pinto, Luciano ; Gonçales, Relber Aguiar ; Conceição, Fabricio Rochedo ; Knabah, Paula Ferreira ; Borsuk, Sibele ; Campos, Vinicius Farias ; Arruda, Francisco Vassiliepe ; Leite, Fabio Pereira Leivas . Stability, oviposition attraction, and larvicidal activity of binary toxin from Bacillus sphaericus expressed in Escherichia coli. Applied Microbiology and Biotechnology , v. 93, p. 1-7, 2011.

  • Cerqueira, G. M. ; McBride, A. J. A. ; QUEIROZ, A. ; PINTO, L. S. ; Silva, E. F. ; Hartskeerl, R. A. ; Reis, M. G. ; KO, A. I. ; Dellagostin, O. A. . Monitoring Leptospira Strain Collections: The Need for Quality Control. The American Journal of Tropical Medicine and Hygiene , Campina Grande, v. 82, n.3, p. 83-87, 2010.

  • PANZARDI, A. ; CORCINI, C.D. ; MADEIRA, E. M. ; PIASSI, L. M. ; BESSEL, R. M. C. ; PINTO, L. S. ; Deschamps, J. C. ; LUCIA JR, T. . GENETIC PATERNITY TEST FOR PIGLETS GENERATED BY HETEROSPERMIC CERVICAL AND POST-CERVICAL ARTIFICIAL INSEMINATION. ACTA VETERINARIA BRASILICA (UFERSA) , v. 4, p. 168-175, 2010.

  • SILVA, Everton ; CERQUEIRA, Gustavo ; Athanasio, D ; SEYFFERT, Núbia ; SEIXAS, F. K. ; HARTWIG, Daiane ; PINTO, L. S. ; QUEIROZ, A. ; KO, A. ; BROD, Claudiomar ; DELLAGOSTIN, Odir Antônio . Leptospira noguchii causing human and animal leptospirosis in Southern Brazil. Emerging Infectious Diseases , v. 15, p. 621-622, 2009.

  • Proietti, M ; Lara-Ruiz, P. ; Reisser ; PINTO, L. S. ; Dellagostin, O. ; MARINS, L. F. . Green turtles (Chelonia mydas) foraging at Arvoredo Island in Southern Brazil: Genetic characterization and mixed stock analysis through mtDNA control region haplotypes. Genetics and Molecular Biology (Impresso) , v. 32, p. 613-618, 2009.

  • Ciacci-Zanella, Janice Reis ; Ciacci-Zanella, Janice Reis ; Simon, Neide Lisiane ; Pinto, Luciano S. ; Viancelli, Aline ; Fernandes, Lana Teixeira ; Hayashi, Marcelo ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio ; Esteves, Paulo Augusto ; Viancelli, Aline ; Simon, Neide Lisiane ; Fernandes, Lana Teixeira ; Pinto, Luciano S. ; Hayashi, Marcelo ; Esteves, Paulo Augusto ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio . Detection of porcine Circovirus type 2 (PCV2) variants PCV2-1 and PCV2-2 in Brazilian pig population. Research in Veterinary Science , v. 87, p. 157-160, 2009.

  • Meier, Karina M. ; Figueiredo, Márcio A. ; Kamimura, Michel T. ; Laurino, Jomar ; Maggioni, Rodrigo ; PINTO, L. S. ; DELLAGOSTIN, O. A. ; Dellagostin, Odir A. ; Tesser, Marcelo B. ; Sampaio, Luís A. ; Marins, Luis F. . Increased growth hormone (GH), growth hormone receptor (GHR), and insulin-like growth factor I (IGF-I) gene transcription after hyperosmotic stress in the Brazilian flounder Paralichthys orbignyanus. Fish Physiology and Biochemistry , v. 35, p. 501-509, 2009.

  • Gilmar A.F. Lemes ; Ralf Kersanach ; PINTO, L. S. ; Odir A. Dellagostin ; João S. Yunes ; Alexandre Matthiensen . Biodegradation of microcystins by aquatic Burkholderia sp. from a South Brazilian coastal lagoon. Ecotoxicology and Environmental Safety , v. 69, p. 358-365, 2008.

  • PINTO, L. S. ; Nagano, C.S. ; OLIVEIRA, T. M. ; MOURA, T. R. ; SAMPAIO, A. H. ; DEBRAY, H. ; PINTO, V. P. ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio ; CAVADA, Benildo Sousa . Purification and molecular cloning of a new galactose-specific lectin from Bauhinia variegata seeds. Journal of Biosciences , v. 33, p. 355-363, 2008.

  • ESTEVES, P.A. ; DELLAGOSTIN, O.A. ; PINTO, L. S. ; SILVA, A.D. ; SPILKI, F.R. ; CIACCI-ZANELLA, J.R. ; HUBNER, S.O. ; PUENTES, R. ; MAISONNAVE, J. ; FRANCO, A.C. ; RIJSEWIJK, F.A.M. ; TEIXEIRA, T.F. ; DEZEN, Diogenes ; OLIVEIRA, A.P. ; DAVID, C. . Phylogenetic comparison of the carboxy-terminal region of glycoprotein C (gC) of bovine herpesviruses (BoHV) 1.1, 1.2 and 5 from South America (SA). Virus Research (Print) , v. 1, p. 1-7, 2008.

  • ROSA, C. E. ; FIGUEIREDO, M. A. ; MARINS, Luis Fernando ; ROBALDO, R. B. ; PINTO, L. S. ; DELLAGOSTIN, O. A. ; COLARES, E. P. ; MARTINEZ, P. E. ; BIANCHINI, A. . HSP70 mRNA expression in the Antarctic fish Notothenia coriiceps as a biomarker of possible global warming. Marine Environmental Research , v. 66, p. 174-174, 2008.

  • CASSANA, F. F. ; PINTO, L. S. ; Pohl, S. ; Bianchi, V. J. ; Braga, J. B. B. ; Peters, José Antônio . Regeneração de brotos a partir de folhas de Mirtilo cultivadas in vitro. Revista Brasileira de Biociências , v. 5, p. 870-872, 2007.

  • VASCONCELOS, Ana Tereza Ribeiro de ; FERREIRA, Henrique B ; BIZARRO, Cristiano V ; BONATTO, Sandro ; CARVALHO, Marcos O de ; PINTO, L. S. . Swine and poultry pathogens: the complete genome sequences of two strains of Mycoplasma hyopneumoniae and a strain of Mycoplasma synoviae. Journal of Bacteriology , United States of America, v. 187, p. 5568-5577, 2005.

  • PINTO, L. S. ; ANDRADE NETO, Manoel ; BACARIN, Marco Antonio ; CASTELLÓN, Rolando Rivas ; GADELHA, Tatiane Santi ; GADELHA, C. A. ; CAVADA, Benildo Sousa . Caracterização química e bioquímica de sementes de Bauhinia variegata L.. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental , v. 9, p. 385-390, 2005.

  • PINTO, L. S. . Relationships in subtribe Diocleinae (Leguminosae; Papilionoideae) inferred from internal transcribed spacer sequences from nuclear ribosomal DNA. Phytochemistry. Devon, UK: , 2003.. Phytochemistry, Devon, UK, v. 65, n.n. 1, p. 59-69, 2004.

  • PINTO, L. S. ; FARIA, Rozilaine A.p.g. ; CAVADA, Benildo Sousa ; CASTELLÓN, Rolando Rivas ; CALVETE, Juan J. . Caracterização Química parcial e bioquímica de sementes de Bauhinia forficata Link. Archivos Latinoamericanos de Nutrición , Venezuela, v. 54, n.03, p. 349-353, 2004.

  • VASCONCELOS, A. T. R. ; PINTO, L. S. . The complete genome sequence of Chromobacterium violaceum reveals remarkable and exploitable bacterial adaptability.. PROCEEDINGS OF THE NATIONAL ACADEMY OF SCIENCES OF THE UNITED STATES OF AMERICA , Chicago, v. 100, n.20, p. 11660-11665, 2003.

  • PINTO, L. S. ; Brun, J. G. W. . Aspectos Biológicos da fase adulta de Fannia pusio (Wied, 1930) (Diptera: Faniidae), em condições de Laboratório.. Arquivos do Instituto Biológico , São Paulo, v. 65, n.2, p. 135-137, 1998.

  • BRUM, J. G. ; VIANNA, É. E. S. ; COSTA, P. R. P. ; PINTO, L. S. . Sinanthropy and seasonal incidence of Fannia punctipennis (Diptera : Fanniidae)in Pelotas, Rio Grande do Sul, Brazil. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária (Impresso) , São Paulo, SP, v. 7, n.n. 2, p. 149-150, 1998.

  • Brun, J. G. W. ; Vianna, E.E.S. ; Gentiline, L. ; PINTO, L. S. . Fannia punctipennis (Diptera: Faniidae), vetor de ovos de Dermatobia hominis (Oestridae: CUteribrinae) em Pelotas, RS.. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária , v. 5, p. 59-60, 1996.

  • SILVEIRA, C. S. ; GARCIA, C. S. ; PINTO, L. S. ; AL-ALAM, N. N. . Caracterização Molecular de Entamoeba Histolytica e Entamoeba dispar. Caracterização Molecular de Entamoeba Histolytica e Entamoeba dirpar. 1ed.: Novas edições acadêmicas, 2016, v. 1, p. 100-106.

  • REIS, L. B. ; RIZZI, C. ; BIDONE, J. ; FONSECA, A. F. ; MAIDANA, M. ; PINTO, L. S. . Efeito da lectina extraída de Bauhinia variegata incorporada ao gel de hidroxetilcelulose na cicatrização in vivo. Congresso de Iniciação científica da Universidade federal de Pelotas-Trabalhos premiados 2013. 1ed.Pelotas: Editora da UFPel, 2015, v. 1, p. 234-248.

  • CECCATTO, Vania M ; CAVADA, Benildo Sousa ; PINTO, L ; RAMOS, M. V. ; BEZERRA, Walderli Melgaço ; MARINHO, E. S ; Macedo, N.M.R ; Pinheiro, J.A. ; GRANGEIRO, Thalles B. . Perfil eletroforético de proteínas de sementes de leguminosas e caracterização de uma lectina de sementes de Canavalia grandiflora Benth. In: VIII Encontro de Pesquisadores da UECE, 2002, Fortaleza. VIII Encontro de Pesquisadores da UECE, 2002.

  • CECCATTO, Vania M ; PINTO, L. S. ; CAVADA, Benildo Sousa ; GRANGEIRO, Moema Barbosa ; DUARTE, Viviane G ; BEZERRA, Walderli Melgaço ; GRANGEIRO, Thalles B. . PCR e transfecção do gene ConGF de uma lectina de sementes de Canavalia grandiflora Benth. em vetor procariótico Escherichia coli.. In: VIII Encontro de Pesquisadores-UECE, 2002, Fortaleza. VIII Encontro de Pesquisadores-UECE, 2002.

  • AMARAL, D. S. ; NETO, A. ; SOUSA, G. F. ; VIGHI, I. L. ; DODE, M. T. B. ; PINTO, L. S. . Ensaio de cicatrização utilizando o protocolo para avaliar a cicatrização tecidual em modelo experimental Rattus norvegicus wistar. In: XXVII Congresso de Iniciação Científica, 2018, Pelotas. XVII Congresso de Iniciação Científica, 2018.

  • SOUSA, G. F. ; AMARAL, D. S. ; VIGHI, I. L. ; NETO, A. ; PINTO, L. S. . COMPARAÇÃO DE MÉTODOS DE EXTRAÇÃO DE PROTEÍNAS EM FOLHAS DE ARROZ DA CULTIVAR BRS AG. In: XXVII Congresso de Iniciação Científica, da II Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2018, Pelotas. XXV Congresso de Iniciação Científica, da II Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2018.

  • CAGLIARI, RAFAEL ; KREMER, F. S. ; SANCHEZ, C. D. ; JORGE, S. ; PINTO, L. S. . GENOMA RASCUNHO DE UM NOVO ISOLADO DE L. INTERROGANS ISOLADO DE AMOSTRAS DE CANINOS EM SÃO PAULO (SP). In: XXVI Congresso de Iniciação Científica, da I Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2017. XXVI Congresso de Iniciação Científica, da I Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2017.

  • CAMARGO, L. J. ; CAGLIARI, R. ; NETO, A. ; PICOLI, T. ; FISCHER, G. ; PINTO, L. S. . ATIVIDADE ANTIVIRAL DA LECTINA rBANLEC-LIKE CONTRA O VÍRUS DA DIARREIA VIRAL BOVINA E HERPESVÍRUS BOVINO TIPO- 1. In: XXVI Congresso de Iniciação Científica, da I Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2017, Pelotas. XXVI Congresso de Iniciação Científica, da I Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2017.

  • GUIMARAES, A. M. ; NAVARRO, G. O. S. V. ; SANCHEZ, C. D. ; KREMER, F. S. ; PINTO, L. S. . IDENTIFICAÇÃO IN SÍLICO DE UMA POSSÍVEL LECTINA JACALIN-LIKE EM XANTHOMONAS ORYZAE pv. ORYZAE. In: XXV Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2016, Pelotas. XXV Congresso de Iniciação Científica da UFPel e II Mostra Científica, 2016.

  • NAVARRO, G. O. S. V. ; KREMER, F. S. ; JORGE, S. ; Campos, V.F. ; DELLAGOSTIN, O.A. ; PINTO, L. S. . SEQUENCIAMENTO, MONTAGEM E ANOTAÇÃO DO GENOMA DE Leptospira interrogans CEPA TANDE. In: XXV Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2016, Pelotas. XXV Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2016.

  • CAMARGO, L. J. ; GRASSMANN, A. A. ; MAIA, M. A. C. ; CAGLIARI, R. ; HECKTHEUER, A. S. ; PINTO, L. S. . EXPRESSÃO DA LECTINA rBanlec-like E PRODUÇÃO DE ANTICORPOS POLICLONAIS PARA CARACTERIZAÇÃO E ENSAIOS FUTUROS. In: XXV Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2016. XXV Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2016.

  • SANCHEZ, C. D. ; KREMER, F. S. ; JORGE, S. ; Campos, V.F. ; DELLAGOSTIN, O.A. ; L.S. Pinto . GENOMA RASCUNHO DE ISOLADO LEPTOSPIRA INTERROGANS CEPA PISCINA. In: XXV Congresso de Iniciação Científica, da II Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2016, Pelotas. XXV Congresso de Iniciação Científica, da II Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2016.

  • ROSSATTO, T. ; CASARIN, T. ; DODE, L. B. ; BENITEZ, L. C. ; Magalhães Junior, A.M. ; PINTO, L. S. . EFEITO DO ESTRESSE SALINO NA GERMINAÇÃO E CRESCIMENTO VEGETATIVO DA CULTIVAR BRS AG (Oriza sativa) CULTIVADA IN VITRO. In: XVII Encontro de Pós Graduação da UFPel, 2015, Pelotas. XVII ENPOS, 2015.

  • NAVARRO, G. O. S. V. ; KREMER, F. S. ; PINTO, L. S. . ANALISE DO GRAU DE INTERAÇÃO NA INTERFACE DE INTERAÇÃO DE CARBOHIDRATO-LECTINA EM LECTINAS CONA-LIKE. In: XXIV Congresso de Iniciação científica da UFPel., 2015, Pelotas. I Semana Integrada da UFPel, 2015.

  • CAGLIARI, R. ; GRASSMANN, A. A. ; KNABAH, P. F. ; CAMARGO, L. J. ; RIZZI, C. ; PINTO, L. S. . OBTENÇÃO DA LECTINA RECOMBINANTE HELTUBA E INVESTIGAÇÃO INICIAL DE ATIVIDADE BIOLÓGICA. In: XXIV Congresso Iniciação Científica da UFPel, 2015, Pelotas. I Semana Integrada da UFPel, 2015.

  • CAMARGO, L. J. ; GRASSMANN, A. A. ; KNABAH, P. F. ; CAGLIARI, R. ; PINTO, L. S. . LECTINA rBanlec INIBE O CRESCIMENTO DA LINHAGEM CELULAR A375 DE MELANOMA MALIGNO CUTÂNEO. In: XXIV Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2015, Pelotas. I Semana Integrada da UFPel, 2015.

  • CERRUTI, G. V. ; PINTO, L. S. . PURIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO PARCIAL DE LECTINAS PRESENTES EM EXTRATOS DE FOLHAS DE Bauhinia variegata L.. In: XXIV Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2015, Pelotas. I Semana Integrada da UFPel, 2015.

  • TERTO, W. D. S. ; MOURA, M. Q. ; CASTRO, L. M. ; AVILA, L. F. C. ; PINTO, L. S. ; BERNE, M. E. A. . EXTRAÇÃO DE DNA DE Toxocara canis: COMPARAÇÃO DE DUAS TÉCNICAS PARA PADRONIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICO MOLECULAR DA TOXOCARÍASE. In: XVII Encontro de Pós Graduação da UFPel, 2015, Pelotas. I Semana Integrada da UFPel, 2015.

  • GUIMARAES, A. M. ; CASARIN, T. ; DODE, L. B. ; GRASSMANN, A. A. ; PINTO, L. S. . UTILIZAÇÃO DE AGROBACTERIUM TUMEFACIENS PARA TRANSFORMAÇÃO DE ALFACE VISANDO A EXPRESSÃO DA LECTINA BvL-I. In: XXIV Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2015, Pelotas. I Semana Integrada da UFPel, 2015.

  • KREMER, F. S. ; ESLABAO, M. R. ; DELLAGOSTIN, O.A. ; PINTO, L. S. . Genix: Uma nova pipeline automática para anotação de genomas bacterianos. In: XVII Encontro de Pós Graduação da UFPel, 2015, Pelotas. I Semana Integrada da UFPel, 2015.

  • SOARES, A. S. ; RIZZI, C. ; GUIMARAES, A. M. ; CERRUTI, G. V. ; VARELA JUNIOR, A. S. ; PINTO, L. S. . INVESTIGAÇÃO DA INDUÇÃO DE PROLIFERAÇÃO CELULAR PELA LECTINA EXTRAÍDA DE Bauhinia variegata. In: XXIV Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2015, Pelotas. I Semana Integrada da UFPel, 2015.

  • DANELUZ, L. O. ; XAVIER, R. G. ; CAGLIARI, R. ; DODE, L. B. ; PINTO, L. S. . PROJETO DE EXTENSÃO BIOTECNOLOGIA PARA CRIANÇAS: DESMISTIFICANDO CONCEITOS E DIFUNDINDO A BIOTECNOLOGIA. In: Congresso de Extensão e Cultura da UFPel, 2015, Pelotas. I Semana Integrada da UFPel, 2015.

  • WOLOSKI, R. D. S. ; KREMER, F. S. ; PINTO, L. S. . DESENVOLVIMENTO DO SOFTWARE DE VIRTUAL SCREENING VINA2NETWORK. In: XXIV Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2015, Pelotas. I Semana Integrada da UFPel, 2015.

  • CASARIN, T. ; DODE, L. B. ; SILVA, S. D. A. ; PINTO, L. S. . EFEITO DE DIFERENTES REGULADORES DE CRESCIMENTO NO ALONGAMENTO DE BROTAÇÕES ADVENTÍCIAS EM PINHÃO MANSO. In: XVII Encontro de Pós Graduação da UFPel, 2015, Pelotas. I Semana Integrada da UFPel, 2015.

  • REIS, L. B. ; RIZZI, C. ; MOREIRA, G. M. S. G. ; KREMER, F. S. ; PINTO, L. S. . EXPRESSÃO HETERÓLOGA DE UMA NOVA LECTINA SINTÉTICA BASEADA NA LECTINA BANLEC DE Musa accuminata'. In: XXIII Congresso de Iniciação Científica, 2014, Pelotas. XXIII Congresso de Iniciação Científica, 2014.

  • SOARES, A. S. ; RIZZI, C. ; REIS, L. B. ; MOREIRA, G. M. S. G. ; PINTO, L. S. . Construção do gene sintético da lectina Heltuba de Helianthus tuberosus e expressão heteróloga em Escherichia coli. In: XXIII Congresso de Iniciação Científica, 2014, Pelotas. XXIII Congresso de Iniciação Científica, 2014.

  • KREMER, F. S. ; ESLABAO, M. R. ; CUNHA, C. E. P. ; MORENO, L. Z. ; DELLAGOSTIN, O.A. ; PINTO, L. S. . GENOME DRAFT DE UM NOVO ISOLADO LEPTOSPIRA KIRSCHNERI. In: XVI Encontro de Pós- Graduação, 2014, Pelotas. XVI Encontro de Pós- Graduação, 2014.

  • CARDOSO, G. ; BRAHM, A. S. ; FARIAS, C. J. ; PINTO, L. S. . AVALIAÇÃO DO EFEITO DA LECTINA DE Bauhinia variegata SOBRE O CRESCIMENTO MICELIAL E ESPORULAÇÃO DE Bipolaris oryzae.. In: XV Encontro de Pós Graduação da UFPel., 2013. XV ENPOS, 2013. v. 1. p. 1-3.

  • REIS, L. B. ; RIZZI, C. ; BIDONE, J. ; FONSECA, A. F. ; MAIDANA, M. ; PINTO, L. S. . EFEITO DA LECTINA EXTRAÍDA DE Bauhinia variegata INCORPORADA AO HIDROGEL NATROSOL NA CICATRIZAÇÃO IN VIVO. In: XXII Encontro de Iniciação Científica da UFPel, 2013, Pelotas. XXII CIC, 2013.

  • CASARIN, T. ; SILVEIRA, C. F. ; EBERHARDT, P. E. R. ; Magalhães Junior, A.M. ; DODE, L. B. ; PINTO, L. S. . EFEITO DE DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE 2,4 D NA INDUÇÃO DE CALOS A PARTIR DE SEMENTES PARA DIFERENTES CULTIVARES DE ARROZ (Oryza sativa L.). In: XXII Encontro de Iniciação Científica da UFPel, 2013, Pelotas. XXII CIC, 2013.

  • KREMER, F. S. ; ESLABAO, M. R. ; PINTO, L. S. ; DELLAGOSTIN, O.A. . Square: Um novo software para anotação automática de genomas microbianos. In: XXII Encontro de Iniciação Científica da UFPel, 2013, Pelotas. XXII CIC, 2013.

  • GARCIA, C. S. ; SILVEIRA, C. F. ; MASIEIRO, D. S. ; NORA, F. R. ; DODE, L. B. ; PINTO, L. S. . TRANSFORMAÇÃO GENÉTICA DE ALFACE (Lactuca sativa L.) COM O VETOR BINÁRIO pK7WG2D CONTENDO O GENE BVL. In: XXII Encontro de Iniciação Científica da UFPel, 2013, Pelotas. XXII CIC, 2013.

  • BRAHM, A. S. ; CARDOSO, G. ; REIS, L. B. ; SOARES, A. ; PINTO, L . IDENTIFICAÇÃO DE ISOFORMAS DA LECTINA DE SEMENTES DE Bauhinia forficata ATRAVÉS DE ELETROFORESE BIDIMENSIONAL (2D-PAGE). In: XXII Encontro de Iniciação Científica da UFPel, 2013, Pelotas. XXII CIC, 2013.

  • CASARIN, T. ; SILVEIRA, C. F. ; DODE, L. B. ; PINTO, L. S. . Efeito de diferentes fontes de carbono na regeneração de calos de arroz cultivar PUITA INTA CL.. In: VIII Congresso Brasileiro de Arroz Irrigado, 2013, Santa Maria. VIII Congresso Brasileiro de Arroz Irrigado, 2013. v. 1.

  • SILVEIRA, C. F. ; CASARIN, T. ; NORA, F. R. ; DODE, L. B. ; PINTO, L. S. . Transformação de A. tumefaciens e E. coli com o vetor binário PH7WG2D contendo o gene bvl. In: VIII Congresso Brasileiro de Arroz Irrigado, 2013, Santa Maria. VIII Congresso Brasileiro de Arroz Irrigado, 2013. v. 1.

  • SILVEIRA, C. S. ; MONTE, LEONARDO GARCIA ; Pinto, Luciano da Silva . Padronização do ensaio de adsorçãoda lectina BVL de Bauhinia variegata em esferas magnéticas. In: 21 congresso de Iniciação Científica. UFPel, 2012, Pelotas. 21 Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2012.

  • GARCIA, C. S. ; MASIEIRO, D. S. ; CASARIN, T. ; FORMOSO, R. S. ; SILVA, S. D. A. ; DODE, L. B. ; PINTO, L. S. . DESENVOLVIMENTO DE PROTOCOLO DE TRANSFORMAÇÃO DE Jatropha curcas L. E VERIFICAÇÃO DE SUA EFICIÊNCIA UTILIZANDO A PROTEÍNA VERDE FLUORESCENTE-GFP. In: 21 congresso de iniciação cinetífica da UFPel, 2012, Pelotas, RS. 21 congresso de iniciação científica da UFPel, 2012.

  • KREMER, F. S. ; ESLABAO, M. R. ; PINTO, L. S. . Lecbank: construindo um banco de dados online para informações de lectinas. In: 21 Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2012, Pelotas, RS. 21 Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2012.

  • MOREIRA, G. M. S. G. ; PINTO, L. S. ; CONCEIÇÃO, F. R. . IDENTIFICAÇÃO in silico DE α-HÉLICE NA REGIÃO C-TERMINAL DA LECTINA BVL-II E DEFINIÇÃO DE SUAS POSSÍVEIS FUNÇÕES ESTRUTURAIS. In: 21 Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2012, Pelotas, RS. 21 Congresso de Iniciação Cientícifica da UFPel, 2012.

  • KNABAH, P. F. ; ANTUNES, T. ; PINTO, M. S. ; LEITE, F. P. L. ; PINTO, L. S. . EXPRESSÃO DOS GENES MOSQUITOCIDAS MTX1 E MTX2 VISANDO A PRODUÇÃO HETERÓLOGA DE INSETICIDAS BIOLÓGICOS PARA CONTROLE DE MOSQUITOS. In: 21 congresso de iniciação científica da UFPel, 2012, Pelotas, RS. 21 Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2012.

  • PEREIRA, J. L. ; Júnior, A.G.S ; KLAFKE, G. B. ; PINTO, L. S. ; LEITE, F. P. L. . DEGENERAÇÃO DE TÚBULOS SEMINÍFEROS DE CAMUNDONGOS. In: XIII ENPOS, 2011, Pelotas. XIII Encontro de Pós Graduação da UFPel, 2011.

  • STOLL, S. N. ; SILVEIRA, C. S. ; Silveira, C.F. ; PINTO, L. S. . AVALIAÇÃO DE EXTRATOS DE FOLHAS Bauhinia variegata L. QUANTO A. In: XX Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2011, Pelotas. XX CIC, 2011.

  • Amaral, M. N. do ; NORA, L. ; PINTO, L. S. ; Nora, F. R. ; Peters, José Antônio . LECTINAS DE Dioclea rostrata, Dioclea violacea E Canavalia brasiliensis NA. In: XX Congresso de iniciação Científica da UFPel, 2011, Pelotas. XX CIC, 2011.

  • Moreira, G. M. S. G. ; PINTO, L. S. ; CONCEIÇÃO, F. R. . EVIDÊNCIAS ESTRUTURAIS DE POSSÍVEL PROCESSAMENTO C-TERMINALEVIDÊNCIAS ESTRUTURAIS DE POSSÍVEL PROCESSAMENTO C-TERMINAL. In: XX Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2011, Pelotas. XX CIC, 2011.

  • SILVEIRA, C. S. ; STOLL, S. N. ; Silveira, C.F. ; PINTO, L. S. . CARACTERIZAÇÃO PARCIAL DO EXTRATO DE FOLHAS DE Bauhinia forficata. In: XX Congresso de Inicação Científica da UFPel, 2011, Pelotas. XX CIC, 2011.

  • PEREIRA, J. L. ; KLAFKE, G. B. ; Moreira, G. M. S. G. ; PINTO, L. S. ; CONCEIÇÃO, F. R. ; LEITE, F. P. L. . clonagem e expressão da quimera LTB/GnRH em Pichia pastoris. In: XII Encontro de Pós Graduação, 2010, Pelotas. Congresso de Pós-Graduação da UFPel, 2010. v. 1. p. 1-1.

  • KLAFKE, G. B. ; Moreira, G. M. S. G. ; PEREIRA, J. L. ; PINTO, L. S. ; CONCEIÇÃO, F. R. ; Dellagostin, Odir A. . Clonagem e expressão heteróloga da Lectina rBVL-I em Pichia pastoris. In: XII Encontro de Pós-Graduação da UFPel, 2010, Pelotas. XII ENPOS, 2010. v. 1. p. 1-1.

  • Gonçales, R.A. ; KNABAH, P. F. ; BRUN, F. A. ; PINTO, L. S. ; LEITE, F. P. L. . ESTABILIDADE DAS PROTEÍNAS RECOMBINANTES DE Bacillus sphaericus PRODUZIDAS EM Escherichia coli E AVALIAÇÃO DE ATRATIVOS PARA OVIPOSIÇÃO DE Culex quinquefasciatus. In: XIX Congresso Iniciação Científica XII Encontro de Pós-Graduação e II Mostra Científica, 2010, Pelotas. XIX Congresso Iniciação Científica XII Encontro de Pós-Graduação e II Mostra Científica. Pelotas: Editora Universitária, 2010. v. 1. p. 1-1.

  • KNABAH, P. F. ; GONCALES, R. A. ; BRUN, F. A. ; ZIMMER, C. R. ; PINTO, L. S. ; LEITE, F. P. L. . EXPRESSÃO DAS PROTEÍNAS BinA e BinB DE Bacillus sphaericus EM DIFERENTES CEPAS DE Escherichia coli E ATIVIDADE MOSQUITOCIDA. In: XIX Congresso Iniciação Científica XII Encontro de Pós-Graduação e II Mostra Científica, 2010, Pelotas. XIX Congresso Iniciação Científica XII Encontro de Pós-Graduação e II Mostra Científica. Pelotas: Editora e Gráfica Universitária, 2010. v. 1. p. 1-1.

  • Moreira, G. M. S. G. ; PINTO, L. S. ; CONCEIÇÃO, F. R. . Predição comparativa da estrutura tridimensional da lectina BVL-I. In: XIX Congresso Iniciação Científica XII Encontro de Pós-Graduação e II Mostra Científica. Pelotas, 2010, Pelotas. XIX Congresso Iniciação Científica XII Encontro de Pós-Graduação e II Mostra Científica. Pelotas. Pelotas: Editora e Gráfica Universitária, 2010. v. 1. p. 1-1.

  • Fernanda Antunes Brum ; Gonçales, R.A. ; KNABAH, P. F. ; PINTO, L ; LEITE, F. P. L. . Produção e Utilização da proteína gp19 como antígeno para a detecção de Ehrlichia canis. In: XI Encontro de Pós-graduação, 2009, Pelotas. XVIII CIC/XIEMPOS, 2009.

  • Gonçales, R.A. ; Fernanda Antunes Brum ; KNABAH, P. F. ; BORSUK, S. ; LEITE, F. P. L. ; PINTO, L . PRODUÇÃO DE BIOINSETICIDA UTILIZANDO PICHIA PASTORIS RECOMBINANTE COM AÇÃO MOSQUITOCIDA ÀS LARVAS DE CULEX QUINQUEFASCIATUS A PARTIR DO GENE QUE CODIFICA PARA A PROTEÍNA BINAB. In: XVIII Encontro de Iniciação Científica, 2009, Pelotas. XVIII CIC UFPel, 2009.

  • PINHO, D. S. ; REY, M. S. ; PINTO, L. S. ; VIEIRA, A. P. ; Silva, F.P. ; BARBOSA, L. M. ; BENITEZ, L. C. ; Peters, José Antônio . Clonagem do vetor pGApAP4 que codifica a enzima da ACC oxidase em Agrobacterium tumefaciens. In: IX Encontro de Pós-Graduação, 2007, Pelotas. IX Encontro de Pós-Graduação. Pelotas, 2007.

  • PINTO, L. S. ; Camacho, Natália Neutzling ; BEIRA, Fátima Teresa Alves ; DEL PINO, Algusto Burkert ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio . Estudo da atividade antitumoral in vitro da lectina de Bauhinia variegata. In: IX ENPOS, 2007, Pelotas. IX Encontro de Pós-Graduação, 2007.

  • GONCALES, R. A. ; Camacho, Natália Neutzling ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio ; CONCEIÇÃO, F. R. ; PINTO, L. S. . Expressão heteróloga da lectina BVL II de Bauhinia variegata (Caesalpinoideae) em Pichia pastoris metilotrófica. In: XVI CIC, 2007, Pelotas. XVI Congresso de Iniciação Científica, 2007.

  • Camacho, Natália Neutzling ; PINTO, L. S. ; HADRICH, G. ; BEIRA, Fátima Teresa Alves ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio . Atividade da lectina recombinante de Bauhinia forficata sobre a proliferação celular de linhagens tumorais humanas. In: IX ENPOS, 2007, Pelotas. IX Encontro de Pós-Graduação, 2007.

  • Camacho, Natália Neutzling ; PINTO, L. S. ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio . Clonagem, expressão e purificação da lectina de Bauhinia forficata em Escherichia coli. In: XV Congresso de Iniciação Científica e VIII Encontro de Pós-Graduação, 2006, Pelotas. XV Congresso de Iniciação Científica e VII encontro de Pós-Graduação, 2006.

  • PINTO, L. S. ; Camacho, Natália Neutzling ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio . Expressão e purificação de duas lectinas de Bauhinia variegata L. em Escherichia coli. In: XV Congresso de Iniciação Científica e VIII Encontro de Pós-Graduação, 2006, Pelotas. XV Congresso de Iniciação Científica e VII encontro de Pós-Graduação, 2006.

  • PINTO, L. S. ; Camacho, Natália Neutzling ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio . Expressão Heteróloga de uma lectina de Bauhinia variegata L. em Escherichia coli. In: 57 Congresso de Botânica, 2006, Gramado, RS. 57 Congresso Nacional de Botânica, 2006.

  • CERQUEIRA, Gustavo Maia de ; MACBRIDE, Alan John A ; KO, Albert I ; PINTO, L. S. ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio . Análise da sequencia dos genes Lig de Leptospira spp patogênicas revela seu uso potencial na produção de vacina de amplo espectro. In: XIV Congresso de Iniciação Científica e VII ENPOS, 2005, 2005, Pelotas. Anais do XIV Congresso de Iniciação Científica e VII ENPOS, 2005., 2005.

  • BRENNER, G. ; SCHOOL, N. ; BARBOSA, T. ; MORON, L. ; FREITAS, A. C. ; PINTO, L. S. . AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTIPARASITÁRIA DE LECTINAS EM Trichomonas vaginalis. In: VII Simpósio de Biotecnologia e terceira mostra acadêmica, 2019, Pelotas. VII Simpósio de Biotecnologia e terceira mostra acadêmica, 2019.

  • FONSECA, B. ; MORON, L. ; BARBOSA, T. ; BRENNER, G. ; SENA-LOPES, A. ; FREITAS, A. C. ; SANTI-GADELHA, T. ; PINTO, L. S. ; BORSUK, S. . BIOPROSPECÇÃO DE METABÓLITOS SECUNDÁRIOS COM POTENCIAL TRICOMONICIDA. In: VII Simpósio de Biotecnologia e III mostra acadêmica, 2019. VII Simpósio de Biotecnologia e III mostra acadêmica, 2019.

  • SANTOS, M. C. ; L.S. Pinto ; FRIZON, T. E. ; DE LIMA, VÂNIA RODRIGUES ; DAL-BO, A. G. A. . Interação entre Fosfolipídeos, polímero glicosilado e proteína: Caracterização físico-química em lipossomas. In: XXIV Encontro de química da região sul, 2017, Florianópolis. A química na interface, 2017.

  • FUHRMANN, MARTINA ; KREMER, F. S. ; WOLOSKI, R. S. ; OLIVEIRA, A. C. ; PINTO, L. S. . In silico identification of riboswitches in Glycine max. In: 6º Congresso Brasileiro de Biotecnologia, 2015, Brasilia. 6º Congresso Brasileiro de Biotecnologia, 2015.

  • KREMER, F. S. ; FUHRMANN, M. B. ; MACHADO, N. D. ; WOLOSKI, R. D. S. ; PINTO, L. S. . SNPHunter: a new automated and easy-to-use variant calling pipeline. In: 6º Congresso Brasileiro de Biotecnologia, 2015, Brasilia. 6º Congresso Brasileiro de Biotecnologia, 2015.

  • SOARES, A. S. ; RIZZI, C. ; MOREIRA, G. M. S. G. ; KREMER, F. S. ; PINTO, L. S. . Estudo da Lectina de Bauhinia variegata como potencial fármaco para cicatrização de feridas. In: Salão Universitário / UCPel, 2014, Pelotas. Salão Universitário, 2014.

  • AMARAL, M. N. ; SILVEIRA, C. F. ; GARCIA, C. S. ; PINTO, L. S. ; DODE, L. B. . Efeito de diferentes fontes de carbono na regeneração de calos de arroz cultivar BRS querência. In: XXIX Reunion Argentina de Fisiologia Vegetal, 2012, Mar del Plata. XXIX Reunion Argentina de Fisiologia Vegetal, 2012. v. 1. p. 177-177.

  • REIS, L. B. ; MONTE, L. G. ; SANTI-GADELHA, T. ; BRAGANHOL, E. ; BEIRA, Fátima Teresa Alves ; PINTO, L. S. . AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE DA LECTINA EXTRAÍDA DE Abelmoschus esculentus (AES) NA INTEGRIDADE CELULAR DE ADENOCARCINOMA DE MAMA. In: 21 Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2012, Pelotas. 21 Congresso de Iniciação Científica da UFPel, 2012.

  • PEREIRA, J. L. ; KLAFKE, G. B. ; PINTO, L. S. ; LEITE, F. P. L. ; Moreira, G. M. S. G. . Expressçao Heteróloga de GnRH em Pichia Pastoris e Utilização como Imunocontraceptivo.. In: Congresso Internacional de Bioanálises, 2011, Novo Amburgo. Anais do IV Congresso Internacional de Bioanálises, 2011.

  • KLAFKE, G. B. ; Moreira, G. M. S. G. ; PEREIRA, J. L. ; PINTO, L. S. . Expressão Heteróloga da Lectina rBVL-I de Bauhinia variegata (Caesalpinioideae) em Pichia Pastoris (Cepa KM71H).. In: IV Congresso Internacional de Bioanálises, 2011, Novo Amburgo. IV Congresso Internacional de Bioanálises, 2011.

  • KLAFKE, G. B. ; Moreira, G. M. S. G. ; PEREIRA, J. L. ; PINTO, L. S. . Expressão Heteróloga da Proteína rBVL-I em Escherichia coli. In: Anais do IV Congresso Internacional de Bioanálises. In: Congresso Internacional de Bioanálises, 2010, Novo Amburgo. Anais do IV Congresso Internacional de Bioanálises, 2010.

  • PEREIRA, J. L. ; KLAFKE, G. B. ; PINTO, L. S. ; CONCEIÇÃO, F. R. ; LEITE, F. P. L. . Utilização de Leveduras como Plataforma de Expressão da Quimera LT/GnRH. In: XX Congresso Latinoamericano de Microbiologia, 2010, Montevideo. Congresso Latinoamericano de Microbiologia, 2010.

  • VASCONCELOS, M. ; Cunha, C.O ; NASCIMENTO NETO, L. G. ; RABELO, E. M. ; PINTO, L. S. ; EVARISTO, F. F. V. . Avaliação da Atividade da Lectina Isolada de sementes de Bauhinai variegata sobre o crescimento de Rhizobium tropici. In: XXVIII Encontro de Iniciação Científica da UFC, 2009, Fortaleza. XXVIII ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E II ENCONTRO DE PESQUISA DE PÓS-GRADUAÇÃO da UFC, 2009.

  • GONCALES, R. A. ; Gonçales, R.A. ; CARNEIRO, V. ; VASCONCELOS, M. ; Pinto, Luciano S. . Utilização da Lectina Recombinante rBVL como Ferramenta Biotecnológica para estudos de consócios Microbianos Relevantes para a Agricultura. In: IV Congresso Sul-Riograndense de Biociências, 2008, Pelotas. IV Congresso Sul-Riograndense de Biociências, 2008.

  • Sant'Anna, Anna Lia ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio ; Peters, José Antônio ; PINTO, L. S. . Construção de um vetor de expressão em plantas utilizando o gene bvl I, visando resistência a insetos. In: XV Congresso de Iniciação Científica e VIII Encontro de Pós-Graduação, 2006, Pelotas. XV Congresso de Iniciação Científica e VII encontro de Pós-Graduação, 2006.

  • PINTO, L. S. ; Sant'Anna, Anna Lia ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio ; Peters, José Antônio . Propagação in vitro de duas variedades de Bauhinia variegata L.. In: 57 Congresso Nacional de Botânica, 2006, Gramado, RS. 57 Congresso Nacional de Botânica, 2006.

  • CERQUEIRA, Gustavo Maia de ; MACBRIDE, A. ; PINTO, L. S. ; KO, Albert I ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio . Estudo de eventos de deleção em Leptospira interrogans e caracterização dos elementos genéticos envolvidos. In: XXIII Congresso Brasileiro de Microbiologia, 2005, Santos. Anais do XXIII Congresso Brasileiro de Microbiologia. São Paulo : Adaltech, 2005., 2005.

  • MARTINS, J. L ; GADELHA, Tatiane Santi ; GADELHA, Carlos Alberto de Almeida ; MARINHO, E. S ; ARAGÃO, K. S ; OLIVEIRA, C. C. ; PINTO, L. S. ; GALVANI, F. ; CAVADA, Benildo Sousa . Isolamento e purificação de lectina presente em sementes de Acacia caven. In: XXI Encontro Universitário de Iniciação a Pesquisa., 2004, Para, 2004.

  • GADELHA, Tatiane Santi ; MARTINS, J. L ; GADELHA, C. A. ; MARINHO, E. S ; ARAGÃO, K. S. ; PINTO, L. S. ; GALVANI, F. ; CAVADA, Benildo Sousa . Isolamento e Caracterização Da Lectina Presente na Fração Albumínica de Sementes de Acacia farnesiana.. In: XXI Encontro Universitário de Iniciação a Pesquisa., 2004, Pará, 2004.

  • PINTO, L. S. ; VARELA, Eduardo Sousa ; ALVES, Maria Aparecida de Oliveira ; MATOS, João Paulo ; GRANGEIRO, Thalles B. . Estudos filogenéticos em espécies do táxon genérico Canavalia DC, ( Diocleinae - Phaseolae) baseado em sequências das regiões dos espaçadores transcritos internos (ITS-1 e ITS-2) do rDNA nuclear. In: Congresso cearense de botânica, 2003, Fortaleza. Sociedade cearense de botânica, 2003.

  • PINTO, L. S. ; VARELA, Eduardo Sousa ; MATOS, João Paulo ; NUNES, Edsom de Paula ; ALVES, Maria Aparecida de Oliveira ; GRANGEIRO, Thalles Barbosa . Investigações filogenéticas em espécies do táxon genérico Dioclea Kunth. (Diocleinae, Phaseoleae) baseada em sequências dos espaçadores transcritos internos (ITS-1 e ITS-2) do rDNA ribossômico nuclear nrDNA. In: Congresso cearense de botânica, 2003, Fortaleza. Sociedade cearense de botânica, 2003.

  • PINTO, L. S. ; VARELA, Eduardo Sousa ; MATOS, João Paulo ; ALVES, Maria Aparecida Oliveira ; NUNES, Edsom de Paula ; GRANGEIRO, Thalles Barbosa . Sistemática molecular da subtribo diocleinae Benth. (Phaseoleae-Papilionoideae-Leguminosae) baseada em sequências dos espaçadores transcritos internos (ITS1 e ITS2) do DNA ribossômico nuclear nrDNA. In: Congresso cearense de botânica, 2003, Fortaleza. Congresso cearense de botânica, 2003.

  • PINTO, L. S. ; Nagano, CS ; CAVADA, Benildo Sousa ; GADELHA, Tatiane Santi ; GADELHA, C. A. . Isolamento e purificação por meio de fracionamento protéico de uma lectina de sementes de Acacia mearsii (Leguminosae, Mimosoideae). In: Congresso Nacional de Botânica, 54, 2003, Belém, PA. 54° Congresso Nacional de Botânica, 2003.

  • PINTO, L. S. ; Nagano, C.S. ; ANDRADE NETO, Manoel ; OLIVEIRA, T. M. ; BEZERRA, G. A. ; CARNEIRO, V. ; CASTELLÓN, Rolando Rivas ; Goersch, G. V. ; Pereira, BA ; BEZERRA, Walderli Melgaço ; MARINHO, E. S ; SAMPAIO, A. H. ; CAVADA, Benildo Sousa . Purification of a lectin from Bauhinia variegata seeds. In: VI Reunião Regional da SBBq ? Nordeste,, 2002, Fortaleza-CE. VI Reunião Regional da SBBq ? Nordeste, 2002.

  • BEZERRA, Walderli Melgaço ; Lopes, D. P. ; Nepomuceno, D. R. ; PINTO, L. S. ; GRANGEIRO, Thalles B. . Sequenciamento de fragmentos genômicos de Mycoplasma synoviae.. In: XX Encontro de Iniciação à Pesquisa da UFC., 2002, Fortaleza-CE. XX Encontro de Iniciação à Pesquisa da UFC. Dezembro 2002, Fortaleza-CE, 2002.

  • PINTO, L. S. ; VARELA, Eduardo Sousa ; Cunha, RMS ; Cidrack, D.S. ; Galdino, AS ; Freitas, C.A.E ; Alves, M.A.O. ; GRANGEIRO, Thalles B. . Estudo filogenético da Tribo Phaseolae (Leguminosae) Baseado em Sequências do Gene do rDNA 18S.. In: 16° Encontro de Genética do Nordeste., 2002, São Luís-MA. 16° Encontro de Genética do Nordeste, 2002.

  • PINTO, L. S. ; Albuquerque, KF ; Alencar, NMN ; Pereira, BA ; Nagano, C.S. ; ANDRADE NETO, Manoel ; Melo, SC ; Ribeiro, RA . Bauhinia variegata induces neutrophil migration by resident cells in vivo and in vitro. In: INTERLEC -19, 2001, fORTALEZA. Bauhinia variegata induces neutrophil migration by resident cells in vivo and in vitro, 2001. v. 1. p. 115-115.

  • PINTO, L. S. ; GRANGEIRO, Thalles B. ; CECCATTO, Vania M ; Duarte, VG ; GRANGEIRO, Moema Barbosa ; Nogueira, NAP ; Cunha, RMS ; Galdino, AS ; Alves, MAO ; CAVADA, Benildo Sousa . Molecular Cloning of Genes from three species of Diocleinae (leguminosae). In: INTERLEC 19, 2001, Fortaleza. Molecular Cloning of Genes from three species of Diocleinae (leguminosae). Fortaleza, 2001. v. 1. p. 65-65.

  • Freitas, C.A.E ; PINTO, L. S. ; GRANGEIRO, Thalles B. . Sequenciamento de fragmentos genômicos de Chromobacterium violaceum: Participação da UFC no Projeto Genoma Brasileiro. In: XX Encontro de Iniciação à Pesquisa da UFC, 2001, Fortaleza-CE. XX Encontro de Iniciação à Pesquisa da UFC, 2001.

  • PINTO, L. S. ; Pereira, BA ; Nagano, C.S. ; ANDRADE NETO, Manoel ; BACARIN, Marco Antonio ; GRANGEIRO, Thalles B. ; CAVADA, Benildo Sousa . Estudos fitoquímicos de sementes de Bauhinia variegata L. (Caesalpinaceae).. In: In: 52° Congresso Nacional de Botânica., 2001, João Pessoa-Paraíba. 52° Congresso Nacional de Botânica. João Pessoa-Paraíba. 2001, 2001.

  • Leite, K. B. ; Almeida, T. D. ; Pinto, Luciano S. ; Gurgel, M.A. ; Maia, C. A. ; Nagano, C.S. ; Salazar, E. ; GRANGEIRO, Thalles B. ; MARTINS, J. L ; CAVADA, Benildo Sousa . Estudo fitoquímico de sementes de Ephedra Tweediana Fsch. (Gimnospermae). I. Fracionamento Protéico.. In: 51° Congresso Nacional de Botânica., 2000, Brasília -DF. Anais do Congresso Nascional de Botânica, 2000.

  • PINTO, L. S. ; Widhouzer, C.F ; VARGAS, R.K. ; CARVALHO, G.S. . Lista de gêneros de algas de água doce do Campus da Universidade Federal de Pelotas.. In: 51° Congresso Nacional de Botânica, 2000, Brasília-DF. Anais do 51° Congresso Nacional de Botânica, 2000. p. 303-303.

  • PINTO, L. S. ; Maia, C. A. ; Gurgel, M.A. ; Nagano, C.S. ; Leite, K. B. ; Almeida, T. D. ; Widhouzer, C.F ; GRANGEIRO, Thalles B. ; GALVANI, F. ; BACARIN, Marco Antonio ; CAVADA, Benildo Sousa . Estudo de proteínas de Podocarpus lambertii Klotz (Gimnospermae, Podocarpaceae). In: 51° Congresso Nacional de Botânica, 2000, Brasília - DF. Anais do 51° Congresso Nacional de Botânica, 2000. p. 26-26.

  • Berne, A.C ; PINTO, L. S. ; Berne, M.E.A. ; FARIAS, N.A.R. ; ANTUNES,G.A. ; Costa, P.R.P. . Infecções naturais por Helmintos Gastrointestinais em Búfalos no Município de Pelotas, RS. In: XXV Congresso de Medicina Veterinária, 1997, Gramado. XXV Congresso de Medicina Veterinária, 1997.

  • PINTO, L. S. . Pinto, L.S.; Brun, J.G.W.; Raffi, L.L. Berne, A.C. Biologia e longevidade de dessenvolvimento de Fannia pusio (Diptera: Faniidae), em condições de laboratório.. In: V Congresso de Iniciação Cientifica, 1997, Pelotas-RS. Anais do V Congresso de Iniciação Cientifica, 1997.

  • PINTO, L. S. . Raffi, L.L.; Pinto, L.S.; Berne, M.E.A.; Costa, P.R.P.; Vianna, E.E.S.; Ribeiro, P.B. Efeitos de diferentes temperaturas na biologia dos estágios de desenvolvimento da Muscina stabulans (Diptera: Muscidae) em laboratório.. In: 16° Congresso Brasileiro de Entomologia., 1997, Salvador-BA. Anais do 16° Congresso Brasileiro de Entomologia, 1997.

  • PINTO, L. S. . Ribeiro, P.B.; Chernaki, A.M.; Pinto, L.S.; Costa, P.R.P. Exigências térmicas e estimativa do número de gerações da Chysomya megacephala (Fabricius, 1974), em Pelotas, RS.. In: IX Seminário Brasilieiro de Parasitologia Veterinária, 1997, Campo Grande _MS. Anais do IX Congresso de Parasitologia Veterinária, 1997.

  • PINTO, L. S. . Souza, C.A.; Gurgel, A.C.; Pinto, L.S. Berne, M.E.; Farias, N.A. Características do controle químico do Boophilus microplus na região sul do Rio Grande do sul e a relação com a resistência a carrapaticida.. In: X Seminário Brasileiro de Parasitologia Vetrinária, 1997, Itajaí - SC. Anais do X Seminário Brasileiro de Parasitologia Veterinária, 1997. p. 129-129.

  • PINTO, L. S. . Schlee, J.M; Carvalho, F.F.; Sousa, C.A.; Pinto, L.S.; Dornelles, J.E.F. Coleta, manejo, preparação e observação de afídeos vetores do Vírus do Nanismo Amarelo em cereais de estação fria do Rio Grande do Sul.. In: II encontro de Biologia Professora Maria Marques, 1996, Pelotas. Anais do II encontro de Biologia Professora Maria Marques, 1996. p. 60-60.

  • PINTO, L. S. . Brun, J.G.W.;Gentiline, F.; Pinto, L.P.; Vianna, E.E.S.Fannia punctipennis (Diptera: Faniidae), vetor de ovos de Dermatobia hominis (Oestridae: Cuteribrinae) em Pelotas, RS.. In: Seminário Brasileiro de Parasitologia Veterinária, IX, 1995, Campo Grande. Anais do 9 Seminário de Parasitologia Veterinária. Campo Grande, 1995.

  • PINTO, L. S. . Pinto, L.S.; Costa, P.R.P.; Ribeiro, P.B. Chernaki, A.M. Longevidade e viabilidade das fases de desenvolvimento da Phaenicia sericata Meigen, 1826 (Diptera: Calliphoridae) sob condições de laboratório.. In: IX Seminário Brasileiro de Parasitologia Veterinária, 1995, Campo Grande. Anais do IX Seminário de Parasitologia Veterinária, 1995.

  • PINTO, L. S. . Pinto, L.S.; Raffi, L.L.; Berne, M.E.A.; Vianna, E.E.S.; Ribeiro, P.B. Longevidade e viabilidade dos estágios de desenvolvimento da Muscina stabulans (Diptera: Muscidae) em laboratório.. In: IV congresso de iniciação Cientifica, 1995, Rio Grande. Anais do IV Congresso de iniciação Cientifica, 1995.

  • PINTO, L. S. . Vianna, E.E.S.; Brun, J.G.W.; Ribeiro, P.B.; Costa, P.R.P.; Pinto, L.S. Flutuação populacional de Phaenicia spp. (Diptera: Calliphoridae) capturadas em armadilhas orientadas pelo vento (W.O.T.), em Pelotas, RS.. In: IX Seminário Brasileiro de Parasitologia Veterinária, 1995, Campo Grande-MS. Anais do IX Seminário Brasileiro de parasitologia Veterinária, 1995.

  • PINTO, L. S. . Produção heteróloga de proteínas: Bactérias, leveduras e plantas como Biofábricas. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • PINTO, L. S. . Bioinformática para Biólogos. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • PINTO, L. S. . Produção de proteínas recombinantes e suas aplicações como insumos biotecnológicos. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • PINTO, L. S. . Bioengenharia e a Utilização de Substancias Ativas. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • PINTO, L. S. . Lectinas vegetais como insumo biotecnológico de origem natural. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • PINTO, L. S. . Mural G-Biotec em ação. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • PINTO, L. S. . A utilização de plantas como biorreatores na produção de insumos biotecnológicos na UFPel. 2012. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • Moreira, G. M. S. G. ; CARVALHO, R. V. ; SANTANA, B. P. ; DEMARCO, F. F. ; PINTO, L. S. ; CONCEIÇÃO, F. R. . Seleção de Lectinas Vegetais Ligantes de Manose Como Alternativa ao Uso de BMP-2 na Diferenciação de Células-Tronco da Polpa dental em Odontoblastos. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • PEREIRA, J. L. ; KLAFKE, G. B. ; PINTO, L. S. ; CONCEIÇÃO, F. R. ; LEITE, F. P. L. . Utilização de Leveduras Como Plataforma de Expressão da Quimera LTB/GNRH. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • KLAFKE, G. B. ; Moreira, G. M. S. G. ; PEREIRA, J. L. ; CONCEIÇÃO, F. R. ; DELLAGOSTIN, O ; PINTO, L. S. . Desenho de um gene sintético para a expressão em leveduras da lectina recombinate rBVLI de Bauhinia variegata visando sua utilização como insumo biotecnológico. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • Rosa, C.E. ; FIGUEIREDO, M. A. ; MARTINS, L. F. ; ROBALDO, R. B. ; PINTO, L. S. ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio ; COLARES, E. P. ; MARTINEZ, P. E. ; BIANCHINI, A. . HSP70 mRNA expression in the Antartic fish Notothenia coriiceps as a biomarker of global warning. 2007. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

PINTO, L. S. . Parecerista dos Cursos de Biotecnologia e Bioquímica do Guia do estudante. 2015.

VASCONCELOS, A. T. R. ; PINTO, L. S. . WO 2004/056960 A2: Polinucleotídeos codificadores de atividades do cromossomo da bactéria Chromobacterium violaceum. 2004.

PINTO, L. S. . 1: NC_005085 Chromobacterium violaceum ATCC 12472, complete genome[321]. 2003.

PINTO, L. S. . Estudo da expressão gênica das lectinas de sementes de Bauhinia variegata e Canavalia brasiliensis em células de Escherichia coli.. 2002.

PINTO, L. S. . Pinto,L.S., Andrade-Neto,M., Cunha,R.M.S., Cavada,B.S.,Alves,M.A.O. and Grangeiro,T.B.Molecular phylogeny of Bauhinia sp. based on 18S rDNA sequences. (Sequência inédita submetida ao Genbank com registro AF525295 NCBI), 2002. 2002.

PINTO, L. S. . Pinto,L.S., Cunha,R.M.S., Cavada,B.S., Alves,M.A.O. and Grangeiro,T.B. Seqüência submetida ao GenBank sob código AF525296, 2002. 2002.

PINTO, L. S. . Varela,E.S., Galdino,A.S., Pinto,L.S., Cunha,R.M.S., Nunes,E.P.,Alves,M.A.O., Cavada,B.S. and Grangeiro,T.B. Seqüência submetida ao GenBank sob código AF525694, 2002. 2002.

PINTO, L. S. . PINTO, L. S.; CUNHA, R. M. S., CAVADA, B. S., ALVES, M. A. O., GRANGEIRO, T. B., Seqüência submetida ao GenBank sob código AF525693, 2002. 2002.

PINTO, L. S. . Varela,E.S., Galdino,A.S., Pinto,L.S., Cunha,R.M.S., Nunes,E.P.,Alves,M.A.O., Cavada,B.S. and Grangeiro,T.B.. Seqüência submetida ao GenBank sob código AF525697. 2002.

PINTO, L. S. . Varela,E.S., Galdino,A.S., Pinto,L.S., Cunha,R.M.S., Nunes,E.P.,Alves,M.A.O., Cavada,B.S. and Grangeiro,T.B. Seqüência submetida ao GenBank sob código de acesso AF525294, 2002. 2002.

PINTO, L. S. . Varela,E.S., Galdino,A.S., Pinto,L.S., Cunha,R.M.S., Nunes,E.P.,Alves,M.A.O., Cavada,B.S. and Grangeiro,T.B. Seqüência submetida ao GenBank sob código de acesso AF525295, 2002. 2002.

PINTO, L. S. . Varela,E.S., Galdino,A.S., Pinto,L.S., Cunha,R.M.S., Nunes,E.P.,Alves,M.A.O., Cavada,B.S. and Grangeiro,T.B. Seqüência submetida ao GenBank sob código de acesso AF595699, 2002. 2002.

PINTO, L. S. . Varela,E.S., Galdino,A.S., Pinto,L.S., Cunha,R.M.S., Nunes,E.P., Alves,M.A.O., Cavada,B.S. and Grangeiro,T.B. Seqüência submetida ao GenBank sob código de acesso AF595699, 2002. 2002.

PINTO, L. S. . Cunha,R.M.S., Pinto,L.S., Cavalcanti,J.J.V., Nunes,E.P., Alves,M.A.O., Cavada,B.S. and Grangeiro,T.B.Molecular phylogeny of Anacardiaceae based on 18S rDNA sequences (Sequência inédita submetida ao Genbank com registro AF509498), 2002. 2002.

DODE, L. B. ; PINTO, L. S. . Cientista por uma semana - vinculado ao projeto de extensão 'Atividades extracurriculares em Biologia: Integrando os meios acadêmicos e escolares. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

DODE, L. B. ; PINTO, L. S. . Programa de interação Científico Tecnológica. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

PINTO, L. S. ; DODE, L. B. . Formação continuada de professores de Ciências e Biologia, vinculado ao projeto de extensão Atividades extracurriculares em Biologia: integrando os meios acadêmicos e escolares. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

PINTO, L. S. ; Odir A. Dellagostin . Curso de Sequênciamento de DNA - Semana Acasdêmica de Biologia/UFPel. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

PINTO, L. S. ; DELLAGOSTIN, Odir Antonio . Purificação e sequenciamento de DNA. 2007. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Apostila).

PINTO, L. S. . Proteômica e Espectrometria de Massa. 2007. (Palestra).

PINTO, L. S. . Análise proteômica e espectrometria de massa. 2006. (Palestra).

PINTO, L. S. . Proteômica e espectrometria de massa. 2005. (Palestra).

PINTO, L. S. . Proteômica e espectrometria de massa. 2004. (Palestra).

PINTO, L. S. . Sequenciamento de DNA utilizando Sequenciador Automático MegaBace 1000. 2002. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

PINTO, L. S. . Universidade solidária. 1998 (Extenção Universitária) .

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2017 - Atual

    Efeitos biológicos de lectinas nativas e recombinantes associadas a lipossomas no estudo da proliferação e diferenciação in vitro e in vivo., Descrição: Devido ao fato de lectinas reconhecerem, de forma especifica e reversível, carboidratos ou glicoconjugados presentes na superfície de células provenientes de diversos seres vivos. Estas proteínas têm sido associadas em diferentes eventos biológicos dentre eles reconhecimento, diferenciação celular e formação de órgãos. Em estudos anteriores, nosso grupo demonstra a ação de uma lectina na regeneração tecidual de camundongos, assim como outras lectinas tem sido mostrada. O presente projeto será desenvolvido com o objetivo de verificar a atividade biológica de outras lectinas nativas e recombinantes sobre a proliferação e diferenciação de células, visando sua aplicação em ensaios de cicatrização e regeneração tecidual. Para verificar a possível utilização de determinadas lectinas como insumos biotecnológicos na regeneração de tecidos, será realizado um ensaio in vitro com células indiferenciadas e linhagens de fibroblastos. A caracterização da ação destas lectinas será realizada com a análise por Real Time PCR para verificar a expressão de proteínas da proliferação celular. As lectinas serão associadas à nanocapsulas para verificar a ação destes nanocompósitos na proliferação celular e possível formação de tecidos específicos em camundongos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Odir A. Dellagostin - Integrante / Campos, Vinicius Farias - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / BRAGANHOL, ELIZANDRA - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Julia Labonde - Integrante / Amilton Neto - Integrante.

  • 2016 - Atual

    Transformação genética de arroz com o gene da lectina bvl de Bauhinia variegata por diferentes métodos, Descrição: O arroz é uma das principais culturas para a alimentação humana e no Brasil esta cultura tem destaque na região sul onde boa parte da sua produção é realizada em terras baixas e úmidas, com alagamento controlado. Por isso, um dos maiores problemas para a produção e qualidade do arroz produzido é o ataque de pragas e doenças, principalmente fungos. As plantas possuem defesas contra estes organismos, notadamente através da expressão de algumas proteínas tais como as lectinas. Lectinas são proteínas que reconhecem carboidratos especificamente e seletivamente e podem desempenhar diferentes papéis nas plantas. Uma forma de se aproveitar esta capacidade de inibição do crescimento de fungos é clonando genes de interesse que expressem lectinas heterólogas. Assim, o objetivo deste trabalho é obter plantas de arroz expressando a lectina BVL de Bauhinia variegata (pata-de-vaca) usando diferentes protocolos de transformação.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Luciana Bicca Dode - Integrante / Eugenia Jacira Bolacel Braga - Integrante / Rafaela Silva Formoso - Integrante / Juliana Oliveira de Carvalho - Integrante.

  • 2016 - Atual

    Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos, Descrição: Lectinas são proteínas que se ligam com afinidade a resíduos de glicídios e assim com capacidade de aglutinar células e precipitar glicoconjugados. Essas proteínas são importantes porque estão envolvidas no processo de reconhecimento celular e sinalização em diversas vias metabólicas. É um grupo heterogêneo de proteínas encontrado em plantas, animais e microrganismos, que possuem pelo menos um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a específicos mono-ou oligossacarídeos. A gama de lectinas e respectivas atividades biológicas não é surpreendente, dada a imensa diversidade e complexidade das estruturas dos carboidratos e os múltiplos modos de interação com proteínas. Tecnologia do DNA recombinante tem sido usada para a clonagem e caracterização de lectinas recém descobertas. Também tem sido utilizada como um meio de produção de lectinas puras e sequencia definidas para diferentes aplicações biotecnológicas. Esta avaliação incide sobre a produção de lectinas recombinantes em organismos heterólogos, destacando-se os sistemas de expressão Escherichia coli e Pichia pastoris, que são os mais utilizados. A escolha do hospedeiro de expressão depende da lectina. Por isso, lectinas recombinantes não glicosiladas são produzidas preferencialmente em E. coli e lectinas recombinantes que necessitam de modificações pós-translacionais são produzidos em organismos eucariotos, principalmente P. pastoris. A ênfase é dada às aplicações das lectinas recombinantes especialmente (a) no diagnóstico e/ou terapêutica do câncer, (b) na atividade antibacteriana, (c) como antivirais, (d) e antifúngicas e (e) na regeneração de tecidos. A produção recombinante ajudará a desvendar os mecanismos biológicos complexos de glico-interações, trazendo as lectinas recombinantes para a vanguarda da glicobiologia. Em conclusão, as lectinas recombinantes podem ser ferramentas biossintéticas valiosas para a pesquisa biomédica.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Tatiane Santi Gadelha - Integrante / Rafaela Silva Formoso - Integrante / CAROLINE RIZZI - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / amanda Munari Guimarães - Integrante / Amilton Neto - Integrante.

  • 2016 - Atual

    Pangenoma de Xanthomonas oryzae: análise comparativa nos patovares oryzae e oryzicola, Descrição: O presente projeto visa a análise comparatica de multiplos genomas de cepas de Xanthomonas oryzae, dos patovares oryzae e oryzicola, visando a identificação de genes excluidos de cada patovar, de forma a identificar possiveis genes relacionados à patogênese. Assim pretende realizar uma análise estrutural, funcional e evolutiva do pangenoma e genoma núcleo dos patovars oryzicola e oryzae de Xanthomonas oryzae visando a identificação de genes relacionados à patogênese e diferencialmente distribuidos entre os patovares.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / GABRIELLE DE OLIVEIRA SANCHES VALÉRIO NAVARRO - Integrante / amanda Munari Guimarães - Integrante / RAFAEL DANELON DOS SANTOS WOLOSKI - Integrante.

  • 2014 - Atual

    EFEITO DO ESTRESSE SALINO NA GERMINAÇÃO E CRESCIMENTO VEGETATIVO DA CULTIVAR BRS AG (Oriza sativa) CULTIVADA IN VITRO, Projeto certificado pela empresa Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária em 19/11/2018., Descrição: Devido à grande dependência de combustíveis fósseis e a possibilidade de diminuição das reservas mundiais, os biocombustíveis oferecem uma via potencial para evitar a instabilidade política global e problemas ambientais que surgem da utilização dos combustíveis fósseis. A alternativa, talvez a mais viável até o momento, é o uso do etanol, que tem sua tecnologia bastante desenvolvida, sendo o Brasil maior possuidor da tecnologia de produção de etanol a partir da cana-de-açúcar. Além da sacarose da cana-de-açúcar, outra fonte de carboidratos utilizada em alguns países na produção de etanol é o amido. O amido é considerado uma das fontes mais abundantes de carboidratos na natureza. O grão do arroz é rico em amido, apresentando conteúdo significativamente maior que o grão do milho. Será nesse contexto e perspectiva de utilização do arroz como matéria prima para produção de álcool de cereais e/ou na alimentação animal que a cultivar BRS AG foi desenvolvida, pelo programa de melhoramento de arroz da Embrapa.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (3) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Eugenia Jacira Bolacel Braga - Integrante.

  • 2012 - Atual

    Utilização de lectinas no estudo da proliferação de células in vitro e cicatrização de tecidos em camundongos, Descrição: O presente projeto será desenvolvido com o objetivo de verificar a atividade biológica de lectinas sobre a proliferação e diferenciação de células, visando sua aplicação em ensaios de cicatrização e regeneração tecidual. Devido ao fato de lectinas reconhecerem, de forma especifica e reversível, carboidratos ou glicoconjugados presentes na superfície de células provenientes de diversos seres vivos. Estas proteínas têm sido associadas em diferentes eventos biológicos dentre eles reconhecimento, diferenciação celular e formação de órgãos. Para verificar a possível utilização de determinadas lectinas como insumos biotecnológicos na regeneração de tecidos, será realizado um ensaio in vitro com células indiferenciadas e linhagens de fibroblastos. A caracterização da ação destas lectinas será realizada com a análise por Real Time PCR para verificar a expressão de proteínas da proliferação celular. As lectinas serão associadas à hidrogel de alginato para verificar a ação destes nanocompósitos na proliferação celular e possível formação de tecidos específicos em camundongos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Odir Antonio Dellagostin - Integrante / Elizandra Braganhol - Integrante / Leonardo Garcia Monte - Integrante / Fabricio Rochedo Conceição - Integrante / Larissa Brussa Reis - Integrante.

  • 2011 - 2013

    Emprego de lectinas vegetais no estudo da proliferação e diferenciação de células visando à regeneração de tecidos, Descrição: O presente trabalho será desenvolvido com a finalidade de estudar in vitro a ação de nanoestruturas funcionalizadas com proteínas biologicamente ativas, nativas e recombinantes, visando a possível utilização destes em estudos de regeneração óssea e estudos de bioengenharia.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Paula Ferreira Knabah - Integrante / Gabriel Baracy Klafke - Integrante / Tiago Collares - Integrante / Fernanda Nedel - Integrante / Vinícius Farias Campos - Integrante / Flávio Demarco - Integrante / Neftali Lenin Villarreal Carreno - Integrante / Gustavo Moreira - Integrante.

  • 2011 - Atual

    Transformação genética em arroz visando à obtenção de plantas tolerantes a pragas e doenças, Descrição: Obter plantas de arroz tolerantes a doenças e/ou insetos. Objetivos específicos: Construir vetores de expressão apropriado para a transformação genética de arroz, contendo os genes de interesse (bvl I, bvl II, bfl e o chit1), conhecidos como responsáveis por ação inseticida em plantas. Transformar calos embriogenênicos de arroz através dos métodos diretos (biobalística) e/ou indiretos (via Agrobacteruim tumefaciens). Obter plantas transformadas cuja integração e expressão dos genes de interesse sejam estáveis. Testar as plantas transformadas quanto à sua capacidade de inibir o crescimento de fungos ou insetos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Luciana Bicca Dode - Integrante / José Antônio Peters - Integrante / Fabiana Ros Nora - Integrante.

  • 2011 - Atual

    Efeito do uso de lectinas sobre as taxas de maturação in vitro, produção de blastocistos e sobrevivência à vitrificação de embriões bovinos, Descrição: Este trabalho tem como objetivo avaliar os efeitos de diferentes concentrações de três lectinas: Canavalia ensiformis (Con A) Canavalia brasiliensis (Con Br) e Canavalia boliviana (Con Bol) sobre as taxas de maturação in vitro (MIV), produção de blastocisto, sobrevivência à criopreservação e expressão de genes importantes na produção in vitro de embriões bovinos. Complexos cumulus-oócitos (CCOs) serão mantidos em cultivo e divididos em 6 grupos de tratamento com concentrações de lectina a 0, 1, 5, 10, 15 e 20μg/ml em TCM-199 bicarbonato (Gibco Life Technologies) suplementado com SFB 10%, 5 mg hormônio luteinizante (LH-Ayerst, desperta Point, Nova Iorque, EUA), 0,5 mg hormônio folículo estimulante (FSH-Folltropin, Vetrepharm, Belleville, ON, Canadá), 1 mg de estradiol (estradiol-17β, Sigma E-8875), 2,2 mg de piruvato (Sigma P-4562), e gentamicina 50 mg / mL durante o período de 24 h de maturação in vitro. Amostras desses oócitos (n = 40 para cada concentração) serão coradas para avaliação da taxa de MIV, enquanto outras (n = 40 para cada concentração) serão fecundadas e cultivadas até D7 para avaliação do desenvolvimento embrionário. A expressão dos genes p53, Bax, Bcl-2, Caspase-3, Caspase-9, survivin, p21 e MYC será realizada nos embriões antes e após a vitrificação, por qRTPCR, utilizando como gene normalizador o GAPDH.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Tiago Veiras Collares - Integrante / Fabiana Kömmling Seixas - Integrante / Odir Dellagostin - Integrante / Benildo Sousa Cavada - Integrante / Eliza Rossi Komninou - Integrante / Priscila Leon - Integrante / Vinicius Campos - Integrante.

  • 2010 - 2014

    Utilização de lectinas associadas à nanopartículas como insumos biotecnológico, Descrição: O presente trabalho será desenvolvido com a finalidade de estudar a ação de nanoestruturas funcionalizadas com proteínas biologicamente ativas, nativas e recombinantes, visando à possível utilização destes como fármacos para tipos específicos de neoplasia bem como a sua aplicação em estudos de regeneração óssea e bioengenharia.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Fabrício R. Conceição - Integrante., Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.

  • 2009 - 2010

    Otimização de Processos para Produção de Bacillus spp para aplicação em controle Biológico, Descrição: O presente trabalho tem como objetivo a avaliar diferentes parâmetros na produção de Bacillus thuringiensis e Bacillus sphaericus no desenvolvimento de um inseticida Embora não exista uma política oficial estabelecida pelo governo, que determine a utilização de bioinseticidas em áreas urbanas, em muitos estados brasileiros esta prática vem sendo adotada com sucesso ao longo dos anos. A produção ?in situ? do bioinseticidas, principalmente no que concerne a países em desenvolvimento e de extrema relevância no controle de varias enfermidades transmitidas por vetores. A otimização dos processos fermentativos para o cultivo de microrganismos entomopatogenicas e o desenvolvimento de formulações adequadas, se tornam importante para o melhor desempenho dos bioinseticidas. O projeto também visa a integração entre Universidade e empresa através a cooperação entre a UFPel e a empresa LIfemed.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (2) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Integrante / Paulo Bretanha Ribeiro - Integrante / Fábio Pereira Leivas Leite - Coordenador.

  • 2008 - 2010

    Produção heteróloga de inseticidas biológicos para controle de mosquitos, Descrição: O objetivo deste trabalho é produzir as proteínas inseticidas de B. sphaericus e B. thuringiensis em Escherichia coli e Pichia pastoris na busca de alternativas mais eficazes a produção de bioinseticidas.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Paulo Bretanha Ribeiro - Integrante / Relber A. Gonçales - Integrante / Fábio Pereira Leivas Leite - Integrante / ANTUNES, G.A. - Integrante / SIBELE BORSUK - Integrante / CIBELE SANTOS - Integrante / Ana Vianna - Integrante / Paula Ferreira Knabah - Integrante.

  • 2006 - 2008

    Validação do gênero Austrolebias Costa, 1998 (Cyprinodontiformes: Rivulidae) através de análises genômica mitocondrial e helmintológica, Descrição: Objetivos - Identificar, através de análise molecular e/ou helmintológica, espécies de rivulídeos afetadas em áreas impactadas pela agricultura intensiva; - Identificar os padrões morfológicos dos exemplares coletados; - Remodelar, através de novos depósitos de seqüências gênicas, a classificação de alguns gêneros e espécies de rivulídeos no banco de dados GenBank; - Identificar as comunidades de monogenóides das espécies de rivulídeos amostradas; - Reconhecer o nível de especificidade das espécies de monogenóides; - Avaliar mutações gênicas como potencial marcador de qualidade da água de zonas alagáveis impactadas pela agricultura intensiva; - Contrastar resultados de taxonomia morfológica, molecular e helmintológica para avaliar a posição taxonômica do gêneros Austrolebias e Cynolebias.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Integrante / Ricardo Berteaux Robaldo - Coordenador / Dellagostin, Odir A. - Integrante / joão Carlos Deschamps - Integrante / Tiago Veiras Collares - Integrante / Matheus Vieira Volcan - Integrante.

  • 2001 - 2006

    Projeto Genoma Brasileiro - Rede Nacional de Sequenciamento, Descrição: O Projeto Genoma Brasileiro - Rede Nacional de Seqüenciamento de DNA é financiado pelo MCT/CNPq e constitui-se numa rede virtual de análise genômica, compreendendo 25 laboratórios de seqüenciamento e um laboratório de bioinformática, localizado no LNCC (Petrópolis-RJ). Os genomas completos de dois microrganismos (Chromobacterium violaceum e Mycoplasma synoviae) já foram seqüenciados pela rede. Atualmente, projetos estão sendo desenvolvidos por cada grupo na área de genômica funcional... , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Ana Tereza R. Vasconcelos - Integrante / Andrew Simpson - Integrante.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de desenvolvimento

  • 2015 - Atual

    Obtenção de Anticorpos Anti-CAT A, B e C de Oryza sativa a partir da proteína recombinante visando detectar a enzima catalase envolvida no estresse abiótico, Descrição: O arroz pode ser considerado a terceira mercadoria mais produzida no mundo, sendo também o segundo cereal em produtividade, com aproximadamente 4,4 ton.ha-1, totalizando mais de 722 milhões de toneladas em todo o mundo. Em condições naturais ou de cultivo as plantas estão constantemente expostas a adversidades que causam interferência em sua homeostase. Estas adversidades podem ser de caráter biótico ou abiótico e são comumente denominados de estresse. Dentre as diversas enzimas envolvidas no metabolismo vegetal, daremos destaque as catalases, definidas como proteínas homo-tetraméricas, composta por quatro subunidades idênticas de 60 kDa com um único grupo ferriprotoporfirina (Heme) em cada subunidade (Zamock e Koller, 1999). Podendo ser considerada uma importante classe de proteínas relacionadas a injúria a que o vegetal é submetido. Esta enzima decompõe H2O2 produzido em plantas durante o funcionamento normal da atividade metabólica e a um nível elevado e sob várias condições de estresse abióticos Com o intuito de alavancar e elucidar de forma confiável informações que possam está vinculadas ao estresse em que as plantas estão submetidas, trazemos a premissa de que com a obtenção e participação de instrumentos como anticorpos específicos para confirmar a expressão da enzima. Atualmente, a aquisição de forma nacional de insumos relacionados a essa área vegetal é custosa, tornando a pesquisa muitas vezes dispendiosa. Com os anticorpos anti-CAT, não é diferente, sua aquisição mostra-se muito dispendiosa. Desta forma, em nosso estudo visamos a sua obtenção através da metodologia proposta com o intuito de valorizar e proporcionar uma forma de detectar níveis de expressão da catalase, e assim auxiliar os produtores na detecção de cultivares que possam está se mostrando tolerantes ao estresse, além de ser um viés que visa baratear e viabilizar a pesquisa com sua utilização.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Letícia C. Benitez - Integrante / SIBELE BORSUK - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Efeitos biológicos de lectinas nativas e recombinantes associadas a lipossomas no estudo da proliferação e diferenciação in vitro e in vivo., Descrição: Lectinas são proteínas que reconhecerem, de forma especifica e reversível, carboidratos ou glicoconjugados presentes nas células de diversos seres vivos. Estas proteínas têm sido associadas em diferentes eventos biológicos dentre eles reconhecimento, diferenciação celular e formação de órgãos. Em estudos anteriores, nosso grupo demonstra a ação de uma lectina na regeneração tecidual de camundongos, assim como outras lectinas tem sido mostrada. O presente projeto será desenvolvido com o objetivo de verificar a atividade biológica de outras lectinas nativas e recombinantes sobre a proliferação e diferenciação de células, visando sua aplicação em ensaios de cicatrização e regeneração tecidual. Para verificar a possível utilização de determinadas lectinas como insumos biotecnológicos na regeneração de tecidos, será realizado um ensaio in vitro com células indiferenciadas e linhagens de fibroblastos. A caracterização da ação destas lectinas será realizada com a análise por Real Time PCR para verificar a expressão de proteínas da proliferação celular. As lectinas serão associadas à nanocapsulas para verificar a ação destes nanocompósitos na proliferação celular e possível formação de tecidos específicos em camundongos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / CAROLINE RIZZI - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Vânia Rodrigues de Lima - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Número de produções C, T & A: 9

  • 2014 - Atual

    Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos, Descrição: Lectinas são proteínas que se ligam com afinidade a resíduos de glicídios e assim com capacidade de aglutinar células e precipitar glicoconjugados. Essas proteínas são importantes porque estão envolvidas no processo de reconhecimento celular e sinalização em diversas vias metabólicas. É um grupo heterogêneo de proteínas encontrado em plantas, animais e microrganismos, que possuem pelo menos um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a específicos mono-ou oligossacarídeos. A gama de lectinas e respectivas atividades biológicas não é surpreendente, dada a imensa diversidade e complexidade das estruturas dos carboidratos e os múltiplos modos de interação com proteínas. Tecnologia do DNA recombinante tem sido usada para a clonagem e caracterização de lectinas recém descobertas. Também tem sido utilizada como um meio de produção de lectinas puras e sequencia definidas para diferentes aplicações biotecnológicas. Esta avaliação incide sobre a produção de lectinas recombinantes em organismos heterólogos, destacando-se os sistemas de expressão Escherichia coli e Pichia pastoris, que são os mais utilizados. A escolha do hospedeiro de expressão depende da lectina. Por isso, lectinas recombinantes não glicosiladas são produzidas preferencialmente em E. coli e lectinas recombinantes que necessitam de modificações pós-translacionais são produzidos em organismos eucariotos, principalmente P. pastoris. A ênfase é dada às aplicações das lectinas recombinantes especialmente (a) no diagnóstico e/ou terapêutica do câncer, (b) na atividade antibacteriana, (c) como antivirais, (d) e antifúngicas e (e) na regeneração de tecidos. A produção recombinante ajudará a desvendar os mecanismos biológicos complexos de glico-interações, trazendo as lectinas recombinantes para a vanguarda da glicobiologia. Em conclusão, as lectinas recombinantes podem ser ferramentas biossintéticas valiosas para a pesquisa biomédica.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Carlos Alberto Gadelha - Integrante / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / Tatiane Santi-Gadelha - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Ana L Muccillo-Baish - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 9

  • 2015 - Atual

    Obtenção de Anticorpos Anti-CAT A, B e C de Oryza sativa a partir da proteína recombinante visando detectar a enzima catalase envolvida no estresse abiótico, Descrição: O arroz pode ser considerado a terceira mercadoria mais produzida no mundo, sendo também o segundo cereal em produtividade, com aproximadamente 4,4 ton.ha-1, totalizando mais de 722 milhões de toneladas em todo o mundo. Em condições naturais ou de cultivo as plantas estão constantemente expostas a adversidades que causam interferência em sua homeostase. Estas adversidades podem ser de caráter biótico ou abiótico e são comumente denominados de estresse. Dentre as diversas enzimas envolvidas no metabolismo vegetal, daremos destaque as catalases, definidas como proteínas homo-tetraméricas, composta por quatro subunidades idênticas de 60 kDa com um único grupo ferriprotoporfirina (Heme) em cada subunidade (Zamock e Koller, 1999). Podendo ser considerada uma importante classe de proteínas relacionadas a injúria a que o vegetal é submetido. Esta enzima decompõe H2O2 produzido em plantas durante o funcionamento normal da atividade metabólica e a um nível elevado e sob várias condições de estresse abióticos Com o intuito de alavancar e elucidar de forma confiável informações que possam está vinculadas ao estresse em que as plantas estão submetidas, trazemos a premissa de que com a obtenção e participação de instrumentos como anticorpos específicos para confirmar a expressão da enzima. Atualmente, a aquisição de forma nacional de insumos relacionados a essa área vegetal é custosa, tornando a pesquisa muitas vezes dispendiosa. Com os anticorpos anti-CAT, não é diferente, sua aquisição mostra-se muito dispendiosa. Desta forma, em nosso estudo visamos a sua obtenção através da metodologia proposta com o intuito de valorizar e proporcionar uma forma de detectar níveis de expressão da catalase, e assim auxiliar os produtores na detecção de cultivares que possam está se mostrando tolerantes ao estresse, além de ser um viés que visa baratear e viabilizar a pesquisa com sua utilização.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Letícia C. Benitez - Integrante / SIBELE BORSUK - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos, Descrição: Lectinas são proteínas que se ligam com afinidade a resíduos de glicídios e assim com capacidade de aglutinar células e precipitar glicoconjugados. Essas proteínas são importantes porque estão envolvidas no processo de reconhecimento celular e sinalização em diversas vias metabólicas. É um grupo heterogêneo de proteínas encontrado em plantas, animais e microrganismos, que possuem pelo menos um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a específicos mono-ou oligossacarídeos. A gama de lectinas e respectivas atividades biológicas não é surpreendente, dada a imensa diversidade e complexidade das estruturas dos carboidratos e os múltiplos modos de interação com proteínas. Tecnologia do DNA recombinante tem sido usada para a clonagem e caracterização de lectinas recém descobertas. Também tem sido utilizada como um meio de produção de lectinas puras e sequencia definidas para diferentes aplicações biotecnológicas. Esta avaliação incide sobre a produção de lectinas recombinantes em organismos heterólogos, destacando-se os sistemas de expressão Escherichia coli e Pichia pastoris, que são os mais utilizados. A escolha do hospedeiro de expressão depende da lectina. Por isso, lectinas recombinantes não glicosiladas são produzidas preferencialmente em E. coli e lectinas recombinantes que necessitam de modificações pós-translacionais são produzidos em organismos eucariotos, principalmente P. pastoris. A ênfase é dada às aplicações das lectinas recombinantes especialmente (a) no diagnóstico e/ou terapêutica do câncer, (b) na atividade antibacteriana, (c) como antivirais, (d) e antifúngicas e (e) na regeneração de tecidos. A produção recombinante ajudará a desvendar os mecanismos biológicos complexos de glico-interações, trazendo as lectinas recombinantes para a vanguarda da glicobiologia. Em conclusão, as lectinas recombinantes podem ser ferramentas biossintéticas valiosas para a pesquisa biomédica.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Carlos Alberto Gadelha - Integrante / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / Tatiane Santi-Gadelha - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Ana L Muccillo-Baish - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 9

  • 2014 - Atual

    Efeitos biológicos de lectinas nativas e recombinantes associadas a lipossomas no estudo da proliferação e diferenciação in vitro e in vivo., Descrição: Lectinas são proteínas que reconhecerem, de forma especifica e reversível, carboidratos ou glicoconjugados presentes nas células de diversos seres vivos. Estas proteínas têm sido associadas em diferentes eventos biológicos dentre eles reconhecimento, diferenciação celular e formação de órgãos. Em estudos anteriores, nosso grupo demonstra a ação de uma lectina na regeneração tecidual de camundongos, assim como outras lectinas tem sido mostrada. O presente projeto será desenvolvido com o objetivo de verificar a atividade biológica de outras lectinas nativas e recombinantes sobre a proliferação e diferenciação de células, visando sua aplicação em ensaios de cicatrização e regeneração tecidual. Para verificar a possível utilização de determinadas lectinas como insumos biotecnológicos na regeneração de tecidos, será realizado um ensaio in vitro com células indiferenciadas e linhagens de fibroblastos. A caracterização da ação destas lectinas será realizada com a análise por Real Time PCR para verificar a expressão de proteínas da proliferação celular. As lectinas serão associadas à nanocapsulas para verificar a ação destes nanocompósitos na proliferação celular e possível formação de tecidos específicos em camundongos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / CAROLINE RIZZI - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Vânia Rodrigues de Lima - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Número de produções C, T & A: 9

  • 2015 - Atual

    Obtenção de Anticorpos Anti-CAT A, B e C de Oryza sativa a partir da proteína recombinante visando detectar a enzima catalase envolvida no estresse abiótico, Descrição: O arroz pode ser considerado a terceira mercadoria mais produzida no mundo, sendo também o segundo cereal em produtividade, com aproximadamente 4,4 ton.ha-1, totalizando mais de 722 milhões de toneladas em todo o mundo. Em condições naturais ou de cultivo as plantas estão constantemente expostas a adversidades que causam interferência em sua homeostase. Estas adversidades podem ser de caráter biótico ou abiótico e são comumente denominados de estresse. Dentre as diversas enzimas envolvidas no metabolismo vegetal, daremos destaque as catalases, definidas como proteínas homo-tetraméricas, composta por quatro subunidades idênticas de 60 kDa com um único grupo ferriprotoporfirina (Heme) em cada subunidade (Zamock e Koller, 1999). Podendo ser considerada uma importante classe de proteínas relacionadas a injúria a que o vegetal é submetido. Esta enzima decompõe H2O2 produzido em plantas durante o funcionamento normal da atividade metabólica e a um nível elevado e sob várias condições de estresse abióticos Com o intuito de alavancar e elucidar de forma confiável informações que possam está vinculadas ao estresse em que as plantas estão submetidas, trazemos a premissa de que com a obtenção e participação de instrumentos como anticorpos específicos para confirmar a expressão da enzima. Atualmente, a aquisição de forma nacional de insumos relacionados a essa área vegetal é custosa, tornando a pesquisa muitas vezes dispendiosa. Com os anticorpos anti-CAT, não é diferente, sua aquisição mostra-se muito dispendiosa. Desta forma, em nosso estudo visamos a sua obtenção através da metodologia proposta com o intuito de valorizar e proporcionar uma forma de detectar níveis de expressão da catalase, e assim auxiliar os produtores na detecção de cultivares que possam está se mostrando tolerantes ao estresse, além de ser um viés que visa baratear e viabilizar a pesquisa com sua utilização.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Letícia C. Benitez - Integrante / SIBELE BORSUK - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos, Descrição: Lectinas são proteínas que se ligam com afinidade a resíduos de glicídios e assim com capacidade de aglutinar células e precipitar glicoconjugados. Essas proteínas são importantes porque estão envolvidas no processo de reconhecimento celular e sinalização em diversas vias metabólicas. É um grupo heterogêneo de proteínas encontrado em plantas, animais e microrganismos, que possuem pelo menos um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a específicos mono-ou oligossacarídeos. A gama de lectinas e respectivas atividades biológicas não é surpreendente, dada a imensa diversidade e complexidade das estruturas dos carboidratos e os múltiplos modos de interação com proteínas. Tecnologia do DNA recombinante tem sido usada para a clonagem e caracterização de lectinas recém descobertas. Também tem sido utilizada como um meio de produção de lectinas puras e sequencia definidas para diferentes aplicações biotecnológicas. Esta avaliação incide sobre a produção de lectinas recombinantes em organismos heterólogos, destacando-se os sistemas de expressão Escherichia coli e Pichia pastoris, que são os mais utilizados. A escolha do hospedeiro de expressão depende da lectina. Por isso, lectinas recombinantes não glicosiladas são produzidas preferencialmente em E. coli e lectinas recombinantes que necessitam de modificações pós-translacionais são produzidos em organismos eucariotos, principalmente P. pastoris. A ênfase é dada às aplicações das lectinas recombinantes especialmente (a) no diagnóstico e/ou terapêutica do câncer, (b) na atividade antibacteriana, (c) como antivirais, (d) e antifúngicas e (e) na regeneração de tecidos. A produção recombinante ajudará a desvendar os mecanismos biológicos complexos de glico-interações, trazendo as lectinas recombinantes para a vanguarda da glicobiologia. Em conclusão, as lectinas recombinantes podem ser ferramentas biossintéticas valiosas para a pesquisa biomédica.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Carlos Alberto Gadelha - Integrante / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / Tatiane Santi-Gadelha - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Ana L Muccillo-Baish - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 9

  • 2014 - Atual

    Efeitos biológicos de lectinas nativas e recombinantes associadas a lipossomas no estudo da proliferação e diferenciação in vitro e in vivo., Descrição: Lectinas são proteínas que reconhecerem, de forma especifica e reversível, carboidratos ou glicoconjugados presentes nas células de diversos seres vivos. Estas proteínas têm sido associadas em diferentes eventos biológicos dentre eles reconhecimento, diferenciação celular e formação de órgãos. Em estudos anteriores, nosso grupo demonstra a ação de uma lectina na regeneração tecidual de camundongos, assim como outras lectinas tem sido mostrada. O presente projeto será desenvolvido com o objetivo de verificar a atividade biológica de outras lectinas nativas e recombinantes sobre a proliferação e diferenciação de células, visando sua aplicação em ensaios de cicatrização e regeneração tecidual. Para verificar a possível utilização de determinadas lectinas como insumos biotecnológicos na regeneração de tecidos, será realizado um ensaio in vitro com células indiferenciadas e linhagens de fibroblastos. A caracterização da ação destas lectinas será realizada com a análise por Real Time PCR para verificar a expressão de proteínas da proliferação celular. As lectinas serão associadas à nanocapsulas para verificar a ação destes nanocompósitos na proliferação celular e possível formação de tecidos específicos em camundongos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / CAROLINE RIZZI - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Vânia Rodrigues de Lima - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Número de produções C, T & A: 9

  • 2015 - Atual

    Obtenção de Anticorpos Anti-CAT A, B e C de Oryza sativa a partir da proteína recombinante visando detectar a enzima catalase envolvida no estresse abiótico, Descrição: O arroz pode ser considerado a terceira mercadoria mais produzida no mundo, sendo também o segundo cereal em produtividade, com aproximadamente 4,4 ton.ha-1, totalizando mais de 722 milhões de toneladas em todo o mundo. Em condições naturais ou de cultivo as plantas estão constantemente expostas a adversidades que causam interferência em sua homeostase. Estas adversidades podem ser de caráter biótico ou abiótico e são comumente denominados de estresse. Dentre as diversas enzimas envolvidas no metabolismo vegetal, daremos destaque as catalases, definidas como proteínas homo-tetraméricas, composta por quatro subunidades idênticas de 60 kDa com um único grupo ferriprotoporfirina (Heme) em cada subunidade (Zamock e Koller, 1999). Podendo ser considerada uma importante classe de proteínas relacionadas a injúria a que o vegetal é submetido. Esta enzima decompõe H2O2 produzido em plantas durante o funcionamento normal da atividade metabólica e a um nível elevado e sob várias condições de estresse abióticos Com o intuito de alavancar e elucidar de forma confiável informações que possam está vinculadas ao estresse em que as plantas estão submetidas, trazemos a premissa de que com a obtenção e participação de instrumentos como anticorpos específicos para confirmar a expressão da enzima. Atualmente, a aquisição de forma nacional de insumos relacionados a essa área vegetal é custosa, tornando a pesquisa muitas vezes dispendiosa. Com os anticorpos anti-CAT, não é diferente, sua aquisição mostra-se muito dispendiosa. Desta forma, em nosso estudo visamos a sua obtenção através da metodologia proposta com o intuito de valorizar e proporcionar uma forma de detectar níveis de expressão da catalase, e assim auxiliar os produtores na detecção de cultivares que possam está se mostrando tolerantes ao estresse, além de ser um viés que visa baratear e viabilizar a pesquisa com sua utilização.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Letícia C. Benitez - Integrante / SIBELE BORSUK - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos, Descrição: Lectinas são proteínas que se ligam com afinidade a resíduos de glicídios e assim com capacidade de aglutinar células e precipitar glicoconjugados. Essas proteínas são importantes porque estão envolvidas no processo de reconhecimento celular e sinalização em diversas vias metabólicas. É um grupo heterogêneo de proteínas encontrado em plantas, animais e microrganismos, que possuem pelo menos um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a específicos mono-ou oligossacarídeos. A gama de lectinas e respectivas atividades biológicas não é surpreendente, dada a imensa diversidade e complexidade das estruturas dos carboidratos e os múltiplos modos de interação com proteínas. Tecnologia do DNA recombinante tem sido usada para a clonagem e caracterização de lectinas recém descobertas. Também tem sido utilizada como um meio de produção de lectinas puras e sequencia definidas para diferentes aplicações biotecnológicas. Esta avaliação incide sobre a produção de lectinas recombinantes em organismos heterólogos, destacando-se os sistemas de expressão Escherichia coli e Pichia pastoris, que são os mais utilizados. A escolha do hospedeiro de expressão depende da lectina. Por isso, lectinas recombinantes não glicosiladas são produzidas preferencialmente em E. coli e lectinas recombinantes que necessitam de modificações pós-translacionais são produzidos em organismos eucariotos, principalmente P. pastoris. A ênfase é dada às aplicações das lectinas recombinantes especialmente (a) no diagnóstico e/ou terapêutica do câncer, (b) na atividade antibacteriana, (c) como antivirais, (d) e antifúngicas e (e) na regeneração de tecidos. A produção recombinante ajudará a desvendar os mecanismos biológicos complexos de glico-interações, trazendo as lectinas recombinantes para a vanguarda da glicobiologia. Em conclusão, as lectinas recombinantes podem ser ferramentas biossintéticas valiosas para a pesquisa biomédica.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Carlos Alberto Gadelha - Integrante / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / Tatiane Santi-Gadelha - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Ana L Muccillo-Baish - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 9

  • 2014 - Atual

    Efeitos biológicos de lectinas nativas e recombinantes associadas a lipossomas no estudo da proliferação e diferenciação in vitro e in vivo., Descrição: Lectinas são proteínas que reconhecerem, de forma especifica e reversível, carboidratos ou glicoconjugados presentes nas células de diversos seres vivos. Estas proteínas têm sido associadas em diferentes eventos biológicos dentre eles reconhecimento, diferenciação celular e formação de órgãos. Em estudos anteriores, nosso grupo demonstra a ação de uma lectina na regeneração tecidual de camundongos, assim como outras lectinas tem sido mostrada. O presente projeto será desenvolvido com o objetivo de verificar a atividade biológica de outras lectinas nativas e recombinantes sobre a proliferação e diferenciação de células, visando sua aplicação em ensaios de cicatrização e regeneração tecidual. Para verificar a possível utilização de determinadas lectinas como insumos biotecnológicos na regeneração de tecidos, será realizado um ensaio in vitro com células indiferenciadas e linhagens de fibroblastos. A caracterização da ação destas lectinas será realizada com a análise por Real Time PCR para verificar a expressão de proteínas da proliferação celular. As lectinas serão associadas à nanocapsulas para verificar a ação destes nanocompósitos na proliferação celular e possível formação de tecidos específicos em camundongos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / CAROLINE RIZZI - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Vânia Rodrigues de Lima - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Número de produções C, T & A: 9

  • 2015 - Atual

    Obtenção de Anticorpos Anti-CAT A, B e C de Oryza sativa a partir da proteína recombinante visando detectar a enzima catalase envolvida no estresse abiótico, Descrição: O arroz pode ser considerado a terceira mercadoria mais produzida no mundo, sendo também o segundo cereal em produtividade, com aproximadamente 4,4 ton.ha-1, totalizando mais de 722 milhões de toneladas em todo o mundo. Em condições naturais ou de cultivo as plantas estão constantemente expostas a adversidades que causam interferência em sua homeostase. Estas adversidades podem ser de caráter biótico ou abiótico e são comumente denominados de estresse. Dentre as diversas enzimas envolvidas no metabolismo vegetal, daremos destaque as catalases, definidas como proteínas homo-tetraméricas, composta por quatro subunidades idênticas de 60 kDa com um único grupo ferriprotoporfirina (Heme) em cada subunidade (Zamock e Koller, 1999). Podendo ser considerada uma importante classe de proteínas relacionadas a injúria a que o vegetal é submetido. Esta enzima decompõe H2O2 produzido em plantas durante o funcionamento normal da atividade metabólica e a um nível elevado e sob várias condições de estresse abióticos Com o intuito de alavancar e elucidar de forma confiável informações que possam está vinculadas ao estresse em que as plantas estão submetidas, trazemos a premissa de que com a obtenção e participação de instrumentos como anticorpos específicos para confirmar a expressão da enzima. Atualmente, a aquisição de forma nacional de insumos relacionados a essa área vegetal é custosa, tornando a pesquisa muitas vezes dispendiosa. Com os anticorpos anti-CAT, não é diferente, sua aquisição mostra-se muito dispendiosa. Desta forma, em nosso estudo visamos a sua obtenção através da metodologia proposta com o intuito de valorizar e proporcionar uma forma de detectar níveis de expressão da catalase, e assim auxiliar os produtores na detecção de cultivares que possam está se mostrando tolerantes ao estresse, além de ser um viés que visa baratear e viabilizar a pesquisa com sua utilização.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Letícia C. Benitez - Integrante / SIBELE BORSUK - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos, Descrição: Lectinas são proteínas que se ligam com afinidade a resíduos de glicídios e assim com capacidade de aglutinar células e precipitar glicoconjugados. Essas proteínas são importantes porque estão envolvidas no processo de reconhecimento celular e sinalização em diversas vias metabólicas. É um grupo heterogêneo de proteínas encontrado em plantas, animais e microrganismos, que possuem pelo menos um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a específicos mono-ou oligossacarídeos. A gama de lectinas e respectivas atividades biológicas não é surpreendente, dada a imensa diversidade e complexidade das estruturas dos carboidratos e os múltiplos modos de interação com proteínas. Tecnologia do DNA recombinante tem sido usada para a clonagem e caracterização de lectinas recém descobertas. Também tem sido utilizada como um meio de produção de lectinas puras e sequencia definidas para diferentes aplicações biotecnológicas. Esta avaliação incide sobre a produção de lectinas recombinantes em organismos heterólogos, destacando-se os sistemas de expressão Escherichia coli e Pichia pastoris, que são os mais utilizados. A escolha do hospedeiro de expressão depende da lectina. Por isso, lectinas recombinantes não glicosiladas são produzidas preferencialmente em E. coli e lectinas recombinantes que necessitam de modificações pós-translacionais são produzidos em organismos eucariotos, principalmente P. pastoris. A ênfase é dada às aplicações das lectinas recombinantes especialmente (a) no diagnóstico e/ou terapêutica do câncer, (b) na atividade antibacteriana, (c) como antivirais, (d) e antifúngicas e (e) na regeneração de tecidos. A produção recombinante ajudará a desvendar os mecanismos biológicos complexos de glico-interações, trazendo as lectinas recombinantes para a vanguarda da glicobiologia. Em conclusão, as lectinas recombinantes podem ser ferramentas biossintéticas valiosas para a pesquisa biomédica.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Carlos Alberto Gadelha - Integrante / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / Tatiane Santi-Gadelha - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Ana L Muccillo-Baish - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 9

  • 2014 - Atual

    Efeitos biológicos de lectinas nativas e recombinantes associadas a lipossomas no estudo da proliferação e diferenciação in vitro e in vivo., Descrição: Lectinas são proteínas que reconhecerem, de forma especifica e reversível, carboidratos ou glicoconjugados presentes nas células de diversos seres vivos. Estas proteínas têm sido associadas em diferentes eventos biológicos dentre eles reconhecimento, diferenciação celular e formação de órgãos. Em estudos anteriores, nosso grupo demonstra a ação de uma lectina na regeneração tecidual de camundongos, assim como outras lectinas tem sido mostrada. O presente projeto será desenvolvido com o objetivo de verificar a atividade biológica de outras lectinas nativas e recombinantes sobre a proliferação e diferenciação de células, visando sua aplicação em ensaios de cicatrização e regeneração tecidual. Para verificar a possível utilização de determinadas lectinas como insumos biotecnológicos na regeneração de tecidos, será realizado um ensaio in vitro com células indiferenciadas e linhagens de fibroblastos. A caracterização da ação destas lectinas será realizada com a análise por Real Time PCR para verificar a expressão de proteínas da proliferação celular. As lectinas serão associadas à nanocapsulas para verificar a ação destes nanocompósitos na proliferação celular e possível formação de tecidos específicos em camundongos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / CAROLINE RIZZI - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Vânia Rodrigues de Lima - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Número de produções C, T & A: 9

  • 2015 - Atual

    Obtenção de Anticorpos Anti-CAT A, B e C de Oryza sativa a partir da proteína recombinante visando detectar a enzima catalase envolvida no estresse abiótico, Descrição: O arroz pode ser considerado a terceira mercadoria mais produzida no mundo, sendo também o segundo cereal em produtividade, com aproximadamente 4,4 ton.ha-1, totalizando mais de 722 milhões de toneladas em todo o mundo. Em condições naturais ou de cultivo as plantas estão constantemente expostas a adversidades que causam interferência em sua homeostase. Estas adversidades podem ser de caráter biótico ou abiótico e são comumente denominados de estresse. Dentre as diversas enzimas envolvidas no metabolismo vegetal, daremos destaque as catalases, definidas como proteínas homo-tetraméricas, composta por quatro subunidades idênticas de 60 kDa com um único grupo ferriprotoporfirina (Heme) em cada subunidade (Zamock e Koller, 1999). Podendo ser considerada uma importante classe de proteínas relacionadas a injúria a que o vegetal é submetido. Esta enzima decompõe H2O2 produzido em plantas durante o funcionamento normal da atividade metabólica e a um nível elevado e sob várias condições de estresse abióticos Com o intuito de alavancar e elucidar de forma confiável informações que possam está vinculadas ao estresse em que as plantas estão submetidas, trazemos a premissa de que com a obtenção e participação de instrumentos como anticorpos específicos para confirmar a expressão da enzima. Atualmente, a aquisição de forma nacional de insumos relacionados a essa área vegetal é custosa, tornando a pesquisa muitas vezes dispendiosa. Com os anticorpos anti-CAT, não é diferente, sua aquisição mostra-se muito dispendiosa. Desta forma, em nosso estudo visamos a sua obtenção através da metodologia proposta com o intuito de valorizar e proporcionar uma forma de detectar níveis de expressão da catalase, e assim auxiliar os produtores na detecção de cultivares que possam está se mostrando tolerantes ao estresse, além de ser um viés que visa baratear e viabilizar a pesquisa com sua utilização.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Letícia C. Benitez - Integrante / SIBELE BORSUK - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Efeitos biológicos de lectinas nativas e recombinantes associadas a lipossomas no estudo da proliferação e diferenciação in vitro e in vivo., Descrição: Lectinas são proteínas que reconhecerem, de forma especifica e reversível, carboidratos ou glicoconjugados presentes nas células de diversos seres vivos. Estas proteínas têm sido associadas em diferentes eventos biológicos dentre eles reconhecimento, diferenciação celular e formação de órgãos. Em estudos anteriores, nosso grupo demonstra a ação de uma lectina na regeneração tecidual de camundongos, assim como outras lectinas tem sido mostrada. O presente projeto será desenvolvido com o objetivo de verificar a atividade biológica de outras lectinas nativas e recombinantes sobre a proliferação e diferenciação de células, visando sua aplicação em ensaios de cicatrização e regeneração tecidual. Para verificar a possível utilização de determinadas lectinas como insumos biotecnológicos na regeneração de tecidos, será realizado um ensaio in vitro com células indiferenciadas e linhagens de fibroblastos. A caracterização da ação destas lectinas será realizada com a análise por Real Time PCR para verificar a expressão de proteínas da proliferação celular. As lectinas serão associadas à nanocapsulas para verificar a ação destes nanocompósitos na proliferação celular e possível formação de tecidos específicos em camundongos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / CAROLINE RIZZI - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Vânia Rodrigues de Lima - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Número de produções C, T & A: 9

  • 2014 - Atual

    Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos, Descrição: Lectinas são proteínas que se ligam com afinidade a resíduos de glicídios e assim com capacidade de aglutinar células e precipitar glicoconjugados. Essas proteínas são importantes porque estão envolvidas no processo de reconhecimento celular e sinalização em diversas vias metabólicas. É um grupo heterogêneo de proteínas encontrado em plantas, animais e microrganismos, que possuem pelo menos um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a específicos mono-ou oligossacarídeos. A gama de lectinas e respectivas atividades biológicas não é surpreendente, dada a imensa diversidade e complexidade das estruturas dos carboidratos e os múltiplos modos de interação com proteínas. Tecnologia do DNA recombinante tem sido usada para a clonagem e caracterização de lectinas recém descobertas. Também tem sido utilizada como um meio de produção de lectinas puras e sequencia definidas para diferentes aplicações biotecnológicas. Esta avaliação incide sobre a produção de lectinas recombinantes em organismos heterólogos, destacando-se os sistemas de expressão Escherichia coli e Pichia pastoris, que são os mais utilizados. A escolha do hospedeiro de expressão depende da lectina. Por isso, lectinas recombinantes não glicosiladas são produzidas preferencialmente em E. coli e lectinas recombinantes que necessitam de modificações pós-translacionais são produzidos em organismos eucariotos, principalmente P. pastoris. A ênfase é dada às aplicações das lectinas recombinantes especialmente (a) no diagnóstico e/ou terapêutica do câncer, (b) na atividade antibacteriana, (c) como antivirais, (d) e antifúngicas e (e) na regeneração de tecidos. A produção recombinante ajudará a desvendar os mecanismos biológicos complexos de glico-interações, trazendo as lectinas recombinantes para a vanguarda da glicobiologia. Em conclusão, as lectinas recombinantes podem ser ferramentas biossintéticas valiosas para a pesquisa biomédica.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Carlos Alberto Gadelha - Integrante / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / Tatiane Santi-Gadelha - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Ana L Muccillo-Baish - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 9

  • 2015 - Atual

    Obtenção de Anticorpos Anti-CAT A, B e C de Oryza sativa a partir da proteína recombinante visando detectar a enzima catalase envolvida no estresse abiótico, Descrição: O arroz pode ser considerado a terceira mercadoria mais produzida no mundo, sendo também o segundo cereal em produtividade, com aproximadamente 4,4 ton.ha-1, totalizando mais de 722 milhões de toneladas em todo o mundo. Em condições naturais ou de cultivo as plantas estão constantemente expostas a adversidades que causam interferência em sua homeostase. Estas adversidades podem ser de caráter biótico ou abiótico e são comumente denominados de estresse. Dentre as diversas enzimas envolvidas no metabolismo vegetal, daremos destaque as catalases, definidas como proteínas homo-tetraméricas, composta por quatro subunidades idênticas de 60 kDa com um único grupo ferriprotoporfirina (Heme) em cada subunidade (Zamock e Koller, 1999). Podendo ser considerada uma importante classe de proteínas relacionadas a injúria a que o vegetal é submetido. Esta enzima decompõe H2O2 produzido em plantas durante o funcionamento normal da atividade metabólica e a um nível elevado e sob várias condições de estresse abióticos Com o intuito de alavancar e elucidar de forma confiável informações que possam está vinculadas ao estresse em que as plantas estão submetidas, trazemos a premissa de que com a obtenção e participação de instrumentos como anticorpos específicos para confirmar a expressão da enzima. Atualmente, a aquisição de forma nacional de insumos relacionados a essa área vegetal é custosa, tornando a pesquisa muitas vezes dispendiosa. Com os anticorpos anti-CAT, não é diferente, sua aquisição mostra-se muito dispendiosa. Desta forma, em nosso estudo visamos a sua obtenção através da metodologia proposta com o intuito de valorizar e proporcionar uma forma de detectar níveis de expressão da catalase, e assim auxiliar os produtores na detecção de cultivares que possam está se mostrando tolerantes ao estresse, além de ser um viés que visa baratear e viabilizar a pesquisa com sua utilização.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Letícia C. Benitez - Integrante / SIBELE BORSUK - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Efeitos biológicos de lectinas nativas e recombinantes associadas a lipossomas no estudo da proliferação e diferenciação in vitro e in vivo., Descrição: Lectinas são proteínas que reconhecerem, de forma especifica e reversível, carboidratos ou glicoconjugados presentes nas células de diversos seres vivos. Estas proteínas têm sido associadas em diferentes eventos biológicos dentre eles reconhecimento, diferenciação celular e formação de órgãos. Em estudos anteriores, nosso grupo demonstra a ação de uma lectina na regeneração tecidual de camundongos, assim como outras lectinas tem sido mostrada. O presente projeto será desenvolvido com o objetivo de verificar a atividade biológica de outras lectinas nativas e recombinantes sobre a proliferação e diferenciação de células, visando sua aplicação em ensaios de cicatrização e regeneração tecidual. Para verificar a possível utilização de determinadas lectinas como insumos biotecnológicos na regeneração de tecidos, será realizado um ensaio in vitro com células indiferenciadas e linhagens de fibroblastos. A caracterização da ação destas lectinas será realizada com a análise por Real Time PCR para verificar a expressão de proteínas da proliferação celular. As lectinas serão associadas à nanocapsulas para verificar a ação destes nanocompósitos na proliferação celular e possível formação de tecidos específicos em camundongos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / CAROLINE RIZZI - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Vânia Rodrigues de Lima - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Número de produções C, T & A: 9

  • 2014 - Atual

    Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos, Descrição: Lectinas são proteínas que se ligam com afinidade a resíduos de glicídios e assim com capacidade de aglutinar células e precipitar glicoconjugados. Essas proteínas são importantes porque estão envolvidas no processo de reconhecimento celular e sinalização em diversas vias metabólicas. É um grupo heterogêneo de proteínas encontrado em plantas, animais e microrganismos, que possuem pelo menos um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a específicos mono-ou oligossacarídeos. A gama de lectinas e respectivas atividades biológicas não é surpreendente, dada a imensa diversidade e complexidade das estruturas dos carboidratos e os múltiplos modos de interação com proteínas. Tecnologia do DNA recombinante tem sido usada para a clonagem e caracterização de lectinas recém descobertas. Também tem sido utilizada como um meio de produção de lectinas puras e sequencia definidas para diferentes aplicações biotecnológicas. Esta avaliação incide sobre a produção de lectinas recombinantes em organismos heterólogos, destacando-se os sistemas de expressão Escherichia coli e Pichia pastoris, que são os mais utilizados. A escolha do hospedeiro de expressão depende da lectina. Por isso, lectinas recombinantes não glicosiladas são produzidas preferencialmente em E. coli e lectinas recombinantes que necessitam de modificações pós-translacionais são produzidos em organismos eucariotos, principalmente P. pastoris. A ênfase é dada às aplicações das lectinas recombinantes especialmente (a) no diagnóstico e/ou terapêutica do câncer, (b) na atividade antibacteriana, (c) como antivirais, (d) e antifúngicas e (e) na regeneração de tecidos. A produção recombinante ajudará a desvendar os mecanismos biológicos complexos de glico-interações, trazendo as lectinas recombinantes para a vanguarda da glicobiologia. Em conclusão, as lectinas recombinantes podem ser ferramentas biossintéticas valiosas para a pesquisa biomédica.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Carlos Alberto Gadelha - Integrante / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / Tatiane Santi-Gadelha - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Ana L Muccillo-Baish - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 9

  • 2015 - Atual

    Obtenção de Anticorpos Anti-CAT A, B e C de Oryza sativa a partir da proteína recombinante visando detectar a enzima catalase envolvida no estresse abiótico, Descrição: O arroz pode ser considerado a terceira mercadoria mais produzida no mundo, sendo também o segundo cereal em produtividade, com aproximadamente 4,4 ton.ha-1, totalizando mais de 722 milhões de toneladas em todo o mundo. Em condições naturais ou de cultivo as plantas estão constantemente expostas a adversidades que causam interferência em sua homeostase. Estas adversidades podem ser de caráter biótico ou abiótico e são comumente denominados de estresse. Dentre as diversas enzimas envolvidas no metabolismo vegetal, daremos destaque as catalases, definidas como proteínas homo-tetraméricas, composta por quatro subunidades idênticas de 60 kDa com um único grupo ferriprotoporfirina (Heme) em cada subunidade (Zamock e Koller, 1999). Podendo ser considerada uma importante classe de proteínas relacionadas a injúria a que o vegetal é submetido. Esta enzima decompõe H2O2 produzido em plantas durante o funcionamento normal da atividade metabólica e a um nível elevado e sob várias condições de estresse abióticos Com o intuito de alavancar e elucidar de forma confiável informações que possam está vinculadas ao estresse em que as plantas estão submetidas, trazemos a premissa de que com a obtenção e participação de instrumentos como anticorpos específicos para confirmar a expressão da enzima. Atualmente, a aquisição de forma nacional de insumos relacionados a essa área vegetal é custosa, tornando a pesquisa muitas vezes dispendiosa. Com os anticorpos anti-CAT, não é diferente, sua aquisição mostra-se muito dispendiosa. Desta forma, em nosso estudo visamos a sua obtenção através da metodologia proposta com o intuito de valorizar e proporcionar uma forma de detectar níveis de expressão da catalase, e assim auxiliar os produtores na detecção de cultivares que possam está se mostrando tolerantes ao estresse, além de ser um viés que visa baratear e viabilizar a pesquisa com sua utilização.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Letícia C. Benitez - Integrante / SIBELE BORSUK - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos, Descrição: Lectinas são proteínas que se ligam com afinidade a resíduos de glicídios e assim com capacidade de aglutinar células e precipitar glicoconjugados. Essas proteínas são importantes porque estão envolvidas no processo de reconhecimento celular e sinalização em diversas vias metabólicas. É um grupo heterogêneo de proteínas encontrado em plantas, animais e microrganismos, que possuem pelo menos um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a específicos mono-ou oligossacarídeos. A gama de lectinas e respectivas atividades biológicas não é surpreendente, dada a imensa diversidade e complexidade das estruturas dos carboidratos e os múltiplos modos de interação com proteínas. Tecnologia do DNA recombinante tem sido usada para a clonagem e caracterização de lectinas recém descobertas. Também tem sido utilizada como um meio de produção de lectinas puras e sequencia definidas para diferentes aplicações biotecnológicas. Esta avaliação incide sobre a produção de lectinas recombinantes em organismos heterólogos, destacando-se os sistemas de expressão Escherichia coli e Pichia pastoris, que são os mais utilizados. A escolha do hospedeiro de expressão depende da lectina. Por isso, lectinas recombinantes não glicosiladas são produzidas preferencialmente em E. coli e lectinas recombinantes que necessitam de modificações pós-translacionais são produzidos em organismos eucariotos, principalmente P. pastoris. A ênfase é dada às aplicações das lectinas recombinantes especialmente (a) no diagnóstico e/ou terapêutica do câncer, (b) na atividade antibacteriana, (c) como antivirais, (d) e antifúngicas e (e) na regeneração de tecidos. A produção recombinante ajudará a desvendar os mecanismos biológicos complexos de glico-interações, trazendo as lectinas recombinantes para a vanguarda da glicobiologia. Em conclusão, as lectinas recombinantes podem ser ferramentas biossintéticas valiosas para a pesquisa biomédica.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Carlos Alberto Gadelha - Integrante / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / Tatiane Santi-Gadelha - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Ana L Muccillo-Baish - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 9

  • 2014 - Atual

    Efeitos biológicos de lectinas nativas e recombinantes associadas a lipossomas no estudo da proliferação e diferenciação in vitro e in vivo., Descrição: Lectinas são proteínas que reconhecerem, de forma especifica e reversível, carboidratos ou glicoconjugados presentes nas células de diversos seres vivos. Estas proteínas têm sido associadas em diferentes eventos biológicos dentre eles reconhecimento, diferenciação celular e formação de órgãos. Em estudos anteriores, nosso grupo demonstra a ação de uma lectina na regeneração tecidual de camundongos, assim como outras lectinas tem sido mostrada. O presente projeto será desenvolvido com o objetivo de verificar a atividade biológica de outras lectinas nativas e recombinantes sobre a proliferação e diferenciação de células, visando sua aplicação em ensaios de cicatrização e regeneração tecidual. Para verificar a possível utilização de determinadas lectinas como insumos biotecnológicos na regeneração de tecidos, será realizado um ensaio in vitro com células indiferenciadas e linhagens de fibroblastos. A caracterização da ação destas lectinas será realizada com a análise por Real Time PCR para verificar a expressão de proteínas da proliferação celular. As lectinas serão associadas à nanocapsulas para verificar a ação destes nanocompósitos na proliferação celular e possível formação de tecidos específicos em camundongos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / CAROLINE RIZZI - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Vânia Rodrigues de Lima - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Número de produções C, T & A: 9

  • 2015 - Atual

    Obtenção de Anticorpos Anti-CAT A, B e C de Oryza sativa a partir da proteína recombinante visando detectar a enzima catalase envolvida no estresse abiótico, Descrição: O arroz pode ser considerado a terceira mercadoria mais produzida no mundo, sendo também o segundo cereal em produtividade, com aproximadamente 4,4 ton.ha-1, totalizando mais de 722 milhões de toneladas em todo o mundo. Em condições naturais ou de cultivo as plantas estão constantemente expostas a adversidades que causam interferência em sua homeostase. Estas adversidades podem ser de caráter biótico ou abiótico e são comumente denominados de estresse. Dentre as diversas enzimas envolvidas no metabolismo vegetal, daremos destaque as catalases, definidas como proteínas homo-tetraméricas, composta por quatro subunidades idênticas de 60 kDa com um único grupo ferriprotoporfirina (Heme) em cada subunidade (Zamock e Koller, 1999). Podendo ser considerada uma importante classe de proteínas relacionadas a injúria a que o vegetal é submetido. Esta enzima decompõe H2O2 produzido em plantas durante o funcionamento normal da atividade metabólica e a um nível elevado e sob várias condições de estresse abióticos Com o intuito de alavancar e elucidar de forma confiável informações que possam está vinculadas ao estresse em que as plantas estão submetidas, trazemos a premissa de que com a obtenção e participação de instrumentos como anticorpos específicos para confirmar a expressão da enzima. Atualmente, a aquisição de forma nacional de insumos relacionados a essa área vegetal é custosa, tornando a pesquisa muitas vezes dispendiosa. Com os anticorpos anti-CAT, não é diferente, sua aquisição mostra-se muito dispendiosa. Desta forma, em nosso estudo visamos a sua obtenção através da metodologia proposta com o intuito de valorizar e proporcionar uma forma de detectar níveis de expressão da catalase, e assim auxiliar os produtores na detecção de cultivares que possam está se mostrando tolerantes ao estresse, além de ser um viés que visa baratear e viabilizar a pesquisa com sua utilização.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Letícia C. Benitez - Integrante / SIBELE BORSUK - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Efeitos biológicos de lectinas nativas e recombinantes associadas a lipossomas no estudo da proliferação e diferenciação in vitro e in vivo., Descrição: Lectinas são proteínas que reconhecerem, de forma especifica e reversível, carboidratos ou glicoconjugados presentes nas células de diversos seres vivos. Estas proteínas têm sido associadas em diferentes eventos biológicos dentre eles reconhecimento, diferenciação celular e formação de órgãos. Em estudos anteriores, nosso grupo demonstra a ação de uma lectina na regeneração tecidual de camundongos, assim como outras lectinas tem sido mostrada. O presente projeto será desenvolvido com o objetivo de verificar a atividade biológica de outras lectinas nativas e recombinantes sobre a proliferação e diferenciação de células, visando sua aplicação em ensaios de cicatrização e regeneração tecidual. Para verificar a possível utilização de determinadas lectinas como insumos biotecnológicos na regeneração de tecidos, será realizado um ensaio in vitro com células indiferenciadas e linhagens de fibroblastos. A caracterização da ação destas lectinas será realizada com a análise por Real Time PCR para verificar a expressão de proteínas da proliferação celular. As lectinas serão associadas à nanocapsulas para verificar a ação destes nanocompósitos na proliferação celular e possível formação de tecidos específicos em camundongos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / CAROLINE RIZZI - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Vânia Rodrigues de Lima - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Número de produções C, T & A: 9

  • 2014 - Atual

    Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos, Descrição: Lectinas são proteínas que se ligam com afinidade a resíduos de glicídios e assim com capacidade de aglutinar células e precipitar glicoconjugados. Essas proteínas são importantes porque estão envolvidas no processo de reconhecimento celular e sinalização em diversas vias metabólicas. É um grupo heterogêneo de proteínas encontrado em plantas, animais e microrganismos, que possuem pelo menos um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a específicos mono-ou oligossacarídeos. A gama de lectinas e respectivas atividades biológicas não é surpreendente, dada a imensa diversidade e complexidade das estruturas dos carboidratos e os múltiplos modos de interação com proteínas. Tecnologia do DNA recombinante tem sido usada para a clonagem e caracterização de lectinas recém descobertas. Também tem sido utilizada como um meio de produção de lectinas puras e sequencia definidas para diferentes aplicações biotecnológicas. Esta avaliação incide sobre a produção de lectinas recombinantes em organismos heterólogos, destacando-se os sistemas de expressão Escherichia coli e Pichia pastoris, que são os mais utilizados. A escolha do hospedeiro de expressão depende da lectina. Por isso, lectinas recombinantes não glicosiladas são produzidas preferencialmente em E. coli e lectinas recombinantes que necessitam de modificações pós-translacionais são produzidos em organismos eucariotos, principalmente P. pastoris. A ênfase é dada às aplicações das lectinas recombinantes especialmente (a) no diagnóstico e/ou terapêutica do câncer, (b) na atividade antibacteriana, (c) como antivirais, (d) e antifúngicas e (e) na regeneração de tecidos. A produção recombinante ajudará a desvendar os mecanismos biológicos complexos de glico-interações, trazendo as lectinas recombinantes para a vanguarda da glicobiologia. Em conclusão, as lectinas recombinantes podem ser ferramentas biossintéticas valiosas para a pesquisa biomédica.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Carlos Alberto Gadelha - Integrante / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / Tatiane Santi-Gadelha - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Ana L Muccillo-Baish - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 9

  • 2015 - Atual

    Obtenção de Anticorpos Anti-CAT A, B e C de Oryza sativa a partir da proteína recombinante visando detectar a enzima catalase envolvida no estresse abiótico, Descrição: O arroz pode ser considerado a terceira mercadoria mais produzida no mundo, sendo também o segundo cereal em produtividade, com aproximadamente 4,4 ton.ha-1, totalizando mais de 722 milhões de toneladas em todo o mundo. Em condições naturais ou de cultivo as plantas estão constantemente expostas a adversidades que causam interferência em sua homeostase. Estas adversidades podem ser de caráter biótico ou abiótico e são comumente denominados de estresse. Dentre as diversas enzimas envolvidas no metabolismo vegetal, daremos destaque as catalases, definidas como proteínas homo-tetraméricas, composta por quatro subunidades idênticas de 60 kDa com um único grupo ferriprotoporfirina (Heme) em cada subunidade (Zamock e Koller, 1999). Podendo ser considerada uma importante classe de proteínas relacionadas a injúria a que o vegetal é submetido. Esta enzima decompõe H2O2 produzido em plantas durante o funcionamento normal da atividade metabólica e a um nível elevado e sob várias condições de estresse abióticos Com o intuito de alavancar e elucidar de forma confiável informações que possam está vinculadas ao estresse em que as plantas estão submetidas, trazemos a premissa de que com a obtenção e participação de instrumentos como anticorpos específicos para confirmar a expressão da enzima. Atualmente, a aquisição de forma nacional de insumos relacionados a essa área vegetal é custosa, tornando a pesquisa muitas vezes dispendiosa. Com os anticorpos anti-CAT, não é diferente, sua aquisição mostra-se muito dispendiosa. Desta forma, em nosso estudo visamos a sua obtenção através da metodologia proposta com o intuito de valorizar e proporcionar uma forma de detectar níveis de expressão da catalase, e assim auxiliar os produtores na detecção de cultivares que possam está se mostrando tolerantes ao estresse, além de ser um viés que visa baratear e viabilizar a pesquisa com sua utilização.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Letícia C. Benitez - Integrante / SIBELE BORSUK - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos, Descrição: Lectinas são proteínas que se ligam com afinidade a resíduos de glicídios e assim com capacidade de aglutinar células e precipitar glicoconjugados. Essas proteínas são importantes porque estão envolvidas no processo de reconhecimento celular e sinalização em diversas vias metabólicas. É um grupo heterogêneo de proteínas encontrado em plantas, animais e microrganismos, que possuem pelo menos um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a específicos mono-ou oligossacarídeos. A gama de lectinas e respectivas atividades biológicas não é surpreendente, dada a imensa diversidade e complexidade das estruturas dos carboidratos e os múltiplos modos de interação com proteínas. Tecnologia do DNA recombinante tem sido usada para a clonagem e caracterização de lectinas recém descobertas. Também tem sido utilizada como um meio de produção de lectinas puras e sequencia definidas para diferentes aplicações biotecnológicas. Esta avaliação incide sobre a produção de lectinas recombinantes em organismos heterólogos, destacando-se os sistemas de expressão Escherichia coli e Pichia pastoris, que são os mais utilizados. A escolha do hospedeiro de expressão depende da lectina. Por isso, lectinas recombinantes não glicosiladas são produzidas preferencialmente em E. coli e lectinas recombinantes que necessitam de modificações pós-translacionais são produzidos em organismos eucariotos, principalmente P. pastoris. A ênfase é dada às aplicações das lectinas recombinantes especialmente (a) no diagnóstico e/ou terapêutica do câncer, (b) na atividade antibacteriana, (c) como antivirais, (d) e antifúngicas e (e) na regeneração de tecidos. A produção recombinante ajudará a desvendar os mecanismos biológicos complexos de glico-interações, trazendo as lectinas recombinantes para a vanguarda da glicobiologia. Em conclusão, as lectinas recombinantes podem ser ferramentas biossintéticas valiosas para a pesquisa biomédica.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Carlos Alberto Gadelha - Integrante / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / Tatiane Santi-Gadelha - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Ana L Muccillo-Baish - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 9

  • 2014 - Atual

    Efeitos biológicos de lectinas nativas e recombinantes associadas a lipossomas no estudo da proliferação e diferenciação in vitro e in vivo., Descrição: Lectinas são proteínas que reconhecerem, de forma especifica e reversível, carboidratos ou glicoconjugados presentes nas células de diversos seres vivos. Estas proteínas têm sido associadas em diferentes eventos biológicos dentre eles reconhecimento, diferenciação celular e formação de órgãos. Em estudos anteriores, nosso grupo demonstra a ação de uma lectina na regeneração tecidual de camundongos, assim como outras lectinas tem sido mostrada. O presente projeto será desenvolvido com o objetivo de verificar a atividade biológica de outras lectinas nativas e recombinantes sobre a proliferação e diferenciação de células, visando sua aplicação em ensaios de cicatrização e regeneração tecidual. Para verificar a possível utilização de determinadas lectinas como insumos biotecnológicos na regeneração de tecidos, será realizado um ensaio in vitro com células indiferenciadas e linhagens de fibroblastos. A caracterização da ação destas lectinas será realizada com a análise por Real Time PCR para verificar a expressão de proteínas da proliferação celular. As lectinas serão associadas à nanocapsulas para verificar a ação destes nanocompósitos na proliferação celular e possível formação de tecidos específicos em camundongos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / CAROLINE RIZZI - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Vânia Rodrigues de Lima - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Número de produções C, T & A: 9

  • 2015 - Atual

    Obtenção de Anticorpos Anti-CAT A, B e C de Oryza sativa a partir da proteína recombinante visando detectar a enzima catalase envolvida no estresse abiótico, Descrição: O arroz pode ser considerado a terceira mercadoria mais produzida no mundo, sendo também o segundo cereal em produtividade, com aproximadamente 4,4 ton.ha-1, totalizando mais de 722 milhões de toneladas em todo o mundo. Em condições naturais ou de cultivo as plantas estão constantemente expostas a adversidades que causam interferência em sua homeostase. Estas adversidades podem ser de caráter biótico ou abiótico e são comumente denominados de estresse. Dentre as diversas enzimas envolvidas no metabolismo vegetal, daremos destaque as catalases, definidas como proteínas homo-tetraméricas, composta por quatro subunidades idênticas de 60 kDa com um único grupo ferriprotoporfirina (Heme) em cada subunidade (Zamock e Koller, 1999). Podendo ser considerada uma importante classe de proteínas relacionadas a injúria a que o vegetal é submetido. Esta enzima decompõe H2O2 produzido em plantas durante o funcionamento normal da atividade metabólica e a um nível elevado e sob várias condições de estresse abióticos Com o intuito de alavancar e elucidar de forma confiável informações que possam está vinculadas ao estresse em que as plantas estão submetidas, trazemos a premissa de que com a obtenção e participação de instrumentos como anticorpos específicos para confirmar a expressão da enzima. Atualmente, a aquisição de forma nacional de insumos relacionados a essa área vegetal é custosa, tornando a pesquisa muitas vezes dispendiosa. Com os anticorpos anti-CAT, não é diferente, sua aquisição mostra-se muito dispendiosa. Desta forma, em nosso estudo visamos a sua obtenção através da metodologia proposta com o intuito de valorizar e proporcionar uma forma de detectar níveis de expressão da catalase, e assim auxiliar os produtores na detecção de cultivares que possam está se mostrando tolerantes ao estresse, além de ser um viés que visa baratear e viabilizar a pesquisa com sua utilização.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Letícia C. Benitez - Integrante / SIBELE BORSUK - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Efeitos biológicos de lectinas nativas e recombinantes associadas a lipossomas no estudo da proliferação e diferenciação in vitro e in vivo., Descrição: Lectinas são proteínas que reconhecerem, de forma especifica e reversível, carboidratos ou glicoconjugados presentes nas células de diversos seres vivos. Estas proteínas têm sido associadas em diferentes eventos biológicos dentre eles reconhecimento, diferenciação celular e formação de órgãos. Em estudos anteriores, nosso grupo demonstra a ação de uma lectina na regeneração tecidual de camundongos, assim como outras lectinas tem sido mostrada. O presente projeto será desenvolvido com o objetivo de verificar a atividade biológica de outras lectinas nativas e recombinantes sobre a proliferação e diferenciação de células, visando sua aplicação em ensaios de cicatrização e regeneração tecidual. Para verificar a possível utilização de determinadas lectinas como insumos biotecnológicos na regeneração de tecidos, será realizado um ensaio in vitro com células indiferenciadas e linhagens de fibroblastos. A caracterização da ação destas lectinas será realizada com a análise por Real Time PCR para verificar a expressão de proteínas da proliferação celular. As lectinas serão associadas à nanocapsulas para verificar a ação destes nanocompósitos na proliferação celular e possível formação de tecidos específicos em camundongos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / CAROLINE RIZZI - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Vânia Rodrigues de Lima - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Número de produções C, T & A: 9

  • 2014 - Atual

    Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos, Descrição: Lectinas são proteínas que se ligam com afinidade a resíduos de glicídios e assim com capacidade de aglutinar células e precipitar glicoconjugados. Essas proteínas são importantes porque estão envolvidas no processo de reconhecimento celular e sinalização em diversas vias metabólicas. É um grupo heterogêneo de proteínas encontrado em plantas, animais e microrganismos, que possuem pelo menos um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a específicos mono-ou oligossacarídeos. A gama de lectinas e respectivas atividades biológicas não é surpreendente, dada a imensa diversidade e complexidade das estruturas dos carboidratos e os múltiplos modos de interação com proteínas. Tecnologia do DNA recombinante tem sido usada para a clonagem e caracterização de lectinas recém descobertas. Também tem sido utilizada como um meio de produção de lectinas puras e sequencia definidas para diferentes aplicações biotecnológicas. Esta avaliação incide sobre a produção de lectinas recombinantes em organismos heterólogos, destacando-se os sistemas de expressão Escherichia coli e Pichia pastoris, que são os mais utilizados. A escolha do hospedeiro de expressão depende da lectina. Por isso, lectinas recombinantes não glicosiladas são produzidas preferencialmente em E. coli e lectinas recombinantes que necessitam de modificações pós-translacionais são produzidos em organismos eucariotos, principalmente P. pastoris. A ênfase é dada às aplicações das lectinas recombinantes especialmente (a) no diagnóstico e/ou terapêutica do câncer, (b) na atividade antibacteriana, (c) como antivirais, (d) e antifúngicas e (e) na regeneração de tecidos. A produção recombinante ajudará a desvendar os mecanismos biológicos complexos de glico-interações, trazendo as lectinas recombinantes para a vanguarda da glicobiologia. Em conclusão, as lectinas recombinantes podem ser ferramentas biossintéticas valiosas para a pesquisa biomédica.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Carlos Alberto Gadelha - Integrante / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / Tatiane Santi-Gadelha - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Ana L Muccillo-Baish - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 9

  • 2015 - Atual

    Obtenção de Anticorpos Anti-CAT A, B e C de Oryza sativa a partir da proteína recombinante visando detectar a enzima catalase envolvida no estresse abiótico, Descrição: O arroz pode ser considerado a terceira mercadoria mais produzida no mundo, sendo também o segundo cereal em produtividade, com aproximadamente 4,4 ton.ha-1, totalizando mais de 722 milhões de toneladas em todo o mundo. Em condições naturais ou de cultivo as plantas estão constantemente expostas a adversidades que causam interferência em sua homeostase. Estas adversidades podem ser de caráter biótico ou abiótico e são comumente denominados de estresse. Dentre as diversas enzimas envolvidas no metabolismo vegetal, daremos destaque as catalases, definidas como proteínas homo-tetraméricas, composta por quatro subunidades idênticas de 60 kDa com um único grupo ferriprotoporfirina (Heme) em cada subunidade (Zamock e Koller, 1999). Podendo ser considerada uma importante classe de proteínas relacionadas a injúria a que o vegetal é submetido. Esta enzima decompõe H2O2 produzido em plantas durante o funcionamento normal da atividade metabólica e a um nível elevado e sob várias condições de estresse abióticos Com o intuito de alavancar e elucidar de forma confiável informações que possam está vinculadas ao estresse em que as plantas estão submetidas, trazemos a premissa de que com a obtenção e participação de instrumentos como anticorpos específicos para confirmar a expressão da enzima. Atualmente, a aquisição de forma nacional de insumos relacionados a essa área vegetal é custosa, tornando a pesquisa muitas vezes dispendiosa. Com os anticorpos anti-CAT, não é diferente, sua aquisição mostra-se muito dispendiosa. Desta forma, em nosso estudo visamos a sua obtenção através da metodologia proposta com o intuito de valorizar e proporcionar uma forma de detectar níveis de expressão da catalase, e assim auxiliar os produtores na detecção de cultivares que possam está se mostrando tolerantes ao estresse, além de ser um viés que visa baratear e viabilizar a pesquisa com sua utilização.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Letícia C. Benitez - Integrante / SIBELE BORSUK - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Prospecção de novas lectinas vegetais da região sul do Rio Grande do Sul e o estudo de sua atividade biológica visando a aplicação como insumos biotecnológicos, Descrição: Lectinas são proteínas que se ligam com afinidade a resíduos de glicídios e assim com capacidade de aglutinar células e precipitar glicoconjugados. Essas proteínas são importantes porque estão envolvidas no processo de reconhecimento celular e sinalização em diversas vias metabólicas. É um grupo heterogêneo de proteínas encontrado em plantas, animais e microrganismos, que possuem pelo menos um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a específicos mono-ou oligossacarídeos. A gama de lectinas e respectivas atividades biológicas não é surpreendente, dada a imensa diversidade e complexidade das estruturas dos carboidratos e os múltiplos modos de interação com proteínas. Tecnologia do DNA recombinante tem sido usada para a clonagem e caracterização de lectinas recém descobertas. Também tem sido utilizada como um meio de produção de lectinas puras e sequencia definidas para diferentes aplicações biotecnológicas. Esta avaliação incide sobre a produção de lectinas recombinantes em organismos heterólogos, destacando-se os sistemas de expressão Escherichia coli e Pichia pastoris, que são os mais utilizados. A escolha do hospedeiro de expressão depende da lectina. Por isso, lectinas recombinantes não glicosiladas são produzidas preferencialmente em E. coli e lectinas recombinantes que necessitam de modificações pós-translacionais são produzidos em organismos eucariotos, principalmente P. pastoris. A ênfase é dada às aplicações das lectinas recombinantes especialmente (a) no diagnóstico e/ou terapêutica do câncer, (b) na atividade antibacteriana, (c) como antivirais, (d) e antifúngicas e (e) na regeneração de tecidos. A produção recombinante ajudará a desvendar os mecanismos biológicos complexos de glico-interações, trazendo as lectinas recombinantes para a vanguarda da glicobiologia. Em conclusão, as lectinas recombinantes podem ser ferramentas biossintéticas valiosas para a pesquisa biomédica.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / Carlos Alberto Gadelha - Integrante / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / Tatiane Santi-Gadelha - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Ana L Muccillo-Baish - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 9

  • 2014 - Atual

    Efeitos biológicos de lectinas nativas e recombinantes associadas a lipossomas no estudo da proliferação e diferenciação in vitro e in vivo., Descrição: Lectinas são proteínas que reconhecerem, de forma especifica e reversível, carboidratos ou glicoconjugados presentes nas células de diversos seres vivos. Estas proteínas têm sido associadas em diferentes eventos biológicos dentre eles reconhecimento, diferenciação celular e formação de órgãos. Em estudos anteriores, nosso grupo demonstra a ação de uma lectina na regeneração tecidual de camundongos, assim como outras lectinas tem sido mostrada. O presente projeto será desenvolvido com o objetivo de verificar a atividade biológica de outras lectinas nativas e recombinantes sobre a proliferação e diferenciação de células, visando sua aplicação em ensaios de cicatrização e regeneração tecidual. Para verificar a possível utilização de determinadas lectinas como insumos biotecnológicos na regeneração de tecidos, será realizado um ensaio in vitro com células indiferenciadas e linhagens de fibroblastos. A caracterização da ação destas lectinas será realizada com a análise por Real Time PCR para verificar a expressão de proteínas da proliferação celular. As lectinas serão associadas à nanocapsulas para verificar a ação destes nanocompósitos na proliferação celular e possível formação de tecidos específicos em camundongos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luciano da Silva Pinto - Coordenador / André Luis Coelho da Silva - Integrante / Odir A Dellagostin - Integrante / André Alex Grassmann - Integrante / Frederico Schmitt Kremer - Integrante / CAROLINE RIZZI - Integrante / Cristiana Lima Dora - Integrante / Vânia Rodrigues de Lima - Integrante / Rafael Cagliari - Integrante / Laura JUQUEIRA DE CAMARGO - Integrante / Mara Andrade Colares Maia - Integrante / Amanda Silva Hecktheuer - Integrante., Número de produções C, T & A: 9

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2012

Primeiro Lugar na Modalidade Folder - Desafio Mural G-Biotec 2012, Centro de Desenvolvimento Tecnológico-Biotecnologia, UFPel.

2010

Premio Painel Iniciação Científica - 56 Congresso Brasileiro de Genética, Sociedade Brasileira de Genética.

2001

Certificate for distinguished presentation, INTERLEC 19.

1991

Ao Mérito, Ministério do Exército- Comando Militar do Sul, 6a Região- 8a Brigada de Infantaria MTZ.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade Federal de Pelotas, Centro de Desenvolvimento Tecnológico. , Campus Universitário s/n, Jardim América, 96080705 - Pelotas, RS - Brasil, Telefone: (53) 32757353, Ramal: 27, URL da Homepage:

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2015 - Atual

    Universidade Federal de Pelotas

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Membro do comitê gestor da Incubadora UFPel, Carga horária: 5

    Outras informações:
    Integra o comitê gestor da Incubadora de Base Tecnológica da UFPel - CONECTAR

  • 2015 - Atual

    Universidade Federal de Pelotas

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Membro do Conselho diretor da Fundação, Carga horária: 1

    Outras informações:
    Membro do Conselho Diretor da Fundação Delfim endes da Silveira Ato: Portaria nº 1.499, de 16 de novembro de 2015 Mandato: 16.11.2015 a 15.11.2017

  • 2014 - Atual

    Universidade Federal de Pelotas

    Vínculo: , Enquadramento Funcional: Membro do Conselho Universitário, Carga horária: 2

    Outras informações:
    Membro do Conselho Universitário da UFPel-CONSUN

  • 2012 - Atual

    Universidade Federal de Pelotas

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Coordenador de Curso de Graduação, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Coordenador de Graduação em Biotecnologia

  • 2010 - Atual

    Universidade Federal de Pelotas

    Vínculo: ufpel, Enquadramento Funcional: Professor adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

  • 2004 - 2005

    Laboratório Nacional de Computação Científica

    Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisador Bolsista DTI/7E, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

    Atividades

    • 05/2004 - 04/2005

      Pesquisa e desenvolvimento , Laboratório Nacional de Computação Científica, .,Linhas de pesquisa

  • 2001 - 2003

    Universidade Federal do Ceará

    Vínculo: bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Bolsista, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

    Atividades

    • 02/2001 - 05/2003

      Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências, Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular.,Linhas de pesquisa

  • 1988 - 2000

    Prefeitura Municipal de Pelotas

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Técnico de Laboratório, Carga horária: 30

    Atividades

    • 08/1989 - 09/2000

      Pesquisa e desenvolvimento , Departamento de Ação Sanitária, .,Linhas de pesquisa