Dayane Melo Campos

Bacharel em Fisioterapia pela Universidade Anhanguera (2014). Pós graduação Lato Sensu em Fisioterapia Intensiva pela Estácio de Sá e MBA Executivo em Saúde pela Faculdade Unyleya. Mestra em Ciências do Movimento pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e atua como servidora pública estadual.

Informações coletadas do Lattes em 04/05/2022

Acadêmico

Formação acadêmica

Mestrado em CIÊNCIAS DO MOVIMENTO

2019 - 2021

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Título: EFEITOS DO EXERCÍCIO FÍSICO AQUÁTICO NOS FATORES DE RISCO NEUROPSICOLÓGICOS DE QUEDAS EM IDOSOS DA COMUNIDADE: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO,Ano de Obtenção: 2021
Juliana Hotta Ansai.Coorientador: Glaucia Helena Gonçalves. Palavras-chave: idoso; Acidentes por quedas; Testes neuropsicológicos; Exercício aquático.

Especialização em andamento em Fisioterapia Intensiva

2014 - Atual

Faculdade Estácio de Sá - Campo Grande

Especialização em MBA Executivo em Saúde

2018 - 2021

Faculdade Unyleya
Título: Gestão em Saúde

Graduação em Fisioterapia

2012 - 2014

Centro Universitário Anhanguera
Título: PERFIL DA FRAGILIDADE EM IDOSOS
Orientador: Rodrigo Ré Poppi

Graduação em Tecnologia em Negócios Imobiliários

2010 - 2011

Universidade Católica Dom Bosco

Curso técnico/profissionalizante em Formação de Brigada de incêndio nível intermediário

2016 - 2016

Serviço em Segurança do Trabalho

Ensino Médio (2º grau)

2000 - 2001

Centro de Desenvolvimento Cultural

Formação complementar

2021 -

Extensão universitária em Curso Multiprofissional de Popularização da Ciência em Envelhecimento Human. (Carga horária: 44h). , Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS, Brasil.

2020 -

Curso de Comunicação e Escrita Científica. (Carga horária: 12h). , American Chemical Society, ACS PUBLICATIONS, Estados Unidos.

2020 -

Curso de Formação Inicial em REA (Recursos Educacionais Abertos. (Carga horária: 60h). , Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS, Brasil.

2020 -

CURSO DE ESTATÍSTICA. (Carga horária: 60h). , Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.

2018 -

Curso de Espanhol. (Carga horária: 180h). , Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul, IFMS, Brasil.

2021 - 2021

Vacinação. (Carga horária: 2h). , Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, SBGG-SP, Brasil.

2021 - 2021

Ciência e Pesquisa em Geriatria e Gerontologia. (Carga horária: 2h). , Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, SBGG-SP, Brasil.

2021 - 2021

Demência. (Carga horária: 2h). , Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, SBGG-SP, Brasil.

2021 - 2021

Da Sarcopenia à Fragilidade. (Carga horária: 2h). , Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, SBGG-SP, Brasil.

2019 - 2019

FISIOTERAPIA GERONTOLÓGICA. (Carga horária: 2h). , X Congresso de Geriatria e Gerontologia do Estado do Rio de Janeiro, GERIAT RIO, Brasil.

2019 - 2019

REDAÇÃO CIENTÍFICA. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS, Brasil.

2019 - 2019

WORKSHOP SARCOPENIA: TRADUZINDO O CONSENSO EUROPEU PARA A SUA PRÁTICA CLÍNI. (Carga horária: 2h). , X Congresso de Geriatria e Gerontologia do Estado do Rio de Janeiro, GERIAT RIO, Brasil.

2019 - 2019

SINTOMAS PSICOLÓGICOS E COMPORTAMENTAIS NA DEMÊNCIA: INTERVENÇÕES NÃO-FARMA. (Carga horária: 2h). , X Congresso de Geriatria e Gerontologia do Estado do Rio de Janeiro, GERIAT RIO, Brasil.

2018 - 2018

Licitações Sustentáveis - Turma 1/2018. (Carga horária: 20h). , Ministério das Cidades, CAPACIDADES, Brasil.

2018 - 2018

Elaboração e gerenciamento de projetos - EAD. (Carga horária: 20h). , Fundação Escola de Governo de MS, ESCOLAGOV, Brasil.

2018 - 2018

Gestão em Faturamento SUS. (Carga horária: 10h). , Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Maria Pedrossian, HR-MS, Brasil.

2018 - 2018

Gestão na Administração Pública. (Carga horária: 20h). , Fundação Escola de Governo de MS, ESCOLAGOV, Brasil.

2018 - 2018

Redação Oficial. (Carga horária: 20h). , Fundação Escola de Governo de MS, ESCOLAGOV, Brasil.

2017 - 2017

Extensão universitária em Língua Inglesa 2. (Carga horária: 45h). , Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, UEMS, Brasil.

2017 - 2017

Extensão universitária em Língua Inglesa 1. (Carga horária: 45h). , Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, UEMS, Brasil.

2017 - 2017

Legislação aplicada à logística de suprimentos. (Carga horária: 20h). , Fundação Escola de Governo de MS, ESCOLAGOV, Brasil.

2017 - 2017

Oratória. (Carga horária: 20h). , Fundação Escola de Governo de MS, ESCOLAGOV, Brasil.

2017 - 2017

Inglês Instrumental. (Carga horária: 20h). , Fundação Escola de Governo de MS, ESCOLAGOV, Brasil.

2016 - 2016

Extensão universitária em SUPERA-Sistema para detecção do uso abusivo e dependência de psicoativos. (Carga horária: 150h). , Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, Brasil.

2016 - 2016

Capacitação em capelania hospitalar. (Carga horária: 30h). , Comunidade Evangélica Aliança Cristã, CEAC, Brasil.

2015 - 2015

Extensão universitária em Urgência e Emergência. (Carga horária: 4h). , Centro Universitário Anhanguera, UNAES, Brasil.

2015 - 2015

Extensão universitária em Treinamento muscular respiratório na UTI. (Carga horária: 4h). , Centro Universitário Anhanguera, UNAES, Brasil.

2015 - 2015

Extensão universitária em Ventilação mecânica para fisioterapeutas e enfermeiros. (Carga horária: 4h). , Centro Universitário Anhanguera, UNAES, Brasil.

2015 - 2015

Curso de Ventilação Mecânica de A a Z. (Carga horária: 26h). , Faculdade Inspirar, INSPIRAR, Brasil.

2015 - 2015

Ética e serviço público. (Carga horária: 20h). , Fundação Escola de Governo de MS, ESCOLAGOV, Brasil.

2015 - 2015

Informática Excel Básico. (Carga horária: 20h). , Fundação Escola de Governo de MS, ESCOLAGOV, Brasil.

2015 - 2015

Atualização de Tomografia Computadorizada e Aparelhos de Raio X. (Carga horária: 3h). , Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Maria Pedrossian, HR-MS, Brasil.

2014 - 2014

Extensão universitária em Atuação da Fisioterapia na Unidade de Terapia Intensiva. (Carga horária: 4h). , Universidade Anhanguera - Uniderp, UNIDERP, Brasil.

2014 - 2014

Curso de oncologia por uma equipe multidisciplinar. (Carga horária: 40h). , Cursos da Saúde, CS, Brasil.

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Áreas de atuação

Grande área: Ciências da Saúde / Área: Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

Organização de eventos

CAMPOS, D. M. . 4 Congresso do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, "Atuação Transversal na Saúde : Profissional e Ensino". 2019. (Congresso).

CAMPOS, D. M. ; COSTA . 3 Congresso Estadual do Hospital Regional de MS - "Emergëncias médicas e Protocolos de Atendimento". 2018. (Congresso).

CAMPOS, D. M. ; JUNQUEIRA, S. L. S. ; DUARTE, H. H. ; BARBOSA, A. R. C. . I Encontro de Serviços de Atenção Domiciliar do Estado de Mato Grosso do Sul. 2016. (Outro).

SOUZA, D. B. ; CAMPOS, D. M. . 7ª Corrida e caminhada do Dia Internacional da Mulher. 2014. (Outro).

DOLDAN, F. J. R. ; CAMPOS, D. M. . III Volta UFMS 2013. 2013. (Outro).

Participação em eventos

XXII Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia. 2021. (Congresso).

XXII Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia. VARIABILIDADE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA AVALIADA PELO BIOFEEDBACK CARDIOEMOTION EM IDOSOS SEDENTÁRIOS. 2021. (Congresso).

"Plagiarismo e Similaridades em Trabalhos Acadêmicos ". 2020. (Outra).

8 edição da Jornada Acadêmica de Fisioterapia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. 2020. (Outra).

I Congresso Brasileiro Online de Saúde e Envelhecimento Humano - CONBRASEH. 2020. (Congresso).

Integra UFMS.Ocorrência de quedas, medo de cair e fatores relacionados em idosos sedentários da comunidade residentes em Campo Grande-MS. 2020. (Simpósio).

Integra UFMS.REGISTRO DA TAXA DE QUEDAS EM IDOSOS DA COMUNIDADE POR MEIO DE CALENDÁRIOS E TELEFONEMAS MENSAIS: RESULTADOS PRELIMINAR. 2020. (Simpósio).

Integra UFMS.ANÁLISE DOS FATORES COMPORTAMENTAIS, FUNCIONAIS E COGNITIVOS E QUEDAS DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS COM DEMÊNCIA E SUA EVOLUÇÃO EM 8 MESES: RESULTADOS PRELIMINARES. 2020. (Simpósio).

Integra UFMS.ADERÊNCIA A UM PROGRAMA DE HIDROTERAPIA E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSOS DA COMUNIDADE: RESULTADOS PARCIAIS. 2020. (Simpósio).

4 Congresso Estadual do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul ?Atuação Transversal na Saúde: Profissional e Ensino?. Contribuição para comunicação transversal em ambiente hospitalar. 2019. (Congresso).

71ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - SBPC. 2019. (Outra).

X Congresso de Geriatria e Gerontologia do Estado do Rio de Janeiro. 2019. (Congresso).

3 Congresso Estadual do Hospital Regional de MS. 2018. (Congresso).

2 Congresso Estadual do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul. 2017. (Congresso).

euConsigo Educação Financeira - Zetra. 2017. (Outra).

II Encontro dos Serviços de Atenção Domiciliar do Mato Grosso do Sul - Desospitalização. 2017. (Encontro).

1 Congresso Estadual do Hospital Regional MS. 2016. (Congresso).

Ação Solidária Adventista - Saúde na Terceira Idade.Importância de exercício físico na terceira idade. 2016. (Outra).

III Semana de Enfermagem - O potencial da enfermagem na micropolítica do SUS. 2016. (Seminário).

OMNIA 2016 - 12 Congresso Científico Internacional Brasil - Itália. Utilização da Escala de coma de Glasgow e Escala FOUR para avaliação do nível de consciência em pacientes hospitalizados em dois hospitais de alta complexidade da cidade de Campo Grande-MS. 2016. (Congresso).

Participação em pesquisa.Uso de tecnologias e qualidade de vida por profissionais e estudantes de saúde. 2016. (Outra).

Projeto gestão por competência.Projeto gestão por competência. 2016. (Outra).

Simpósio CCIH. 2016. (Simpósio).

Treinamento Sistema MV. 2016. (Oficina).

X Seminário de Promoção a vida e Prevenção ao suicídio do HUMAP/UFMS. 2016. (Seminário).

3 Simpósio Multiprofissional - Novos Caminhos a partir da Integração. 2015. (Simpósio).

Curso de matemática Financeira Básica. 2015. (Oficina).

Curso de Ventilação Mecânica de A a Z. 2015. (Oficina).

Curso Ética e Serviço Público. 2015. (Oficina).

Curso Excell. 2015. (Oficina).

Curso Treinamento Muscular Respiratório na UTI. 2015. (Oficina).

Curso Urgência e Emergência. 2015. (Oficina).

Curso Ventilação Mecânica para Fisioterapeutas e Enfermeiros. 2015. (Oficina).

I Congresso multidisciplinar da atenção primária em saúde da base de estudos do Pantanal. 2015. (Congresso).

Como tirar a vida de letra. 2014. (Outra).

Congresso Médico Cientifico Internacional Brasil/Itália - Omnia 2014. 2014. (Congresso).

Curso Atuação da Fisioterapia na unidade de terapia intensiva. 2014. (Oficina).

Curso de Oncologia por uma equipe multidisciplinar. 2014. (Outra).

II Encontro de Fisioterapia da Santa Casa de Campo Grande-ENFISC. 2014. (Encontro).

Seminário Sul mato grossense de Biologia aplicada a Saúde.As vias de reparo do DNA como alvos para a terapia do cancer. 2014. (Seminário).

2ª Jornada Acadêmica de Fisioterapia do Centro Universitário Anhanguera de Campo Grande. 2013. (Outra).

5ª Meia Maratona Internacional do Pantanal - Volta das Nações.Vivência profissional e acadêmica em treinamentos e atividades realizadas. 2013. (Outra).

Comissão julgadora das bancas

Juliana Hotta Ansai

ANSAI, J. H.; Andrade, L. P.; Takahashi, A. C.; MARTINEZ, P. F.; TACIRO, C.. EFEITOS DO EXERCÍCIO FÍSICO AQUÁTICO NOS FATORES DE RISCO NEUROPSICOLÓGICOS DE QUEDAS EM IDOSOS DA COMUNIDADE: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO. 2021. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Ciências do Movimento) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Juliana Hotta Ansai

ANSAI, J. H.; Andrade, L. P.; VERA, M. A. A.; MARTINEZ, P. F.. EFEITOS DA HIDROTERAPIA NOS FATORES DE RISCO NEUROPSICOLÓGICOS DE QUEDAS EM IDOSOS SEDENTÁRIOS DA COMUNIDADE: UM ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO. 2020. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em Ciências do Movimento) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Paula Felippe Martinez

ANSAI, J. H.; ANDRADE, L. P.; VERA, M. A. A.;MARTINEZ, P. F.. Efeitos da hidroterapia nos fatores de risco neuropsicológicos de quedas em idosos sedentários da comunidade: um ensaio clínico randomizado. 2020. Exame de qualificação (Mestrando em Ciências do Movimento) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Larissa Pires de Andrade

CAMPOS, D. M.; ANSAI, J. H.; TAKAHASHI, A. C. M.;ANDRADE, LARISSA PIRES DE. "EFEITOS DO EXERCÍCIO FÍSICO AQUÁTICO NOS FATORES DE RISCO NEUROPSICOLÓGICOS DE QUEDAS EM IDOSOS DA COMUNIDADE: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO".. 2021. Dissertação (Mestrado em CIÊNCIAS DO MOVIMENTO) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Larissa Pires de Andrade

ANSAI, J. H.;PIRES DE ANDRADE, LARISSA; AVILA, M.. "EFEITOS DA HIDROTERAPIA NOS FATORES DE RISCO NEUROPSICOLÓGICOS DE QUEDAS EM IDOSOS SEDENTÁRIOS DA COMUNIDADE: UM ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO". 2020. Exame de qualificação (Mestrando em CIÊNCIAS DO MOVIMENTO) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Mariana Arias Avila Vera

ANDRADE, L. P.;AVILA, M. A.; ANSAI, J. H.. EFEITOS DA HIDROTERAPIA NOS FATORES DE RISCO NEUROPSICOLÓGICOS DE QUEDAS EM IDOSOS SEDENTÁRIOS DA COMUNIDADE: UM ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO. 2020. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Anielle Cristhine de Medeiros Takahashi

ANSAI, J. H.;Takahashi, anielle crhistine de medeiros; ANDRADE, L. P.. "EFEITOS DO EXERCÍCIO FÍSICO AQUÁTICO NOS FATORES DE RISCO NEUROPSICOLÓGICOS DE QUEDAS EM IDOSOS DA COMUNIDADE: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO". 2021. Dissertação (Mestrado em CIÊNCIAS DO MOVIMENTO) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Orientou

Ianne Souza

Efeitos da hidroterapia nas quedas e medo de cair em idosos da comunidade: ensaio clínico randomizado; 2019; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Fisioterapia) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; Orientador: Dayane Melo Campos;

Produções bibliográficas

  • CAMPOS, D. M. ; FERREIRA, D. L. ; GONCALVES, G. H. ; FARCHE, A. C. S. ; OLIVEIRA, J. C. ; ANSAI, J. H. . Effects of Aquatic Physical Exercise on Neuropsychological Factors in Older People: A Systematic Review.. ARCHIVES OF GERONTOLOGY AND GERIATRICS , v. 96, p. 104435, 2021.

  • IZZO, TAMIRES FERRI ; CANDANEDO, MARIA JUANA BEATRIZ LIMA ; HIGUTI, ALINE YUMI ; CORRÊA, LUCAS MAGALHÃES ; CAMPOS, DAYANE MELO ; ANSAI, JULIANA HOTTA . Immediate physiological effects of listening to music before physical exercise in institutionalized older people with dementia. FISIOTERAPIA E PESQUISA , v. 28, p. 308-317, 2021.

  • LEMES FERREIRA, DANIELA ; MELO CAMPOS, DAYANE ; VASSIMON-BARROSO, VERENA ; CERUTTI DE OLIVEIRA, JESSICA ; SOUSA SOUZA, IANNE ; CHRISTOFOLETTI, GUSTAVO ; HOTTA ANSAI, JULIANA . Aquatic exercise training for falls and potentially modifiable risk factors of falls in older people: A blinded randomized controlled trial protocol. European Journal of Integrative Medicine , v. 39, p. 101214, 2020.

  • MELO CAMPOS, DAYANE ; JANDUCCI, ANA LUÍSA ; HOTTA ANSAI, JULIANA ; C DA SILVA, NATHANY ; LEMES FERREIRA, DANIELA ; CHRISTOFOLETTI, GUSTAVO . EFEITOS DA INTERVENÇÃO AQUÁTICA SOBRE A MOBILIDADE EM IDOSOS SEDENTÁRIOS DA COMUNIDADE - RESULTADOS PRELIMINARES. RBCEH. REVISTA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS DO ENVELHECIMENTO HUMANO , v. 17, p. 110-110, 2020.

  • NOVAES, A. D. C. ; ANSAI, J. H. ; ZANARELLI, P. ; JANDUCCI, A. L. ; CAMPOS, D. M. . Monitoramento: ferramenta de gestão individual. In: Juliana Hotta Ansai; Areta Dames Cachapuz Novaes; Ana Luísa Janducci; Paloma Zanarelli; Grazielle Ferreira Iroldi.. (Org.). Ações educativas: estímulo à mobilidade de idosos institucionalizados. 1ed.São Carlos: RiMa Editora, 2020, v. 1, p. 56-64.

  • ANSAI, J. H. ; ZANARELLI, P. ; GRATAO, A. C. M. ; CAMPOS, D. M. . Ações Educativas: importância da educação. In: Juliana Hotta Ansai; Areta Dames Cachapuz Novaes; Ana Luísa Janducci; Paloma Zanarelli; Grazielle Ferreira Iroldi. (Org.). Ações educativas: estímulo à mobilidade de idosos institucionalizados. 1ed.São Carlos: RiMa Editora, 2020, v. 1, p. 29-33.

  • CAMPOS, D. M. ; FELIPPE, L. A. . Perfil da Fragilidade em Idosos Participantes de um Centro de Convivência em Campo Grande-MS. Journal of Health Sciences, Londrina-PR, p. 224 - 228, 30 dez. 2016.

  • CAMPOS, D. M. ; SANTOS, L. K. ; FELIPPE, L. A. . Perfil da Fragilidade em Idosos. Revista Movimenta, Goiás-GO, p. 213 - 220, 07 jul. 2016.

  • CAMPOS, D. M. ; FERREIRA, D. L. ; OLIVEIRA, J. C. ; GONCALVES, G. H. ; ANSAI, J. H. . EFEITOS DO EXERCÍCIO FÍSICO AQUÁTICO SOBRE OS FATORES NEUROPSICOLÓGICOS EM IDOSOS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA.. In: V CONGRESSO INTERNACIONAL DE ESTUDOS DO ENVELHECIMENTO HUMANO, CIEEH, 2020, Passo Fundo. Congresso Internacional de Estudos do Envelhecimento Humano (5. : 2020 : Passo Fundo, RS). Passo Fundo: Passo Fundo: EDIUPF, 2020. v. 1. p. 449-502.

  • FERREIRA, D. L. ; CAMPOS, D. M. ; ANSAI, J. H. ; SOUZA, I. S. ; GONCALVES, G. H. . EFEITOS DO EXERCÍCIO AQUÁTICO SOBRE O MEDO DE CAIR EM IDOSOS DA COMUNIDADE.. In: XXII Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia, online, 2021, São Paulo. XXII Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia, 2021. v. 1. p. 698-698.

  • CAMPOS, D. M. ; FERREIRA, D. L. ; OLIVEIRA, J. C. ; SOUZA, I. S. ; GABBI, G. ; ANSAI, J. H. . VARIABILIDADE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA AVALIADA PELO BIOFEEDBACK CARDIOEMOTION EM IDOSOS SEDENTÁRIOS. In: XXII Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia, online, 2021, São Paulo. XXII Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia, 2021. v. 1. p. 708-708.

  • OLIVEIRA, J. C. ; ANSAI, J. H. ; CAMPOS, D. M. ; FERREIRA, D. L. ; GONCALVES, G. H. . REGISTRO DA TAXA DE QUEDAS EM IDOSOS DA COMUNIDADE POR MEIO DE CALENDÁRIOS E TELEFONEMAS MENSAIS: RESULTADOS PRELIMINARES.. In: Integra UFMS 2020, 2020, Campo Grande. Anais Integra UFMS 2020, 2020. p. 249-249.

  • SOUZA, I. S. ; CAMPOS, D. M. ; FERREIRA, D. L. ; ANSAI, J. H. ; BUSINARO, J. V. ; GONCALVES, G. H. . Ocorrência de quedas, medo de cair e fatores relacionados em idosos sedentários da comunidade residentes em Campo Grande-MS.. In: Integra UFMS 2020, 2020, Campo Grande. Anais Integra UFMS 2020, 2020. p. 581-581.

  • IZZ, T. F. ; ANSAI, J. H. ; HIGUT, A. ; CLEMENTE, R. C. ; FERREIRA, D. L. ; CAMPOS, D. M. ; BARBOSA, S. R. M. . ANÁLISE DOS FATORES COMPORTAMENTAIS, FUNCIONAIS E COGNITIVOS E QUEDAS DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS COM DEMÊNCIA E SUA EVOLUÇÃO EM 8 MESES: RESULTADOS PRELIMINARES. In: Integra UFMS 2020, 2020, Campo Grande. Anais Integra UFMS 2020, 2020. p. 308-308.

  • SILVA, N. C. ; FERREIRA, D. L. ; OLIVEIRA, L. S. ; CAMPOS, D. M. ; JANDUCCI, A. L. ; ANSAI, J. H. ; GONCALVES, G. H. . ADERÊNCIA A UM PROGRAMA DE HIDROTERAPIA E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSOS DA COMUNIDADE: RESULTADOS PARCIAIS.. In: Integra UFMS 2020, 2020, Campo Grande. Anais Integra UFMS 2020, 2020. p. 683-683.

  • CAMPOS, D. M. ; FELIPPE, L. A. ; POPPI, R. R. . FUNÇÕES EXECUTIVAS E FRAGILIDADE EM IDOSOS QUE PARTICIPAM DO CENTRO DE CONVIVÊNCIA DA TERCEIRA IDADE. In: VII SEMINÁRIO DE PESQUISA DA ESTÁCIO, 2015, Rio de Janeiro. VII Seminário de Pesquisa da Estácio.

  • CAMPOS, D. M. ; FELIPPE, L. A. ; POPPI, R. R. . Funções executivas e fragilidade em idosos que participam do centro de convivência do idoso. In: III Jornada de iniciação científica da UNESA, 2015, Rio de Janeiro. Seminário de Pesquisa da Estácio, 2015.

  • CAMPOS, D. M. ; FELIPPE, L. A. ; POPPI, R. R. . Funções Executivas e Fragilidade de idosos que participam de centro de convivência da terceira idade. In: 1 congresso Multidisciplinar da Atenção Primária em saúde da base Estudos do Pantanal, 2015, Campo Grande. 1 congresso Multidisciplinar da Atenção Primária em saúde da base Estudos do Pantanal, 2015.

  • CAMPOS, DAYANE MELO ; FERREIRA, DANIELA LEMES ; GONÇALVES, GLAUCIA HELENA ; FARCHE, ANA CLAUDIA SILVA ; DE OLIVEIRA, JÉSSICA CERUTTI ; ANSAI, JULIANA HOTTA . Effects of Aquatic Physical Exercise on Neuropsychological Factors in Older People: A Systematic Review. ARCHIVES OF GERONTOLOGY AND GERIATRICS , 2021.

  • IZZO, T. F. ; CORREA, L. M. ; ANSAI, J. H. ; HIGUT, A. ; CAMPOS, D. M. . EFEITOS CARDIOVASCULARES DO EXERCÍCIO FÍSICO E MÚSICA EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS COM DEMÊNCIA. Revista Fisioterapia e Pesquisa , 2020.

  • CAMPOS, D. M. ; GERASSI, R. ; MACHADO, Y. O. ; HOTTA ANSAI, JULIANA . Estímulos à mobilidade em idosos institucionalizados. 2021. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • CAMPOS, D. M. ; FLORIDO, J. V. B. ; TOLEDO, L. ; ANSAI, J. H. . Estímulos à mobilidade em idosos institucionalizados. 2021. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • CAMPOS, D. M. ; SANTOS, E. C. . Contribuição para comunicação transversal em ambiente hospitalar. 2019. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • CAMPOS, D. M. ; ANSAI, J. H. . Efeitos da hidroterapia nos fatores de risco neuropsicológicos de quedas em idosos sedentários da comunidade: um ensaio clínico randomizado. 2019. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • CAMPOS, D. M. ; SANTOS, L. K. ; FELIPPE, L. A. . Utilização da Escala de coma de Glasgow e Escala FOUR para avaliação do nível de consciência em pacientes hospitalizados em dois hospitais de alta complexidade da cidade de Campo Grande MS. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • CAMPOS, D. M. ; FELIPPE, L. A. ; ALMEIDA, D. A. ; BRAGA, W. G. ; RODRIGUES, S. C. . Percepção e indicação de fisioterapia pelos obstetras durante o período gestacional, pré-parto e puerpério. 2016. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • CAMPOS, D. M. . Prevenção de Quedas. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • CAMPOS, D. M. ; FELIPPE, L. A. ; POPPI, R. R. . Funções executivas e fragilidade de idoso que participam de centro de convivência da terceira idade. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • CAMPOS, D. M. ; FELIPPE, L. A. ; POPPI, R. R. . Funções executivas e fragilidade em idosos que participam de Centro de Convivência da Terceira Idade. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • CAMPOS, D. M. . PERFIL DA FRAGILIDADE EM IDOSOS. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Outras produções

CAMPOS, D. M. ; SANTOS, E. C. . Proposta de Implantação de sala de situação com foco na gestão orientada para resultados no Hospital Regional de MS. 2018.

CAMPOS, D. M. ; SANTOS, E. C. ; DAVID, A. M. . Proposta de implantação do Serviço de Atendimento Desburocratizado ao Cidadão (Sadec) nas instituições públicas do Poder Executivo Estadual. 2018.

Projetos de pesquisa

  • 2019 - Atual

    EFEITOS DA HIDROTERAPIA NOS FATORES DE RISCO NEUROPSICOLÓGICOS DE QUEDAS EM IDOSOS SEDENTÁRIOS DA COMUNIDADE: UM ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO, Descrição: O envelhecimento é um processo dinâmico, progressivo e contínuo, acompanhado pelo declínio no processamento da informação, funções executivas, memória e raciocínio. O cérebro é o órgão do corpo que tem menor grau de envelhecimento, devido sua capacidade de alterar e reorganizar em resposta à aprendizagem e ao processo de regeneração para compensar as perdas. Os efeitos diretos da atividade física sobre a cognição, pois estimula a circulação sanguínea cerebral e o crescimento neuronal, reduz o acúmulo de radicais livres, preserva a plasticidade neuronal e aumenta as sinapses. Podem contribuir como mais um fator de proteção para o declínio cognitivo. Espera-se que atividade física em água melhore não apenas a função motora, mas os fatores de risco neuropsicológico. Treinar habilidades físicas e cognitivas, com exercícios multicomponentes de dupla tarefa para um aprendizado sequencial em comparação ao Grupo Controle. E após o destreino em curto prazo, que haja manutenção das medidas nesta população.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) Doutorado: (2) . , Integrantes: Dayane Melo Campos - Integrante / Juliana Hotta Ansai - Coordenador / Daniela Lemes Ferreira - Integrante / Glaucia Helena Gonçalves - Integrante.

  • 2019 - Atual

    Fatores comportamentais, funcionais e cognitivos e os efeitos do exercício físico associado à música em idosos institucionalizados com demência, Descrição: Os efeitos do estímulo cognitivo de música, assim como os efeitos do exercício físico trabalhado de forma isolada, vem sendo estudados para melhora ou manutenção do quadro demencial. Há uma escassez de trabalhos voltados ao exercício físico combinado à música em idosos institucionalizados com demência. O entendimento do treinamento associado pode oferecer aos profissionais uma ferramenta útil para facilitar a comunicação e a interação com idosos com demência, assim como uma opção de intervenção para manutenção funcional em idosos com quadros mais avançados. Objetivo: Verificar os efeitos do treinamento de exercício físico associado à música sobre aspectos comportamentais, funcionais e cognitivos de idosos institucionalizados com demência; identificar distúrbios comportamentais, funcionais e cognitivos nestes idosos; e avaliar mudanças comportamentais durante/após o exercício físico associado ou não à música de idosos institucionalizados com demência. Método: Será realizado um ensaio clínico randomizado com idosos institucionalizados com diagnóstico de demência. Os participantes serão distribuídos em dois grupos (Treinamento sem música, Treinamento com música). O Grupo Treinamento sem música realizará uma série de exercícios leves, de duração 25 a 30 minutos por sessão, com foco principal de manter/melhorar a mobilidade dos idosos. O Grupo Treinamento com música será submetido inicialmente a um estímulo cognitivo com música. Os idosos ouvirão três músicas marcantes para eles e ligadas a lembranças positivas, indicantes por um informante próximo. Após o estímulo cognitivo, os participantes farão os mesmos exercícios do Grupo Treinamento sem música. As intervenções serão realizadas uma vez por semana, padronizadas em um único período (manhã), e durarão 12 semanas. A avaliação consistirá em anamnese, medidas comportamentais (medidas cardiovasculares, avaliação de expressões faciais, participação no exercício e Inventário Neuropsiquiátrico), funcionais (Índice de Barthel e a Escala de Performance Paliativa) e cognitivas (Mini-Exame do Estado Mental e teste de Fluência Verbal). Para análises de dados por intenção de tratamento, será adotado um nível de significância de = 0,05 e para execução dos testes estatísticos será utilizado o software SPSS (20.0). Espera-se com a pesquisa traçar o perfil comportamental, funcional e cognitivo de idosos institucionalizados a fim de facilitar e nortear futuras ações. Ainda, espera-se que haja mudanças comportamentais positivas durante/após as sessões de exercício físico associado à música; que o Grupo treinamento com música apresente efeitos positivos nos fatores comportamentais em comparação ao Grupo treinamento sem música; e que haja uma manutenção funcional e cognitiva nos dois grupos. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Dayane Melo Campos - Integrante / Juliana Hotta Ansai - Coordenador / Daniela Lemes Ferreira - Integrante / Suzi Rosa Miziara Barbosa - Integrante / Tamires Ferri Izzo - Integrante / Lucas Magalhães Corrêa - Integrante.

  • 2019 - Atual

    Efeitos da hidroterapia nas quedas e medo de cair em idosos da comunidade: ensaio clínico randomizado, Descrição: As quedas apresentam grande prevalência em idosos, sendo relacionadas a um maior grau de incapacidade física, inaptidão física, maior número de patologias e polifarmácia, dentre outros fatores. Causadas por múltiplos fatores: como biológicos, comportamentais, ambientais e socioeconômicos, tendo como consequências lesões na cabeça, ferimentos graves, ansiedade, depressão e o chamado ?medo de cair?. Os exercícios em água promovem melhora na saúde física e psicológica em idosos com histórico de queda e medo de cair, por causar instabilidade que estimula o controle postural. Objetivo: Verificar os efeitos da Hidroterapia sobre quedas e medo de cair após 16 semanas de treinamento e 6 semanas de destreino e Comparar o Grupo Hidroterapia com o Grupo Controle sobre taxas de quedas e medo de cair após 16 semanas de treinamento e 6 semanas de destreino. Métodos: Este estudo constituirá um ensaio clínico controlado randomizado, unicêntrico, grupo paralelo (Grupo Hidroterapia e Grupo Controle), em três momentos de avaliação (m1 = inicial, m2 = após 16 semanas de treinamento e m3 = após 6 semanas de destreino). A prática acontecerá na Clínica Escola Integrada (CEI), da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Os critérios de inclusão serão: capacidade de deambular sozinho com ou sem meio de auxílio à marcha e comparecer no local de treinamento (CEI/UFMS) duas vezes por semana. Serão coletados os dados clínicos contendo idade, sexo, uso de medicação, presença de morbidades, uso de óculos multi ou bifocal, uso de meio de auxílio (dentro/fora do domicílio), índice de massa corporal (IMC), medo de cair e histórico de quedas. As quedas e ao medo de cair serão avaliados por meio da Escala de Eficácia de Quedas - Internacional, calendário de quedas e telefonemas mensais. O grupo alocado para hidroterapia fará 16 semanas de intervenção, com duas sessões por semana de 1 hora cada, em dias não consecutivos. Cada sessão será composta com aquecimento; exercícios de resistência, equilíbrio e aeróbico e finaliza com desaquecimento. Para aumento da sobrecarga, serão utilizados aquatubos, pranchas, caneleiras, além de nível de imersão, área de superfície, velocidade de movimento, amplitude de movimento e turbulência. Após 16 semanas de treinamento, os participantes serão submetidos a 6 semanas de destreino. Resultados esperados: O estudo busca mostrar os efeitos positivos da hidroterapia no medo de cair e no índice de quedas do grupo experimental em relação ao grupo controle, em idosos da comunidade. Reduzindo o índice de quedas, trazendo mais equilíbrio e segurança, haverá melhora na funcionalidade, oferecendo dessa forma uma ferramenta aos profissionais para a melhora na qualidade de vida biopsicossocial dos idosos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Dayane Melo Campos - Integrante / Juliana Hotta Ansai - Coordenador / Ianne Sousa de Souza - Integrante / Glaucia Helena Gonçalves - Integrante.

  • 2019 - Atual

    Aderência de um protocolo de Hidroterapia em Idosos da Comunidade, Descrição: Introdução: De uma população predominante jovem em um passado nem tão distante, observa-se, nos dias atuais, uma ordem crescente de pessoas com 60 anos ou mais de idade. Com isso, surge a necessidade cada vez maior da busca por hábitos que possam agregar qualidade aos anos adicionais de vida e um dos componentes para ter uma boa qualidade de vida é a prática de exercício físico que além de combater o sedentarismo, contribui de maneira significativa para a manutenção da aptidão física do idoso, seja na sua vertente da saúde, como nas capacidades funcionais. Outro benefício promovido pela prática de exercícios é a melhora das funções orgânicas e cognitivas, garantindo maior independência pessoal e prevenindo doenças. Dentre inúmeros tipos de atividade física, a hidroterapia pode ser um grande aliado no tratamento das disfunções físicas comuns do envelhecimento, sendo um ambiente com poucos efeitos adversos. A atividade física só proporcionará os devidos benefícios, se realizada de forma contínua e correta. Sendo assim, tão importante quanto investigar os benefícios proporcionados por essas práticas, é compreender como manter essa população engajada nessa modalidade. Objetivo: verificar a aderência ao treinamento de hidroterapia em 16 semanas de idosos da comunidade e fatores sociodemográficos e clínicos que influenciam na aderência satisfatória. Métodos: Será realizado um ensaio clínico controlado randomizado, unicêntrico, constituído por dois grupos (Grupo Hidroterapia e Grupo Controle), em dois momentos de avaliação sendo o momento inicial e após 16 semanas de treinamento. Após anamnese que constará também nível de atividade física, medidas neuropsicológicas e mobilidade, serão aplicados os testes ACE-R para avaliar a cognição, o GDS para sintomas comportamentais, a FES-I que avalia o medo de cair adaptado para idosos e o teste Timed Up and Go para avaliar a mobilidade. Ao final do treinamento será realizado um questionário avaliando de forma objetiva os fatores que podem contribuir para aderência ao tratamento. O Grupo controle não realizará qualquer intervenção, já o Grupo Hidroterapia terá um tratamento com duração de 16 semanas, com duas sessões por semana com duração de uma hora em dias não consecutivos envolvendo exercícios de aquecimento; resistência e ativação muscular dos principais grupos musculares de tronco e membros inferiores; atividades de equilíbrio; de resistência aeróbia e desaquecimento. Para as analises, será adotado um nível de significância de = 0,05 e para execução dos testes estatísticos será utilizado o software SPSS (18.0). Para verificar a distribuição dos dados será aplicado o teste de normalidade Kolmogorov-Smirnov e para verificar os fatores sociodemográficos e clínicos que influenciam na aderência será utilizada a analise de regressão logística bivariada. Resultados esperados: espera-se obter resultados precisos dos fatores que influenciam na adesão dos idosos da comunidade ao tratamento de hidroterapia, proporcionando um maior interesse futuro nessa modalidade. Palavras-chave: idoso, exercício físico, hidroterapia, aderência.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Dayane Melo Campos - Integrante / Juliana Hotta Ansai - Coordenador / Gabriela Gabbi - Integrante / Ianne Sousa de Souza - Integrante / Jéssica Cerutti de Oliveira - Integrante / Daniela Lemes Ferreira - Integrante.

  • 2015 - Atual

    Utilização da Escala de Coma de Glasgow e Escala Four para avaliação do nível de consciência em pacientes hospitalizados em dois hospitais de alta complexidade da cidade de Campo Grande ? MS, Descrição: Sistemas de Classificação de Pacientes com medidas de diferentes variáveis têm sido implementados na prática, contribuindo para a assistência das unidades hospitalares, no entanto, para que os sistemas de classificação sejam confiáveis, é imprescindível que os instrumentos de medida que lhes dão sustentação sejam de fácil aplicação, abrangentes, precisos e válidos. Os tratamentos emergenciais de pacientes com um quadro clínico severo, geralmente incluem intubação e sedação pré-hospitalar, fatores que comprometem a acurácia da mensuração em se obter escores da Escala de Coma de Glasgow (ECG). O nível de consciência é um aspecto importante que deve ser valorizado, uma vez que, determina alterações no estado da função cerebral. Apesar de ser amplamente utilizada, a ECG apresenta falhas ou limitações, entre elas a impossibilidade de avaliar a pontuação verbal em paciente intubado ou afásico, comumente encontrado nas unidades de tratamento intensivo8, e exclui a avaliação dos reflexos do tronco cerebral, principalmente em pacientes internados devido a trauma, os quais possivelmente terão seus reais valores subestimados, de forma que os profissionais da saúde criam por si só padrões de pontuações sem estarem descritas na literatura ou sem o consenso de toda a equipe, a exemplo de adotar como norma a pontuação 1 (um), quando há situações impeditivas, e registrar o tipo de impedimento, tem sido uma das alternativas usadas na prática clínica, por identificar objetivamente o que ocasionou aquele escore. Dentre todas as escalas desenvolvidas com o propósito de substituir a ECG, a escala FOUR é a que até o momento tem poucas críticas quanto ao seu uso. Ela é um bom preditor de prognóstico em pacientes graves, tem vantagens importantes sobre a ECG, todos os componentes da FOUR podem ser classificados mesmo em pacientes intubados, sedados ou em delírio, uma vez que não depende de uma resposta verbal, bem como não há a necessidade de atribuir pontuação substituta, tendo a capacidade de identificar mudanças sutis na alteração da consciência. A proposta apresentada pelo presente estudo é relacionar a Escala de Como de Glasgow e a escala Four, identificando a abrangência e eficácia de cada escala na avaliação do nível de consciência de pacientes com limitações distintas.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Especialização: (2) Doutorado: (1) . , Integrantes: Dayane Melo Campos - Integrante / Lilian Assunção Felippe - Coordenador / Luana Karen dos Santos - Integrante.

  • 2015 - Atual

    Estimulação das funções executivas, concentração e diminuição da ansiedade através da musicoterapia em pacientes com doença neurodegenerativa, Descrição: A música está diretamente ligada à plasticidade cerebral, quando são analisados cérebros de músicos e não músicos, ainda é apontado que a música pode melhorar capacidades cognitivas, dentre elas linguagem e memória, já que as áreas cerebrais que processam a música não são especializadas somente para ela, mas abarcam outras funções cognitivas. A música tem importante atuação nas funções cognitivas contribuindo diretamente para o envelhecimento ativo, pois proporciona aos idosos um contato com seu poder criativo, com suas potencialidades, memórias e histórias de vida, fortalecendo sua identidade e autoestima. A doença de Parkinson, patologicamente, é uma síndrome clínica degenerativa e progressiva do sistema nervoso central, caracterizada pela perda dos neurônios dopaminérgicos da substância negra compacta, causando a redução dos níveis de dopamina do estriado. A doença de Alzheimer (DA) é a causa mais comum de demência em idosos, iniciando-se com déficit de memória curta, perda motora, dificuldade na fala e na expressão verbal, estabelecendo-se quadro de apatia. Com tudo, o objetivo desse trabalho é analisar a influência da audição musical nas funções executivas, na concentração e ansiedade em pacientes idosos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Dayane Melo Campos - Integrante / Lilian Assunção Felippe - Coordenador / Luana Karen dos Santos - Integrante / Fabiana Pereira Borges - Integrante / Fernanda Teixeira Furlan Chico - Integrante.

Prêmios

2018

XIII PRÊMIO SUL-MATO-GROSSENSE DE INOVAÇÃO NA GESTÃO PÚBLICA ? EDIÇÃO 2018, Fundação Escola de Governo de Mato Grosso do Sul.

Histórico profissional

Endereço profissional

  • Fundação Serviço de Saúde, Hospital Regional de Mato Grosso do Sul. , Avenida Engenheiro Luthero Lopes, 36, Conjunto Aero Rancho, 79084180 - Campo Grande, MS - Brasil, Telefone: (67) 33782500, Ramal: 2568, URL da Homepage:

Experiência profissional

2020 - Atual

Universidade Federal de São Carlos

Vínculo: , Enquadramento Funcional:

2016 - Atual

Faculdade Estácio de Sá - Campo Grande

Vínculo: , Enquadramento Funcional:

2015 - Atual

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Vínculo: , Enquadramento Funcional:

2015 - Atual

Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Maria Pedrossian

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Agente de Serviço Hospitalar

2015 - 2015

clínica reviver

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Fisioterapeuta/Hidroterapia, Carga horária: 30