Priscilla Calmon de Andrade

Mestre em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, na linha de pesquisa Tecnologias da Comunicação e Estética. Formada em Jornalismo na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES, 2012). Durante a graduação, dedicou-se a pesquisa Análise de Narrativas Multimidiáticas em Redes Sociais da Internet, no Laboratório de Imagem e Cibercultura (Labic), direcionada ao estudo do DataSet #Wikileaks e seus impactos nas redes a partir da categorização de tweets e vazamentos. Atualmente é pesquisadora do LAVITS: Rede Latino-Americana de Estudos Sobre Vigilância, Tecnologia e Sociedade. Áreas de pesquisa e interesse: ciberativismo, vigilância, análise de redes sociais, visualização de dados, big data, produção de subjetividades e tecnologias da comunicação.

Informações coletadas do Lattes em 25/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em Comunicação

2014 - 2016

Universidade Federal do Rio de Janeiro
Título: Atenção em rede no #ProtestoRJ: perspectivas e fluxos de conversação no Twitter,Ano de Obtenção: 2016
Orientador: Henrique Antoun
Coorientador: Fábio Luiz Malini de Lima. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.

Graduação em Jornalismo

2009 - 2012

Universidade Federal do Espírito Santo
Título: Narrativas controversas: as tramas emergentes da ciberguerra do Wikileaks
Orientador: Fábio Luiz Malini de Lima

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2011 - 2012

ESL - English as a Second Language Program. , Approach International Student Center, APPROACH, Estados Unidos.

2011 - 2011

Curso Inovação Digital e Redes Sociais ? Escola. (Carga horária: 18h). , Escola Superior de Propaganda e Marketing, ESPM, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

CALMON, P. . Anais do III Simpósio Internacional LAVITS: Vigilância, Tecnopolíticas, Territórios. 2015. (Outro).

CALMON, P. . XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. 2015. (Congresso).

CALMON, P. ; ABOUDIB, Luisa . Oficina de Criação Literária com o escritor Marcelino Freire. 2014. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. K-core do #ProtestoRJ: as propriedades hierárquicas em redes de larga escala1. 2015. (Congresso).

1º Seminário de Pesquisa em Comunicação.Narrativas emergentes: estudo da rede Mídia Ninja no Facebook e seus coletivos territorializantes. 2014. (Seminário).

A cidade e o levante da multidão. Conferência de Antonio Negri..A cidade e o levante da multidão. 2014. (Outra).

Chamada de Imagens Políticas Sobreviventes ? CHIPS.Chamada de Imagens Políticas Sobreviventes ? CHIPS. 2014. (Oficina).

ESOCITE / 4S Annual Meeting. Contágio entre as redes e as ruas: mapeando o #ProtestoRJ no Twitter. 2014. (Congresso).

VII Congresso de Estudantes de Pós-graduação em Comunicação. Biopolítica das multidões: a narrativa em rede construída pelo #ProtestoRJ. 2014. (Congresso).

VIII Simpósio Nacional da ABCiber COMUNICAÇÃO E CULTURA NA ERA DE TECNOLOGIAS MIDIÁTICAS ONIPRESENTES E ONISCIENTES.Mapeamento do Mídia Ninja: uma análise sobre as coletividades emergentes territorializantes no Facebook. 2014. (Simpósio).

Intercom Sudeste. Programa Geração Y: Laboratório de Produção Televisiva Experimental. 2012. (Congresso).

VI Simpósio Nacional da Abciber.O CASO CABLEGATE: A NARRATIVA COLABORATIVA CONSTRUÍDA PELA REDE EMERGENTE NO TWITTER. 2012. (Simpósio).

3° Encontro de Comunicação das Cooperativas Capixabas- OCB-ES. 2011. (Encontro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

José Antônio Martinuzzo

MARTINUZZO, J. A.; GOVEIA, Fadio G.; MALINI, F.. Narrativas controversas: as tramas emergentes da ciberguerra do #Wikileaks. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação Social - Jornalismo) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Antônio Cláudio Engelke Menezes Teixeira

TEIXEIRA, A. C. E. M.; ANTOUN, H.; LIMA, F. L. M.; BRUNO, F. G.. Regimes de Atenção em Rede: o estudo do #ProtestoRJ no Twitter. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Comunicação) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Henrique Antoun

ANTOUN, H.MALINI, Fabio; OLIVEIRA, Ivana Bentes; ANDREA, C. F. B. D.. Atenção em Rede no #ProtestoRJ: perspectivas e fluxos de conversação no Twitter. 2016. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Henrique Antoun

ANTOUN, H.MALINI, Fabio; BRUNO, Fernanda Glória. Regimes de Atenção em Rede: o estudo do #ProtestoRJ no Twtter. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Comunicação) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Ivana Bentes Oliveira

BENTES, I.. Atenção em Rede No #ProtestoRJ: perspectiva e fluxos de conservação no Twitter. 2016. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Henrique Antoun

Atenção em Rede no #ProtestoRJ: perspectivas e fluxos de conversação no Twitter; 2016; Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Henrique Antoun;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • CALMON, P. . K-core do #ProtestoRJ: as propriedades hierárquicas em redes de larga escala. In: Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2015, Rio de Janeiro. XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2015. v. XXXVII. p. 1-15.

  • CALMON, P. ; ANTOUN, H. . Expressões Ninjas: Uma cartografia da #MídiaNinja nas Redes Sociais. In: XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste, 2014, Vila Velha. XIX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste, 2014.

  • LIMA, F. L. M. ; CALMON, P. ; ABOUDIB, Luisa ; MEDEIROS, Jean ; ALOYSIO, Nelson . Mapeamento do Mídia Ninja: uma análise sobre as coletividades emergentes territorializantes no Facebook. In: VIII Simpósio Nacional da ABCiber, 2014, São Paulo. COMUNICAÇÃO E CULTURA NA ERA DE TECNOLOGIAS MIDIÁTICAS ONIPRESENTES E ONISCIENTES, 2014. v. 1. p. 1-15.

  • CALMON, P. . Biopolítica das multidões: A narrativa em rede construída pelo #ProtestoRJ. In: VII Congresso de Estudantes de Pós-graduação em Comunicação, 2014, Rio de Janeiro. VII Congresso de Estudantes de Pós-graduação em Comunicação, 2014. v. VII. p. 1-15.

  • CALMON, P. . As redes emergentes do Wikileaks: o estudo de estatísticas aplicadas ao Gephi. In: XVIII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste, 2013, Bauru. XVIII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste, 2013. v. 1. p. 1-15.

  • CALMON, P. ; CANCIAN, ALLAN . #Wikileaks: da publicação de documentos confidenciais à emergência da rede colaborativa no Twitter. In: Intercom Nacional, 2012, Fortaleza. XXXV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2012.

  • MIGNONI, Gabriela. ; CALMON, P. . Programa Geração Y: Laboratório de Produção Televisiva Experimental. In: Intercom ? Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, 2012, Ouro Preto. XIX Prêmio Expocom 2012 ? Exposição da Pesquisa Experimental em Comunicação, 2012. v. 14. p. 1-14.

  • LIMA, F. L. M. ; CANCIAN, ALLAN ; CALMON, P. . O CASO CABLEGATE: A NARRATIVA COLABORATIVA CONSTRUÍDA PELA REDE EMERGENTE NO TWITTER. In: VI Simpósio Nacional da Abciber - Entretenimento Digital, 2012, Novo Hamburgo. VI Simpósio Nacional da Abciber - Entretenimento Digital, 2012.

  • CALMON, P. ; BRUNO, F. G. ; ANTOUN, H. . Contágios entre redes e ruas: mapeando o #ProtestoRJ no Twitter. In: ESOCITE / 4S Annual Meeting., 2014, Buenos Aires. ESOCITE / 4S Annual Meeting - Society for Social Studies of Science, 2014.

  • MEDEIROS, Jean ; LIMA, F. L. M. ; CALMON, P. ; MALINI, Marianne . Multiple points of view in #VemPraRua ReTweets: the perspectival method of network analysis. In: 1st International Conference on Twitter for Research, 2014, Lyon. 1st International Conference on Twitter for Research, 2014.

  • CALMON, P. . Atenção em rede do #ProtestoRJ: emergência e captura no capitalismo cognitivo. In: VI Simpósio Nacional de Ciência, Tecnologia e Sociedade, 2015, Rio de Janeiro. VI ESOCITE.BRASIL/ TECSOC., 2015. v. VI.

  • CALMON, P. . K-core do #ProtestoRJ: as propriedades hierárquicas em redes de larga escala. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • CALMON, P. ; ANTOUN, H. ; BRUNO, F. . Contágios entre redes e ruas: mapeando o #ProtestoRJ no Twitter. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • LIMA, F. L. M. ; CALMON, P. ; MEDEIROS, Jean ; ABOUDIB, Luisa ; ALOYSIO, Nelson . Mapeamento do Mídia Ninja: uma análise sobre as coletividades emergentes territorializantes no Facebook. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • CALMON, P. . Biopolítica das multidões: A narrativa em rede construída pelo #ProtestoRJ. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • CALMON, P. ; ABOUDIB, Luisa . Narrativas emergentes: estudo da rede Mídia Ninja no Facebook e seus coletivos territorializantes. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • LIMA, F. L. M. ; CANCIAN, ALLAN ; CALMON, P. . O CASO CABLEGATE: A NARRATIVA COLABORATIVA CONSTRUÍDA PELA REDE EMERGENTE NO TWITTER. 2012. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

CALMON, P. . Campanha Política 'Renato Casagrande- Governo do Estado do Espírito Santo'. 2014.

CALMON, P. . Campanha Política 'Marcelo15 - Prefeitura Cariacica'. 2012.

FIRMINO, R. ; BRUNO, F. ; KANASHIRO, Marta ; CALMON, P. ; VARELA, G. ; BATISTA, Marcela . Anais do III Simpósio Internacional LAVITS: Vigilância, Tecnopolíticas, Territórios. 2015. (Editoração/Anais).

CALMON, P. ; MIGNONI, Gabriela. . Programa Geração Y. 2011.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2015 - Atual

    FORTALECIMENTO DO USO DOS DADOS DAS REDES SOCIAIS PARA A GESTÃO E ANÁLISE DE INFORMAÇÕES SOBRE DIREITOS HUMANOS NO BRASIL, Descrição: Trata-se do desenvolvimento de cartografias sobre a temática dos Direitos Humanos nas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram) no intuito de pesquisar como minorias como índigenas, mulheres, LGBT e negros são retratados em perfis dessas redes sociais para, então, mapearmos as violações de direitos humanos a essas minorias através da criação de relatórios de pesquisas e no desenvolvimento de aplicativo público para gestão e análise dos Direitos Humanos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Priscilla Calmon de Andrade - Integrante / Fábio Luiz Malini de Lima - Coordenador / Jean Maicon Medeiros - Integrante / Marianne Malini - Integrante / Fábio Goveia - Integrante / Milena Mangabeira - Integrante / Lucas Cypriano - Integrante / willian rufino - Integrante / Patrick Ciarelli - Integrante / Gustavo Rocha - Integrante.

  • 2015 - Atual

    O Big Data dos Protestos: Novas Perspectivas Metodológicas de Comunicação para a Análise do Papel das Redes Sociais nos Protestos Brasileiros Abertos a partir de junho de 2013, Descrição: A diferença dos protestos no Brasil: o #VemPraRua entre 2013 e 2015 Este trabalho busca analisar as perspectivas presentes nas redes de postagens no Twitter sobre os protestos brasileiros que utilizaram as hashtags #VemPraRua, entre junho de 2013 a agosto de 2015. Nesse período histórico, as ruas tornaram-se um espaço de disputa política entre setores neoconservadores e uma nova sociedade civil nacional, cujo antagonismo pode ser simbolizada em dois coletivos em rede: o Movimento Passe Livre (MPL) e o Movimento Brasil Livre (MBL). O estudo compara a evolucão mensal da agenda dos protestos, o discurso de cada agrupamento de atores políticos em rede e os principais HUBS convocatórios e mobilizadores das manifestações no Brasil. A análise recorre a 6 milhões de tweets e adota como método a combinação de modelagem de tópicos (para etiquetar os dados), learning machine (para processar os dados) e teoria dos grafos (para visualização dos dados). O trabalho se posiciona num campo inovador de estudos por analisar fenômenos sociais a partir de rastros digitais produzidos por interações humanas e robóticas nas redes.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Priscilla Calmon de Andrade - Integrante / Fábio Luiz Malini de Lima - Coordenador / Marianne Malini - Integrante / Fábio Goveia - Integrante / LORENA REGATTIERI - Integrante / Milena Mangabeira - Integrante / Luisa Perdigão - Integrante.

  • 2014 - Atual

    Mobilização, Mediação e Governamentalidade: o problema da democracia na cibercultura, Descrição: A questão é analisar as perturbações trazidas para a prática democrática através das transformações da mediação engendradas pela emergência da Web 2.0 na comunicação distribuída implicando em um vasto crescimento da mobilização política dos movimentos sociais. A profícua produção cultural através das interfaces colaborativas desenvolveu novas relações de si para consigo no campo estratégico de relações de poder no que elas tem de móvel, transformável, reversível. Em face das grandes mobilizações coletivas ocupando as praças e a metrópole do movimento Occupy, as profundas modificações no modo de veicular a informação introduzida pelo Wikileaks e a espetacularização do hacktivismo realizada pelos Anonymous, nos propusemos interrogar o sentido e o alcance destas mudanças nos processos de subjetivação alavancados pelas mediações digitais. O objetivo geral dessa pesquisa é compreender o nexo entre interfaces comunicacionais, transformação subjetiva e mobilização coletiva na atualidade. Para tanto vamos investigar os circuitos de comunicação distribuída e conversação coletiva a fim de construir a cartografia de revoltas e mobilizações sociais que são articuladas, difundidas e afirmadas nas plataformas da chamada web 2.0. O desenvolvimento desse estudo se articula assim com novas abordagens sobre a conformação do ativismo na contemporaneidade, o que inevitavelmente significa redirecionar o olhar para o uso da Internet como um importante campo de expressão do relacionamento de si para consigo mesmo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Priscilla Calmon de Andrade - Integrante / Fábio Luiz Malini de Lima - Integrante / Henrique Antoun - Coordenador / Giuliano Djahjah Bonorandi - Integrante / Janaína Dias de Castro Alves - Integrante / Elisa Ferreira Roseira Leonardi - Integrante / Carlos Roberto Calenti Trindade - Integrante / Bruno de Carvalho Stehling - Integrante / Daniela Cohen - Integrante / Paula Falcão de Souza - Integrante / Marina Gandra Camargo de Barros Oliveira - Integrante.

  • 2012 - 2013

    Cartografar as controvérsias na internet: os novos modos de protestos sociais e o uso de redes sociais da internet como novo território da prática política, Descrição: Este projeto busca pensar os inúmeros dispositivos que têm sido criados ou apropriados na web (twitter, plataformas de compartilhamentos diversas, cartografias e sistemas de visualização de dados e processos socio-culturais e políticos, certas redes sociais, experiências artísticas open source) e que de alguma forma podem ser lidos como tendo um parentesco com essas tecnologias de ação pública ou de públicos específicos e momentâneos. Uma pista interessante para pensar a ação pública e política nesses contextos, e também a passagem do privado ao público, do indivíduo ao coletivo, do eu ao nós. A advertência de que, assim como o eu, o nós não existe e está por vir, é, embora aparentemente óbvia, decisiva. A web, assim, apresenta-se como uma importante aliada do projeto de cartografia das controvérsias , tanto porque é um "reservatório" de ferramentas potenciais para cartografar controvérsias, quanto porque é um potente "suporte" para a disponibilização das cartografias. Mas a cartografia dessas controvérsias não pode estar isolada do debate sobre a história material da rede e das pessoas que a atravessam, para que não se corra o risco do mapeamento cair numa dimensão absolutamente psicologizante em que as associações são analisadas sem anteparo das condições históricas que as constituem. Assim essa pesquisa, no campo aplicado, a partir do método teórico de Bruno Latour, busca cartografar as controvérsias e os modos de conexões dos protestos globais que são articulados e difundidos através de uso de redes sociais, tentando compreender os novos modos de organização política em rede... , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Priscilla Calmon de Andrade - Integrante / Fábio Luiz Malini de Lima - Coordenador / ALLAN CANCIAN MARQUEZ - Integrante.

  • 2011 - 2012

    Cartografar as controvérsias do hackerativismo: o Wikileaks como veículo da franqueza e do vazamento de informações na internet, Descrição: Neste trabalho buscou-se entender como o nascimento da organização sem fins lucrativos, o Wikileaks, conseguiu com sua lógica de vazamentos, provocar uma transformação na sociedade, sobretudo no campo do jornalismo. Esse processo é ocasionado pelo surgimento das novas formas de comunicação online, em que todos são produtores de informação. Soma-se a isso o conceito de uma organização que tem como objetivo tornar as relações cada vez mais transparentes entre estados e governos, e teremos como cenário um grande debate em torno de temas como liberdade de expressão, privacidade e relações políticas. Aqui, através da metodologia da cartografia das controvérsias, analisaremos como a hashtag #Wikileaks, extraídas do período de 6 de agosto de 2012 a 20 de novembro do mesmo ano, apresentou algumas características peculiares que demonstram o comportamento da rede emergente sobre o tema, que serão aprofundadas através do software de análise de dados, o Gephi.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Priscilla Calmon de Andrade - Integrante / Fábio Luiz Malini de Lima - Coordenador.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2012

Prêmio Expocom Sudeste: Melhor programa laboratorial de Telejornalismo, Intercom Sudeste.

2005

Aluna Top Teen, Darwin.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2014 - 2014

Instituto Itaú Cultural

Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Colaborador

2014 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista Mestrado (Capes), Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.

2010 - 2011

Tríade Comunicação

Vínculo: Estagiário de Jornalismo, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 25, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
Funções: Atualização de redes sociais e sites de empresas. Produção de conteúdo para sites. Execução de materiais de publicação, como revistas e jornais internos. Produção diária de releases, notas, clipping e pesquisa de clientes nas mídias.

2010 - 2010

Ecos Jr

Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Trainee de Jornalismo, Carga horária: 8

Outras informações:
A Ecos Jr. é uma empresa júnior de comunicação formada por estudantes de Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Audiovisual. Todo semestre há novo processo seletivo para entrada de novos trainees, de acordo com a demanda da empresa. A empresa júnior é um modelo de negócio que possibilita ao estudante o primeiro contato com o mercado de trabalho, além de incentivar o espírito empreendedor e possibilitar às empresas capixabas um trabalho comunicacional de qualidade, com custos mínimos. Função: Produção de releases e textos em geral, manutenção de sites e mídias sociais de empresas, monitoramento de twitter e facebook de clientes, edição de textos para web, cobertura de eventos, gravação de programa piloto para TV Ufes, contato com clientes externos e conhecimento geral nas áreas de marketing, criação publicitária e eventos

2011 - 2011

Policia Civil do Estado do Espirito Santo

Vínculo: Estagiária de Jornalismo, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 25, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
Atendimento as demandas que chegam por telefone e email, solicitando informações, entrevistas e respostas para questões que surgem no dia a dia, referente à área de atuação da Polícia Civil. Auxiliar a assessoria de comunicação na apuração de dados relevantes pra o interesse público, divulgada pela imprensa. Produção de textos e divulgações de eventos de atos relacionados à entidade.

2013 - 2014

Governo do Estado do Espírito Santo

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: ASSESSOR ESPECIAL NIVEL I - QCE-04, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
Cargo de coordenação na área de mídias sociais do Governo do Estado. Gerenciamento de palavras e menções sobre a instituição, e de monitoramento das páginas no Facebook, Twitter e Instagram. Produção de relatórios diários com análise de sentimentos, menções e relacionamento da instituição com os cidadãos.

2016 - Atual

Rede Latino-Americana de Estudos sobre Vigilância, Tecnologia e Sociedade

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 20

Outras informações:
Documentação das atividades realizadas pelos integrantes do projeto; Divulgação nos veículos apropriados as atividades e resultados do projeto; Atualização de plataformas voltadas para comunicação interna e integração dos membros da equipe e seus associados; Trabalho editorial para publicação dos resultados da pesquisa; Organização de eventos vinculados ao projeto; Relatório de atividades realizadas.

2016 - Atual

Rede Latino-Americana de Estudos sobre Vigilância, Tecnologia e Sociedade

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 20

Outras informações:
Documentação das atividades realizadas pelos integrantes do projeto; Divulgação nos veículos apropriados as atividades e resultados do projeto; Atualização de plataformas voltadas para comunicação interna e integração dos membros da equipe e seus associados; Trabalho editorial para publicação dos resultados da pesquisa; Organização de eventos vinculados ao projeto; Relatório de atividades realizadas.