DANIELA UZIEL

possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1995), mestrado em Ciências Biológicas (Biofísica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1997), doutorado em Ciências (Biofísica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2001), após período "sanduíche" na França (Inserm U371) e Alemanha (FSU Jena) e um mais recente doutorado (2019) Políticas Públicas, Estrategias e Desenvolvimento (IE-UFRJ). É Professora Associada da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atua desde março de 2019 como Coordenadora de Inovação do Centro de Ciências da Saúde, desde setembro de 2019 no Comitê de Inovação e desde novembro de 2020 como coordenadora do Programa de Gestão de Indicadores de Desempenho (GID) da Pro-reitoria de Pós-graduação e Pesquisa da UFRJ. Foi Pesquisadora Visitante do IPEA (Centro de Ciência, Tecnologia e Sociedade; sede Rio de Janeiro) entre outubro de 2018 e março de 2020. Atua em parceria com docentes de outras áreas do conhecimento da UFRJ e da UFF nas Disciplinas Integradas de Empreendedorismo da UFRJ, que recebeu o prêmio de educação empreendedora (rodada estadual) do Sebrae em 2019. Desde 2012 trabalha com empreendedorismo acadêmico de alta tecnologia, inovações na área biomédica e fomento à formação de um cluster de ciências da vida no estado do Rio de Janeiro.

Informações coletadas do Lattes em 04/05/2022

Acadêmico

Formação acadêmica

Doutorado em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento

2015 - 2019

Universidade Federal do Rio de Janeiro
Título: Políticas públicas e inserção no mercado de trabalho na área biomédica: uma comparação entre 2003 e 2014
Orientador: Maria da Graça Derengovski Fonseca
Coorientador: João Felippe Cury Marinho Mathias.

Doutorado em Ciências Biológicas (Biofísica)

1997 - 2001

Universidade Federal do Rio de Janeiro
Título: Pistas moleculares no desenvolvimento da via tálamo-cortical
Roberto Lent. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: tálamo; córtex cerebral; ephrina-A5; barris; sistema somestésico; projeções. Grande área: Ciências Biológicas

Mestrado em Ciências Biológicas (Biofísica)

1996 - 1997

Universidade Federal do Rio de Janeiro
Título: Ontogênese da lateralização rotacional em hamsters,Ano de Obtenção: 1997
Orientador: Roberto Lent
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Pesquisa, CNPQ, Brasil. Palavras-chave: assimetrias hemisféricas; desenvolvimento; comportamentos lateralizados; tese.Setores de atividade: Outros Setores.

Graduação em medicina

1989 - 1995

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Pós-doutorado

2005 - 2005

Pós-Doutorado. , New York Medical College, NYMC, Estados Unidos. , Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. , Grande área: Ciências Biológicas

Formação complementar

2021 - 2021

DL101P BR. (Carga horária: 75h). , Organisation Mondiale de La Propriete Intellectuelle, OMPI, Suiça.

2020 - 2020

Integrando a Agenda 2030 para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. (Carga horária: 12h). , Programas das Nações Unidas para o Desenvolvimento no Brasil, PNUD BRASIL, Brasil.

2005 - 2005

Pós-doutorado. , New York Medical College, NYMC, Estados Unidos.

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Bandeira representando o idioma Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Bandeira representando o idioma Francês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Bandeira representando o idioma Alemão

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Morfologia / Subárea: Embriologia/Especialidade: Neuroembriologia.

Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Administração / Subárea: Administração Pública/Especialidade: Planejamento em Ciência e Tecnologia.

Grande área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: Inovação.

Organização de eventos

Uziel, Daniela . RISE - Rio Scientific Entrepreneurship 2021. 2021. (Congresso).

UZIEL, D. ; Massarani, LM ; Neves, R . Floresta dos sentidos - Um jogo de estímulo sensorial e de divulgação da biodiversidade brasileira. 2013. (Exposição).

Graça-Souza, A ; UZIEL, D. ; Ferreira, ABB ; Cudischevitch, CO . II Simpósio de Empreendedorismo em Biotecnologia. 2011. (Congresso).

UZIEL, D. ; Massarani, LM . Aventura pelo corpo humano. 2011. (Exposição).

UZIEL, D. ; ROZENTAL, Renato ; Graça-Souza, A ; Fonseca, MGD ; MOURA NETO, Vivaldo ; La rovere, RL . Empreendedorismo em Biotecnologia. 2009. (Congresso).

UZIEL, D. ; LENT, Roberto ; Curado, M.R. ; GARCEZ, Patrícia Pestana . Development and plasticity of the nervous system. 2008. (Congresso).

UZIEL, D. . X Semana de Biomedicina UFRJ. 2008. (Outro).

LENT, Roberto ; UZIEL, D. ; HEDINPEREIRA, C. ; MORAES, Elizabeth Cunha Pena de . What the developing cortex tells about the adult cortex and vice versa. 2001. (Congresso).

Participação em eventos

Festival do Conhecimento - Universidade Viva.O curso de graduação em Ciências Biológicas: modalidade médica (Biomedicina) - ICB/UFRJ. 2020. (Outra).

Festival do Conhecimento - Universidade Viva.Laboratórios de Inovação: desafios e oportunidades. 2020. (Outra).

II Feira de Inovação Biotecnológica IMPG e Fiocruz. 2019. (Feira).

4 Congresso do Centro Celso Furtado - Indústria e desenvolvimento: a nova onda da indústria 4.0 e o futuro do Brasil. 2018. (Congresso).

XXVIII CONGRESSO BRASILEIRO DE ANATOMIA, XXXIX CONGRESSO CHILENO DE ANATOMIA e IV ENCONTRO DAS LIGAS ESTUDANTIS DE MORFOLOGIA. CONSERVAÇÃO DE CADÁVERES E PEÇAS ANATÔMICAS. 2018. (Congresso).

II Simpósio de Empreendedorismo em Biotecnologia.Inserção do recém-doutor no mercado de trabalho. 2011. (Simpósio).

III LATIN AMERICAN SUMMER SCHOOL ON EPILEPSY.Desenvolvimento do sistema nervoso. 2009. (Seminário).

Catedra UNESCO de Biologia da Forma e do Desenvolvimento. 2008. (Outra).

I Congresso IBRO/LARC de Neurociências da América Latina. 2008. (Congresso).

16a Jornada de Iniciação Científica da UERJ.comissão Julgadora. 2007. (Outra).

Jornada de Iniciação Científica da UFRJ.avaliador de sessão. 2007. (Outra).

15a Semana de Iniciação Científica da UERJ.Comissão Julgadora. 2006. (Outra).

Jornada de Iniciação Científica da UFRJ.avaliador de sessão. 2006. (Outra).

Curso: Aspectos celulares e moleculares da ontogênese do sistema nervoso. FESBE. 2004. (Congresso).

II Escola de Neurociências da IBRO (International Brain Research Organization) no Brasil (ISBRA).simpósio integrativo sobre plasticidade neuronal. 2004. (Outra).

XVIII Reunião Anual da Federação de Sociedades de Biologia Experimental. Conferência plena no Módulo Temático . 2003. (Congresso).

Participação em bancas

Aluno: Fabio Silva Lima da Conceição

Conceição,F.S.L.;UZIEL, D.. Avaliação do potencial da terapia celular com célular da glia de muller no modelo murino da doença de Parkinson. 2010. Dissertação (Mestrado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Cristiane Monteiro Eller

Eller,C.M.;UZIEL, D.. Papel dos Fatores de crescimento TGF-b1 e EGF na migração neuronal cerebelar. 2009. Dissertação (Mestrado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Patricia Coelho de Velasco

Velasco,P.C.;UZIEL, D.. Impacto da restrição nutricional de ácidos graxos essenciais na manutenção das conexôes retinotectais de roedores. 2009. Dissertação (Mestrado em Pós-Graduação em Neuroimunologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Gisele Gomes Nepomuceno da Silva

UZIEL, D.; HOUZEL, Jean Christophe. O efeito de lítio no metabolismo de gliocogênio em roedores e no metabolismo energético em células gliais. 2008. Dissertação (Mestrado em Química Biológica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Létícia Abel Penedo

UZIEL, D.; Ventura ALM; Reis, R. Impacto da restrição nutricional de triptofano na modulação do sistema serotoninérgico e na plasticidade de projeções retinotectais. 2008. Dissertação (Mestrado em Neuroimunologia) - Universidade Federal Fluminense.

Aluno: Anaelli Aparecida Nogueira Campos

UZIEL, D.; FRANCA, João Guedes da; HOUZEL, Jean Christophe; FIORANI JUNIOR, Mario; Gardino PF; Freire, M.A.M.. Neurônios nitridérgicos de S1 do rato: distribuição e morfometria. 2008. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas (Fisiologia)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Paulo Sérgio Oliveira Reis

Reis,P.S.O.;UZIEL, D.. Estudo morfométrico do encéfalo de pacientes com cardiomiopatia chagástica. 2008. Dissertação (Mestrado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Tiago Savignon Cardoso Machado

Machado,T.S.C.;UZIEL, D.. Efeito de lesão por hipóxia-isquemia pré-natal sobre o desenvolvimento deo cerebelo. 2008. Dissertação (Mestrado em Fisiopatologia Clínica e Experimental) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Aluno: Mauren Lopes da Silva

Silva, M.L.;FURTADO, Danilo Arruda; HOUZEL, Jean Christophe;LENT, RobertoFRANCO, Alfred ShollUZIEL, D.; Allodi, S.. Maturação pós-natal das conexões talamo-corticais visuais do rato. 2007. Dissertação (Mestrado em Programa de Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Fernanda Pohl Guimarães

Guimarães, FP; Reis, R;UZIEL, D.; SANTIAGO, Marcelo Felippe; ROCHA, M.; Gardino PF; Ventura ALM; Paes de Carvalho, R. Efeitos do etanol no sistema GABAergico de retina embrionária de galinha. 2007. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas (Biofísica)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Lucia Helena Pezzi

Pezzi, L.H.A.; Neto, MAP;UZIEL, D.; Menezes, JRL; Azevedo, L; Allodi, S.; PIRES, Ricardo de Ary. ESTUDO DA ANATOMIA DE SUPERFÍCIE CERVICAL E MORFOMETRIA DAS DIMENSÕES LARÍNGEAS E PERILARÍNGEAS NO HOMEM: APLICAÇÕES CLÍNICO-CIRÚRGICAS. 2006. Dissertação (Mestrado em Programa de Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Sheila C S Martins

UZIEL, D.; GOMES, Flávia Carvalho Alcantara; PASSOS, Carmen. Efeito do hormônio T3 na modulação da expressão de miosina 5a no sistema nervoso central. 2004. Dissertação (Mestrado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Vânia Castro Corrêa

UZIEL, D.; FARINA, Marcos; DINIZ, Cristovam Picanço; LEAL, Walace Gomes. Análise morfométrica dos axônios de projeção do córtex somestésico primário de ratos adultos. 2003. Dissertação (Mestrado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Fernanda Freire Tovar

UZIEL, D.; SAMPAIO, Tatiana Coelho; PAVÃO, Mauro. Heterogeneidade astrocitária no mesencéfalo: o papel dos fatores solúveis. 2002. Dissertação (Mestrado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Fernando Carvalho Rodrigues

UZIEL, D.. Efeito da via de sinalização de sonic hedgehog no desenvolvimento astroglial mediado por hormônios tiroideanos. 2011. Tese (Doutorado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Daniel Veloso Cadilhe

UZIEL, D.. Avaliação do potencial de células da polpa dentária na indução de diferenciação neural de células-tronco embrionárias. 2011.

Aluno: Flãvia Garcia

UZIEL, D.; HEDINPEREIRA, C.; Almeida VC; Santos LMS. Papel regulatório da semaforina-3A no desenvolvimento de células T humanas: efeito inibit'roio sobre a migração de timócitos mediada pela CXCL12. 2008. Tese (Doutorado em Biologia Celular e Molecular) - Fundação Oswaldo Cruz.

Aluno: Tina Ruediger

UZIEL, D.; BOLZ, Jürgen; Löwel, S. Der Einfluss von Semaphorin 3A und Semaphorin 3C auf das Wachstumsverhalten cortikaler waehrend der embryonalen Entwicklung des Gihirns. 2008. Tese (Doutorado em Biologisch-Pharmazeutischen Fakultät) - Friedrich Schiller Universitaet Jena.

Aluno: Priscilla Oliveira Silva

Silva, PO; SERFATY, C.; GOMES, Flávia Carvalho Alcantara;UZIEL, D.; Mello, MCF; Gardino PF. Expressão, atividade e papel funcional da metaloprotease-9 durante o desenvolvimento e plasticidade visual de roedores. 2007. Tese (Doutorado em Ciências Biológicas (Biofísica)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Fernanda Tovar Moll

UZIEL, D.; Gasparetto E; Martinez, AM; MARCONDES, J.. Neuroplasticidade na disgenesia do corpo caloso: imagem do tensor de difusão por ressonância magnética. 2007. Tese (Doutorado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Tércia Rodrigues Alves

Alves, TR; MOURA NETO, Vivaldo; Morandi, V;UZIEL, D.; MARCONDES, J.; BOUSKELA, E.. Modulação da apoptose e da diferenciação angiog6enica em gliomas humanos: papel da matriz extracelular. 2007. Tese (Doutorado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Deise Mendonça

UZIEL, D.; Linden, R; Grinberg, L; Martinez, AM; Chimelli, L. Análise de proteínas no líquor e em medula espinhal de casos-controle e de portadores de esclerose lateral amiotrófica. 2006. Tese (Doutorado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Fabiana Caitano Bandeira

UZIEL, D.FRANCO, Alfred Sholl; Rehen, SK; Mello, LE;LENT, Roberto; Herculano-Houzel, S. Dinâmica das células neuronais e não-neuronais durante o desenvolvimento pós-natal do rato. 2006. Tese (Doutorado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Geraldine Zimmer

UZIEL, D.; BOLZ, Jürgen; Löwel, S. Die Rolle von EphrinA5 bei der Aggregation und Migration kortikaler Neurone während der Entwicklung des Telencephalons. 2006. Tese (Doutorado em Biologisch-Pharmazeutischen Fakultät) - Friedrich Schiller Universitaet Jena.

Aluno: Fabiana Caitano da Silva Bandeira

bandeira, fcs; Herculano-Houzel, S;LENT, Roberto; Rehen, SK;FRANCO, Alfred Sholl; Mello, LE;UZIEL, D.. DINÂMICA DAS POPULAÇÕES NEURONAL E NÃONEURONAL DO ENCÉFALO DE RATOS EM DESENVOLVIMENTO PÓS-NATAL. 2006. Tese (Doutorado em Programa de Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Emiliana Guerra da Rocha

Rocha, E.G.; DINIZ, Cristovam Picanço; Pereira, A.; Lima, S.M.A.;UZIEL, D.. ANÁLISE COMPARATIVA DO PADRÃO DE CONEXÕES E DOS TERMINAIS AXÔNICOS CALOSOS DAS REGIÕES DE REPRESENTAÇÃO DAS PATAS ANTERIORES E POSTERIORES NO CÓRTEX SOMESTÉSICO PRIMÁRIO (S1) DA CUTIA (Dasyprocta primnolopha).. 2006. Tese (Doutorado em Programa de Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Jane Cristina de Oliveira Faria Amaral

UZIEL, D.; CARVALHO, Denise Pires de; MAIA, R. C.. Propriedades interativas das células de glioma com neurônios primários numa abordagem in vitro. 2005. Tese (Doutorado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Leo Morita Miyakoshi

UZIEL, D.; SANTIAGO, Marcelo Felippe; Costa-Lopes, PC. Desenvolvimento e plasticidade do sistema nervoso. 2008. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências Biológicas (Biofísica)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Maria Lúcia Viana Reiss Pistilli

UZIEL, D.; GOMES, Flávia Carvalho Alcantara; Rossi MI. Sistema renina-angiotensina-aldosterona. 2007. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Marcos Romualdo Costa

UZIEL, D.; FRANCA, João Guedes da; ROCHA, M.. Direcionamento axonal. 2006. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências Biológicas (Biofísica)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Fabiana Caitano da Silva Bandeira

UZIEL, D.; FRANCA, João Guedes da; FIORANI JUNIOR, Mario. Conexões inter-hemisféricas somestésicas em roedores e sua plasticidade: uma visão sobre a coordenação de atividades bimanuais. 2004. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Renata Pinheiro de Souza

UZIEL, D.; PIRES, Ricardo de Ary. Estimativas do comprimento do fêmur e da tíbia humanos a partir de medidas de seus fragmentos. 2003. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Especializaçaõ Em Ensino de Ciências e Biologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Luciana Oliveira da Costa

Uziel, Daniela; Mendes, FA; Lyrio, A. A importância das coleções de esqueletos identificados para o desenvolvimento da antropologia forense. 2020. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: THIAGO JOSÉ BRÉFERE

Uziel, Daniela; MIGUEL, A. S. M.; PENNA, C. C. R.. Planejamento e desdobramento estratégico em indústrias farmacêuticas: revisão bibliográfica e estudo de caso. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Farmácia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Jean Pierre Mendes Lima

UZIEL, D.FRANCO, Alfred Sholl. APE1/Ref-1: associação com a diferenciação e com a morte. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Fernanda de Mello e Souza Valente Gubert

UZIEL, D.; ABREU, José Garcia; OTERO, Rosália Mendes. Caracterização fenotípica da zona ventricular de ratos adultos: uma análise da expressão do gangliosídeo 9-o-acetil GD3. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Luciana Romão

UZIEL, D.; CARVALHO, Denise Pires de; MOURA NETO, Vivaldo. Efeito do hipotereoidismo na interação astrócito sinaptossoma. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Especializaçaõ Em Ensino de Ciências e Biologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: PATRICIA PESTANA GARCEZ

UZIEL, D.; SANTIAGO, Marcelo Felippe; HOUZEL, Jean Christophe. Axônios bifurcados no córtex cerebral de camundongos em desenvolvimento. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Especializaçaõ Em Ensino de Ciências e Biologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

UZIEL, D.; Amaral J.C.O.F.; Freitas, E.C.B.. Concurso de Professor substituto do Departamento de Anatomia da UFRJ. 2008. Universidade Federal do Rio de Janeiro.

UZIEL, D.; Amaral J.C.O.F.; Freitas, E.C.B.. Concurso de Professor substituto do Departamento de Anatomia da UFRJ. 2007. Universidade Federal do Rio de Janeiro.

UZIEL, D.; ABREU, José Garcia; Amaral J.C.O.F.. Concurso de Professor substituto do Departamento de Anatomia da UFRJ. 2006.

UZIEL, D.; ABREU, José Garcia;LENT, Roberto. Concurso de Professor substituto do Departamento de Anatomia da UFRJ. 2005.

Comissão julgadora das bancas

Helena Maria Marcolla Araujo

ARAUJO, H. M. M.. Pistas moleculares no desenvolvimento da via tálamo-cortical. 2001. Tese (Doutorado em Ciências Biológicas (Biofísica)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Ricardo Gattass

GATTASS, R.. Ontogênese da lateralização rotacional em hamsters.. 1997. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas (Biofísica)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

João Felippe Cury Marinho Mathias

FONSECA, M. G. D.; MOTA, F. B.;Mathias, J. F. C. M.. Um Perfil do Mercado de Trabalho e da Inserção dos Profissionais da Área Biomédica Não-Assistencial na Região Sudeste do Brasil nos Anos de Crescimento Econômico Recentes. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

LIGIA BAHIA

Bahia, Ligia. Políticas Públicas e Inserção no Mercado de Trabalho na Área Biomédica: uma comparação entre 2003 e 2014. 2019. Tese (Doutorado em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Lia Hasenclever

HASENCLEVER, L.; BAHIA, L.; FOGUEL, D.; NEGRI, F.; MATHIAS, J. F. C. M.; FONSECA, M. G. D.. Políticas Públicas e Inserção no mercado de trabalho na área biomédica: uma comparação entre 2003 e 2014. 2019. Tese (Doutorado em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Orientou

Thelma Grossi Furtado Saraiva

Preservação de cadáveres em escolas médicas brasileiras: uma avaliação sobre o uso do formaldeído e suas alternativas; Início: 2019; Dissertação (Mestrado em Medicina (Anatomia Patológica)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; (Orientador);

Raíssa Joanna Vítola Albuquerque

Inova-CCS: estreitando os laços entre a academia e a indústria da saúde; Início: 2020; Iniciação científica (Graduando em Comunicação Visual Design) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; (Orientador);

Luisa Fazolato

Inova-CCS: estreitando os laços entre a academia e a indústria da saúde; Início: 2020; Iniciação científica (Graduando em Comunicação Visual Design) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; (Orientador);

Gabriel Moreira Joia

Mapeamento georreferenciado de competencias tecnologicas no Centro de Ciencias da Saude da UFR; Início: 2019; Iniciação científica (Graduando em Farmácia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; (Orientador);

Victória Cristina da Silva

O complexo econômico industrial da saúde no rio de janeiro; Início: 2019; Iniciação científica (Graduando em Enfermagem e Obstetrícia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Sidney Alves de Outeiro

A trajetória de emprego e empreendedorismo dos egressos de instituições públicas superiores de ensino; Início: 2020; Orientação de outra natureza; Universidade Federal do Rio de Janeiro; Coppetec; (Orientador);

Thatyanne Silva Prado

A trajetória de emprego e empreendedorismo dos egressos de instituições públicas superiores de ensino (IES); Início: 2020; Orientação de outra natureza; Universidade Federal do Rio de Janeiro; Coppetec; (Orientador);

Alvaro de Rezende Teixeira

Métodos de plastinação como alternativa na produção de peças anatômicas e redução do uso do formaldeído em laboratórios de anatomia humana; 2019; Dissertação (Mestrado em Formação para a Pesquisa Biomedica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro,; Orientador: Daniela Uziel;

PETHER NEVES FERNANDES

Técnicas de preenchimento luminal na produção de peças anatômicas para ensino, pesquisa e extensão; 2016; Dissertação (Mestrado em Formação para a Pesquisa Biomedica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro,; Orientador: Daniela Uziel;

Ludmila Ribeiro Bezerra de Carvalho

Desenvolvimento de ferramentas paradidáticas facilitadoras do processo ensino-aprendizagem em neurociências; 2016; Dissertação (Mestrado em Formação para a Pesquisa Biomedica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro,; Orientador: Daniela Uziel;

Rafael Lames de Araújo

USO DE PEÇAS ANATÔMICAS PLASTINADAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO NÍVEL BÁSICO; 2013; Dissertação (Mestrado em Formação Científica para Professores de Biologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro,; Coorientador: Daniela Uziel;

Jair Roberto da Silva Braga

FATORES ASSOCIADOS A ÍNDICE DE APGAR BAIXO NO 5o MINUTO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO; ESTUDO POPULACIONAL BASEADO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES DE NASCIDOS VIVOS DE 1999 A 2009; 2010; Dissertação (Mestrado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro,; Orientador: Daniela Uziel;

Rafael Antão Sabença Cruz

Efeitos da exposição pré-natal ao etanol sobre a proliferação celular nas eminências ganglionares; 2009; Dissertação (Mestrado em Programa de Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro,; Orientador: Daniela Uziel;

Marissol dos Santos Freitas Themóteo Pereira

Isolamento e caracterização de células neocorticais por citometria de fluxo; 2009; Dissertação (Mestrado em Programa de Ciências Morfológicas (PCM)- Universidade Federal do Rio de Jan) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Daniela Uziel;

Michele Ramos Lourenço

Especificidade topográfica dos interneurônios migratórios do córtex cerebral provenientes da eminência ganglionar; 2008; Dissertação (Mestrado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro,; Orientador: Daniela Uziel;

Jean Pierre Mendes Lima

Efeito do alcool na proliferação e morte celular da população cortical gabaérgica; 2008; Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas (Biofísica)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Daniela Uziel;

Carolina Batista

Papel do condroitim sulfato na plasticidade dos barris corticais de ratos; 2008; Dissertação (Mestrado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Uziel;

SHEINE MENEZES SCHANUEL

Relação entre a expressão de condroitim sulfato no telencéfalo de embriões de camundongos suiços e o trajeto migratório dos precursores GABAérgicos neocorticais; 2004; 76 f; Dissertação (Mestrado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Coorientador: Daniela Uziel;

PATRICIA PESTANA GARCEZ

Bifurcações axonais: possível estratégia do desenvolvimento do corpo caloso; 2004; 111 f; Dissertação (Mestrado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Uziel;

Ricardo Noboro Isayama

Efeitos do etanol na formação do sistema GABAérgico telencefálico; 2008; Tese (Doutorado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Uziel;

PATRICIA PESTANA GARCEZ

Bifurcações axônicas no córtex cerebral em desenvolvimento: uma estratégia para a busca dos alvos; 2008; Tese (Doutorado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Daniela Uziel;

Jean Pierre Mendes

Efeito da hipóxia no metabolismo oxidativo do sistema nervoso; 2008; Tese (Doutorado em Ciências Morfológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro,; Orientador: Daniela Uziel;

Victor Belizário dos Santos Matos

Análise quantitativa da distribuição e características de empresas juniores no Brasil; 2018; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas: Biotecnologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Tatiana Lucas Rodrigues

Formação de pesquisadores: uma avaliação do curso de ciências biológicas modalidade médica após 18 anos de sua criação; 2012; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Rafael Antão Sabença Cruz

Efeitos da exposição pré-natal ao etanol sobre a proliferação celular nas eminências ganglionares; 2011; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Daniela Uziel;

Sabrina Silveira Gonçalves

Expressão de moléculas direcionadoras da migração neuronal em culturas de encéfalos inteiros; 2008; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Uziel;

Marco Rocha Curado

Distribuição de células GABAérgicas no desenvolvimento dos barris do córtex somestésico de camundongos; 2008; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em ciências biológicas (bacharelado)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Uziel;

Marissol dos Santos Freitas Themóteo Pereira

Papel da Netrina na formação dos circuitos corticais; 2006; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Daniela Uziel;

Carolina Batista

Análise da Expressão de Moléculas Direcionadoras do Crescimento Axônico Durante a Regeneração do Sistema Nervoso Central; 2005; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Uziel;

Rafael Ribeiro Breves

Inserção do farmacêutico no mercado de trabalho: uma comparação entre 2003 e 2014; 2019; Iniciação Científica; (Graduando em Farmácia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Sidney Alves de Outeiro

Mapeamento georreferenciado de competencias tecnologicas no Centro de Ciencias da Saude da UFR; 2019; Iniciação Científica; (Graduando em Ciência da Computação) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Daniela Uziel;

Paula Laia Moura

Embalsamamento de cadáver como alternativa à formolização para produção de peças anatômicas; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Odontologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, PIBIC-UFRJ; Orientador: Daniela Uziel;

Gabrielle Tantos Nunes

Embalsamamento de cadáver como alternativa à formolização para produção de peças anatômicas; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Uziel;

Carolina de Carvalho el Giusbi

Metodologias alternativas para plastinação de vísceras; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Thaia da Silva Rodrigues

Efeito da hipóxia no metabolismo oxidativo do córtex cerebral de roedores; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Uziel;

Gabriel Silva Roza

Mergulho no corpo; 2012; Iniciação Científica; (Graduando em Comunicação Visual Design) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Daniela Uziel;

Pedro Henrique Pérez Caricchio

Mergulho no corpo; 2012; Iniciação Científica; (Graduando em Comunicação Visual Design) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Daniela Uziel;

Gilberto Augusto T

D; de Lima; Efeito de insulto hipóxico-isquêmicos no desenvolvimento do cerebelo; 2011; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Uziel;

Helena Fernandes Ferraz

Efeito da hipóxia intrauterina no desenvolvimento do cérebro; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em medicina) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Juliana Soares Ribeiro

Efeito da hipóxia intrauterina no desenvolvimento do cérebro; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em medicina) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Tainá Maia Rêgo

Papel da Netrina-1na formação dos circuitos corticais; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Daniela Uziel;

Beatriz Cristina Mendes da Rocha Marques

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2018; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Gabriela Rocha de Araújo

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2018; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Matheus de Oliveira Lima

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2018; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Rafael Pereira Ferreira

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2018; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Thaís Canuto Pereira

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2018; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Thiago de Lima Pereira

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2018; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Letícia da Silva Souza

Ciência para pequenos curiosos; 2016; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, PIBEX - UFRJ; Orientador: Daniela Uziel;

Renata Pereira Laurindo

Ciência para pequenos curiosos; 2016; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, PIBEX - UFRJ; Orientador: Daniela Uziel;

Waneicy da Silva Gonçalves

Ciência para pequenos curiosos; 2016; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, PIBEX - UFRJ; Orientador: Daniela Uziel;

João Victor Roza Cruz

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2016; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Yuri Silva Torres de Albuquerque

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2016; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Pedro Batista Tan

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2016; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Caroline dos Santos Gonzaga

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2016; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Christiane Fernandes de Souza

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2016; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Raiane de Oliveira Ferreira

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2016; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Jéssica Gomes de Araújo

Ciência para Pequenos Curiosos; 2015; Orientação de outra natureza; (Física) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, PIBEX - UFRJ; Orientador: Daniela Uziel;

Gabrielle Tantos Nunes

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2015; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Gabrielle Rodrigues Conceição

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2015; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Carolina de Carvalho el Giusbi

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2015; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Karine Montezuma Lins de Almeida Gomes

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2015; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Julia Góes Porfírio

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2015; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Caroline dos Santos Gonzaga

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2015; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Rafael Velloso Luz

Ciência para pequenos curiosos; 2015; Orientação de outra natureza; (Física) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, PIBEX - UFRJ; Orientador: Daniela Uziel;

Danielle Ferreira de Rezende

Ciência para pequenos curiosos; 2014; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, PIBEX - UFRJ; Orientador: Daniela Uziel;

LUIZ SZUCHMACHER OLIVEIRA

Ciência para pequenos curiosos; 2014; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Biotecnologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, PIBEX - UFRJ; Orientador: Daniela Uziel;

ROBSON GOMES DA SILVA

Ciência para pequenos curiosos; 2014; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Biotecnologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, PIBEX - UFRJ; Orientador: Daniela Uziel;

Carolynne Firmo de Oliveira

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2014; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Marcus Vinicius Serejo Borges Vale da Silva

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2014; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Carolina de Carvalho el Giusbi

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2014; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Luciana Oliveira da Costa

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2014; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Gabrielle Tantos Nunes

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2014; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Karen Vasconcelos de Farias Faro

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2014; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Laís Cristine Delgado da Hora

Floresta dos sentidos - Um jogo de estímulo sensorial e de divulgação da biodiversidade brasileira; 2013; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, PIBEX - UFRJ; Orientador: Daniela Uziel;

AMANDA DA SILVA LIMA

Floresta dos sentidos - Um jogo de estímulo sensorial e de divulgação da biodiversidade brasileira; 2013; Orientação de outra natureza; (História da Arte) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, PIBEX - UFRJ; Orientador: Daniela Uziel;

Gabriel Eduardo de Matos Rodrigues

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2013; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Carolina Baeta Salvador Várady

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2013; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Bárbara Costa Rezende

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2013; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Gabriel de Melo Ferreira

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2013; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Taissa Neustadt Oliveira

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2013; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Felipe Castro Oliveira de Brito Teixeira

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2013; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Herineide Vieira da Silva Leal

Ciência para pequenos curiosos; 2012; Orientação de outra natureza; (Abi - Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, PIBEX - UFRJ; Orientador: Daniela Uziel;

Gustavo Henrique Varela Saturnino Alves

Mergulho no corpo; 2012; Orientação de outra natureza; (Abi - Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Daniela Uziel;

Andréa de Almeida Souza

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2012; Orientação de outra natureza - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Daniela Uziel;

João Paulo Costa Pinho

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2012; Orientação de outra natureza - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Daniela Uziel;

Felipe Castro Oliveira de Brito Teixeira

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2012; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Bárbara Costa de Rezende

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2012; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Lucas Coutinho Pereira da Silva

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2012; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Beatriz Junqueira de Souza

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2012; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Marina Santos Chichierchio

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2012; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Mário Madeira Carvalho Fernandes

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2012; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Camila dos Santos Freitas

Floresta dos sentidos - Um jogo de estímulo sensorial e de divulgação da biodiversidade brasileira; 2011; Orientação de outra natureza; (Abi - Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, PIBEX - UFRJ; Orientador: Daniela Uziel;

Rafael Antão Sabença Cruz

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2011; Orientação de outra natureza - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Daniela Uziel;

Ana Beatriz Barletta Ferreira

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2011; Orientação de outra natureza - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Daniela Uziel;

Juliana Cazarin de Menezes

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2011; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Fabio Hecht Castro Medeiros

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2011; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Helena Daltro Cardozo

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2011; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Alvaro Carrier Ruiz

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2011; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Carolina Villela Lima

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2011; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Igor Rodrigues da Costa

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2011; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

samir Pereira da Costa Campos

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2010; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Flávia Leticia Martins Peçanha

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2010; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Luiz Felipe Garcia e Souza

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2010; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Fabio Hecht Castro Medeiros

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2010; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Carolina Villela Lima

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2010; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Mariana Rodrigues

Empresa Júnior Antônio Paes de Carvalho; 2010; Orientação de outra natureza; (Ciências Biológicas: Modalidade Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Daniela Uziel;

Foi orientado por

João Felippe Cury Marinho Mathias

Políticas Públicas e Inserção no Mercado de Trabalho na Área Biomédica: uma Comparação entre 2003 e 2014; 2019; Tese (Doutorado em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento) - Universidade Federal do Rio de Janeiro,; Coorientador: João Felippe Cury Marinho Mathias;

Renato Rozental

2005; Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Renato Rozental;

Renato Rozental

2004; Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Renato Rozental;

Roberto Lent

Pistas moleculares no desenvolvimento da via tálamo-cortical; 2001; Tese (Doutorado em Ciências Biológicas (Biofísica)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Coorientador: Roberto Lent;

Produções bibliográficas

  • Uziel, Daniela ; Silva, V.C. . A contribuição de mestres e doutores para a inovação no RJ: um estudo baseado em survey com ex-bolsistas em empresas. CADERNOS DO DESENVOLVIMENTO FLUMINENSE , v. 17, p. 59-70, 2019.

  • LIMA, JEAN PIERRE MENDES ; RAYÊE, DANIELLE ; SILVA-RODRIGUES, THAIA ; PEREIRA, PAULA RIBEIRO PAES ; MENDONCA, ANA PAULA MIRANDA ; RODRIGUES-FERREIRA, CLARA ; SZCZUPAK, DIEGO ; FONSECA, ANNA ; OLIVEIRA, MARCUS F. ; LIMA, FLAVIA REGINA SOUZA ; LENT, Roberto ; GALINA, ANTONIO ; Uziel, Daniela . Perinatal Asphyxia and Brain Development: Mitochondrial Damage Without Anatomical or Cellular Losses. MOLECULAR NEUROBIOLOGY , v. 1, p. online-1, 2018.

  • Padua, V.M. ; UZIEL, D. ; Folly, E. ; Reinert, F. ; Stephens, PRS ; Queiroz, RA ; GOMES, C. V. S. ; Paes, M. ; Baptista, T.A. ; Salerno, A.P. ; Oliveira AMC . Recursos Humanos em Biotecnologia: Instituições, Formação e Mercado De Trabalho No Estado do Rio de Janeiro. SINERGIA (IFSP. ONLINE) , v. 19, p. 126-134, 2018.

  • TEIXEIRA, FELIPE ; MORETTI, DEBORA ; Uziel, Daniela . The role of junior enterprises in the development of human resources in biotechnology: a case report in Rio De Janeiro state. BMC PROCEEDINGS , v. 8, p. P228, 2014.

  • Lourenço, Michele R. ; Garcez, Patricia P. ; LENT, Roberto ; UZIEL, D. . Temporal and spatial regulation of interneuron distribution in the developing cerebral cortex an in vitro study. Neuroscience , v. 201, p. 357-365, 2012.

  • ISAYAMA, Ricardo Noboro ; Leite, PEC ; Lima, JPM ; UZIEL, D. ; YAMASAKI, E.N. . Impact of Ethanol on the Developing GABAergic System. The Anatomical Record: advances in integrative anatomy and evolutionary biology , v. 292, p. 1922-1939, 2009.

  • UZIEL, D. ; MÜHLFRIEDEL, S. ; BOLZ, Jürgen . Ephrin-A5 promotes the formation of terminal thalamocortical arbors. NEUROREPORT , v. 19, p. 877-881, 2008.

  • UZIEL, D. ; ROZENTAL, Renato . Neurologic birth defects after prenatal exposure to antiepileptic drugs. Epilepsia (Copenhagen) , v. 49, p. 35-42, 2008.

  • GARCEZ, Patrícia Pestana ; HENRIQUE, Narjara Pereira ; FURTADO, Danilo Arruda ; BOLZ, Jürgen ; LENT, Roberto ; UZIEL, D. . Axons of callosal neurons bifurcate transiently at the white matter before consolidating an interhemispheric projection. European Journal of Neuroscience (Print) , v. 25, p. 1384-1394, 2007.

  • UZIEL, D. ; GARCEZ, Patrícia Pestana ; LENT, Roberto ; PEUCKERT, Christiane ; NIEHAGE, Ronny ; WETH, Franco ; BOLZ, Jürgen . Connecting thalamus and cortex: The role of ephrins. The Anatomical Record. Part A, Discoveries in Molecular, Cellular, and Evolutionary Biology (Cessou em 2006. Fundiu-se com ISSN 1552-4906 The Anatomic , v. 288A, p. 135-142, 2006.

  • LENT, Roberto ; UZIEL, D. ; BAUDRIMONT, Marie ; FALLET, Catherine . Cellular and molecular tunnels surrounding the forebrain commissures of human fetuses. Journal of Comparative Neurology (1911) , v. 483, n.4, p. 375-382, 2005.

  • PINABENABOU, Mara H de ; SZOZTAK, Vanessa ; KYROZIS, Andreas ; REMPE, David ; UZIEL, D. ; URBANMALDONADO, Marcia ; BENABOU, Salomon ; SPRAY, David C ; FEDEROFF, Howard J ; STANTON, Patric K ; ROZENTAL, Renato . Blockade of Gap Junctions In Vivo Provides Neuroprotection After Perinatal Global Ischemia. STROKE , v. 36, n.10, p. 2232-2237, 2005.

  • BOLZ, Jürgen ; UZIEL, D. ; MUEHLFRIEDEL, Sven ; GÜLLMAR, André ; PEUCKERT, Christiane ; ZARBALIS, Konstantinos ; WURST, Wolfgang ; TORII, Masaaki ; LEVITT, Pat . Multiple roles of ephrins during the formation of thalamocortical projections: Maps and more. Journal of Neurobiology (Cessou em 2006. Cont. ISSN 1932-8451 Developmental Neurobiology (Hoboken, N.J.)) , v. 59, n.1, p. 82-94, 2004.

  • UZIEL, D. ; MUEHLFRIEDEL, Sven ; ZARBALIS, Konstantinos ; WURST, Wolfgang ; LEVITT, Pat ; BOLZ, Jürgen . Miswiring of limbic thalamocortical projections in the absence of ephrin-A5. The Journal of Neuroscience , v. 22, n.21, p. 9352-9357, 2002.

  • BAGNARD, D. ; LOHRUM, M. ; UZIEL, D. ; PÜSCHEL, A. W. ; BOLZ, Jürgen . Semaphorins act as attractive and repulsive guidance signals during the development of cortical projections. DEVELOPMENT , v. 12, n.125, p. 5043-5053, 1998.

  • UZIEL, D. ; LOPESCONCEIÇÃO, M. C. ; SIMPSON, D. ; LENT, Roberto . Ontogenesis of lateralized rotational behavior in hamsters: a time series study. Behavioural Brain Research , v. 92, p. 47-53, 1998.

  • UZIEL, D. ; LOPESCONCEIÇÃO, M. C. ; LUIZ, R. R. ; LENT, Roberto . Lateralization of rotational behavior in developing and adult hamsters. Behavioural Brain Research , v. 75, p. 169-177, 1996.

  • HEDINPEREIRA, C. ; UZIEL, D. ; LENT, Roberto . Bicommissural neurons in the cerebral cortex of developing hamsters. NeuroReport (Oxford) , v. 3, p. 873-876, 1992.

  • Martinez, AM ; Allodi, S. ; UZIEL, D. . Neuroanatomia Essencial. 1. ed. Rio de Janeiro: Grupo GEN Guanabara Koogan, 2014. v. 1. 312p .

  • Martinez, AM ; Allodi, S. ; UZIEL, D. . Neuroanatomia Essencial (e-book). 1. ed. Rio de Janeiro: Grupo GEN Guanabara Koogan, 2014. v. 1. 312p .

  • UZIEL, D. . Biotecnologia no Brasil: financiamento, parcerias e desafios. 1. ed. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012. v. 1.

  • FRANCO, Alfred Sholl ; Thole A.A. ; UZIEL, D. ; Azevedo, NL . Corpo Humano, Volume 1. Rio de Janeiro: CEDERJ, 2009. v. 1. 264p .

  • Salles AD ; FRANCO, Alfred Sholl ; UZIEL, D. ; Azevedo, NL . Corpo Humano, Volume 2. Rio de Janeiro: CEDERJ, 2009. v. 1. 306p .

  • FRANCO, Alfred Sholl ; UZIEL, D. ; Azevedo, NL . Corpo Humano I Módulo 1. 2. ed. Rio de Janeiro: CEDERJ, 2005. v. 1. 265p .

  • Salles AD ; FRANCO, Alfred Sholl ; UZIEL, D. ; Azevedo, NL . Corpo Humano I Módulo 2. 2. ed. Rio de Janeiro: CEDERJ, 2005. v. 1. 308p .

  • Uziel, Daniela ; MATHIAS, J. F. C. M. . Desigualdade salarial no setor farmacêutico no Brasil: uma proposta metodológica e reflexões para o pós-pandemia. In: João Felippe Cury M. Mathias, Luiz Fernando Saraiva. (Org.). Igual-Desigual: História e Economia das desigualdades antes, durante e após a pandemia. 1ed.São Paulo: Hucitec, 2020, v. , p. 1-416.

  • Moretti, DM ; UZIEL, D. ; ROZENTAL, Renato . Inovação em produtos para saúde: uma experiência na visão do empreendedor. Avanços e desafios no complexo industrial em produtos para saúde. 1ed.Brasilia: Ministério da Saúde, 2017, v. 1, p. 154-166.

  • Ramos, M. ; Massarani, LM ; Studart, D. ; UZIEL, D. . Una aventura por el cuerpo humano: relatos de una experiencia en Brasil. In: Claudia Aguirre. (Org.). El museo y la escuela. 1ed.Medellin: Parque Explo, 2013, v. 1, p. 65-81.

  • UZIEL, D. ; Fonseca, MGD . A história e o momento atual da biotecnologia no Brasil. In: Daniela Uziel. (Org.). Biotecnologia no Brasil: financiamentos, parcerias e desafios. 1ed.Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012, v. 1, p. 17-28.

  • UZIEL, D. ; ROZENTAL, Renato . Inovação, empreendedorismo, biotecnologia e ... docência. In: Daniela Uziel. (Org.). Biotecnologia no Brasil: financiamentos, parcerias e desafios. 1ed.Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012, v. 1, p. 143-152.

  • Bahia, C.P. ; Araujo, APQC ; UZIEL, D. . Aspectos clínicos, funcionais, morfológicos e moleculares da neuroplasticidade. In: Paulo Cesar de Carvalho Alves, Andrea Da Poian e Agessandro Abrahao Junior. (Org.). Bases Moleculares em Clínica Médica. 00ed.Rio de Janeiro: Atheneu, 2010, v. 00, p. 391-415.

  • HOUZEL, Jean Christophe ; Moll, FT ; UZIEL, D. . Mini atlas de neuroanatomia. In: Roberto Lent. (Org.). Cem Bilhões de Neuroônios?. 2ed.Rio de Janeiro: Atheneu, 2010, v. 1, p. 367-379.

  • UZIEL, D. . O desenvolvimento do cérebro e do comportamento. In: Roberto Lent. (Org.). Neurociência da Mente e do Comportamento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008, v. , p. -.

  • LENT, Roberto ; UZIEL, D. ; FURTADO, Danilo Arruda . Neurônios. In: Hernandes F. Carvalho; Carla B. Collares. (Org.). Células: uma abordagem multidisciplinar. São Paulo: Manole, 2005, v. , p. 226-247.

  • Ferreira, ABB ; Nuno, AB ; Sodré, A ; Cudischevitch, CO ; Moretti, DM ; Pinho, JPC ; UZIEL, D. . Biotecnologia. Ciência Hoje, Rio de Janeiro, p. 00 - 00, 01 ago. 2010.

  • UZIEL, D. . Fechando circuitos: moléculas que orientam a formação do cérebro. Ciência Hoje, Rio de Janeiro, p. 20 - 27, 01 maio 2002.

  • UZIEL, D. ; GOMES, C. V. S. . A Formação do Cluster de Biotecnologia no Estado do Rio de Janeiro. In: II Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação, 2017, Rio de Janeiro. II Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação. São Paulo: Blucher Engineering Proceedings, 2017.

  • Cruz,R.A.S. ; Lima, JPM ; YAMASAKI, E.N. ; UZIEL, D. . Impact of short-term ethanol exposure in the proliferation of ganglionic eminence progenitors. In: 40th Annual Meeting Society for Neuroscience, 2010, San Diego. Abstracts SFN, 2010. v. 00. p. 00.

  • LOURENÇO, Michele Ramos ; GARCEZ, Patrícia Pestana ; LENT, Roberto ; UZIEL, D. . Distribution of Migrating GABAergic Interneurons in the Cerebral Cortex. In: I NeuroLatam, 2008, Búzios. Resumos Neurolatam, 2008. v. 1. p. 1-1.

  • GARCEZ, Patrícia Pestana ; SANTOS, Marissol dos ; LOURENÇO, Michele Ramos ; BOLZ, Jürgen ; LENT, Roberto ; UZIEL, D. . AXONAL BIFURCATION AS TARGET-FINDING STRATEGY DURING DEVELOPMENT. In: I NeuroLatam, 2008, Búzios. Resumos NeuroLatam, 2008. v. 1. p. 1-1.

  • Alcantara, L.M.S.F. ; UZIEL, D. ; ROZENTAL, Renato . O Impacto da Hipóxia Intra-Uterina no Cérebro em Desenvolvimento. In: XXX Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, 2008, Rio de Janeiro. Anais da XXX Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, 2008. v. 1. p. 1-1.

  • LOURENÇO, Michele Ramos ; GARCEZ, Patrícia Pestana ; LENT, Roberto ; UZIEL, D. . Distribuição médio-lateral dos interneurônios GABAérgicos migratórios no córtex cerebral. In: FeSBE, 2007. Anais da FESBE, 2007.

  • GARCEZ, Patrícia Pestana ; SANTOS, Marissol dos ; LOURENÇO, Michele Ramos ; BOLZ, Jürgen ; LENT, Roberto ; UZIEL, D. . Papel da Netrina-1 na estratégia do desenvolvimento do corpo caloso. In: FESBE, 2007, Aguas de Lindoia. Anais da FeSBE, 2007.

  • Curado, M.R. ; UZIEL, D. ; Bahia, C.P. ; LOURENÇO, Michele Ramos . Distribuição de células GABAérgicas diaforase positivas no córtex somestésico primário de camundongos em desenvolvimento. In: XXIX Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, 2007, Rio de Janeiro. Anais da Jornada, 2007.

  • GONÇALVES, Sabrina ; LENT, Roberto ; UZIEL, D. . Expressão de moléculas direcionadoras da migração neuronal em culturas de encéfalos inteiros. In: XXIX Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, 2007, Rio de Janeiro. Anais da Jornada, 2007.

  • ISAYAMA, Ricardo Noboro ; MELO, H. A. DE ; Pinheiro, M.C.M. ; Feijão, A.C.R. ; UZIEL, D. ; YAMASAKI, E.N. . Efeitos do etanol na formação do sistema GABAérgico telencefálico. In: FESBE, 2006, Aguas de Lindoia. Anais da FESBE, 2007.

  • BATISTA, C. ; Hamassaki-Britto, D. ; LENT, Roberto ; UZIEL, D. . Análise da expressão de moléulas direcionadoras do crescimento axônico durante a regeneração do sistema nervoso central. In: FESBE, 2006, Aguas de Lindoia. Anais da FESBE, 2006.

  • Feijão, A.C.R. ; MELO, H. A. DE ; UZIEL, D. ; ISAYAMA, Ricardo Noboro ; YAMASAKI, E.N. . Efeitos do etanol na formação do sistema GABAérgico telencefálico. In: XXVIII Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, 2006, Rio de Janeiro. Anais da Jornada, 2006.

  • Feijão, A.C.R. ; MELO, H. A. DE ; UZIEL, D. ; ISAYAMA, Ricardo Noboro ; YAMASAKI, E.N. . Efeitos do etanol na formação do sistema GABAérgico telencefálico. In: XXVIII Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, 2006, Rio de Janeiro. Anais da Jornada, 2006.

  • SANTOS, Marissol dos ; UZIEL, D. ; Silva Junior, H. . Papel da Netrina-1 na formação dos circuitos corticais. In: XXVIII Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, 2006, Rio de Janeiro. Anais da Jornada, 2006.

  • GONÇALVES, Sabrina ; UZIEL, D. ; LENT, Roberto . Expressão de moléculas direcionadoras da migração neuronal em cultura de encéfalos inteiros. In: XXVIII Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, 2006, Rio de Janeiro. Anais da Jornada, 2006.

  • BATISTA, C. ; Hamassaki-Britto, D. ; BOLZ, Jürgen ; LENT, Roberto ; UZIEL, D. . Expressão de moléculas da família das efrinas no sistema nervoso central adulto e durante a regeneração. In: XXVII Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Artística e Cultural, 2005, Rio de Janeiro. XXVII Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Artística e Cultural, 2005. v. 1. p. 266-266.

  • SANTOS, Marissol dos ; ABREU, José Garcia ; UZIEL, D. . Papel da Netrina-1 na formação dos circuitos corticais. In: XXVII Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Artística e Cultural, 2005, Rio de Janeiro. XXVII Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Artística e Cultural, 2005. v. 1. p. 253-253.

  • GONÇALVES, Sabrina ; da Silva, LCF ; UZIEL, D. . Papel do condroitim sulfato na migração dos precursores GABAérgicos para o telencéfalo dorsal. In: XXVII Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Artística e Cultural, 2005, Rio de Janeiro. XXVII Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Artística e Cultural, 2005. v. 1. p. 255-255.

  • GARCEZ, Patrícia Pestana ; HENRIQUE, Narjara Pereira ; FURTADO, Danilo Arruda ; LENT, Roberto ; UZIEL, D. . BIFURCAÇÕES AXONAIS COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DOS EFERENTES CORTICAIS. In: FESBE, 2004, Águas de Lindóia. Anais da FESBE Resumo 01.01.016, 2004.

  • LOURENÇO, Michele Ramos ; GARCEZ, Patrícia Pestana ; SCHANUEL, Sheine Menezes ; LENT, Roberto ; UZIEL, D. . AUSÊNCIA DE ESPECIFICIDADE TOPOGRÁFICA NA MIGRAÇÃO TANGENCIAL DE INTERNEURÔNIOS CORTICAIS. In: FESBE, 2004, Águas de Lindóia. Anais da FESBE resumo 01.01.023, 2004. v. 01.01..

  • SCHANUEL, Sheine Menezes ; LOURENÇO, Michele Ramos ; MORAES, Elizabeth Cunha Pena de ; UZIEL, D. ; LENT, Roberto . EXPRESSÃO DE CONDROITIM SULFATO NO TELENCÉFALO DE EMBRIÕES DE CAMUNDONGOS: POSSÍVEL RELAÇÃO COM O TRAJETO MIGRATÓRIO DOS PRECURSORES GABAÉRGICOS NEOCORTICAIS. In: FESBE, 2004, Águas de Lindóia. Anais da FESBE Resumo 01.01.026, 2004.

  • GARCEZ, Patrícia Pestana ; HENRIQUE, Narjara Pereira ; FURTADO, Danilo Arruda ; LENT, Roberto ; UZIEL, D. . Axônios bifurcados transitórios durante o desenvolvimento dos eferentes corticais em camundongos. In: XVIII Encontro da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FESBE), 2003, Curitiba. Anais da FESBE Resumo 01.01.021, 2003.

  • LENT, Roberto ; UZIEL, D. ; FALLET, Catherine ; BAUDRIMONT, Marie . CELLULAR AND MOLECULAR TUNNELS SURROUNDING THE FOREBRAIN COMMISSURES OF HUMAN FETUSES. In: 33rd Society for Neuroscience Meeting, 2003, New Orleans. SFN Abstracts 32.13, 2003.

  • UZIEL, D. ; GARCEZ, Patrícia Pestana ; HENRIQUE, Narjara Pereira ; FURTADO, Danilo Arruda ; LENT, Roberto . TRANSIENTLY BIFURCATED CALLOSAL AXONS DURING CORTICAL DEVELOPMENT IN MICE. In: 33rd Society for Neuroscience Meeting, 2003, New Orleans. SFN Abstracts 35.10, 2003.

  • MUEHLFRIEDEL, Sven ; UZIEL, D. ; ZARBALIS, Konstantinos ; WURST, Wolfgang ; BOLZ, Jurgen . Development of thalamocortical arbors in the barrel cortex of ephrin-A5 knockout mice. In: 30th Society for Neuroscience Meetin, 2000, Nova Orleans. 30th Society for Neuroscience Meetin Abstracts, 2000. v. 217.21. p. 575.

  • UZIEL, D. ; WELKER, E. ; BOLZ, Jurgen . Papel de fatores corticais na não formação dos barris de S1 de camundongos mutantes barrelless. In: XV Encontro da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FESBE), 2000, Caxambú, 2000. p. 43.

  • UZIEL, D. ; MÜHLFRIEDEL, S. ; ZARBALIS, Konstantinos ; WURST, Wolfgang ; BOLZ, Jurgen . Papel da ephrina-a5 no desenvolvimento das conexões tálamo-corticais. In: XV Encontro da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FESBE), 2000, Caxambú. XV Encontro da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FESBE), 2000. p. 44.

  • UZIEL, D. ; WELKER, E. ; BOLZ, Jürgen . Developmental cortical fetures of BRL mutant mice. In: 29th Neuroscience Meeting, 1999, Miami. 29th Neuroscience Meeting abstracts. Washington: Society for Neuroscience, 1999. v. 25. p. 752.

  • UZIEL, D. ; WELKER, E. ; BOLZ, Jürgen . Role of cortical factors in the development of mouse barrelfield. In: Forum of the European Neuroscience, 1998, Berlin. European Journal of Neuroscience, 1998. v. 10. p. 277.

  • UZIEL, D. ; WELKER, E. ; BOLZ, Jürgen . Cortical factors involved in barrel formation in the somatosensory cortex of mice. In: 27th Neuroscience Meeting, 1997, New Orleans. Neuroscience Meeting abstracts. Washington: Society for Neuroscience, 1997. v. 23. p. 1699.

  • BAGNARD, D. ; UZIEL, D. ; PÜSCHEL, A. W. ; BOLZ, Jürgen . Semaphorin E acts as an attractive guidance signal in the developing cerebral cortex. In: 27th Neuroscience Meeting, 1997, New Orleans. Neuroscience Meeting abstracts. Washington: Society for Neuroscience, 1997. v. 23. p. 613.

  • UZIEL, D. ; BAGNARD, D. ; PÜSCHEL, A. W. ; BOLZ, Jürgen . Semaphorins as guidance molecules in the development of cortico-thalamic projections. In: XII Reunião anual da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FESBE), 1997, Caxambú. XII Reunião anual da Federação de Sociedades de Biologia Experimental, 1997. p. 225.

  • UZIEL, D. ; LOPESCONCEIÇÃO, M. C. ; SIMPSON, D. ; LENT, Roberto . Ontogênese das assimetrias hemisféricas em hamsters. In: XI Reunião anual da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FESBE), 1996, Caxambú. XI Reunião anual da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FESBE), 1996. p. 242.

  • PIMENTA, J. S. ; BRAUER, L. ; OLIVEIRA, R. B. ; UZIEL, D. ; LENT, Roberto . Desenvolvimento dendrítico de células calosas do córtex visual de hamsters normais e submetidos a enucleação neonatal. In: XI Reunião anual da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FESBE), 1996. XI Reunião anual da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FESBE). p. 341.

  • UZIEL, D. ; LOPESCONCEIÇÃO, M. C. ; LUIZ, R. R. ; LENT, Roberto . Rotational lateralization in adult and developing hamsters.. In: 4th IBRO World Congress of Neuroscience, 1995, Kyoto. 4th IBRO World Congress of Neuroscience abstracts, 1995. p. 474.

  • LOPES-CONCEIÇÃO, M. C. ; UZIEL, D. ; LUIZ, R. R. ; LENT, Roberto . Lateralidade rotacional em hamsters adultos e durante o desenvolvimento. In: IX Encontro da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FESBE), 1994, Caxambú, 1994. p. 58.

  • HEDINPEREIRA, C. ; UZIEL, D. ; LENT, Roberto . Bicommissural neurons in the cortex of developing hamsters. In: 22nd Society for Neuroscience Meeting, 1992, Anaheim. 22nd Society for Neuroscience Meeting Abstracts, 1992. p. 780.

  • UZIEL, D. ; LENT, Roberto ; HEDINPEREIRA, C. . Neurônios bicomissurais no córtex do hamster em desenvolvimento. In: VII Encontro da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FESBE), 1992, Caxambú. VII Encontro da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FESBE), 1992. p. 33.

  • Silva, V.C. ; Uziel, Daniela . COMPLEXO ECONÔMICO INDUSTRIAL DA SAÚDE NO RIO DE JANEIRO. 2019. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • BREVES, R. R. ; Uziel, Daniela . INSERÇÃO DO FARMACÊUTICO NO MERCADO DE TRABALHO: UMA COMPARAÇÃO ENTRE 2003 E 2014. 2019. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • DANTAS, J. G. ; PESTANA, G. A. ; NASCIMENTO, N. C. ; NASCIMENTO, A. C. ; Uziel, Daniela ; CARVALHO, L. R. B. . PANORAMA GERAL DO MUSEU DE ANATOMIA: APRECIAÇÃO DO PÚBLICO E SUAS EXPECTATIVAS. 2018. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • DANTAS, J. G. ; BARCELLOS, A. M. C. ; PESTANA, G. A. ; NASCIMENTO, N. C. ; NASCIMENTO, A. C. ; Uziel, Daniela ; CARVALHO, L. R. B. . CONHECENDO POR DENTRO DO CORPO. 2018. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • PESTANA, G. A. ; NASCIMENTO, N. C. ; DANTAS, J. G. ; BARCELLOS, A. M. C. ; NASCIMENTO, A. C. ; Uziel, Daniela ; CARVALHO, L. R. B. . CONSTRUINDO UM MUSEU DE ANATOMIA. 2018. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • MOURA, P. L. F. ; MASUKO, T. S. ; Santos MFH ; Uziel, Daniela . PRESERVAÇÃO DE CORPOS NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO BRASILEIRAS. 2018. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • BARCELLOS, A. M. C. ; Uziel, Daniela ; CARVALHO, L. R. B. . PANORAMA GERAL DO MUSEU DE ANATOMIA: APRECIAÇÃO DO PÚBLICO E SUAS EXPECTATIVAS. 2018. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • UZIEL, D. ; GOMES, C. V. S. . A Formação do Cluster de Biotecnologia no Estado do Rio de Janeiro. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • Araujo, R.L. ; Cudischevitch, CO ; Moretti, DM ; Oliveira, CF ; Amaral J.C.O.F. ; UZIEL, D. . Especimens plastinados como material complementar no ensino de ciencias no nivel fundamental da educacao basica. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • Cabral, BP ; UZIEL, D. ; Fonseca, MGD . Evolution of the Biotechnology Industry in Brazil: setting a yardstick. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • UZIEL, D. ; Cabral, BP ; Braga, L ; Ventura-Martins, G ; Fonseca, MGD . Biotecnologia no Brasil nos anos 2000: implicância do tratamento e adequação de dados e informações para o desenvolvimento do setor. 2016. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • UZIEL, D. . Recursos Humanos para Biotecnologia no Estado do Rio de Janeiro. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • Valadares V ; Costa WB ; Nascimento J ; Silva RP ; UZIEL, D. . Inserção da universidade no setor produtivo através da empresa júnior: a proposta da TecnopoliX na área de biotecnologia. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • TEIXEIRA, F. ; Moretti, DM ; UZIEL, D. . Empresas juniores como estratégia de formação de recursos humanos em biotecnologia no Estado do Rio de Janeiro.. 2013. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • TEIXEIRA, F. ; Moretti, DM ; UZIEL, D. . Empresas juniores como estratégia de formação de recursos humanos em biotecnologia no Estado do Rio de Janeiro.. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • TEIXEIRA, F. ; Moretti, DM ; UZIEL, D. . Empresas juniores como estratégia de formação de recursos humanos em biotecnologia no Estado do Rio de Janeiro.. 2012. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • FRANCO, Alfred Sholl ; UZIEL, D. . Material Multimídia para suporte didático do curso BMB 622 - Tópicos em Neurofisiologia 2003 (Multimídia).

Outras produções

UZIEL, D. ; BRANCO, M. L. C. ; Atella, G.C. ; Moretti, DM ; Pinho, JPC ; Campos, SPC ; Peçanha, FLM ; Lima, CV ; Rodrigues, MF ; Garcia e Souza, LF ; Medeiros, FHC . Anticorpos policlonais para pesquisa científica. 2011.

Amaral J.C.O.F. ; ABREU, José Garcia ; UZIEL, D. ; BRANCO, M. L. C. ; Garcia e Souza, LF ; Moretti, DM ; Pinho, JPC ; Medeiros, FHC ; Lima, CV ; Rodrigues, MF ; Campos, SPC ; Peçanha, FLM . Animais plastinados como material de apoio para o ensino de ciências na Educação Básica. 2011.

BRANCO, M. L. C. ; UZIEL, D. ; Alcantara, L.M.S.F. ; Garcia e Souza, LF ; Campos, SPC ; Moretti, DM ; Pinho, JPC ; Rodrigues, MF ; Lima, CV ; Medeiros, FHC . Laminários básico e avançado para o ensino de Histologia humana e animal. 2011.

Figueiredo, P.N. ; Uziel, Daniela ; Cabral, BP ; Palhinha, L. ; Gomes, P.I. . Accumulation of Technological Capabilities for Innovation and Strengthening Competitiveness in the Biotechnology Ecosystem for Human Health in Brazil. 2021.

Uziel, Daniela . Relatório Anual ? Dezembro 2021 Programa de Gestão de Indicadores de Desempenho. 2021.

DE NEGRI, F. ; Uziel, Daniela . O que e medicina de precisão e como ela pode impactar o setor saúde?. 2020.

FREIRE, D. ; ROEDER, A. ; UZIEL, D. ; PARANHOS, J. ; CLEMENTE, A. ; SILVA, E. R. P. ; FERREIRA, V. ; Carmo. F ; TAVARES, E. ; PORTUGAL, F. ; BACKX, H. ; GRIMALDI, M. ; PEREIRA, R. S. ; SOUZA, R. ; FILGUEIRAS, R. . Política de Inovação da UFRJ. 2019.

UZIEL, D. ; Viola. AC ; Veiga, C ; GOMES, C. V. S. ; Pires, C . Cadeia de Valor da Biotecnologia - Saúde Humana. 2018.

Uziel, Daniela ; Oliveira FL ; SAMPAIO, Tatiana Coelho ; Rossi MI . Projeto Pedagógico do curso de Ciências Biológicas Modalidade Médica. 2011.

UZIEL, D. . Ciências e Cognição. 2004.

UZIEL, D. . Revista de Neurociências. 2004.

Uziel, Daniela ; Allodi, S. . O peso das parcerias. 2020. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

UZIEL, D. ; BARROS, G. A. . Técnica de conservação de matéria orgânica é feita para uso didático. 2012. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

UZIEL, D. . Globo Cidadania: Plastinação. 2012.

Uziel, Daniela . A avaliação de tecnologias em saúde e sua incorporação ao sistema único. 2020; Tema: avaliação de tecnologias em saúde. (Site).

Uziel, Daniela . Medicina de precisão: fatores determinantes para seu aparecimento e crescimento. 2020. (Site).

UZIEL, D. . Medicina de Precisão: o que é e que benefícios traz?. 2019; Tema: Saúde. (Site).

UZIEL, D. . Precision Medicine: What is it and what benefits does it bring?. 2019; Tema: Saúde. (Site).

Silva, V.C. ; Uziel, Daniela ; Vitola, R. ; Fazolato, L. ; Silva, J.V.L . Regulatorio relacionado à indústria da saúde a área de impressão 3D. 2021. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Cartilha).

Joia, G.M. ; Vitola, R. ; Fazolato, L. ; Allonso, D. ; Uziel, Daniela . Patentes:introdução à propriedade intelectual. 2021. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Cartilha).

Joia, G.M. ; Vitola, R. ; Fazolato, L. ; Allonso, D. ; Uziel, Daniela . Patentes: Sou pesquisadore e quero patentear. O que fazer?. 2021. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Cartilha).

Joia, G.M. ; Vitola, R. ; Fazolato, L. ; Allonso, D. ; Uziel, Daniela . Patentes: Marca, patente e mercado internacional. 2021. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Cartilha).

Uziel, Daniela ; Silva, V.C. . O que é o InovaCCS. 2020. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

Uziel, Daniela ; Silva, V.C. ; Lima. R. . Como montar uma Empresa Junior. 2020. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

Uziel, Daniela ; Silva, V.C. . Como criar uma startup. 2020. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

UZIEL, D. ; Allonso, D. ; Matos. MP ; Carmo. F ; Fernandes. T ; Guardatti. I . Inovação e empreendedorismo universitario. 2019. .

UZIEL, D. ; Martinez, AM ; Allodi, S. . Exercicios de neuroanatomia. 2014. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Exercicos online de neuroanatomia).

UZIEL, D. . Atlas de neuroanatomia. 2014. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Atlas online).

UZIEL, D. ; HEDINPEREIRA, C. ; SERFATY, C. . II IBRO School in Neuroscience Brazil. 2004. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

UZIEL, D. ; FRANCO, Alfred Sholl . CEDERJ. 2004. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Ensino a distância).

UZIEL, D. . Homenagem a Professora Susanne Queiroz. 2016. Vídeo.

Projetos de pesquisa

  • 2017 - Atual

    O mercado de trabalho e a inserção das profissões biomédicas não assitenciais, Descrição: A formação de mão de obra capacitada e especializada pode ser vista como uma das principais contribuições da universidade para a inovação na indústria. Na área biomédica, formações como Biomedicina, Farmácia e Biologia geram profissionais com alta capacitação que podem, potencialmente contribuir para a indústria da saúde. Este projeto estuda as oportunidades existentes e a inserção desses profissionais.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Carla Veiga - Integrante / Gabrielle Rodrigues - Integrante.

  • 2012 - 2017

    Identificação das demandas de recursos humanos para fixação do cluster de biotecnologia do RJ: criação do Escritório de Gestão Integrada do Conhecimento (colaborador), Descrição: O projeto ?Identificação das demandas de recursos humanos para fixação do cluster de biotecnologia do RJ: criação do Escritório de Gestão Integrada do Conhecimento? consiste na criação de um ambiente para a promoção sistemática da integração da comunidade produtora de conhecimento na área de Biotecnologia do Estado do Rio de Janeiro. Constitui-se, dessa forma, num ativo para a otimização da produção do saber, reconhecendo as características institucionais específicas deste setor, tais como a cultura que envolve a comunidade acadêmica e os seus processos peculiares de comunicação. Trata-se de uma estratégia do Grupo Executivo do Complexo industrial das Ciências da vida ? GECIV, através do seu subgrupo de Capacitação e Formação de Recursos Humanos em biotecnologia, composto pela UERJ, o IFRJ, o IVB, a UEZO, a FIOCRUZ, a UNIFOA, a UFF e a UFRJ. O projeto propõe uma gestão do conhecimento onde a integração é entendida como essencial para que os pesquisadores, grupos de pesquisa e laboratórios de investigação sejam potencializados através da interação, troca e reconhecimento da sua capacidade interna, aumentando a produtividade, da excelência acadêmica e da disseminação do conhecimento em biotecnologia, privilegiando o viés da inovação inerente a esta área. Este projeto tem como objetivo atuar em três frentes fundamentais de pesquisa, são elas: 1) a oferta de Recursos Humanos em Biotecnologia por parte das Instituições de Ensino para atender de forma objetiva e consistente ; 2) a identificação das oportunidades e demandas do mercado no Estado do Rio de Janeiro e 3) a constituição de um ambiente de integração entre o mercado e as unidades formadoras.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Integrante / Marcia Cristina Paes - Integrante / Adriano Caldeira - Integrante / Ana Paula Salerno - Integrante / Tatiane Alves Baptista - Coordenador / Vania Muniz de Padua - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2009 - 2018

    Impacto dos insultos hipóxito-isquêmicos no desenvolvimento e plasticidade do sistema nervoso, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) Doutorado: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Roberto Lent - Integrante / Michele Ramos Lourenço - Integrante / Jean Pierre Mendes Lima - Integrante / Jair Roberto da Silva Braga - Integrante / Rafael Antão Sabença Cruz - Integrante / RAYÊE, DANIELLE - Integrante / Antonio Galina - Integrante.

Projetos de desenvolvimento

  • 2013 - Atual

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8º ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel Rozental - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - Atual

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel Rozental - Coordenador / Roberto Lent - Integrante., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2013 - Atual

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8º ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel Rozental - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - Atual

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel Rozental - Coordenador / Roberto Lent - Integrante., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2013 - Atual

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8º ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel Rozental - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - Atual

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel Rozental - Coordenador., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2013 - Atual

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8º ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - Atual

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2013 - Atual

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8º ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - Atual

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2013 - Atual

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8º ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - Atual

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2016 - Atual

    Embalsamamento de cadáver como alternativa à formolização para produção de peças anatômicas, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC) da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde sua criação, o ICB da UFRJ é responsável pelas disciplinas de Anatomia e suas instalações incluem um moderno laboratório anatômico. Todos os cadáveres e peças são conservados submersos em formol após perfusão, e há constante necessidade de troca da solução para a manutenção das peças. Neste trabalho, propomos reduzir a utilização do formol e manter a qualidade das peças pela substituição do mesmo por um líquido de embalsamento já amplamente usado em universidades americanas e manutenção dos cadáveres em ambiente externo. Como esta técnica nunca foi utilizada em países de clima tropical, acompanharemos, semana a semana, a viabilidade do cadáver por inspeção visual, registro fotográfico e histologia de amostras de diferentes órgãos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Integrante / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante / Luiz Henrique Pereira Alves - Integrante.

  • 2015 - Atual

    Métodos alternativos de produção de peças em laboratórios de anatomia humana visando a redução do uso do formaldeído, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde os anos 90, a Unidade de Plastinação utiliza a técnica desenvolvida na Universidade de Heidelberg, em que líquidos biológicos são substituídos por uma resina plástica. Assim, a peça anatômica inicialmente conservada em formol, passa por banhos de acetona para ser desidratada e levada a resina, para secar e ser conservada no ar ambiente. Já estabelecemos a técnica que utiliza a resina S10 para a plastinação de órgãos e segmentos, e buscamos estabelecer as técnicas que utilizam as resinas P40 e E12, respectivamente para fatias de sistema nervoso central e de segmentos corporais. Além disso, no laboratório anatômico, adotamos a perfusão do cadáver não mais com formol 10%, mas com misturas deste componente a outros, sem que haja necessidade de imersão do cadáver em cubas de formol. Desta forma, buscamos reduzir a utilização do formol, mas em paralelo, manter a qualidade do ensino. Neste projeto, buscamos maximizar a produção de material anatômico para ensino, pesquisa e extensão, que utilizem métodos alternativos ao formol.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Daniela Uziel - Integrante / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Coordenador / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8º ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - Atual

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2016 - Atual

    Embalsamamento de cadáver como alternativa à formolização para produção de peças anatômicas, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC) da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde sua criação, o ICB da UFRJ é responsável pelas disciplinas de Anatomia e suas instalações incluem um moderno laboratório anatômico. Todos os cadáveres e peças são conservados submersos em formol após perfusão, e há constante necessidade de troca da solução para a manutenção das peças. Neste trabalho, propomos reduzir a utilização do formol e manter a qualidade das peças pela substituição do mesmo por um líquido de embalsamento já amplamente usado em universidades americanas e manutenção dos cadáveres em ambiente externo. Como esta técnica nunca foi utilizada em países de clima tropical, acompanharemos, semana a semana, a viabilidade do cadáver por inspeção visual, registro fotográfico e histologia de amostras de diferentes órgãos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Integrante / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante / Luiz Henrique Pereira Alves - Integrante.

  • 2015 - Atual

    Métodos alternativos de produção de peças em laboratórios de anatomia humana visando a redução do uso do formaldeído, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde os anos 90, a Unidade de Plastinação utiliza a técnica desenvolvida na Universidade de Heidelberg, em que líquidos biológicos são substituídos por uma resina plástica. Assim, a peça anatômica inicialmente conservada em formol, passa por banhos de acetona para ser desidratada e levada a resina, para secar e ser conservada no ar ambiente. Já estabelecemos a técnica que utiliza a resina S10 para a plastinação de órgãos e segmentos, e buscamos estabelecer as técnicas que utilizam as resinas P40 e E12, respectivamente para fatias de sistema nervoso central e de segmentos corporais. Além disso, no laboratório anatômico, adotamos a perfusão do cadáver não mais com formol 10%, mas com misturas deste componente a outros, sem que haja necessidade de imersão do cadáver em cubas de formol. Desta forma, buscamos reduzir a utilização do formol, mas em paralelo, manter a qualidade do ensino. Neste projeto, buscamos maximizar a produção de material anatômico para ensino, pesquisa e extensão, que utilizem métodos alternativos ao formol.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Daniela Uziel - Integrante / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Coordenador / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8º ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - Atual

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2016 - Atual

    Embalsamamento de cadáver como alternativa à formolização para produção de peças anatômicas, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC) da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde sua criação, o ICB da UFRJ é responsável pelas disciplinas de Anatomia e suas instalações incluem um moderno laboratório anatômico. Todos os cadáveres e peças são conservados submersos em formol após perfusão, e há constante necessidade de troca da solução para a manutenção das peças. Neste trabalho, propomos reduzir a utilização do formol e manter a qualidade das peças pela substituição do mesmo por um líquido de embalsamento já amplamente usado em universidades americanas e manutenção dos cadáveres em ambiente externo. Como esta técnica nunca foi utilizada em países de clima tropical, acompanharemos, semana a semana, a viabilidade do cadáver por inspeção visual, registro fotográfico e histologia de amostras de diferentes órgãos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Integrante / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante / Luiz Henrique Pereira Alves - Integrante.

  • 2015 - Atual

    Métodos alternativos de produção de peças em laboratórios de anatomia humana visando a redução do uso do formaldeído, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde os anos 90, a Unidade de Plastinação utiliza a técnica desenvolvida na Universidade de Heidelberg, em que líquidos biológicos são substituídos por uma resina plástica. Assim, a peça anatômica inicialmente conservada em formol, passa por banhos de acetona para ser desidratada e levada a resina, para secar e ser conservada no ar ambiente. Já estabelecemos a técnica que utiliza a resina S10 para a plastinação de órgãos e segmentos, e buscamos estabelecer as técnicas que utilizam as resinas P40 e E12, respectivamente para fatias de sistema nervoso central e de segmentos corporais. Além disso, no laboratório anatômico, adotamos a perfusão do cadáver não mais com formol 10%, mas com misturas deste componente a outros, sem que haja necessidade de imersão do cadáver em cubas de formol. Desta forma, buscamos reduzir a utilização do formol, mas em paralelo, manter a qualidade do ensino. Neste projeto, buscamos maximizar a produção de material anatômico para ensino, pesquisa e extensão, que utilizem métodos alternativos ao formol.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Daniela Uziel - Integrante / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Coordenador / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8º ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - Atual

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2016 - Atual

    Embalsamamento de cadáver como alternativa à formolização para produção de peças anatômicas, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC) da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde sua criação, o ICB da UFRJ é responsável pelas disciplinas de Anatomia e suas instalações incluem um moderno laboratório anatômico. Todos os cadáveres e peças são conservados submersos em formol após perfusão, e há constante necessidade de troca da solução para a manutenção das peças. Neste trabalho, propomos reduzir a utilização do formol e manter a qualidade das peças pela substituição do mesmo por um líquido de embalsamento já amplamente usado em universidades americanas e manutenção dos cadáveres em ambiente externo. Como esta técnica nunca foi utilizada em países de clima tropical, acompanharemos, semana a semana, a viabilidade do cadáver por inspeção visual, registro fotográfico e histologia de amostras de diferentes órgãos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Integrante / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante / Luiz Henrique Pereira Alves - Integrante.

  • 2015 - Atual

    Métodos alternativos de produção de peças em laboratórios de anatomia humana visando a redução do uso do formaldeído, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde os anos 90, a Unidade de Plastinação utiliza a técnica desenvolvida na Universidade de Heidelberg, em que líquidos biológicos são substituídos por uma resina plástica. Assim, a peça anatômica inicialmente conservada em formol, passa por banhos de acetona para ser desidratada e levada a resina, para secar e ser conservada no ar ambiente. Já estabelecemos a técnica que utiliza a resina S10 para a plastinação de órgãos e segmentos, e buscamos estabelecer as técnicas que utilizam as resinas P40 e E12, respectivamente para fatias de sistema nervoso central e de segmentos corporais. Além disso, no laboratório anatômico, adotamos a perfusão do cadáver não mais com formol 10%, mas com misturas deste componente a outros, sem que haja necessidade de imersão do cadáver em cubas de formol. Desta forma, buscamos reduzir a utilização do formol, mas em paralelo, manter a qualidade do ensino. Neste projeto, buscamos maximizar a produção de material anatômico para ensino, pesquisa e extensão, que utilizem métodos alternativos ao formol.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento.

  • 2013 - Atual

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8º ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante.Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - Atual

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador.Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2016 - Atual

    Embalsamamento de cadáver como alternativa à formolização para produção de peças anatômicas, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC) da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde sua criação, o ICB da UFRJ é responsável pelas disciplinas de Anatomia e suas instalações incluem um moderno laboratório anatômico. Todos os cadáveres e peças são conservados submersos em formol após perfusão, e há constante necessidade de troca da solução para a manutenção das peças. Neste trabalho, propomos reduzir a utilização do formol e manter a qualidade das peças pela substituição do mesmo por um líquido de embalsamento já amplamente usado em universidades americanas e manutenção dos cadáveres em ambiente externo. Como esta técnica nunca foi utilizada em países de clima tropical, acompanharemos, semana a semana, a viabilidade do cadáver por inspeção visual, registro fotográfico e histologia de amostras de diferentes órgãos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Integrante / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante / Luiz Henrique Pereira Alves - Integrante.

  • 2015 - Atual

    Métodos alternativos de produção de peças em laboratórios de anatomia humana visando a redução do uso do formaldeído, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde os anos 90, a Unidade de Plastinação utiliza a técnica desenvolvida na Universidade de Heidelberg, em que líquidos biológicos são substituídos por uma resina plástica. Assim, a peça anatômica inicialmente conservada em formol, passa por banhos de acetona para ser desidratada e levada a resina, para secar e ser conservada no ar ambiente. Já estabelecemos a técnica que utiliza a resina S10 para a plastinação de órgãos e segmentos, e buscamos estabelecer as técnicas que utilizam as resinas P40 e E12, respectivamente para fatias de sistema nervoso central e de segmentos corporais. Além disso, no laboratório anatômico, adotamos a perfusão do cadáver não mais com formol 10%, mas com misturas deste componente a outros, sem que haja necessidade de imersão do cadáver em cubas de formol. Desta forma, buscamos reduzir a utilização do formol, mas em paralelo, manter a qualidade do ensino. Neste projeto, buscamos maximizar a produção de material anatômico para ensino, pesquisa e extensão, que utilizem métodos alternativos ao formol.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Daniela Uziel - Integrante / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Coordenador / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8º ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - Atual

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2016 - Atual

    Embalsamamento de cadáver como alternativa à formolização para produção de peças anatômicas, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC) da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde sua criação, o ICB da UFRJ é responsável pelas disciplinas de Anatomia e suas instalações incluem um moderno laboratório anatômico. Todos os cadáveres e peças são conservados submersos em formol após perfusão, e há constante necessidade de troca da solução para a manutenção das peças. Neste trabalho, propomos reduzir a utilização do formol e manter a qualidade das peças pela substituição do mesmo por um líquido de embalsamento já amplamente usado em universidades americanas e manutenção dos cadáveres em ambiente externo. Como esta técnica nunca foi utilizada em países de clima tropical, acompanharemos, semana a semana, a viabilidade do cadáver por inspeção visual, registro fotográfico e histologia de amostras de diferentes órgãos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Integrante / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante / Luiz Henrique Pereira Alves - Integrante.

  • 2015 - Atual

    Métodos alternativos de produção de peças em laboratórios de anatomia humana visando a redução do uso do formaldeído, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde os anos 90, a Unidade de Plastinação utiliza a técnica desenvolvida na Universidade de Heidelberg, em que líquidos biológicos são substituídos por uma resina plástica. Assim, a peça anatômica inicialmente conservada em formol, passa por banhos de acetona para ser desidratada e levada a resina, para secar e ser conservada no ar ambiente. Já estabelecemos a técnica que utiliza a resina S10 para a plastinação de órgãos e segmentos, e buscamos estabelecer as técnicas que utilizam as resinas P40 e E12, respectivamente para fatias de sistema nervoso central e de segmentos corporais. Além disso, no laboratório anatômico, adotamos a perfusão do cadáver não mais com formol 10%, mas com misturas deste componente a outros, sem que haja necessidade de imersão do cadáver em cubas de formol. Desta forma, buscamos reduzir a utilização do formol, mas em paralelo, manter a qualidade do ensino. Neste projeto, buscamos maximizar a produção de material anatômico para ensino, pesquisa e extensão, que utilizem métodos alternativos ao formol.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Daniela Uziel - Integrante / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Coordenador / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8º ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - 2019

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2016 - Atual

    Embalsamamento de cadáver como alternativa à formolização para produção de peças anatômicas, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC) da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde sua criação, o ICB da UFRJ é responsável pelas disciplinas de Anatomia e suas instalações incluem um moderno laboratório anatômico. Todos os cadáveres e peças são conservados submersos em formol após perfusão, e há constante necessidade de troca da solução para a manutenção das peças. Neste trabalho, propomos reduzir a utilização do formol e manter a qualidade das peças pela substituição do mesmo por um líquido de embalsamento já amplamente usado em universidades americanas e manutenção dos cadáveres em ambiente externo. Como esta técnica nunca foi utilizada em países de clima tropical, acompanharemos, semana a semana, a viabilidade do cadáver por inspeção visual, registro fotográfico e histologia de amostras de diferentes órgãos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Integrante / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante / Luiz Henrique Pereira Alves - Integrante.

  • 2015 - Atual

    Métodos alternativos de produção de peças em laboratórios de anatomia humana visando a redução do uso do formaldeído, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde os anos 90, a Unidade de Plastinação utiliza a técnica desenvolvida na Universidade de Heidelberg, em que líquidos biológicos são substituídos por uma resina plástica. Assim, a peça anatômica inicialmente conservada em formol, passa por banhos de acetona para ser desidratada e levada a resina, para secar e ser conservada no ar ambiente. Já estabelecemos a técnica que utiliza a resina S10 para a plastinação de órgãos e segmentos, e buscamos estabelecer as técnicas que utilizam as resinas P40 e E12, respectivamente para fatias de sistema nervoso central e de segmentos corporais. Além disso, no laboratório anatômico, adotamos a perfusão do cadáver não mais com formol 10%, mas com misturas deste componente a outros, sem que haja necessidade de imersão do cadáver em cubas de formol. Desta forma, buscamos reduzir a utilização do formol, mas em paralelo, manter a qualidade do ensino. Neste projeto, buscamos maximizar a produção de material anatômico para ensino, pesquisa e extensão, que utilizem métodos alternativos ao formol.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Daniela Uziel - Integrante / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Coordenador / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8º ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - 2019

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2016 - Atual

    Embalsamamento de cadáver como alternativa à formolização para produção de peças anatômicas, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC) da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde sua criação, o ICB da UFRJ é responsável pelas disciplinas de Anatomia e suas instalações incluem um moderno laboratório anatômico. Todos os cadáveres e peças são conservados submersos em formol após perfusão, e há constante necessidade de troca da solução para a manutenção das peças. Neste trabalho, propomos reduzir a utilização do formol e manter a qualidade das peças pela substituição do mesmo por um líquido de embalsamento já amplamente usado em universidades americanas e manutenção dos cadáveres em ambiente externo. Como esta técnica nunca foi utilizada em países de clima tropical, acompanharemos, semana a semana, a viabilidade do cadáver por inspeção visual, registro fotográfico e histologia de amostras de diferentes órgãos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Integrante / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante / Luiz Henrique Pereira Alves - Integrante.

  • 2015 - 2019

    Métodos alternativos de produção de peças em laboratórios de anatomia humana visando a redução do uso do formaldeído, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde os anos 90, a Unidade de Plastinação utiliza a técnica desenvolvida na Universidade de Heidelberg, em que líquidos biológicos são substituídos por uma resina plástica. Assim, a peça anatômica inicialmente conservada em formol, passa por banhos de acetona para ser desidratada e levada a resina, para secar e ser conservada no ar ambiente. Já estabelecemos a técnica que utiliza a resina S10 para a plastinação de órgãos e segmentos, e buscamos estabelecer as técnicas que utilizam as resinas P40 e E12, respectivamente para fatias de sistema nervoso central e de segmentos corporais. Além disso, no laboratório anatômico, adotamos a perfusão do cadáver não mais com formol 10%, mas com misturas deste componente a outros, sem que haja necessidade de imersão do cadáver em cubas de formol. Desta forma, buscamos reduzir a utilização do formol, mas em paralelo, manter a qualidade do ensino. Neste projeto, buscamos maximizar a produção de material anatômico para ensino, pesquisa e extensão, que utilizem métodos alternativos ao formol.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Daniela Uziel - Integrante / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Coordenador / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante.

  • 2013 - 2019

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8 ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - 2019

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2016 - Atual

    Embalsamamento de cadáver como alternativa à formolização para produção de peças anatômicas, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC) da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde sua criação, o ICB da UFRJ é responsável pelas disciplinas de Anatomia e suas instalações incluem um moderno laboratório anatômico. Todos os cadáveres e peças são conservados submersos em formol após perfusão, e há constante necessidade de troca da solução para a manutenção das peças. Neste trabalho, propomos reduzir a utilização do formol e manter a qualidade das peças pela substituição do mesmo por um líquido de embalsamento já amplamente usado em universidades americanas e manutenção dos cadáveres em ambiente externo. Como esta técnica nunca foi utilizada em países de clima tropical, acompanharemos, semana a semana, a viabilidade do cadáver por inspeção visual, registro fotográfico e histologia de amostras de diferentes órgãos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Integrante / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante / Luiz Henrique Pereira Alves - Integrante.

  • 2015 - 2019

    Métodos alternativos de produção de peças em laboratórios de anatomia humana visando a redução do uso do formaldeído, Descrição: O ensino de Anatomia é comum às carreiras da área biomédica, tendo parte da carga teórica, e parte prática, que utiliza peças cadavéricas dissecadas. O formaldeído é amplamente utilizado na indústria e sua forma líquida (misturada a água e álcool) é denominada formalina ou formol. Historicamente, o formol é amplamente utilizado para a conservação dos corpos em laboratórios anatômicos de instituições de ensino superior. Em 2004 a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer da OMS avaliou o risco carcinogênico e o nível de exposição ao formaldeído em diversos ambientes, incluindo o de ensino e apresentou propostas de regulação a sua exposição. Com base neste documento, em outras evidências de risco a saúde, e na dificuldade de descarte do formol, preconiza-se mundialmente a redução de seu uso, o que é recomendado no Brasil pela Sociedade Brasileira de Anatomia para ambientes de ensino. Desde os anos 90, a Unidade de Plastinação utiliza a técnica desenvolvida na Universidade de Heidelberg, em que líquidos biológicos são substituídos por uma resina plástica. Assim, a peça anatômica inicialmente conservada em formol, passa por banhos de acetona para ser desidratada e levada a resina, para secar e ser conservada no ar ambiente. Já estabelecemos a técnica que utiliza a resina S10 para a plastinação de órgãos e segmentos, e buscamos estabelecer as técnicas que utilizam as resinas P40 e E12, respectivamente para fatias de sistema nervoso central e de segmentos corporais. Além disso, no laboratório anatômico, adotamos a perfusão do cadáver não mais com formol 10%, mas com misturas deste componente a outros, sem que haja necessidade de imersão do cadáver em cubas de formol. Desta forma, buscamos reduzir a utilização do formol, mas em paralelo, manter a qualidade do ensino. Neste projeto, buscamos maximizar a produção de material anatômico para ensino, pesquisa e extensão, que utilizem métodos alternativos ao formol.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Daniela Uziel - Integrante / Marcos Fabio Henriques dos Santos - Coordenador / Álvaro de Rezende Teixeira - Integrante.

  • 2013 - 2019

    Estratégias Inovadoras no Ensino de Ciências para a Educação Básica, Descrição: A utilização de animais em aulas práticas escolares já foi muito frequente para se analisar aspectos da biologia e fisiologia de seres vivos que fazem parte do programa curricular dos alunos. No entanto, por motivos diversos extremamente pertinentes, legislação brasileira, através da Lei Arouca, restringiu o uso de animais ao Ensino Superior e ao Ensino Médio-Técnico Biomédico. Professores de Ensino Básico buscam constantemente formas alternativas de atrair o aluno para o ensino de ciências, visando recursos que ao mesmo tempo demonstrem o conteúdo a ser ensinado e aprendido bem como sejam lúdicas, dinâmicas e que estimulem a participação do aluno na aula, tirando-o da posição de espectador. Esta proposta visa a preparação e comercialização de peças anatômicas plastinadas que possam ser utilizadas em sala de aula nos níveis fundamental (a partir do 8 ano) e médio e que possam constituir material suplementar para o ensino dos sistemas orgânicos nas escolas. Nossos resultados preliminares indicam uma excelente aceitação do material em jovens de 16 a 20 anos, que tiveram a oportunidade de manipulá-los em seus cursos preparatórios para o vestibular. Propomos expandir seu uso, chegando às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador / Jane Cristina Oliveira Faria Amaral - Integrante / Rafael Lames de Araujo - Integrante., Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.

  • 2011 - 2019

    Empresa Jùnior Antonio Paes de Carvalho, Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (0) Graduação: (16) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) . , Integrantes: Daniela Uziel - Coordenador., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

Prêmios

2019

Prêmio de Educação Empreendedora do Sebrae (rodada estadual), Sebrae.

2019

Menção Honrosa do aluno Rafael Ribeiro Breves, 10a Semana Integração Acadêmica UFRJ.

2019

Menção Honrosa da aluna Victoria Cristina da Silva, 10a Semana Integração Acadêmica UFRJ.

2016

Menção Honrosa na 7a Semana de Integração Acadêmica da UFRJ, UFRJ.

2012

Professora Homenageada pela Turma de formandos do Curso de Ciências Biológicas Modalidade Médica (Ingressantes de 2008), UFRJ.

2011

Professora Homenageada pela Turma de formandos do Curso de Ciências Biológicas Modalidade Médica (Ingressantes de 2007), UFRJ.

2010

Professora Homenageada pela Turma de formandos do Curso de Ciências Biológicas Modalidade Médica (Ingressantes de 2006), UFRJ.

2009

Professora Homenageada pela Turma de formandos do Curso de Ciências Biológicas Modalidade Médica (Ingressantes de 2005), UFRJ.

2009

Bolsa Jovem Cientista do Estado do Rio de Janeiro, FAPERJ.

Histórico profissional

Endereço profissional

  • Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Farmacia. , Avenida Carlos Chagas Filho 373 CCS Bloco L Cidade Universitaria, Ilha do Fundao, 21941902 - Rio de Janeiro, RJ - Brasil, Telefone: (21) 39386518

Experiência profissional

2012 - 2017

Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologio do Rio de Janeiro

Vínculo: membro do GT de RH do GECIV, Enquadramento Funcional: membro, Carga horária: 1

2009 - 2018

Fundação Oswaldo Cruz

Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Colaborador, Carga horária: 4

2005 - 2005

New York Medical College

Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Outro, Carga horária: 40

2020 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Comissão Gestora do Plano de Gestão de Logíst, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2020 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Presidente do Comitê de Gestão Indicad. Pr2, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2020 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: GT Pesquisa e Extensão da FF, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2019 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Coordenadora de Inovação do CCS, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2019 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Subcoordenadora da ênfase C&T do curso CBMM, Carga horária: 4

2019 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Representante CCS Conselho Incubadora Coppe, Carga horária: 2

2019 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Membro do Comitê de Inovação da UFRJ, Carga horária: 2

2018 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Associado III, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2020 - 2020

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Comitê Ad hoc Edital MAI DAI, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2011 - 2019

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Membro do colegiado do curso de Biotecnologia, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2010 - 2019

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Coordenador da Empresa Júnior APC, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2014 - 2018

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Comitê assessor da Agência de Inovação, Regime: Dedicação exclusiva.

2013 - 2018

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Associado I, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2014 - 2015

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Vice coordenador do curso de Biotecnologia, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2014 - 2014

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Membro do Núcleo de Inovação da Saúde, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2012 - 2014

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: , Enquadramento Funcional: Coordenadora do curso Biotecnologia, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
curso de Ciências Biológicas: Biotecnologia do Polo de Xerem

2002 - 2013

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2008 - 2011

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Diretor Adjunto de Graduação, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2008 - 2011

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Coord. curso Ciencias Biol. Mod. Med., Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2001 - 2002

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Bolsista recém-doutor, Enquadramento Funcional: Recém doutor, Carga horária: 40

Atividades

  • 07/2019

    Pesquisa e desenvolvimento, Faculdade de Farmacia.,Linhas de pesquisa

2000 - 2000

Friedrich Schiller Universitaet Jena

Vínculo: Outro, Enquadramento Funcional: Pesquisador Assistente, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

  • 02/2000 - 04/2000

    Ensino, Biologia, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Aulas práticas de Neurobiologia para alunos de sexto período do curso de ciências biológicas

1996 - 1997

Institut National de la Sante et la Recherche Medicale

Vínculo: Human Frontier Science Program, Enquadramento Funcional: fellow, Carga horária: 40

2018 - 2020

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - DF

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador visitante, Carga horária: 8