Vanessa Bianchi Gatto

Licenciada em Letras (Português e Literaturas da Língua Portuguesa) na Universidade Federal de Santa Maria (2013). Mestre (2015) e Doutora (2019) em Letras (Estudos Linguísticos) pela mesma universidade. Participa do projeto "CADRELP - Núcleo de Capacitação em Desenvolvimento de Recursos em Ensino de Língua Portuguesa", orientado pelo Prof. Dr. Marcos Gustavo Richter.

Informações coletadas do Lattes em 22/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Letras

2015 - 2019

Universidade Federal de Santa Maria
Título: O Desenvolvimento Profissional Corresponsável na (re)estruturação da identidade docente em Letras
Marcos Gustavo Richter. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Teoria Holística da Atividade; Desenvolvimento Profissional Corresponsável; Escuta Enquadrativa; Racionalidade intrínseca; Corporativismo ético.Grande área: Lingüística, Letras e Artes

Mestrado em Estudos Linguísticos

2013 - 2015

Universidade Federal de Santa Maria
Título: Representações do trabalho docente (des)construídas por um aluno de licenciatura,Ano de Obtenção: 2015
Marcia Cristina Correa.Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Interacionismo sociodiscursivo; Trabalho Docente; Representação.Grande área: Lingüística, Letras e Artes

Graduação em Letras - Português

2009 - 2013

Universidade Federal de Santa Maria

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2012 - 2012

Four Skills I. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Italiano

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.

Bandeira representando o idioma Francês

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

GATTO, V. B. . Coordenadora de Mesa no IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES), V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM), I Seminário Nacional Integrado da Área das Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (SENI). 2016. (Outro).

GATTO, V. B. . Semana Acadêmica de Letras/UFSM - 2012 - "Ab infinito". 2012. (Outro).

GATTO, V. B. . II Jornada Regional de Iniciação Científica em Estudos Linguísticos - I Seminário de Teses e Dissertações em Andamento - XII Seminário Corpus. 2009. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

10º Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES), 6º Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM), 7º Seminário Nacional e 1º Seminário Internacional de Língua e Literatura: teoria e ensino. 2018. (Seminário).

XXII Simpósio de Ensino, Pesquisa e Extensão - SEPE. 2018. (Simpósio).

Defesa de Doutorado de Liane Batistela Kist. 2017. (Exposição).

IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES), V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM), I Seminário Nacional Integrado da Área das Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (SENI). 2016. (Seminário).

VIII Fórum de Estudos Interacionistas: Procurando uma agulha na no palheiro: a pesquisa como investigação - questões chave. 2016. (Outra).

XII Encontro do CELSUL ? 100 anos do Curso de Linguística Geral: desdobramentos e perspectivas. 2016. (Encontro).

104º Seminário de Estudos Avançados: Conferência com Valdir Flores (UFRGS) e Luiza Milano (UFRGS): Saussure e Jakobson: uma relação promissora na constituição da Linguística contemporânea. 2015. (Seminário).

109º Seminário de Estudos Avançados e XXII Seminário Corpus. 2015. (Seminário).

Aula Magna - Conferência com Véronique Dahlet (USP): Enunciação e categoria da pessoa: a identidade e o ser no mundo. 2015. (Outra).

Defesa de Doutorado de Ana Cecília Teixeira Gonçalves. 2015. (Exposição).

Defesa de Doutorado de Cristiano Egger Veçossi. 2015. (Exposição).

Defesa de Doutorado de Raquel da Silva Goularte. 2015. (Exposição).

Defesa de Mestrado de Felipe Fraitag. 2015. (Exposição).

Defesa de Mestrado de Louise Cervo Spencer. 2015. (Exposição).

IV Fórum de Estudos Interacionistas: Aspectos da formação linguística e discursiva do professor. 2015. (Outra).

Qualificação de Doutorado de Angela Luzia Flain. 2015. (Exposição).

V Fórum de Estudos Interacionistas: Teoria Holística da Atividade. 2015. (Outra).

VI Fórum de Estudos Interacionistas: A experiência humana no funcionamento simbólico da linguagem: enunciação, aquisição e ensino de língua materna. 2015. (Outra).

VII Fórum de Estudos Interacionistas e II Mostra Pibid Letras Português e Espanhol. 2015. (Outra).

XXIV Semana de Letras da Universidade Federal de Santa Maria. 2015. (Outra).

90º Seminário de Estudos Avançados.Curso "Livro Didático de Língua Portuguesa no Brasil". 2013. (Seminário).

Palestra "Bakhtin e a responsabilidade ética no mundo cotidiano" e palestra "Violência contra a mulher: alguns elementos para desvelar a desnaturalização e desigualdade entre gêneros". 2012. (Outra).

PET Cinefórum. 2012. (Outra).

Semana Acadêmica de Letras/UFSM - 2012 - "Ab infinito". 2012. (Outra).

I Fórum de Estudos Interacionistas. 2011. (Simpósio).

Jornada de Formação, Ensino e Produção do Centro de Artes e Letras. 2011. (Outra).

Seminário Diálogos Teóricos Indisciplinares. 2011. (Seminário).

XVIII Seminário Corpus: Língua, enunciação e discurso. 2011. (Seminário).

I Seminário de Estágio Português/Literaturas: relatos de experiências. 2010. (Seminário).

Módulo 1 do V Simpósio Internacional "Linguagem, Cultura e Sociedade". 2010. (Simpósio).

Módulo 2 do V Simpósio Internacional "Linguagem, Cultura e Sociedade". 2010. (Simpósio).

Seminário de Letras Clássicas. 2010. (Seminário).

V Encontro do Grupo de Estudos Linguísticos (GEL). 2009. (Encontro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Fabrícia Cavichioli Braida

CORREA, M. C.;CAVICHIOLI, Fabrícia; LEAO, R. M. A.. Representações do trabalho docente (des)construídas por um aluno de licenciatura. 2015. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Federal de Santa Maria.

Rosaura Maria Albuquerque Leão

LEÃO, R. M. A.. REPRESENTAÇÕES DO TRABALHO DOCENTE (DES)CONSTRUÍDAS POR UM ALUNO DE LICENCIATURA. 2015. Dissertação (Mestrado em PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS) - Universidade Federal de Santa Maria.

Sara Regina Scotta Cabral

RICHTER, Marcos Gustavo; FLAIN, A. L. G.; KIST, L. B.; NEGREIROS, G. R. C.;CABRAL, S. R. S.. O desenvolvimento profissional corresponsável na (re)estruturação da identidade docente em Letras. 2019. Tese (Doutorado em Letras) - Universidade Federal de Santa Maria.

Carla Callegaro Corrêa Kader

RICHTER, M. G.; FLAIN, A. L. G.; KIST, L. B.; Cabral, Sara; Fuzer, Cristiane;KADER, Carla Callegaro Corrêa. O desenvolvimento profissional corresponsável na (re)construção da identidade docente em Letras. 2019. Tese (Doutorado em Letras) - Seção Sindical dos Docentes da UFSM.

Carla Callegaro Corrêa Kader

CORREA, M. C.; FLAIN, A. L. G.;KADER, Carla Callegaro Corrêa; BORIN, M. A.. Construção de representações endógenas e enquadradas do trabalho docente: um lugar de desenvolvimento profissional ao educador linguoliterário. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Programa de Pós-Graduação em Letras) - Universidade Federal de Santa Maria.

Lídia Stutz

CÔRREA, M. C.; MEDRADO, P. B.;STUTZ, L.; RICHTER, M. G.; MOTTA, V. R. A.. Construção de representações endógenas e enquadradas do trabalho docente: um lugar de desenvolvimento profissional ao educador linguoliterário. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Letras) - Universidade Federal de Santa Maria.

Gil Roberto Costa Negreiros

NEGREIROS, G. R. C.; RICHTER, M. G.; KIST, L. B.; CABRAL, S. R. S.; FLAIN, A. L. G.. O desenvolvimento profissional corresponsável na (re)estruturação da identidade docente em Letras. 2019. Tese (Doutorado em Letras) - Universidade Federal de Santa Maria.

Liane Batistela Kist

RICHTER, M. G.; FLAIN, A. L. G.;KIST, Liane Batistela; NEGREIROS, G. R. C.; CABRAL, S. R. S.. O Desenvolvimento Profissional Corresponsável na (Re)estruturação da Identidade Docente em Letras. 2019. Tese (Doutorado em Programa de Pós-graduação em Letras) - Universidade Federal de Santa Maria.

Liane Batistela Kist

KIST, Liane Batistela; CORREA, M. C.; FLAIN, A. L. G.; KADER, C. C. C.; BORIN, M. A.. Construção de Representações Endógenas e Enquadradas do Trabalho Docente: um lugar de desenvolvimento profissional ao educador linguoliterário. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Letras) - Universidade Federal de Santa Maria.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • GATTO, V. B. ; CORREA, M. C. . Representações da ação profissional docente: (des)construções via processos de interação linguageiros na trajetória da formação. SCRIPTA , v. 19, p. 173, 2016.

  • GATTO, V. B. ; RICHTER, M. G. ; CORREA, M. C. . Desenvolvimento Profissional Corresponsável: caminho para a construção de representações endógenas do trabalho docente. Revista Linguagem & Ensino (Online) , v. 19, p. 61-90, 2016.

  • GOULARTE, R. S. ; GATTO, V. B. . O método da Instrução ao Sósia(IAS) na pesquisa sobre o trabalho docente. Linguagens & Cidadania , v. 15, p. 1-16-16, 2013.

  • GATTO, V. B. ; MELO, K. R. de ; CORREA, M. C. . Aspectos basilares do Interacionismo Sociodiscursivo: conceitos vygotskyanos revisitados. LINGUAGENS & CIDADANIA , v. 01, p. 1-9, 2012.

  • GATTO, V. B. . A educação precisa de respostas? Sou professora. Posso ajudar. (Parte II). Jornal Hoje, p. 4 - 4, 01 jan. 2014.

  • GATTO, V. B. . A educação precisa de respostas? Sou professora. Posso ajudar. (Parte I). Jornal Hoje, p. 11 - 11, 25 dez. 2013.

  • GATTO, V. B. ; FREITAG, Felipe ; HOFFMANN, A. F. S. ; RICHTER, M. G. . Planilhas de avaliação como instrumentos de interface controle-mediação no ensino de língua materna. In: XXII Simpósio de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2018, Santa Maria - RS. Anais do XXII Simpósio de Ensino, Pesquisa e Extensão, Santa Maria - RS. Santa Maria-RS: UFN, 2018. v. 10. p. 1-10.

  • RICHTER, M. G. ; FREITAG, Felipe ; GATTO, V. B. . Razões epistemológicas para o combate à acrasia na educação linguoliterária: atualizações da Teoria Holística da Atividade. In: II Encontro de Professores de Linguagens da Educação Básica, Profissional e Tecnológica, 2018, São Vicente do Sul-RS. Anais do II Encontro de Professores de Linguagens da Educação Básica, Profissional e Tecnológica, 2018. p. 103-114.

  • RICHTER, M. G. ; GATTO, V. B. . Racionalidade intrínseca e corporativismo ético na profissão do educador linguoliterário. In: Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES), Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM), Seminário Nacional e Seminário Internacional de Língua e Literatura: teoria e ensino, 2018, Passo Fundo. Anais do 10º Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES), 6º Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM), 7º Seminário Nacional e 1º Seminário Internacional de Língua e Literatura: teoria e ensino, 2018. p. 1-15.

  • DAMETTO, F. V. M. ; GATTO, V. B. ; SPENCER, L. C. ; CORREA, M. C. . Políticas públicas e a disciplina de redação na educação básica brasileira: contradições e implicações. In: XVIII Jornada Nacional de Educação e VI Seminário Interdisciplinar Pibid/Unifra: Ensino, Ambiente e Cultura: interfaces na formação docente, 2016, Santa Maria. Anais da XVIII Jornada Nacional de Educação e do VI Seminário Interdisciplinar PIBID, Santa Maria - RS. Tema: Ensino, ambiente e cultura: interfaces na formação docente. De 13 a 16 de setembro de 2016.. Santa Maria: Centro Universitário Franciscano, 2016. v. 2/2016. p. 1-10.

  • GATTO, V. B. . Representações do trabalho docente textualizadas por um aluno de licenciatura: complexidade, imprevisibilidade e intersubjetividade irredutíveis à visão vocacional. In: V Seminário Nacional de Linguística e Ensino de Língua Portuguesa, 2015, Rio Grande-RS. Anais do V Senallp, 2015.

  • GATTO, V. B. ; GOULARTE, R. S. ; MELO, K. R. de . Lendo, ouvindo e produzindo opiniões: da teoria interacionista à prática em sala de aula. In: InLetras: Seminário Internacional em Letras: Linguagens em (inter)ação, 2013, Santa Maria. Anais Seminário Internacional em Letras - Unifra - Santa Maria. Santa Maria: Unifra, 2013. v. 3. p. 1-10.

  • GOULARTE, R. S. ; GATTO, V. B. ; MELO, K. R. de . O livro didático nos anos 70 a 2000: retrato da mudança nas concepções de língua, de linguagem e de ensino de língua no Brasil. In: InLetras: Seminário Internacional em Letras: Linguagens em (inter)ação, 2013, Santa Maria. Anais Seminário Internacional em Letras - Unifra - Santa Maria. Santa Maria: Unifra, 2013. v. 3. p. 1-10.

  • MELO, K. R. de ; GATTO, V. B. ; GOULARTE, R. S. . A construção da autonomia do aluno em sala de aula: uma proposta possível. In: InLetras: Seminário Internacional em Letras: Linguagens em (inter)ação, 2013, Santa Maria. Anais Seminário Internacional em Letras - Unifra - Santa Maria. Santa Maria: Unifra, 2013. v. 3. p. 1-10.

  • GATTO, V. B. ; MELO, K. R. de . Representações do Agir Docente para Alunos do Curso de Letras. In: 26ª Jornada Acadêmica Integrada, 2011, Santa Maria. Anais da 26ª Jornada Acadêmica Integrada, 2011.

  • GATTO, V. B. ; DAMETTO, F. V. M. ; SPENCER, L. C. . Formação inicial e Continuada na perspectiva da Teoria Holística da Atividade: Desenvolvimento Profissional Corresponsável. In: IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES), V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM), I Seminário Nacional Integrado da Área das Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (SENI), 2016, Passo Fundo-RS. Caderno de Resumos do IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES), V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM), I Seminário Nacional Integrado da Área das Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (SENI). Passo Fundo: UPF Editora, 2016. p. 184-185.

  • DAMETTO, F. V. M. ; GATTO, V. B. ; SPENCER, L. C. . Implicações iniciais da disciplinarização da redação na educação básica: reflexos no trabalho docente. In: IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES), V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM), I Seminário Nacional Integrado da Área das Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (SENI), 2016, Passo Fundo-RS. Caderno de Resumos do IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES), V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM), I Seminário Nacional Integrado da Área das Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (SENI). Passo Fundo: UPF Editora, 2016. p. 102-103.

  • GATTO, V. B. ; SPENCER, L. C. . O trabalho docente representado por futuros professores: implicações da formação inicial e continuada na reconfiguração do agir discursivo. In: VIII Seminário Nacional sobre Linguagem e Ensino (VIII SENALE), 2016, Pelotas-RS. Caderno de Resumos do VIII Seminário Nacional sobre Linguagem e Ensino. Pelotas-RS: Educat - Editora da Universidade Católica de Pelotas, 2016. p. 1-1.

  • DAMETTO, F. V. M. ; GATTO, V. B. . A rede discursiva que se desenvolve em torno do agir docente. In: VIII Seminário Nacional sobre Linguagem e Ensino (VIII SENALE), 2016, Pelotas-RS. Caderno de Resumos do VIII Seminário Nacional sobre Linguagem e Ensino. Pelotas-RS: Educat - Editora da Universidade Católica de Pelotas, 2016. p. 1-1.

  • GATTO, V. B. . Representações do trabalho docente: interferências dos (des)acordos no desenvolvimento profissional. In: XII Encontro do CELSUL ? 100 anos do Curso de Linguística Geral: desdobramentos e perspectivas, 2016, Santa Maria-RS. Caderno de Resumos ? XII Encontro do Celsul. Santa Maria-RS: p.E.com Editora Experimental, 2016. p. 246-247.

  • MELO, K. R. de ; GATTO, V. B. . Trabalho Docente: sua Representação para Alunos de Licenciatura em Letras. In: Seminário Nacional sobre Linguagens e Ensino (SENALE), 2012, Pelotas. VII Senale - Ensino e Linguagem: Novos Desafios. Pelotas: Educat, 2012. p. 225-226.

  • GATTO, V. B. ; MELO, K. R. de . Representação do Agir Docente para Alunos do Curso de Licenciatura em Letras (Habilitação Português e Literaturas) da Universidade Federal de Santa Maria. In: XXI Mostra de Iniciação Científica - A Pesquisa Unindo Conhecimentos, 2011, Passo Fundo. XXI Mostra de Iniciação Científica - A pesquisa Unindo Conhecimentos, 2011.

  • GATTO, V. B. ; SCHAEDLER, M. S. . A história da produção e a circulação de saberes no Laboratório Corpus. In: II Jornada Regional de Iniciação Científica em Estudos Linguísticos - I Seminário de Teses e Dissertações em Andamento - XII Seminário Corpus, 2009, Santa Maria. Fragmentum (UFSM). Santa Maria: Editora UFSM, 2009. v. 23. p. 25-25.

  • GATTO, V. B. . Laboratório Corpus: espaço de produção e circulação de saberes. In: 2º Fórum 'Extensão Conta', 2009, Santa Maria. Extensão Conta com a Comunidade - Anais, 2009.

  • GATTO, V. B. ; FREITAG, Felipe ; HOFFMANN, A. F. S. ; RICHTER, M. G. . Planilhas de avaliação como instrumentos de interface controle-mediação no ensino de língua materna. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • RICHTER, M. G. ; FREITAG, Felipe ; GATTO, V. B. . Razões epistemológicas para o combate à acrasia na educação linguoliterária: atualizações da Teoria Holística da Atividade. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • RICHTER, M. G. ; GATTO, V. B. . Racionalidade intrínseca e corporativismo ético na profissão do educador linguoliterário. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • DAMETTO, F. V. M. ; GATTO, V. B. ; SPENCER, L. C. . Língua Portuguesa, Literatura e Redação: fragmentação do ensino da competência linguística e a identidade do professor. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GATTO, V. B. ; DAMETTO, F. V. M. ; SPENCER, L. C. . Construção endógena de um perfil identitário ao educador linguoliterário: aliança sob enquadramento profissional interacionista. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GATTO, V. B. . Representações do trabalho docente: interferência dos (des)acordos no desenvolvimento profissional. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • DAMETTO, F. V. M. ; GATTO, V. B. ; SPENCER, L. C. ; CORREA, M. C. . Políticas públicas e a disciplina de redação na educação básica brasileira: contradições e implicações. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GATTO, V. B. ; CORREA, M. C. . Da exogenia à endogenia discursiva: representações do trabalho docente (des)construídas por um aluno de licenciatura ao longo da graduação. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • GATTO, V. B. ; DAMETTO, F. V. M. ; SPENCER, L. C. . Formação inicial e continuada na perspectiva da Teoria Holística da Atividade: Desenvolvimento Profissional Corresponsável. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • DAMETTO, F. V. M. ; GATTO, V. B. ; SPENCER, L. C. . Implicações iniciais da disciplinarização da redação na educação básica: reflexos no trabalho docente. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GATTO, V. B. ; SPENCER, L. C. . O trabalho docente representado por futuros professores: implicações da formação inicial e continuada na reconfiguração do agir discursivo. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • DAMETTO, F. V. M. ; GATTO, V. B. . A rede discursiva que se desenvolve em torno do agir docente. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GATTO, V. B. . Teoria Holística da Atividade. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • GATTO, V. B. . Relato de um fazer científico sobre o trabalho do professor. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • GATTO, V. B. ; MELO, K. R. de . O ISD na análise do trabalho docente representado: duas pesquisas desenvolvidas. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • GATTO, V. B. . Representações do trabalho docente textualizadas por um aluno de licenciatura. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GATTO, V. B. ; MELO, K. R. de ; GOULARTE, R. S. . Lendo, ouvindo e produzindo opiniões: da teoria interacionista à prática em sala de aula. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GOULARTE, R. S. ; MELO, K. R. de ; GATTO, V. B. . O livro didático nos anos 70 a 2000: retrato da mudança nas concepções de língua, de linguagem e de ensino de língua no Brasil. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • MELO, K. R. de ; GOULARTE, R. S. ; GATTO, V. B. . A construção da autonomia do aluno em sala de aula: uma proposta possível. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GATTO, V. B. ; MELO, K. R. de . Escritos de Linguística Geral: um museu de novidades?. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GATTO, V. B. ; MELO, K. R. de . Representação do Agir Docente para Alunos do Curso de Licenciatura em Letras (Habilitação Português e Literaturas) da Universidade Federal de Santa Maria. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GATTO, V. B. . Representações do Agir Docente para Alunos do Curso de Letras. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GATTO, V. B. . Relato de Experiência. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GATTO, V. B. ; SCHAEDLER, M. S. . A história da produção e a circulação de saberes no Laboratório Corpus. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GATTO, V. B. . Laboratório Corpus: espaço de produção e circulação de saberes. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

GATTO, V. B. . Comissão Setorial de Autoavaliação Institucional. 2014.

GATTO, V. B. . Monitoria para a disciplina de Linguística Geral. 2011.

GATTO, V. B. . Monitoria para a disciplina de Linguística Geral. 2010.

GATTO, V. B. ; SCHAEDLER, M. S. . Atualização da web page do Laboratório Corpus. 2009. (Site).

RICHTER, M. G. ; FREITAG, Felipe ; SILVA, E. C. ; GONÇALVES, L. S. ; SOMAVILLA, L. F. ; MACHADO, L. C. ; ZAMPIROLO, M. B. ; SILVA, S. M. ; WEBER, T. ; GATTO, V. B. . Formato de curso Storyline e ensino linguoliterário no Ensino Médio: as tomadas de decisão paradigmatizadas do profissional docente. 2016. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Capítulo "Interstícios da storyline" em E-book didático-instrucional).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2017 - 2019

    O Desenvolvimento Profissional Corresponsável na (re)estruturação da identidade docente em Letras, Descrição: Este projeto de pesquisa está atrelado ao ?Núcleo de Capacitação em Desenvolvi-mento de Recursos em Ensino de Língua Portuguesa? (CADRELP), do Departamento de Letras Vernáculas do Curso de Letras da UFSM, e vinculado à Linha de Pesquisa ?Linguagem e Interação?, do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFSM. Vai ao encontro de cinco dos objetivos do CADRELP, quais sejam: a) contribuir para a qualificação e integração das atividades-fim e atividades-meio; b) melhorar a eficácia das iniciativas de formação inicial e continuada por meio da implementação do Desenvolvimento Profissional Corresponsável (DPC) e de técnicas de enquadramento de trabalho no paradigma sociointeracionista e de desenvolvimento de know-how do ensino comunicativo de língua portuguesa; c) desenvolver know-how em assessoria e supervisão; d) estabelecer canais de escuta aos colegas licenciados que atuam nas escolas; e) emancipar colegas do mercado quanto a tomadas de decisão e implementação do know-how referido em item anterior. No caso desta pesquisa, interessa verificar o papel que o estabelecimento de um DPC cumpre na construção de um perfil identitário endógeno ao educador linguoliterário. O estudo encontra sustentação teórica na Teoria Holística da Atividade (THA), de Richter (2008; 2011), que, considerando o ser (e o desenvolvimento) humano (e profissional) em seus aspectos comportamentais, cognitivos e também afetivos, empenha-se em fornecer aos profissionais de Letras condições objetivas à conquista da emancipação jurídica e do funcionamento autopoiético da profissão (cf. LUHMANN, 2011). O sentimento de autovalorização e de coesão de classe, a partir da autoconstrução de uma imagem ideal de profissional digno e competente, válida, por identificação, a todos os seus membros, é um passo importante na direção de uma blindagem contra a exogenia discursiva e a ingerência de terceiros nas operações específicas da classe. O DPC consiste no estabelecimento de uma relação triádica horizontalizada, baseada na aliança e confiança mútua entre os envolvidos no processo formativo e na congruência dentro de um mesmo paradigma de trabalho. No caso desta pesquisa, terá como foco as atividades-fim (isto é, a atividade de ensino desenvolvida pelo profissional do mercado), promovendo a formação continuada do professor da escola. Os vértices do triângulo serão ocupados pelo profissional da academia, pelo pro-fissional da escola e pelos alunos alvo da atividade-fim (ensino). O estudo é pioneiro na implementação de um DPC a distância, estabelecido através de ferramentas de contato virtual síncrono e assíncrono. A interação, como no caso do DPC presencial, materializa-se no lastro discursivo da Escuta Enquadrativa, baseada: nos fundamentos psicológicos da terapêutica humanista de Rogers (2009) e de Benjamim (2008); na teoria dos Quatro Discursos de Lacan em sua relação com o dialogismo problematizador de Freire (cf. RICHTER, 2012); nas concepções de subjetividade social e subjetividade individual de Castoriadis e Gonzales Rey (cf. MOTT e URT, 2009); e na noção de Enquadramento de Trabalho proposta por Richter (2008, 2011). O corpus da pesquisa será constituído pelos textos configuradores das Escutas realizadas. Os dados linguísticos serão analisados com base nos níveis analíticos (organizacional, enunciativo e semântico) do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD), de Bronckart (1999 [2012]; 2006), os quais permitem avaliar, por meio de uma análise textual descendente, as relações entre linguagem e trabalho (docente). A análise permitirá verificar a emergência ou não, no discurso dos profissionais, de fenômenos enquadrativos do trabalho do educador linguoliterário (ligados a fatores de atribuição, de mediação ou de controle) bem como observar como eles se manifestam linguisticamente. Dessa forma, será possível tecer conclusões acerca do papel do DPC na construção endógena de um perf. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Vanessa Bianchi Gatto - Integrante / Marcos Gustavo Richter - Coordenador.

  • 2016 - Atual

    CADRELP - Núcleo de Capacitação em Desenvolvimento de Recursos em Língua Portuguesa, Descrição: O CADRELP tem como objetivos: a) Contribuir para a qualificação e integração das atividades-fim e atividades-meio; b) Incentivar a cooperação entre bacharelado e licenciatura; c) Melhorar a eficácia das iniciativas de formação inicial e continuada por meio da implementação do Desenvolvimento Profissional Corresponsável e técnicas de enquadramento de trabalho no paradigma sociointeracionista e desenvolvimento de know-how do ensino comunicativo de língua portuguesa; d) Desenvolver know-how em assessoria e supervisão; e) Estabelecer canais de escuta das escolas e de colegas licenciados que lá atuam; f) Emancipar colegas do mercado quanto a tomadas de decisão e implementação de know-how especificados no item anterior; g) Incentivar profissionais do bacharelado a contribuírem com seus textos para os materiais didáticos desenvolvidos para os estabelecimentos de ensino em relação de parceria;. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Vanessa Bianchi Gatto - Integrante / Marcos Gustavo Richter - Coordenador / Felipe Freitag - Integrante.

  • 2013 - 2015

    Representações do trabalho docente para um professor de língua portuguesa em formação, Descrição: O plano de pesquisa que aqui se apresenta é mais uma das ações do projeto "Representações do Agir Docente", que está vinculado à Linha de Pesquisa "Linguagem e Interação" do Programa de Pós Graduação em Letras da UFSM. O objetivo geral do projeto é analisar as representações do trabalho docente que estão presentes nos diferentes textos pertinentes à atividade educacional; no caso deste estudo, nos textos que configuram o discurso de um aluno de Letras em fase de estágio. A concepção de linguagem que sustenta esta pesquisa e orienta os procedimentos metodológicos é baseada na perspectiva interacionista. Em consonância com essa visão de linguagem, o presente estudo tem sua sustentação teórica nos pressupostos teórico-metodológicos do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD), de Bronckart e Bronckart e Machado, os quais permitem analisar as relações entre linguagem (agir discursivo) e trabalho (no caso, trabalho docente). Buscando compreender essas relações, esta pesquisa toma por base entrevistas que estão sendo realizadas, ano a ano, com alunos ingressantes em 2011 no Curso de Letras de uma universidade pública, constituindo um corpus que permite observar a (des)construção das representações pertinentes ao trabalho docente apresentadas por esses sujeitos no decorrer do curso de graduação (formação de professor). A partir da observação desses dados, esta pesquisa avança no sentido de analisar a representação que um desses sujeitos tem sobre o seu próprio trabalho no momento em que está no exercício de sua futura profissão, isto é, em situação de estágio. Para tanto, será utilizada a metodologia de Instrução ao Sósia, em que instruções sobre como agir no trabalho são fornecidas à pesquisadora pelo estagiário numa situação hipotética de substituição. O corpus será, pois, o texto resultante da referida instrução, o qual configura o discurso do sujeito sobre o seu trabalho como docente. A análise do corpus resultante da instrução ao sósia passará pelos três níveis propostos por Bronckart: organizacional, enunciativo e semântico; e a interpretação dos dados poderá levar em conta os resultados da análise das entrevistas feitas com o sujeito ao longo dos seus quatro anos de graduação. As metodologias de coleta de dados e de análise do corpus servirão não somente para que a pesquisadora defina a representação que o sujeito tem sobre o trabalho docente, mas para que o próprio sujeito, futuro professor, reflita sobre a sua prática, identificando possíveis dificuldades e procurando maneiras para saná-las. Mais do que isso, servirão para que o próprio sujeito avalie e, se for o caso, redefina sua própria identidade profissional.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Vanessa Bianchi Gatto - Coordenador / Marcia Cristina Correa - Integrante., Número de produções C, T & A: 8

  • 2012 - 2012

    Narrativa Brasileira Contemporânea: Tendências, Linguagens e Leitores, Descrição: O projeto de pesquisa que aqui se apresenta está direcionado para a revisão crítica do processo que vive a narrativa brasileira contemporânea, cuja heterogeneidade, quase sempre assinalada por estudos genéricos, porém pouco abordada na sua especificidade, se materializa nas suas distintas tendências e linguagens. Em tal sentido, o projeto parte da premissa de que resulta inegável, numa primeira aproximação ao corpus da produção narrativa atual, a diversidade de modelos de representação que se registram e de formas expressivas que se mobilizam nas obras que o conformam. Pode-se dizer que os traços fundamentais que caracterizam os títulos que hoje se colocam em circulação traduzem a diversidade de concepções literárias e estéticas que os motivam, traços que, de acordo com os enfoques críticos dominantes, respondem de um modo geral às mudanças que o fenômeno pós-moderno gera em todas as esferas do campo simbólico. Por isso, o que se pretende é realizar uma abordagem que supere o que vem se constituindo em verdades retóricas que nada explicam, pois, por um forte desejo de desenhar quadros gerais sob o impulso de dar conta da totalidade, a crítica literária nacional, sobretudo a acadêmica, se volta para a avaliação da narrativa contemporânea munida das teses que garantem o fim da literatura como prática autônoma. Daí que o projeto pretenda desenvolver uma leitura crítica que, sem desconhecer as ligações da literatura em geral com as estratégias da cultura de massas, e com as tecnologias da comunicação que dominam o cotidiano dos seres humanos, busque entender, explicar e interpretar até que ponto as mudanças que se observam em muitas narrativas contemporâneas são fruto da emergência de outras formas de percepção e sensibilidade, formas que correspondem por sua vez à conformação de outros tipos de leitores.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (6) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Vanessa Bianchi Gatto - Integrante / Fernando Villarraga Eslava - Coordenador.

  • 2011 - Atual

    Representações do Agir Docente, Descrição: O presente projeto está vinculado à Linha de Pesquisa Linguagem e Interação do Programa de Pós Graduação em Letras/UFSM. O objetivo geral deste estudo é a análise das representações do agir docente que estão presentes nos diferentes textos pertinentes à atividade educacional (discurso dos professores e alunos; documentos oficiais, material didático, textos que circulam na mídia). A concepção de linguagem, que sustenta o presente trabalho e orienta os procedimentos metodológicos, é baseada na perspectiva interacionista. Nesse sentido, a linguagem é vista como lugar de interação e de interlocução, para que, ao mesmo tempo em que constitui os pólos da subjetividade e da alteridade, seja constantemente modificada pelo sujeito, que atua sobre ela. Essa concepção permite não só visualizar uma relação dinâmica e constitutiva entre o sujeito e a linguagem, como também voltar a atenção para os sujeitos e suas histórias individuais de relação com a linguagem. Assim, dentro dessa concepção, os papéis de sujeito e de outro na linguagem adquirem relevância e, com isso, passam a interessar os indivíduos que ocupam esses papéis discursivos, em situações reais de interlocução, historicamente situadas. Em consonância com essa concepção de linguagem, sustento teoricamente este projeto a partir dos pressupostos teórico-metodológicos do Interacionismo sociodiscursivo (ISD), de Bronckart e Bronckart e Machado. Essa escolha deve-se ao fato da importância dada pela teoria ao estudo do papel da prática de linguagem (agir discursivo) em situações de trabalho, no caso, trabalho docente. Assim, a proposta do ISD é analisar (compreender) as relações entre linguagem e trabalho, especificamente, trabalho docente. Para isso, são propostas questões em busca de respostas que possibilitariam a compreensão dessa relação: a) Como se caracterizam, nos diferentes níveis de textualidade, os diversos textos produzidos no e sobre esse trabalho? b) Quais são as representações e avaliações sobre o agir doc.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Vanessa Bianchi Gatto - Integrante / Marcia Cristina Correa - Coordenador.

  • 2011 - Atual

    Representações do Agir Docente no Discurso dos Alunos e dos Professores, Descrição: O presente projeto está vinculado à Linha de Pesquisa Linguagem e Interação do Programa de Pós Graduação em Letras/UFSM. O objetivo geral deste estudo é a análise das representações do agir docente que estão presentes no discurso dos professores e dos alunos na atividade educacional. A concepção de linguagem, que sustenta o presente trabalho e orienta os procedimentos metodológicos, é baseada na perspectiva interacionista. Nesse sentido, a linguagem é vista como lugar de interação e de interlocução, para que, ao mesmo tempo em que constitui os pólos da subjetividade e da alteridade, seja constantemente modificada pelo sujeito, que atua sobre ela. Essa concepção permite não só visualizar uma relação dinâmica e constitutiva entre o sujeito e a linguagem, como também voltar à atenção para os sujeitos e suas histórias individuais de relação com a linguagem. Assim, dentro dessa concepção, os papéis de sujeito e de outro na linguagem adquirem relevância e, com isso, passam a interessar os indivíduos que ocupam esses papéis discursivos, em situações reais de interlocução, historicamente situadas. Em consonância com essa concepção de linguagem, sustento teoricamente este projeto a partir dos pressupostos teórico-metodológicos do Interacionismo sociodiscursivo (ISD), de Bronckart e Bronckart e Machado. Essa escolha deve-se ao fato da importância dada pela teoria ao estudo do papel da prática de linguagem (agir discursivo) em situações de trabalho, no caso, trabalho docente. Assim, a proposta do ISD é analisar (compreender) as relações entre linguagem e trabalho, especificamente, trabalho docente. Para se chegar às respostas a essas questões, tomaremos por base a análise de textos orais e escritos produzidos no e sobre o trabalho docente.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Vanessa Bianchi Gatto - Integrante / Rosaura Maria Albuquerque Leão - Coordenador.

  • 2010 - 2010

    A construção da [e sobre a] escrita por crianças em processo de letramento, Descrição: O Projeto A construção do discurso da [e sobre a] escrita por crianças em processo de letramento é vinculado à linha de pesquisa Aquisição da linguagem língua materna - escrita - do Programa de Pós-Graduação em Letras UFSM. O seu objeto de estudo é a construção (aquisição e desenvolvimento) do discurso da escrita e do discurso sobre a escrita de crianças em processo de letramento da primeira a quarta série do ensino fundamental. A concepção de linguagem, que sustenta este trabalho e orienta os procedimentos metodológicos, é baseada na perspectiva interacionista. Nesse sentido, a linguagem é vista como lugar de interação e de interlocução, para que, ao mesmo tempo em que constitui os pólos da subjetividade e da alteridade, seja constantemente modificada pelo sujeito, que atua sobre ela. Essa concepção permite não só visualizar uma relação dinâmica e constitutiva entre o sujeito e a linguagem, como também voltar a atenção para os sujeitos e suas histórias individuais de relação com a linguagem (no caso, a escrita). Assim, dentro dessa concepção, os papéis de sujeito e de outro na linguagem adquirem relevância e, com isso, passam a interessar os indivíduos que ocupam esses papéis discursivos, em situações reais de interlocução, historicamente situadas. Em consonância com essa concepção de linguagem, o referencial teórico é baseado no trabalho de Vygotsky e no Interacionismo sociodiscursivo (ISD), de Bronckart. A metodologia do projeto faz uso da abordagem qualitativa/longitudinal, uma vez que se propõe a acompanhar a o processo de construção e desenvolvimento do discurso da escrita de crianças em fase inicial de letramento. Para a coleta de dados, serão utilizados os seguintes instrumentos: textos (narrativas - orais e escritas) produzidos pelas crianças, entrevistas (gravadas) com as crianças e dados sobre o letramento das crianças. A partir dos dados gerados pelos instrumentos de pesquisa, será analisada a construção do discurso [representação] sobre a escr.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (6) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Vanessa Bianchi Gatto - Integrante / Marcia Cristina Correa - Coordenador.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de desenvolvimento

  • 2012 - 2013

    Jogo de Tarô: produção de um curso em formato storyline, Descrição: Embora a profissão de Letras seja ainda uma carreira não regulamenta-da, não emancipada juridicamente, e portanto seu território de atuação e suas atribuições não se achem inequivocamente estabelecidos, dificilmente se consideraria controversa sua prerrogativa e responsabilidade de planejar e implementar cursos de línguas (DUBIN & OLSHTAIN, 1990). Para a Teoria Holística da Atividade, o design de cursos é, no sentido próprio da expressão, uma especialização do profissional licenciado em Letras, juntamente com o gerencia-mento de turmas e a avaliação como diagnóstico e controle de processos. O designer em suas tomadas de decisão joga com uma ampla série de variáveis. Uma delas é o formato de curso adotado. Não é indiferente para a qualidade do ensino de línguas a forma pela qual objetivos, metodologia, conteúdos programáticos e input semiolinguístico são selecionados, integrados e estruturados linearmente ao longo de um período letivo (geralmente anual para a escolarização padrão), pois essa escolha pode implicitar o próprio paradigma adotado pelo docente, e assim refletir o enquadramento de trabalho linguodidático. Ora, a formação inicial do licenciado em Letras-Português - para nos atermos especificamente ao caso do curso presencial da UFSM - prevê como padrão práticas voltadas ao gerenciamento de turmas centradas no ensino de gramática. Eventualmente somam-se iniciativas análogas centradas no ensino de redação. Enquanto isso, o acadêmico de Letras quase não se prepara, em termos de prática profissional, como designer de cursos, seja para a escolarização oficial, seja para os cursos livres. No empenho de preencher esta séria lacuna na formação inicial do nosso licenciado - particularmente num momento crucial em que acaba de ser aprovado para esta instituição o mestrado profissionalizante em Letras, medida que abre espaço para uma nova concepção de profissionalização baseada em delimitações-segmentações de áreas de atuação, como já ocorre habitualmente em profissões emancipadas - formulamos o seguinte problema: Como pode ser implementada a formação inicial em design de curso de línguas, dentro da política curricular existente, para os acadêmicos de Letras-Português modalidade presencial desta instituição?. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (9) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Vanessa Bianchi Gatto - Integrante / Marcos Gustavo Richter - Coordenador / Felipe Freitag - Integrante / Evelyn Cendon da Silva - Integrante / Letícia Schuler Gonçalves - Integrante / Luisa Flores Somavilla - Integrante / Luiza Casanova Machado - Integrante / Marina Buriol Zampirolo - Integrante / Stefânia Marin da Silva - Integrante / Taciane Weber - Integrante., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - 2013

    Jogo de Tarô: produção de um curso em formato storyline, Descrição: Embora a profissão de Letras seja ainda uma carreira não regulamenta-da, não emancipada juridicamente, e portanto seu território de atuação e suas atribuições não se achem inequivocamente estabelecidos, dificilmente se consideraria controversa sua prerrogativa e responsabilidade de planejar e implementar cursos de línguas (DUBIN & OLSHTAIN, 1990). Para a Teoria Holística da Atividade, o design de cursos é, no sentido próprio da expressão, uma especialização do profissional licenciado em Letras, juntamente com o gerencia-mento de turmas e a avaliação como diagnóstico e controle de processos. O designer em suas tomadas de decisão joga com uma ampla série de variáveis. Uma delas é o formato de curso adotado. Não é indiferente para a qualidade do ensino de línguas a forma pela qual objetivos, metodologia, conteúdos programáticos e input semiolinguístico são selecionados, integrados e estruturados linearmente ao longo de um período letivo (geralmente anual para a escolarização padrão), pois essa escolha pode implicitar o próprio paradigma adotado pelo docente, e assim refletir o enquadramento de trabalho linguodidático. Ora, a formação inicial do licenciado em Letras-Português - para nos atermos especificamente ao caso do curso presencial da UFSM - prevê como padrão práticas voltadas ao gerenciamento de turmas centradas no ensino de gramática. Eventualmente somam-se iniciativas análogas centradas no ensino de redação. Enquanto isso, o acadêmico de Letras quase não se prepara, em termos de prática profissional, como designer de cursos, seja para a escolarização oficial, seja para os cursos livres. No empenho de preencher esta séria lacuna na formação inicial do nosso licenciado - particularmente num momento crucial em que acaba de ser aprovado para esta instituição o mestrado profissionalizante em Letras, medida que abre espaço para uma nova concepção de profissionalização baseada em delimitações-segmentações de áreas de atuação, como já ocorre habitualmente em profissões emancipadas - formulamos o seguinte problema: Como pode ser implementada a formação inicial em design de curso de línguas, dentro da política curricular existente, para os acadêmicos de Letras-Português modalidade presencial desta instituição?. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (9) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Vanessa Bianchi Gatto - Integrante / Marcos Gustavo Richter - Coordenador / Felipe Freitag - Integrante / Evelyn Cendon da Silva - Integrante / Letícia Schuler Gonçalves - Integrante / Luisa Flores Somavilla - Integrante / Luiza Casanova Machado - Integrante / Marina Buriol Zampirolo - Integrante / Stefânia Marin da Silva - Integrante / Taciane Weber - Integrante., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - 2013

    Jogo de Tarô: produção de um curso em formato storyline, Descrição: Embora a profissão de Letras seja ainda uma carreira não regulamenta-da, não emancipada juridicamente, e portanto seu território de atuação e suas atribuições não se achem inequivocamente estabelecidos, dificilmente se consideraria controversa sua prerrogativa e responsabilidade de planejar e implementar cursos de línguas (DUBIN & OLSHTAIN, 1990). Para a Teoria Holística da Atividade, o design de cursos é, no sentido próprio da expressão, uma especialização do profissional licenciado em Letras, juntamente com o gerencia-mento de turmas e a avaliação como diagnóstico e controle de processos. O designer em suas tomadas de decisão joga com uma ampla série de variáveis. Uma delas é o formato de curso adotado. Não é indiferente para a qualidade do ensino de línguas a forma pela qual objetivos, metodologia, conteúdos programáticos e input semiolinguístico são selecionados, integrados e estruturados linearmente ao longo de um período letivo (geralmente anual para a escolarização padrão), pois essa escolha pode implicitar o próprio paradigma adotado pelo docente, e assim refletir o enquadramento de trabalho linguodidático. Ora, a formação inicial do licenciado em Letras-Português - para nos atermos especificamente ao caso do curso presencial da UFSM - prevê como padrão práticas voltadas ao gerenciamento de turmas centradas no ensino de gramática. Eventualmente somam-se iniciativas análogas centradas no ensino de redação. Enquanto isso, o acadêmico de Letras quase não se prepara, em termos de prática profissional, como designer de cursos, seja para a escolarização oficial, seja para os cursos livres. No empenho de preencher esta séria lacuna na formação inicial do nosso licenciado - particularmente num momento crucial em que acaba de ser aprovado para esta instituição o mestrado profissionalizante em Letras, medida que abre espaço para uma nova concepção de profissionalização baseada em delimitações-segmentações de áreas de atuação, como já ocorre habitualmente em profissões emancipadas - formulamos o seguinte problema: Como pode ser implementada a formação inicial em design de curso de línguas, dentro da política curricular existente, para os acadêmicos de Letras-Português modalidade presencial desta instituição?. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (9) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Vanessa Bianchi Gatto - Integrante / Marcos Gustavo Richter - Coordenador / Felipe Freitag - Integrante / Evelyn Cendon da Silva - Integrante / Letícia Schuler Gonçalves - Integrante / Luisa Flores Somavilla - Integrante / Luiza Casanova Machado - Integrante / Marina Buriol Zampirolo - Integrante / Stefânia Marin da Silva - Integrante / Taciane Weber - Integrante., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - 2013

    Jogo de Tarô: produção de um curso em formato storyline, Descrição: Embora a profissão de Letras seja ainda uma carreira não regulamenta-da, não emancipada juridicamente, e portanto seu território de atuação e suas atribuições não se achem inequivocamente estabelecidos, dificilmente se consideraria controversa sua prerrogativa e responsabilidade de planejar e implementar cursos de línguas (DUBIN & OLSHTAIN, 1990). Para a Teoria Holística da Atividade, o design de cursos é, no sentido próprio da expressão, uma especialização do profissional licenciado em Letras, juntamente com o gerencia-mento de turmas e a avaliação como diagnóstico e controle de processos. O designer em suas tomadas de decisão joga com uma ampla série de variáveis. Uma delas é o formato de curso adotado. Não é indiferente para a qualidade do ensino de línguas a forma pela qual objetivos, metodologia, conteúdos programáticos e input semiolinguístico são selecionados, integrados e estruturados linearmente ao longo de um período letivo (geralmente anual para a escolarização padrão), pois essa escolha pode implicitar o próprio paradigma adotado pelo docente, e assim refletir o enquadramento de trabalho linguodidático. Ora, a formação inicial do licenciado em Letras-Português - para nos atermos especificamente ao caso do curso presencial da UFSM - prevê como padrão práticas voltadas ao gerenciamento de turmas centradas no ensino de gramática. Eventualmente somam-se iniciativas análogas centradas no ensino de redação. Enquanto isso, o acadêmico de Letras quase não se prepara, em termos de prática profissional, como designer de cursos, seja para a escolarização oficial, seja para os cursos livres. No empenho de preencher esta séria lacuna na formação inicial do nosso licenciado - particularmente num momento crucial em que acaba de ser aprovado para esta instituição o mestrado profissionalizante em Letras, medida que abre espaço para uma nova concepção de profissionalização baseada em delimitações-segmentações de áreas de atuação, como já ocorre habitualmente em profissões emancipadas - formulamos o seguinte problema: Como pode ser implementada a formação inicial em design de curso de línguas, dentro da política curricular existente, para os acadêmicos de Letras-Português modalidade presencial desta instituição?. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (9) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Vanessa Bianchi Gatto - Integrante / Marcos Gustavo Richter - Coordenador / Felipe Freitag - Integrante / Evelyn Cendon da Silva - Integrante / Letícia Schuler Gonçalves - Integrante / Luisa Flores Somavilla - Integrante / Luiza Casanova Machado - Integrante / Marina Buriol Zampirolo - Integrante / Stefânia Marin da Silva - Integrante / Taciane Weber - Integrante., Número de produções C, T & A: 1

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2016 - 2019

Prefeitura Municipal de Santa Maria

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professora de Língua Portuguesa, Carga horária: 20

Outras informações:
Escola Municipal de Ensino Fundamental Júlio do Canto Escola Municipal de Ensino Fundamental Castro Alves Escola Municipal de Ensino Fundamental Padre Nóbrega