Bruno Cabral Braga

Graduado em C. da Saúde ( Nutrição) pelo Instituto de Nutrição Josué de Castro da Universidade Federal do Rio de Janeiro - INJC/UFRJ - (2014). Mestre em Biofísica pelo Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho IBCCF/ UFRJ (2017). Doutorando em Ciências Biológicas (Fisiologia) no IBCCF/UFRJ. Tem experiência na área de Fisiologia, Bioquímica e Biologia Celular, atuando principalmente na área das Cardiomiopatias. Tendo como foco de trabalho a inter-relação do trinômio Inflamossoma-Auto/Mitofagia-Função mitocondrial.

Informações coletadas do Lattes em 03/07/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em andamento em Fisiologia

2017 - Atual

Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho - UFRJ
Título: Estudo da regulação do Inflamossoma NLRP3 na Cardiomiopatia Diabética ? papéis do fluxo autofágico e da função mitocondrial,
Emiliano Horácio Medei. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.

Mestrado em Ciências Biológicas (Biofísica)

2014 - 2017

Instituto de biofísica Carlos Chagas Filho
Título: Estudo de alterações celulares cardíacas em modelo murino de Cardiomiopatia Dilatada Autoimune,Ano de Obtenção: 2017
Eleonora Kurtenbach.Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Graduação em Nutrição

2007 - 2014

Universidade Federal do Rio de Janeiro
Orientador: Eleonora Kurtenbach

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2014 - 2014

I Curso de Verão da Biofísica. (Carga horária: 80h). , Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho-UFRJ, IBCCF-UFRJ, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Biofísica / Subárea: Biologia Celular e Molecular.

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Bioquímica.

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Nutrição.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

Jornada Giulio Massarini de Iniciação Científica, Artística e Cultural. Estudo do Sistema Ubiquitina Proteassoma em Modelo Murino de Cardiomiopatia Autoimune. 2014. (Congresso).

Federação de Sociedades de Biologia Experimental. Estudo dos Glicosaminoglicanos Envolvidos no Processo de Termogênese Muscular do Marlin Azul (Makaira nigricans). 2009. (Congresso).

Jornada Giulio Massarini de Iniciação Científica, Artística e Cultural. Influência dos Hormônios Tireoideanos sobre a Imunofisiologia Murina. 2009. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

DEBORA SOUZA FAFFE

Faffe DS. Estudo das alterações celulares cardíacas em modelo murino de cardiomiopatia dilatada autoimune. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas (Biofísica)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Rubem Figueiredo Sadok Menna Barreto

FAFFE, D.; SAMPAIO, T. L. C.;Menna-Barreto, R.F.S.; CORSSO, C.; COELI, R.; MASUDA, C.. Estudo de alterações celulares cardíacas em modelo murino de cardiomiopatia dilatada autoimune. 2017. Dissertação (Mestrado em Biofísica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Ana Maria Landeira Fernandez

Efeito dos GAGs presentes no tecido do calor do marlin azul; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em Nutricao) - Instituto de Nutricao UFRJ, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Ana Maria Landeira Fernandez;

Camila Guerra Martinez

Estudo do sistema ubiquitina proteassoma em modelo murino de cardiomiopatia; ; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Nutrição) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Camila Guerra Martinez;

ELEONORA KURTENBACH

Estudo de alterações celulares cardíacas em modelo murino de Cardiomiopatia Dilatada Autoimune; 2017; Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas (Biofísica)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Eleonora Kurtenbach;

ELEONORA KURTENBACH

Estudo do sistema ubiquitina proteassoma em modelo murino de cardiomiopatia; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Nutrição) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Eleonora Kurtenbach;

Flavia Fonseca Bloise

Efeito do Hipertireoidismo sobre o perifl morfológico de linfonodos murinos; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em nutrição) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Flavia Fonseca Bloise;

Emiliano Horacio Medei

Estudo da regulação da ativação do Inflamossoma NLRP3 na Cardiomiopatia Diabética ? papel da autofagia e vias de sinalização relacionadas; Início: 2017; Tese (Doutorado em Ciências Biológicas (Fisiologia)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • SCHLEIER, YGOR ; MORENO-LOAIZA, OSCAR ; LÓPEZ ALARCÓN, MARIA MICAELA ; LOPES MARTINS, EDUARDA GABRIELLE ; Braga, Bruno Cabral ; RAMOS, ISALIRA PEROBA ; GALINA, ANTONIO ; MEDEI, EMILIANO HORACIO . NOD Mice Recapitulate the Cardiac Disturbances Observed in Type 1 Diabetes. Journal of Cardiovascular Translational Research , v. v. 1,, p. 1-12, 2020.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2014 - Atual

    Estudo da degradação proteica em modelo murino de Cardiomiopatia Dilatada Autoimune, Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (1) . , Integrantes: Bruno Cabral Braga - Integrante / Eleonora Kurtenbach - Coordenador / Camila Guerra Martinez - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Modulação do Sistema Ubiquitina-Proteassoma em Modelo de Cardiomiopatia Associada à Presença de Anticorpos anti-M2AChR, Descrição: Diversos tipos de Cardiomiopatia são associados à presença de anticorpos contra o receptor muscarínico subtipo M2 (M2AChR). Tais anticorpos possuem ação do tipo agonista e podem levar ao desenvolvimento progressivo de falência cardíaca. As alterações celulares que ocorrem diretamente no cardimiócito; como por exemplo, alterações na mitocôndria, na ultraestrutura e no sistema ubiquitina Proteasssoma (UPS); são passos primordiais no desenvolvimento desta doença. A fim de descrever alterações que ocorrem no UPS ao longo do desenvolvimento da Cardiomiopatia induzida pela presença de anticorpos anti-M2AChR, camundongos C57Bl6/J foram imunizados com plasmídeo pcDNA3-hM2 (grupo M2AChR) e o plasmídeo controle pcDNA3 (grupo pcDNA3). Tais animais foram acompanhados ao longo de 40 semanas. Camundongos M2AChR produziram de forma eficiente, a partir da 10ª semana pós-imunização, anticorpos anti-i3-M2AChR, epítopo correspondente a terceira alça intracelular do receptor. O pico de produção de anti-i3-M2AChR ocorreu em 20 semanas pós-imunização, correspondente ao período aonde foram observadas as principais alterações funcionais no grupo M2AChR. Foram observadas através do eletrocardiograma diminuição do intervalo RR e da amplitude do segmento ST a partir de 5 semanas pós-imunização, e pela ergoespirometria um menor consumo de oxigênio (VO2) durante o exercício em esteira, quando comparados aos animais controles (pcDNA3). Adicionalmente, a presença desses anticorpos levou a alterações significativas no UPS. Foi observado um aumento na capacidade proteolítica cardíaca, quimitropsina ?like?, que atingiu um pico em 20 semanas pós-imunização. Os camundongos M2AChR também apresentaram modulação nos níveis transcricionais de algumas das principais ligases cardíacas (Trim 63 (Murf1), Trim 55 (Murf2) e Uba 52 (Ubq)) e no nível proteico de MAFbx. Esses resultados são os primeiros indícios da modulação do sistema proteolítico mediado pelo UPS em modelo de doença cardíaca induzida pela presença de anticorpos anti-M2AChR.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Bruno Cabral Braga - Coordenador / Eleonora Kurtenbach - Integrante / Camila Guerra Martinez - Integrante.

  • 2008 - 2009

    Estudo dos Glicosaminoglicanos Envolvidos no Processo de Termogênese Muscular do Marlin Azul (Makaira nigricans), Descrição: Estudos recentes do nosso laboratório demonstraram que a atividade da SERCA1 do tecido do calor pode ser regulada por KCl. Os resultados da tese de mestrado da aluna Danielly Costa demostraram que a adição de 100mM de KCl ou NaCl, mas não LiCl, foram capazes de aumentar a hidrolise de ATP e a captação de Ca2+ em ate 3 vezes. Por outro lado, nessa mesma temperatura, a quantidade de calor liberado, por molécula de ATP hidrolisado (Hcal), catalisado pela SERCA1 foi inibido por KCL. Os valores do Hcal diminuíram de -26,15 kcal/mol para -14,88. kcal/mol. Esses dados sugerem que, na presença de KCl, a maior parte da energia derivada da hidrólise de ATP pela SERCA1 é usada para geração de trabalho (transporte de Ca2+), e não para a produção de calor. Por outro lado, na ausência de KCl a maior parte da energia de hidrolise do ATP será utilizada para a produção de calor. Trabalhos anteriores, utilizando retículo sarcoplasmático (RS) de músculo esquelético de coelho demonstraram que, na presença de polissacarídeos sulfatados, como a heparina, o Hcal pode assumir valores similares aos encontrados naturalmente na SERCA1 do Tecido Calor na ausência de KCl (-30,2Kcal/mol). A presença de 3 g/ml de heparina, foram capazes de inibir a hidrolise de ATP e a captação de Ca2+ catalisada pela SERCA1 do entretanto, o Hcal , medido nas mesmas condições foi maior do que aquele mdido com as vesículas controle, na ausência de heparina (-21,9Kcal/mol) (27). A nossa hipótese e que possivelmente as vesículas derivadas do RS do tecido do calor possam ter um polissacarídeo sulfatado regulando a atividade da SERCA1 do tecido de calor do marlin. Esse efeito já foi visto anteriormente, pelo nosso laboratório, em algumas espécies de invertebrados marinhos, como o ouriço-do-mar e o pepino-do-mar. Esses estudos mostraram que a isoforma de SERCA presente nesses equinodermas, também são dependentes de KCL para atingir a sua velocidade máxima de captação de Ca2+ e hid. , Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Bruno Cabral Braga - Coordenador / Dr. Ana Maria Landeira Fernandez - Integrante.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho - IBCCF. , Avenida Carlos Chagas Filho,s/n, predio do Centro de Ciências da Saúde (CCS), Instituto de Biofisica Carlos Chagas Filho, bloco G, sala G0-37, Ilha do Fundão - Cidade Universitária, 24220590 - Rio de Janeiro, RJ - Brasil, Telefone: (021) 39386573

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2014 - Atual

Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho-UFRJ

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Mestrado em Ciências Biológicas (Biofísica), Regime: Dedicação exclusiva.

2013 - 2014

Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho-UFRJ

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Aluno de Iniciação Científica, Carga horária: 20

2014 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Mestrado em Ciências Biológicas (Biofísica), Regime: Dedicação exclusiva.

2013 - 2014

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Aluno de Iniciação Científica, Carga horária: 20

2008 - 2009

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Aluno de Iniciação Científica, Enquadramento Funcional: Aluno, Carga horária: 20