Ismael Plácido Tomielis

Engenheiro Agrônomo, atualmente desempenhando função de chefe de área técnica na Empresa Agrícola HC Ltda., responsável pela elaboração e execução dos programas fitossanitários, irrigação e fertilização dos cultivos de uva de mesa (Variedades Queen Rose, Allison, Inia Grape One), Anonas (Variedades Juliana, Concha Lisa, Local Serena, Coração de boi), Batata (Variedade Atlântica), Mamão de montanha e limão (Variedades Eureca e Genova), também responsável pela segurança alimentar, assegurando a implementação, cumprimento e certificação dos campos segundo as normas de Boas Práticas Agrícolas - GLOBAL GAP e da agricultura sustentável - RAS. Durante o período de graduação desenvolveu projetos de Iniciação Científica (PIBIC) no Centro de Tecnologia e Estudo do Agronegócio (CeTeAgro, 2012-2016). Realizou estágio no Centro de Estudios en Postcosecha (CEPOC, 2016; Bolsa Santander Iberoamericana) e Laboratório de Viticultura (2017), ambos na Universidad de Chile (UCHILE, Facultad de Ciencias Agronómicas). Atuação em pesquisas interdisciplinares, voltadas ao setor Agroalimentar (Agroindústrias e Valorização de Resíduos) e Fitotecnia (Produção Sustentável, Fenologia, Produção Vegetal e Alimentos). Possui diversos trabalhos publicados, em especial três capítulos do livro da Embrapa - Bambus no Brasil: da Biologia a Tecnologia. Participante do grupo de pesquisa: Nanotecnologia aplicada ao setor agropecuário e agroindústrias (CeTeAgro/UCDB). Contato: ismael.tomielis@gmail.com

Informações coletadas do Lattes em 30/04/2022

Acadêmico

Formação acadêmica

Graduação em Agronomia

2013 - 2018

Universidade Católica Dom Bosco
Título: Potencial de uso alimentar de diferentes espécies de bambus
Orientador: Vitor Hugo dos Santos Brito
com Bolsista do(a): Programa Universidade para todos, PROUNI, Brasil.

Curso técnico/profissionalizante em Técnico em Açúcar e Álcool

2009 - 2010

Instituto Educacional Paulo Freire

Formação complementar

2019 - 2019

PSA GROWER TRAINING COURSE. (Carga horária: 8h). , PRODUCE SAFETY ALLIANCE, PSA, Chile.

2019 - 2019

FSPCA Preventive Controls for human food. (Carga horária: 8h). , Food Safety Preventive Controls Alliance, FSPCA, Chile.

2016 - 2016

I Curso de Hidroponía - Acuoponía: Teórico - Practico. (Carga horária: 20h). , Universidad de Chile, UCHILE, Chile.

2014 - 2014

Extensão universitária em Técnicas para análises de solos. (Carga horária: 36h). , Universidade Católica Dom Bosco, UCDB, Brasil.

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia.

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitotecnia/Especialidade: Fisiologia de Plantas Cultivadas.

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Ciência do Solo/Especialidade: Fertilidade do Solo e Adubação.

Grande área: Engenharias / Área: Engenharia de Energia / Subárea: Fontes Renováveis de Energia.

Participação em eventos

CONGRESSO BRASILEIRO DE FISIOLOGIA VEGETAL , 15 e CONFERÊNCIA BRASIL-ISRAEL DE CIÊNCIAS DE PLANTAS. Resposta fisiológica da Maranta arundinacea l. (araruta) cultivada em solo de baixa fertilidade. 2015. (Congresso).

I SIMPÓSIO A DEFESA FITOSSANITÁRIA EM MATO GROSSO DO SUL SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVA.. 2015. (Simpósio).

5th International Conference on Engineering for Waste and Biomass Valorisation. Effect of HTR in vinasse stabilization with limestones in acidogenic phase of anaerobic digestion. 2014. (Congresso).

CANACENTRO. 2014. (Congresso).

Feira do Empreendedor. 2014. (Feira).

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Pesquisa Universidade Católica Dom Bosco. 2014. (Exposição).

XVII Encontro de Iniciação Cientifica UCDB.Avaliação da estabilização da fase acidogênica da digestão anaeróbia da vinhaça por calcário dolomítico. 2013. (Encontro).

Foi orientado por

Marney Pascoli Cereda

Avaliação de estabilização de vinhaça por calcário e determinação do teor de cálcio no sistema; ; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Católica Dom Bosco; Orientador: Marney Pascoli Cereda;

Denilson de Oliveira Guilherme

Avaliação de limitação nutricional no crescimento e desenvolvimento da araruta (Maranta Arundinaceae L; ) para estabelecimento sintomatológico e recomendações de adubação; 2015; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Católica Dom Bosco; Orientador: Denilson de Oliveira Guilherme;

Marli da Silva Garcia

Avaliação da estabilidade da fase acidogênica digestão anaeróbia de vinhaça por calcário e determinação do teor de cálcio no sistema; Início: 2013; Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Católica Dom Bosco; (Orientador);

Vitor Hugo dos Santos Brito

Potencialidade de uso alimentar de espécies de bambus; 2016; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Católica Dom Bosco; Orientador: Vitor Hugo dos Santos Brito;

Vitor Hugo dos Santos Brito

Avaliação da tolerância da araruta (Maranta arundinaceae L; ) ao alumínio sob diferentes concentrações; 2015; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Católica Dom Bosco; Orientador: Vitor Hugo dos Santos Brito;

Vitor Hugo dos Santos Brito

Avaliação do uso de fertilizante potássico e fosfatado sobre a biossíntese de amidos naturalmente modificados e determinação do ciclo fisiológico da cultura da araruta (Maranta arundinaceae L; ); 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Católica Dom Bosco, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Vitor Hugo dos Santos Brito;

Produções bibliográficas

  • BRITO, VITOR ; GODOY'CASAGRANDE, VITOR ; OLIVEIRA, J. N. ; TOMIELIS, I. P. ; CEREDA, MARNEY ; STEINFORT, URSULA ; COSTA, REGINALDO . Phenological stages of arrowroot ( Maranta arundinacea L.) according to the Biologische Bundesanstalt Bundessortenamt und Chemische Industrie scale. Annals of Applied Biology , v. 175, p. 119-128, 2019.

  • CEREDA, MARNEY PASCOLI ; BARCELOS, SHEYLA THAYS VIEIRA ; TOMIELIS, ISMAEL PLÁCIDO ; GARCIA, MARLI DA SILVA . Characterization of boiler ashes from sugarcane mill. Revista Ibero-americana de Ciências Ambientais , v. 10, p. 179-190, 2019.

  • TOMIELIS, ISMAEL PLÁCIDO ; BARCELOS, SHEYLA THAYS VIEIRA ; CEREDA, MARNEY PASCOLI . Hydraulic retention time on vinasse stabilisation with limestone in the acidogenic phase of anaerobic digestion. CIENCIA RURAL , v. 47, p. 1-7, 2017.

  • TOMIELIS, ISMAEL PLACIDO ; GUILHERME, DENILSON OLIVEIRA ; BRITO, VITOR HUGO DOS SANTOS ; MAIA, JANINI TATIANE LIMA SOUZA ; CEREDA, MARNEY PASCOLI . GERMINATION EFFECT OF DIFFERENT SUBSTRATES ON GRUMIXAMA SEEDS. NUCLEUS (ITUVERAVA. IMPRESSO) , v. 13, p. 185-188, 2016.

  • NAVARRO, S. P. ; RIBEIRO, N. P. ; TOMIELIS, I. P. ; GUILHERME, D. O. ; CEREDA, MARNEY PASCOLI ; BRITO, VITOR HUGO DOS SANTOS . Desempenho Técnico de Espuma Biodegradável (À Base de Amido) no Estabelecimento de Plântulas para Cultivo Hidropônico. Cadernos Agroecológicos , v. 9, p. 1-9, 2014.

Projetos de pesquisa

  • 2015 - 2017

    Avaliação da limitação nutricional no crescimento e desenvolvimento da araruta (Maranta arundinaceae L.) para o estabelecimento sintomatológico e recomendações de adubação, Descrição: Atualmente vem se observando a necessidade por fontes botânicas alternativas para suprir a demanda de fecularias, principalmente no período de entre safra da mandioca, que a indústria fica ociosa. No Mato Grosso do sul a araruta mostra-se apta para suprir essa demanda visto que, para a extração do amido se utiliza a mesma estrutura física já instalada, e o seu amido tem alto valor comercial, tanto no mercado nacional quanto internacional, devido suas características peculiares , porém para reintroduzir esta cultura ao campo torna-se necessário o prévio conhecimento sobre os aspectos nutricionais(macronutrientes e micronutrientes) para a garantia de produção satisfatória. Neste sentido, objetiva-se avaliar a limitação nutricional durante o crescimento e desenvolvimento da araruta (Maranta arundinaceae L.) para o estabelecimento sintomatológico e recomendações de adubação.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Ismael Plácido Tomielis - Integrante / Marney Pascoli Cereda - Integrante / Denilson de Oliveira Guilherme - Integrante / Vitor Hugo dos Santos Brito - Integrante / Auricleia Sarmento de Paiva - Coordenador.

  • 2014 - 2018

    Cultivo de araruta (Maranta arundinacea) como alternativa à mandioca nas fecularias do Mato Grosso do Sul., Descrição: O projeto visa adaptar o cultivo da araruta (Maranta arundinacea) a agricultura comercial de forma a introduzir a amilácea como matéria-prima alternativa a mandioca nas fecularias do estado. A planta amilácea produz em seus rizomas um tipo de amido com grande demanda de mercado nacional e principalmente internacional, principalmente para confeitaria fina. Cultivada nas linhas do milho, a cultura foi ficou restrita a pequenos plantios em algumas regiões do Brasil. Embora fosse antigamente encontrada com abundancia em nos sítios, quintais e terrenos baldios, entrou na lista de extinção da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), devido falta de adequação para um cultivo afinado com o Agronegócio moderno. A pesquisa será realizada por uma engenheira agrônoma, para a qual é solicitada Bolsa de Pós-Doutorado, como forma de complementar a equipe já disponibilizada como contrapartidada CAPES em vigência ate 2015, que contempla verba para atender os pesquisadores nas áreas de biologia molecular e aplicações do amido de araruta, mas é restrita na área agronômica, justamente onde o projeto é apresenta a maior demanda para alcançar suas metas. A bolsa de Pós-Doutorado apoiará também um Programa recém-aprovado na instituição executora. O Programa Ciências Ambientais e Sustentabilidade Agropecuária foi aprovado já com Mestrado e Doutorado, conta com docentes nas áreas de Agrárias, mas não na área de produção vegetal. Tal situação explica-se pelo fato de que o Mato Grosso do Sul, com sua ênfase em Agronegócio absorve os agrônomos recém- formados em áreas técnicas, restando à captação de Doutores já envolvidos com pesquisa e formação de recursos humanos. A proposta apresentada envolve a implantação de pelo menos três experimentos de campo que irão abordar os pontos críticos do cultivo a ser resgatado. O controle de plantas daninhas por meio de controle químico, uso de adubos verdes na melhoria das características físicas do solo e seleção da melhor forma de multiplicação de material vegetativo foram selecionados por serem limitantes ao cultivo semi-mecanizado da cultura da araruta em grandes áreas no estado do Mato Grosso do Sul. Esse sistema de produção será divulgado junto à fecularias parceiras e será utilizada para capacitar agricultores familiares no cultivo da araruta para suprir a atual demanda de amido industrial. Com a confirmação da especificidade, o amido de araruta poderá se constituir em uma especialidade, diferindo do amido de mandioca que é uma commodity, passando a ser um cultivo complementar como matéria-prima tradicional do Mato Grosso do Sul, atraindo novas indústrias.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Ismael Plácido Tomielis - Coordenador / Marney Pascoli Cereda - Integrante / Nathalia Pereira Ribeiro - Integrante / Denilson de Oliveira Guilherme - Integrante / Vitor Hugo dos Santos Brito - Integrante / Josimara Nolasco Rondon - Integrante / Auricleia Sarmento de Paiva - Integrante / Cleber Junior Jadoski - Integrante / Carina Elisei de Oliveira - Integrante / Ingrid Batista Pinto - Integrante., Número de produções C, T & A: 2

  • 2013 - 2015

    INOVAÇÕES NA GESTÃO DE RESÍDUOS DE USINAS SUCROALCOOLEIRAS COMO FATOR DE AUMENTO DE COMPETITIVIDADE, Descrição: A cana de açúcar é um cultivo com grande potencial na região Centro Oeste em razão de fatores climáticos adequados e disponibilidade terras sem competir com a produção de alimentos. O setor sucroalcooleiro é um dos motores do agronegócio brasileiro como sua imagem ligada ao etanol combustível e eficiência dos seus meios de produção. Essa eficiência é mais perceptível nas áreas agrícolas que na industrial. Cultivares produtivas e resistentes a pragas e doenças permitem sua implantação em praticamente todo o território nacional. Entretanto sua situação globalmente privilegiada como produtora de energia renovável decorre mais da disponibilidade de áreas agrícolas e de clima apropriado, do que de inovações tecnológicas no setor. O sistema de produção industrial conta com poucas melhorias em um período de 20 anos, com destaque apenas para cepas de leveduras mais adaptadas a região sudeste. O processo de produção de etanol em uso data de antes dos anos 50. Vários fatores constritores podem ser lembrados. A moagem da cana em sistema de moendas consome grande parte da energia co-gerada, o caldo de cana não é sanitizado, embora vapor e energia estejam disponíveis. Mesmo a fermentação alcoólica é feita sem assepsia e por isso é longa em razão de contaminações por bactérias e leveduras selvagens. Para contornar essa contaminação sem uso de assepsia, as leveduras são tratadas com acido sulfúrico e antibióticos. O efeito desta contaminação é de neutralizar em grande parte a disponibilização de leveduras melhoradas comerciais, que são rapidamente substituídas pelas leveduras selvagens já no início da safra. Por outro lado a própria contagem das contaminações é feita por método moroso e repetitivo. As caldeiras queimam bagaço com elevado teor de umidade, com níveis de 50 a 60%, o que ocasiona queima incompleta nas caldeiras e desperdiça energia. Na área de gestão de resíduos o sistema mais eficiente ainda é a fertirrigação com a vinhaça, misturada ou não com as cinzas da caldeira. Recentemente, com a colheita mecanizada, é gerada a palha ou palhada, resíduo rico em sílica, ainda pouco estudado. O etanol, mesmo com a valorização do uso como combustível, pouco foi valorizado pelo aspecto de substrato para química fina. O mesmo se pode afirmar da vinhaça, resíduo líquido gerado mais de 10 litros por litro de etanol. A proposta de valorizar a vinhaça apoia-se em um grupo de pesquisadores que já vêm atuando em pesquisa interdisciplinar em vários dos pontos de constrição abordados e que já orientaram e orientam Mestres e Doutores na área. Juntos ajudaram a estabelecer um banco de leveduras isoladas na região Centro Oeste a realizar sua caracterização molecular, em cooperação com a UFGD, Dourados. Usaram da visão computacional para agilizar e melhorar a eficiência da contagem do número de leveduras viáveis na fermentação. Testaram o uso de ultravioleta para desinfecção do mosto e isolaram leveduras resistentes a UV-C. Nesta fase da pesquisa são propostas novas aspectos da gestão de resíduos, operando a digestão anaeróbia da vinhaça na faixa termófila, aproveitando o fato de que esse resíduo líquido é gerado a temperatura acima de 100°C. O metano gerado poderá ser usado na pré secagem do bagaço, torta de filtro e palha e uso em um piloto para tornar mais fácil e eficiente a partida da fornalha após limpeza.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Ismael Plácido Tomielis - Integrante / Marney Pascoli Cereda - Coordenador / Sheyla Thays Vieira Barcelos - Integrante / Marli da Silva Garcia - Integrante., Número de produções C, T & A: 3

  • 2013 - 2015

    Apoio Induzido a Aplicação de Resultados Pesquisa e de Produtos Biotecnológicos. Enfoque em amiláceas nativas., Descrição: Uma das questões presentes no debate atual sobre o setor agrícola é a sua sustentabilidade, que tem como base 5 dimensões principais, a saber: social, cultural, ecológica, ambiental e econômica. Neste aspecto a Biotecnologia é uma poderosa ferramenta para o desenvolvimento sustentável, com possibilidade de promover a pesquisa inovadora e aplicativos em qualquer escalonamento do agronegócio. A Região Centro Oeste tem o Agronegócio como atividade principal e o Mato Grosso do Sul em especial, representa 70% do Agronegócio brasileiro. Estas atividades estão sendo desenvolvidas em Biomas frágeis, Cerrado e Pantanal, o que exige maior atenção quanto à sustentabilidade. Sabe-se que a pesquisa e a formação de recursos humanos são fatores preponderantes no Desenvolvimento, mas nem sempre existe na academia a cultura de valorização dos resultados de pesquisa. O objetivo da proposta é apoiar o Programa Biotecnologia visando seus Mestrandos, para incutir a questão da necessidade de valorizar os resultados da pesquisa de produtos biotecnológicos em aplicações e contato com empresas. Para alcançar esse objetivo serão usadas ações estruturadas. Um projeto específico de pesquisa será desenvolvido como exemplo e demonstrativo pratico dos objetivos selecionados. Sendo assim, a primeira ação prevista será o treinamento das bolsistas de Pós-doutorado para que posteriormente atuem como gestores de inovação biotecnológica aplicada ao Programa de Pós-Graduação Mestrado em Biotecnologia da UCDB. Essas ações constarão de oficinas de redação científica e técnicas de estatística. Também serão apoiados os Docentes com orientação em nível de graduação nas modalidades iniciação científica e monografia. Aos Mestrandos será oferecido suporte técnico em informação direcionado ao meio acadêmico da instituição, direcionamento de trabalhos a revistas científicas adequadas de acordo com o objetivo de cada pesquisa planejamento estratégico em delineamento experimental visando o objetivo da pesquisa, implantação de Tópicos Especiais (40 horas) de empreendorismo visando o direcionamento das inovações tecnológicas geradas no Programa de Pós-Graduação. Especial atenção será dada em promover um elo de ligação entre empresas e a pesquisa (Universidade). Para isso serão oferecidos módulos sobre inovação e patente. Para o projeto de pesquisa integrante da proposta foi selecionada como matéria-prima alvo a cultura da araruta (Maranta arundinacea L.) por apresentar diversos desafios pertinentes ao tema. A potencialidade da cultura de araruta abrange desde a utilização da parte aérea na suplementação animal, rizomas em fecularias e aplicação do amido nativo e modificado obtido do rizoma em diferentes ramos industriais, como têxtil, alimentício, papel e celulose, petrolífero, cerâmico e em saneamento básico. Da planta o amido nativo e modificado poderá ser direcionado para o mercado tendo por base as empresas especializadas do Vale do Ivinhema, MS. Estudos de impacto ambiental dos efeitos das mudanças climáticas no desenvolvimento da cultura de araruta em áreas degradadas, como possíveis alternativas de inovação tecnológica em sistemas agrícolas familiares e comerciais. Será avaliado o manejo de solo utilizando a palhada como cobertura. Serão também avaliadas as potencialidades de extratos vegetais de araruta (folhas e tubérculos) em testes nas áreas de saúde, cosméticos e alimentos, buscando identificar produtos tais como antioxidantes e fenólicos. Todas as atividades serão desenvolvidas em colaboração com os docentes do Programa.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Ismael Plácido Tomielis - Integrante / Marney Pascoli Cereda - Coordenador / Denilson de Oliveira Guilherme - Integrante / Vitor Hugo dos Santos Brito - Integrante / Josimara Nolasco Rondon - Integrante.

  • 2013 - 2014

    AVALIAÇÃO DO USO DE FERTILIZANTE POTÁSSICO E FOSFATADO SOBRE A BIOSSÍNTESE DE AMIDOS NATURALMENTE MODIFICADOS (MARANTA ARUNDINACEAE L.), Descrição: Atualmente a uma busca pelo mercado produtor e consumidor de amidos nativos que apresentem propriedades de amidos modificados. Para o cultivo de mandioca, milho e batata, através de programas de melhoramento genético foram obtidas variedades de amido com características especificas, entretanto não atende totalmente o setor, principalmente o alimentício. Pesquisas com técnicas analíticas precisas apontam a possível biossíntese de amido naturalmente modificado devido a interação de determinados sistemas enzimáticos com nutrientes oriundos da adubação (elementos minerais). Neste contexto, o presente projeto abordou a avaliação do uso de fertilizante potássico e fosfatado sobre a potencial síntese de amidos com propriedades tecnológicas diferenciadas, com cultivo em condições de semi-campo. Neste sentido a produção de um tipo de amido naturalmente modificado pode ser uma alternativa viável para auxiliar na melhoria do setor, uma vez que há uma crescente procura deste produto.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Ismael Plácido Tomielis - Integrante / Marney Pascoli Cereda - Coordenador / Denilson de Oliveira Guilherme - Integrante / Vitor Hugo dos Santos Brito - Integrante.

  • 2013 - 2014

    AVALIAÇÃO DA ESTABILIZAÇÃO DA FASE ACIDOGÊNICA DA DIGESTÃO ANAERÓBIA POR CALCÁRIO DOLOMITICO, Descrição: Com o avanço da tecnologia no setor sucroalcooleiro, e a tendência de aumentar a produção de álcool visando fontes alternativas renováveis, aumenta a preocupação com os resíduos gerados, e estes quando tratados potencialmente deixam de ser resíduos e passam a ser um coproduto. A vinhaça principal resíduo da fabricação do álcool vem ganhado atenção devido seu poder poluente, várias alternativas foram propostas para um destino apropriado, de todas a digestão anaeróbia foi a mais estudada e que se mostrou mais apropriada. Por ter baixa quantidade de proteína e alta quantidade de açúcar é difícil estabilizar o pH da vinhaça, um grande problema na fase acidogênica do tratamento da digestão anaeróbia. Para solucionar este problema foi utilizado como leito fixo e agente alcalinizante rocha de calcário dolomítico em reatores alimentado com vinhaça proveniente da produção de álcool. Os reatores foram montados em escala de laboratório na proporção de 1,67 t/m onde operou com Tempo de Retenção Hidráulica (TRH) de 24, 48, 72, 96 e 120 horas, com coletas periódicas para avaliação da estabilidade do sistema. Foi determinada as características físico-químicas da vinhaça, o potencial hidrogeniônico (pH) inicial da vinhaça foi de 4,5. A demanda química de oxigênio (DQO) foi de 105,80 mg L-1, sólidos totais (ST) 10,612.00 mg L-1, sólidos totais voláteis (SV) 6,898.00 mg/L e sólidos totais fixos (SF) 3,714.00 mg L. A metodologia empregada para estabilização de vinhaça na fase acidogênica com rochas de calcário dolomítico mostrou-se eficiente na estabilização do pH, passando de 4,5 para 6,35 em média, a relação Ácidos Voláteis por Alcalinidade (AV/AC) variou de 0,2 a 0,4. Demanda Química de Oxigênio (DQO) se manteve a mesma, pois nessa fase em especial ocorre a hidrólise das moléculas.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Ismael Plácido Tomielis - Integrante / Marney Pascoli Cereda - Coordenador.

Histórico profissional

Experiência profissional

2012 - 2017

Universidade Católica Dom Bosco

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Auxiliar de laboratório, Carga horária: 44, Regime: Dedicação exclusiva.

2017 - 2017

Universidad de Chile

Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estágio Supervisionado, Carga horária: 35

2016 - 2016

Universidad de Chile

Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 18

2011 - 2011

Usina São Fernando Ltda

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Auxiliar de laboratório, Carga horária: 44, Regime: Dedicação exclusiva.

2013 - 2017

Centro de Tecnologia e Estudo do Agronegócio

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Iniciação Científica, Carga horária: 20

Atividades

  • 02/2013 - 08/2017

    Pesquisa e desenvolvimento , Ceteagro, .,Linhas de pesquisa

2018 - Atual

Empresa Agrícola HC Ltda.

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Engenheiro Agrônomo., Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
Engenheiro Agrônomo, atualmente desempenhando função de chefe de área técnica na Empresa Agrícola HC Ltda., responsável pela elaboração e execução dos programas fitossanitários, irrigação e fertilização dos cultivos de uva de mesa (Variedades Queen Rose, Allison, Inia Grape One), Anonas (Variedades Juliana, Concha Lisa, Local Serena, Coração de boi), Batata (Variedade Atlântica), Mamão de montanha e limão (Variedades Eureca e Genova), também responsável pela segurança alimentar, assegurando a implementação, cumprimento e certificação dos campos segundo as normas de Boas Práticas Agrícolas - GLOBAL GAP e da agricultura sustentável - RAS.