Felipe Vitório Ribeiro

Graduado em Química pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2013), com experiência como bolsista PIBIC-CNPq na Embrapa Agroindústria de Alimentos (CTAA) atuando na área de Biologia Molecular com extração e quantificação de DNA, preparação de eletroforese em gel de agarose e fotodocumentação, PCR em tempo real e convencional, e Diagnóstico Molecular de OGM. Mestre em Química Orgânica pelo Programa de Pós-Graduação em Química da UFRRJ (2015). Especialista em Docência na Educação Básica pelo Colégio Pedro II (2018). Doutor em Química pela UFRRJ (2020), com ênfase em Química Medicinal e Síntese de Fármacos, atuando principalmente nos seguintes temas: Síntese de compostos Cumarínicos e Heterocíclicos com potencial bioatividade, Síntese e exploração das propriedades Fotofísicas de substâncias luminescentes e intercalantes ao DNA, Reações Multicomponente e Reações de Acoplamento Cruzado. Possui vasta experiência em todos os níveis da educação: Fundamental, Médio e Superior. Atuou há mais de cinco anos como professor de preparatórios (Pré-ENEM UFRRJ e Curso Forte) militares, colégios técnicos, IFs e UFs. Atualmente é professor da Secretaria Estadual de Educação (SEEDUC-RJ) concursado há mais de seis anos e lecionando em várias cidades do estado, além de mediador de nível superior EaD do CEDERJ (Consórcio CECIERJ). Também foi professor Substituto Nível EBTT do Colégio Técnico da UFRRJ por dois anos, aprovado em primeiro lugar em concurso público.

Informações coletadas do Lattes em 16/09/2021

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Química

2015 - 2020

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Título: PLANEJAMENTO, SÍNTESE E AVALIAÇÃO ANTITUMORAL DE DERIVADOS DIIDROPIRIMIDINONAS E IMIDAZOPIRIDINAS DERIVADAS DE 3-CETO-CUMARINAS SUBSTITUÍDAS Felipe Vitório
Arthur Eugen Kümmerle. Palavras-chave: Câncer; DHPM; mecanismo reacional; novobiocin; reação multicomponente.

Mestrado em Química

2013 - 2015

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Título: SÍNTESE DE BIGINELLI APLICADA AO DESENVOLVIMENTO DE NOVAS CUMARINO-DIIDROPIRIMIDINONAS COM POTENCIAL USO NO DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE CÂNCERES ASSOCIADOS À HSP 90,Ano de Obtenção: 2015
Arthur Eugen Kummerle.Coorientador: Cedric Stephan Graebin. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Câncer; diidropirimidin-2(1H)-onas; Hsp90; novobiocin; Reação multicomponente de Biginelli.Grande área: Ciências Exatas e da TerraGrande Área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Química / Subárea: QUÍMICA MEDICINAL.

Especialização em Docência da Educação Básica

2017 - 2018

Colégio Pedro II
Título: SÍNTESE DO SALICILATO DE METILA EM MICRO-ONDAS DOMÉSTICO APLICANDO CONCEITOS DE QUÍMICA VERDE
Orientador: Carlos Lopes Silva

Graduação em Licenciatura Plena e Bacharelado em Química

2009 - 2013

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Título: DESENVOLVIMENTO E VALIDAÇÃO INTERLABORATORIAL DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO DE EVENTOS-ESPECÍFICOS DE OGMS NO BRASIL
Orientador: Edna Maria Morais Oliveira
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2021 - 2021

Boas práticas no uso do dicroísmo circular em química de produtos naturais. (Carga horária: 5h). , Sociedade Brasileira de Química, SBQ, Brasil.

2020 - 2020

O Uso de Aplicativos Web na Construção de Materiais Educacionais. (Carga horária: 20h). , Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, IFRS, Brasil.

2020 - 2020

Curso de Libras na Prática: Introdução. (Carga horária: 5h). , Instituto Politécnico de Ensino a Distância, iPED, Brasil.

2020 - 2020

Educação Midiática e a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). (Carga horária: 30h). , Instituto Palavra Aberta, IPA, Brasil.

2020 - 2020

Curso de Normas ABNT para Trabalhos Acadêmicos: Formatação. (Carga horária: 5h). , Instituto Politécnico de Ensino a Distância, iPED, Brasil.

2018 - 2018

Tutoria na plataforma Moodle/CEDERJ. (Carga horária: 30h). , Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do RJ, CECIERJ, Brasil.

2018 - 2018

FORMAÇÃO EM EAD COM ÊNFASE NA TUTORIA CEDERJ. (Carga horária: 90h). , Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do RJ, CECIERJ, Brasil.

2017 - 2017

Sustentabilidade, um valor para a nova geração: orientações para professor. (Carga horária: 15h). , Fundação Getúlio Vargas, FGV, Brasil.

2017 - 2017

SEMANA PAULO FREIRE. (Carga horária: 20h). , DIALOGAR, DLG, Brasil.

2017 - 2017

Educação a Distância. (Carga horária: 80h). , Faculdade Sul Mineira, FSM, Brasil.

2017 - 2017

Capacitação de Tutores em EaD. (Carga horária: 80h). , Faculdade Sul Mineira, FSM, Brasil.

2017 - 2017

Curso da Rede Nacional de Certificadores. (Carga horária: 30h). , Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, INEP/MEC, Brasil.

2016 - 2016

Farmacologia Geral. (Carga horária: 20h). , Instituto Politécnico de Ensino à Distância, IPED, Brasil.

2015 - 2015

Highlights in Medicinal Chemistry. (Carga horária: 15h). , Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.

2015 - 2015

Química Bioinorgânica Medicinal. (Carga horária: 10h). , Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.

2013 - 2013

Introdução à Química Farmacêutica e Medicinal. (Carga horária: 15h). , Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.

2013 - 2013

Highlights in Medicinal Chemistry. (Carga horária: 6h). , Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.

2013 - 2013

A Contribuição de Sutis Efeitos Estruturais. (Carga horária: 6h). , Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.

2012 - 2012

Extensão universitária em Quimiometria: Planejamento de experimentos. (Carga horária: 30h). , Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.

2012 - 2012

Curso Básico de Propriedade Industrial. (Carga horária: 6h). , Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, UFRRJ, Brasil.

2011 - 2011

TRANSGENIA: VALIOSA FERRAMENTA P ESTUDO DE GENES. (Carga horária: 8h). , VII Congresso Brasileiro de Biossegurança, ANBIO, Brasil.

2010 - 2010

Introdução à Espectrofotometria. (Carga horária: 8h). , Embrapa Agroindústria de Alimentos, CTAA, Brasil.

2009 - 2009

Biodisel - Tecnologia e Produção. (Carga horária: 12h). , Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, UFRRJ, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Italiano

Compreende Pouco, Lê Pouco.

Bandeira representando o idioma Francês

Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco.

Libras

Compreende Pouco, Fala Pouco.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Química / Subárea: QUÍMICA MEDICINAL.

Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Química / Subárea: Síntese de Fármacos.

Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Química / Subárea: Síntese Orgânica.

Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Química / Subárea: Biologia Molecular.

Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Química / Subárea: Detecção de Organismos Geneticamente Modificados.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

MACHADO, R. Q. ; RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO ; ROSSINI, R. T. . Grandes invenções. 2019. (Outro).

MACHADO, R. Q. ; RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO ; ALMEIDA, S. T. O. . Grandes Cientistas. 2019. (Outro).

MACHADO, R. Q. ; RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO ; ROSSINI, R. T. . A lógica e suas aplicações. 2019. (Outro).

RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO ; KUMMERLE, A. E. . Visitação aos laboratórios de química do IQ/UFRRJ por alunos da rede estadual de ensino. 2018. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

I JORNADA DA REDE RIO DE ENSINO DE QUÍMICA. 2018. (Outra).

Nova Lei de Inovação na UFRRJ.Discutindo o novo marco legal na C,T&I na UFRRJ. 2017. (Outra).

XXI Escola de Verão de Química Farmacêutica e Medicinal.XXI Escola de Verão de Química Farmacêutica e Medicinal. 2015. (Outra).

XIX Escola de Verão de Química Farmacêutica e Medicinal.XIX Escola de Verão de Química Farmacêutica e Medicinal. 2013. (Outra).

II Seminário em Inovação e Tecnologia na área de Alimentos.UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS DA BIOINFORMÁTICA PARA DESENHO DE MARCADORES MOLECULARES PARA DETECÇÃO DE ADULTERANTES À BASE DE MILHO EM CAFÉ TORRADO E MOÍDO. 2012. (Seminário).

VII Congresso Brasileiro de Biossegurança. DETECÇÃO DE EVENTOS NÃO AUTORIZADOS DE MILHO TRANSGÊNICO EM AMOSTRAS DE RAÇÃO ANIMAL POR PCR EM TEMPO REAL. 2011. (Congresso).

1° Seminário de Integração Graduação/Pós-Graduação de Química da UFRRJ (SIG-PGQ).1° Seminário de Integração Graduação/Pós-Graduação de Química da UFRRJ (SIG-PGQ). 2010. (Seminário).

Visita Técnica ao Centro de Visitação Ambiental da Estação de Tratamento de Esgoto de Alegria - NOVA CEDAE.ETE Alegria. 2009. (Encontro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Larissa de Almeida Peixoto Ferreira

KUMMERLE, A. E.VITÓRIO, FELIPE; LACERDA, R. B.; FRANCO, D. F. P.. SÍNTESE DE NOVAS IMIDAZOPIRIDINAS-CUMARÍNICAS COMO AGENTES TRIPANOCIDAS. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Química) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

MARCIA RODRIGUES PEREIRA

LOPES, C. S.; SILVA, R. I.;PEREIRA, M. R.. SÍNTESE DO SALICILATO DE METILA EM MICRO-ONDAS DOMÉSTICO APLICANDO CONCEITOS DE QUÍMICA VERDE. 2018. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Programa de Residência Docente) - Colégio Pedro II.

Marcelo de Freitas Lima

OLIVEIRA, E.M.M; KUMMERLE, A. E.;de Freitas Lima, Marcelo; Barra, C.M.. Desenvolvimento e validação interlaboratorial de sistemas de detecção e quantificação de eventos específicos de OGMs no Brasil. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Química) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Lúcia Helena Pinto da Silva

Pinto-da-Silva, L. H. ou da Silva, LHP ou Silva, LHP; Fampa, P.; GRAEBIN, C. S.. Síntese e avaliação biológica de novos [1,2,3] triazóis planejados como inibidores da enzima gliceraldeído-3-fosfato desidrogenase para o tratamento da doença de Chagas. 2018. Exame de qualificação (Doutorando em Programa de Pós-Graduação em Química) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Maria Letícia de Castro Barbosa

BARBOSA, M. L. C.; KUMMERLE, A. E.; LACERDA, R. B.. Síntese de Biginelli aplicada ao desenvolvimento de novas cumarino-diidropirimidinonas com potencial uso no diagnóstico e tratamento de cânceres associados à HSP90. 2015. Dissertação (Mestrado em Química) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Orientou

Nycoly Tavares Souza Ramos

Os jogos didáticos como ferramenta educacional, um foco na biodiversidade da Mata Atlântica; Início: 2021; Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro; (Orientador);

Vera Lúcia Mendes Drumond

Os recursos didáticos nas escolas e suas relações aplicadas na aprendizagem: um estudo em ciências e biologia; 2021; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro; Orientador: Felipe Vitório Ribeiro;

Larissa de Almeida Peixoto Ferreira

SÍNTESE DE NOVAS IMIDAZOPIRIDINAS-CUMARÍNICAS COMO AGENTES TRIPANOCIDAS; 2018; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Química) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro; Orientador: Felipe Vitório Ribeiro;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Carlos da Silva Lopes

EXPERIMENTAÇÃO EM ENSINO DE QUÍMICA: SÍNTESE DE SALICILALDEÍDO USANDO MICROONDAS DOMÉSTICO, APLICANDO CONCEITOS DE QUÍMICA VERDE; ; Início: 2017; Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Programa de Residência Docente) - Colégio Pedro II; (Orientador);

Cedric Stephan Graebin

SÍNTESE DE BIGINELLI APLICADA AO DESENVOLVIMENTO DE NOVAS CUMARINO-DIIDROPIRIMIDINONAS COM POTENCIAL USO NO DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE CÂNCERES ASSOCIADOS À HSP 90; 2015; Dissertação (Mestrado em Química) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Cedric Stephan Graebin;

Edna Maria Morais Oliveira

Detecção em alimentos processados de eventos transgênicos não autorizados no Brasil; 2010; Iniciação Científica; (Graduando em Química) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Edna Maria Morais Oliveira;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • PINTO, M. C. F. ; AMORIM, A. P. O. ; CARNEIRO, E. S. ; RIBEIRO, FELIPE V. . Uso do aplicativo Google Maps como recurso tecnológico no lançamento de foguetes da Mobfog 2019. REVISTA EDUCAÇÃO PÚBLICA (RIO DE JANEIRO) , v. 20, p. 031120, 2020.

  • VITÓRIO, FELIPE ; AMORIM, A. P. O. ; LOPES, C. S. . PRODUÇÃO DE SALICILATO DE METILA (GELOL) UTILIZANDO UMA FONTE DE ENERGIA ALTERNATIVA. UMA ATIVIDADE EXPERIMENTAL APLICADA A ALUNOS DE ENSINO MÉDIO. educte - Revista Científica do IFAL , v. 11, p. 1501-1514, 2020.

  • VITÓRIO, FELIPE ; AMORIM, A. P. O. ; LOPES, C. S. . O jogo Ímã Orgânico como ferramenta didática no ensino de Química. REVISTA EDUCAÇÃO PÚBLICA (RIO DE JANEIRO) , v. 20, p. 01-03, 2020.

  • FRANCO, DAIANA ; PEREIRA, THIAGO ; VITORIO, FELIPE ; NADUR, NATHALIA ; LACERDA, RENATA ; KÜMMERLE, ARTHUR . A IMPORTÂNCIA DAS CUMARINAS PARA A QUÍMICA MEDICINAL E O DESENVOLVIMENTO DE COMPOSTOS BIOATIVOS NOS ÚLTIMOS ANOS. QUÍMICA NOVA (ONLINE) , v. 42, p. 180-197, 2020.

  • AREAS, ESTHER SARAIVA ; PAIVA, JÉSSICA LOHANNE DE ASSUNÇÃO ; PEREIRA, THIAGO MOREIRA ; RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO ; KUMMERLE, ARTHUR EUGEN ; SILVA, HEVELINE ; GUEDES, GUILHERME PEREIRA ; DO NASCIMENTO, ANA CAROLINA CELLIS ; MIRANDA, FABIO DA SILVA ; NEVES, AMANDA . Redox-Activated Drug Delivery Properties and Cytotoxicity of Cobalt Complexes Based on a Fluorescent Coumarin--Ketoester Hybrid. EUROPEAN JOURNAL OF INORGANIC CHEMISTRY , v. 2019, p. 4031-4039, 2019.

  • GRAEBIN, CEDRIC S. ; RIBEIRO, FELIPE V. ; ROGÉRIO, KAMILLA R. ; KÜMMERLE, ARTHUR E. . Multicomponent Reactions for the Synthesis of Bioactive Compounds: A Review. CURRENT ORGANIC SYNTHESIS , v. 16, p. 855-899, 2019.

  • FRANCO, D. F. P. ; COSTA, R. G. ; VITÓRIO, F. . A química das drogas: uma abordagem didática para o ensino de funções orgânicas. REVISTA EDUCAÇÃO PÚBLICA (RIO DE JANEIRO) , v. 18, p. 06-10, 2018.

  • PEREIRA, THIAGO MOREIRA ; FRANCO, DAIANA PORTELLA ; VITORIO, FELIPE ; KUMMERLE, ARTHUR EUGEN . Coumarin Compounds in Medicinal Chemistry: Some Important Examples from the Last Years. CURRENT TOPICS IN MEDICINAL CHEMISTRY , v. 18, p. 124-148, 2018.

  • PEREIRA, THIAGO MOREIRA ; FRANCO, D. F. P. ; VITÓRIO, F. ; AMARAL, R. C. ; PONZONI, A. C. ; KUMMERLE, A. E. . MICROWAVE-ASSISTED SYNTHESIS AND PKA DETERMINATION OF UMBELLIFERONE: AN EXPERIMENT FOR THE UNDERGRADUATE ORGANIC CHEMISTRY LABORATORY. QUIMICA NOVA , p. 1205-1208, 2018.

  • VITÓRIO, F. . DNA no Ensino de Biologia e Química. REVISTA EDUCAÇÃO PÚBLICA (RIO DE JANEIRO) , v. 17, p. 1-3, 2017.

  • PEREIRA, THIAGO MOREIRA ; VITÓRIO, FELIPE ; AMARAL, RONALDO C ; ZANONI, KASSIO PAPI SILVA ; MURAKAMI IHA, N. Y. ; KÜMMERLE, ARTHUR EUGEN . Microwave-Assisted Synthesis and Photophysical Studies of Novel Fluorescent N-acylhydrazone and Semicarbazone-7-OH-Coumarin Dyes. NEW JOURNAL OF CHEMISTRY , v. 40, p. 8846-8854, 2016.

  • ROGERIO, K. R. ; VITÓRIO, F. ; KUMMERLE, A. E. ; GRAEBIN, C. S. . Multicomponent Reactions: A Brief History and their Versatility for the Synthesis of Biologically Active Molecules. Revista Virtual de Química , v. 8, p. 1934-1962, 2016.

  • VITÓRIO, FELIPE ; PEREIRA, THIAGO MOREIRA ; CASTRO, ROSANE NORA ; GUEDES, GUILHERME PEREIRA ; GRAEBIN, CEDRIC STEPHAN ; KÜMMERLE, ARTHUR EUGEN . Synthesis and mechanism of novel fluorescent coumarin-dihydropyrimidinone dyads obtained by Biginelli multicomponent reaction. New Journal of Chemistry (1987) , v. 39, p. 2323-2332, 2015.

  • VITORIO, FELIPE ; PEREIRA, THIAGO MOREIRA ; CASTRO, ROSANE NORA ; GUEDES, GUILHERME PEREIRA ; GRAEBIN, CEDRIC STEPHAN ; KUEMMERLE, ARTHUR EUGEN . ChemInform Abstract: Synthesis and Mechanism of Novel Fluorescent Coumarin-Dihydropyrimidinone Dyads Obtained by the Biginelli Multicomponent Reaction.. ChemInform , v. 46, p. no-no, 2015.

  • FERREIRA, THIAGO ; FARAH, ADRIANA ; OLIVEIRA, TATIANE C. ; LIMA, IVANILDA S. ; VITÓRIO, FELIPE ; OLIVEIRA, EDNA M.M. . Using Real-Time PCR as a tool for monitoring the authenticity of commercial coffees. Food Chemistry , v. 199, p. 433-438, 2015.

  • LOUZADA, S. H. ; MENEZES, M. S. ; FRANCO, D. F. P. ; AMORIM, A. P. O. ; VITÓRIO, F. . PROPOSTA DO JOGO APRENDENDO PARA EVITAR: UM ABORDAGEM ALTERNATIVA PARA DISCUSSÃO SOBRE DROGAS E FUNÇÕES ORGÂNICAS EM SALA DE AULA. In: VII Reunião Anual de Iniciação Científica da UFRRJ (VII RAIC ? 2019), 2019, Seropédica. Desafios e perspectivas da política científica no Brasil, 2019.

  • VITÓRIO, F. ; LOPES, C. S. . APLICAÇÃO DO JOGO DIDÁTICO ÍMÃ ORGÂNICO E SUAS CONTRIBUIÇÕES. In: 4a Jornada Pedagógica de Ensino de Ciências e Biologia do Colégio Pedro II, 2017, Rio de Janeiro. 4ª Jornada DBC CPII, 2017.

  • OLIVEIRA, EDNA M.M. ; SOUZA, A. M. ; VITÓRIO, F. ; OLIVEIRA, T. C. ; NOGUEIRA, R. . ESTABILIDADE DE PLACAS ?READY TO USE? PARA DETECÇÃO SIMULTÂNEA DE MULTIEVENTOS GENETICAMENTE MODIFICADOS. In: XXV Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia de Alimentos (CBCTA), 2016, Gramado-RS. Alimentação: a árvore que sustenta a vida, 2016.

  • PAIVA, J. L. A. ; VITÓRIO, F. ; NEVES, A. P. ; KUMMERLE, A. E. . SÍNTESE DE COMPLEXOS DE CoIII CONTENDO DERIVADOS DE CUMARINAS FLUORESCENTES COMO MODELOS DE PRÓ-FÁRMACOS BIORREDUTÍVEIS. In: RAIC, 2016, SEROPEDICA. RAIC, 2016.

  • PEREIRA, T. M. ; VITÓRIO, F. ; SOBRINHO, D. C. ; KUMMERLE, A. E. . SÍNTESE DE 7-OH-CUMARINAS E 7-N(CH2CH3)2 PLANEJADAS COMO SONDAS FLUORESCENTES PARA DETECÇÃO DE Zn+2 EM SISTEMAS HETEROGÊNEOS.. In: II Reunião Anual de IC da UFRRJ, 2014, SEROPÉDICA. Ciência e Democracia no Brasil Atual, 2014.

  • PEREIRA, T. M. ; VITÓRIO, F. ; SOBRINHO, D. C. ; KUMMERLE, A. E. . Síntese de novas cumarinas fluorescentes como sondas químicas e biológicas na detecção seletiva de íons metálicos. In: 53 CONGRESSO BRASILEIRO DE QUÍMICA, 2013, Rio de Janeiro. Química Ampliando Fronteiras, 2013.

  • VITÓRIO, F. ; PEREIRA, T. M. ; FRANCO, D. F. P. ; GRAEBIN, C. S. ; KUMMERLE, A. E. . Síntese multicomponente e caraterização de novos derivados cumarínicos. In: 53° Congresso Brasileiro de Química, 2013, Rio de Janeiro. 53° CBQ, 2013.

  • VITÓRIO, F. ; GRAEBIN, C. S. ; KUMMERLE, A. E. . SÍNTESE DE NOVAS DIIDROPIRIMIDINONAS DE BIGINELLI DERIVADAS DA 7-HIDROXI-CUMARINA ANÁLOGAS AO NOVOBIOCIN. In: VIII Fórum da Pós-Graduação da UFRRJ, 2013, Seropédica - RJ. Responsabilidade Social na Gestão da Pesquisa e Inovação Tecnológica, 2013.

  • VITÓRIO, F. ; LIMA, I. S. ; OLIVEIRA, T. C. ; Edna Maria Morais Oliveira . Avaliação da estabilidade de placas Ready-to-use na detecção de OGM no Brasil. In: I Semana de Pesquisa, Tecnologia e Inovação da UFRRJ, 2013, Seropédica - RJ. Os desafios da ciência no Brasil no Século XXI, 2013.

  • VITÓRIO, F. ; OLIVEIRA, T. C. ; LIMA, I. S. ; Edna Maria Morais Oliveira . Sistema ready-to-use para detecção de OGM não autorizados no Brasil: suporte ao Programa Brasileiro de Biossegurança. In: XXII JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFRRJ, 2012, SEROPÉDICA - RJ. XXII JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 2012.

  • VITÓRIO, F. ; OLIVEIRA, T. C. ; LIMA, I. S. ; Edna Maria Morais Oliveira . A técnica da PCR em tempo real para detecção de eventos geneticamente modificados não autorizados no Brasil. In: XXII JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFRRJ, 2012, SEROPÉDICA - RJ. XXII JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 2012.

  • BRAGA, M. M. M. F. ; VITÓRIO, F. ; COUTINHO, M. A. G. C. . ANÁLISE DA ESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR NA REDE ESTADUAL DE ENSINO: COLÉGIO ESTADUAL PRESIDENTE DUTRA. In: XXII JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFRRJ, 2012, Seropédica - Rj. XXII JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 2012.

  • FERREIRA, L. A. P. ; VITÓRIO, F. ; FRANCO, D. F. P. ; AZEVEDO, L. L. ; KUMMERLE, A. E. . Synthesis and Pharmacological Evaluation of New 3-(Imidazo[1,2-a]pyridin-2-yl)-coumarins as Cholinesterase Inhibitors. In: 43ª Reunião Anual Virtual da SBQ, 2020, Virtual. 43ª RASBQ Virtual, 2020.

  • MELLO, L. C. ; ALMEIDA, P. S. V. B. ; VITÓRIO, F. ; KUMMERLE, A. E. ; GUEDES, GUILHERME PEREIRA ; NEVES, A. P. . Synthesis of Cu(II) and Zn(II) complexes containing bipyridine and coumarin ligands as potential cytotoxic agents. In: 42ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química, 2019, Joinville. 42ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química, 2019.

  • MAIA, Y. T. ; ARRUDA, H. J. ; RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO ; KUMMERLE, A. E. ; NEVES, A. P. . Novos complexos de Ag(I) contendo derivados de cumarinaimidazopiridina: Síntese e caracterização. In: XVII Encontro Regional da Sociedade Brasileira de Química -Regional Rio de Janeiro (XVIIERSBQ-Rio), 2019, Rio de Janeiro. Sociedade Brasileira de Química-Rio de Janeiro, 2019.

  • ARRUDA, H. J. ; VITÓRIO, F. ; NEVES, A. P. ; KUMMERLE, A. E. . Synthesis and characterization of new Zn(II) complexes designed as prototypes for chemotherapeutic treatment of bacterial infections.. In: 41a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química, 2018, Foz do Iguaçu. Resumos da 41a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química, 2018.

  • LOPES, C. S. ; VITÓRIO, F. ; AMORIM, A. P. O. . DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DO JOGO ÍMÃ ORGÂNICO COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE QUÍMICA. In: I JORNADA DA REDE RIO DE ENSINO DE QUÍMICA, 2018, RIO DE JANEIRO. I JORNADA DA REDE RIO DE ENSINO DE QUÍMICA, 2018.

  • OLIVEIRA, J. A. ; POSO, F. F. ; XAVIER, A. L. C. ; VITÓRIO, F. ; AMORIM, A. P. O. ; SANTOS JUNIOR, I. B. ; SILVA, R. I. . O papel da experimentação em diferentes realidades de ensino de Ciências. In: 5ª Jornada Pedagógica de Ensino de Ciências e Biologia, 2018, RIO DE JANEIRO. 5ª Jornada Pedagógica de Ensino de Ciências e Biologia, 2018.

  • ALMEIDA, P. S. V. B. ; FRANCA, J. A. A. ; ARRUDA, H. J. ; RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO ; KUMMERLE, A. E. ; GUEDES, GUILHERME PEREIRA ; OLIVEIRA, L. L. ; SILVA, HEVELINE ; NEVES, A. P. . Synthesis and biological evaluation of Ru(II) complexes containing bipyridine and coumarin hybrids. In: XIX Brazilian Meeting on Inorganic Chemistry, 2018, Fortaleza. VI Latin American Meeting on Biological Inorganic Chemistry, 2018.

  • RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO ; AMORIM, A. P. O. ; LOPES, C. S. . Uso De Microondas Doméstico Em Sala De Aula Para A Síntese Do Salicilato De Metila Aplicando Conceitos De Química Verde. In: I Jornada PROFQUI-Licenciatura em Química da UFRRJ, 2018, Seropédica. Desafios atuais da formação inicial e continuada de professores de Química, 2018.

  • VITORIO, FELIPE ; PEREIRA, T. M. ; RODRIGUES, T. ; PESSOA, C. O. ; GRAEBIN, C. S. ; KUMMERLE, A. E. . SYNTHESIS OF NOVEL CYTOTOXIC COUMARIN-3,4-DIHYDROPYRIMIDIN-2(1H)-ONES BY BIGINELLI MULTICOMPONENT REACTION. In: 46th World Chemistry Congress - 40ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química - IUPAC 49th General Assembly, 2017, SÃO PAULO - SP. SUSTAINABILITY & DIVERSITY THROUGH CHEMISTRY, 2017.

  • VITÓRIO, F. ; PEREIRA, T. M. ; RODRIGUES, T. ; PESSOA, C. O. ; GRAEBIN, C. S. ; KUMMERLE, A. E. . NOVEL CYTOTOXIC COUMARIN-3,4-DIHYDROPYRIMIDIN-2(1H)-ONES SYNTHESIZED BY BIGINELLI MULTICOMPONENT REACTION. In: XVI Encontro Regional de Química da SBQ-Rio, 2017, Rio de Janeiro. PUC-Rio, 2017.

  • ALMEIDA, P. S. V. B. ; FRANCA, J. A. A. ; VITÓRIO, F. ; KUMMERLE, A. E. ; NEVES, A. P. . Síntese e caracterização de um novo complexo do tipo RuII-bpy contendo um derivado híbrido de cumarina--cetoéster. In: XVI Encontro Regional de Química da SBQ-Rio, 2017, Rio de Janeiro. PUC-RJ, 2017.

  • PEREIRA, T. M. ; VITÓRIO, F. ; KUMMERLE, A. E. . Síntese e avaliação fotofísica de novos derivados tiazol-cumarinas como protótipos de sondas 'turn-off' seletivas para Cu+2. In: 39ª Reunião Anual da SBQ, 2016, Goiânia - GO. Criar e empreender, 2016.

  • VITORIO, FELIPE ; KUMMERLE, A. E. . SÍNTESE DE 7-AMINO CUMARIANAS SUBSTITUÍDAS PLANEJADAS COMO POSSÍVEIS AGENTES ANTITUMORAIS. In: XI Fórum da Pós-Graduação da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, 2016, SEROPÉDICA - RJ. DESAFIOS DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM TEMPOS DE CRISE, 2016.

  • PEREIRA, THIAGO MOREIRA ; VITÓRIO, F. ; AMARAL, R. C. ; ZANONI, K. ; Iha, N. Y. M. ; KUMMERLE, A. E. . Síntese assistidapormicroondas e estudofotofísico denovos derivadosfluorescentesde 7-OH-cumarinas. In: 38ª Reunião anual da Sociedade Brasileira de Química, 2015, Águas de Lindóia - SP. #LuzQuímicaAção, 2015.

  • VITÓRIO, F. ; PEREIRA, T. M. ; CHAVES, O. A. ; FERREIRA, A. B. B. ; GRAEBIN, C. S. ; KUMMERLE, A. E. . Síntese e caracterização fotofísica de novas cumarinas fluorescentes de Biginelli. In: 37ª Reunião Anual da SBQ, 2014, Natal - RN. O papel da Química no cenário econômico atual: competitividade com responsabilidade, 2014.

  • PEREIRA, T. M. ; VITÓRIO, F. ; SOBRINHO, D. C. ; NEVES, A. P. ; KUMMERLE, A. E. . Síntese de novas 7-OH e 7-N(CH2CH3)2 cumarinas como sondas fluorescentes seletivas de Zn+2 em sistemas químicos e biológicos.. In: 37ª Reunião Anual da SBQ, 2014, Natal - RN. O papel da Química no cenário econômico atual: competitividade com responsabilidade, 2014.

  • FERREIRA, F. B. ; AVILA, V. M. R. ; VITÓRIO, F. ; BARROS, C. A. ; KUMMERLE, A. E. ; SANTANNA, C. M. R. . Modelagem Comparativa de Metaloprotease de Peçonha de Serpente e Estudo de interação por Docking de Novos Ligantes. In: 37ª Reunião Anual da SBQ, 2014, Natal - RN. O papel da Química no cenário econômico atual: competitividade com responsabilidade, 2014.

  • VITÓRIO, F. ; GRAEBIN, C. S. ; KUMMERLE, A. E. . DETERMINAÇÃO DA VIA MECANÍSTICA DA SÍNTESE DE NOVAS DIIDROPIRIMIDINONAS DE BIGINELLI ANÁLOGAS AO NOVOBIOCIN. In: IX Fórum da Pós-Graduação da UFRRJ, 2014, SEROPÉDICA - RJ. A Ética na Pesquisa, 2014.

  • Ferreira, T. ; Edna Maria Morais Oliveira ; VITÓRIO, F. ; LIMA, I. S. ; OLIVEIRA, T. C. ; Farah, A. . DEVELOPING DNA CALIBRANTS FOR RELATIVE QUANTIFICATION OF COFFEE ADULTERATION. In: EuroFoodChem XVII, 2013, Istanbul - Turkey. EuroFoodChem XVII, 2013.

  • Edna Maria Morais Oliveira ; VITÓRIO, F. ; OLIVEIRA, T. C. ; LIMA, I. S. ; Ferreira, T. . STABILITY OF A READY TO USE PLATE AS A SUPPORT TO BRAZILIAN GMO MONITORING PROGRAM: RR SOYBEAN AS A MODEL. In: EuroFoodChem XVII, 2013, Istanbul - Turkey. EuroFoodChem XVII.

  • PEREIRA, T. M. ; VITÓRIO, F. ; KUMMERLE, A. E. . Síntese de novas cumarinas fluorescentes planejadas como sondas químicas e biológicas de íons metálicos. In: 36ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química, 2013, Águas de Lindóia - SP. 36ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química, 2013.

  • VITÓRIO, F. ; GRAEBIN, C. S. ; KUMMERLE, A. E. . Síntese de novos derivados cumarínicos através da reação multicomponente de Biginelli. In: 36ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química, 2013, Águas de Lindóia - SP. 36ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química, 2013.

  • VITÓRIO, F. ; SILVA, K. C. B. ; GRAEBIN, C. S. ; KUMMERLE, A. E. ; OLIVEIRA, M. C. C. . Diidropirimidinonas Derivadas da 7-hidroxi-cumarina como Inibidoras da Enzima Tirosinase. In: XIVERSBQ-Rio, 2013, Rio de Janeiro. DESAFIOS DA PESQUISA E DO ENSINO DE QUÍMICA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, 2013.

  • Ferreira, T. ; Edna Maria Morais Oliveira ; OLIVEIRA, T. C. ; LIMA, I. S. ; VITÓRIO, F. ; Farah, A. . DNA-BASED CALIBRANTS FOR QUANTIFICATION OF COFFEE ADULTERANTS. In: 6th International Symposium on RECENT ADVANCES IN FOOD ANALYSIS, 2013, Prague. RECENT ADVANCES IN FOOD ANALYSIS, 2013.

  • Edna Maria Morais Oliveira ; VITÓRIO, F. ; OLIVEIRA, T. C. ; LIMA, I. S. ; Ferreira, T. . EVALUATION OF STABILITY OF PRE-SPOTTED AND READY-TO-USE PLATE FOR GMO DETECTION TO ASSIST A NATIONAL BIOSAFETY PROGRAM. In: 6th International Symposium on RECENT ADVANCES IN FOOD ANALYSIS, 2013, Prague. RECENT ADVANCES IN FOOD ANALYSIS, 2013.

  • Edna Maria Morais Oliveira ; LIMA, I. S. ; OLIVEIRA, T. C. ; Machado, J.P. ; Ferreira, T. ; VITÓRIO, F. . DESENVOLVIMENTO DE MÉTODO MOLECULAR PARA DETECÇÃO DE GLÚTEN EM ALIMENTOS DESTINADOS A INDIVÍDUOS PORTADORES DE DOENÇA CELÍACA. In: XXIII Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia de Alimentos, 2012, Campinas - SP. 45 anos de Ciência e Tecnologia de Alimentos no Brasil, 2012.

  • Edna Maria Morais Oliveira ; Ferreira, T. ; OLIVEIRA, T. C. ; LIMA, I. S. ; VITÓRIO, F. ; Farah, A. . VALIDAÇÃO DE MARCADOR MOLECULAR PARA DETECÇÃO DE CEVADA EM CAFÉ COMERCIAL. In: XXIII Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia de Alimentos, 2012, Campinas - SP. 45 anos de Ciência e Tecnologia de Alimentos no Brasil, 2012.

  • Ferreira, T. ; Edna Maria Morais Oliveira ; OLIVEIRA, T. C. ; VITÓRIO, F. ; LIMA, I. S. ; Farah, A. . UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS DA BIOINFORMÁTICA PARA DESENHO DE MARCADORES MOLECULARES PARA DETECÇÃO DE ADULTERANTES À BASE DE MILHO EM CAFÉ TORRADO E MOÍDO. In: II Seminário em Inovação e Tecnologia na Área de Alimentos, 2012, Rio de Janeiro - RJ. II Seminário em Inovação e Tecnologia na Área de Alimentos, 2012.

  • Edna Maria Morais Oliveira ; Ferreira, T. ; OLIVEIRA, T. C. ; VITÓRIO, F. ; LIMA, I. S. ; Farah, A. . VALIDATION OF MOLECULAR MARKER FOR DETECTION OF BARLEY IN COMMERCIAL COFFEE. In: 16th World Congress of Food Science and Technology, 2012, Foz do Iguaçu - PR. Addressing Global Food Security and Wellness through Food Science and Technology, 2012.

  • Edna Maria Morais Oliveira ; VITÓRIO, F. ; OLIVEIRA, T. C. ; LIMA, I. S. ; Ferreira, T. . READY TO USE DETECTION SYSTEM FOR BRAZILIAN GMO MONITORING PROGRAM: RR SOYBEN AS A MODEL. In: 16th World Congress of Food Science and Technology, 2012, Foz do Iguaçu - PR. Addressing Global Food Security and Wellness through Food Science and Technology, 2012.

  • Edna Maria Morais Oliveira ; VITÓRIO, F. ; OLIVEIRA, T. C. ; LIMA, I. S. ; Ferreira, T. . Ready-to-Use System for GMO Detection to Support the Brazilian Biosafety Monitoring Program. In: 12th International Symposium on Biosafety of Genetically Modified Organisms (ISBGMO12), 2012, St Louis, Missouri, USA. 12th International Symposium on Biosafety of Genetically Modified Organisms (ISBGMO12), 2012.

  • Ferreira, T. ; Edna Maria Morais Oliveira ; LIMA, I. S. ; VITÓRIO, F. ; Farah, A. . DETECTION OF TRACE AMOUNTS OF NON-INTENTIONAL FOOD CONTAMINANTS IN COFEE USING REAL-TIME PCR.. In: XVI Congreso de la Sociedad Latinoamericana de Nutrición (SLAN), 2012, LA HABANA, CUBA. Promoción de Salud y Prevención de Enfermedades, 2012.

  • VITÓRIO, F. ; LEITE, G. B. ; SILVA, J. D. C. ; COUTINHO, M. A. G. C. . ANÁLISE DA ESTRUTURA ESCOLAR PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS. In: I Encontro de Iniciação à Docência em Ciências, 2012, Seropédica - Rj. I Encontro de Iniciação à Docência em Ciências, 2012.

  • Ferreira, T. ; Edna Maria Morais Oliveira ; OLIVEIRA, T. C. ; LIMA, I. S. ; VITÓRIO, F. ; Farah, A. . DETECTION OF CORN AND BARLEY AS ADULTERANTS IN ROASTED COFFEE USING REAL-TIME PCR. In: ASIC, 2012, San José - Costa Rica. 24th ASIC International Conference on Coffee Science, 2012.

  • Ferreira, T. ; Edna Maria Morais Oliveira ; OLIVEIRA, T. C. ; LIMA, I. S. ; VITÓRIO, F. ; Farah, A. . DEVELOPMENT OF PRIMER SETS FOR DETECTION OF CORN AND BARLEY IN ROASTED COFFEE BY REAL TIME PCR. In: ASIC, 2012, San José - Costa Rica. 24th ASIC International Conference on Coffee Science, 2012.

  • Edna Maria Morais Oliveira ; VITÓRIO, F. ; OLIVEIRA, T. C. ; LIMA, I. S. . DETECÇÃO DE EVENTOS NÃO AUTORIZADOS DE MILHO TRANSGÊNICO EM AMOSTRAS DE RAÇÃO ANIMAL POR PCR EM TEMPO REAL. In: VII Congresso Brasileiro de Biossegurança, 2011, Joinville - SC. Avanços da Biologia Sintética e Desafios da Biossegurança, 2011.

  • LOUZADA, S. H. ; MENEZES, M. S. ; FRANCO, D. F. P. ; AMORIM, A. P. O. ; RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO . Proposta do jogo aprendendo para evitar: Uma abordagem alternativa para discussão sobre drogas e funções orgânicas em sala de aula. 2019. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO . Síntese de novas cumarinas planejadas como possíveis agentes antitumorais. 2019. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • LOUZADA, S. H. ; RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO ; MENEZES, M. S. . ?USO DO JOGO APRENDENDO PARA EVITAR COMO ABORDAGEM ALTERNATIVA PARA DISCUSSÃO SOBRE DROGAS E FUNÇÕES ORGÂNICAS NO ENSINO MÉDIO. 2019. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO . Jogos didáticos no Ensino de Química. 2019. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO . Aulas Experimentais no Ensino de Química. 2019. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO . Desvendando caminhos para a pós-graduação. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO . Síntese do Salicilato de metila em microondas doméstico, aplicando conceitos de química verde. 2017. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • VITÓRIO, F. ; PEREIRA, T. M. ; RODRIGUES, T. ; PESSOA, C. O. ; GRAEBIN, C. S. ; KUMMERLE, A. E. . NOVEL CYTOTOXIC COUMARIN-3,4-DIHYDROPYRIMIDIN-2(1H)-ONES SYNTHESIZED BY BIGINELLI MULTICOMPONENT REACTION. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • RIBEIRO, FELIPE VITÓRIO . Desenvolvimento e Validação Interlaboratorial de Sistemas de Detecção e Quantificação de Eventos Específicos de OGMs no Brasil - Parte 3. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • VITÓRIO, F. . Desenvolvimento e Validação Interlaboratorial de Sistemas de Detecção e Quantificação de Eventos Específicos de OGMs no Brasil - Parte 2. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • VITÓRIO, F. . Desenvolvimento e Validação Interlaboratorial de Sistemas de Detecção e Quantificação de Eventos Específicos de OGMs no Brasil - Parte 1. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • Farah, A. ; Edna Maria Morais Oliveira ; VITÓRIO, F. ; LIMA, I. S. ; OLIVEIRA, T. C. ; Ferreira, T. . Definição de um marcador molecular para a detecção de milho em café comercial usando PCR em tempo real. Embrapa, 2013 (Transferência de Tecnologia / Série Comunicado Técnico).

  • Edna Maria Morais Oliveira ; VITÓRIO, F. ; LIMA, I. S. ; OLIVEIRA, T. C. ; Ferreira, T. . Sistema 'ready-to-use' para detecção de OGM: um apoio ao programa de monitoramento brasileiro de biossegurança. Embrapa, 2013 (Transferência de Tecnologia / Série Comunicado Técnico).

  • Farah, A. ; Edna Maria Morais Oliveira ; VITÓRIO, F. ; LIMA, I. S. ; OLIVEIRA, T. C. ; Ferreira, T. . Definição de um marcador molecular para a detecção de cevada em café comercial usando PCR em Tempo Real. Embrapa, 2013 (Transferência de Tecnologia / Série Comunicado Técnico).

  • Edna Maria Morais Oliveira ; VITÓRIO, F. ; LIMA, I. S. ; OLIVEIRA, T. C. ; Ferreira, T. . Detecção de eventos geneticamente modificados não autorizados no Brasil por PCR em Tempo Real. Embrapa, 2013 (Transferência de Tecnologia / Série Comunicado Técnico).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

Edna Maria Morais Oliveira ; SOUZA, H. P. ; LIMA, I. S. ; VITÓRIO, F. . Análise do potencial aflatoxigênico de fungos filamentosos. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2019 - 2020

    DESENVOLVIMENTO DE COMPOSTOS INIBIDORES DE EVENTOS FIBRILARES VISANDO APLICAÇÕES TERANÓSTICAS E DE TRATAMENTO NA DOENÇA DE ALZHEIMER, Descrição: A maior porcentagem relativa de idosos e o aumento da expectativa de vida no Brasil, segundo dados recentes do PNAD 2017, além do crescente aumento de doenças neurodegenerativas, são razões importantes para o desenvolvimento de novos fármacos mais seguros e eficazes para estes pacientes. Nosso grupo de Química Medicinal da UFRRJ vêm se dedicando a pesquisas nessa área, com o intuito de obter compostos sintéticos que possuam atividades farmacológicas frente a eventos celulares oriundos de quadros neurodegenerativos presentes na Doença de Alzheimer (DA). Portanto, a obtenção e otimização de novos arcabouços moleculares e a celeridade nas análises bioquímicas são de crucial importância para a obtenção de compostos bioativos que apresentem as ações farmacológicas desejadas. Dentre os possíveis tratamentos da DA está a inibição da agregação do peptídeo A que, embora seja um evento fisiologicamente relevante, é patogênica quando da sua agregação em oligômeros e fibrilas. Desta forma, a estratégia de inibição da agregação do peptídeo A e/ou de formas tóxicas geradas pela mesma, seja pela intercalação dos peptídeos, inibição da AChE, ou complexação a metais, emergiu como uma terapia modificadora de doença válida para DA, assim como seu entendimento por modelos como os da doença priônica. Ademais, nossos compostos têm sido planejados para apresentarem fluorescência, além da capacidade de inibição de eventos fibrilares. Desta forma, podem ser utilizados numa área de fronteira que são os teranósticos, que são compostos que auxiliam no tratamento e diagnóstico ao mesmo tempo. Frente a isso, este projeto pode levar a uma maior consolidação de nosso grupo de pesquisa, que vem apresentando resultados prévios frente aos alvos relacionadas, fortalecendo ainda a pesquisa científica em regiões de baixo índice socioeconômico do Estado do Rio de Janeiro e aprimorando pesquisas voltadas ao tratamento desta doença de grande impacto socioeconômico no Brasil. Além disso, este projeto está vinculado à participação de alunos de graduação e Pós da UFRRJ, que estarão inseridos num projeto de pesquisa multidisciplinar focado na Química Medicinal, tendo a oportunidade de desenvolver o senso crítico e de pesquisa.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Arthur Eugen Kummerle - Coordenador / Daiana de Fátima Portella Franco - Integrante / Carlos Mauricio R. Sant'Anna - Integrante / Sabrina Neves - Integrante / Renata Barbosa Lacerda - Integrante / nathalia f nadur - Integrante / LUCAS CARUSO ARAUJO BEZERRA - Integrante / MARCELO DE FREITAS LIMA - Integrante / MARIA LETÍCIA DE CASTRO BARBOSA - Integrante / YRAIMA CORDEIRO - Integrante.

  • 2018 - 2020

    Planejamento e Síntese de Compostos Fluorescentes Inibidores de Eventos Fibrilares para Aplicações Teranósticas e de Tratamento na Doença de Alzheimer, Descrição: O Estado do Rio de Janeiro (ERJ) possui a maior porcentagem relativa de idosos do Brasil, e o crescente aumento de doenças neuro-degenerativas é uma razão importante para o desenvolvimento de novos fármacos mais seguros e eficazes para estes pacientes. Nosso grupo de Química Medicinal da UFRRJ vêm se dedicando a pesquisas nessa área, com o intuito de obter compostos sintéticos que possuam atividades farmacológicas frente a eventos celulares oriundos de quadros neurodegenerativos presentes na Doença de Alzheimer (DA). Portanto, a obtenção e otimização de novos arcabouços moleculares e a celeridade nas análises bioquímicas são de crucial importância para a obtenção de compostos bioativos que apresentem as ações farmacológicas desejadas. Dentre os possíveis tratamentos da DA está a inibição da agregação do peptídeo A que, embora seja um evento fisiologicamente relevante, é patogênica quando da sua agregação em oligômeros e fibrilas. Desta forma, a estratégia de inibição da agregação do peptídeo A, por intercalação ou complexação a metais, emergiu como uma terapia modificadora de doença válida para DA, assim como seu entendimento por modelos como os da doença priônica. Ademais, temos explorado nossos compostos numa área de fronteira que são os teranósticos, que auxiliam no tratamento e diagnóstico ao mesmo tempo. Frente a isso, este projeto levaria a uma maior consolidação de nosso grupo de pesquisa, que vem apresentando resultados prévios frente aos alvos relacionadas, fortalecendo ainda a pesquisa científica em regiões de baixo índice socioeconômico do Estado do Rio de Janeiro e aprimorando pesquisas voltadas ao tratamento desta doença de grande impacto socioeconômico no ERJ. Além disso, este projeto está vinculado à participação de alunos de graduação e Pós da UFRRJ, que estarão inseridos num projeto de pesquisa multidisciplinar focado na Química Medicinal, tendo a oportunidade de desenvolver o senso crítico e de pesquisa.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Thiago Moreira Pereira - Integrante / Arthur Eugen Kummerle - Coordenador / Daiana de Fátima Portella Franco - Integrante / Carlos Mauricio R. Sant'Anna - Integrante / Sabrina Neves - Integrante / Renata Barbosa Lacerda - Integrante / CRISTIANE MARTINS CARDOSO DE SALLES - Integrante / GABRIELA ALVES DE SOUZA - Integrante.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de desenvolvimento

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E QUANTIFICAÇÃO EVENTO-ESPECÍFICOS DE OGM NO BRASIL, Descrição: O crescimento global do cultivo e do comércio de variedades geneticamente modificadas (GM) aumentou também a complexidade do gerenciamento e da preservação da identidade de algumas comodities agrícolas na cadeia produtiva. Ocorrências acidentais no mercado de variedades GM não autorizadas têm realçado a necessidade de um sistema rigorosos de controle para detectar a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) na cadeia alimentar. Entretanto, alguns aspectos técnicos de implementação de um sistema de controle, ainda encontram-se sob desafios consideráveis para garantir o funcionamento do mercado/comércio global, bem como o direito de escolha do consumidor. Dentre os desafios supracitados estão a implementação de análises de OGM ao longo da cadeia produtiva, onde questões relacionadas à amostragem, escolha dos melhores métodos, impactos econômicos, interpretação de resultados analíticos e medida de incerteza devem ser considerados. Adicionalmente, os aspectos técnicos como preparação de amostra, homogeneidade de amostras, tamanho de partícula, presença de inibidores, comparação entre métodos de extração (DNA e/ou proteína), bem como a harmonização, padronização, validação e acreditação de métodos quali/qiuantitativos, que envolvem a disponibilidade de materiais de referência e a necessidade de adequação de programas de rastreabilidade já existentes (para o cenário atual dos OGM), apresentam-se como gargalos para o gerenciamento e controle de OGM do mercado. No Brasil existem laboratórios públicos e privados que desenvolvem atividades relacionadas à detecção de OGM em alimentos. No entanto, a quase totalidade dos laboratórios credenciados/habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) são do setor privado. Diante deste cenário, faz-se necessário agrupar os laboratórios públicos de Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento, bem como Universidades, para a validação, implementação e harmonização de metodologias para a detecção.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Integrantes: Felipe Vitório Ribeiro - Integrante / Edna Maria Morais Oliveira - Coordenador.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2021

Capa Revista Química Nova, n 42, 2021, SBQ.

2019

Capa de Dezembro do periódico Current Organic Synthesis, Bentham Science.

2015

Menção Honrosa: DETERMINAÇÃO DA VIA MECANÍSTICA DA SÍNTESE DE NOVAS DIIDROPIRIMIDINONAS DE BIGINELLI ANÁLOGAS AO NOVOBIOCIN, IX Fórum da Pós-Graduação da UFRRJ.

2015

Síntese assistida por micro-ondas e estudo fotofísico de novos derivados fluorescentes de 7-OH cumarinas, 38ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química.

2014

Melhor Painel: Síntese de novas 7-OH e 7-N(CH2CH3)2 cumarinas como sondas fluorescentes seletivas de Zn+2 em sistemas químicos e biológicos., 37° Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química.

2014

Melhor trabalho: SÍNTESE DE 7-OH-CUMARINAS E 7-N(CH2CH3)2 PLANEJADAS COMO SONDAS FLUORESCENTES PARA DETECÇÃO DE Zn 2 EM SISTEMAS HETEROGÊNEOS., UFRRJ.

2013

Melhor Painel: Síntese de novas cumarinas fluorescentes planejadas como sondas químicas e biológicas de íons metálicos., 36° Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Instituto de Ciências Exatas, Departamento de Química. , Rodovia BR-465, Cidade Universitária, 23897000 - Seropédica, RJ - Brasil, Telefone: (21) 26821872, URL da Homepage:

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2010 - 2013

Embrapa Agroindustria de Alimentos

Vínculo: Bolsista Iniciação Científica, Enquadramento Funcional: Bolsista Iniciação Científica, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.

2018 - 2020

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Vínculo: Professor Substituto, Enquadramento Funcional: Colégio Técnico da UFRRJ, Carga horária: 20

2010 - 2010

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estagiário Laboratório de Produtos Naturais, Carga horária: 12

Outras informações:
Separação e identificação de compostos orgânicos.

2010 - 2010

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Vínculo: Professor, Enquadramento Funcional: Professor Pré-Vestibular Comunitário, Carga horária: 20

2009 - 2009

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Vínculo: Estágio, Enquadramento Funcional: Estagiário Laboratório de Química Analítica, Carga horária: 9

Outras informações:
Preparo e padronização de soluções. Organização do laboratório. Preparo e execução das aulas práticas.

2014 - Atual

Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Docente I, Carga horária: 30

2016 - Atual

Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do RJ

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Tutor a distância, Carga horária: 10

2013 - 2018

Curso Forte

Vínculo: Professor educação básica, Enquadramento Funcional: Professor educação básica, Carga horária: 12

Outras informações:
Professor de Nível Médio e Fundamental, com turmas preparatórias para concursos militares, colégios técnicos, IFs e UFs.