Formulação tópica contendo extrato de piper regnellii para tratamento de micoses superficiais

  • Número do pedido da patente:
  • PI 0704809-2 A8
  • Data do depósito:
  • 20/09/2007
  • Data da publicação:
  • 26/05/2009
Inventores:
  • Classificação:
  • A61P 31/10
    Antiinfecciosos, i.e. antibi?ticos, antiss?pticos, quimioterap?uticos; / Antimic?ticos;
    ;
    A61K 127/00
    Contendo ou obtido de folhas;
    ;
    A61K 36/67
    Prepara??es medicinais contendo materiais de constitui??o indeterminadas derivados de algas, l?quens, fungos ou plantas, ou derivados dos mesmos, p. ex. medicamentos tradicionais ? base de ervas; / Magnoliophyta (angiospermas); / Magnoliopsida (dicotiled?neas); / Piperaceae (fam?lia da pimenta), p. ex. P?per ou kava kava;
    ;

FORMULAÇÃO TÓPICA CONTENDO EXTRATO DE PIPER REGNELLII PARA TRATAMENTO DE MICOSES SUPERFICIAIS. O presente produto refere-se a formulação tópica para tratamento de micoses superficiais cujas bases são extratos, frações e substâncias isoladas de Piper regneliji (Miq.) C. CD. Var. pailascens (C.DC) Yunck. A onicomicose, tipo de micose superficial caracteriza-se como unhas friáveis, corroidas, secas, escamosas, com estrias longitudinais, podendo ocorrer a separação do limbo e do leito da unha. Os medicamentos antifúngicos sistêmicos atuais apresentam toxicidade elevada, pois podem ocorrer interações com outros medicamentos e também, apresentar efeitos colaterais graves quando em monoterapia. Estes, em geral, são de custo muito elevado, tomando muitas vezes inviável a continuidade do tratamento. O objetivo da presente patente é a apresentação de formulação tópica para tratamento de micoses superficiais, tendo em vista sua alta incidência, incorporado em seu veículo, esmalte cosmético comercial, um extrato clarificado derivado da espécie vegetal.

Página de 1

Documento

PI0704809-2

FORMULAÇÃO TÓPICA CONTENDO EXTRATO DE PIPER REGNELLII PARA TRATAMENTO DE MICOSES SUPERFICIAIS.

Introdução

O presente produto refere-se a formulação tópica para tratamento de micoses 5 superficiais cujas bases são extratos, frações e substâncias isoladas de Piper regnellii (Miq.) C. CD. Var. pallascens (C.DC) Yunck. A espécie vegetal P. regnellii pertence à família Piperaceae, a qual possui cinco gêneros e cerca de 1400 espécies, distribuídas desde o México até a região Sudeste da Argentina, somente no Brasil é representada por aproximadamente 300 espécies de Piper L, sendo essas caracterizadas pelo uso 10 medicinal, pela importância econômica e comercial devido à produção de óleos essenciais pela indústria farmacêutica, de inseticidas e condimentos. É conhecida popularmente como caapeba, capeba ou pariparoba. Diversos são os usos dessa planta, como no tratamento das obstruções do fígado e do baço, na cicatrização de feridas, redução de inchaços, diurético, pleurite e irritações de pele. Existem inúmeras 15 substâncias de classes diversas que são encontradas nas espécies Piper L. que apresentam atividade biológica, como os alcalóides, substâncias fenólicas, lignanas, neolignanas, flavonóides, terpenos e esteróides. A literatura relata a atividade antimicrobiana de Piper regnellii (Miq.) C. CD. var. pallescens (C. DC.) Yunck de óleos essenciais e substâncias isoladas.

20    As micoses superficiais se localizam em regiões cutâneas e seus anexos, como

pêlos, unhas e cabelos. Fatores como o calor e a umidade propiciam o desenvolvimento dessa infecção. Entre os agentes que causam esta patologia estão os fungos dermatófitos, além disso, Piedraia hortai, Corynebacterium sp., Malassezia furfur (Pitiríase versicolor), Nocardia minutissima (Eritrasma), Cladosporium vernecki (Tinea 25 nigra), Aspergillus peniciloides (Tinea albigena), e além disso, as leveduras, Rhodotorula, Torulopsis, Cryptococcus, Candida, Trichosporon, Klõckera. Os fungos dermatófitos parasitam a pele e seus anexos para consumir a queratina, incluem as espécies dos gêneros Microsporum, Trichophyton e Epidermophyton.

A onicomicose caracteriza-se como unhas friáveis, corroídas, secas, escamosas, 30 com estrias longitudinais, podendo ocorrer a separação do limbo e do leito da unha. Os fungos patogênicos mais comuns são o T. rubrum e T. mentagrophytes, porém, outros fungos das espécies Microscporum, Epidermophyton, Candida albicans, Rhodotorula

sp., Aspergillus sp., Penicillium sp., Fusarium oxysporum, entre outros, também podem causar este tipo de infecção.

Estado da técnica

Diversos medicamentos, cujas formas farmacêuticas variam entre pomadas, cremes, esmaltes, soluções e comprimidos, são utilizados no tratamento de infecções causadas por fungos.

Os medicamentos tópicos devem apresentar agentes antifungicos altamente efetivos com rápida permeação e capacidade de atingir concentração fungicida no local da infecção. O veículo deve garantir boa adesão, ótimo sistema de liberação de droga, aplicação fácil e conveniente.

Os medicamentos antifüngicos sistêmicos convencionais apresentam toxicidade elevada, pois podem ocorrer interações com outros medicamentos e também, apresentar efeitos colaterais graves quando em monoterapia. Estes, em geral, são de custo muito elevado, tomando muitas vezes inviável a continuidade do tratamento. E exemplo a griseofulvina, administrada por via oral é muito eficaz, porém pode apresentar efeitos colaterais como cefaléia, desconforto gástrico, fotossensibilidade, erupções cutâneas, edema e redução do número de leucócitos, da mesma forma que o cetoconazol, incluindo distúrbios hepáticos. Outro exemplo em uso é o antifüngico ciclopirox que possui amplo espectro de ação contra fungos dermatófitos assim como não-dermatófitos. Atua na quelação de metais trivalentes, essenciais a enzimas que dependem desses metais, interferindo assim, na síntese de macromoléculas. Apresenta baixa incidência de efeitos colaterais, ocasionalmente, podem aparecer prurido, queimação e rubor, no local da aplicação. Está presente em vários tipos de formas farmacêuticas, como pomada, loções, cremes vaginais, solução, gel e esmalte.

Objetivos

A procura de novas substâncias bioativas em plantas visa moléculas com alta seletividade, baixa toxicidade e alto potencial farmacológico. A terapia tópica aplicada diretamente sobre epiderme e unhas reduz os riscos de interações medicamentosas e efeitos colaterais, atuando assim, apenas no local da infecção. Devido à toxicidade e alto custo dos antifungicos sintéticos, faz-se necessária a pesquisa de novos agentes antifúngicos, a partir de plantas usadas popularmente com a finalidade de se tratar algum tipo de enfermidade. O objetivo da presente patente é a apresentação de

formulação tópica para o tratamento de dermatomicoses, com destaque para o tratamento específico da onicomicose, tendo em vista sua alta incidência, incorporado em seu veículo, um extrato derivado da espécie vegetal.

Descrição detalhada do processo

5    A partir das folhas da espécie vegetal Piper regnellii (Miq.) C. CD. var.

pallescens (C. DC.) Yunck foi obtido o extrato pelo processo de maceração utilizando álcool com 2 a 6 átomos de carbono, preferencialmente o etanol, em uma concentração que pode variar de 50 a 90%, preferencialmente 90%, foi concentrado sob pressão reduzida, dividida em fase acetato de etila e fase aquosa, sendo esta liofilizada. Este foi 10 submetido ao pré-ffacionamento sob pressão reduzida, utilizando como fase estacionária sílica, e fase móvel, hexano, clorofórmio, acetato de etila e metanol em proporções que variam entre 1 a 100%. A fração clorofórmio, sendo a mais ativa, foi submetida a outro processo cromatográfíco em coluna, utilizando gel de sílica 60 (70 - 230 mesh) como suporte, contendo hexano, acetato de etila, acetona e metanol nas concentrações entre 5 15 a 100%. O processo foi biomonitorado frente aos microorganismos Trichophyton rubrum, Trichophyton mentagrophytes, Microsporum canis, Microsporum gypseum, preferencialmente ao Trichophyton rubrum. O princípio ativo encontrado foi o eupomatenóide-5 cuja estrutura pode ser observada na Fórmula (A), porém, a atividade se manteve na mesma concentração do extrato bruto. Outra substância foi isolada, o 20 eupomatenóide-3, porém não apresentou resultados significativos. A atividade foi obtida pelo processo de microdiluição em caldo, obtendo assim, a concentração capaz de inibir o crescimento fungico de Trichophyton rubrum, que foi de 7.8 pg/ml para o extrato bruto, 6.25 pg/ml para o eupomatenóide-5 e 7.8 pg/ml para o extrato submetido à clarificação.

O extrato clarificado foi obtido pelo processo cromatográfico em coluna, utilizando como fase estacionária o Clorofórmio-d (Florisil) e a fase móvel clorofórmio. Para comprovar a atividade do extrato, foi realizado a microscopia eletrônica de varredura, a partir de unhas infectadas com esporos de T. rubrum e tratadas com diferentes concentrações do extrato, à concentração de 1.2 mg/ml não apresentou vestígios fungicos sobre a unha. Além dessa espécie, o extrato foi testado em outras espécies de dermatófitos, Trichophyton. mentagrophytes, Microsporum canisMicroscporum gypseum, apresentou concentração inibitória mínima 15,6, 15,6 e 62,5 pg/ml, respectivamente; e inativo a fungos não dermatófitos Aspergillus niger (CIM>1000 |ig/ml) e levedura, Candida albicans (CIM>1000 pg/ml). Além disso, o extrato inibiu a germinação de esporos e crescimentos de hifas a 7,8 pg/ml e no ensaio de citotoxicidade, cerca de 98% das células estavam viáveis a 50 pg/ml, indicando assim que o extrato ativo é seletivo às células fungicas. A substância eupomatenóide-5 apresentou características físicas como cristal branco. P.F. 113-115°C, UVÂ,máx CHCI3, nm (log e): 235(9,60); 2,58 (9,70); 314 (9,62). IV vmáx cm1: 3473, 2970, 2925, 2872, 2845, 1580, 1516, 1459, 1430, 1262. RMN 'H (300 MHz. CDCI3): 8 7,43 (d, 7 = 1,8 Hz, H-4); 7,37 (d, J= 8,4 Hz, H-7); 7,32 (d, J= 1,8 Hz,, H-6’); 7,29 (dd, 7=8,1 e 1,8 Hz, H-2’); 7,27 (dd, J= 8,4 e 1,8 Hz, H-6), 7,03 (d,7= 8,1 Hz, H-3’); 6,52 (dd, 7= 15,9 e 1,8 Hz, H-8); 6,23 (dq, 7= 15,6 e 6,6 Hz, H-9); 5,75 (s, OH-4’); 3,98 (s, OCH3); 2,42 (s, CH3-3) e 1,9 (dd, 7= 6,6 e 1,8 Hz, CH3-10). RMN 13C (75,5 MHz, CDC13): 8 = 123,9 (C-l’); 151,4 (C-2); 120,5 (C-2’); 109,9 (C-3); 131,7 (C-3a); 114,6 (C-3’); 116,2 (C-4); 146,8 (C-4’); 132,8 (C-5); 145,8 (C-5’); 122,3 (C-6); 109,3 (C-6’); 110,7 (C-7); 153,2 (C-7a); 131,4 (C-8); 124,3 (C-9); 18,4 (CH3-10); 9,2 (CH3-3); 56,0 (CH3O. EM m/z (int. rel.%): [M]+ 294 (100), 293 (6), 279 (8), 251 (7), 147 (6), 55 (4); ESIEM m/z (int. rel.%):293 (100) [M-H]-.

O extrato clarificado foi incorporado a uma base de esmalte na concentração de 76,96 mg de extrato/lml de esmalte.

Conclusão

A onicomicose é uma infecção muito ffeqüente, acomete indivíduos de todas as idades, e de difícil tratamento. O uso prolongado de medicamentos antifungicos leva a alta toxicidade e são de custo muito elevado, e a utilização de fitoterápicos no tratamento de enfermidades, toma-se uma alternativa para contornar esses problemas. A presente invenção refere-se a formulação tópica à base do extrato, frações e substâncias isoladas da espécie vegetal Piper regnellii para tratamento da dermatomicose, com destaque para o tratamento específico da onicomicose. É ainda relevante considerar que as folhas são fontes renováveis, e a retirada das mesmas não gera danos ao vegetal mantendo a espécie preservada.

REIVINDICAÇÕES

1.    FORMULAÇÃO    TÓPICA    CONTENDO    EXTRATO    DE    PIPER

REGNELLII PARA TRATAMENTO DE MICOSES SUPERFICIAIS,

caracterizada pela utilização do extrato, frações e substâncias isoladas da espécie vegetal Piper regnellii como antifungico para utilização terapêutica no tratamento de doenças infecciosas causadas por fungos que acometem as micoses superficiais;

2.    FORMULAÇÃO    TÓPICA    CONTENDO    EXTRATO    DE    PIPER

REGNELLII PARA TRATAMENTO DE MICOSES SUPERFICIAIS,

caracterizada por ser obtida a partir das folhas da espécie vegetal Piper regnellii (Miq.) C. CD. var. pallescens (C. DC.) Yunck cujo extrato foi obtido pelo processo de maceração utilizando utilizando álcool com 2 a 6 átomos de carbono, preferencialmente o etanol, em uma concentração que pode variar de 50 a 90%, preferencialmente 90%. O referido extrato foi submetido ao pré-fracionamento sob pressão reduzida, utilizando como fase estacionária sílica, e vários sistemas eluentes com polaridades crescentes. A fração clorofórmio, sendo a mais ativa, foi submetida a outro processo cromatográfico em coluna, utilizando gel de sílica 60 (70 - 230 mesh) como suporte, e diferentes sistemas eluentes de polaridades crescentes foram aplicados;

3.    FORMULAÇÃO    TÓPICA    CONTENDO    EXTRATO    DE    PIPER

REGNELLII PARA TRATAMENTO DE MICOSES SUPERFICIAIS, caracterizada por ter atividade obtida pelo processo de microdiluição em caldo, obtendo assim, a concentração capaz de inibir o crescimento fóngico de Trichophyton rubrum, que foi de 7,8 pg/ml para o extrato bruto, 6,25 pg/ml para o eupomatenóide-5 e 7,8 pg/ml para o extrato submetido à clarificação. O extrato clarificado foi obtido pelo processo cromatográfico em coluna, utilizando como fase estacionária o Clorofórmio-d (Florisil) e fase móvel clorofórmio ;

4.    FORMULAÇÃO    TÓPICA    CONTENDO    EXTRATO    DE    PIPER

REGNELLII PARA TRATAMENTO DE MICOSES SUPERFICIAIS, caracterizada pela incorporação a uma base de esmalte cosmético comercial para o tratamento específico da onicomicose.

RESUMO

FORMULAÇÃO TÓPICA CONTENDO EXTRATO DE PIPER REGNELLII PARA TRATAMENTO DE MICOSES SUPERFICIAIS

O presente produto refere-se a formulação tópica para tratamento de micoses 5 superficiais cujas bases são extratos, frações e substâncias isoladas de Piper regnellii (Miq.) C. CD. Var. pallascens (C.DC) Yunck. A onicomicose, tipo de micose superficial caracteriza-se como unhas ffiáveis, corroídas, secas, escamosas, com estrias longitudinais, podendo ocorrer a separação do limbo e do leito da unha. Os medicamentos antifungicos sistêmicos atuais apresentam toxicidade elevada, pois 10 podem ocorrer interações com outros medicamentos e também, apresentar efeitos colaterais graves quando em monoterapia. Estes, em geral, são de custo muito elevado, tomando muitas vezes inviável a continuidade do tratamento. O objetivo da presente patente é a apresentação de formulação tópica para tratamento de micoses superficiais, tendo em vista sua alta incidência, incorporado em seu veículo, esmalte cosmético 15 comercial, um extrato clarificado derivado da espécie vegetal.